O papel do Linux na atualidade

Neste momento de transição tecnológica, onde está o Linux?

[ Hits: 9.039 ]

Por: flavio ferreira hespanhol em 02/12/2010


Conscientização



Em meu artigo Onde está o Linux expus uma crítica ao fato de o Linux estar estagnado e não dar suporte a determinado tipo de hardware, o que me obrigou a reinstalar o Windows em meu computador.

Contudo, graças aos comentários enviados ao meu artigo e ao apoio da comunidade Linux, tomei conhecimento de coisas muito relevantes e importantes, como o fato de o Linux hoje estar presente em vários aspectos de nossas vidas, seja em caixas de banco, tablet PCs, smartphones e PDAs, como em servidores espalhados por todo o mundo.

Tomei conhecimento também da luta de pessoas pelo direito de todos terem acesso gratuito a tecnologia e com isso recuperei minha fé no sistema do pinguim, pois vi que a discussão aqui vai muito além de que sistema operacional usar e sim em termos liberdade de escolher a maneira que queremos usar os aparatos tecnológicos que surgem.

Quer dizer então que a cada dois anos serei obrigado a trocar meu computador simplesmente porquê uma mega corporação diz que ele ficou obsoleto? Não posso usar uma mesa digitalizadora e uma impressora multifuncional de qualquer marca simplesmente porquê o fabricante só produz o aparelho para funcionar em Windows? Isto é um absurdo. Como em pleno século 21 ainda somos reféns da Microsoft, que nem esta mais tão forte assim?

Será tão difícil padronizar o hardware para que ele não precise de um driver de instalação para funcionar? Sinceramente, ao ver situações assim me lembro de indústrias que faliram por pressão de mega corporações como a Gurgel por exemplo, onde as grandes montadoras de veículos a sufocaram até acabar.

Porém com o movimento do software livre a coisa não é assim. Os usuários do sistema são inteligentes e insistem em mostrar que ter liberdade em escolher o sistema operacional que usam não é só um luxo e sim um direito de todos. O exemplo disso é que fui achar o driver de minha impressora em um site lá da Ásia, onde um chinês adaptou o programa Iscan para funcionar com a impressora que uso.

Quer dizer o cara teve de compilar um driver para usar simplesmente porquê a Epson não está nem aí para o usuário final só quer vender. Em resumo recuperei minha fé no GNU/Linux e agora sempre que for comprar um hardware perguntarei se o mesmo é compatível com Linux, se não for, simplesmente não compro.

Espero que outros façam o mesmo, pois a partir do momento em que uma empresa passa a perder dinheiro (que é a única coisa que entendem), começam a se preocupar e passarão a olhar mais para o usuário de Linux.

   

Páginas do artigo
   1. Conscientização
Outros artigos deste autor

A Internet torna as pessoas inteligentes?

O papel do GNU/Linux na atualidade

Finalmente consegui tirar o Windows do meu computador!

Blogs de mais, conteúdo de menos

O futuro e o Linux

Leitura recomendada

Projeto Xen - Visão Geral

Onde o Linux perde feio para Windows

Realidade...

Candidato entra com ação no TSE para prestar contas sem usar Microsoft Windows

LPIC 1 - É difícil passar nos exames 101 e 102?

  
Comentários
[1] Comentário enviado por edutoporoski em 02/12/2010 - 16:27h

Tomei uma atitude semelhante para comprar um modem 3G. Das 4 operadoras disponiveis em minha região somente uma tinha modem que funcionava com Linux e para minha surpresa eles mesmos fazeram a instalação gratuitamente no notebbok e via telefone para desktops, ainda bem que existem operadoras que pensam no cliente e não no lucro somente.

A unica maneira de fazermos a situação mudar é fazermos as empresas sentirem no bolso para que elas acordem para o que seus clientes precisam e não para somente o lucro ou fazer propagandas bonitinhas.

[2] Comentário enviado por cirofsouza em 02/12/2010 - 16:32h

É isso: o capitalismo tende realmente a promover este tipo de cadeia de consumo, tornando equipamentos obsoletos obrigando a compra de novos com o fim de manter a roda girando.
Entretanto, os menos favorecidos com a capacidade de compra são os que saem perdendo.
Mas precisamos separar as coisas e observar qual o objetivo: o software livre está aí para dar liberdade ou para proteger os "fracos e oprimidos"? Não podemos simplesmente condenar a MS por fazer o seu papel capitalista, assim como não podemos exigir que fabricantes de hardware façam as coisas de graça! Acredito que um meio termo deve ser alcançado aí, principalmente, num país como o nosso que não respeita o direito autoral com a pirataria deslavada exposta nas ruas da cidade, na pirataria daquele software que voce usa, inclusive, para ganhar dinheiro e pelo qual voce nao teve a decencia de pagar por ele. Ou seja: parar de usar software pirata: se voce nao tem condições, use o equivalente "open". Se voce realmente precisa usar o dito software - COMPRE.
Acredito que isso irá balancear mais a situação, delimitando áreas de atuação de cada um.

[3] Comentário enviado por tucuri em 02/12/2010 - 17:58h

Assim como nosso amigo edutoporoski disse, temos que começar a mecher no bolso dessas grandes empresas, para que elas começem a perceber que o software livre é mais que um movimento. Software livre é o futuro.
Empresas já estao começando a implantar o novo sistema, e com isso nós ganharemos mais na facibilidade e no desenvolvimento de softwares.

[4] Comentário enviado por fhespanhol em 02/12/2010 - 21:08h

Com certeza. Concordo com o exposto nos três comentários. E outra coisa a plataforma GNU/Linux é a única que está migrando de forma bem sucedida para os dispositivos móveis. Hoje o GNU/Linux é líder de mercado em matéria de Smartphones e Tablet Pcs quer dizer a tendência é de as empresas investirem mais nos sistemas para dispositivos móveis o que é um incentivo para os jovens programadores aprenderem a desenvolverem softwares para GNU/Linux que tende a crescer ainda mais daqui para frente.

[5] Comentário enviado por Teixeira em 03/12/2010 - 01:31h

Realmente é necessário deixar bem claro que não é o Linux que está estagnado por não dar suporte a certos periféricos. Certos fabricantes de periféricos é que se negam a fazer seus produtos condizentes com os padrões que DEVERIAM seguir; Seja isso por desleixo, incompetência ou porque não se preocupam nem um pouco com o usuário.
Um periférico - qualquer que seja - deveria seguir o padrão da arquitetura IBM-PC, assim como os periféricos para Mac seguem o padrão do Mac.
Mas o que acontece é que eles fazem geralmente fora do padrão e implementam drivers voltados para o Windows (software) e não para o hardware.
Um bom exemplo disso são os softmodems (também chamados de Winmodems) que são bastante inferiores em tudo aos modems "normais" e a maioria das webcams, cujos drivers estão limitados a uma ou duas versões do Windows.
Na verdade, os linuxistas conseguem "tirar água da pedra" diariamente ao receber contribuições técnicas voluntárias e provenientes de todas as partes do mundo, no sentido de poder utilizar a maioria desses periféricos mesmo sem a ajuda dos fabricantes.
Saibam também que no mundo das telecomunicações, os equipamentos de grande porte e de alto desempenho estão sendo cada vez mais baseados em Linux.

[6] Comentário enviado por fhespanhol em 03/12/2010 - 08:28h

Com certeza Teixeira. Como exemplo de servidores de grande porte que rodam sob plataforma Linux podemos citar O Banco do Brasil e o Santander aqui no Brasil. No exterior temos como exemplo os estúdios da BlueSky onde os filmes de animação são produzidos em Fedora como o sucesso a Era do Gelo.

[7] Comentário enviado por cruzeirense em 03/12/2010 - 09:02h

Na minha opinião o que deve ser feito já está sendo feito!
Não adianta agente querer que as empresas fiquem boazinhas e comecem a fazer hardwares compatíveis com linux, visto que o objetivo da empresa sempre é o lucro.
Com o tempo a quantidade de usuários vai aumentar e aí vai valer a pena para as empresas fazerem os hardwares compatíveis.
Em relação aos computadores se tornarem obsoletos rapidamente isso faz parte da evolução natural. Imagina se as pessoas só trocassem de computador quando realmente precisassem.... O investimento seria também muito menor o que traria produtos muito piores a preço muito mais altos!
Hoje em dia quase tudo é descartavel, não somente no campo de informática. Um exemplo melhor seria telefones celulares. Para a maioria dos usuários ele é utilizado apenas para fazer e receber ligações, mas hoje em dia todo mundo quer um celular que tire fotos, navegue na internet, tenha trezentos toques, reproduza mp3, etc...
Pra finalizar, acho que o que está sendo feito já está bom. Devemos apenas dar tempo ao tempo. Algumas coisas eu realmente acho que tenha que mudar, mas o caminho que está sendo seguido está certo.

Abraço,

Renato

[8] Comentário enviado por jhonatam em 03/12/2010 - 10:56h

Parabéns pelo artigo, eu fui uma das pessoas a criticarem seu artigo sobre linux estagnado, e agora sou uma das pessoas a parabenisar sua nova visao de mundo.
Pensei inclusive em escrever um artigo com o título (Para quem não sabe onde o Linux está ).
Mas ainda bem que todos agora estamos de acordo com o real potencial e utilidades do Linux !

[9] Comentário enviado por vinicius.franco em 03/12/2010 - 13:03h

É preciso ver as duas vertentes do sistema operacional: enquanto residencial e enquanto empresarial.
Enquanto residencial, acredito que muito em breve vamos começar a superar nossas barreiras, sair do estigma do 1% e quebrar esses conceitos já estabelecidos sobre o quanto o linux é complicado ou impossível ou sei-lá-mais-o-que. As empresas que vendiam antes o MS como O&M, estão passando a vender com linux na grande maioria dos seus desks e notes. Isso vai ajudar muito!
E do ponto de vista empresarial, cara, os servidores linux e unix a muito tempo não ganhavam tanto espaço. A nivel mundial, poor exemplo, com essa crise, muitas empresas seguraram dinheiro nos bolsos e substituiram seus servidores MS pela liberdade do Linux. Acho que é mais ou menos por aí a nova tendência.
E sua nova análise merece mesmo a parabenização!

[10] Comentário enviado por gioo em 03/12/2010 - 15:13h

Muito bacana sua atitude, parabéns meu caro!

x)


[11] Comentário enviado por stremer em 03/12/2010 - 15:34h

agora sim... o que as pessoas precisam é entender o porque de certas coisas... parabéns e bem vindo novamente!

[12] Comentário enviado por fhespanhol em 03/12/2010 - 19:11h

Obrigado a todos pelo incentivo. Saibam quevpesquisar sobre o gnu/linux esta vsendo bem proveitoso. Temos ainda o exemxplo dos tablet pcs de baixo custo que podem ser comprados por trezentos Reais e rodam o Android sem dever nada aos seus primos ricos.

[13] Comentário enviado por Teixeira em 04/12/2010 - 12:48h

Entendo que fabricar acessórios que atendam aos padrões obedecidos não é favor algum.

Imagine se os postos de gasolina passassem a substituir a gosolina por nitrogênio, por exemplo.

Ou que somente fossem fabricados pneus para a rodagem dos veículos da Volkswagen.

Ou que somente fossem fabricados eletrodomésticos que funcionassem em 220 volts.

Os exemplos podem ser péssimos, mas é exatamente isso que está acontecendo.
Se existem padrões é exatamente para serem cumpridos.

Já acho uma idiotice sem tamanho essa mudança da norma brasileira com respeito às tomadas eletricas: Elas realmente visam dar maior segurança ao usuário, porém o mercado já está abarrotado de produtos de péssima qualidade, e que não seguem de forma alguma a fllosofia do padrão, que seria "a segurança em primeiro lugar".
Seria muito preferível continuar adotando a norma NEMA 5/15 adotada e consagrada mundialmente e já anteriormente aprovada pela ABNT.

Normas e padrões têm sido propositadamente violados, sempre em proveito de alguém: W3C Standards, ANSI, IBM-PC, LIM, MSX e tantos outros.

[14] Comentário enviado por elton.linux em 04/12/2010 - 21:04h

Entendo que o LINUX bem como outros devem ter seu desenvolvimento pelas empresas de hardware! O monopólio não é benéfico para ninguém! Isso não é uma discusão sobre qual é o melhor! Mais rápido! ou o que não dá tela azul... e sim uma ideologia que é a base do desenvolvimento humano.

[15] Comentário enviado por stack_of em 05/12/2010 - 13:38h

Tenho um PC na casa dos 3 anos, com placa ASUS M3A78-EM, processador mais moderno Athlon X2 240, uma placa de captura de video para 4 câmeras de vigilância (uso o Zoneminder), 2G de RAM, acesso Internet 3G Vivo e compartilho para outros computadores na casa com proxy transparente squid. Navego na Internet, escrevo artigos, faço aulas, trabalhos da escola das crianças de casa, escuto música, ripo DVDs, CDs, faço conversão de mídias. Tudo isso com Linux Slackware current e softwares livres.
Desde que optei pelo Linux não mais gastei nenhum centavo com software ou piratas e estou plenamente satisfeito.
Não sou muito exigente, no Slackware prefiro ambientes gráficos mais modestos (XFCE4), uso linha de comando para ouvir música, desenvolvo programas no Vim, no máximo utilizo a IDE Geany, portanto tenho hardware de sobra.
Sei que existem entusiastas que gostam de novidades, são deslumbrados com a tecnologia e gostam de gastar seu dinheiro com supérfluos por simples prazer. O Linux não foi feito tendo estes como prioridade, com certeza.
Estou certo que as distros Linux atendem à necessidade da maioria, é questão de boa vontade.
Aqueles que criticam, perseguem e falam mal do software de código aberto certamente são pessoas mal intencionadas, ligadas aos "trolls" das corporações de reputação duvidosa ou apenas simpatizantes do mal.
Parabéns pelo artigo Flavio.

[16] Comentário enviado por nicolo em 05/12/2010 - 20:48h

A padronização vale para os outros ? só para o outros.
No PC, não tem mudado a tecnologia por causa de uma mega corporação: O IDE há muito estava marcado para morrer e dar lugar ao SATA.
O barramento passou de ISA, para VBL, para PCI ,para AGP e para PCI express. Isso foi ampliação de capacidade.
O DMA deu acesso direto à memória; e agora O IRQ está com os dias contados para dar lugar ao MSI. Isso é devido ao crescimento do número de dispositivos conectáveis que não existiam no passado e não por
conspiração do mal. O IRQ eram apenas 15 . O MSI é endereço de memória e não teria limite.
As memórias continuam mudando, etc
Isso não é uma movimento de uma empresa é um movimento de alteração de especificação. O PC original tinha barramentos incrivelmente pobre.


Os fabricantes de placas mães são muitos , não é uma mega corporação. Parece que há uma certa fixação na teoria da conspiração em relação a uma tal mega corporação
diabólica que conspira pra arrancar o dinheiro dos pobrecitos, Quem é essa corporação?

2-Se o hardware fosse padronizado o Linux seria imensamente favorecido, porque os fabricantes não se preocupam em fazer driver para minoria. O Linux não precisaria fazer driver para todas as marcas e modelos,
em alguns casos bastaria ter driver para os mais vendidos, pois em alguns itens, num mercado concorrido 5% já consegue alguma pressão.

3-O problema não é ter driver para tudo. É preciso acompanhar a "evolução tecnológica". Placas de TV, flash player , gravadores de som e toda essa maçaroca de gadgets precisa de suporte.
Seria uma boa ideia o open-source separar as equipes e produtos de empresas e domésticos.

Bom agora não vai mais ter um querubim mandando E-mail para minha casa.: O artigo é sovina no conteúdo, um protesto.

[17] Comentário enviado por M.Lemos em 06/12/2010 - 10:45h

É isso ai irmão. Se nos unirmos e contribuirmos com a comunidade de software livre, tornaremos o uso de distribuições Linux cada vez mais forte.

[18] Comentário enviado por fhespanhol em 06/12/2010 - 11:42h

Com certeza kde Thor - Nos unirmos e nos organizarmos. Um grupo de desnvolvedores para cada tipo de aplicação procurando tornar a vida do usuário que é leigo mais fácil. Quem não gostaria de ter um computador mais inteligente? Que interpretasse e identificasse o hardware conectado à ele de imediato e cujos programas fossem altamente intuitivos com uma interface simplificada. Aliás o ideal era você nem precisar de tantos programas e sim o computador ser capaz de interpretar suas preferências de uso e se adaptar sozinho. E acredite meu amigo pelo que já vi do GNU/ Linux é possível fazer ele se comportar desta forma. É só questão de tempo e boa vontade. Afinal o sistema é rápido, ágil e permite uma gama praticamente infinita de variações a exemplo do que o stack falou no comentário 15.

[19] Comentário enviado por tonnytg em 06/12/2010 - 12:58h

Concordo com comentario 15, stack of , também uso slackware current e nunca tive problemas nenhum com emulação de alguns jogos ou uso domestico até porque é o mais viavel para que eu não tenha que perder horas formatando windows já que minha mãe e minha irmã utilizão o pc para acesso a internet e não tem noção nenhuma de segurança.

[20] Comentário enviado por HER GNU/Linux em 06/12/2010 - 13:51h

Parabéns!

Gostei muito da redação. Software Livre já está em várias empresas. Não é possível comprar uma Sistema Operacional a cada dois anos.
É um absurdo completo, pois cada vez que muda, muda tudo, os programas novos não funcionam na antiga versão.


Até

HERMES

[21] Comentário enviado por nicolo em 07/12/2010 - 07:28h

OBS ao Comentário 20. Trabalho para empresas de grande porte, todas elas pararam no Windows XP que já tem 8 anos, um vovô de informática.
E não parece que qualquer uma delas esteja considerando mudar.
É interessante que as idéias correntes não se alinhem com a realidade empresarial.

E as estações de trabalho são máquinas simples de fornecedores grandes. A Spec é bem humilde, eles não jogam dinheiro fora.
A qualidade das máquinas em geral é excelente, há exceções de gente que não sabe comprar.

GNU-Linux: Só uma utiliza GNU-Linux comercial para fins específicos e com acesso restrito a um grupo muito seleto de profissionais do core business.

Conclui-se que empresas de grande porte não fazem pajelança e nem romantismo, só usam coisas garantidas, não ligam se a tecnollogia de informática
é nova ou velha, querem somente que funcione.
A coisa tem que funcionar como eles querem e não tem essa de não dá. Isso não quer dizer que eles demandem excelência, muito pelo contrário, demandam
mais comodismo e segurança e compram algumas requintadas porcarias, bem caquéticas.
O mundo é imperfeito.(nova essa!)

[22] Comentário enviado por removido em 07/12/2010 - 18:00h

"...seja em caixas de banco, tablet PCs, smartphones e PDAs, como em servidores espalhados por todo o mundo..."
ou seja, só em ambientes corporativos, mas no desktop não, então é por isso que a MS domina, pois enquanto alguns linuxers xiitas não se derem as mãos e ao invés de dizer: "leia o man" para um desesperado atrás de uma simples informação, porque não fazer como a comunidade windows, que passa a informação na hora, afinal o cara não quer ser técnico, quer usar o desktop.

[23] Comentário enviado por claudiojoliveira em 15/12/2010 - 22:06h

Gostaria de fazer uma observação.
Nós poderíamos fazer nossa parte para melhorar isto:
1º - Fazendo uso de sua distribuição de preferência;
2º - Contribuindo financeiramente de alguma forma para os desenvolvedores terem mais recursos, já que é open source e ainda podemos baixá-los gratuitamente, porque não comprarmos alguns produtos tais como camisetas, adesivos, chaveiros, bonés, etc., assim eles arrecadariam uns trocados.
Para quem curte Slackware como eu, vai minha dica:
http://store.slackware.com/cgi-bin/store
Outros:
http://www.linuxmall.com.br/home
"Conscientização" kkkk
Abraços.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts