Fedora: Gerenciando Serviços

Este artigo deve iniciar uma série de artigos que desejo fazer sobre a distribuição Fedora. Primeiro tratando de como funciona a gerência de serviços nesta distribuição. Para os testes utilizo a versão 8 do Fedora.

[ Hits: 51.419 ]

Por: Vanderson Gonçalves em 19/02/2008


Inicialização e níveis de execução



Um serviço é um conjunto de um ou mais programas que precisam estar rodando para que uma determinada atividade possa ser executada. Por exemplo, para que um usuário possa acessar um página em um site é necessário que o serviço de http esteja funcionando na máquina que hospeda este site.

Serviços são executados em segundo plano e em sua maioria iniciam essa execução juntamente com a inicialização do sistema operacional.

Após o início da execução do kernel, o primeiro processo a ser executado é o "init", este processo é conhecido como "pai de todos os processos", pois todos os processos que serão executados se originam nele. No Fedora o processo "init" procura as instruções para a sua execução no arquivo "/etc/rc.d/rc.sysinit".

Concluída a execução deste script, o "init" utiliza o arquivo "/etc/inittab" para saber como inicializar o Fedora. Assim como o Red Hat, o Fedora se baseia no método System V para gerenciar serviços, este método é baseado em níveis de execução, desta forma cada nível de execução determina que serviços de sistema estarão rodando quando for concluída a inicialização.

Mas quais níveis de execução existem e o que eles realmente significam?

Nível 0: Este nível de execução é utilizado para desligar o sistema.

Nível 1: Este nível é o modo de manutenção ou resgate, oferecendo um sistema básico, sem rede, servidor X, nem acesso multi-usuário.

Nível 2: Este nível de execução é idêntico ao próximo(nível 3), a diferença é que não há nenhum serviço de conexão à rede.

Nível 3: Neste nível, um dos mais importantes(senão o mais importante), o Fedora é inicializado em modo texto, com conexão à rede e capacidade multi-usuário.

Nível 4: Este nível de execução é indefinido, mas pode ser usado para inicializar o sistema em um estado personalizado.

Nível 5: Este nível de execução é o ideal para computadores usados como Desktop, pois oferece além de conexão à rede e capacidade multi-usuário, um ambiente gráfico.

Nível 6: É utilizado para reinicializar o sistema.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Inicialização e níveis de execução
   2. Alterando entre níveis de execução
   3. Serviços e ferramentas
   4. Iniciando e parando serviços
   5. O que pode ser desabilitado?
   6. Conclusão
Outros artigos deste autor

Servidor Samba como PDC

DNS com BIND

Leitura recomendada

Inicialização e interrupção do sistema (Debian)

Usando variáveis de ambiente

Guia Introdutório do Linux VI

Como utilizar o Kurumin dentro de uma única partição Windows

Afinal, qual a melhor distribuição?

  
Comentários
[1] Comentário enviado por budbadi em 19/02/2008 - 17:12h

Muito bom seu artigo!!!

me ajudou muito!!

abraços!

[2] Comentário enviado por coffani em 20/02/2008 - 22:48h

Simples e objetivo, para iniciantes é um prato cheio...

Bela contribuição.

[3] Comentário enviado por tasilva em 08/03/2009 - 02:24h

Parabéns pelo post cara, sempre usei Debian e resolvi mudar pro Fedora pois a empresa que trabalho tranalha com fedora e red hat, quando eu instalei o postgree e ele não inicializava achei que o fedora estava com problema pois não conhecia os métodos de inicialização de serviços, valeu pelos conhecimentos, mandou muito bem, com um post prático e objetivo. Parabéns

[4] Comentário enviado por tasilva em 16/03/2009 - 11:41h

vnderson, vou somente fazer uma resalva no seu ótimo artigo, decobri que o ntsysv altera a inicialização de serviços em outros níveis, ou seja, ele não altera somente o modo de inicialização dos serviços do nível que está em execução, na prática:

# ntsysv --level 345

Depois de executar esse comando ele abre o gerenciador com os serviços, igual quando vc roda pro nível atual, então vc desabilita e pode conferir o status de inicialização do serviço assim:

# chkconfig --list
apmd 0:off 1:off 2:on 3:on 4:on 5:on 6:off
lvm2-monitor 0:off 1:on 2:on 3:on 4:on 5:on 6:off
tog-pegasus 0:off 1:off 2:off 3:off 4:off 5:off 6:off
postfix 0:off 1:off 2:on 3:off 4:off 5:off 6:off
messagebus 0:off 1:off 2:off 3:on 4:on 5:on 6:off
acpid 0:off 1:off 2:off 3:on 4:on 5:on 6:off
portmap 0:off 1:off 2:off 3:on 4:on 5:on 6:off
mdmonitor 0:off 1:off 2:on 3:on 4:on 5:on 6:off
lm_sensors 0:off 1:off 2:on 3:on 4:on 5:on 6:off
readahead 0:off 1:off 2:off 3:on 4:on 5:on 6:off
irqbalance 0:off 1:off 2:off 3:on 4:on 5:on 6:off
rpcidmapd 0:off 1:off 2:off 3:on 4:on 5:on 6:off
microcode_ctl 0:off 1:off 2:on 3:on 4:on 5:on 6:off
netdump 0:off 1:off 2:off 3:off 4:off 5:off 6:off
dc_server 0:off 1:off 2:off 3:off 4:off 5:off 6:off
vsftpd 0:off 1:off 2:off 3:off 4:off 5:off 6:off
nfs 0:off 1:off 2:off 3:off 4:off 5:off 6:off
NetworkManager 0:off 1:off 2:off 3:off 4:off 5:off 6:off
cups 0:off 1:off 2:on 3:on 4:on 5:on 6:off
psacct 0:off 1:off 2:off 3:off 4:off 5:off 6:off
nscd 0:off 1:off 2:off 3:off 4:off 5:off 6:off
named 0:off 1:off 2:on 3:on 4:on 5:on 6:off
winbind 0:off 1:off 2:off 3:off 4:off 5:off 6:off
crond 0:off 1:off 2:on 3:on 4:on 5:on 6:off
rawdevices 0:off 1:off 2:off 3:on 4:on 5:on 6:off
netplugd 0:off 1:off 2:off 3:off 4:off 5:off 6:off
pcmcia 0:off 1:off 2:on 3:on 4:on 5:on 6:off
saslauthd 0:off 1:off 2:off 3:off 4:off 5:off 6:off
arptables_jf 0:off 1:off 2:on 3:on 4:on 5:on 6:off
tux 0:off 1:off 2:off 3:off 4:off 5:off 6:off
autofs 0:off 1:off 2:off 3:on 4:on 5:on 6:off
wpa_supplicant 0:off 1:off 2:off 3:off 4:off 5:off 6:off
auditd 0:off 1:off 2:off 3:off 4:off 5:off 6:off
netfs 0:off 1:off 2:off 3:on 4:on 5:on 6:off
rwhod 0:off 1:off 2:off 3:off 4:off 5:off 6:off
sshd 0:off 1:off 2:on 3:on 4:on 5:on 6:off
dovecot 0:off 1:off 2:off 3:off 4:off 5:off 6:off
openibd 0:off 1:off 2:on 3:on 4:on 5:on 6:off
anacron 0:off 1:off 2:on 3:on 4:on 5:on 6:off
isdn 0:off 1:off 2:on 3:on 4:on 5:on 6:off
rdisc 0:off 1:off 2:off 3:off 4:off 5:off 6:off
nfslock 0:off 1:off 2:off 3:on 4:on 5:on 6:off
xinetd 0:off 1:off 2:off 3:on 4:on 5:on 6:off
gpm 0:off 1:off 2:on 3:on 4:on 5:on 6:off
dc_client 0:off 1:off 2:off 3:off 4:off 5:off 6:off
mdmpd 0:off 1:off 2:off 3:off 4:off 5:off 6:off
syslog 0:off 1:off 2:on 3:on 4:on 5:on 6:off
ipmi 0:off 1:off 2:off 3:off 4:off 5:off 6:off
kudzu 0:off 1:off 2:off 3:on 4:on 5:on 6:off
httpd 0:off 1:off 2:off 3:off 4:off 5:off 6:off
network 0:off 1:off 2:on 3:on 4:on 5:on 6:off
squid 0:off 1:off 2:off 3:off 4:off 5:off 6:off
readahead_early 0:off 1:off 2:off 3:on 4:on 5:on 6:off
iptables 0:off 1:off 2:on 3:on 4:on 5:on 6:off
haldaemon 0:off 1:off 2:off 3:on 4:on 5:on 6:off
cpuspeed 0:off 1:on 2:on 3:on 4:on 5:on 6:off
rpcgssd 0:off 1:off 2:off 3:on 4:on 5:on 6:off
diskdump 0:off 1:off 2:off 3:off 4:off 5:off 6:off
irda 0:off 1:off 2:off 3:off 4:off 5:off 6:off
xfs 0:off 1:off 2:on 3:on 4:on 5:on 6:off
ypbind 0:off 1:off 2:off 3:off 4:off 5:off 6:off
rhnsd 0:off 1:off 2:off 3:on 4:on 5:on 6:off
bluetooth 0:off 1:off 2:off 3:off 4:off 5:off 6:off
atd 0:off 1:off 2:off 3:on 4:on 5:on 6:off
smartd 0:off 1:off 2:on 3:on 4:on 5:on 6:off

O mesmo aplica-se a ferramenta chkconfig:

# chkconfig --level 345 postfix off

Abraços


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor HostGator.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Viva o Android

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts