OpenNebula - Gerenciamento de nuvens privadas e públicas

No artigo anterior, foi demonstrado o processo de gerenciamento de máquinas virtuais em uma nuvem privada valendo-se da utilização do Hypervisor KVM. Mas, como existe uma grande necessidade de escalonamento de recursos, então, esta segunda parte do artigo cobre o gerenciamento de máquinas virtuais através do serviço EC2 Amazon.

[ Hits: 30.790 ]

Por: Jefferson Raimundo dos Santos em 14/10/2013


Criação: instância (sistema)/máquinas virtuais



Criação da instância (sistema)

Agora, rode o seguinte comando para criação na plataforma EC2 da instância:

# onevm create instancia.one
Linux: OpenNebula - Gerenciamento de nuvens privadas e públicas
Figura 15 - Criação de instância no OpenNebula e status das instâncias ativas

Entre no painel de controle do EC2 e acompanhe a instância carregando o sistema:
Linux: OpenNebula - Gerenciamento de nuvens privadas e públicas
Figura 16 - Instância em modo pendente sendo criada na plataforma EC2


Criando as máquinas virtuais pelo OpenNebula Sunstone

Neste segundo artigo, foi utilizada a versão 4.2.0 do OpenNebula, para informações sobre instalação, consulte o primeiro artigo da série (OpenNebula Sunstone).

Para a criação das instâncias pelo Sunstone, será preciso a criação de um template para o código da imagem informada. Siga as etapas abaixo:
  • Clique na aba: Virtual Resources
  • Clique em: Templates
  • Clique na opção: Create
Linux: OpenNebula - Gerenciamento de nuvens privadas e públicas
Figura 17 - Tela de templates do OpenNebula-Sunstone

Defina um nome para o template.
Linux: OpenNebula - Gerenciamento de nuvens privadas e públicas
Figura 18 - Definindo um nome para o template

Selecione o template criado e clique na opção: More
Clique na opção: Update
Linux: OpenNebula - Gerenciamento de nuvens privadas e públicas
Figura 19 - Opção de atualização do template

Clique na aba: Advanced Mode

Copie o conteúdo abaixo dentro do campo de texto:

CPU=0.5
MEMORY=128

EC2=[ AMI="ami-0358ce33",
        KEYPAIR="chave",
        ELASTICIP="54.214.6.47",
        AUTHORIZED_PORTS="22",
        INSTANCETYPE=m1.small]

Apague o conteúdo da caixa de texto e siga o modelo conforme abaixo.
Linux: OpenNebula - Gerenciamento de nuvens privadas e públicas
Figura 20 - Definição das configurações de criação das instâncias

Clique no botão: Update
Selecione o template e clique em: Instantiate
Linux: OpenNebula - Gerenciamento de nuvens privadas e públicas
Figura 21 - Criação das instâncias

Dê um nome para a instância e escolha a quantidade de instâncias a serem criadas.
  • Clique no botão: Instantiate
  • Clique na aba: Virtual Resources
  • Clique na opção: Virtual Machines

Veja o registro da instância criada e faça o gerenciamento pela interface do Sunstone.
Linux: OpenNebula - Gerenciamento de nuvens privadas e públicas
Figura 22 - Gerenciamento da instância criada


Acessando a instância do servidor

Abra o shell do GNU/Linux.

Altere a permissão da chave da instância para 400, com o comando:

# chmod 400 chave.pem

Execute o comando para acesso via SSH da instância criada:

# ssh -i chave.pem [email protected]
Linux: OpenNebula - Gerenciamento de nuvens privadas e públicas
Figura 23 - Acesso a instância do servidor por SSH


Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Criação: conta/chave/certificado
   3. Configuração: OpenNebula/imagens/EC2/instâncias
   4. Definindo variáveis / API / Java para API
   5. Criação: IP estático/template/máquinas virtuais/AMI no EC2
   6. Criação: instância (sistema)/máquinas virtuais
   7. Conclusão
Outros artigos deste autor

OpenNebula Sunstone

Leitura recomendada

Distros nacionais em evolução: visão do Definity Linux CURRENT e do Kurumin beta

DNS BIND para integração em domínios AD (com Windows Active Directory ou Samba)

Compilando o QMPlay2 20.07.04 no Linux Mint 20 e Gerando o Pacote para Instalar

Instalação do Debian GNU/Linux - Passo a passo

SLiM: Simple Login Manager - Mini review

  
Comentários
[1] Comentário enviado por danniel-lara em 14/10/2013 - 07:36h

Parabéns pelo Artigo

[2] Comentário enviado por removido em 20/10/2013 - 21:03h

Claro e objetivo, parabéns

[3] Comentário enviado por a.mendesaguiar em 27/10/2013 - 13:58h

Pelo o que eu entendi toda vez que eu tiver que criar uma instancia nova vou precisar editar o arquivo com o ID da AMI.


[4] Comentário enviado por jeffersonsantos em 28/10/2013 - 02:45h

Bom dia! Adriano.

O arquivo de template é criado apenas uma vez e pode-se usado diversas vezes apenas chamando este.

A personalização de um novo código de AMI será apenas quando desejar a instanciação de um sistema diferente tipo: Centos (código de AMI tal), Debian (código da AMI diferente), etc.

Vários templates podem ser criados com códigos de AMI iguais, mas com necessidades de disco, memória, etc., diferentes.



Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts