OSS & ALSA - A História

Conheça a história por trás desses dois poderosos e descubra porque do Open Sound System não é incluído por padrão nas distribuições Linux.

[ Hits: 18.879 ]

Por: Perfil removido em 18/09/2011


Introdução



Houve no Linux duas APIs de som, o OSS (Open Sound System) e o Alsa (Advanced Linux Sound Architecture). Ambos são ótimas APIs, cada um com sua peculiaridade, mas esse não é o assunto principal a ser tratado aqui.

Hoje, praticamente todas as distros Linux utilizam do Alsa para tratar o seu sistema de som, e não há nenhum suporte nativo para o OSS. Apesar disto, ainda há muitas pessoas que utilizam do OSS por problemas de compatibilidade já tão conhecidos do Alsa juntamente com o servidor de som PulseAudio.

Mas por que não é mais oferecido suporte ao OSS? O que teria acontecido?

Eu parei para me fazer essas perguntas, pois é muito estranho que uma API tão poderosa e bem elaborada tenha se perdido por acaso, não acham que está faltando algo nessa história? Eu também! Por isso comecei a pesquisar a respeito e encontrei ótimas informações, porém, a maioria do material realmente útil somente está disponível em inglês. Sendo assim, resolvi criar esse artigo e compartilhar essa história com vocês, que realmente achei muito interessante e gostaria que todos pudessem ter acesso a estas informações.

Neste artigo você encontrará algumas adaptações de textos compartilhados pelo criador da API OSS (Hannu Savolainen) que traduzi cautelosamente de postagens do seu blog original. Você lerá uma descrição perfeita do que aconteceu, algumas opiniões minhas e toda a história e repercussão por trás dessas duas APIs.

Esse é um dos meus primeiros trabalhos de tradução, pois meu conhecimento de inglês é apenas técnico, por isso se encontrarem erros, vou agradecer a correção.

Como tudo começou

Para entender essa história precisamos voltar a mais ou menos 15 anos atrás no tempo, e como não há melhor maneira de começar uma história:

Era uma vez... no Linux, um subsistema de som minúsculo chamado Voxware (ou também conhecido como Linux Sound Driver). Foi mantido por Hannu Savolainen e lançado sob GPL para Linux (e sob a licença BSD para o FreeBSD e algumas outras variantes Unix). Esse pedaço de código foi incluído no código fonte do kernel do Linux.

Hannu Savolainen estava trabalhando no código somente por hobbie, no entanto, se tornou extremamente difícil trabalhar no material de som em seu tempo livre, já que ele estava envolvido em vários outros projetos no Windows, que eram importantes para sua vida pessoal. Até que a 4Front Technologies entrou em contato com ele e decidiram criar uma versão comercial do OSS.

Infelizmente, levou muito tempo para encontrar o procedimento adequado para suportar a versão GPL/BSD e um comercial no mesmo source. Assim, um fornecedor de distribuições Linux bem conhecido ficou irritado e contratou outra pessoa para criar uma outra versão do OSS para eles (sem nem mesmo pedir a Hannu permissão para fazer isso). O resultado foi bastante diferente do que os planos que Hannu tinha para o futuro, e ele acabou tendo que sair como mantenedor de som para Linux.

Desde aquele momento, o kernel e as versões comerciais do OSS foram mantidos por equipes diferentes. Infelizmente a versão no kernel Linux da API está congelada no OSS 3.8, enquanto a 4Front continua o desenvolvimento da API oficial. Além disso, a versão OSS Free foi (infelizmente) reestruturada e isso tornou impossível manter os drivers do kernel atualizados com o desenvolvimento feito para a versão do OSS oficial. O resultado foi que os drivers do kernel ficaram congelados na versão 3.8 PARA SEMPRE!, infelizmente.

E aqui "supostamente" seria a morte do OSS, mas não foi bem assim que as coisas aconteceram, muita coisa rolou depois disso...

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. A nova API
   3. O funeral
   4. Conclusão
Outros artigos deste autor

"TORIFICANDO" todo um sistema GNU/Linux utilizando a rede TOR

Acessando partições NTFS no Linux

Instalação e configuração do fluxbox-devel

Mais formatação especial no OpenOffice

Uso de terminologia imprópria com software livre

Leitura recomendada

MS-X, DOS, Windows e finalmente Linux: História da evolução da informática e pessoal

Windows é mais fácil que Linux!? Tá louco!? Você sabe ler!?

Onde estão os programadores casuais?

Internacionalização de Caracteres em Computadores

Ansible, Puppet e Chef

  
Comentários
[1] Comentário enviado por removido em 18/09/2011 - 11:59h

Na minha concepção de usuário, ambos são melhores que o maldito Pulseaudio, pode ser que no futuro e com novas implementações o Pulseaudio venha a mudar a minha opinião, mas no momento é ALSA ou OSS.

O Pulseaudio vem por padrão no Ubuntu e nas distros nele baseadas, até mesmo o LMDE que é Debian-based o Pulseaudio vinha como padrão, bastou removê-lo para acabar com a mudez no meu sistema.

Um excelente artigo, muito bem documentadoapeasr de não ter corrido os links, decerto eu o farei numa data posterior.

[]'s

[2] Comentário enviado por eldermarco em 18/09/2011 - 12:34h

Interessante! Eu não conhecia essa história! Realmente, uma aventura e tanto. O tal do pulseaudio costuma dar problemas para muitos usuários mesmo, como citou o @edps. Eu mesmo tive medo de que ele desse problemas no ArchLinux, mas parece que se comportou decentemente. =]

[3] Comentário enviado por levi linux em 18/09/2011 - 13:01h

Realmente um história interessante.
Excelente artigo!

[4] Comentário enviado por removido em 18/09/2011 - 13:19h

Só cuidado com uma coisa galera, OSS e Alsa são APIs de som, são elas que fazem a parte "pesada", o pulseaudio é um simples servidor de som.

Creio que esse diagrama vai clarear as coisas: http://goo.gl/UrMJQ
(Dê um zoom)

[5] Comentário enviado por PaeL em 18/09/2011 - 17:59h

'The Open Sound System is an alternative sound architecture for Unix-like and POSIX-compatible systems. OSS version 3 was the original sound system for Linux and is in the kernel but was superceded by ALSA in 2002 when OSS version 4 became proprietary software. OSSv4 became free software again in 2007 when 4Front Technologies released its source code and provided it under the GPL license.'

Pra bom entendedor meia palavra basta xD

[6] Comentário enviado por pinduvoz em 19/09/2011 - 03:21h

O termo usado, obsolidade, é palavra inexistente. Veja uma que existe:

http://www.dicio.com.br/obsolescencia/

No mais, gostei do artigo.

[7] Comentário enviado por removido em 19/09/2011 - 11:06h

@pinduvoz Realmente, ficou bem feio rsrsrs Agradeço a correção.

[8] Comentário enviado por valterrezendeeng em 19/09/2011 - 12:04h

Bom Artigo

Gostei muito da leitura, é sempre muito importante saber-mos como a história é ESCRITA.

Abraço e Parabens!!!!

[9] Comentário enviado por valterrezendeeng em 19/09/2011 - 12:05h

.

[10] Comentário enviado por FernandoBasso em 19/09/2011 - 13:53h

Muito legal saber um pouco sobre essa questão asla vs oss.

Eu uso arch linux com o pulseaudio e alsa-plugins. Não posso afirmar que tenha problemas, exceto pelo fato de que se estou assistindo algo com flash no browser, e eu abro o smplayer por exemplo, este fica sem som. O mesmo se dá caso eu esteja rodando algo em um player (totem, vlc, smplayer, etc) e então tento ver um vídeo no youtube, e o video fica sem som.



Parabéns pelo artigo.

[11] Comentário enviado por erik.costa em 21/09/2011 - 16:27h

Se eu botar pra rodar um filme em FULLHD a imagem fica engasgando .. será placa de vídeo???

Nãoooooo foi só mudar para OSS no player que resolveu :D


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts