O Projeto GNU e o Linux: Uma combinação de sucesso

Apresentação do GNU/Linux. Prolegômenos do Projeto GNU. Prolegômenos do Linux. História do GNU. Surgimento do Linux. O GNU/Linux no Mundo. Considerações.

[ Hits: 15.270 ]

Por: Italo Muryllo Tosta em 15/01/2013


O que é o Linux e um pouco de sua história



O Linux é um núcleo ou cerne, um Kernel, é um componente do sistema operacional; é o responsável por fazer a ponte entre hardware e o software. É o núcleo do sistema operacional que dá aos softwares a capacidade de acessar o hardware. É o gerenciador de recursos do sistema fazendo com que os programas façam uso deles. Seu funcionamento dá-se assim que o sistema operacional é ligado. Inicia-se a identificação de todo o hardware indispensável ao funcionamento da máquina. É ele que identifica o gerenciamento da memória, dos processos, dos arquivos e de todos os dispositivos periféricos. É um grande organizador, porque garante que programas tenham acesso aos recursos de que necessitam de forma simultânea e um concorrente compartilhamento.

Pelo supracitado, quebra-se o esteriótipo do Linux ser um sistema operacional. Ele não o é. É parte de um todo. É a parte essencial do sistema operacional; ele serve de estrutura para o sistema atuando de forma elíptica, nos "bastidores". Não o é todo um conjunto do software que inclui aplicativos, interfaces gráficas por exemplo; é uma versão limitada, é um cerne.

O Linux 0.0.1 foi criado em setembro de 1991 por Linus Torvalds aluno de Ciência da Computação pela Universidade de Helsinque na Finlândia. Torvalds disponibilizou gratuitamente o código fonte pela Internet e programadores de todo o mundo estenderam o Kernel e desenvolveram outras ferramentas, adicionando novas funcionalidades e a mesma que já se encontrava na BSD e no System V (SVR4), ambos do Unix. Na verdade a história do Linux remonta ao Unix, mas perpassa também pelo MINIX; não seria exagero ter o Unix como o root (raiz) do Linux. Compreendemo-lo melhor.

A história do Unix começa em 1969, quando Ken Thompson, Dennis Ritchie e outros começaram a trabalhar na "little-used PDP-7 in a corner" na Bell Labs e que viria a ser UNIX. Na verdade, o início se dá em 1960 com o Multics, projeto de sistema operacional desenvolvido por habilidosos programadores, entre eles, Ken Thompson e Dennis Ritchie. Entretanto, por ser um projeto caro, ambicioso e com poucos recursos computacionais foi deixado de lado. Assim, Ken Thompson decide então criar o projeto Unics, pouco tempo depois modificado para Unix, nome usado até hoje.

Conforme Mark G. Sobell o Unix foi desenvolvido por pesquisadores que necessitam de uma série de ferramentas modernas de computação para auxiliá-los em seus projetos. Ele permitiu a uma equipe que trabalhava em um projeto a compartilhar dados e programas selecionados ao mesmo tempo em que mantinha privadas as outras informações.

Com grande aceitação não somente em universidades, mas também em ambientes corporativos, resultando no surgimento de variações diversas do sistema, como as versões BSD e o Solaris. O MINIX, assim como o Linux, é uma delas, o que não quer dizer que ambos sejam iguais ao UNIX, mas notoriamente parecidos.

Você deve está se perguntando: Que ligação tem o MINIX com o Linux. A resposta é toda. Primeiro o MINIX é derivado do Unix. Segundo, o Linux deriva do MINIX. Sendo o Unix uma espécie de avô do Linux.

O projeto Linux não partiu do zero. Teve como variável o MINIX. Que por sua vez é uma variação do Unix. O MINIX foi desenvolvido por Andrew S. Tanenbaum, professor de Computação para auxiliar em suas aulas. Devido à sua pouca exigência de hardware foi disponibilizado gratuitamente e livre para quem quisesse desenvolver, inclusive seu código-fonte; hoje em dia ainda é possível consegui-lo. Assim, os estudantes de computação podiam - e podem - estudá-lo inteiramente para desenvolver suas habilidades ou mesmo para criar projetos derivados. Foi assim que Linus Torvalds entrou nesta história.

O Linux é um sistema poderoso e inovador que funciona com o Unix. Popularidade jamais alcançada pelos seus predecessores. Apesar de imitar o Unix em vários aspectos, o sistema Linux diferencia-se dele de várias formas: Seu kernel é implementado independentemente do BSD e do System V; o seu desenvolvimento contínuo ocorre através de esforços combinados de diversas pessoas pelo mundo e o Linux facilita o acesso ao poder do Unix para usuários de computadores domésticos ou empresariais.

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Conhecendo o GNU/Linux
   2. O que é o GNU e um pouco de sua história
   3. O que é o Linux e um pouco de sua história
   4. O GNU/Linux no mundo
   5. Considerações finais
Outros artigos deste autor

Da programação ao IDE NetBeans

Configuração da interface KDE

Guia pós-instalação do Fedora 18 (Spherical Cow)

Guia pós-instalação do Fedora 21

Leitura recomendada

Por que há mais vantagens em usar o Linux

KDEmod: Tornando mais simples o KDE do seu Arch Linux

Solução para Ubuntu sem som

Desknotes e Walkpcs

Como um monte de letras de um código fonte transforma-se em voltagens?

  
Comentários
[1] Comentário enviado por albfneto em 15/01/2013 - 21:48h

Esse artigo é excelente, detalhado e vasto. Favoritado. parabéns!

É isso aí, o GNU/Linux está no seu Android, no seu celular, na sua TV digital, mesmo que vc não saiba que é Linux...

Ele cresce. Muitos diriam que ninguém usa linux, mas isso não é bem Verdade. Mesmo nos Desktops está aumentando.

Em servidores, domina.

O linux já preucupa a MS e outras empresas de software proprietário, talvez pq elas saibam que quando (questão de tempo) um Desktop Linux for tão fácil de usar pelo público quanto um Desk Windows, ou um Tablet, ou um celular...

quem vai pagar por um SO?...

[2] Comentário enviado por italotosta em 16/01/2013 - 16:23h

Obrigado pelo comentário albfneto. Espero que com este artigo possa ter tirado algumas dúvidas.

[3] Comentário enviado por MarceloTheodoro em 17/01/2013 - 08:33h

Muito legal o artigo. :)
Pretendo me aprofundar mais nesse tema de universo GNU no futuro.

E realmente, questão de tempo até Linux dominar desktops também. Esse ano, em relação a jogos vai ser interessante!
Steam, blizzard... :D

[4] Comentário enviado por italotosta em 23/01/2013 - 12:55h

MarceloTheodoro, muito obrigado. Também acredito que assim que grandes empresas de games passarem a produzir para o GNU/Linux haverá uma expansão maior em dektops. É só aguardar!

[5] Comentário enviado por M4rQu1Nh0S em 26/01/2013 - 15:41h

Artigo de qualidade profissional!!
eu avalio em nota 10 pois várias fontes foram consultadas, mas a questão é que eu gostei...
Obrigado pelo Artigo...

já abri mão de jogos na minha placa pra usar Linux, desde que eu testei o debian 6.0 tive curiosidade em experimentar sob o desafio de usar net discada, jogar games no windows... etc.

mas alguns desafios foram superados e posso usar (e tô usando) linux :D
desde que eu vi que sou livre pra fazer do linux o que eu quero de um S.O. Windows se tornou apenas um produto com alvos de ataques...

nota 10.

[6] Comentário enviado por italotosta em 26/01/2013 - 16:34h

M4rQu1Nh0S muito obrigado pela nota 10. Realmente muitas fontes consultadas a fim de enriquecer o trabalho.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts