BackTrack Linux 3.0: Distribuição voltada para segurança

O BackTrack é uma distribuição Linux que ajuda a garantir a segurança, permitindo inclusive efetuar auditoria no sistema operacional, tudo com o objetivo de manter a informação segura contra terceiros (crackers).

[ Hits: 36.389 ]

Por: Anilton Fernandes em 07/11/2008


Introdução



Garantir a segurança da informação não é uma tarefa simples, o que significa que toda a ajuda é bem vinda nesse sentido. Se assim for, muito boas são as razões para dizer olá ao BackTrack Linux.

O BackTrack, já na sua 3ª versão, é uma distribuição Linux que permite fazer auditorias a um sistema ou rede, tentando descobrir todas as falhas e avisar aos administradores de sistema para que estes possam corrigir essas vulnerabilidades.

O BackTrack é tão bom que pode ser considerado uma poderosa ferramenta hacker, já que suas habilidades e capacidades são enormes, integrando todas as categorias de softwares relevantes para uso de "hackearia".

A distribuição pode ser usada tanto para fazer o bem como para fazer o mal. Na verdade o mal é relativo, há sempre quem se beneficie com o mal (falando concretamente de crimes informáticos), porém o objeto de estudo aqui é a segurança e não os ataques.

Conceito sobre BackTrack

Como já referido, o BackTrack (bt) é uma distribuição Linux, está disponível em Live CD (CDs com o sistema instalado e que podem carregar num computador com todos os recursos de um sistema operacional, mesmo que o computador não tenha um sistema operacional previamente instalado).

O importante de saber sobre conceitos dessa distribuição, e que faz ela diferir das outras, é que tem foco no hackerismo, isto é, o BackTrack não é uma distribuição que instalamos no computador para usarmos como desktop ou servidor, embora, por ser Linux (Open Source), isso seja possível.

O BackTrack é sim uma distribuição voltada para a segurança e o seu trabalho consiste basicamente em testar a segurança, descobrir falhas e vulnerabilidades, podendo eventualmente apresentar formas de explorar essas vulnerabilidades ou falhas. Assim sendo, pode se ver com clareza que ele pode tanto ser utilizado para o bem como para o mal, ou seja, por hackers éticos (pessoas que praticam o bem utilizando técnicas de hackers) e crackers (pessoas que praticam o mal utilizando técnicas de hackers).

Embora, muito provavelmente, muitos nunca tenham ouvido falar dessa distribuição, o BackTrack é uma distribuição muito aceita e popular entre as comunidades de segurança.

História do BackTrack

BackTrack foi criada da união de duas outras distribuições orientadas também à segurança. O Auditor e o Whax.

Atualmente a distribuição se encontra na versão 3.0. Embora a distribuição tenha sido a junção de duas outras, diz-se que ela foi baseada no SLAX.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Instalação do BackTrack
Outros artigos deste autor

TeamViewer - Gerenciando um servidor Windows remotamente

Local Web Server visível na Internet com DynDNS

Linux - Qual a dificuldade de usar?

Leitura recomendada

Utilizando GNU/Autotools em Projetos

Gerenciando os seus códigos-fonte com um sistema CVS

Tutorial de instalação e configuração do Apache no Linux

Instalando o Opera e plugin Flash Player no Debian

Slax - O seu Slackware de bolso

  
Comentários
[1] Comentário enviado por andersontm em 07/11/2008 - 16:35h

Tem um errinho no texto, colocou sda 2 veses!

"O primeiro passo será a criação das partições:
# fdisk /dev/sda

Pode ser que o nosso HD não seja sda, mas sim hda. Se for o caso, devera ser então:
# fdisk /dev/sda "

Abraço!

[2] Comentário enviado por demoncyber em 07/11/2008 - 20:19h

Ótimo artigo :)
Sempre tem alguém com dúvida de como instalar o bt3, já vi até casos de pessoas pegarem o script das versões antigas do bt e usar para fazer a instalação.

"PS.: Antes de iniciarmos com a instalação, acho relevante informar que existe uma versão do BackTrack para Slackware, que é instalada dentro da distribuição Slack"

Ei terias como passar o link de referência sobre o bt para slackware?


[3] Comentário enviado por VonNatur em 08/11/2008 - 21:32h

Seria bastante interessante que você disponibiliza-se o link contendo as informações sobre o bt para slack.

[]'s

[4] Comentário enviado por dporton em 09/11/2008 - 12:52h

Muito Bom o artigo aniltonf, parabens.

Eu uso o BT como desktop a uns 6 meses aqui em casa e foi satisfação garantida, e eu nem suei tanto para deixar os recursos que um desktop tem que ter funcionais. Ele é muito estavel assim como o slack e muito seguro. Sem dizer que ele motiva muito os aficionados por segurança a estudar mais. Mais uma vez parabens pelo artigo.

[]'s

[5] Comentário enviado por h4c3rk3 em 10/11/2008 - 05:20h

gostaria de sabe que tipo de crytografia e usada nesse texto aqui e se possivel decodifica ela





OPQ9abqrs9ababcçéèmnorst'!#'!#'!#

0UVWnopbcdèêí"
9abbcd9ababc9ab"
cdedef"
cdedefbcdhijefgqrs9abqrs"
defrststudef"
bcdîóòcdehijfghnop"
cdedef"
bcdqrshijopqstunopfghqrs9abefghij9ab©./©./©./

0nop"
pqrtuvdef"
rsthijfghmnohijefghijbcd9ab"
pqrtuvdef"
uvwnopbcdèêí"
çéè"
lmntuvhijstunop"
abcnoplmn©./"
DEFrststudef"
studefwxystunop"
efgnophij

0bcdqrshijopqstunopfghqrs9abefg9abcdenop"
9abstuqrs9abuvwçéèrst"
cdenop"
rstnopefgstuvwx9abqrsdef"
BCDqrshijopqstubcdhijqrsbcdklmdef"
012©./
01],;

0tuvrst9abmnocdenop"
KLMdefuvwdefklm_-@234"
cdedef"
bcdqrshijopqstunopfghqrs9abefghij9ab©./"
NOP"
RSTnopefgstuvwx9abqrsdef"
BCDqrshijopqstuBCDhijqrsbcdklmdef

0tuvstuhijklmhijyzA9ab"
tuvlmn"
9abklmfghnopqrshijstulmnnop"
cdedef"
bcdqrshijopqstunopfghqrs9abefghij9ab"
cdedef"
lmndefrstlmnnop"
mnonoplmndef],;"
def

0pqrtuvdef"
efgnophij"
bcdqrshij9abcdenop"
opqdefklmnop"
LMNDEFRSTSTUQRSDEF"
zABMNOCDEQRSDEFHIJ"
EFGDEFKLMHIJOPQDEF],;"
defrstopqdefbcdhij9abklmlmndefmnostudef

0opq9abqrs9ab"
defrststudef"
studefrststudef©./"
RSTdef"
uvwnopbcdèêí"
defrststu9ab"
klmdefmnocdenop"
defrststudef"
studefwxystunop],;"
rsthijfghmnohijefghijbcd9ab

0pqrtuvdef"
9abfghnopqrs9ab"
uvwnopbcdèêí"
ijkZáà"
studeflmn"
bcdnopmnoghidefbcdhijlmndefmnostunop"
rsttuvefghijbcdhijdefmnostudef"
opq9abqrs9ab

0cdedefrstbcdqrshijopqstunopfghqrs9abefg9abqrs"
pqrtuv9abklmpqrtuvdefqrs"
lmndefmnorst9abfghdeflmn"
bcdqrshijopqstunopfghqrs9abefg9abcde9ab"
9abstuqrs9abuvwçéèrst

0cdenop"
9abklmfghnopqrshijstulmnnop"
BCDqrshijopqstuBCDhijqrsbcdklmdef"
KLMdefuvwdefklm_-@234©./"
zAB"
rstdefmnoghi9ab"
opq9abqrs9ab"
9ab"
opqqrsîóòwxyhijlmn9ab

0efg9abrstdef"
cdenop"
studefrststudef"
çéè?:""
qrs9abopqnoprst9abefgdefhij9ab

0ABCnop9ab"
rstnopqrsstudef"
def"
bcdnopmnostuhijmnotuvdef"
nop"
studefrststudef©./

0

0MNOêíìuvwdefklm"
cdedef"
bcdqrshijopqstunopfghqrs9abefghij9ab"
+=§"
efgZáàbcdhijklm©./

0

0LMNDEFRSTSTUQRSDEF"
zABMNOCDEQRSDEFHIJ"
EFGDEFKLMHIJOPQDEF"
"
01456"
cdedef"
zABfghnoprststunop"
cdedef"
123
01
01789©./

0

[6] Comentário enviado por removido em 10/11/2008 - 16:12h

O BackTrack é uma excelente distro, para uso em Pen-Test.

Gostaria de lhe indicar o Helix... (tem o foco principal em Forense Computacional), são duas distros que não podem faltar a qualquer Adminstrador, principalmente quem atua diretamente em security.

É claro que o BackTrack, não faz tudo para você, mas que ajuda em muito ajuda.

Parabéns pela artigo.

Bruno Lima

[7] Comentário enviado por leoberbert em 11/11/2008 - 21:12h

Bacana o Artigo, congratulations!

[8] Comentário enviado por p@b10 em 16/11/2008 - 01:49h

Jah to no aguardo do 2º Artigo!!!!

[9] Comentário enviado por pookit em 22/03/2009 - 20:14h

muito bom! li varios mais este foi o unico com o qual realmente consegui. to quebrando a fufa pra deixar ele como desktop mas vamos, la

[10] Comentário enviado por roberto_espreto em 20/05/2009 - 10:14h

Tem algumas coisas contraditórias no seu artigo, por exemplo:

"Agora um LILO para sistema que tem Windows instalado:


lba32
boot /dev/sda
prompt
timeout=60
change-rules
reset
vga=791 # isto não deve ser mudado, deve deixar o seu
image = /boot/vmlinuz
root = /dev/hda3
label = BackTrack3
other = /dev/hda4
label = Windows
table = /dev/hda
"

Na opção boot você especifica /dev/sda
Mais embaixo você está usando hda e não sda como dito anteriormente.
Quanto mais especificado você deixar, mais completo ficará seu artigo.
São erros que passam despercebidos, mas para quem nunca instalou é de grande valia.


"Agora um LILO para sistema que tem Windows instalado:


lba32
boot /dev/sda # sda para HD SATA ou hda para HD IDE
prompt
timeout=60
change-rules
reset
vga=791 # isto não deve ser mudado, deve deixar o seu
image = /boot/vmlinuz
root = /dev/sda3 # ou /dev/hda3 para HD IDE
label = BackTrack3
other = /dev/sda4 # ou /dev/hda4 para HD IDE
label = Windows
table = /dev/sda # ou /dev/hda para HD IDE
"

Logo após alterar o lilo, edite o inittab para mudar o init para o valor 4, o padrão é o valor 3, caso não mude o inittab, seu BT irá carregar sempre em modo texto, tendo que digitar o comando "startx" para entrar no X.




"Eles se baseiam na matéria, e aqui ela não existe!"
Esp®eto.


Contribuir com comentário