Terminais leves: Analisando as tecnologias XDMCP, NXSEVER E LTSP

Um comparativo entre tecnologias que possibilitam a construção de terminais leves, nessa comparação são analisados as potencialidades de acordo com os objetivos pretendidos, testadas e avaliados os resultados obtidos. Neste também são descritos detalhes sobre as etapas de instalação de cada tecnologia.

[ Hits: 59.527 ]

Por: Renato Melo em 07/02/2011 | Blog: http://renatomelo.blog.br


Instalação e configuração do LTSP



Serão mostrados aqui os procedimentos para uma instalação completamente enxuta. É uma forma bem simples e rápida de se instalar o LTSP, porém para personalização customização e para adaptar cada terminal de maneira individual é necessário alguns procedimentos a mais, nada muito complicado. Contando que o servidor já se encontre com as placas de rede configuradas com IP estático.

O download do LTSP e dos seus pacotes são feitos diretamente pelo console, e como foi dito antes, a instalação relatada aqui foi realizada usando o Debian Lenny 5.0. Os comandos usados também se encaixam em qualquer distribuição baseada no Debian Gnu/Linux.

Atualização dos repositórios:

# apt-get update

Baixando o LTSP:

# apt-get install ltsp-server-standalone openssh-server

Como o LTSP precisa como requisito para funcionar, dos servidores DHCP, TFTP, NFS e SSH ele os instala como dependência.

Exportando o chroot

Depois é preciso exportar o chroot via NFS.

# vim /etc/exports

Adicionando ao aquivo a linha:

/opt/ltsp *(ro,no_root_squash,async,no_subtree_check)

Configurando o DHCP

Depois de baixar os pacotes é preciso ajustar o arquivo de configurações do servidor DHCP, rodando o comando:

# vim /etc/ltsp/dhcpd.conf

Com o arquivo aberto adapte-o de acordo com a rede local, tal como o exemplo.

#
# Default LTSP dhcpd.conf config file.
#

authoritative;

subnet 192.168.0.0 netmask 255.255.255.0 {
    range 192.168.0.20 192.168.0.250;
    option domain-name "unemat.colider.br";
    option domain-name-servers 192.168.0.1;
    option broadcast-address 192.168.0.255;
    option routers 192.168.0.1;
#    next-server 192.168.0.1;
#    get-lease-hostnames true;
    option subnet-mask 255.255.255.0;
    option root-path "/opt/ltsp/i386";
    if substring( option vendor-class-identifier, 0, 9 ) = "PXEClient" {
        filename "/ltsp/i386/pxelinux.0";
    } else {
        filename "/ltsp/i386/nbi.img";
    }
}

Depois é preciso copiar o arquivo inteiro para o /etc/dhcp3/dhcpd.conf como abaixo:

# cat /etc/ltsp/dhcpd.conf >> /etc/dhcp3/dhcpd.conf

Configure a placa de rede padrão, ou seja, como o servidor possui duas placas de redes uma delas receberá o sinal da internet e a segunda distribuirá IP por DHCP para as estações, naturalmente as placas são denominadas como eth0, eth1 e assim vai, normalmente a primeira(eth0) recebe o sinal da internet e a segunda(eth1) distribui o IP para os terminais, mas na maquina onde foi feito os testes aconteceu o inverso, isto é a placa eth1 recebe a internet e a eth0 envia IP, ficando assim a eth0 como placa padrão, para configurar a placa de rede padrão é preciso editar o arquivo:

# vim /etc/default/dhcp3-server

Encontre a linha descrita abaixo e coloque dentro das aspas a interface que deseja usar para distribuir IP aos terminais, no exemplo foi usada a "eth0".

INTERFACES="" ---> INTERFACES="eth0"

Em seguida inicie o dhcp3-server:

# /etc/init.d/dhcp3-server start

Edite o TFTP.

Edite o arquivo /etc/default/tftpd-hpa para que ter o tftpd-hpa inicializado por si mesmo.

RUN_DAEMON="yes"

E reinicialize o tftpd-hpa:

# /etc/init.d/tftp-hpa restart

Criando o ambiente CHROOT

O chroot fica normalmente no diretório /opt/ltsp. Para que o ambiente chroot seja transportado até as estações, é preciso ser referenciado no servidor NFS, exportando o /opt/ltsp no arquivo /etc/exports como foi detalhado no segundo passo.

A criação do ambiente chroot é feita apenas com o comando:

sudo ltsp-build-client

Até que seja concluído esse comando pode levar algum tempo, por isso é normal a demora, só depende da velocidade do servidor. Ao final é preciso receber a mensagem do sistema avisando que os pacotes foram instalados com sucesso.

Se por algum motivo isso não acontecer é preciso excluir o arquivo /opt/ltsp e executar novamente o comando.

sudo rm -rf /opt/ltsp
$ sudo ltsp-build-client


Para finalizar é preciso ainda os seguintes comandos.

Atualizar chaves SSH:

# ltsp-update-sshkeys

Atualizar kernels:

# ltsp-update-kernels

Atualizar imagem:

# ltsp-update-image

Para quem pretende dar boot pela rede via PXE (direto dá placa), é só configurar na BIOS para iniciar pela placa, e pronto o servidor LTSP já está pronto e funcionando, porém de uma forma bem simples e com as configurações default, mas grande parte das placas de rede não conseguem dar boot via PXE, porque precisam que se adicione um chip, para essas ainda existem duas possibilidades, é o etherboot por meio de um disco de boot e ainda pelo disco rígido.

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Ambiente de teste
   3. XDMCP
   4. NX-SERVER
   5. LTSP
   6. Instalação e configuração do LTSP
   7. Boot através do disco rígido dos terminais
   8. Resultados com LTSP
   9. Conclusão
Outros artigos deste autor

Grade Computacional com OurGrid no Debian Lenny

Leitura recomendada

Transmissão de áudio e vídeo via Multicast

Algoritmo Antissocial - Recuperando o Controle da sua Mente

Nagios Falante

Truques e dicas para o Acer Aspire One e o Linpus Linux Lite

Instalando o Slackware em um P100 com 16 RAM

  
Comentários
[1] Comentário enviado por removido em 07/02/2011 - 19:36h

Artigo muito bom mesmo ! Parabéns cara.



Abraço.

[2] Comentário enviado por diegomatias em 08/02/2011 - 09:46h

Artigo Muito bom... estas de parabéns...

[3] Comentário enviado por piquen0 em 08/02/2011 - 12:45h

Parabéns, um ótimo artigo...

[4] Comentário enviado por hideoux em 08/02/2011 - 19:41h

Parabéns!
O que acha de escrever mais a respeito de cada um com mais particularidades?

[5] Comentário enviado por dercilima em 08/02/2011 - 21:32h

Muito bom esse artigo.

Estou com um pequeno problema.

Quando tento conectar interno da certo, mas externo não da certo.

Já redirecionei a porta 22 no meu roteador para o computador que é o servidor e mesmo assim o problema ainda continua.

Da o seguinte erro:

Connection timeout

NX> 203 NXSSH running with pid: 3188
NX> 285 Enabling check on switch command
NX> 285 Enabling skip of SSH config files
NX> 285 Setting the preferred NX options

Desde já agradeço.
abraços

[6] Comentário enviado por diegomatias em 09/02/2011 - 11:48h

derci, você seguiu o seguinte passo "O NX-server dispõem a opção LAN para uma rede local, e dispõem a opção ADSL para acessar de qualquer outro lugar".Caso tenha feito, utilizou um IP valido. Pois um computador não se comunica com outro na Internet se não for via um IP valido.

[7] Comentário enviado por cruzeirense em 09/02/2011 - 12:49h

Bom artigo,

Uma solução que já utilizei aqui na empresa para resgatar algumas máquinas velhas foi utilizar um servidor windows 2003 server (tinha que ser windows) com thin clients bootando pela rede. A instalação funcionou perfeitamente, mesmo com o servidor windows. Neste caso foi utilizado o terminal server do windows, mas a idéia é a mesma do LTSP.

Abraço,

Renato

[8] Comentário enviado por renato_smelo em 09/02/2011 - 13:25h

Valeu pela força pessoal,
é muito estimulante receber tais comentários,

hideoux escrever detalhadamente sobre cada tecnologia realmente é uma ótima ideia e um caso a se pensar,


derci, respondendo a sua duvida, reforço o comentário do colega acima, o NX oferece a opção de LAN e ADSL, no caso da ultima é bom verificar se está configurando o cliente para buscar um IP válido.

Caso não seja esse o problema, poste aí.

Abraço a todos.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts