Menu de Aplicativos do Window Maker

Aprenda como configurar o menu de aplicativos do seu Window Maker.

[ Hits: 31.388 ]

Por: Luís Fernando C. Cavalheiro em 22/07/2013 | Blog: https://github.com/lcavalheiro/


A sintaxe do WMRootMenu: avançado



Agora, vamos aprender as muitas maneiras que dá pra fazer no Menu de Aplicações do Window Maker. Antes dessa página, você estava aí achando que já podia mandar 'benzaço', que iria conquistar as garotas só pela cara do seu Menu de Aplicações, mas agora você vai aprender alguns segredos para por o mundo aos seus pés!

Vamos começar com uma coisa bem simplezinha: configurar atalhos de teclado para seus programas mais usados.

Eu acho um saco precisar ir até o Menu de Aplicações sempre que eu preciso abrir o GNOME Terminal ou o Iceweasel, que são dois programas que eu uso muito aqui no meu computador, e eu, realmente, não queria ter que ficar fazendo isso direto.

Nos outros ambientes gráficos, muitas vezes não existe outra opção, senão abrir o "Executar comando" (normalmente com o atalho Alt+F2) e digitar o comando que chama o programa.

No Window Maker você não precisa fazer isso. Primeiro porque não existe por padrão um atalho de teclado que chame a janela "Executar comando", segundo porque você pode definir atalhos de teclado para qualquer programa que lhe interesse, usando o próprio WMRootMenu!

1. Criando atalhos de teclado pelo Menu de Aplicações do Window Maker:

OK, chega de 'blablablá', vamos ao que interessa. Por enquanto, nosso Menu de Aplicações do Window Maker, de exemplo, está assim:

("Menu de Aplicações do Window Maker",
("Aplicativos para linha de comando...",("Emuladores de terminal...",("GNOME Terminal",EXEC,"gnome-terminal"),("xTerm em fundo branco",EXEC,"xterm -bg white -fg black -fa Liberation -fs 12 -sl 10000")),("Cliente de IRC irssi",EXEC,"xterm -bg white -fg black -fa Liberation -fs 12 -sl 10000 -e irssi"))
("Navegador de Internet Mozilla Iceweasel",EXEC,iceweasel),
("Suíte de escritório LibreOffice",("LibreOffice Writer",EXEC,lowriter),("LibreOffice Calc",EXEC,localc),("LibreOffice Impress",EXEC,loimpress),("LibreOffice Draw",EXEC,lodraw),("LibreOffice Base",EXEC,lobase))
)

Mas eu quero que ao apertar o Control+F1 ele me abra o GNOME Terminal, e ao apertar o Control+F2, ele me abra o Iceweasel.

Para isso, vamos adicionar a instrução SHORTCUT nos lugares certos. Quando o Window Maker ler a instrução SHORTCUT, ele vai ler o próximo campo como uma keystroke (um atalho de teclado) para o comando que será executado pela instrução EXEC da mesma declaração.

Vamos analisar a linha do nosso exemplo de Menu de Aplicações que chama o Iceweasel:

("Navegador de Internet Mozilla Iceweasel",EXEC,iceweasel),

Agora eu quero que o Iceweasel inicie sempre com o Control+F2, certo? Vamos alterar a linha para que ela fique assim:

("Navegador de Internet Mozilla Iceweasel",SHORTCUT,"Control+F2",EXEC,iceweasel),

Perceba que acrescentamos dois novos campos a essa declaração:
  • O campo SHORTCUT (deve ser sempre escrito em maiúsculas, como no caso do EXEC) é uma instrução que indica ao Window Maker que o próximo campo contém uma combinação de teclas que se pressionadas produzem o mesmo efeito que clicar no nome do item de menu no Menu de Aplicações.
  • O campo seguinte ao SHORTCUT, chamado nada criativamente de keystroke, contém as teclas que deverão ser pressionadas como atalho de teclado, e deve sempre vir entre aspas. Os campos SHORTCUT e keystroke devem vir antes do campo EXEC.

Simplesmente, escreva o nome das teclas a serem usadas por extenso:
  • Control para Ctrl
  • Shift para Shift
  • Mod1 para Alt
  • Mod4 para a Meta (WINDOWS_KEY)
  • F1 a F12 para as FUNCTION_KEYS
  • Leras e números para as letras e números.

Vamos alterar nosso exemplo de Menu de Aplicações do Window Maker para que ele fique de acordo com o que queremos:

("Menu de Aplicações do Window Maker",
("Aplicativos para linha de comando...",("Emuladores de terminal...",("GNOME Terminal",SHORTCUT,"Control+F1",EXEC,"gnome-terminal"),("xTerm em fundo branco",EXEC,"xterm -bg white -fg black -fa Liberation -fs 12 -sl 10000")),("Cliente de IRC irssi",EXEC,"xterm -bg white -fg black -fa Liberation -fs 12 -sl 10000 -e irssi"))
("Navegador de Internet Mozilla Iceweasel",SHORTCUT,"Control+F2",EXEC,iceweasel),
("Suíte de escritório LibreOffice",("LibreOffice Writer",EXEC,lowriter),("LibreOffice Calc",EXEC,localc),("LibreOffice Impress",EXEC,loimpress),("LibreOffice Draw",EXEC,lodraw),("LibreOffice Base",EXEC,lobase))
)

2. Criando o diálogo de sistema "Executar comando":

Com isso, estamos a um passo de criar um atalho de teclado para o diálogo "Executar comando" que os ambientes gráficos mais modernos possuem. Vamos primeiro, aprender a declarar esse diálogo no Menu de Aplicações do Window Maker:

("Executar comando...",SHEXEC,"%A(Executar comando,Digite o comando a ser executado:)")

Essa declaração de item de menu no Menu de Aplicações, chamará o diálogo que pode ser visto na imagem abaixo:
Linux: Menu de Aplicativos do Window Maker

A instrução SHEXEC indica ao Window Maker que o próximo campo é um comando do shell, e deve ser escrita em maiúsculas sempre. Quando você adiciona o parâmetro "%A", você instrui o Window Maker a criar um diálogo e usar a entrada desse diálogo como o comando a ser executado pelo SHEXEC.

Para criar os textos do diálogo, abra um parêntese com dois campos dentro dele:
  • O primeiro campo é o título da janela do diálogo;
  • O segundo campo é um texto explicativo daquele diálogo.
Basta comparar essa linha (que é uma cópia da linha do meu próprio Menu de Aplicações do Window Maker) com a imagem.

Agora, vamos adicionar um atalho para isso. Com tudo que você leu até agora, chega a ser trivial. Vamos usar o Alt+F2, padrão na maioria dos ambientes gráficos do mundo GNU/Linux.

Altere a linha para:

("Executar comando...",SHORTCUT,"Mod1+F2",SHEXEC,"%A(Executar comando,Digite o comando a ser executado:)")

E vamos acrescentá-la ao nosso exemplo de Menu de Aplicações do Window Maker, ficando assim:

("Menu de Aplicações do Window Maker",
("Executar comando...",SHORTCUT,"Mod1+F2",SHEXEC,"%A(Executar comando,Digite o comando a ser executado:)"),
("Aplicativos para linha de comando...",("Emuladores de terminal...",("GNOME Terminal",SHORTCUT,"Control+F1",EXEC,"gnome-terminal"),("xTerm em fundo branco",EXEC,"xterm -bg white -fg black -fa Liberation -fs 12 -sl 10000")),("Cliente de IRC irssi",EXEC,"xterm -bg white -fg black -fa Liberation -fs 12 -sl 10000 -e irssi"))
("Navegador de Internet Mozilla Iceweasel",SHORTCUT,"Control+F2",EXEC,iceweasel),
("Suíte de escritório LibreOffice",("LibreOffice Writer",EXEC,lowriter),("LibreOffice Calc",EXEC,localc),("LibreOffice Impress",EXEC,loimpress),("LibreOffice Draw",EXEC,lodraw),("LibreOffice Base",EXEC,lobase))
)

Agora seu Window Maker tem o diálogo de sistema "Executar comando" configurado para usar o atalho de teclado Alt+F2.

3. Configurando o estilo das janelas e o papel de parede pelo Menu de Aplicações do Window Maker:

Você pode fazer essas duas funções tanto pelo terminal, quanto pelo WPrefs, mas existe uma maneira de fazer isso tudo pelo Menu de Aplicações do Window Maker. Vamos nós?

Primeiro, vamos aprender um pouquinho sobre uma outra instrução especial que podemos usar no Menu de Aplicações do Window Maker, o OPEN_MENU.

Com o OPEN_MENU, podemos fazer muitas coisas, mas a mais importante delas é ler os arquivos em um diretório e seus subdiretórios, criar um submenu com esses arquivos e, ao selecionar um desses arquivos, executar um comando com esse arquivo.

Complicado só no falatório, eu sei. Vou colocar aqui um exemplo:

("Papel de parede...",OPEN_MENU,"-noext /usr/share/WindowMaker/Backgrounds/ $HOME/Imagens $HOME/GNUstep/Library/WindowMaker/Backgrounds WITH wmsetbg -u -a")

Vamos dissecar essa declaração de item de menu:
  • O primeiro campo é o nome que aparecerá no Menu de Aplicações do Window Maker, normal.
  • O segundo campo é a instrução especial OPEN_MENU, que deve ser escrita sempre em maiúsculas.
  • O terceiro campo é a graça da bagaça. Eu ordeno ao Window Maker para ler os diretórios que estiverem listados antes do WITH, criar o menu com esses diretórios e seus subdiretórios listando todos os arquivos que encontrar por lá, e então jogar o arquivo selecionado para o comando depois do WITH.
  • O WITH (deve ser escrito sempre em maiúsculas) contém o comando com parâmetros a ser usado com o arquivo selecionado pelo OPEN_MENU.
  • O parâmetro "-noext" diz que o Menu de Aplicações do Window Maker não deverá exibir as extensões dos arquivos listados.

O resultado vai ser parecido com a imagem abaixo (é claro, respeitando os fatos que seus diretórios de imagens não contêm as mesmas imagens que o meu, e que meu Menu de Aplicações do Window Maker já foi devidamente configurado):
Linux: Menu de Aplicativos do Window Maker

Como vocês podem ver, é possível inserir um qualquer número de diretórios entre o OPEN_MENU e o WITH. Já o wmsetbg é o comando usado para definir o papel de parede do Window Maker, sendo que os parâmetros "-a", dizem para ampliar a imagem preservando a escala (aspect ratio), e o parâmetro "-u" diz para atualizar os arquivos de configuração do Window Maker com essa informação.

Além de papel de parede, é possível selecionar um entre os vários estilos pré-determinados instalados junto com o seu Window Maker. Vamos ver a linha:

("Estilos para o Window Maker...",OPEN_MENU,"-noext /usr/share/WindowMaker/Styles $HOME/GNUstep/Library/WindowMaker/Styles WITH setstyle")

Usamos a mesma sintaxe, só que dessa vez usando o comando setstyle. Com esse comando, dizemos que o Window Maker deve usar como estilo de cores para as bordas das janelas as configurações que ele encontrar nos arquivos de estilo localizados nesses diretórios indicados.

Vamos agora declarar uma entrada de menu para escolher um tema. Um tema do Window Maker é a combinação de um estilo com um papel de parede. A linha abaixo faz o serviço:

("Temas pré-definidos...",OPEN_MENU,"-noext /usr/share/WindowMaker/Themes $HOME/GNUstep/Library/WindowMaker/Themes WITH setstyle")

Agora, você configurou o WPrefs e seu papel de parede, deixou tudo conforme te agrada e tal, e quer salvar essa bagaça para poder configurar ainda mais? Show de bola! Coloca esta linha no seu Menu de Aplicações do Window Maker:

("Salvar tema como...",EXEC,"getstyle -p $HOME/GNUstep/Library/WindowMaker/Themes/\"%A(Nome do tema,Salvar tema como...)\"")

Problema resolvido!

Agora sim, você pode sair por aí dizendo que manja das computarias!

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Uma visão geral do Menu de Aplicações
   3. A sintaxe do WMRootMenu: básico
   4. A sintaxe do WMRootMenu: criando submenus
   5. A sintaxe do WMRootMenu: avançado
   6. Conclusão
Outros artigos deste autor

Narrando sessões de RPG de mesa online usando droll e IRC

google-drive-ocamlfuse - Monte seu Google Drive usando o FUSE

Window Maker 0.95.4 no Debian Testing - Instalação, configuração e dicas

Empacotando Cliente Copy no Slackware - Como ganhar 20 GB de armazenamento em nuvem

Emulador Mednafen - Instalação e configuração

Leitura recomendada

Pirataria - Como prejudica desenvolvedores, cria monopólios e facilita ações de crackers

Deixando o BunsenLabs cinza de novo

Montando um workstation de desenvolvimento web em GNU/Linux

Escreva para o VOL - Contribua você também!

Como fazer o seu servidor Linux enviar avisos em seu celular Claro sem custo

  
Comentários
[1] Comentário enviado por Darkteist em 22/07/2013 - 01:55h

Ótimo para pessoas que curtem esse ambiente, que além de ser leve é interessante e retrô, favoritado, parabéns !

[2] Comentário enviado por izaias em 22/07/2013 - 10:59h

Esse é o charme do WM: retrô e nostálgico.

Realmente, esse tuto está bem mais completo que o outro.
Estava com dificuldades devido à complexidade nessas congurações, agora está mais fácil!

Muito bom, pinguim filósofo!
-----------------

Só uma coisa: o que é 'computaria'?! rsrsrs

[3] Comentário enviado por albfneto em 22/07/2013 - 15:46h

Muito bom isso. Vou configurar no meu. Mais um favoritado!

[4] Comentário enviado por lcavalheiro em 22/07/2013 - 17:27h


[2] Comentário enviado por izaias em 22/07/2013 - 10:59h:

Esse é o charme do WM: retrô e nostálgico.

Realmente, esse tuto está bem mais completo que o outro.
Estava com dificuldades devido à complexidade nessas congurações, agora está mais fácil!

Muito bom, pinguim filósofo!
-----------------

Só uma coisa: o que é 'computaria'?! rsrsrs


"Computaria" é uma brincadeira usando as palavras (e os significados) das palavras "computador" e "putaria" rsrsrs

Gente, muito obrigado pelos elogios!

[5] Comentário enviado por albfneto em 22/07/2013 - 20:39h

Computaria? rsrsrsrsr!

e os Linusers especializados em: "Estalação" de Linux. Quando a gente tá aprendendo e fuça muito,

"estalação" de linux é o que mais a gente faz.

Quando eu comecei a mexer com eles, eu "estalei" o sabayon 6 vêzes e o gentoo, 8 rsrsrrsrsrsrsrsrs.

Por exemplo, vc sabe que na Biblia, 666 é o número da Besta!

e no Linux, 777 é o número da Besta, e a Besta é o Usuário! rsrsrsrs !

O incauto usuário fala: "que legal, pra eu não usar mais senha eu vou mudar as permissões de tudo, olha como sou um gênio!"

rsrsrsrss chmod 777.... e pronto... Linux "Estalado"! rsrsrsrsrsrsrsr

[6] Comentário enviado por lcavalheiro em 22/07/2013 - 21:15h


[5] Comentário enviado por albfneto em 22/07/2013 - 20:39h:

Computaria? rsrsrsrsr!

e os Linusers especializados em: "Estalação" de Linux. Quando a gente tá aprendendo e fuça muito,

"estalação" de linux é o que mais a gente faz.

Quando eu comecei a mexer com eles, eu "estalei" o sabayon 6 vêzes e o gentoo, 8 rsrsrrsrsrsrsrsrs.

Por exemplo, vc sabe que na Biblia, 666 é o número da Besta!

e no Linux, 777 é o número da Besta, e a Besta é o Usuário! rsrsrsrs !

O incauto usuário fala: "que legal, pra eu não usar mais senha eu vou mudar as permissões de tudo, olha como sou um gênio!"

rsrsrsrss chmod 777.... e pronto... Linux "Estalado"! rsrsrsrsrsrsrsr


E de repente coisas como o sudo páram de funcionar... Linux estalado com sucesso, a la Bill Gates rsrsrs

Pior que isso é quando o usuário começa a usar o root como usuário comum, aí é corram pras colinas rsrsrs

[7] Comentário enviado por danniel-lara em 23/07/2013 - 09:03h

Parabéns meu amigo pelo artigo muito bom mesmo ficou Bagual mesmo
ja instalei aqui o windowmker , logo vou personalizar ele no meu fedora

grande abraço

[8] Comentário enviado por lcavalheiro em 26/07/2013 - 11:32h


[7] Comentário enviado por danniel-lara em 23/07/2013 - 09:03h:

Parabéns meu amigo pelo artigo muito bom mesmo ficou Bagual mesmo
ja instalei aqui o windowmker , logo vou personalizar ele no meu fedora

grande abraço


Valeu, Daniel! Um abraço!

[9] Comentário enviado por Ang em 18/04/2015 - 19:09h

O Window Maker é um ótimo gerênciador de janelas, nele baseou-se o BlackBox, que originou o FluxBox que é o que estou utilizando para desenvolver um ambiente gráfico inovador para o mundo Unix!
Eu quase nunca tive paciência pra mexer em Window Maker, nem me lembro direito do Window Maker, mas seu artigo está ótimo para um gerenciador de janelas!

Ang,
Manaus, AM, Brasil.
Usuário Linux,
Distros Favoritas: Bodhi Linux, Ubuntu, Big Linux, Kurumim, OpenSUSE e Slax.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts