Bom dia, é compatível com Linux?

Foi com esta frase que pude perceber o quanto o Linux ainda é desconhecido por maior parte das pessoas, inclusive integradores de hardware (vendedores). Neste artigo descrevo o por quê.

[ Hits: 19.811 ]

Por: Perfil removido em 27/02/2008


A "Epopéia" iniciada



"Bom dia, é compatível com Linux"?

Foi com esta frase que pude perceber o quanto o Linux ainda é desconhecido por maior parte das pessoas, inclusive integradores de hardware (vendedores).

O Linux como todos nós sabemos é um sistema muito superior ao Windows na parte de servidores, como por exemplo temos o Slackware, o Debian, o Mandriva, entre outros e está encaminhando-se para se tornar também o padrão em Desktops, exemplificando a distribuição Ubuntu, Kurumin e outras, seja ela com o Desktop padrão Gnome ou KDE. Pode levar um tempo sim, mas é certo que irá se tornar.

Mas abstendo-se um pouco desta parte, este artigo visa demonstrar o quanto o Linux ainda é desconhecido pela maior parte da população, isso mesmo, ainda é desconhecido este fascinante "mundo novo" para muitos e vou exemplificar o por quê contando um pouco de minha história logo a seguir:

Tudo começou ano passado, mais precisamente no dia 07/12/2007 quando decidi "abandonar" meu leitor de disquetes e comprar um multi-leitor de cartões, leitor no qual é possível ler cartões SD, MMC, Compact Flash (entre outros) e já sabendo que o mesmo já possuía suporte no GNU/Linux, havia então decidido comprá-lo, mas antes tive uma curiosidade tremenda, pois sabendo que certos "vendedores" de hardware, chamados gentilmente pela Microsoft de "integradores de hardware" são de certa forma "entendidos" no assunto, decidi então fazer a pergunta que não quer calar, que é o tópico de nosso artigo.

Comecei na primeira loja:

"Bom dia meu amigo(a), este leitor é compatível com GNU/Linux?"

E o mesmo me olhou com uma cara de espanto (que só assaltado é capaz de fazer) e disse:

"É compatível com Windows!"

Na segunda loja, decidi mudar um pouco a pergunta, foi demais para uma pessoa "versada" em Windows ouvir GNU/Linux (talvez nem saiba o quê é...) e perguntei novamente:

"Bom dia, é compatível com Linux?"

A mesma cara de espanto e a mesma resposta, só que um pouco diferente:

"Com Windows sim, mas 'Lizux' o que é?"

Confesso que depois dessa foi me segurar para não rir, mas com minha paciência de Jó expliquei o que era Linux para ouvir a resposta "não"! (embora sabendo desde o princípio que seria esta a resposta).

Foram no total de 7 lojas com as mesmas respostas, tive a conclusão que ninguém sabe o quê Linux realmente é, acabei comprando o leitor e explicando para o lojista ("integrador de hardware") que se alguém fosse comprar e fizesse a mesma pergunta, para falar que era compatível com Linux sim ( se é que alguém fora perguntar se era compatível com Linux nestas lojas).

Na segunda vez fui comprar um monitor LCD de 14", só que em outro lugar (Centro da Cidade do Rio de Janeiro), já havia pesquisado e já sabia que suportava Linux perfeitamente. Em um lugar chamado por muitos de Prédio Avenida Central, é como se fosse a Rua Santa Efigênia para os paulistas que compram hardware neste local, daí pensei: "Será que dessa vez tenho sorte com a minha pergunta agora?".

E lá vou eu, dessa vez não foram 7 lojas e sim 20 no total, isso mesmo, 20 lojas e por incrível que pareça, ninguém sabia se o monitor era compatível ou não, a resposta foi unânime e desanimadora para quem curte Linux: "É compatível com Windows!", dá até para pensar que é brincadeira, mas é esta a situação para quem pergunta este tipo de coisa, acabei comprando o monitor, mas ainda muito surpreso com o acontecido.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. A "Epopéia" iniciada
   2. A vendedora e o "troll"
   3. Triste conclusão?
Outros artigos deste autor

Instalando o Gentoo Linux através do live-cd do Ubuntu

Oracle 9i, Apache e PHP

XL - Ferramenta de gerenciamento Xen - Parte I

Utilizando GMail (Google Mail) em seu cliente de email favorito

DownThemAll: O melhor gerenciador de downloads no Linux

Leitura recomendada

Software Livre e a liberdade de aprender

O porquê de um Linux brasileiro

O grito!

Mamãe mandou eu escolher esse daqui... será?

Sociedade Software Livre

  
Comentários
[1] Comentário enviado por f_Candido em 27/02/2008 - 11:55h

Interessante. Mas é uma triste realidade. Como li em algum lugar, "Não existe patch para estupidez humana".

Abraços

[2] Comentário enviado por edupersoft em 27/02/2008 - 12:23h

1. Muitos destes promotores de vendas não são técnicos, eles vendem computadores, televisores, liqüidificadores ou que mandar. Dão um roteiro para ele com a descrição do que estão vendendo, eles decoram e acabou.

2. Quem faz este roteiro para o promotor de vendas, ainda não está preocupado com quem consome linux, prefere abrir mão deste consumidor e evitar qualquer dor de cabeça futura, isto é notório. Outro dia meu sogro comprou um micro pelo submarino que veio com ubuntu. Ligou na telefônica para configurar o speedy, sabe o que disseram para ele? Que o speedy não funciona com linux para ele mudar para windows, como pode? Este tipo de coisa já ouvi do meu banco quando reclamei que o site do banco não funcionava no firefox, mandei diversos emails reclamando, depois de alguns meses passou a funcionar. Lógico que não foi a minha reclamação que fez com que eles se preocupassem com isso, mas muita gente deve ter reclamado e ai eles foram atrás de uma solução. Conforme mais usuários linux aparecerem nestas lojas perguntando se "é compatível com linux", o roteirista vai melhorar o roteiro, pode crer, perder venda é o que ninguém quer.

3. Muitos promotores de vendas, são integradores de verdade, no entanto conhecem Windows, provavelmente tornaram-se usuários avançados no Windows, talvez até fizeram uma faculdade ou um curso técnico, mas não estão afim de aprender nada novo, para eles é melhor o linux ser uma porcaria, e desaparecer da face da terra, assim eles não precisam aprender nada e começar do zero de novo, com humildade e paciência. Estes são problema, porque são formadores de opinião e não estão apenas nas lojas de departamento, estão atuando como prestadores de serviços de TI. Tem muita crítica inteligente contra o linux, ou a favor do windows, assim como ao contrário também, o que complica, são pessoas que falam sem conhecimento de causa, ou pelo fracasso pessoal com o linux ou porque leram em algum lugar o que estão repetindo. Isto é que é complicado.

[3] Comentário enviado por edupersoft em 27/02/2008 - 12:25h

Só para completar, discordo f_candido, para mim "Existe path para a estupidez humana", só não conseguimos controlar, como, quando, onde e principalmente "se", ele será instalado.

[4] Comentário enviado por fmpfmp em 27/02/2008 - 12:41h

Amigo, sejamos realistas. O mercado não vai se preocupar com a compatibilidade de seus produtos com um sistema usado por uma minoria ínfima de usuários. Antes de você comprar qualquer produto é você que precisa saber se este é ou não compatível com Linux. A maioria dos vendedores só está ali pra vender mesmo, conhecimentos técnicos é coisa pra poucos.

[5] Comentário enviado por m4tri_x em 27/02/2008 - 12:54h

Artigo legal, parabéns...

minha opinião é o seguinte, todos sabemos que instalar uma versao do windows XP em um computador e vender depois, (para pequenos empreendedores) é perder dinheiro, a licensa do windows é muito cara, e a concorrencia é muito grande, sem falar que a maioria dos concorrentes instalam versões piratas e vendem para o consumidor, e o custo do windows XP original + o hardware adiquirido fica muito mais caro doque o hardware + a versao piratona...

muitas empresas já estao vendendo seus equipamentos com o linux instalado...

acho que com um pouco de calma tudo vai fikar melhor...
assim que a maioria das grandes empresas aderirem a ideia as médias e pequenas também vão aderir,

seria uma boa, a possibilidade de divulgação da empresa atraves das instalações do linux nos equipamentos é muito boa e esta crescendo...
muitas empresas jah vendem os equipamentos com o linux personalizado, mto legal....
quando descobrirem essa ferramenta acho que as coisas vao mudar muito...

minha ideia é baseada num conhecimento limitado que ainda nao atualizei sobre comercio de computadores...


[]'s

[6] Comentário enviado por scoob em 27/02/2008 - 13:41h

Gostei da idéia...que tal se todos quando forem comprar hardware fizermos esta pergunta?...

Uma vez fui comprar um pen-drive (logo quando saiu a moda das memoriazinhas) pela internet e perguntei ao vendedor se era compatível com linux (isso foi no tempo que a gente tinha de montar o negócio que nem macho, olhando a saída do dmesg, subindo o ohci/uhci na unha e montando as partições manualmente).

Recebi a sincera reposta de que ele não sabia se era compatível porque não havia testado (mas pelo menos sabia o que era Linux, que existia)...

Comprei e depois enviei um tutorial detalhado para o cara ensinando como montar e usar no Linux e disse que se alguém perguntasse, para enviar o tutorial para pessoa.

O vendedor ficou feliz e agradecido e me ofereceu até um desconto na próxima compra... :>))

[7] Comentário enviado por albertguedes em 27/02/2008 - 13:52h

Você está denotando o segundo passo na existência do Linux.
O primeiro é o reconhecimento do mercado do mesmo como um software de qualidade e pronto para uso corporativo. E isso foi feito com a horda de usuarios academicos que sairam da faculdade conehcendo o Linux e foram trabalhar para as empresas e proporam o uso do bichinho, e também da grande divulgação de comunidades sérias e reconhecidas.
Notem, sem marketing comercial de nada.
O segundo passo é a passagem do meio corporativo para o povão, que vai acontecer aos poucos, pois nem que todas as lojas tenham um geek para vender vai convencer as pessoas leigas a usar o Linux se não tiver uma nova propaganda que o Linux seja tão fácil de usar quanto qualquer outro SO.
Mas propaganda não é o bastante se as distros não se preocuparem com o usuario final comum, pois mesmo sendo de graça, as pessoas trocam o Linux nos computadores que vem com o mesmo, exatamente por não conseguirem usar, ou por certos programas não existirem para Linux.( Até que o wine ajuda, mas pede para um leigo usar o wine.)
Não podemos alegar que seja "preguiça de aprender coisas novas" por que usuario final não devia ter que aprender nada, eles só deviam ligar o computador e começar a usar.
Eles não são técnicos, são gente comum, os técnicos existem e são pagos para facilitar a vida dessa gente, e não o contrário.
Quem tem preguiça são o próprios técnicos sem imaginação que não conseguem desenvolver sistemas de fácil uso, acham que o mundo gira em volta deles.
Eu mesmo por exemplo sou capaz de usar o Linux completamente em terminal sem precisar de um X (até gosto de trabalhar só em terminal), mas não dispenso nenhuma facilidade que me chegue as mãos, uso Gnome, o Nautilus para navegar pleos arquivos, e mouse em tudo que posso sem precisar ter que lembrar um comandinho sequer, porque isso agiliza meu trabalho permitindo que minha atenção se foque em coisas mais nescessárias, enfim, facilidade de uso ajuda até mesmo quem é técnico.
A minha opinião é essa, enquanto o Linux não for do tipo ligue e use, esqueçam a idéia de que ele será tão popular. Pode ser até conhecido, mas ainda vai ser pouco usado.

[8] Comentário enviado por douradoinfo em 27/02/2008 - 14:19h

Oi, amigos,
É interessante a reflexão do Soyuz. Eu fico com a opção de que vendedores são vendedores, um grupo treinado para seguir fielmente o script ditado pelo patrão. Sou iniciante em Linux, e não diria MUNDO LINUX, talvez GALÁXIA LINUX... Assim que tive o primeiro contato, minha cabeça foi como que abduzida. Quero, entretanto, deixar uma observação para a reflexão de vocês. Houve um usuário do VOL que disse algo interessante: user é user e root é root. Mesmo no universo Linux isso também acontece. Usuários como eu que simpatizam o sistema, uma distribuição e começa a usar. Outro que tem oportunidade e vai em frente. Moro num município com cerca de 22.000 habitantes e sou único usuário que tem Linux no computador. Nesse fim de semana, consegui deixar o computador de um colega com os dois sistemas: M$ Windows e Linux. Mas, pasmem: já analisaram a instalação do Windows que vem das lojas? Amigos, os caras apenas utilizam o teclado para confirmar as opções oferecidas pela auto-instalação e pronto. Não tiram um minuto para personalizar o sistema e desativar as muitas inutilidades existentes, ou seja, usuários avançados do Windows são poucos também. Creio que o Linux realmente tem futuro, mas não vamos esperar. Vamos indagar todas as vezes que entrar numa loja. Quem sabe, seja uma boa estratégia. Abraços!

[9] Comentário enviado por removido em 27/02/2008 - 14:26h

Senhores, gostaria de agradeçer muito o comentário postado por vocês em meu primeiro artigo, a diferença de opiniões aqui é muito extensa, mas pelo que pude perceber todos querem chegar a um único ponto: tornar o Linux mais conhecido, isso é excelente...

[10] Comentário enviado por amandakee em 27/02/2008 - 14:49h

Uma vez, perguntei ao vendedor de uma loja de qual distribuição era o pc q estava sendo anunciado... ele disse: "é linux!" e eu: "sim, sim, mas qual distribuição?" ele: "é linux!"...

eu agradeci e saí da loja... fiz isto em 3 lojas diferentes e obtive quase a mesma resposta...

é até engraçado...

[11] Comentário enviado por kalib em 27/02/2008 - 15:05h

Excelente artigo cara... infelizmente esta realidade é comum...não sei como anda no resto do Brasil, mas aqui em Fortaleza isso vem mudando...O nome do Linux está cada vez mais forte...e mesmo quem não é da área já conhece ou pelo menos já ouviu falar...Acho que os programas do governo e da prefeitura estão ajudando quanto a isso...
Escolas públicas já estão todas rodando sobre linux, etc..etc..etc..

Sobre o que a amandakee falou...já passei por isso..e não somente aqui no Brasil...no Canadá mesmo, onde já morei por um tempo, já entrei em uma loja perguntando qual a distribuição do computador que estava a venda e recebi um "Não sei" como resposta...seguido de um "Mas você pode instalar o windows depois nele"... :/

Infelizmente a realidade ainda é essa...mas isso tende a mudar...tenho fé nisso...

[12] Comentário enviado por Pianista em 27/02/2008 - 15:20h

pra vcs verem o mundo em que vivemos... e o pior é que as vezes os caras são ignorantes e ainda acham que estão certos.. vejam meu caso.. estava eu, em mais um dia feliz e comum como qualquer outro, indo pra faculdade, chegando la ia começar a aula de TGS.. e o professor falando um monte de besteira la e tals.. ate que chegou um momento em que ele começou a falar de Windows e bla bla bla.. ai eu o interroguei.. "Professor o senhor ja ouviu falar em GNU\Linux?" e ele respondeu.. "Claro!" com o peito estufado.. e ainda acressentou "Mas o linux não presta!"... ai eu ja revoltado ao ouvir isso mas querendo ouvir a opnião do $#@!!.. perguntei "Por que?" e ele estufa mais uma vez o peito e diz "Porque o Windows é melhor, ja que como agente paga eles tem obrigação de resolver nossos problemas!" ai eu não aguentei e comecei a rir.. e o ignorante ainda ficou com raiva.. ai eu incrementei "mas professor quem te disse que o linux é gratis??" e ele ainda tem a cara de pau de responder "todo mundo sabe que é" ai eu disse "professor tem distribuições que são pagas e tem outras gratuitas. Não confunda software livre com software gratuito" e isso no meio da aula nos 2 discutindo e todo mundo rindo da cara dele. ai ele ficou puto porque eu estava corrigindo ele e todas as besteiras que ele falava e eu corrigia.. ai ele falou a utima que me tirou de sala ele disse "quando o windows tem um Bug eles corrigem rapidamente!" ai eu fiquei puto eu disse "Professor em primeiro lugar se a Microsoft corrigisse os bugs dela ela parava de fabricar o windows, segundo que no linux os bugs tambem sao reportados e corrigidos ainda mais rapido porque tem mais gente trabalhando neles" ai pronto, o cara não se aguentou mais e com uma raiva absurda ele tentou se corrigir "o windows tem muito mais aplicativos" e eu cortando ele respondi "Claro! tem spyware, virus, entre outros né?" ai ele me tirou de sala e eu voltei pra casa.. confesso que ate feliz porque eu percebi que ao menos os alunos se intereçaram no linux.. alguns ate me pediram cds de instalação pra testar!.. xD

[13] Comentário enviado por joaovitorlinux em 27/02/2008 - 17:03h

a h ah ah ah haa hhaha hahahhhh aha a ha ha ah ahh aha ha a hh ahah ha
A Historia do Pianista foi massa eim, parabens cara.
Agora, na faculdade onde estudo, a grande maioria dos professores são a favor do linux, pois com isso, a facul economiza uma grana lascada com licenças.
Duro q eu nao desenvolvo sistemas, somente sistemas web, um dia gostaria de poder ajudar a desenvolver alguma coisinha pro linux.
Valeuuuuuuuuuuuu

[14] Comentário enviado por Pianista em 27/02/2008 - 17:57h

xD.. queria que todas as faculdades fossem assim.. rsrsrs

[15] Comentário enviado por JhoniVieceli em 27/02/2008 - 18:16h

huahuahuahuahua que massa bem bolado

[16] Comentário enviado por diegoqueiroz em 27/02/2008 - 18:22h

Olá amigos.

Sinceramente eu estou aqui por acaso. Adicionei o RSS do Viva O Linux no meus Feeds e li este artigo acidentalmente.

Sou Analista de Programação. Desenvolvo aplicativos para plataforma Windows, mas o Linux está bem presente no meu dia-a-dia (os servidores de arquivo da empresa são Linux, o banco de dados está em uma máquina Linux, Firewall, controlador de domínio, impressão, etc).

Estou longe de criticar ou dizer algo muito radical, mas acho que a minha opinião é diferente da maioria da comunidade. Um exemplo disso é que eu NÃO sou a favor do Software Livre, o futuro do desenvolvimento livre não é garantido, pois ele "tende a falência". Um dia os desenvolvedores "cansam" de dar suporte para o sistema e o projeto fica largado, isso aconteceu, continua acontecendo e vai acontecer muitas outras vezes. Alguns demoram mais, outros menos, mas no geral acontece.

O "fim lucrativo" do desenvolvimento comercial é muito importante pois, garante (em tese, é claro) a continuidade do projeto, uma vez que o desenvolvedor está ganhando por isso. Isso sem contar que você pode exigir uma garantia por parte do fabricante, coisa que no Software Livre praticamente, ou simplesmente não existe.

O "fato" é que o Linux ainda não está pronto para o mundo "leigo", o mundo "plug n play" que o Windows está proporcionando. As empresas usam em seus servidores porque é barato, tem uma série de recursos e não necessita de muito hardware. Em geral elas já pagam por profissionais que, no mínimo, tem que se "virar" para configurar e gerenciar um servidor, seja ele qual for.

Uma vez li em algum lugar um rapaz dizer (de um modo bem grosseiro):
"Linux é um sistema operacional de nerd que gosta de ficar no prompt de comando editando arquivo .conf".

Claro que isto soa um pouco ofensivo, porém, não podemos negar que esta é a verdade.
Enquanto o Linux não se manter eficiente e compatível com o que estamos acostumados, dificilmente ele será visto como um "semelhante" perto do Windows.

Claro que, como já disse, esta é só a minha opinião.


Um abraço a todos.
Diego Queiroz

[17] Comentário enviado por jrmess em 27/02/2008 - 19:42h

Concordo dom o edupersoft. Quando tu vai em uma loja em uma loja de informática é raríssimo que algum vendedor se disponha de fato a ajudá-lo na aquisição de algum equipamento que seje compatível com o Linux. Muitos chegam a dizer que esse sistema é para ser usado so pelo governo e que para símples mortais como nós da comunidade deveríamos usar aquele que todos usam por que nunca será superado por um sistema gratuito. Esses
caras são muito bem orientados...abraço a todos jrmess.

[18] Comentário enviado por aluizsilva em 27/02/2008 - 20:36h

As empresas que fornecem hardware bem que poderiam incluir que tal hardware é compatível com Linux. Aparece apenas Windows 98,2000... e em alguns Mac. Raramente Linux. Recentemente montei um micro e adquiri uma impressora HP Laser. Simplesmente funcionou tudo sem nenhuma intervenção manual. Uso o Ubuntu. Se não informa, não quer dizer que não funciona. O melhor seria uma consulta a um banco de dados de hardware compatível onde seria sempre atualizado pela comunidade ao adquirir um hardware, testando seu funcionament no Linux.

[19] Comentário enviado por izavos em 27/02/2008 - 21:50h

Meu amigo já foi pior, lembra que alguns anos não se tinha um livro de Linux aqui no Brasil.Isso aconteceu comigo em 1998 quando comecei a ter contato com Linux aqui no RS. A empresa que distribui-a o Linux nesta ocasião não tinha como dar um curso sobre o sistema o conectiva marunbi por menos de R$ 400.00 e só para config básico de rede,serviços, e particionamento. Internet era artigo de luxo para nos aqui no RS! Quanto as pessoas que se dizem profissionais de vendas, estas deveriam ter interesse em aprender o básico para não passar um vexame desses coisa que aqui no sul continua em alguns casos. Mas isso é uma questão pessoal de cada um, o que importa e que pessoas como os “VOL” admiradores que somos todos nós temos a consciência que a outras alternativas alem que a “PEQUENA JANELA” pode nos mostrar.

Ps: Tenta explica para esse pessoal que Apple não e maca, tenta !

[20] Comentário enviado por removido em 27/02/2008 - 22:01h

izavos realmente ainda é, certas coisas ainda são artigo de luxo para muitos, haja vista que nem todas as pessoas possuem banda larga ainda, necessitam de modem discado para se conectar a internet...

[21] Comentário enviado por Teixeira em 27/02/2008 - 23:35h

Bom, acho que existem pessoas que SÃO vendedoras e outras que ESTÃO vendedoras.

Até chegar ao VOL já passei por várias situações parecidas com os relatos dos colegas. Não sei por que não desisti do Linux.

Basta dizer que nessa multidão de "info centers" nesse mesmo endereço da Av. Rio Branco não encontrei praticamente ninguém que dissesse alguma coisa coerente, fosse em relação ao Linux ou mesmo em relação a outros pormenores de compatibilidade de hardware e/ou software.

É claro que não visitei TODAS as lojas, e que em algumas delas havia algum técnico (ou PELO MENOS algum montador de harware que sabia responder alguma coisa).
Mas a tônica é essa: Vendedores totalmente desinformados e - pior - preconceituosos.
Conheço algumas pessoas que SÃO vendedoras.
Elas conhecem a fundo o produto, a empresa, os associados da empresae tudo o que é necessário saber sobre aquilo que comercializam.
Um conhecido meu, quando vendia vinhos alemães, sabia onde eram produzidos cada um daqueles vinhos, os nomes das famílias dos produtores, em que margem do rio fica localizado o vinhedo, o tipo de cada uva utilizada, quem eram os apreciadores daqueles vinhos, e muitas outras minúcias que parecem não ser importantes.

É claro que não se vai argumentar tudo isso com o cliente assim "do nada", mas também não se vai perder uma venda por mero desconhecimento. Se o cliente quiser saber, será natural que o vendedor saiba primeiro, para poder informar.

Com relação ao Linux, falei ao telefone com uma loja de Niterói onde eles têm uma boa atuação prática e teórica no sentido de instalar corretamente este SO, bem como orientar o usuário para uma utilização tranqüila. Ali eles já sabem quais os periféricos problemáticos (ou seja, que ainda não tem suporte) e quais os que se pode utilizar sem problemas. Isso é bom.

Há alguns anos atrás eu indagava de lojistas e técnicos sobre a possibilidade de instalar um simples drive de cd 52x em meu antigo 486. Como ninguém na época sabia responder (a resposta era sempre NÃO, que eu iria precisar de uma controladora "X" ou de um driver "Y"), eu comprei "na marra" e tentei instalar.
Era um drive OEM (leia-se "genérico") embora viesse com a marca LG e portanto não vinha driver nenhum.
Foi só instalar, ser reconhecido imediatamente pelo Windows, e pronto: Nada de funcionar, é claro.
Aí, fuçando nas revistas de informática que eu colecionava (não tinha internet) descobri que possivelmente faltassem algumas configurações esdrúxulas, descobertas por essas caras que dão nó em pingo de éter...
Foi batata!
Engraçado, no Linux funciona de forma absolutamente transparente no 486 (só tem que montar e desmontar. Como em não sou cowboy, fiz um script para cada ação dessas - aliás aqui no VOL tem umas dicas muito interessantes a respeito).

Agora, foi comentado por um dos colegas acima que a maioria dos usuários de PCs usa o Windows (algo assim).
É verdade, mas em todo mercado há nichos, ou segmentos minoritários, que podem - e devem - ser explorados.
A Apple computer representa uma minoria, a Acer também, a Gateway, a Dell, a Premio, a Sun (nossa, como existem empresas "minoritárias"!).
Entretanto, é dali que seus executivos (e a piãozada também) tiram o seu gordo salário anual.
Ainda existe - e sempre existirá - lugar ao sol para todos os que se dedicarem a alguma coisa, e que saibam encarar grandes dasafios.
Há quase 30 anos se diz que a Apple vai mal das pernas. Será verdade?
Ela já enfrentou várias crises: Já saíiram o Steven Wozniaz ("The Woz") e o próprio Steve Jobs; Já teve diretor árabe, e por aí vai.

Por aí podemos depreender uma coisa: Não é o software livre que irá levar uma grande empresa, especialmente a Microsoft, à falência.
Ela é uma empresa grande, mas que tem a agilidade de uma empresinha de fundo-de-quintal (lá eles dizem "de garage") e é exatamente dessa mentalidade ágil que aparecem os lucros.
É este o principal legado do Bill Gates.
No dia em que aparecer por lá um anti-Gates, ou alguém que queira inovar no lugar errado, aí sim: Adeus, Microsoft.

A gigante Hewlett-Packard (HP) rendeu-se a essa filosofia ao adotar o seu plano "Invent!": A busca da agilidade das pequenas empresas tornou-se mais importante que a estabilidade (sempre ameaçada) das grandes corporações.

Vender é sobretudo uma arte.

[22] Comentário enviado por Reideer em 28/02/2008 - 00:03h

aumentando um pouco o troll que se transformou este artigo...........

Outro dia, eu lá em um cliente, ele vem me mostrar o servidor linux dele (o qual eu volta e meia to mexendo remotamente), blz, ele queria saber como fazia para entrar na interface gráfica, mostrei para ele e blz..
aí a pouco ele mostrou o total desconhecimento da estrutura da própria empresa:

- para que serve este tal de linux?
- e isto é um sistema operacional ou roda encima do windows?

confesso que fiquei decepcionado com o conhecimento desta pessoa e mais ainda com a fama do nosso Amado SO.

[23] Comentário enviado por mcnd2 em 28/02/2008 - 07:28h

Parabéns pelo artigo.

Tive uma situação paracida com a sua, em lojas no edifício central (Rio de Janeiro). Fui preocurar determinado hardware (leitor de cartão) perguntando ao atendente se era compativél para linux, e tive a mesma resposta. "Para windows sim, reconhece automaticamente, mais o que é linux?". Eu com um sorriso meio irônico expliquei que se tratava de um sistema operacional open source (livre). O atendente com a mesma cara de espanto (depois que eu expliquei) han linux! Mais esse sistema é muito ruim, não tem suporta a nada e é muito difícil de configurar. Mais uma vez com um sorriso irônico, agradeçi e fui embora.

Mais uma vez, parabéns pelo artigo.

[24] Comentário enviado por pablover em 28/02/2008 - 08:28h

Soyuz, por coincidencia, fiz exatamente a mesma coisa em janeiro, quando resolvi dar um upgrade no meu micro. Comprei memória, HD, mouse e alguns acessórios. Já fez o teste de perguntar se a memória que a loja comercializa é compatível no LINUX? Cara teve até um vendedor que me falou que a memória era como fôrmas que armazenam dados antes de mostrá-los para o usuário. E que as que ele vendia só eram fabricados para suportar o formato do windows. Virei para ele e falei: Parabéns, tu entende pra caramba.

[25] Comentário enviado por edupersoft em 28/02/2008 - 09:15h

Diegoqueiroz, discordo do seu ponto de vista. Concordaria com você se algumas coisas fossem verdade:

Primeiro, que só existem voluntários por traz do software livre, o que não é verdade, muita gente ganha a vida com softwre livre, sejam pessoas/empresas/fundações, através de suporte pago, venda de treinamento, vendas de artigo, ou capitação de investimento de terceiros como patrocícnio, venda de propaganda ou apenas interessados em funcionalidades do software, alguns exemplos de empresas/fundações que ganham a vida com software livre: novell, redhat, mandriva, mozzila, firebird. Grandes empresas como a IBM, Sun e recentemente a HP estão envolvidas com software livre, o AIX da IBM por exemplo é um Linux, a IBM já investiu muito dinheiro no linux.

Segundo, se não houvesse grandes, importantes e competitivas empresas estatais como metrô e privadas com lojas renner, só para citar dois exemplos, que atualmente só usam software livre, ou outras que já utilizam plataforma mixta.

Terceiro, se não houvessem softwares livres de longas datas, como Apache, qmail, postfix, squid, samba, postgree, php, para citar alguns, com uma grande comunidade de usuários e concorrendo com produtos fortes comerciais, que tem investimento ano a ano, não vamos entrar no mérito de quem é melhor ou pior o fato é que co-existem.

Todo software, sendo comercial ou não, nasce e morre um dia. Economicamente o software livre é diferente do software comercial, o que não implica que seja inviável. O linux já evolui bastante em relação ao desktop, a discussão e as cobranças de hoje são muito diferentes a de anos atrás.

Esta é a minha opinião,

abraços

[26] Comentário enviado por diegoqueiroz em 28/02/2008 - 09:52h

Olá edupersoft.

Em nenhum momento disse que o Software Livre é inviável, só disse que eu não acredito nele. É algo estritamente pessoal, eu simplesmente como profissional não confio nele. Espero que minha opinião mude, mas ainda não é o momento.

E é verdade o que você disse, todo software, sendo comercial ou não, nasce e morre um dia. Ao mesmo tempo que a taxa de natalidade do Software Livre é alta (todo dia tem um projeto Open novo), a taxa de mortalidade também é altíssima. O Linux tem evoluído bastante, mas note que, as "melhores" distribuições Unix (por assim dizer, considerando o quesito "mais estáveis e confiáveis") não são gratuitas (RedHat, SuSe, Solaris, etc).

Tirando minha visão realista-pessimista, espero e muito que o Linux evolua a fim de atender a todos do modo esperado. Porém, do jeito que ele é hoje, infelizmente, eu sou mais um dos que falam: "Linux? Formata e instala o Windows.".

Um grande abraço a todos
Diego Queiroz

[27] Comentário enviado por Reideer em 28/02/2008 - 12:20h

Espera aí.
"O Linux tem evoluído bastante, mas note que, as "melhores" distribuições Unix (por assim dizer, considerando o quesito "mais estáveis e confiáveis") não são gratuitas (RedHat, SuSe, Solaris, etc)."
Primeiro, estamos falando de linux.
Segundo tem certeza que estas são distribuições UNIX?
Terceiro, não acredito que estas sejam as mais estáveis e confiáveis. São sim algumas das que tem mais propaganda.
Quarto, quer RedHat Gratuito, pegue o centos, quer suse gratuito pegue o opensuse, e solaris não conheço bem para falar dele. A diferença é que se você comprar uma destas vai ter embutido o suporte das fabricantes.

[28] Comentário enviado por edupersoft em 28/02/2008 - 13:16h

Oi Diego,

Respeito sua opinião, como diria o poeta, "Toda unanimidade é burra", não sei se todas, mas as que presenciei pelo menos.

Nunca usei Unix SCO ou Solaris. Este segundo, a Sun promote uma versão Open. Mas quanto ao suse ou red hat, ele não são mais confiáveis ou estáveis do que slack ou debian (versão estável do debian), por exemplo. Elas apresentam outras virtudes que as tornam única, como toda a distribiução linux, mas com certeza não a estabilidade.

Para completar, quando coloco slackware na minha empresa ou no meus clientes, não o faço só porque ele é gratuíto, ou open source, mas porque acho que ele é mais estável que o Windows. O mesmo acontece com o meu notebook pessoal, ele tem Windows, porque profissionalmente ainda uso muito mais windows do que linux, mas para meu uso pessoal, ou mesmo pesquisa, uso apenas linux, por achá-lo mais seguro.

Como você disse é uma questão de opinião.

Abraço,

[29] Comentário enviado por nicolo em 28/02/2008 - 13:32h

Caro Diego. O software livre não existe realmente, o software pago também não. Você se lembra do IBM OS/2? Uma perfeição técnica de sistema operacional. Sumiu. O que existe é a preferência da massa. Tudo o que tem adeptos existe, seja material ou intangível. A mania por Rock and roll enriqueceu muita gente, a mania de fumar enriqueceu uma grande indústria, e o windows enriqueceu a microsoft. O que existe tem 3 características: É muito conhecido, dá sentido às coisas, e inspira confiança. Não importa se a coisa é paga ou gratuita, se é boa ou ruim. Quantos desenvolvedores abandonarem, quantos outros surgirão, enquanto a popularidade perdurar e a coisa fizer parte da "cultura" das massas.
Os marqueteiros não produzem, eles são pagos para "advinhar" o gosto das massas. Os engenheiros são pagos para fazer produto. Se o gosto dependesse dos engenheiros os produtos seriam fiascos de venda.
Se dependesse de suporte dos desenvolvedores (os engenheiros do software) o sistema mais vendido seria o OS/2 e não o windows.
Não são os desenvolvedores que fazem o linux, é a massa de usuários.

[30] Comentário enviado por cassimirinho em 29/02/2008 - 10:48h

São os vendedores que não são compatíveis com o linux e com sua profissão.

[31] Comentário enviado por xumiguim em 29/02/2008 - 11:07h

?comentario=
Amigos, tudo faz muito sentido. Quem vende, na sua maioria, não sabe o quê vende. Os promotores só se interessam pelos lucros. Mas o pior mesmos são os chamados técnicos. Esses sim, são preguiçosos, na sua maioria, em estudar e aprender algo novo. Aliás, os que não são, ou já entendem muito bem o Linux ou estão em grandes empresas prestando serviço especializado.
E o pior, são extremamente desinformado do mercado empresarial e de TI. Se quer sabem que o Linux está presente entre as maiores empresas do mundo, na Ásia, domina na Austrália, França, Alemanha, e outros gigantes. É só ler um pouquinho ou pelo menos "passar os olhos" em revistas especializadas em mercado de TI.
De fato, "o sol nasce pra brilhar para todos", pena que a maioria acorda tão tarde ou dormem quase o dia todo.

[32] Comentário enviado por adrianoturbo em 29/02/2008 - 15:24h

Essa constatação é apenas a ponta desse iceberg de ignorância até os desktops que o governo financia é desta forma .

[33] Comentário enviado por izavos em 29/02/2008 - 23:34h

Vamos dar tempo ao tempo!
Para que um Brasil que nao tem o que comer, tenha condição de escolher qual "OS" vai optar !

[34] Comentário enviado por fulllinux em 03/03/2008 - 08:42h

Aew...

Viver no mundo da informação nos prega várias peças... tambem já encontrei muita imcompatibilidade de Linux com "vendedores"... portanto não podemos confiar neles!!! hauahah...

Você citou a Santa Ifigêna no seu artigo... só não digo que seja um grande paraiso de softwares e hardwares, ninguem alí tem tanta liberdade assim... mas liberdade aparte posso afirmar que na Santa Ifigênia tem grandes Crânios do software livre... não é tão dificil encontrar alguem que lhe forneça um help no assunto... tenho vários amigos por lá e todos eles cohencem muito bem software livre.

Em contra partida, com outros você realmente fica extremamente decepcionado!

Essa é nossa vida amigo, vamos pastorear nosso campo, pois, poderemos ainda encontrar várias ovelhas em meio a tantos carneiros...

[]'s

[35] Comentário enviado por felipe_pepii em 15/04/2008 - 01:27h

Dizem que pra bom entendedor meia palavra basta,
Com a pressao vao ter de se adaptar ao meio livre, Linux veio pra ficar quem nao se atualizar vai 'empobrecer'..

Se eu fosse um vendedor, e me perguntassem algo que nao saiba, com certeza buscaria saber pra nao passar vexame da proxima vez...

Acredito que com o tempo, e com o andar desta globalizaçao o mundo se molde a ponto de atender a todos,,, mas até la,,, temos de ter uma paciencia enorme!!!! hehehe

[]'s

[36] Comentário enviado por filipo_tardim em 15/04/2008 - 18:04h

Quando eu fui comprar modems Smartlink, sabendo já que eram compatíveis com Linux, já chegava no balcão e afirmava. Talvez se eu tivesse feito a pertunta também iria me divertir com a cara dos vendedores :P

Pior foi meu Notebook, que veio com Insigne 5, que depois eu tirei pra colocar o Ubuntu e o XP (infelizmente por causa de alguns programas), e ele deu defeito. Levei pra assistência, pois estava na garantia, e no laudo quando recebi dizia que os testes foram realizados no XP. Queria ver se o Note estivesse 100% Linux o que os "técnicos" iriam fazer.

É uma realidade lamentável, mas tenho certeza que isso irá mudar em breve.

[37] Comentário enviado por gjvnq em 02/09/2009 - 14:20h

Pergunte a quela pessoa que le falou que GNU/Linux é ruim, "Você já experimenou o Linux antes de dizer isto?"


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts