Instalando um sistema Debian GNU/Linux completo em 20 minutos

Já teve que instalar ou reinstalar um parque de máquinas completos com Linux? Aposto que encheu o saco fazer o mesmo trabalho, instalar os mesmos pacotes, fazer as mesmas configurações... Você vai ver aqui uma série de dicas que vão acelerar incrivelmente o tempo de instalação, agilizando essa tarefa muitas vezes árdua.

[ Hits: 109.462 ]

Por: Davidson Rodrigues Paulo em 25/11/2004 | Blog: http://davidsonpaulo.com/


Instalando a primeira máquina - O sistema



A primeira coisa feita foi a instalação do sistema básico. Como listado no capitulo anterior, utilizei o Debian-BR-CDD 1.0 pre3. Essa parte da instalação é a mais rápida de todas e geralmente me toma menos de 10 minutos, considerando que eu não instalo nenhum pacote do CD.

Instalado o sistema básico, meu próximo passo foi atualizar o sistema para os pacotes do unstable. Configurei o apt e mandei brasa (mora?) :D.

# nano /etc/apt/sources.list

# sources.list
# Lista de repositórios Debian utilizados pelo apt


deb http://linux.iq.usp.br/debian unstable main

Em seguida, instalei o restante dos pacotes pelo apt. Instalei por fases. Primeiro o X, depois o KDE, o OpenOffice.org, Mozilla e os demais. Mas pra ficar mais prático, vamos colocar como seu tivesse instalado tudo com um comando só. O comando seria esse:

# apt-get install x-window-system kdebase kde-i18n-ptbr kdm openoffice.org openoffice.org-l10n-pt-br openoffice.org-mimelnk myspell-pt-br mozilla mozilla-locale-ptbr xmms xmms-volnorm xine-ui kaffeine kaffeine-mozilla gimp inkscape blender xpdf ark zip unzip unrar bzip2 ntpdate hdparm kscreensaver xscreensaver vim

Entre dar esse comando e o último pacote estar instalado levou quase duas horas. Ao término, comecei a configurar o sistema, começando pela rede, editando o arquivo /etc/hosts e adicionando os nomes e endereços de todos os 30 computadores da rede, no estilo

192.168.1.2      aquario1.maria.br         aquario1
192.168.1.3      aquario2.maria.br         aquario2

Depois, configurei o vim, mais exatamente as cores. Editei o arquivo /etc/vim/vimrc e descomentei a linhas:

syntax    on
set background=dark

Em seguida, configurei o hdparm. Verifiquei que opções o HD suportava com o comando:

# hdparm -i /dev/hda

E editei o arquivo /etc/hdparm.conf, descomentando as 3 últimas linhas e modificando o comando, ficando dessa forma:

command_line {
       hdparm -c1 -d1 -Xudma5 -A1 -a16 -m16 /dev/hda
}

A nível de informação, essas opções são, respectivamente:
  • -c1 : Ativa o modo de 32 bits de I/O;
  • -d1 : Ativa o DMA;
  • -Xudma5 : Ativa o UltraDMA modo 5;
  • -A1 : Ativa o recurso de leitura adiantada;
  • -a16 : Seta a leitura adiantada para 8 KB;
  • -m16 : Seta o parâmetro MultiSects para 16;

Então configurei o GRUB, para que ele inicializasse automaticamente, sem apresentar a tela de seleção de sistema. Editei o arquivo /boot/grub/menu.lst e modifiquei a linha:

timeout        5

deixando-a assim:

timeout        0

Salvei o arquivo e reinstalei o GRUB:

# grub-install /dev/hda

Depois, tinha que configurar o disquete para que utilizasse um sistema prático de uso que dispensa a desmontagem. Primeiro, editei o arquivo /etc/fstab, modificando a linha de configuração do drive de disquete:

/dev/fd0    /media/floppy0    auto    rw,noauto,user    0  0

deixando-a assim:

/dev/fd0    /media/floppy0    auto,vfat    rw,noauto,user,sync    0  0

O parâmetro vfat eu adicionei por que, utilizando somente auto, o sistema não estava conseguindo ler disquetes formatados para Windows. Não sei o por quê disso, mas adicionando o parâmetro vfat o problema se resolve. Já o parâmetro sync faz com que os dados sejam gravados de forma síncrona no disquete, de forma que, com uso desse parâmetro, não é necessário desmontar o disquete para gravar os dados.

Para completar, precisei criar o script opendisk, que usaria para abrir o disquete a partir do Desktop.

# vim /usr/bin/opendisk

#!/bin/sh
# opendisk
# Remonta o disquete e exibe seu conteúdo


umount /dev/fd0
mount /dev/fd0
konqueror /media/floppy

# chmod 755 /usr/bin/opendisk

Pronto. Bem simples o que esse script faz. Desmonta o disquete, monta e exibe o conteúdo com o Konqueror. Agora só faltava criar o link simbólico na pasta do usuário. Abri um novo terminal, loguei como usuário comum e criei o link:

$ cd
$ ln -s /media/floppy0 Disquete


E estava terminado. Precisava agora configurar os compartilhamentos NFS. Antes de mais nada, instalei os pacotes necessários:

# apt-get install portmap nfs-common nfs-user-server

Depois, configurei os compartilhamentos e as permissões, editando o arquivo /etc/exports:

# vim /etc/exports

# /etc/exports
# Configuração dos compartilhamentos remotos NFS


/home        aquario*.maria.br(rw)
/var         aquario*.maria.br(ro)

Aqui, eu deixei a pasta /home disponível para todos os computadores da rede (aquario*.maria.br) com permissão de leitura e escrita (rw), e a pasta /var, também para todos os computadores, com permissão de somente leitura (ro). Mais adiante você já vai ver porque eu compartilhei o /var ;-)

Agora, era preciso criar os pontos de montagem. Entrei na pasta /mnt e criei todos os pontos de montagem.

# cd /mnt
# mkdir aq1 aq2 aq3 aq4 aq5 aq6 aq7 aq8 aq9 aq10 aq11 aq12 aq13 aq14 aq15 aq16 aq17 aq18 aq19 aq20 aq21 aq22 aq23 aq24 aq25 aq26 aq27 aq28 aq29 aq30


Por fim, era preciso configurar o arquivo /etc/fstab, para inserir os pontos de montagem dos compartilhamentos.

# vim /etc/fstab

Segui para o final de arquivo, e adicionei as linhas seguindo o esquema abaixo:

# Compartilhamentos remotos NFS

aquario1:/home/aluno    /mnt/aq1     nfs   defaults,noauto,user    0  0
aquario2:/home/aluno    /mnt/aq2     nfs   defaults,noauto,user    0  0
aquario3:/home/aluno    /mnt/aq3     nfs   defaults,noauto,user    0  0

até chegar na aquario30.

Aí era só configurar o alsamixer, para ajustar os volumes:

# alsamixer

e depois configurar o servidor gráfico e iniciar o KDE.

# dpkg-reconfigure xserver-xfree86
# kdm


Pronto. Já estava com o KDE iniciado e pronto para ser configurado.

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Da necessidade surge a solução
   2. Apresentando o sistema
   3. Instalando a primeira máquina - O sistema
   4. Instalando a primeira máquina - O ambiente gráfico
   5. Instalando a primeira máquina - Configurando os programas
   6. Instalando a primeira máquina - Plugins do Mozilla e as fontes TrueType do Windows
   7. Configurando a máquina principal para a exportação
   8. O momento esperado: instalando as outras máquinas
   9. Considerações finais
Outros artigos deste autor

Por que não migram

Fundamentos do sistema Linux - direcionadores

Criando um repositório local do Fedora

Participe da revista Viva o Linux

Seu Slackware atualizado com SWARET

Leitura recomendada

NagVis - Gestor de mapas pra lá de especial

Instalando Debian direto do HD

Ubuntu + Zoneminder = Solução Livre para CFTV

Linux Mint - Num Lock, Caps Lock e brilho no painel

Eu aprendi!

  
Comentários
[1] Comentário enviado por felipebalbi em 25/11/2004 - 11:50h

Com o comando dpkg --get-selections e um pequeno redirecionamento vc faz isso em menos passos:

Na maquina principal:
1) dpkg --get-selections > pacotes.txt
2) cp pacotes.txt /floppy; cp /etc/apt/sources.list /floppy

Nas maquinas cliente:
3) cp /floppy/* /etc/apt/
4) cd /etc/apt; apt-get update; dpkg --set-selections < pacotes.txt; dselect install

Pronto.
Os pacotes da outra maquina serão todos instalados.
A diferença é que eu somente disse quais pacotes instalar. Não copiei nada, então será necessário baixar tudo de novo. Para quem tem uma boa banda larga, isso não será problema =)

[]'s
Felipe Balbi

[2] Comentário enviado por pop_lamen em 25/11/2004 - 15:54h

Amigo, você falou dum tal script para as fontes truetype, que script seria esse...
Achei meio remoto o artigo, mas valeu a intenção.

[3] Comentário enviado por davidsonpaulo em 25/11/2004 - 16:55h

Caros,

Gostaria da compreensão de todos no sentido de que quando eu desenvolvi essa solução os meus conhecimentos em Shell Scripts eram bem crus. Os procedimentos acima podem ser melhorados e aperfeiçoados, e o que estiver escrito errado poderá ser corrigido.
Caso alguém queira adaptar esse procedimento, estou inteiramente à disposição para ajudar no que for preciso.
pop_lamen, com tanta coisa acabei esquecendo de colocar o link para o script do Lordello, então, segue aí:

http://www.vivaolinux.com.br/artigos/verArtigo.php?codigo=1140&pagina=3

Abraços a todos

Davidson Paulo

[4] Comentário enviado por davidsonpaulo em 25/11/2004 - 17:03h

pop_lamen

Desculpe, eu não entendi a sua pergunta e te passei um link para o script do Lordello, mas não foi isso que você queria ver X)...

O script sistema-instalar está no capítulo http://www.vivaolinux.com.br/artigos/verArtigo.php?codigo=1613&pagina=7

Você não prestou muita atenção. Na página 8, eu disse que o script sistema-instalar estava na página 7... Infelizmente acabei não fazendo um bom esquema de referências cruzadas... acho que pra entender bem o artigo é preciso lê-lo mais de uma vez :(... deculpem a nossa falha...

Abraços

Davidson Paulo

[5] Comentário enviado por franklinbr em 25/11/2004 - 21:32h

bozo !

QUEEEEMMMM MATOU O BOZOOOOO !!!


.
.
.
.
.
.
BOZOOOO TO SAUDADE DE VOCÊÊÊÊÊÊEEEEE

[6] Comentário enviado por dudu_away em 26/11/2004 - 01:43h

Soh uma sugestão: Que tal fazer oq vc quiser em uma máquina apenas, deixar ela prontinha, mesmo que demore um dia inteiro e depois apenas fazer um clone para o HD das outras máquinas?

# dd if=/dev/hda of=/dev/hdc

Lembrando que os HD's devem ser do mesmo tamanho ou o if deve ser menor que o of. outra coisa... Os HD's devem estar posicionados da mesma maneira quanto à BIOS: Se o original é Primary Master, a cópia também tem q ser.... Quanto ao resto do hardware não acredito que tenha muitos problemas, já que o Kernel detecta a maioria no boot....

[]'s
Eduardo

[7] Comentário enviado por dudu_away em 26/11/2004 - 01:45h

So mais uma coisa.... Utilize um LiveCD de preferência para efetuar a operação, para que nenhum dos HD's estejam sendo utilizados...

[8] Comentário enviado por gresslerbwg em 26/11/2004 - 08:51h

Não é necessário reinstalar o Grub após alterar o arquivo /boot/grub/menu.lst (reinstalar só é necessário no LILO). O grub é um gerenciador de inicialização muito flexivel e prático. Todas as alterações no menu.lst já estarão ativadas assim q vc salvar o arquivo e poderão ser notadas no próx boot.

[9] Comentário enviado por davidsonpaulo em 26/11/2004 - 09:48h

dudu_away,

A clonagem não é uma opção mais prática para o caso em que o sistema foi aplicado, porque além de os HDDs não terem o mesmo tamanho e os demais componentes de hardware não serem os mesmos em todas as máquinas, o dd é um recurso demorado e exigiria alterações manuais em cada máquina ao fim do término da clonagem, e, além disso, eu teria que remover o HD de uma máquina para usar o dd. Nada prático e pouco seguro. E mesmo que eu usasse do udpcast, para clonar pela rede, o processo seria mais rápido, mas eu continuaria tendo o restante dos incômodos da clonagem e ainda teria que ligar as máquinas com um cabo crossover, para a cópia ser rápida.

Gresslerbwg,

Obrigado pela observação. Recentemente eu tinha visto que não era preciso reinstalar o GRUB, mas somente alterar o /boot/grub/menu.lst. Acabei nem lembrando de corrigir esse detalhe no artigo, que já estava na fila de espera. Ainda bem que é só uma redundância...

Não exitem em dar sugestões como o felipebalbi e o dudu_away nem de apontar erros como o gresslerbwg. São eles que aumentam a qualidade dos artigo publicados aqui no VOL.

Abraços,

Davidson Paulo

[10] Comentário enviado por accensi em 26/11/2004 - 12:14h

Para evitar baixarde novo, exitem algumas alternativas, copiar o arquivos, criar um mirror do debian, usar um proxy. No repositório do Debian aparecem apt-mirror, apt-cache, apt-proxy. Nenhum deles é um proxy verdadeiro e exigem alterações de certa monta na configuração do apt.

Depois de muitos testes, algumas frustrações, consegui um programa que é um proxy verdadeiro, com um cache permanente, que segue aestrutura de um mirror e só exige adefinição de um proxy no apt.conf ou variável http_proxy no environment. O importante é que simples de instalar e usar e funciona realmente!

Link: http://gertjan.freezope.org/replicator/


[11] Comentário enviado por mgm em 29/11/2004 - 09:03h

Uma dica para melhorar futuramente seu laboratório: você poderia também por para rolar o apache em alguma das maquinas, baixando todo o mirror do Debian (http://linux.iq.usp.br/debian/) sendo assim, no caso de atualização de pacotes, você teria que baixar pela net de todas as máquinas, apenas atualizar seu mirror local

;-)

Muito legal seu artigo,
Parabéns

----------------------------
Mateus Godoi Milanez
milaneza@gmail.com
http://mail.grad.icmc.usp.br/~mgm/

[12] Comentário enviado por xthiagox em 16/12/2004 - 21:15h

Tentei dar o boot pelo cdrom do debian-br para iniciar instalação, porém ao dar ENTER... é exibido erro de ACPI e o sistema para de iniciar...

Na placa mãe tem uma opção relacionada a ACPI.. mas não tem opção de desativar, como é comum.

PC Celeron 733 512 RAM
quem pode ajudar?

thiagox@linuxmail.org

[13] Comentário enviado por FelipeAbella em 26/12/2005 - 18:16h

Também pode copiar o sistema todo para um HD portatil, na instalacao do debian eu vi a opcao copiar HD, e repassar para todas as maquinas, e fazer as devidas configuracoes(grub, etc...)

Eu sou iniciante, se estiver errado, pro favor me corrijam!

[14] Comentário enviado por dony em 06/01/2006 - 01:20h

Complementando e expandindo o que felipebalbi disse la em cima, não é necessário ficar comendo banda de link externo e nem fazer repositórios (que da trabalho pacas!!!).
É muito simples... como você ja baixou os pacotes na primeira maquina via apt, todos eles inclusive as dependências dos pacotes estão no diretório cache do apt em /var/cache/archives , ai fica fica moleza... é só copiar o conteudo ou se você quiser montar ja via nfs o cache da primeira maquina e mandar um dpkg -i *.deb ou até mesmo um apt-get no ip da maq local (possibilidade a ser testada!) e ai está tudo prontinho rapidinho no quesito instalação de pacotes, pois a replicação é local e fica bom até mesmo pra quem vai instalar muito mais pacotes do que foi exemplificado.Valeu "Conhecer e compartilhar"

[15] Comentário enviado por nickmarinho em 22/05/2006 - 07:10h

Eu adorava o Bozo.
:(

www.lucianomarinho.com.br

[16] Comentário enviado por mbsalgueiro em 19/02/2007 - 01:15h

Cara mto bom o artigo esta de parabens!!! e vou usar a base de seu script para o Ubuntu,pq no meu trab tb tenho q instalar o ubuntu em varias maquinas e estava com preguica de escrever um!! Assim q tiver as auteracoes vou posta-las aqui, para que outras pessoas q tenhao a necessidade como tive e o nosso amigo dessa artigo tb teve possa COMECAR A MIGRACAO!!!!!!!!!!!!!!
Abraco fui

[17] Comentário enviado por lsilveira em 07/08/2007 - 10:58h

eu tenhu em um hd instalado o xp e o kubuntu so que preciso instala o debian para fazer uns testes e quando vou instalar ele da problema para instalar o ambiente desktop por causa da placa de video !!! alguem sabe oq fazer ???
obrigado

[18] Comentário enviado por nickmarinho em 07/08/2007 - 15:27h

Procure pelo seu driver correto de video que nao tem erro.

Se precisar compile um kernel, pois acho que isso pode resolver.

Abraços.


www.lucianomarinho.com.br
www.racaboxer.com.br


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts