XnView - Visualizador, conversor e organizador de fotos e gráficos

XnView é um freeware desenvolvido bem de acordo com os princípios do software livre, embora não tenha uma licença do tipo GPL. Tem versões para muitas plataformas e sistemas operacionais, como Linux, Unix e MacOS, além do MS-Windows. Vale a pena experimentar!

[ Hits: 25.373 ]

Por: Sergio Teixeira - Linux User # 499126 em 06/04/2010


Mas afinal, para que serve?



Esse software, copyrighted 1991-2009 pelo Pierre-e Gougelet, é um aplicativo gráfico que deveria ser um mero visualizador de imagens, como muitos outros que existem por aí.

Com a mesma ingenuidade que marcou o "rock and roll" de Neil Sedaka, Paul Anka e Brenda Lee nos anos 60, no entanto, trata-se de um aplicativo extremamente útil e poderoso, pois permite dar aqueles retoques de emergência que volta e meia são necessários na vida de um programador ou "web-alguma-coisa" pego de surpresa e que de repente precisa dar um jeitinho em algum gráfico, seja redimensioná-lo, recortá-lo, ajustar brilho, contraste, gama ou aplicar filtros os mais diversos.
Linux: XnView
Vejam como reaproveitar uma imagem pobre, praticamente perdida (1a. à esquerda) ou conseguir efeitos interessantes.

Eu já removia olhos vermelhos "no muque" nas versões anteriores, porém agora está muito mais fácil (basta clicar sobre o primeiro olho vermelho e selecionar "Red eyes correction": Voilà!).

Para realçar os olhos naturalmente verdes do Teixeira, é só dar uma mexida nas cores do Xnview.

Trata-se de um aplicativo bastante leve e que não costuma dar pau.

Além de poder abrir várias telas simultaneamente, pode também ter várias instâncias dele mesmo abertas ao mesmo tempo, e cada uma delas com um montão de imagens, e sem apresentar problema algum, nem ao menos demorar para carregar ou salvar. E isso, como sabemos, é muito bom.

No "meu" Windows 98 tenho problemas de paleta por causa da memória de vídeo (Trident 1MB) mal aproveitada. Mas no Windows 95 isso não acontecia.

(Pajelança do Teixeira: Abrir e fechar o MSPaint corrige a paleta de cores)

Estranhamente com o Basic Linux no mesmo PC, e com a mesma Trident, as imagens são tão nítidas e suaves que parece ter no mínimo 8MB VRAM.

Muitas coisas (nem todas, é óbvio) que dependiam de Photoshop podem ser feitas com o XnView.

Não dá nem para pensar em comparar um produto com outro. São aplicativos com finalidades e abrangência um tanto diferentes.

Mas ele também converte de um formato para outro com grande facilidade. Até mesmo nas versões anteriores era apenas "salvar como..." e determinar o novo formato.

Captura telas inteiras, janelas, retângulos, (podendo ou não incluir o cursor: o usuário é quem manda) tem facilidades para uso de scanner ou câmera fotográfica, cria arquivos multi-páginas, tirinhas, e muitos et cetera. Atualmente apresenta dicas ao abrir (opção um tanto pobre e limitada) e help online, esse bem abrangente.

Existe um utilitário de linha de comando, o Nconvert, que já está na versão v5.54, sinal de que o Pierre e sua equipe de colaboradores não dormem em serviço.
Linux: XnView
Captura de tela inteira. Desculpem a "caitituagem"...

A qualidade da imagem cai um pouco, visto que o original tem mais de 1500 pixels de largura, e teve de ser muito reduzido.
Linux: XnView
Captura parcial no formato de um retângulo definido pelo usuário.

ERRATA: Onde se vê uma moldura amarela, NÃO SE VEJA uma moldura amarela (rsrsrs). Ela foi incluída posteriormente, apenas para não bagunçar a página aqui do VOL.

XnView tem a capacidade de reconhecer inúmeros formatos de arquivos gráficos e, se assim o desejarmos, associá-los para si.

Para que ele leia qualquer arquivo, é suficiente arrastar-e-soltar o arquivo para a janela do programa, e ter um resultado imediato.

E o mais interessante é que no momento em que ele se mostra incapaz de abrir um arquivo corrompido ou de formato desconhecido, ele realiza um "dump" hexadecimal do conteúdo desse arquivo (excelente ferramenta para programadores Assembly, C e suas derivadas).
Linux: XnView
Este é um exemplo da utilidade acima descrita: O Windows não sabe o que fazer com qualquer arquivo que não tenha um sufixo. Encontramos no pacote Linutext o arquivo README que o Windows evidentemente não sabe manipular. Precisamos então listar esse arquivo, para isso simplesmente arrastando-o para janela do Wnview. Mas para tirar uma screenshot, temos de ter em mente que ele não fotografa a si próprio (se esconde para não atrapalhar). Então o truque é abrir uma segunda instância do Xnview e ali fazer a screenshot da janela ativa ("active window").

É ideal também para usuários iniciantes, pois tem boa capacidade de "undo" (desfazer).

Nenhuma modificação se torna definitiva sem que o usuário confirme formalmente tal modificação.

Podemos melhorar uma foto, por exemplo, apenas pelo uso do recurso de "cropping" (recorte) e "resizing" (redimensionamento), como no exemplo:
Linux: XnView
Veja a cara de pau do cidadão aí. Depois vai dizer que "não sabia" que estava contribuindo com a poluição de nossas vias hídricas. Reparem que ele não quer sujar os lindos pezinhos, e por isso fez até uma plataforma (ou fizeram para ele). De qualquer forma, a história é sempre a mesma: "EU não poluo, não destruo; Quem polui ou quem destrói são sempre OS OUTROS"...

Note-se que a imagem inicial era apenas um "thumbnail" (miniatura) de 100 pixels de largura, e por isso a qualidade final é bastante pobre. Procuramos realmente os piores exemplos para mostrar que Xnview pode reaproveitar muito daquilo que poderíamos considerar perdido ou inútil.

É um programa tão intuitivo e seguro, que pode ser usado por pessoas sem a mínima noção do que estão fazendo. Do tipo realmente "idiot proof" (Não concordo com esse termo, pois o "idiota" de hoje pode ser o grande artista de amanhã). Quem não sabe o que é "Gaussian Blur" passará a saber no momento em que experimentar.

E se não gostar do resultado, bastará desfazer.
Linux: XnView
Mas aqui vai uma dica: o efeito do filtro Gaussian Blur provoca um desfoque ou melhor, um embaçamento controlado da imagem, sendo parametrizável. Veja na sequência o thumbnail original, em seguida filtros de 3x3, 5x5, 7x7, 9x9, 11x11, e 13x13.

Pode parecer tolice desfocar uma imagem, mas às vezes uma imagem mais suave e/ou menos nítida ou com tons pastel acaba sendo mais agradável, principalmente quando existem muitos detalhes agrupados e há necessidade de colocar texto sobre ela. Por exemplo: Letras de tamanho pequeno ou médio sobre fundo de um campo de flores.

Contudo, que ninguém se engane: O seguro morreu de velho, e eu me habituei a fazer uma cópia do arquivo original com outro nome e a trabalhar sobre a cópia e não sobre o original (para evitar o que aconteceu com a copa Jules Rimet)...

E como novidade, XnView também apresenta templates para uso na web.

Usam CSS e são bem simples, mas funcionam e são agradáveis aos olhos. Agora, vai depender da imaginação do usuário adaptar e estender tais templates segundo a sua própria criatividade. São basicamente idéias, esboços de estruturas, e não templates completos.

Acho que apenas copiar e colocar em nossos sites não terá muita graça.

Um bom site tem de ter "um pouco de nosso sangue". É decepcionante algum dia encontrarmos um site rigorosamente igual ao nosso, cujo template também tenha sido simplesmente copiado da internet.

Quem se lembra do "boom" do Corel Draw! Quando milhares de usuários em todo o mundo entraram numa triste fase de grafismos "mecânicos", sempre iguais, e sem criatividade nenhuma?

Para qualquer lado que se olhasse (outdoors, panfletos, tablóides, cartazes, convites etc) TODO MUNDO fazia TUDO no Corel... da mesma maneira, com as mesmas ferramentas, as mesmas cores, e o mais papagaiado possível (dentro do "espírito do rei" Elvis Presley)! Ainda bem que essa fase passou rapidamente, e hoje já encontramos muitos experts naquela ferramenta, possuidores de bastante criatividade e arte.

XNXIEW não é um software de produção, mas de melhoramento, retoque, e nesse sentido tem se mostrado bem melhor que muitos supostos congêneres. Além do que, o preço é muito convidativo...

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Surpresa agradável
   2. Com licença
   3. Mas afinal, para que serve?
   4. O utilitário Nconvert
   5. Limitações e outras considerações
Outros artigos deste autor

Terceira experiência com o Basic Linux

Micro empreendedor individual

Meu primeiro contato com Basic Linux

O que fazer com o BASIC LINUX

Reaproveitamento e meio ambiente

Leitura recomendada

Exaile! O substituto do amaroK para Gnome

Instalação e configuração do OpenSolaris B63 com Studio Express

Gravando CDs em modo texto

Manipulação de arquivos PDF no Linux

Virtualização de desktops, uma solução econômica?

  
Comentários
[1] Comentário enviado por removido em 06/04/2010 - 15:49h

Para quem não sabe:

1) Neil Sedaka -> http://twixar.com/bmi

2) Paul Anka -> http://twixar.com/gxj

3) Brenda Lee -> http://twixar.com/ocw

4) Bill Halley e seus cometas -> http://twixar.com/njyp

5) Elvis Presley -> http://twixar.com/m9wm

6) Rony James Dio -> http://twixar.com/ybl1

7) Bob Dylan -> http://twixar.com/nww

Vc arrebentou no seu trabalho mas pegou lá no figo da garotada!!!

Eita Teixeirão, deu retrô na saudade, hein???
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
;-)


[2] Comentário enviado por Teixeira em 08/04/2010 - 17:43h

Bem, a alusão à ingenuidade do rock and roll das décadas passadas restringe-se e esses artistas e a alguns tantos outros; nauralmente não me referi ao "primo ovelha-negra" do pregador Jimmy Swagart, o super-polêmico Jerry Lee Lewis...
Gostei da complementação!...
A propósito, lá em "Belzonte" tinha a banda cover do Bill Halley e seus Cometas: era o Assis Ralo e seus Capetas...
"Saudade com retroescavadeira"... hehehe

[3] Comentário enviado por albfneto em 09/04/2010 - 14:56h

Puxa Teixeira, sempre trazendo boas coisas!
Foi para o favoritos, vou usar XnView,
tenho 55 anos, gosto de Rock dos anos 50 e 60, principalmente a Brenda Lee, é uma grande voz!
gosto tb de Blues e Jazz.
Gosto de Rock pauleira também, gosto de tudo de Rock e tudo de Jazz...

[4] Comentário enviado por Teixeira em 11/05/2010 - 18:52h

albfneto:

Um teste para os dinossauros da nossa época:

- Quem é o roqueiro que tinha por hábito dizer "cheguei da América, bicho!..." e que á a nossa "miniatura" de Mick Jagger, esteve em Woodstock e namorou a Janes Joplin?

Comentário:
O velho Chuck Barry ainda está vivo e dando o maior show... Tá cheio de gás o "home"!...


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts