O grito!

Neste artigo trago a atenção para a guerra dos profissionais de Informática. Até que ponto é o limite para que não invada o espaço de outros. Leia atentamente e deixe sua opinião de vivência, ela poderá reformular muitas ideologias.

[ Hits: 9.270 ]

Por: Rafael Silva de Santana em 01/12/2007


Você é feliz no seu ambiente de trabalho?



Não quero levantar mais uma polêmica neste artigo como no meu último - "Pirataria - aliada da Microsoft?"; mas quero sim, escrever sobre liberdade no seu ambiente de trabalho.

Acordo às 04:50h para trabalhar, 40 minutos depois saio de casa, enfrento quatro conduções, ônibus, trem, trólebus e ônibus novamente, duas horas mais tarde, às 07:30h, chego a meu destino em uma multinacional do ramo gráfico.

Segurança é um dos requisitos mais visíveis da empresa, do portão para dentro, grades, telas, bloqueios de acesso dividido por áreas, horários e nível de hierarquia fazem parte do dia-a-dia de todo funcionário da empresa, é impossível andar em seu recinto sem um cartão com seu barcode de identificação.

Depois de tomar o café, subo para o setor de computação gráfica, pois é lá onde devo passar a maior parte do dia e ao subir degraus me pergunto: Até onde toda essa segurança é necessária? Isso não seria problema se o nível de segurança não extrapolasse a ponto de tirar o pouco da liberdade que o funcionário tem, digo isso com relação ao nosso departamento de TI, responsável por toda a infra-estrutura da empresa, que vai desde a aquisição de ferramentas produtivas para o nosso trabalho até a administração de redes e sistemas.

Oito horas! Chego ao departamento onde trabalho, abro o cliente de e-mail e recebo os e-mails do corporativo, logo após, sempre abro meu e-mail particular através do navegador, aí começa um dos meus problemas, uso Linux em minha casa e na empresa temos duas plataformas Mac OS e Windows (sendo que trabalho com Windows), quanto a isso não reclamo, pois trabalho com Design Gráfico e sei que Linux não seria a melhor opção, o problema é o navegador, pois, sou apaixonado por Firefox e quem o usa sabe que ele é muito melhor que o IE, padrão do Windows, infelizmente não posso instalá-lo, seria advertência na certa.

Outro problema a ser enfrentado é ter meu serviço de e-mail bloqueado pelos administradores da rede local, fiquei sem total comunicação com o mundo exterior, tenho assuntos profissionais e particulares que trato através deste serviço... Celular? Imagine você, que até pouco tempo atrás era proibido usá-lo e sei que o recesso não irá demorar.

Acredite, isso não é piada, um belo dia quando iniciei a máquina que trabalho tomei um susto, o menu iniciar apenas tinha duas opções, desligar e programas.

Tivemos vários problemas neste dia com relação às ferramentas gráficas com que trabalhamos, alguns recursos precisavam de permissões e não tínhamos, sem contar as aplicações de fontes que era impossível utilizar. Ficamos toda a parte matinal do dia sem trabalhar, até que se deram por vencidos e nos deixaram como administradores de nossas máquinas.

Extremamente sufocado, sentindo-me um prisioneiro do trabalho, lembro-me de certa vez ter lido uma revista de Tecnologia e Informação, muito respeitada e popular, sobre o assunto - "Você é feliz no seu ambiente de trabalho?"; o artigo trazia exemplos da Google e Microsoft, onde alguns funcionários de áreas de desenvolvimento e criação, assim como eu, tinham liberdade de cumprir sua carga horária até mesmo em casa, onde a única responsabilidade seria cumprir com a meta do dia.

Na época em que li este artigo, trabalhava em uma escola de informática, onde juntamente com um amigo, além ministrar aulas, era responsável pela implantação e administração da rede, nossa política era apenas manter a rede segura, rápida e satisfatória para o usuário, bloqueando apenas o que era nocivo à integridade da rede e do sistema operacional em uso, aumentando assim a confiabilidade da escola.

Minha resposta para a pergunta daquele artigo era, sim, eu sou feliz no meu ambiente de trabalho. Mas quanta diferença para o que respondo hoje!

Fico me perguntando: O que levaria a empresa a ser tão rígida sendo que as duas maiores empresas de Tecnologia e Informação vem obtendo resultados satisfatórios com a liberdade de seus funcionários?

O que consigo perceber é uma rixa entre departamentos e quando você demonstra que também entende do assunto, passa a incomodar. Se colocasse nosso departamento para administrar o TI, com certeza teríamos pessoas capacitadas e com currículo para desempenhar um bom papel, coisa que não conseguiríamos ver se fosse o contrário.

Ainda sem resposta a tudo que me pergunto com relação a este assunto, carrego a alternativa em meu bolso, para ser mais específico carrego em meu pendrive, com ferramentas o suficiente para aproveitar falhas e quebrar os bloqueios impostos por essa "segurança" e juntamente com portableapps, desfrutar de uma liberdade forçada que consegui conquistar. Sei que faço isso com uma responsabilidade muito grande, mas não abro mão de minha liberdade e aproveitarei enquanto não bloquearem as portas de memórias flash.

Sei que não é só na empresa onde trabalho que isso acontece, por isso "grito" neste artigo, que também é uma opinião, tendo em vista que nem mesmo posso trocar o wallpaper de meu workstation. Sem minha liberdade me sinto sufocado sem ar para respirar e acabo não produzindo o necessário, não vendo a hora de chegar às 19:30h, que é quando chego em casa e ligo minha máquina e desfruto da verdadeira liberdade.

E você, é feliz no seu ambiente de trabalho?

Rafael Santana
Codinome: fulllinux
Distribuição: Slackware
santanaig@gmail.com

   

Páginas do artigo
   1. Você é feliz no seu ambiente de trabalho?
Outros artigos deste autor

Exclusivo - Entrevista com Fábio Berbert, criador e mantenedor do projeto Viva o Linux!

Sistemas Operacionais - Experiência

Instalação do aMSN-0.97b em três maneiras diferentes

TI - Ajuda ou atrapalha?

Livre arbítrio - exerça!

Leitura recomendada

Se o Linux fosse uma "marca"

Viva o Linux adere à moda Orkut

Bill Gates e Linux

Cego guiando cego

Adote um projeto, ajude o Viva o Linux

  
Comentários
[1] Comentário enviado por renato_pacheco em 01/12/2007 - 15:57h

Huiahiuahaiuha!!! Antigamente eu passava por esse msm problema q vc. Ainda bem q é Linux os S.O.'s da empresa. Sabe o q eu fiz? Consegui a senha de root pra eu fazer as coisas q não eram permitidas. Eu sei q não é certo o q eu fiz, mas fazia com responsabilidade, como vc faz.
A barreira de lá era a Internet e eu havia descoberto q existia um gateway oculto q não havia bloqueio. Ae, com a senha d root, eu mudava esse gateway e conseguia acesso a todos os recursos da net e outras coisas a mais da máquina.
Na empresa onde trabalho, tem certas pessoas q não têm limite e extrapolavam com orkut e msn, por isso o bloqueio existia. Hj, felizmente foi tudo liberado... vai entender!

[2] Comentário enviado por gabrielsp em 01/12/2007 - 16:22h

Rafael, discordo da sua opniao nessa artigo

primeiro, o computador não é seu, é uma ferramenta de trabalho, e ão um passatempo, baseando no que vc disse no final do artigo, se quer liberdade que use o pc de casa oras... É a mesma coisa que se fosse em uma marcenaria, o funcionario pintasse, colocasse adesivos no seu martelo até que uma hora ele se estrague todo por causa disso... restrições existem pra isso, pra que o funcionario não instale programas, e lote o hd ou o espaço na rede com musicas, imagens e trabalhos paralelos que podem corromper o sistema da empresa e até comprometer o desempenho da maquina... antes um funcionario sem internet, e sem acesso ao e-mail pessoal produzindo, do que um com total liberdade, dando prejuízo pro TI da empresa, e produzindo menos do que consegue... Provavelmente, essa politica foi colocada na sua empresa, pq com certeza ela estava sendo prejudicada com isso...

Abs

[3] Comentário enviado por Teixeira em 01/12/2007 - 17:13h

Observo lados distintos da mesma qustão:

- A liberdade que precisamos ter;
- A liberdade que desejaríamos ter;
- A liberdade que nos é tolhida.

Ainda outro dia deparei-me com um fato bastante constrangedor:
Uma organização sem fins lucrativos que recebe mão-de-obra gratuita e voluntária, e cujo pessoal da manutenção RESOLVEU colocar senhas em TODOS os computadores.
Resultado:
Tem um daqueles voluntários que, todas as semanas, viaja muitos quilômetros para fazer ali um trabalho muito específico; Um belo dia encontrou sua máquina inexplicavelmente trancada por uma senha que literalmente NINGUÉM sabia.
Agora imaginem só o constrangimento.
A situação foi resolvida somente uns 10 dias mais tarde, quando o solícito implantador de senhas voltou de uma pequena viagem.

Já quanto a personalizar nossas estações de trabalho para colocá-las do NOSSO modo, acho que isso seria um pouco de abuso de nossa parte, já que as máquinas não nos pertencem.
Se as empresas deixassem, colocaríamos fundo de tela com o emblema de nosso time, a foto de nossas namoradas, esposas, filhas ou netas, do cachorro, etc. e isso não seria correto.
Imaginem então instalar toda a sorte de sotfware pirata, apenas para satisfazer ao NOSSO desejo de liberdade!...

Mas às vezes o excesso de segurança induz à busca por falhas.
É exatamente por isso que existem os hackers e crackers.
Um muro alto leva a crer na existência de riquezas por trás dele.
Diz um ditado chinês que um ladrão jamais rouba uma choupana, mas o palácio.

Excesso de segurança ostensiva, ao meu ver, demonstra insegurança e convida à prática da burla.


[4] Comentário enviado por fulllinux em 01/12/2007 - 17:15h

Gabriel (kaizers2li),

Concordo com seu ponto de vista, mas uma coisa é estragar o computador e outra coisa é trabalhar com ele... Todo o nosso departamento é capaz e tem um bom currículum demosntrado e comprovado... O setor é totalmente bem maduro, para saber o que pode e o que não pode... Não ligo que bloquiem Orkut's e MSN's da vida... até porque para o meu trabalho não preciso dele... tambem não quero instalar nada que não me axilie no meu trabalho... Mas ferramentas de navegação e comunicação é impresindivel no meu trabalho.

Quando escrevi este artigo 16/11, ainda não tinhamos levado o assunto para frente... Mas o problema foi sim levado para frente e apresentado junto a supervisão do TI que não estava a par do assunto então. Então foi comprovado que há sim uma rixa entre departamentos... E logo após os fatos apresentedos a supervisão do TI que nada sabia, ordenou que os responsaveis pelo bloquieo de nossos serviços de e-mail fosse liberados.

Já tivemos muitos problemas com o suporte do TI com relação a bloqueios, produtivos para o nosso trabalho e é essa a questão que quero levantar com esse artigo... Mais ou menos assim "Se não sabe não mexa".

Abraço a todos!

[5] Comentário enviado por removido em 01/12/2007 - 18:47h

É difícil alguém escrever tão bem como você, os pronomes nos lugares certos, sem "vc", "naum", "funfa" entre outros linguajares chulos que encontro por aí, gostei muito, de mais um artigo seu fica os meus parabéns...

[6] Comentário enviado por f_Candido em 01/12/2007 - 19:15h

É um ponto de vista. Cada um tem o seu. Mas liberdade em ambiente corporativo é um assunto muito delicado, pois sua visão é de empregado, mas a visão do patrão que quer produtividade? Então, é um desabafo que deve ser levado em conta, na hora da escolha de uma profissão...
Abraços a Todos

[7] Comentário enviado por adrianoturbo em 01/12/2007 - 22:15h

Mais uma polêmica ficou corriqueiro acontecer isso no Vol,mas tudo bem .
Vamos aos fatos o usuário sempre quer ter liberdade para fazer tudo que quiser no ambiente de trabalho,gente estamos no ambiente de trabalho não em nossa casa,se queres consultar emails particulares que acessem em suas residências .
Políticas de segurança foram feitas para serem adotadas e não será nenhum usuário com privilégios que mudará isso.

[8] Comentário enviado por michelazzo em 01/12/2007 - 23:27h

Pois é meu caro, a sociedade é isso. Existem regras e como vivemos em uma democracia nos resta escolher o que é melhor para nós mesmos. Quem sabe ter seu próprio negócio ou então outra profissão?

Claro que existem aqueles que abusam mas corporativo é isso mesmo, feliz ou infelizmente.

Sds


[9] Comentário enviado por mcnd2 em 02/12/2007 - 00:22h

Ótimo artigo. Liberdades para todos.

[10] Comentário enviado por mcnd2 em 02/12/2007 - 00:22h

Ótimo artigo. Liberdade para todos.

[11] Comentário enviado por franciscosouza em 02/12/2007 - 08:05h

Gostei do artigo, mesmo não concordando com ele por completo.

[12] Comentário enviado por Teixeira em 02/12/2007 - 08:21h

O conceito de liberdade é bastante delicado e por vezes controverso.

Na antiga fábrica de televisores Emerson nos Estados Unidos, onde todos trabalhavam com muito afinco, havia uma sala sem placa na porta onde onde seis homens passavam o dia "imitando peixe" (fazendo nada) e bincando com móbiles.
Um dos diretores brasileiros que ali estavam em visita observou o fato e quis saber o porquê.
É que eles eram pagos para ter idéias.
A última da "safra" foi uma forma de economizar uma pequena quantidade de parafusos por aparelho.
Com isso, a redução de custos foi da ordem de milhares e milhares de dólares, justificando portanto a existência de tal departamento.

Há empresas que fazem coro com empreendimentos assim, enquanto outras simplesmente torcem o nariz e demonstram que agir de forma contrária é que é o correto.

Há empresas (DuPont) que incentivam o emprego conjunto de familiares (marido, esposa, filhos) enquantro outras (Ceras Johnson) não permitem sequer a admissão de vizinhos ou conhecidos dos empregados.

Visitei uma grande empresa no Rio Grande do Sul onde os empregados têm enormes liberdades e não abusam delas. Dentre tais liberdades estão o poder escolher o cardápio do almoço da próxima semana, adquirir os produtos da empresa com pagamento parcelado (desconto em folha) e opinar sobre assuntos de outros departamentos, que aparentemente não lhes dizem respeito.
No entanto, não notei nenhuma "personalização" em seus equipamentos ou ambientes de trabalho.
Eu costumo observar de forma discreta os quadros de avisos:
Eles são o espelho da organização e da filosofia de trabalho de uma empresa.
Portanto, onde se vir "é proibido isso", "é proibido aquilo", podemos contar como certo que a empresa tem efetivamente um grave problema em torno daquele assunto.

[13] Comentário enviado por renato_pacheco em 02/12/2007 - 11:57h

Poxa... gostei de todos os comentários daqui, mas queria dizer uma coisa: eu percebi que o bloqueio deveria existir se não houvesse o bom senso das pessoas que utilizam o computador para fins alheios ao trabalho. Não justifica o bloqueio rígido para a empresa que possui uma ótima produtividade.
Se as pessoas tivessem o entendimento da liberdade, não haveria esses tipos de bloqueios em certas empresas, mas vocês já viram: o brasileiro adora arranjar um jeitinho para conseguir o que quer.

[14] Comentário enviado por rafagil em 02/12/2007 - 12:32h

Sou da seguinte opinião:

Concordo sim com a liberdate TOTAL para os usuários, mas que os mesmos tenham metas. Ou seja, voce é livre para fazer o que quer e como quiser, mas dia 20 (Exemplo), você deve entregar todo o seu trabalho pronto, caso contrário: RUA.

Pronto, problema resolvido. usuários felizes, patrões com seus projetos em dia.

[15] Comentário enviado por julianjedi em 02/12/2007 - 12:52h

Companheiro rafagil... fale isto para os funcionarios da prefeiturea da minha cidade.... hehehheheh.... concordo tambem com vcs... o que tem que contecer ... é o contrario ... é pegar "" esses profissionais""!!?? que não fazem nada o dia inteiro e e trocar por profissionais de verdade... que gostam dfo que fazem .. e cumprem suas metas mesmo tendo a liberdade de fazer o que quiser ... na hora que quiser!!!

[16] Comentário enviado por gabrielsp em 02/12/2007 - 13:06h

Rafael, mas infelizmente, esse é o preço que se paga por uma boa politica de restrição aos usuários, infelizmente seu departamento de TI não comunicou e nem conversou com os usuários que em breve estariam implementando tal politica... Toda boa politica de restrição em desktops e internet são uma tortura no começo, pois se bloqueia tudo, e vai liberando conforme o necessário, é um mal necessário... mas depois, fica perfeito, e o usuário não vai ter outra alternativa, se não se focar no seu serviço...

Abs

*como disse o colega Soyuz, ótimo artigo ;D

[17] Comentário enviado por siarom em 02/12/2007 - 17:32h

Liberdade o carai... vc ta la eh pra trabalhar... e nao ficar brincando de ser o linuxman ou tentar burlando a seguranca imposta pela TI.

Ponha-se no lugar do chefe, vc gostaria que seus funcionarios ficassem instalando coisas, como eh o seu caso... o tempo q vc perde pra por seu pendrive, abrir as coisas, configurar... devia ta trabalhando... rendendo como funcionario... afinal... eh com o seu trabalho q a empresa ganha e vc recebe seu $$$ no final do mes... isso que vc disse no artigo tem um nome... hipocrisia !!!

Deixe pra instalar oq eh vc quer, testar oq vc quer no seu computador... ate pq... duvido q seus software (ja q sao de windows) venham todos de uma fonte confiavel... no minimo deve ter uns 5 aplicativos crackeados, baixados num sei da aonde do emule, torrent... (eu uso muitooooooooooooooooo e sei q existem muitos falsos positivos) quem garante que vc nao tem um virus? vc vai ter poder de resolver isso? NAO!!! Vai ser mais trabalho pro departamento de TI, vc vai ficar sem produzir e todos nos voltamos ah mesma lenga lenga!!!

Abre o olho meu chapa... se eu fosse teu chefe e descobrisse isso... era RUA!!! =D ... oq nao ta muito dificil... teu perfil aqui aponta pro teu site... so todas informacoes... vai q teu chefe ve ou entao alguem de TI (oq eh menos dificil) e te dedura! auhhuauhauhauhauh tu ia morrer de se desculpar ne... e o pior... eh q aqui ta a prova...

[18] Comentário enviado por removido em 02/12/2007 - 21:31h

GENTE!!!

Meu Deus do céu!!!

Lí o artigo completo, não li todos os comentários ainda...

Mas alguns comentários que lí são extremamente DITADORES!!!

Meus amigos, a era indústrial já acabou à muito tempo...

Na empresa que eu trabalho, de desenvolvimento de software, só é usado Windows, eu sou do suporte técnico e adm de redes, Uso Slackware, com flux e o gaara de wallpaper, (alguns já devem ter visto o shot)... e isso não impede minha produção, (Que é o trabalho da empresa, e meus trabalhos da faculdade), os desenvolvedores podem personalizar a máquina do jeito que quiserem, têm um lá que instalou o Style XP no windows e deixou com a aparência do Mac...

Sabe quantos projetos já atrasaram até hoje?

NENHUM!!! NEM 1... NEM UNZINHO SEQUER...

Não sei se minha empresa é boa samaritana, ou as outras são carrascas... mas a produtividade da empresa que eu trabalho é de 100% no mínimo...

Lá existe no servido uma pasta compartilhada só de MP3... é quase uma EXIGÊNCIA que se tenha um fone de ouvido nas máquinas... rsrsrs...

A Única restrição é usar P2Ps, e fazer downloads grandes das 10:00 às 16:00

Agora, não quero polemizar, mas, quem coloca/aprova essas regras arbitrárias de "Políticas de produtividade" ou são gerentes de projeto que não são muito confiantes, ou pessoas frustradas na vida que gostam de atrapalhar a vida dos outros...

Tá aí minha opinião, deixa eu continuar lendo os comments...

[19] Comentário enviado por removido em 03/12/2007 - 09:03h

nossa, tem gente aqui com uma falta de educação tremenda......
sai falando palavrão, achando que é o dono da verdade. Não sabe nem colocar sua opinião com educação.
Ta achando que ta no orkut caramba?

Otimo artigo Rafael. Tem seus prós e contras mas isso é normal, nem Jesus agradou a todos.



[20] Comentário enviado por professordavid em 03/12/2007 - 10:30h

Olha cara.. não é por nada não, mas eu te perdoo por voce não fazer parte do setor de TI de sua empresa. Se você fosse do setor de TI e não da parte gráfica, veria que você é uma rara excessão em sua firma e qualquer "liberdade" a mais que fosse dada aos demais desembocaria em orkut, correte de e-mails, envio de ppt de mensagens sentimentais e msn para fins reprodutivos.

Infelizmente, caro amigo, ou a empresa investe em segurança para os funcionários e controla absolutamente tudo, ou investe na conscientização e treinamneto de equipe, excluindo membros que não se adptassem a um padrão ético de qualidade, dando cursos constantes de capacitação, palestras, eventos de motivação pessoal e financeiro e, quem sabe até outras ações que a dessem um certificação iso24000.

Não precisa falar o que é mais barato, né? Nem o que é mais rápido?

Olhe a sua volta, na sua firma, e você verá milhares de "garotinhas vadiazinhas" e "minininho retardados" que ficariam o dia todo no orkut e msn, repassando correntes de e-mail e ppt, e colocando fotos de filhos, familiares, festas e sei lá o que mais no orkut. É a mais pura verdade cara.. a empresa não é feita de gente como você. Seria ótimo se fosse, mas na maior parte é formada por medíocres tecnologicos e intelectuais que justificam o investimento em ti e segurança.

E mais. Também discordo de você em usar ferramentas que furam o sistema de segurança de sua firma, já que tal atitude só prova falta de ética, pois se voce aceitou trabalhar onde você trabalha hoje, é sua obrigação aceitar também os termos do seu trabalho. Isso se chama viver em sociedade. Uma atitude como a sua e um monte de gente que lincha um criminoso é a mesma coisa. Você tem o direito de discordar da politica de sua empresa, como também tem o direito de não aceitar, mas não aceitar não implica em burlar, mas nesse caso, aceitar as consequencias que a liberdade cobra de voce, nesse caso, pedir demissão e ir para uma empresa (ou abrir uma) onde voce tenha o espaço que julga necessário para exercer sua liberdade.

[21] Comentário enviado por nicolo em 03/12/2007 - 10:31h

?comentario=O nivel de restrição é inversamente proporcional à qualidade da gestão das empresas. Há níveis de gestão diferenciados dependendo do ramo e maturidade empresarial. Empresas com longa tradição de manutenção de pessoal fixo tendem a ser menos restritivas, porque conhecem bem seus empregados. Os que tem alta rotatividade tendem a ser mais restritivos, mas o problema não está na TI está na rotatividade, inclusive do pessoal de TI.
Resumindo: Níveis de segurança obsessivos não são a causa do problema, são a conseqüência.
O fato de um empregado labutar em outro negócio rentável já mostra um problema estrutural (grave): Ele é um prestador de serviço, não é um "company" nem um "labour", é um service provider.
Problema: A gerência ouviu falar na tal modernide de terceirização, não entendeu nada; meteu os pés pelas mãos. A pressão do erro explode em algum lugar.
A causa teórica é o conflito de interesses: Empregados bem ajustados mostram lealdade e zelo. Até fazem algo dispersivo, como olhar o noticiário ou pequenos desperdícios de tempo, mas cumprem as metas com assiduidade. Na linguagem do peão: "Não deixa pegar".
Empregados com relações mal resolvidas com a empresa tendem a buscar algo a mais. Aí não há regulamento que resolva. Há algo ruim energizando o problema. Quando a pressão chega no ponto de colapso começa uma alta rotatividade e os paliativos (ainda piores) para remendar o trapo das relações empregado-empresa.
A coisa anda por esse caminho.
Um abraço.


[22] Comentário enviado por fulllinux em 03/12/2007 - 12:56h

Deixo claro que estou lendo todos os comentários aqui postado, fico grato por expressarem opiniões sabias e experiências de quem já passou pela situação e de quem trabalha com tal situação...

Porém as restrições aqui na empresa varia a nível hierárquico e nosso TI tem sim total controle sobre a situação, o caso é que nós do departamento de computação gráfica precisamos de alguns privilégios para desempenhar nosso trabalho... precisamos também de boas ferramentas para a produtividade... Internet aqui é quase tudo bloqueado e não me preocupo por isso, mas não abro mão de ter meu e-mail alternativo já que por sua vez o próprio departamento de TI usufrui de tal privilégio, e nós do ramo gráfico possuímos vários auxílio de pessoas experiente na área... além disso como a própria empresa já tem conhecimento todos nós do departamento temos outros projetos aparte, e temos que nos inteirar deles com forme o dia... e para que fique bem claro isso já foi levado para frente e colocado a supervisão do TI que ordenou que os responsáveis por tais bloqueio desbloqueie nossa comunicação, tendo em vista que é a empresa que precisa de nossos serviços levando em consideração que temos vários projetos particulares.

Com relação a sentir-se pressionado pelo ocorrido não vou fazer como outros do setor que abandonaram o "navio ao ver o casco furar" vou acompanhar essa situação até o fim, até porque todos já estão sabendo desse meu "grito" e isso já foi caso de reunião... quanto as artimanhas de burlar tal "segurança" já fui até mesmo questionado e tive que mostrar tais falhas, que como citei no artigo fazia com total responsabilidade... e para que esteja ao conhecimento de todos me martirizava a cada instante que utilizava.

O TI hoje pela manhã, lançou uma nota dizendo que ira reformar a estrutura da rede e tais problemas produtivos iriam acabar...

Espero que com isso possamos voltar a ter um bom relacionamento.

Deixo esse comentário com a assinatura de nossa computação gráfica.

Abraços.

[23] Comentário enviado por michelazzo em 03/12/2007 - 13:15h

Caro Rafael,

Mesmo já tendo comentado a matéria, retorno neste momento pois vejo em seu último comentário uma ambiguidade muito grande.

Não consigo compreender quando diz "não abro mão de meu e-mail alternativo". Creio que está se referindo ao seu e-mail particular, correto? Se assim for, à luz do direito inclusive, você está extrapolando suas atividades e utilizando o recurso alheio que lhe é concedido para desempenhar a função pela qual está sendo pago com atividades particulares.

Mais adiante comenta que a empresa tem conhecimento que vocês deste departamento possuem projetos ou atividades à parte de suas atividades normais. Dentro de minha cabeça, profissional com mais de vinte anos de carreira e já tendo gerenciado equipes de vários tamanhos em várias empresas, a tal "liberdade" que advoga ser seu direito não é nada mais que um luxo que deseja ter em aproveitar-se da tal estrutura lhe concedida para seu interesse particular.

Não entendo como a produtividade pode ser menor com o cerceamento de acesso à ferramentas e/ou informações particulares que não são relacionadas ao seu trabalho. Quando comentou sobre a condição de não poder instalar determinados softwares necessários para o desempenho de sua função, concordei contigo (mesmo a contragosto) acreditando que esta política ultrapassa o limite do lógico e do coerente. Entretanto agora tenho que confessar que sua atitude é totalmente equivocada e incoerente, na qual apóio com veemência o departamento responsável por tal bloqueio.

Se eles possuem prerrogativas para acesso à qualquer informação, deve existir um porquê disso e não compete à você revindicar o mesmo tratamento pois não faz parte de tal departamento. Na atividade que exerço hoje tenho este poder e cerceio de outrem (inclusive do ministro de estado) para o bem comum da coletividade que utiliza os recursos disponíveis. Reclamações existem mas são rechaçadas principalmente quando não existem fundamentos, como é o caso da sua neste momento.

Agradeço pelo comentário e também pela tread. Certamente usarei o tema para artigo futuro onde inclusive desejo trazer o assunto à luz do direito, desejando explicar até onde a liberdade é realmente liberdade.

Saudações.

[24] Comentário enviado por fulllinux em 03/12/2007 - 13:49h

Paulino,

Concordo com o que disse acima, não discordo com você em nada, mas o fato é se eles querem manter tanto meu trabalho na empresa, também tem o outro lado dos meus projetos não quero perde-los pois é de grande interesse para mim... então temos que entrar em um acordo se não acabo por sair da empresa conforme outros já fizeram.

Com relação as ferramentas de trabalho realmente o departamento esta carente de tais... e temos alternativas totalmente livres para isso, coisa que estava também sendo barrada.

O departamento de TI através de sua supervisão já demonstrou ter falhado com relação ao suporte adequado ao setor, que como eles próprios dizem "tem que ser diferenciado".

Desculpe estar entrando em conflito com sua opinião, mas algo tem que ser feito e isso não estava acontecendo... parece que depois desse artigo abrirão os olhos e as coisas podem realmente mudar.

Outro opinião é a base de meu artigo, pois acho que não precisa impedir ou bloquear para produzir, para isso existem metas.

Ah, pode ter certeza que muito do que você citou, vai ficar gravado em minha mente e levarei em consideração em assuntos posteriores.

Grato pela sua opinião,


Abraço.

[25] Comentário enviado por adrianoturbo em 03/12/2007 - 17:10h

A verdade é uma só, enquanto usuário querer ser mais esperto que o profissional de TI que gerencia uma determinada rede sempre estará em desvantagem.
Adoro esse tipo de usuário que gosta de privilégio,nem papel de parede ele vai conseguir mudar na rede.
Obrigado pelo debate.rsrs

[26] Comentário enviado por fulllinux em 03/12/2007 - 17:24h

É isso mesmo amigo, como já citei, quando você demosntra que também intende do assunto, você incomoda!

De-nada!

[27] Comentário enviado por blaskovicz em 03/12/2007 - 18:46h

Li todos os comentários e nenhum deles discutiu um ponto que foi colocado no artigo: que grandes empresas como Microsoft e Google dão liberdades a seus empregados exigindo deles apenas que se cumpram metas.
Por que não utilizar um sitema que dá certo? E por que utilizar um sitema que tolhe não somente a "liberdade" como também a criatividade do funcionário?
Desculpem se vou ser muito incisivo no que vou afirmar, mas é por essas e outras que o Brasil é o que é. Por utilizar formas obsoletas de "aumentar a produtividade" dos funcionários, por querer ter o controle total, inclusive do que o funcionário deve pensar. Por essa forma teceiro-mundista de gerenciar ambientes corporativos. Por haver disputas entre departamentos. Por funcionários com mais privilégios pensarem que são os "donos do pedaço"!
Está errado implantar um sistema como dessas empresas consagradas? Está errado implantar qualquer outro sistema que beneficie empregado e empregador? Eu acho que não.
Trabalho em uma escola de informática como instrutor e admnistrador da rede e o único que se requere de cada funcionário são resultados e até hoje não tivemos nenhum problema.
Volto a afirmar: o problema do Brasil são pessoas que pensam que pelo fato de PAGAR uma pessoa para trabalhar, são DONAS dela.

[28] Comentário enviado por demoncyber em 04/12/2007 - 00:02h


Este é um típico polema que nós, acho que todos devemos questionar o quanto a liberdade é interessante.

Em um certo ponto agradeço caras como os da área de TI como os da empresa que este cara partiipa, pois por caras como eles que criam as oportunidades para que existam e criem caras malucos por ai no mundo. Sim acho ruim de certa forma algumas limitações de liberdade, mas basta vermos por casos que estão mais próximos de nós para percebermos para qual o fim da nossa liberdade é gasto o nosso tempo, por pessoas sem maturidade. Sou favor do auto se mancou, eu gosto que as pessoas percebam os fatos não que eles sejam impostos, gosto que elas aprendam e deduzam as coisas, nao gosto de regras de bolo e apenas um menu de receitas, gosto de mestres cucas.

Ótimo artigo como sempre...

[29] Comentário enviado por tecnorede em 04/12/2007 - 20:36h

A questão é polemica sim e a indignação do autor do artigo procede, porem a análise dele parte apenas do ponto de vista dos interesses dele (obviamente) , se coloque a administrar uma rede ... logo vera que tem usuários e "usuários", se você é um cara que tendo determinados privilégios não ira fazer nada que não deva "merito seu", porem é certo que um ou outro usara mal ... ai o cidadão diz ... mas nosso setor tem profissionais gabaritados que sabem o que fazem ... pois bem e como o ADM da rede fica quando vem outro setor e diz que quer acessar tbm a caixa postal, projetos etc particulares assim como fulano de tal ??? e ai ?

A UNICA coisa a ser feita é expor suas necessidades e se elas forem realmente pertinentes não so ao seu trabalho mais tambem ao seu bem estar e sem comprometer recursos da empresa certamente você será ouvido

[30] Comentário enviado por rvannucci em 06/12/2007 - 10:50h

Rafael,


Primeiro parabéns pelo artigo, acho que polemicas são sempre muito bem vindas, principalmente quando se trata da nossa areá de atuação.
Sou desenvolvedor de software em linguagem java, hoje a internet para nos, desenvolvedores de sistemas é muito útil, principalmente por
acharmos muitas vezes códigos prontos e com qualidade, mas para isso temos que ter a liberdade de procura-los; já trabalhei em um banco
de grande porte, que por não ter MainFrames acabaram fechando todo o acesso a internet deixando apenas alguns sites como google jakarta
java.sun para acesso, mas quando íamos ao google e buscávamos o assunto que queríamos nenhum de seus links funcionava, portanto o google
não tinha nenhuma utilidade, o site do jakarta tinhamos para podermos baixar as versões do struts (framework para desenvolvimento J2EE),
e as apis complementares, já no site da sun tínhamos acesso aos fóruns e a documentação do Java, mas mesmo assim não ganhávamos produtividade
alguma, pois tínhamos que escrever tudo a mão. Bom com isso cheguei a ver que não tínhamos produtividade o banco achava que eramos fabrica
de pasteis, todos os projetos estavam com grande atraso, chegamos a fazer um comité para verificar o porque dos atrasos demos os motivos a
diretoria e entramos em comum acordo com a areá de suporte, mas quando fizemos todas as politicas de segurança foi barrada por não termos
internatemente um ambiente seguro, bom tudo por agua a baixo.
Hoje estou em uma empresa de grande porte na areá de telecom, hj tenho a liberdade que queria na quela época e agora temos politicas de segurança,
temos permissão de trazer os MP3 de casa, não temos permissão de instalar softwares, com excessão das nossas ferramentes de desenvolvimento
e o firefox. Mas mesmo com toda esta liberdade temos projeto atrasados, o meu projeto atual está atrasado, mas pelo fato de ter sido orçado
errado, hoje temos nossa Gestora tentando corrigir esta falha mas ainda assim o cliente nunca é alguem fácil de se conversar (todos sabem)
mesmo assim pelo nosso cronograma não estamos atrasados e já conseguimos, ainda, adiantar um pouco.
O fato de termos projeto atrasados é o fato da empresa ter a politica de todos os funcionários da areá de TI serem terceiros e com isso muitos
PJ (Pessoa Jurídica), isso acaba pesando pelo lado de todos ganharmos por hora.
Acho hoje a ideologia do funcionário PJ, de que quanto mais horas melhor, errada pelo simples fato de que penso antes do dinheiro a minha
gratificação como profissional, já fiz muitas vezes de virar noite em final de projeto, mas se tenho a oportunidade de não fazer eu
prefiro.
Tenho até um adendo ao seu artigo, não só a Microsoft e Google tem a ideologia de liberdade, temos também a IBM, Sun, entre outras que
se utilizão na mesma metodologia destas empresas, e mesmo assim conseguem ter a produtividade e a qualidade que outras não conseguem.
Deixo uma unica pergunta:
Sera que empresas gigantes de mercado estaum erradas, ou sera que muitas empresas não sabem escolher seus profissional gerando impacto
em seus projetos, e consequentemente a qualidade de seus serviços?

Abraços a todos.

[31] Comentário enviado por dockism em 13/12/2007 - 10:23h

Cara, que coisa hein...

Acho que qualquer colaborador tem que ter uma liberdade com responsabilidade dentro do ambiente de trabalho.

Aqui aonde eu trabalho (é uma empresa de medio porte), temos liberdade, uma colega minha por exemplo, enfeita todo o pc dela com bixinhus e wallpapers, mudou todo o xp dela e tals...mas ela vez isso com responsabilidade e com certeza ela sabia se desse algum problema a responsavel seria ela....e pode acreditar ela produz como nunca, porque aquela é maquina que ela gostaria de ter em casa ou tem uma parecida em casa...isso é bem coisa de brasileiro...., esses tempos aqui a empresa vez um remanejo de lugar o pessoal, e ela pedio para o chefe se podia levar o pc dela junto...e foi total liberdade...colaborador feliz empresa feliz :D

[32] Comentário enviado por cart em 19/12/2007 - 17:20h

Sobre a necessidade das restrições, eu acho q se foi postas lá foi por alguma razão, quando não é por "demonstração de poder" ela tem como objetivo corrigir algum erro, e nesses casos não existe nenhuma solução perfeita!

Mas o q observei, foi o pensamento "Meu departamento só tem pessoas competentes, responsaveis... etc"
Porém para os cara da TI, todo mundo ta reclamando da mesma coisa, e todo mundo se acha competente e responsável tb, então a ordem de tratamento diferenciado tem q vir de cima, e tem q ser justifica por aqueles q a querem.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts