Usando Linux - Vida nova para um velho Itautec Infoway

Este artigo descreve métodos para usar GNU/Linux para ressuscitar e dar vida nova a um velho Notebook Philco-Itautec Infoway de 32 Bits. Tudo isso, sem remover o Windows original dele.

[ Hits: 11.312 ]

Por: Alberto Federman Neto. em 09/08/2016 | Blog: https://ciencialivre.blog/


Testes / Conclusão



Resumo dos Métodos

Através de métodos diversos, mostrei como se pode "rejuvenecer", "ressuscitar" um velho Notebook Itautec Infoway de 32 Bits, com apenas 1 Giga de RAM.

Verifiquei ser possível usar Linux nele, através de Boot de vários live-CDs/DVDs. Também usando um Boot de um live-Pendrive persistente, onde se pode instalar pacotes (Sabayon Linux 14.08, MATE, 32 Bits).

Com o live-Pendrive de Sabayon, funciona perfeitamente e a Rede foi reconhecida direto via DHCP, bem como a resolução da tela é excelente, e nem precisou de ajustes. Funciona rápido, com esse live-Pendrive persistente. Até mais rápido do que com o openSUSE.

Método principal: openSUSE Tumbleweed no disco rígido

Mas o principal desses métodos objetivou instalar um Linux, openSUSE, em uma partição feita no disco rígido do Notebook.

Testes iniciais foram feitos com openSUSE 13.2, a resolução ficou boa com a simples instalação do driver "xf86-video-openchrome" (a placa de vídeo onboard é uma problemática, VIA Chrome).

Também foi necessário, nesse caso, configurar (mesmo durante a instalação) minha rede da USP, que tem IP e DNS fixos. Além disso, ele praticamente não atualiza e ao atualizar, quebrou.

Muitos melhores resultados foram conseguidos com outra versão de openSUSE, o Tumbleweed de 32 Bits.

Ao instalar, ele usa um novo tipo de particionamento e faz uma Raiz, / em btrfs e uma /home em XFS. E instala o Grub não na MBR, mas na partição Linux. Apesar disso, dá Boot perfeito e o Windows (que sendo original e licenciado pela USP, não pode ser removido), também funciona.

Outras coisas boas

A Rede da USP funcionou direto, tanto a cabeada, como a Wi-Fi, sem nenhuma dor de cabeça! Assim como a reprodução de vídeo funcionou no Navegador SeaMonkey (não testei no Chromium, mas deve funcionar), direto, sem precisar se preocupar com FlashPlayer, nem com Java, nem com Codecs.

O Teclado do Notebook também é reconhecido automaticamente, e com acentuação. E o Som, perfeito e com o Pulseaudio ativado e tudo.

Bacana! Tudo "Out of Box". Muito eficiente. Tá de parabéns o Time e a Comunidade openSUSE. Sempre inovando! Grande Distro e é bem fácil de usar.

Instalei dois ambientes gráficos relativamente leves. O Xfce e o Enlightenment (versão 20). Por ter um só Giga de RAM, não instalei o KDE nem o GNOME.

As Figuras abaixo mostram o openSUSE Tumbleweed funcionando.

Na Figura 1, Sessão aberta em Enlightenment 20. Temos o Navegador SeaMonkey (um navegador Gecko-Mozilla mais leve), mostrando que reproduz um vídeo (Clip do Metallica) com perfeição. O Tema, a "persona" do SeaMonkey, se chama "openSUSE Raul Green", feito pelo usuário Robokop. É este tema:
Na Figura 2, mostro o mesmo openSUSE Tumbleweed, agora aberto em Xfce, com o Navegador SeaMonkey. transparências e compositor ("Composite") ativos, o que mostra que o Driver Openchrome funciona na velha VIA Chrome.

A Home-Page é um marcador de favoritos na nuvem, chamado Symbaloo (eu uso muito).
Na terceira imagem, mostro o Navegador padrão do sistema, o Chromium, aberto na mesma Home-Page, em sessão aberta no Enlightenment 20.
Na Figura 4, mostro o Notebook aberto no Windows 7.

Observe que precisei capturar a imagem em bitmap de Windows, pois a "ferramenta de captura do Windows" não gravava... 1 Giga de RAM não deu! (srrssrsrs)
As 4 imagens acima, comprovam o funcionamento do Notebook Itautec Infoway, tanto em Windows, como em Linux.

Note nas imagens de Linux, que os ícones dos pontos de montagem do Windows aparecem, mostrando que as partições e os arquivos de Windows são acessíveis a partir do ambiente Linux.

De fato, isso também foi demonstrado pelo fato de eu pegar duas imagens deste artigo a partir de um diretório de Windows:

Usando os outros métodos

Além de tudo isso, o Notebook funciona sob sistema operacional Linux, também usando um live-Pendrive persistente, com o Sabayon 14.08 MATE, de 2014. Este é o último Sabayon que existiu com 32 Bits.

Tentativas preliminares foram feitas com o próprio openSUSE Tumbleweed (muito grande, não coube em um pendrive de 16 Giga) e com OpenMandriva (que não gravava o Grub de maneira apropriada).

Durante esses experimentos, obviamente, fica demonstrado que o simples boot de live-CDs/DVDs também é uma maneira de usar Linux nesse Notebook.

Conclusão

A própria redação deste artigo é mais um teste, pois prova que o Notebook está funcionando tanto com Linux, como até com o Windows. Este Artigo foi escrito, uma pequena parte, em Firefox de Windows, mas a maior parte, no Linux openSUSE, Navegador Seamonkey e um pouco no Chromium.

Partes foram escritas no Boot do live-Pendrive persistente do Sabayon 14.08, navegador padrão Chromium.

Esses meus Experimentos e Testes comprovam que em Windows (e melhor ainda, em Linux), o velho Notebook Itautec Infoway de 2008 está funcionando e, portanto, foi ressuscitado.


Tem vida nova e pode ser usado, graças ao Linux.

Obrigado, Linux!

Página anterior    

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Método principal: openSUSE no disco rígido / Testes Iniciais - Versão 13.2
   3. Método principal: openSUSE Tumbleweed no disco rígido
   4. Pós-instalação do openSUSE
   5. Outros métodos
   6. Testes / Conclusão
Outros artigos deste autor

Sabayon completo, personalizado e portátil, em pendrive de boot

Linux pode ser usado por todo mundo! Escolhendo o seu primeiro Linux. Duas Filosofias fundamentais

Linux no Pendrive: Definitivamente configurável e persistente

Atualizando Compiz Fusion em Sabayon Linux

BOINC - Computação distribuída e aplicações científicas

Leitura recomendada

Dicas rápidas para linha de comando

Docker + Cluster DRBD + SQL Server - Database as a Service Utilizando Volumes Replicados

Linux no pendrive com DSL e QEMU

Usando OpenBSD como desktop

Internet Explorer: Esse fenômeno

  
Comentários
[1] Comentário enviado por wadilson em 09/08/2016 - 06:46h

Parabéns
Que aventura, grande tour de force.

[2] Comentário enviado por izaias em 10/08/2016 - 16:46h

Alberto, poder instalar o bootloader de qualquer sistema Linux na raiz, não é novidade meu caro. :)

Quando usava o Ubuntu eu só queria ele para gerenciar o Grub, fazia isso sempre, é muito mais fácil. Iniciava o Ubuntu e atualizava o Grub, inserindo na inicialização o bootloader de qualquer Linux que eu instalava numa partição separada. E somente com um "update-grub".

Fiz isso com todas as distros que já experimentei, e não são poucas! :)
Fico feliz pelo sucesso do experimento. Parabéns!

Como sempre, ótimos artigos e recheados de referências.

[3] Comentário enviado por clodoaldops em 12/08/2016 - 09:42h

Tinha um netBook Acer 32bits que travava com w7 e foi ressuscitado com xubuntu-32bits. Pena que meu brinquedinho queimou e ficava inviável recuperar.

[4] Comentário enviado por bilufe em 24/08/2016 - 12:47h

OpenSuse não é muito recomendável para computadores antigos ou modestos.
Quanto de RAM está consumindo?

[5] Comentário enviado por mcnd2 em 26/08/2016 - 18:59h

Muito bom o Artigo.

Esses procedimentos lembra o meu velhinho desktop que no momento roda Debian que já faz uns 5 a 6 anos desde a instalação mais o Xubuntu desde a versão 14.04 (lançamento) e FreeBSD 10.3. Até uns 2 meses atrás tinha ainda o Windos Server 2008, logo como o sistema era inviável o uso por ficar muito lento, exterminei com ele.

Parabéns pelo Artigo.
__________________
mcnd2 - SG - RJ - BR
Linux User #606334

[i]User of systems:
Debian (Xfce)
Xubuntu
Fedora (Gnome)
Mageia (KDE)
FreeBSD (Xfce).[/i]

[b]Open your mind![/b]


Contribuir com comentário