Guerra no Rio

61. Re: Guerra no Rio

Ayrton Gomes
marun

(usa Debian)

Enviado em 04/12/2010 - 20:52h

sabem, eu gostaria muito de conhecer Brazil, estou estudando que nem um CAMELO para ir cursar

aí, especificamente na universidade de são paulo .!. se Deus quiser claro


  


62. Re: Guerra no Rio

Alex
Lordmetalex

(usa Linux Mint)

Enviado em 04/12/2010 - 22:27h

Quando vier, seja bem vindo marun


63. Re: Guerra no Rio

Perfil removido
removido

(usa Nenhuma)

Enviado em 04/12/2010 - 22:30h

Vc vai conseguir Marun!


64. Re: Guerra no Rio

Sergio Teixeira - Linux User # 499126
Teixeira

(usa Linux Mint)

Enviado em 05/12/2010 - 10:47h

@Freiana
Eu não posso dizer que "conheço São Gonçalo".
Já fui lá algumas vezes (tanto ao centro comercial quanto a Alcântara), e tenho um compadre que mora em Guaxindiba, que ainda é em São Gonçalo porém bem próximo a Itaboraí.

@Marun
Não dá para fazer comparações entre as ilhas de Cabo Verde e as nossas cidades ou vilarejos. Por aqui o número de habitantes é sempre MUITO grande.
Noto pelas fotos que Cabo Verde ainda tem um sistema de vida bastante romântico e que apesar do trabalho ser na maioria das vezes árduo, as pessoas ainda têm tempo para serem felizes. Nota-se estampada nas fisionomias uma tranquilidade muito importante para a vida do ser humano, coisa que já há algum tempo tem faltado nos grandes centros.
Descobri que na ilha de Santiago tem uma igreja da denominação que eu frequento: Fica em Praia (Zona Terra Branca) Lote 3, Quarteirão 63, e os cultos são aos domingos às 09:30hs e às quintas-feiras às 19:30 horas.





65. Re: Guerra no Rio

Ayrton Gomes
marun

(usa Debian)

Enviado em 05/12/2010 - 19:32h

Teixeira, Igrejas não me fale neles, a última vez que eu fui lá, nem me lembro, mas acho que

foi antes de começar a estudar FILOSOFIA .!. Coincidência ou tô me rebeliando ???


66. Re: Guerra no Rio

Sergio Teixeira - Linux User # 499126
Teixeira

(usa Linux Mint)

Enviado em 05/12/2010 - 21:44h

A ultima vez que o cabra Marun foi a uma igreja, o arco-íris ainda era em preto e branco...rsrsrsrs


67. Re: Guerra no Rio

Clodoaldo Santos
clodoaldops

(usa Linux Mint)

Enviado em 05/12/2010 - 23:08h

Só Deus p/ proteger os moradores da violencia dos marginais e da truculencia polecial... axo que nessa guerra ainda teremos muitas baixas de inocentes... infelizmente é só o começo!


68. Re: Guerra no Rio

Ayrton Gomes
marun

(usa Debian)

Enviado em 06/12/2010 - 09:36h

Clodo você não viu a quantidade de motos que eles apreenderam, acho que foi mais de 200 .!.
Se tou errado, me corijam pessoal .??.

E não viram a casa (casa,aquilo é mansão) do Gão, parece que o cara era o chefe lá do morro .!.


69. Re: Guerra no Rio

Clodoaldo Santos
clodoaldops

(usa Linux Mint)

Enviado em 06/12/2010 - 13:28h

sim... dezenas de motos e carros de luxo... os traficantes viviam como verdadeiros senhores feudais... donos de tudo e de todos... enqto a população sofria até com falta de agua e energia eletrica...mas a quem recorrer ??? à policia corrupta?? ao estado que os ignorava?? se não fossem as olimpiadas e a copa do mundo axo que nunca tomariam essa atitude!!!


70. Re: Guerra no Rio

Sergio Teixeira - Linux User # 499126
Teixeira

(usa Linux Mint)

Enviado em 06/12/2010 - 16:59h

Não adianta nada afirmar isso agora - e pode até mesmo parecer injusto - mas a culpa primária é dos próprios moradores há muitos e muitos anos atrás, quando começaram a se estabelecer nesses locais.
Também não é certo falar em "culpa", mas a primeira "causa" disso foi a ocupação desordenada de nossos morros por parte de seus primeiros habitantes que saíram fazendo becos e construções improvisadas, dentro de suas posses que evidentemente eram as mínimas.
Então pode-se perceber que o estado sempre esteve ausente dos verdadeiros problemas sociais, fingindo não percebê-los e dando ênfase aos então privilégios da Zona Sul (hoje em dia se fala muito em Zona Oeste, esquecendo-se propositadamente de Bangu e bairros adjacentes).
Enquanto não havia tráfico, o "perigoso" era o malandro do morro, aquele que brigava de navalha mas que respeitava e era respeitado pela comunidade onde morava, com a qual o relacionamento era de "bom dia", "boa tarde" ou "boa noite", à moda cartesiana mesmo, sem sorrisinhos nem sonrisal.
Os problemas de abastecimento e de saneamento básico foram crescendo, crescendo, sempre sem serem avistados pelos sucessivos governos. O povo sofreu sem ter a quem recorrer.
Em Roma à época de Nero a coisa não era diferente. E quando se diz que ele tocou fogo em Roma, esquece-se de corrigir: Ele tocou fogo mesmo foi NOS GUETOS de Roma.
Hoje parece que o caso é apenas "de polícia". Mas ainda faltam o saneamento básico, o abastecimento, o fornecimento de água e energia elétrica a custos razoáveis, a saúde pública, o ensino...
Já que falamos na Roma antiga, por que não falar na Miami atual? Apenas porque fica lá na matriz? Talvez seja porque os carros e as motos dos bandidos sejam mais bonitos e confortáveis, e suas armas mais modernas ainda.
Por aqui se fala na apreensão de armas moderníssimas. É verdade, Mas também há - de ambos os lados - muitas armas velhas, desgastadas com o tempo, algumas coladas com fita isolante e outros tipos de adesivos.
Mas a mídia insiste em continuar "romântica e sonhadora", mostrando um lado "poético" de uma verdade que é muito maior.


71. Re: Guerra no Rio

Ayrton Gomes
marun

(usa Debian)

Enviado em 06/12/2010 - 18:44h

Teixeira, eu vejo as população lá do morro mais como vítima, não é mesmo rapá .!. tu vai levá

chumbo .!. (reparem que falo como um traficante) hhehehhe


72. Re: Guerra no Rio

Clodoaldo Santos
clodoaldops

(usa Linux Mint)

Enviado em 06/12/2010 - 18:58h

marun.. concordo contigo... são vitimas... dos traficantes... da corrupção policial... do descaso das autoridades...e tbem da falta de civilidade deles mesmos... é um "problema multifatorial"... não há UM culpado... há um conjunto da fatores que formaram o que chmamos "favelas"... hoje chamadas da forma politicamente correta de "comunidades"... p/ tentar dar um ar menos "degradante" áquela situação em que vivem.