Como softwares livres podem gerar lucro

Várias vezes as pessoas me perguntam a razão de se criar programas e códigos livres. Esse artigo tem como propósito mostrar que software de código livre também pode gerar renda.

[ Hits: 29.814 ]

Por: Vinícius Evandro Gregório em 29/08/2006


Introdução



Por diversas vezes as pessoas me perguntam o motivo de se criar um programa que será modificado, analisado e copiado por várias pessoas. A maioria delas ainda tem a associação errônea de criação como algo que devidamente deva gerar lucros. Criação tem muito mais a ver com participação com o meio em que se vive e interage. O objetivo de se criar um software (independente de ele ser livre ou não) é atender o maior número de usuários que necessitem das funções desempenhadas por ele.

Softwares de código livre proporcionam a melhor forma de fazer esse objetivo ser atingido. Agora, analisando a questão financeira proposta: atendendo um número maior de usuários, crescem também os lucros gerados pelo programa. Mas como se o software é livre?

Propaganda é a alma do negócio


Uma das maiores vantagens do software de código aberto é que ele é usado e modificado por várias pessoas, ou seja, se sua aplicação agrada ao público alvo, automaticamente ela pode ser distribuída para mais usuários desse segmento. Os interessados tem a tendência de fomentar as soluções para seus problemas, através de comunidades, palestras, sites e todas as outras formas possíveis. É divulgação gratuita!

À partir do momento que seu software se populariza em seu campo de atividade, mais pessoas interessadas em desenvolver software parecidos irão se juntar ao desenvolvimento e correção de bugs. Basta que você se mantenha "antenado" e forneça as condições para que as pessoas ajudem em seu projeto.

Não há o perigo de que alguém "roube" sua aplicação. A licença pública GPL prevê esse tipo de ocorrência e as trata com o procedimento devido. Se alguém corrigir algo em seu programa, isso não quer dizer que você o perdeu.

No entanto, alguém pode gerar um software parecido se baseando na experiência de análise do que você criou. Porém, não é vantajoso se criar algo do zero. Forneça os meios para que as pessoas se sintam à vontade em ajudar e você não precisará se preocupar com isso. Seu programa será atualizado com mais regularidade e erros serão corrigidos em um tempo consideravelmente menor.

Mas e como isso irá gerar lucros?

Ao mesmo tempo em que seu software se populariza, mais pessoas precisarão de suporte, de treinamento, de ajuda na hora de instalá-lo. Agora, pense comigo: quem será o detentor de mais informações sobre isso?

Quando se distribui um software, o usuário final espera encontrar suporte na mesma fonte que o forneceu. Se você se mantém atualizado com o projeto e todas as correções que deverão surgir na internet, a pessoa mais indicada será você (trate "você" como toda as pessoas que o desenvolveram, seja uma empresa ou apenas um programador). Basta que você disponibilize informações suficientes para que seus usuários saibam onde encontrar ajuda. Informação nunca é demais e quanto mais descritiva ela for, melhor.

A licença GPL prevê a gratuidade do software, sua distribuição com o código fonte, entre outras coisas, mas não específica que você terá que trabalhar de graça. Aí está a chave do sucesso!!!

Vantagem de ser o criador do programa


Uma vez que você desenvolveu o projeto e o mantém, você será a pessoa mais indicada para dar suporte no mesmo. Outras pessoas que ajudaram no projeto também estarão qualificadas para prestarem esses serviços, sendo assim seus concorrentes em algum grau. No entanto, isso não é ruim!

Mesmo que outras pessoas ou empresas se prestem a dar suporte à sua aplicação, nenhum certificado ou suporte será mais valioso que o seu. Isso valoriza o seu serviço e garante o retorno imediato de todos os usuários de seu sistema.

Basta apenas ter criatividade, profissionalismo e se manter informado sobre como atender melhor às expectativas de seus "clientes".

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Exemplos práticos (casos de sucesso)
   3. Finalizando
Outros artigos deste autor

ERPs Open Source (parte 1) - Principais soluções

ERPs Open Source (parte 2) - Mercado e diferenciais

Como ajudar o Software Livre

Leitura recomendada

Diferenças postas à mesa

Filosofia Open Source

E se o Linux finalmente depuser o Windows?

Software livre, capitalismo, socialismo e um possível caminho novo

Cultura Hacker - Tenha ética e ganharás respeito

  
Comentários
[1] Comentário enviado por brevleq em 29/08/2006 - 18:38h

Gostei do artigo, porém não vejo exemplos claros!! Seus exemplos de sucesso foram muito genéricos e muito pouco aprofundados!!

Agora me dá uma forcinha: Sou estudante de SI, quando formar pretendo criar um software para gerenciamento de empresas só q não um software comum, mas sim uma poderosa ferramenta!! Sei que ele ficará melhor se eu deixar os fontes abertos, devido ao grande número de colaboradores que poderão surgir, porém não consigo imaginar uma maneira de obter um lucro interessante se eu fizer isso!! Me ajude a visualizar algumas hipóteses.

vlw

[2] Comentário enviado por olinhu em 30/08/2006 - 00:50h

legal o artigo ...

mas nao vi maneira de obter os lucros..
de fato nao se tem prejuizo com propagandas.. o que é muito vantajoso.. seu software fica conhecido sem investir em propragandas
porem o unico jeito de lucrar seria se uma empresa muito enteressada em aplicar o software te contratasse para que voce faça as modificacoes

[3] Comentário enviado por gsi.vinicius em 30/08/2006 - 08:26h

Não necessáriamente olinhu. Uma empresa ou profissional lucra com a implementação do software livre e com o treinamento de pessoal para tal.

Ao substituir todo o sistema de uma empresa, vc lucra com a implementação do mesmo (um processo de análise de necessidades, montagem de orçamento e implementação) e com todo o treinamento dedicado aos funcionários que irão utilizar o sistema. Isso envolve horas de aulas para os usuários do sistema. Uma vez que seu sistema se torne cada vez mais perfeito (digo com o mínimo de erros, pq perfeição é relativa), seu sistema irá se tornar mais popular entre os usuários do mesmo seguimento, logo a procura aumentará. Basta ter competência para dar conta do recado.

Brevleq, um outro exemplo contundente de como isso funciona é o número de profissionais linux que, mesmo não tendo nada a ver com o desenvolvimento do sistema, lucra com a implementação e treinamento de pessoal para a utilização do SIAGES.

http://www.vivaolinux.com.br/artigos/verArtigo.php?codigo=4147

Espero ter esclarecido suas dúvidas,

Vinícius Evandro Gregório

[4] Comentário enviado por gsi.renan em 30/08/2006 - 08:28h

Muito interessante,

Mas faltou exemplos detalhados de como as pessoas podem lucrar com seus SW livres.

Seria interessante complementar esse artigo com um outro se aprofundando mais no "como" as pessoas podem conseguir lucros atraves da distribuição do SW livre.

vlw...

[5] Comentário enviado por agk em 30/08/2006 - 09:20h

Isso parece mais um mito, mas acredito ser possível sim quebrar esse paradigma de que software livre não gera lucro.

[6] Comentário enviado por gsi.vinicius em 30/08/2006 - 09:28h

Mito?
naum, existem muitos profissionais e empresas q sobrevivem apenas com a istalação e treinamento de softwares livres em outras empresas. Seja em automação comercial, solução de barateio de licensas com o Linux e OO para empresas ou treinamento Linux.

Eu mesmo, por dar aulas particulares de Informática fora do meu expediente de trabalho, já consegui um ótimo fluxo apenas com aulas de OO para alunos q têm de aprender para utilizarem em seus ambientes de trabalho. No caso um grupo de funcionários do BB.

Abraços a todos e, obrigado pelos comentários q servem para fomentar esse assunto um tanto mistificado.

Vinícius Evandro Gregório

[7] Comentário enviado por fabiobarby em 30/08/2006 - 11:13h

Mto bom, acho q depende da maneira que cada um interpreta, para ver alí, uma forma de lucrar com o SO...

[8] Comentário enviado por monsores em 30/08/2006 - 12:07h

Mto bom o artigo, mas eu vejo duas frentes diferentes aí.
A primeira são softwares mais complexos como ERPs, que dependem de implantação (e de carona, análise, planejamento e eventualmente migração de um software anterior). Nesse caso esses serviços trazem lucro, porque não podem ser feitos por usuários leigos.
Mas eu não vejo (fora a publicidade) como a fundação Mozilla pode ganhar algum dinheiro com o Firefox, por exemplo (softwares que para implementar é só executar e next, next finish).

[9] Comentário enviado por diegotosco em 30/08/2006 - 22:15h

Concordo co o monsores, nenhuma empresa vai precisar de treinamento para migrar o antigo browser para o firefox...

E acrescento, e os games? Pretendo ser um desenvolvedor de jogos, mas não vejo como fazer um jogo gerar lucro sendo um software livre.

Mas o artigo está interessante, é bom abrir essa discussão.

[10] Comentário enviado por gsi.vinicius em 31/08/2006 - 08:24h

Obrigado pelos elogios ao artigo.

Concordo que para alguns softwares que são largamente divulgados não há a necessidade de treinamento. Porém atente que a maioria das pessoas nunca utilizou um OpenOffice, tampouco o Linux; embora possa ter ouvido falar neles. Às vezes, a migração pode gerar horas de treinamento.

No entanto, sistemas de automação quase sempre necessitam de muitas horas de treinamento para a sua implementação. Sei disso pois trabalho em uma empresa que desenvolve sistemas para supermercados (proprietário infelizmente) e também programo por conta própria para lanchonetes e locadoras. O funcionário desses estabelecimentos não tem conhecimento suficiente de informática para sair fuçando e aprendendo cada faceta do sistema. Por isso entra o treinamento.

E a maoria das vezes, seu sistema ganha fama agrandando à necessidade de outras pessoas.

Quanto aos jogos, um grande lance da atualidade em jogos são os MMORPGs. Existem muitos deles que são livres, mas tem contas Premium ou servidores especiais com mais atrativos. Pode ser uma ótima idéia, até mesmo pq esse segmento agrada bastante todos os tipos de gamers.

Abraço

Vinícius Evandro Gregório

[11] Comentário enviado por olinhu em 03/09/2006 - 14:48h

diegotosco, o firefox tem crescido muito.. e antes dele eu nunca havia ouvido falar na empresa Mozilla .. eu imagino que muito aqui tambem nao tinham ouvido falar...
mas com o crescimento fo firefox a empresa ficou absurdamente conhecida.. e cresceu muito.. com certeza muitas outras empresas que necessitavam de recursos do ffox e buscaram a mozilla para dar o suporte necessario... pagando a mesma

[12] Comentário enviado por julias_cin em 05/09/2006 - 12:57h

Fiz a clássica pergunta ao meu professor na faculdade: Como ganhar dinheiro com software livre?
Meu professor me respondeu o seguinte: Que normalmente se ganha pelo suporte (instalando programas, configurando, fazendo manutenção de hardware e software, dentre outras coisas do tipo (visto que o S.L. é muito difícil para um usuário comum, que está aprendendo agora sobre informática, este não saberia tais funções e aí chamaria o SUPER TÉCNICO! )), com o treinamento de pessoal (dando cursinho, ensinando o uso de softwares específicos (dizem que os cursos de software livre são muito caros...)), ou então trabalhando em uma empresa ( desenvolvendo para ela um software específico às suas necessidades ( seria um gasto muito grande, mas se a empresa não quiser usar S. pirata, e não quiser mais pagar licença todo ano, talvez o gasto fosse um investimento)). Mas dependeríamos dos usuários, se nos chamariam ou não para dar suporte, das pessoas aderirem ao S.L. para buscarem cursos, e nas empresas quando terminar o serviço de implantação de Software, como ficaria o desenvolvedor?
É assim que funciona? Correndo riscos? Os programadores de Softwares Proprietários correm os mesmos riscos?

[13] Comentário enviado por gsi.vinicius em 05/09/2006 - 14:06h

Sim, é assim q funciona!
No entanto, não é tão dificil dos usuários optarem por softwares livres; analisando q a maioria deles chega a ter um desempenho consideravelmente superior (uma vez q várias pessoas no mundo corrigem seus defeitos).
É importante salientar q, às vezes, o desenvolvedor não é chamado apenas para dar suporte ao seu sistema, mas tb é empregado para solucionar todos os problemas de software da empresa (prática muito comum). Bem como professores (técnicos-desenvolvedores) são chamados para darem treinamentos para os funcionários da empresa.

Com software proprietário ocorre uma situação diferente: você vende o sistema para a empresa (torcendo para q ela não encontre opções mais vantajosas), vende suas horas de treinamento e, normalmente, firma um contrato de suporte. No entanto, vc corre o risco de não conseguir dar conta do recado; uma vez q dezenas de programadores estão empenhados em melhorar um software livre, não ocorre o mesmo com o proprietário.

Aos poucos, S.L vai se tornando sinônimo de segurança e estabilidade e, concordo q ainda falta muita aceitação, com o tempo deve se tornar a primeira opção das empresas.

Abraços e se preparem para esse futuro q já está em entre nós

Gregório

[14] Comentário enviado por julias_cin em 05/09/2006 - 18:35h

Gregório, você poderia definir para mim exatamente o que seria um software livre?
Muitos teimam comigo que não há como lucrar desenvolvendo S.L, porque é de graça. Para mim fica até difícil argumentar com essas pessoas pois não sei a definição ao certo.
E se possível, comente mais sobre como se manter no mundo do S.L (ganhar dindin).

Vlw

Juliana

[15] Comentário enviado por olinhu em 05/09/2006 - 20:31h

juliana ...
software livre é um software como outro qualquer... porém o seu codigo-fonte esta disponivel apra quem quiser epgar e fazer alteracoes..
portanto se voce faz um software para uma empresa simples de comercio (por exemplo) e nao aja interesse entre o desenvolvedor e a empresa de fechar um contrato de manutencao.. O codigo-fonte é livre para que a Empresa possa contratar um outro desenvolvedor que faça as mudanças necessarias para a empresa.. isso é muito comum em casos de que a empresa (pequena) deseja ter o desenvolvedor FISICAMENTE na empresa para fazer as alteracoes necessarias...

quando te perguntarem diga apenas isso.. é um software como outro qualquer.. porem seu codigo-fonte é disponibilizado para outros programadores fazerem alteracoes e correcoes

[16] Comentário enviado por gsi.vinicius em 06/09/2006 - 08:44h

Na realidade, a definição de software livre abrange dois tipos de programas: os Freewares e os OpenSource (ou código aberto). O primeiro é o software que você pode utilizar gratuitamente mas não tem acesso ao código que o forma. No segundo caso, o software DEVE ser distribuído com o seu código-fonte, afim de que o usuário posso modificá-lo a seu bel-prazer.

Existem 3 formas básicas de se manter no mundo do software livre: desenvolvendo softwares (vendendo-os e prestando manutenção nas empresas que o utilizarem), prestando assistência para softwares em geral (o que inclui uma maior demanda por assistência em softwares livres como o Linux) e vendendo treinamentos (para empresas que precisam que vários funcionários utilizem o software)

Abraços

Gregório

[17] Comentário enviado por vfl em 16/09/2006 - 21:53h

Freeware nunca foi considerado software livre nem aberto. Esta confusão provavelmente advém da ambiguidade da palavra FREE em inglês que tanto pode significar GRATUIDADE como LIBERDADE.
Free Software (no contexto abordado pela Juliana) usa o termo no sentido de liberdade (software livre e não no sentido de software grátis).
Um software livre ser grátis ou não, depende de seu autor.

"Software Livre" e "Software Open Source" estão ligados à duas organizações diferentes:

Software livre (Free Software) é definido pela Free Software Foundation (http://www.fsf.org) e utiliza as licenças GPL e LGPL.

Software OpenSource (Código Aberto) é definido pela Open Source Initiative (http://www.opensource.org/licenses/index.html), que abrange um leque muito grande de licenças inclusive (GPL e LGPL), mas é mais conhecida pelas licenças MIT, Mozilla, Apache, etc.)
As duas organizações acima tem discordâncias, indico o link em português http://pt.wikipedia.org/wiki/Software_livre, especialmente o tópico "Ideologia: as diferenças entre Software Livre e Código Aberto"



[18] Comentário enviado por robertofp em 03/05/2007 - 12:16h

bom tambem tenho uma duvida quanto a sustentação das empresas de sl acho que só os ganhos com a instalações do sistema não cobrem os custos de desenvolvimento de um programa sl sou programador php e tenho um projeto de desenvolvimento de um sistema de gestão públia para pequenas prefeituras atualmente estou em fase de pesquisa sobre a viabilidade do sistema visto que agrega a contratação de varias pessos que compoe um ambiente administrativo de uma prefeitura o custo do desenvolvimento do sistema é bem elevado o que não chega ser um problema inicial visto que ha diversas formas de financiamento para o projeto mas os ganhos com a instalação do sistema não cobrem os custos tornando inviavel o seu desenvolvimento ou distribição sl ou seja para cobrir os custos e gerar lucro com a aplicação uma alternativa seria a cobrança de um suport mensal ou seja perderia a caracterização de um licença sl e perdendo o proposito e afinanidade do desenvolvimento do mesmo gostaria que alguem fosse mais abrangente no asunto sobre sl respondendo de forma clara e objetiva as questoes de varios usuarios e desenvolvedore em potencial de sl


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts