Jaulas com debootstrap e schroot

Neste artigo apresento duas ferramentas que tornam a criação de jaulas bem mais fácil e flexível, isso sem comprometer a segurança.

[ Hits: 28.412 ]

Por: Laudivan Freire de Almeida em 17/08/2009


O arquivo /etc/schroot/schroot.conf



O arquivo /etc/schroot/schroot.conf é o que define as jaulas e como cada uma vai se comportar.

Ele é dividido em seções, identificadas por [ e ] e um nome que será usado para chamar a jaula (opção --chroot). O nome [default] pode ser usado para definir uma jaula padrão.

Logo após o nome da jaula segue uma série de opções.

Vamos ver algumas delas (mais informações consulte man schroot.conf):
  • type=plain|directory|file|loopback|block-device|lvm-snapshot - aqui você define o tipo da jaula.
    * Se o tipo é definido como plain, alguns recursos como o de montagem dos diretórios em /etc/schroot/mount-defaults não irão funcionar.
    ** O tipo file pode ser usado para jaulas empacotadas com tar ou zip, podendo elas serem compactadas ou não (ie .tar, .tar.gz, .tar.bz2, .tgz, .tbz, .zip).
    *** O tipo file tende a ser bem lento.

  • file= - Usado junto com os tipos file e loopback. O valor é o caminho absoluto (na forma /alguma_coisa/outra_coisa/arquivo) para o arquivo que contém a jaula;
  • device=/dev/device - Usado junto com o tipo block-device;
  • location=/diretório/com/a_jaula - Essa é que nós usaremos no nosso exemplo; ;-)
  • description=texto com espaço - Um texto que descreva a jaula. Útil para a opção --info;
  • aliases=nome1,nome2 - Outros nomes para a jaula;
  • priority=0|1|2|3 - Define a prioridade da jaula;
  • users=laudivan,zezim,tonto - Define usuários que poderão acessar a jaula. Isso indica que ele poderão executá-las como seus próprios uids se passwd e shadow estiverem em /etc/schroot/copyfiles-defaults;
  • groups=os_cara,clingons - O mesmo de users só que para grupos;
  • root-users=laudivan,tonto - Estes usuários poderão executar a jaula como root através da opção --user=root;
  • root-groups=clingons - O mesmo de root-users só que para grupos;
  • run-setup-scripts=true|false - Executa os scripts de configuração (em /etc/schroot/setup.d/). Por exemplo, a cópia dos arquivos em /etc/schroot/copyfiles-defaults;
  • run-exec-scripts=true|false - Executa os scripts em /etc/schroot/exec.d/;
  • personality=bsd|hpux|linux|linux32|solaris|... - Define a personalidade da jaula. Tem muita opção aqui, dêem uma olhada nas manpages.

Tem outras opções, como já disse, "man schroot.conf" esclarecerá bastante as coisas. :-D

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Conhecendo o schroot
   3. O arquivo /etc/schroot/schroot.conf
   4. Schroot - Opções de comando e definindo uma jaula
   5. Executando jaulas
Outros artigos deste autor

NetProfiler - Um solução para quem passeia por várias redes

Leitura recomendada

Clip no Slackware (compilador Clipper)

Instalando o Linux Fedora 8 no Notebook Positivo v53

Como fazer publicações pelo Instagram Web

Formatos de áudio sem perda sonora (lossless)

Mensageiro instantâneo

  
Comentários
[1] Comentário enviado por gnucleber em 20/08/2009 - 11:33h

Parabéns Laudivan, otimo artigo!!!

[2] Comentário enviado por eldteixe em 18/08/2018 - 22:42h

Que aula....muito obrigado.

[3] Comentário enviado por eldteixe em 18/08/2018 - 22:43h

Pelo que entendi....o Schroot seria o precursor do DOCK.....rrrrsssss.....


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts