Internet 3G no GNU/Linux

Como técnico em informática tenho tido muitas reclamações quanto ao funcionamento da Internet 3G. Sendo assim resolvi testar o sistema e postar as conclusões aqui.

[ Hits: 25.503 ]

Por: flavio ferreira hespanhol em 20/05/2010


Tecnologia adotada



A tecnologia 3G empregada atualmente pela maioria das operadoras é a UMTS, no entanto a UMTS depende da qualidade do sinal oferecido, normalmente o próprio modem muda automaticamente a faixa de frequência. Como a rede UMTS é cara, sua abrangência não é muito alta, então outras opções e redes são utilizadas para suprir a demanda.

As outras opções de conexão são GPRS e EDGE. A GPRS utiliza 5 slots (ou canais) de dados sendo 4 para download e 1 para upload com taxas de transferência entre 8 e 20kbps, no entanto conforme a qualidade do sinal vai caindo, cai também a quantidade de slots e consequentemente a velocidade da conexão. E a taxa de latência no GPRS também é muito alta, em torno de 500 a 1000ms contra 100 a 200ms de uma conexão via modem tradicional.

Quando o sinal é muito fraco, é normal o modem operar em EDGE. O EDGE opera no máximo a 473,6kbps e sua taxa de transferência e de latência são praticamente as mesmas do GPRS. E navegar na internet utilizando estas duas tecnologias é o mesmo que navegar via modem de 56kbps com uma linha telefônica ruim.

A rede que realmente fornece velocidades elevadas e pode ser chamada de banda larga é a HSUPA porém somente uma operadora aqui no Brasil adota esta tecnologia, então o que temos é uma internet discada via rádio sendo vendida como banda larga móvel e como o investimento nesta tecnologia é caro e muito novo, não temos para onde correr ao tentar bolar uma solução para o problema das conexões 3G.

No link abaixo podemos encontrar um artigo detalhando de maneira bem abrangente a diferença entre as tecnologias 3G adotadas aqui no Brasil.
    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Tecnologia adotada
   2. Considerações técnicas
   3. Configurando a conexão e escolhendo o sistema operacional
   4. Testando e configurando a conexão
Outros artigos deste autor

O papel do GNU/Linux na atualidade

O futuro e o Linux

O papel do Linux na atualidade

Onde está o Linux

Blogs de mais, conteúdo de menos

Leitura recomendada

Navegando em modo texto com imagens

Instalação do serviço de NTP (servidor de tempo) no Debian

Canal IRC #vivaolinux na rede irc.freenode.net

Apollon no Conectiva Linux 10

Aircrack-ng e sua família para quebrar WEP e WPA1

  
Comentários
[1] Comentário enviado por izaias em 20/05/2010 - 19:37h

Excelente artigo!

Realmente, essa modalidade de conexão cresce muito no Brasil e informações como estas são real valor para quem usa Linux.
A interface gráfica do software de configuração do modem não é reconhecida pelo Ubun. Tentei manipular a interface pelo Wine e nada.
Mas é como você postou, o Linux reconhece de cara o modem e ainda bem que isso acontece. A navegação flui com velocidade superior comparando-se a mesma num windows.
Quando chegar de fato a internet via rede elétrica, os preços vão cair bastante, coisa que já acontece com o speed da telefonica.



Parabéns pelo artigo!

[2] Comentário enviado por fhespanhol em 21/05/2010 - 13:55h

Como postei no artigo amigo Izaias o problema das operadoras é o custo. A tecnologia avança mais rápido do que o retorno dos investimentos que elas fazem em implantação de serviços. Sendo assim enquanto os sistemas operacionais já estão na fase dos 64 bits e interface touchscreen de alta performance as operadoras ainda estão paradas no Windows XP o que dificulta a vida do usuário que não tem recursos nem conhecimentos técnicos. Ficando a mercê de maus profissionais do ramo da informática, já vi gente vendendo driveres de modens 3g para Windows Seven por R$20,00 em alguns fóruns da Internet sendo que os driveres do Windows XP servem para o Windows Seven basta copiar de um para o outro e instalar. A internet banda larga popular assim como a pela rede elétrica realmente tendem a dar uma agitada no mercado, pois se você pode ter banda larga de qualidade por preços módicos porquê optar por um serviço similar muito mais caro? Isto deve forçar as operadoras a melhorarm o serviço prestado.

Vamos torcer para que sim, porquê por enquanto a coisa está decepcionante.

[3] Comentário enviado por The A em 21/05/2010 - 19:37h

Sobre a net, tenho modem a tim no estado de MG tenho um iphone e onde vou o 3G pega bem e tranquilo assisto videos no youtube, pra não perde tempo pagando net banda larga comprei um mini modem hauwei E1756 com capacidade pra chip microSD até 8G além da conexão ser mto boa.
instala relax no ubuntu e mais facil q isso soh falta ele não cair de vez enquando, agora sobre vc falar sobre o HSDU que eh vendida como uma discada ta errado, vc compro ou testou 3G da operadora errada.

[4] Comentário enviado por The A em 21/05/2010 - 19:39h

A e to com o ubuntu 10.04 lts rodando com ele instalado fora q ja vem com drivers pra linux e eh compativel com uma porrada de distro, alem que to com pidgin aberto, you tube e to aqui postando de boa ;) fora q jogo as vezes tibia online por ele hahua

[5] Comentário enviado por Teixeira em 24/05/2010 - 17:19h

Colega The A:

Esse negócio de pagar por HSDU e receber EDGE infelizmente é verdadeiro, e é válido para TODAS as operadoras sem exceção, sob os olhos eternamente fechados da Anatel.

Conforme já comentei em algum lugar por aí, não é suficiente ter uma TORRE "de 3G" e não ter uma ANTENA 3G.
A torre é apenas um suporte, e nada mais.
E se não existe uma antena própria para o sinal HSDU, como é que se pode esperar a propagação desse tipo de sinal?

Agora, EDGE tem praticamente em toda parte.

Poranto que ninguém se engane: Apenas em alguns lugares MUITO seletos existe o sinal HSDU.
Se alguém tiver duvidas (inclusive a propria Anatel), é só verificar nas torres das operadoras se tem A ANTENA apropriada.
Não sabe como se parece uma antena desse tipo? Uma simples busca no Google resolve.

Em radiodifusão não existem milagres.
Pelo contrário, tudo na natureza contribui para piorar a qualidade de qualquer sinal, e não para melhorá-lo.
Ninguém consegue receber 100% da qualidade ou intensidade do sinal efetivamente transmitido, portanto qualquer valor que se aproxime - mesmo que de longe - desses 100% já estará de bom tamanho.

[6] Comentário enviado por fhespanhol em 25/05/2010 - 08:05h

E o pior de tudo Teixeira é que isto e um problema a nível mundial. Em outros paises também são encontrados os mesmos problemas para a implementação da Internet 3G. É por isso que em muitos paises é adotado o sistema Wi-max que é muito mais eficiente, porém o lob das empresas de telefonia impede a difusão deste sistema em larga escala. De modo que só nos resta realmente tentar tirar o máximo proveito do péssimo serviço prestado pelas operadoras.

[7] Comentário enviado por ednilton_so em 01/06/2010 - 11:49h

Artigo muito bom. Eu só tenho duas críticas básicas:
1. Quando você escreve "50kbps X 8 = 400kbps", na verdade quer dizer "50KB/s X 8 = 400Kbps". Em KB, B significa Byte e em Kbps, b significa bit. Isso gera uma confusão nos usuários e acredito que seja uma forma que as operadoras usam para ludibriar os consumidores ao venderem velocidades em Kbps. Quando o usuário compra 1Mbps, ele pensa que o seu download vai acontecer no máximo em 1 MB/s, que é a unidade que aparece no navegador. Mas na verdade, vai ter sempre 1/8 disso, nas unidades que ele realmente conhece. Não esqueça então que Byte e Bit são diferentes. (Não se multiplica a unidade por um número, a não ser que seja "1", e se mantem com a mesma unidade.)

2. Estou certo que o usb-modeswitch não é necessário para obter conexão com o modem MF100 da ZTE. Nesse caso, se você, no Ubuntu, ejetar o que o computador reconhece como dispositivo de armazenamento, o que é efetivamente o modem é ligado. Isso é percebido por exemplo pois o LED do modem apaga e acende novamente. Na internet, no entanto, todos os tutoriais que encontrei pra esse modem falam que é necessários intalar o usb-modeswitch. Então, vale a pena fazer o teste de simplesmente ejetar a parte de armazenamento de outros modens para ver se o mesmo ocorre. Acredito que pelo menos na maioria dos ZTE isto ocorre. Evidentemente eu não tenho como testar, pois só tenho acesso ao MF100, que é da minha irmã. Mas alguém que possua outros modens poderia testar a ideia.

Abraços.

[8] Comentário enviado por fhespanhol em 01/06/2010 - 13:55h

Excelente comentario ednilson, deixei o tópico aberto justamente para outros usuários Linux postarem aqui suas experiências utilizando internet via 3G.

[9] Comentário enviado por reginaldo175 em 06/06/2010 - 18:50h

Sou novato e meu nome é Reginaldo gostaria que alguem me ajudasse a configurar o driver usb da GLOBALTRONIC no linux ubuntu 10.4
eu baixei o pacote de instalcao e como eu sou novato nao consegui instalar, pois tem um monte de configuraçao adicionais la que eu nao consigo instalar. o modelo do GLOBALTRONIC é o modelo 2412WN, por favor se alguem souber configurar e instalar por favor me ajude.

[10] Comentário enviado por fhespanhol em 07/06/2010 - 17:36h

O adaptador de rede USB Globaltronic normalmente é reconhecido automaticamente pelo Ubuntu. O que deve estar acontecendo é que o seu roteador está bloqueando o acesso a rede porque você não deve ter inserido a chave de segurança. Para fazer isto proceda da seguinte forma:
1 - Abra o networmanager(Ícone da rede ao lado do relógio ou vá em sistema / administração / rede);
2 - Clique na aba rede Wireless (tem um símbolo de uma antena saindo uns raios);
3 - Clique em adicionar. Ao fazer isto o Ubuntu irá identificar automaticamente sua rede e se comunicar com seu roteador, pedindo em seguida a chave de rede que normalmente é uma senha alfanumérica pré escolhida pelo sistema na hora da configuração do roteador ou então uma senha que você mesmo escolheu, feito isto a rede estará habilitada automaticamente.

Aqui em casa uso um adaptador Milmax e a configuração foi feita desta forma. Tente para ver. Caso não consiga configurar entre no tópico de perguntas e pergunte aos outros usuários. Estamos aqui para ajudar.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts