OSS & ALSA - A História

Conheça a história por trás desses dois poderosos e descubra porque do Open Sound System não é incluído por padrão nas distribuições Linux.

[ Hits: 20.076 ]

Por: Perfil removido em 18/09/2011


A nova API



Dois anos depois, um grupo de programadores destemidos havia criado uma API nova e totalmente diferente, incompatível e "Linux-only" chamada ALSA. Eles a embutiram no código fonte do kernel Linux e o OSS foi declarado como "obsoleto". Era suposto que a API do ALSA se tornaria mais avançada que a do OSS.

Foi liberado sob licença GPL (apenas) pois parecia ser a coisa certa. No entanto os programadores de aplicativos não gostaram da API ALSA e continuaram a usar o OSS. Foi necessário declarar OSS como "obsoleta" para empurrar os desenvolvedores de aplicativos para suportar ALSA ao invés de OSS.

No entanto, mesmo isso não era suficiente. Os desenvolvedores de aplicativos ainda preferiam OSS, e isso foi muito ruim para dos desenvolvedores da ALSA, porque eles tinham que fornecer a emulação OSS. Além disso, o nível de emulação OSS do kernel tinha que ser contornado com algumas características (tais como dmix) que ALSA tem implementado no nível de biblioteca. Assim, a emulação OSS foi posteriormente implementada em nível de biblioteca também, mas fornecer a emulação do OSS no ALSA causou alguns efeitos colaterais, desenvolvedores de aplicações de áudio se recusavam a converter-se ao ALSA porque a API OSS ainda estava disponível. Então, algumas políticas ainda mais agressivas eram necessárias.

Até agora, o ALSA conseguiu obter distribuições Linux para compilar a maioria das aplicações de áudio ativadas apenas com os plugins ALSA (todo o suporte a OSS foi retirado). Em alguns casos as próprias distribuições tentam impedir os usuários de remover o ALSA e instalar o OSS, mantendo a interface do ALSA Mixer ocupada (o mixer do Gnome/GTK é imediatamente relançado se for fechado). E o kernel foi modificado para manter o suporte a OSS completamente desativado na configuração.

"Nós somos o projeto ALSA. O sistema vai ser assimilado. A resistência é inútil".

Alguém já ouviu falar sobre "liberdade de escolha"?

ALSA foi oficialmente incluído no kernel Linux 2.6.0 que foi lançado há mais de oito anos atrás (dezembro de 2003). Se ALSA é tão grande como eles dizem, então por que em oito anos ele ainda não conseguiu ser um substituído completo para o OSS? Aparentemente isso não aconteceu até agora, será que vai acontecer durante os próximos oito anos? Eu acho que não.

Aplicações mais antigas ainda apoiam o OSS e alguns mais novos somente o ALSA porque seus desenvolvedores foram informados de que a API OSS desaparecerá amanhã, no entanto, a API ALSA não é bem documentada (a 5 anos atrás), então como pode alguém esperar que os programadores desenvolvam bons aplicativos baseados no ALSA?

Um detalhe engraçado é que mesmo alguns desenvolvedores-chave do ALSA agora (3 anos atrás) sugerem que os desenvolvedores usem a API do Jack ao invés de alsa-lib (o Jack tem um plugin totalmente funcional para o OSS). De alguma forma isso está começando a cheirar como Roupa Nova do Imperador.

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. A nova API
   3. O funeral
   4. Conclusão
Outros artigos deste autor

Formatando texto no Open Office

Um tour pelos players de vídeo para Linux

Aceleração 3D Nvidia no Debian Etch

Pebrot, MSN messenger no terminal

A internet é inocente

Leitura recomendada

OpenSOLARIS - que sistema é esse que quer "desbancar" o Linux?

Sociedade, Software Livre e Linux

Onde estão os programadores casuais?

Migrar de Windows XP para Ubuntu

Live CD - Um nicho a ser explorado

  
Comentários
[1] Comentário enviado por removido em 18/09/2011 - 11:59h

Na minha concepção de usuário, ambos são melhores que o maldito Pulseaudio, pode ser que no futuro e com novas implementações o Pulseaudio venha a mudar a minha opinião, mas no momento é ALSA ou OSS.

O Pulseaudio vem por padrão no Ubuntu e nas distros nele baseadas, até mesmo o LMDE que é Debian-based o Pulseaudio vinha como padrão, bastou removê-lo para acabar com a mudez no meu sistema.

Um excelente artigo, muito bem documentadoapeasr de não ter corrido os links, decerto eu o farei numa data posterior.

[]'s

[2] Comentário enviado por eldermarco em 18/09/2011 - 12:34h

Interessante! Eu não conhecia essa história! Realmente, uma aventura e tanto. O tal do pulseaudio costuma dar problemas para muitos usuários mesmo, como citou o @edps. Eu mesmo tive medo de que ele desse problemas no ArchLinux, mas parece que se comportou decentemente. =]

[3] Comentário enviado por levi linux em 18/09/2011 - 13:01h

Realmente um história interessante.
Excelente artigo!

[4] Comentário enviado por removido em 18/09/2011 - 13:19h

Só cuidado com uma coisa galera, OSS e Alsa são APIs de som, são elas que fazem a parte "pesada", o pulseaudio é um simples servidor de som.

Creio que esse diagrama vai clarear as coisas: http://goo.gl/UrMJQ
(Dê um zoom)

[5] Comentário enviado por PaeL em 18/09/2011 - 17:59h

'The Open Sound System is an alternative sound architecture for Unix-like and POSIX-compatible systems. OSS version 3 was the original sound system for Linux and is in the kernel but was superceded by ALSA in 2002 when OSS version 4 became proprietary software. OSSv4 became free software again in 2007 when 4Front Technologies released its source code and provided it under the GPL license.'

Pra bom entendedor meia palavra basta xD

[6] Comentário enviado por pinduvoz em 19/09/2011 - 03:21h

O termo usado, obsolidade, é palavra inexistente. Veja uma que existe:

http://www.dicio.com.br/obsolescencia/

No mais, gostei do artigo.

[7] Comentário enviado por removido em 19/09/2011 - 11:06h

@pinduvoz Realmente, ficou bem feio rsrsrs Agradeço a correção.

[8] Comentário enviado por valterrezendeeng em 19/09/2011 - 12:04h

Bom Artigo

Gostei muito da leitura, é sempre muito importante saber-mos como a história é ESCRITA.

Abraço e Parabens!!!!

[9] Comentário enviado por valterrezendeeng em 19/09/2011 - 12:05h

.

[10] Comentário enviado por FernandoBasso em 19/09/2011 - 13:53h

Muito legal saber um pouco sobre essa questão asla vs oss.

Eu uso arch linux com o pulseaudio e alsa-plugins. Não posso afirmar que tenha problemas, exceto pelo fato de que se estou assistindo algo com flash no browser, e eu abro o smplayer por exemplo, este fica sem som. O mesmo se dá caso eu esteja rodando algo em um player (totem, vlc, smplayer, etc) e então tento ver um vídeo no youtube, e o video fica sem som.



Parabéns pelo artigo.

[11] Comentário enviado por erik.costa em 21/09/2011 - 16:27h

Se eu botar pra rodar um filme em FULLHD a imagem fica engasgando .. será placa de vídeo???

Nãoooooo foi só mudar para OSS no player que resolveu :D


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts