Terminais leves: Analisando as tecnologias XDMCP, NXSEVER E LTSP

Um comparativo entre tecnologias que possibilitam a construção de terminais leves, nessa comparação são analisados as potencialidades de acordo com os objetivos pretendidos, testadas e avaliados os resultados obtidos. Neste também são descritos detalhes sobre as etapas de instalação de cada tecnologia.

[ Hits: 59.532 ]

Por: Renato Melo em 07/02/2011 | Blog: http://renatomelo.blog.br


Boot através do disco rígido dos terminais



Usar o disco rígido dos terminais é bem vantajoso, quando se disponibiliza deste recurso, comparado com a insegurança de se usar disquetes, porém é também a forma mais complicada.

No site http://rom-o-matic.net escolhe-se o módulo da placa de rede das estações, a opção será "Lilo/Grup/Syslinux Loadable Kernel Format".

Existem maneiras diferentes de se armazenar a imagem de boot no HD, porém a mais fácil é instalar o disco rígido em outro computador. Pode ser o servidor ou qualquer outro micro que tenha o Gnu/Linux instalado que use o Lilo ou Grub como gerenciador de inicialização.

Primeiramente se exclui as partições existentes no disco, neste caso foi usado o particionador fdisk para limpar o HD e criar uma única partição Linux, formatada em ext2.

Localiza-se as partições e discos existentes.

# fdisk -l

Limpa o HD:

# fdisk /dev/sdb

Onde (sdb) é substituído pela localização do HD que será formatado.

Existem as opções na hora de limpar o disco: (m)para ajuda, (p)lista as partições do disco (d)exclui as partições e (n)cria uma nova partição. As opções devem ser usadas de acordo com esta sequência.

Formatar a partição em formato ext2.

# mke2fs /dev/sdb1

Criar um diretório e usá-lo para montar o HD.

# mkdir /mnt/sdb1
# mount /dev/sdb1 /mnt/sdb1


Copiar o arquivo baixado da rom-o-matic para a partição montada.

# cp nome_do_arquivo.lkrn /mnt/sdb1

Criar o grub como gerenciador de inicialização, copiando o arquivo /boot/grub/menu.lst existente na instalação do sistema, para a partição recém montada. Sendo que (/boot/grub/menu.lst) está presente em distribuições baseadas no Debian, e é equivalente a /boot/grub/grub.conf, existente em outras distribuições como (Red Hat, Fedora Core e CentOS).

# grub-install --root-directory=/mnt/sdb1 '(hd0,0)'
# cp /boot/grub/menu.lst /mnt/sdb1/boot/grub/menu.lst


No caso do terminal possuir um disco rígido que embora muito antigo mas funcione com um sistema Gnu/Linux instalado localmente, não é preciso formatar o disco. O LTSP servirá como uma opção a mais para o funcionamento desta máquina, neste caso como o Grub já se encontra instalado no disco, depois de copiar a imagem para o diretório de boot, é preciso apenas editar o aquivo /boot/grub/menu.lst deixando como o exemplo.

# vim /mnt/sdb1/boot/grub/menu.lst

title		LTSP (Linux Terminal Server Project) 
root  		(hd0,0)
kernel		/boot/nome_do_arquivo.lkrn 

Isso possibilita o terminal carregar a imagem da placa de rede presente no gerenciador de boot e com isso o a estação realiza o acesso ao servidor.

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Ambiente de teste
   3. XDMCP
   4. NX-SERVER
   5. LTSP
   6. Instalação e configuração do LTSP
   7. Boot através do disco rígido dos terminais
   8. Resultados com LTSP
   9. Conclusão
Outros artigos deste autor

Grade Computacional com OurGrid no Debian Lenny

Leitura recomendada

Instalação do Arch Linux com LVM + Luks

Cálculo dos preços de nossos serviços

SIMH: Recriando um pouco da história

Saiba como ativar dois ou mais fbpagers no Fluxbox

Instalando Redmine 2.x no Debian Wheezy com Apache Passenger

  
Comentários
[1] Comentário enviado por removido em 07/02/2011 - 19:36h

Artigo muito bom mesmo ! Parabéns cara.



Abraço.

[2] Comentário enviado por diegomatias em 08/02/2011 - 09:46h

Artigo Muito bom... estas de parabéns...

[3] Comentário enviado por piquen0 em 08/02/2011 - 12:45h

Parabéns, um ótimo artigo...

[4] Comentário enviado por hideoux em 08/02/2011 - 19:41h

Parabéns!
O que acha de escrever mais a respeito de cada um com mais particularidades?

[5] Comentário enviado por dercilima em 08/02/2011 - 21:32h

Muito bom esse artigo.

Estou com um pequeno problema.

Quando tento conectar interno da certo, mas externo não da certo.

Já redirecionei a porta 22 no meu roteador para o computador que é o servidor e mesmo assim o problema ainda continua.

Da o seguinte erro:

Connection timeout

NX> 203 NXSSH running with pid: 3188
NX> 285 Enabling check on switch command
NX> 285 Enabling skip of SSH config files
NX> 285 Setting the preferred NX options

Desde já agradeço.
abraços

[6] Comentário enviado por diegomatias em 09/02/2011 - 11:48h

derci, você seguiu o seguinte passo "O NX-server dispõem a opção LAN para uma rede local, e dispõem a opção ADSL para acessar de qualquer outro lugar".Caso tenha feito, utilizou um IP valido. Pois um computador não se comunica com outro na Internet se não for via um IP valido.

[7] Comentário enviado por cruzeirense em 09/02/2011 - 12:49h

Bom artigo,

Uma solução que já utilizei aqui na empresa para resgatar algumas máquinas velhas foi utilizar um servidor windows 2003 server (tinha que ser windows) com thin clients bootando pela rede. A instalação funcionou perfeitamente, mesmo com o servidor windows. Neste caso foi utilizado o terminal server do windows, mas a idéia é a mesma do LTSP.

Abraço,

Renato

[8] Comentário enviado por renato_smelo em 09/02/2011 - 13:25h

Valeu pela força pessoal,
é muito estimulante receber tais comentários,

hideoux escrever detalhadamente sobre cada tecnologia realmente é uma ótima ideia e um caso a se pensar,


derci, respondendo a sua duvida, reforço o comentário do colega acima, o NX oferece a opção de LAN e ADSL, no caso da ultima é bom verificar se está configurando o cliente para buscar um IP válido.

Caso não seja esse o problema, poste aí.

Abraço a todos.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts