Ambiente gráfico MATE no Sabayon Linux

Este artigo descreve o MATE (um Fork do GNOME 2) com instalação e uso no Sabayon Linux. Também ilustra a potencialidade e maturidade do MATE, que mesmo sendo um ambiente gráfico muito novo, já é uma excelente alternativa aos consagrados KDE e GNOME 3.

[ Hits: 26.359 ]

Por: Alberto Federman Neto. em 28/06/2012 | Blog: https://ciencialivre.blog/


Introdução



Como em outros Sistema Operacionais, para facilitar o uso do GNU/Linux, modernamente emprega-se interfaces gráficas diversas.

As mais conhecidas e usadas são o KDE (K Desktop Environment - Ambiente para Desktop K) e o GNOME (GNU Network Object Model Environment - Ambiente Modelo para Objetos de Rede do GNU):
Mas há vários outros.

Ocorre que o GNOME, em sua versão 3 (inclui a interface Gnome-Shell), é considerado pesado e difícil de ser configurado, além de ser muito exigente quanto ao hardware e à placa de vídeo, e por isso, não funciona bem, ou o faz com certa dificuldade, principalmente em alguns computadores mais antigos.

Contudo, tem seus fãs:
Por causa destas dificuldades com o GNOME3 e com a interface gráfica do Ubuntu, o Unity, começaram a ser planejadas modificações, mais especificamente, derivações (ou forks).

Um fork do Gnome-Shell é o Cinnamon, feito pelo time do Linux Mint. Por sua vez, o principal Fork do GNOME2, é o MATE.

O que quer dizer a sigla, não se conhece com exatidão. Uns dizem que apenas faz referência à erva Mate (chimarrão), e outros, que seria "MetAphoric Test Environment" - Ambiente de Teste Metafórico - porque mantém e usa as telas clássicas do GNOME 2 (Metaphor) ao invés de usar o GNOME-Shell:
O MATE começou a ser desenvolvido assim que o GNOME 2 acabou, e foi lançado em Junho de 2011, por alguns programadores do Arch Linux, que estavam descontentes com o GNOME 3:
E apesar de ter apenas um ano, já está bastante desenvolvido:
Até pouco tempo atrás, não havia Desktop MATE para nenhuma distro derivada do Gentoo. Contudo, o Mate foi incluído pelo Time Sabayon, elaborando os Ebuilds e o Overlay Mate, e depois incluído no também Overlay Gentoo Zugaina.

Isto possibilita a instalação e uso do MATE em distros de compilação, como o Gentoo e Sabayon.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Instalação - Usando o Mate
   3. Aplicativos e compatibilidade
Outros artigos deste autor

Estudo comparativo de alguns gerenciadores e aceleradores de download

Sabayon Linux remasterizado para placas de vídeo ATI

Sabayon 5.0 - Transformando Sabayon 4.0r1 em Sabayon 5.0 "Full" (parte 2)

Como Compilar Kernel Novo para o Sabayon Linux

Symbaloo para uso em Química e Pesquisa Científica

Leitura recomendada

Desenhar um planeta com Gimp

Como turbinar seu GIMP com mais fontes

Transmitindo vídeo de eventos ao vivo via Internet com GNU/Linux

Ubuntu - Substituindo Drivers nVidia Canonical por nVidia Oficial

Mencoder - Convertentdo vídeos de webcam para divx

  
Comentários
[1] Comentário enviado por levi linux em 28/06/2012 - 12:38h

Muito bom, parabéns! Pretendo testar o Mate em detalhes brevemente.

[2] Comentário enviado por removido em 28/06/2012 - 12:42h

[OFF] Se esse nome tem a ver com erva-mate, então há alguma influência de algum sul-americano no "dibujo"?
No mínimo um descendente ou aparentado, uruguaio, argentino, paraguaio, gaúcho... provavelmente um destes... NOT!

Gostei do GNOME 2, principalmente de um tempo prá cá.
O "jeito" do KDE consegue ser em muito parecido com o Win e o GNOME não sei porquê foge ao esquema.
Bom saber que haverá continuidade.

Agora, uma séria dúvida que tenho:

* As GTK+s usadas no GNOME3 e no MATE são e serão compatíveis?
* Será necessário alterar código para compilar compatível com uma ou outra GTK+?
* Será necessário código também para compilar compatível no GNOME 3 ou no MATE?


[3] Comentário enviado por clodoaldops em 28/06/2012 - 15:44h

Achei interessante o MATE fazer parte dos repositorios oficiais o que facilita muito a instalação e deve diminuir muito as chances de "dar zica" no sistema, né?
Cara, gostei do artigo!
Parabéns!
10zão!

[4] Comentário enviado por eldermarco em 28/06/2012 - 16:43h

Muito bom! Ainda vou testar o MATE no fedora. As minhas experiências com ele no Arch Linux não foi tão perfeita assim, embora não tenha sido ruim.

[5] Comentário enviado por albfneto em 28/06/2012 - 18:16h

@Listeiro:

Olha algumas pessoas levantam duvidas sobre a versão do GTK,o que sei e que na minha instalação, os aplicativos para GNOME3 estão funcionando, mas eu tenho os 2 gtks instalados e a dependencias do GNOME3 tb, instaladas.

Mas uma das carac. do sabayon é aceitar multiplos ambientes graficos, eu não sei se em outras distros aceita, pq tem distros onde vc instala outro ambiente grafico e os menus bagunçam todos.

O XFCE está sendo portado a GTK novo, acredito que o time do mate o fará tb, senão ele não evolue.

[6] Comentário enviado por removido em 28/06/2012 - 22:14h


[5] Comentário enviado por albfneto em 28/06/2012 - 18:16h:

@Listeiro:

Olha algumas pessoas levantam duvidas sobre a versão do GTK,o que sei e que na minha instalação, os aplicativos para GNOME3 estão funcionando, mas eu tenho os 2 gtks instalados e a dependencias do GNOME3 tb, instaladas.

Mas uma das carac. do sabayon é aceitar multiplos ambientes graficos, eu não sei se em outras distros aceita, pq tem distros onde vc instala outro ambiente grafico e os menus bagunçam todos.

O XFCE está sendo portado a GTK novo, acredito que o time do mate o fará tb, senão ele não evolue.


Tem o problema de a GTK+ nova deixar a coisa toda (XFCE etc.) uma tralha pesada.

Senão também é o caso de se criar um fork da GTK+ em cima da GTK+ velha.

E seguir como biblioteca independente, de modo semelhante ao enlightenment.

[7] Comentário enviado por rogerio pg em 29/06/2012 - 18:02h

Parece uma boa alternativa para quem possui placas ATI e gostam de gnome como eu , gnome-shell e ati até hoje não deram certo .
vou testar lol.

[8] Comentário enviado por mcnd2 em 29/06/2012 - 23:14h

Grande @albfneto, sempre nos testes, rsrsrrsrsr!!!

O MATE veio para ficar! Já cheguei a usar por pouco tempo no LMDE e não cheguei a explorar totalmente.

Como tenho o Sabayon x86 no meu velhinho, vou fazer o teste em instalá-lo e até poder ficar como interface padrão no Sabayon.

Uma ótima poder ter o MATE no Sabayon.

Ótimo artigo. Parabéns pelo trabalho elaborado. Abç...

[9] Comentário enviado por albfneto em 30/06/2012 - 21:41h

COMPLEMENTOS DO ARTIGO:

Atualizado em 14 de Maio de 2018,

1) ISOs do MATE:

O Artigo é obsoleto. Em 2018, já há ISOs Oficiais de Sabayon com o MATE.

http://sabayon.c3sl.ufpr.br/iso/daily/Sabayon_Linux_DAILY_amd64_MATE.iso

Somente 64 Bits, ISOs de Sabayon de 32 Bits não existem mais.

Créditos a quem fez, foi o Cris, Wolfden, do Time Sabayon.

http://www.sabayon.org/article/well-hello-mate


[10] Comentário enviado por mcnd2 em 01/07/2012 - 21:08h

Já instalado e se saindo muito bem o MATE.

Agora vou fazer algumas customizações para deixar o desk no ponto.

[11] Comentário enviado por azk em 15/07/2012 - 01:40h

excelente artigo, Alberto!
já vou começar meus testes com o MATE no Sabayon..

* vamos ver se o MATE supera o XFCE no meu gosto

[12] Comentário enviado por albfneto em 20/09/2012 - 23:18h

MAIS COMPLEMENTOS:

1) Lançadas as ISOs Oficiais do Sabayon 10, já pronto, com o MATE, tanto 32 como 64 Bits.:

Baixe com Torrents, daqui:

http://tracker.sabayon.org/

Ou diretamente dos espelhos brasileiros:

http://sabayon.c3sl.ufpr.br/iso/daily/Sabayon_Linux_DAILY_amd64_MATE.iso
http://sabayon.c3sl.ufpr.br/iso/daily/Sabayon_Linux_DAILY_x86_MATE.iso
ftp://sabayon.c3sl.ufpr.br/sabayon/iso/Sabayon_Linux_10_x86_MATE.iso
http://sabayon.c3sl.ufpr.br/iso/daily/Sabayon_Linux_DAILY_amd64_MATE.iso

2) Tambem informo que para instalar com Portage, ou MATE para Gentoo, o Overlay Mate foi desativado e não é mais necessário. o MATE está nos repositórios normais do Gentoo.


Contribuir com comentário