Facilidade X Possibilidades

Uma discussão muito forte no mundo GNU/Linux é sobre a questão da facilidade de uso do sistema. Muitos condenam o Linux por ser muito difícil, outros por sua vez abençoam o Linux por sua facilidade, enquanto que alguns louvam sua dificuldade. Mas afinal, o Linux é fácil ou difícil? É bom ele ser fácil? É bom ele ser difícil?

[ Hits: 29.405 ]

Por: Fernando de Sá Moreira em 03/08/2006 | Blog: http://lattes.cnpq.br/2269235326367932


Afinal, o Linux é fácil?



O real significado dessa pergunta é: O Linux é uma alternativa viável ao Windows (no uso pessoal como desktop)? À essa questão eu vou responder em 2 tempos:

1. Numa visão geral da média das distribuições: Não. O Linux não é fácil. Em aproximadamente 4 anos que uso o Linux, tive várias recaídas e voltei a usar produtos da Microsoft, principalmente no início (Há cerca de 1 ano não uso nada fora do Linux).

Isso aconteceu pois não tive nenhum apoio para o aprendizado, senão algumas apostilas tiradas da internet. Essa é a situação de milhares (possivelmente milhões de usuários de computadores): ter que aprender sozinho a manipular o bicho. A própria instalação de softwares é meio complicada para os iniciantes: pacotes .deb, .rpm e .tar.gz, compilar códigos-fonte são conceitos complexos (mais complexos do que os usados no Windows), o que acaba desencorajando vários usuários.

O uso intensivo de linhas de comando também é um empecilho para vários usuários, todavia é um método muito prático de alçar resultados dependendo da operação desejada se você já possui os conhecimentos necessários.

Todavia, o Linux é um produto de alta qualidade, com inúmeras possibilidades, e seu uso corporativo me parece muito viável: Facilita o controle por parte dos administradores, pois dificulta o usuário de fazer cagadas; O usuário não precisa ter um grande conhecimento do sistema para usá-lo depois de corretamente configurado pelos técnicos; entre outros vários motivos. Mas, para uso doméstico, o Linux ainda é muito difícil.

2. Pensando mais profundamente o conceito de Distribuição e Comunidade: Há duas características no Linux que, em parte, o permite ser considerado uma alternativa desktop viável, sem que com isso anule, como um todo, o conjunto de suas possibilidades (incluindo as grandes inovações) e sua qualidade: o conceito de comunidade e em sua conseqüência, o conceito de distribuição.

Quando falo sobre comunidade, estou me referindo ao software livre e ao incontável número de pessoas que contribuem com ele. Em verdade, as distribuições são apenas conseqüência da comunidade. Como o número de programadores da Microsoft é reduzido, quantidade de investimentos em visual, facilidade, possibilidades, inovações, etc, também é reduzido.

Quando pensamos no mundo Linux essa situação se inverte: enquanto um grupo de colaboradores trabalha em função de facilitar as coisas, criando scripts, assistentes, menus e painéis, outros trabalham para aumentar a segurança, e assim em todas as áreas possíveis. Isso cria um clima de experimentalismo muito grande no Linux, donde surge a capacidade de apresentar inovações.

Como a integração de novas tecnologias é mais rápida do que nos produtos proprietários, surgem assim distribuições que focam a facilidade de uso, mas que não ficam para trás quanto a segurança, pois incorporam tecnologias desenvolvidas em distribuições que focam a segurança. Isso permite ao Linux, como um todo, ter qualidade/possibilidades e facilidade ao mesmo tempo, bastando ao usuário fazer a escolha da distribuição que melhor lhe suprir as necessidades.

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Facilidade X Possibilidades
   3. Então a Informática tem que ser difícil?
   4. Inovação e facilidade no Windows
   5. Afinal, o Linux é fácil?
   6. Conclusão
Outros artigos deste autor

Mrxvt x Gnome-Terminal x Konsole

Encarando o DGuitar

Uma geral acerca do WindowMaker

Sucata - Que SO usar em PCs antigos?

Usa Firefox? Expanda-o

Leitura recomendada

Diferenças postas à mesa

Mais uma análise entre Windows e Linux

A Licença Pública Geral GNU (mais sobre)

GNU/Linux: O que é e quem pode usar?

Porque acho que verei um Windows com kernel Unix até 2012

  
Comentários
[1] Comentário enviado por thyagofs em 03/08/2006 - 15:15h

Pensamento interessante. Valido para leitura ...
Mas ainda insisto que o Linux só nao tem mais adeptos por consequencia da cabeça fechada de certos administradores e diretores de TI.

[2] Comentário enviado por rasxr3 em 03/08/2006 - 17:11h

É muito bom ver artigos como esse, onde o cara defende uma postura diferente daquela que mais lembra desenhos animados onde a frese principal dos vilões é "nó vamos dominar o mundo". O linux não nasceu para dominar o mundo, nem para combater a Microsoft (na realidade eu penso que o linux não nasceu, aconteceu). Nós devemos nos contentar em usar o sistema, pois ele satisfaz nossas necessidades, sem contudo, ficar tentando evangelizar o próximo.

O autor expressou uma opnião muito próximo do que penso desde que comecei a usar linux. Está de parabéns pelo artigo.

Mais importante que ficarmos nos gabando das qualidades do nosso sistema é entendermos seus defeitos para assim melhora-lo. Espero não ser mau compreendido.

[3] Comentário enviado por Radiske em 03/08/2006 - 19:38h

Muito bom seu artigo blehhh, o li com muita calma para procurar todo o entendimento na matéria.
Leio vários artigos aqui e não costumo comentar, mas esse veio muito bem.
Assim como o comentarista, sei que o linux não é o sistema ideal de Desktop para uso doméstico, salvo se a pessoa tem interesse em aprender, mas mesmo assim, fica um pouco difícil.
Trabalho em uma empresa, onde sou administrador de TI e faço o que posso para mostrar as pessoas as vantagens do linux, mas fica difícil quando estão bitoladas no windows e querem que os mesmo programas rodem no linux, ainda que eu as diga que o jogo de paciência do linux é melhor.
Perdi as contas de quantos compraram os PCs do governo que vem com linux e tiram para colocar windows.
Mesmo assim, sou um fã do linux, usei várias distros e hoje não largo o slack. Uso-o no CPD onde trabalho.

A importância disso tudo é de não ficarmos bitolando as pessoas que o linux é melhor para todo mundo e tal, mas sim que ele é um sistema melhor equipado e com funcionalidades bem melhores que o windows, basta saber usá-lo.

Meus parabéns!

[4] Comentário enviado por FMC em 03/08/2006 - 21:32h

Gostei do artigo, ponto de vista bem claro e objetivo.

Mesmo assim deixo aqui minha opinião contrária:

Windows não é fácil de usar!!!!!!!!
Agora explico.
Ao instalar o Windows em sua máquina você já deve ter claro conhecimento dos seguintes softwares:
Firewall;
Anti-vírus;
Anti-spyware (anti-adaware);
Windows Update;
e
Drivers.

Numa boa, mas ao meu ver nenhum destes softwares faz o menor sentido para o usuário leigo, imagine você:
Muro de fogo????????
Vacina???????? é gripe????????
Ad o que???? ware?????? hãããã tem alguém me espionando???
Eu acabei de instalar e já tenho que instalar??? que saco!!!!
Motoristas???? vão dirigir o que? isso aqui é um PC e ainda não instalei nenhum jogo!!!!!!!!!

Bem, isso é uma visão que pode parecer radical, mas é a infeliz realidade.
Como dito no próprio artigo, informática é complicado, não adianta querer que um computador seja tão simples quanto uma geladeira.

Pois bem, instale um Ubuntu da vida na sua máquina e não terá que se preocupar com boa parte dos softwares ironizados acima (com um pouco de sorte devido aos soft-modens, mas de resto tudo provavelmente será identificado)!!!

Ao meu ver as pessoas acham o Windows muito simples, mas isto não é bem assim, voltamos então a velha questão do "costume"! Acham simples por estar acostumados! Vejam, sou mais um destes, acho Linux simples por estar acostumado com ele! :-D

Fica a crítica construtiva,

Abraços, FMC!

[5] Comentário enviado por kidoidera em 04/08/2006 - 10:44h

Muito boa a matéria do amigo Blehhh ....
Leitura que recomendarei a todos ....

No meu ponto de vista .. sim o linux é muito dificil .. mais o windows tbm não deixa de ser .... Para um instalação é necessário ter um pouco de conhecimento de hardware, drivers, partições .. dependendo da versão até um pouco de prompt de comando como um simples fdisk .. senaum a instalação não rola.

Ai me pergunto ... quando um usuário padrão compra um PC do governo ao qual já vem com o sistema (linux) instalado qual motivo o leva a colocar o windows. Se para isso normalmente uma outra pessoa (normalmente um TI ou até um amigo tem que faze-lo?

Deixo a pergunta no ar.

[6] Comentário enviado por eei em 04/08/2006 - 11:30h

Parabéns mto lega essse seu documento.

[7] Comentário enviado por removido em 04/08/2006 - 15:21h

Gostei da visão sobre os níveis de usuários. Outra coisa legal que o autor deixou claro no final. O importante é a evolução do software, visando as pessoas, e não um software específico. Eu perticularmente acredito que tanto Linux como Windows têm qualidades louváveis, só depende de quem usa o computador.

[8] Comentário enviado por rasxr3 em 04/08/2006 - 16:34h

Me sinto obrigado a salientar alguns pontos acima mencionados. Se você for instalar um Mandriva ou fedora, dificilmente será mais complicado que uma instalação típica do Windows XP. E, principalmente você não corre o risco do CD que veio com a placa mãe estar arranhado e você não ter acesso ao driver da placa de rede, que seria o mínimo necessário para você acessar o site do fabricante da placa mãe pra pegar os outros drivers (hehehe, essa é triste, já aconteceu comigo).

No meu Gentoo 64 bits tenho tido problemas com o alsa e com o k3b, já no windows 64 bits minha samsung digimax é que não é reconhecida. Ou seja, a esperança é que com o lançamento do vista surja um produto indiscutivelmente melhor do que existe hoje no mercado (me refiro à microsoft) alavncando e encorajando desenvolvedores linux a melhorar ainda mais os seus sistemas também. Nessa guerra quem ganha é sempre o usuário!

[9] Comentário enviado por clayton.ricardo em 04/08/2006 - 18:26h

Artigo d responsa blehhh!!! Show mesmo!!!

[10] Comentário enviado por fernoliv em 04/08/2006 - 19:11h

Excelente artigo! O meu ponto de vista é muito parecido com o do autor.

Parabéns,

Fernando.

[11] Comentário enviado por rafagil em 05/08/2006 - 11:14h

É como eu sempre digo....
Clicar em icones ne desktop é facil, tanto no windows quanto no linux, agora intalar o sistema e configura-lo para obter o maximo da maquina naum é fácil, tanto no windows quanto no linux.

Se o windows fosse realmente tão fácil de usar/configurar, qq pessoa poderia instala-lo sem a necessidade de um técnico para isso. mas naum eh isso que a contece.

Penso da seguite forma:
Uma vez estando todo o sistema configurado, seja ele linux windows macOS FreeBSD e etc.. qq usuário será capaz de utiliza-lo, porem para configura-lo de maneira adequada eh necessário(e sempre será) uma pessoa q entenda do assunto.

[12] Comentário enviado por freakcode em 07/08/2006 - 00:27h

Artigo muito bem escrito.

Concordo em pontos com o seu texto.

Porque ter parte ( um produto feito por uma empresa ) quando se pode ter tudo ( um produto feito por uma comunidade internacional )?

Olha lá, não estou falando da empresa X, ou produto Y. Falo no geral.

O futuro é software-livre, os ultimos anos estão aí para comprovar, o estouro que a comunidade teve no desenvolvimento é maior do que qualquer empresa pode alcançar.

[13] Comentário enviado por xALEXANDRE em 15/08/2006 - 20:23h

Isso é muito relativo, depende do uso final.
Cada OS tem uma vantagem para cada área.
Cada OS tem sua facilidade em cada termo.
Cabe a cada um escolher qual seguir e sem pressão.
O que me fascina no linux é o aprendizado, a cada passo é mais conhecimento, ensina de verdade. Mas como o povo brasileiro anda meio preguiçoso preferem facilidade à conhecimento.

[14] Comentário enviado por gomes-fdr em 07/12/2006 - 08:58h

Gostei muito do artigo, gostaria de deixar uma nota a respeito.
Concordo com o comentário "computadores não são tão simples quanto geladeiras", grande metáfora acrescentaria o seguinte "mas podem vir a ser". Uma outra coisa que as pessoas não levam em consideração em relação a facilidade de uso dos produtos da Microsoft está no número de instalações piratas que muitos técnicos fazem. Deixando qualquer hipocrisia de lado, a grande maioria é "acostumada" a usar Microsoft(como foi dito em comentários anteriores) - estes incentivadores de pirataria estão dando tiro no pé - Poderiam estar ganhando uma boa grana(legalmente gerando emprego e renda) trabalhando com prestação de serviços em software livre, deixando desktops mais amigáveis para o grande publico por exemplo - sabemos que a maioria quer apenas um editor de texto, uma planilha de calculo, ver filmes, escutar uma musiquinha e navegar na web - Convenhamos o pinguim ou vários outros nix fazem isso com um pé nas costas, bastaria que esse mesmos multiplicadores de de crimes passassem para o lado preto e branco da força.

Saudações a todos.

[15] Comentário enviado por landex em 06/06/2010 - 17:27h

Bem legal este artigo. E eu não acho o Linux dificil, ele fica de acordo com o usuário. Para as tarefas básicas ele é bem melhor e mais rápido que muitos concorrentes.


Contribuir com comentário