OpenNebula - Gerenciamento de nuvens privadas e públicas

No artigo anterior, foi demonstrado o processo de gerenciamento de máquinas virtuais em uma nuvem privada valendo-se da utilização do Hypervisor KVM. Mas, como existe uma grande necessidade de escalonamento de recursos, então, esta segunda parte do artigo cobre o gerenciamento de máquinas virtuais através do serviço EC2 Amazon.

[ Hits: 30.789 ]

Por: Jefferson Raimundo dos Santos em 14/10/2013


Conclusão



Esta segunda parte do artigo, procurou cobrir assuntos pertinentes à criação de instâncias na nuvem pública, procurando sempre o gerenciamento pelo OpenNebula pela linha de comando, mas, que o conceito continua valendo para a interface gráfica Sunstone.

O gerenciamento de Data Center é algo complexo, onde a utilização de ferramentas de controle de nuvens públicas e privadas, aumentam o controle sobre os ativos da empresa e diminuem o tempo de parada, devido ao alto grau de monitoramento e segurança aplicado nos registros do parque da empresa, sejam eles hoje internos ou externos.

Referências bibliográficas


Página anterior    

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Criação: conta/chave/certificado
   3. Configuração: OpenNebula/imagens/EC2/instâncias
   4. Definindo variáveis / API / Java para API
   5. Criação: IP estático/template/máquinas virtuais/AMI no EC2
   6. Criação: instância (sistema)/máquinas virtuais
   7. Conclusão
Outros artigos deste autor

OpenNebula Sunstone

Leitura recomendada

Asterisk - Instalação e Configuração

Resolvendo problemas com o Conexão Segura da CAIXA

Arduino - Crie o seu próprio robô ou sensores inteligentes

Gravando seus DVD's com o TkDVD

Sweave: Interface entre R e LaTex

  
Comentários
[1] Comentário enviado por danniel-lara em 14/10/2013 - 07:36h

Parabéns pelo Artigo

[2] Comentário enviado por removido em 20/10/2013 - 21:03h

Claro e objetivo, parabéns

[3] Comentário enviado por a.mendesaguiar em 27/10/2013 - 13:58h

Pelo o que eu entendi toda vez que eu tiver que criar uma instancia nova vou precisar editar o arquivo com o ID da AMI.


[4] Comentário enviado por jeffersonsantos em 28/10/2013 - 02:45h

Bom dia! Adriano.

O arquivo de template é criado apenas uma vez e pode-se usado diversas vezes apenas chamando este.

A personalização de um novo código de AMI será apenas quando desejar a instanciação de um sistema diferente tipo: Centos (código de AMI tal), Debian (código da AMI diferente), etc.

Vários templates podem ser criados com códigos de AMI iguais, mas com necessidades de disco, memória, etc., diferentes.



Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts