Caracteres especiais no teclado Linux: como adaptar às necessidades do escritor

Acrescentar tipos ou alterar mapa de caracteres pelas configurações do ambiente gráfico X, sem instalar programas nem ferramentas gráficas. Descobrir layout e mudar comportamento do teclado (us internacional) ao substituir os caracteres que deverão ser mostrados. Digitação tornar-se-á mais rápida, combinações de teclas mais memorizáveis e símbolos ausentes poderão ficar disponíveis.

[ Hits: 52.166 ]

Por: Elias Zoby em 18/08/2008 | Blog: http://concordancia.webs.com


Introdução



Artigo disponível também no site slackbr.

A configuração e uso do teclado no X em GNU/Linux é aparentemente simples, para o usuário que não conheça a norma padrão da língua, seja ela qual for. Para os que escrevem mais do que "e aí, blz!", o teclado pode se tornar um quebra-cabeça.

Sinais indicativos de numeração ordinal (ª, º), travessão, meia-risca e outros podem ser tão difíceis de encontrar que inviabilizem o uso do Linux para escrever livros, monografias, teses de pós-graduação ou qualquer texto corretamente.

Ainda quando sabidas, as combinações padrão são desnecessariamente estranhas e ou complexas. Exemplos (layout us intl): sinal feminino de ordinal (ª), é feito por Win direita (padrão Multi_key, compose) Shift + underscore (_) a; travessão é Altgr (Alt direita, ISO_Level3_Shift) hífen hífen hífen; enquanto Altgr + y produz ü (udiaeresis) em vez de y com alguma coisa ou pelo menos o símbolo yen, que vem pelo Altgr + underscore; Altgr + q resulta em ä; Altgr + p dá ö. Absolutamente sem critério mnemônico. Elas estão em /usr/share/X11/locale/seu-locale/Compose. E muitos caracteres especiais não estão determinados em um ou outro layout (que pode ser o seu), caso em que os códigos têm de ser inseridos ou não se obterão os caracteres. O layout abnt2 também não escapa aos defeitos, troca-os.

Qual Compose será usado é determinado pela configuração de "export LANG=" em /etc/profile.d/lang.sh, de /etc/X11/xorg.conf e outros critérios que desconheço.

As soluções apresentadas em textos na internet invariavelmente passavam pela criação ou alteração de ~/.Xmodmap, arquivos de ambiente do usuário, ou instalação de programas como o Lineak. O que absolutamente é contrário ao que penso deva ser feito.

Para somente atribuir teclas a funções do sistema ou mesmo comandos de programas, o KDE e XFCE fazem isso em modo gráfico pelos respectivos centros de controle. Como exemplo, para desligar meu computador só preciso apertar a tecla Power. KDE Control center - Regional & - Keyboard Shortcuts - Global - Desktop - Halt without confirmation - Shortcut for selected action.

O KDE permite alterar de forma global as teclas de atalhos em seus aplicativos e outros que tenham essa possibilidade através de comandos.

No XFCE pode ser feito dando permissão adequada (dica do Xerxeslins pelo VOL):

# chmod 4755 /sbin/halt
# ln -s /sbin/halt /bin/poweroff


Depois ir à configuração de teclado, criar um perfil, acrescentar o comando poweroff e associá-lo à Power. E assim com outras ações desejadas. Outros gerenciadores de janelas fazem-nas por arquivos de configuração. Mas não é disso que trata este artigo.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Objetivo e abordagem do problema
   3. Material e método
   4. Resultados e discussão
   5. Conclusões e sugestões
Outros artigos deste autor

Autofs-4.1.4 para Slackware 12: Compilação, instalação, configuração

Slackware 10.2 com dois kernels na mesma instalação

Montar MP3 e pendrives USB automaticamente com Hotplug

Softmodem em Linux com dois kernels

Softmodem compatível com Smart Link em kernel Linux 2.6.24 ou superior

Leitura recomendada

Ativando e configurando a compactação de memória com Zram no Slackware

Alterando a imagem do xsplash nos Ubuntu-like

Servidor DHCP rápido e fácil para Conectiva Linux

Servidor de impressão Linux com clientes Windows 2000

Instalando o Vivo Zap no openSuSE 10.2

  
Comentários
[1] Comentário enviado por nicolo em 18/08/2008 - 14:24h

Eu já havia lido artigo em grego, mas este está em sânscrito.
Se obter eficiência no Linux depende de entender isso, vou acender uma vela preta
para o Linux.... In memorian.

[2] Comentário enviado por Teixeira em 18/08/2008 - 15:26h

Paciência, nicolo!
Vêm aí as versões em Gadareno (ou Gergeseno) e Heteu...

[3] Comentário enviado por juliaojunior em 18/08/2008 - 16:13h

karamba, não entendi coisa nenhuma!!!

[4] Comentário enviado por killerbean em 18/08/2008 - 20:42h

Artigo interessante. Embora certamente quem veio para o linux para escrever, não terá paciência de fazer tudo isso.
É mais fácil escrever o texto com, digamos, flags, como você escreveu no exemplo, ---, e depois de todo o texto escrito, dar um "procurar e substituir" no texto inteiro, substituindo o --- pelo travessao, o -- pelo risquinho e o <simbolo_legal> pelo caracter que vc quiser em todo o texto, assim só será necessário abrir o mapa de caracter uma unica vez, para fazer essa substituição.
...
e realmente, onde vc fala como alterar o arquivo do layout do teclado no x11, está confusa. Até assustou o pessoal ae em cima (e eu tb:P )
....
uma coisa que faz falta (as vezes) no linux, era a busca que havia no Janelas do caracter pelo codigo ascii, onde eu aperta alt+167 do teclado numerico e vinha o º . Nada desesperador, mas era bem pratico, se é que ficar lembrando codigo ascii de caracter pode ser chamdo de prático =P

[5] Comentário enviado por zoby em 19/08/2008 - 00:28h

É complexo, só até aprender. Ah! Sânscrito, dizem os linguistas, é a língua mais perfeita do mundo. Nas palavras de W. Jones: "more perfect than the Greek, more copious than the Latin, and more exquisitely refined than either..." Os substantivos possuem três números e oito casos :)

[6] Comentário enviado por davidsonpaulo em 20/08/2008 - 08:49h

Esse artigo já valeu só pela dica do "Compose". No meu caso, não havia nenhuma tecla associada a essa função, fui nas configurações de teclado do Gnome e resolvi o problema. Agora eu posso fazer travessão — e meia-risca –. :-D

[7] Comentário enviado por removido em 30/08/2009 - 13:52h

Muito a propósito este leve artigo. Somente venho fazer uma adição, conseguida a base de tentativa e erro. Tenho 3 laptops, dos quais apenas um possui o teclado ABNT2 nativo (suave!!!), um deles é US-INTL e o outro é um monstrinho de 2 cabeças, misto de ABNT2 com US-INTL (Amazon 104, do qual tirei o esdruxulo Linux de fábrica para rodar Ubuntu), no qual para fazermos o sinal "/" é preciso premir as teclar "AltGr+W" (imaginem a minha alegria ao usar o console...).

Bem, como tenho que fazer muitos documentos jurídicos, nos quais faço menção a artigos e parágrafos, vai aqui a dica de como consigo produzi-los (a combinação):

AltGr+Shift+F = ª
AltGr+\ = º
AltGr+Shift+S = §
AltGr+Shift+; = º

Isso no teclado US-INTL. No ABNT2, como disse, é suave, pois basta premir AltGr e a tecla de 3.º nível correspondente.

Espero ter contribuído.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts