Ajude o Linux, use o Linux

Faço um apelo aos usuários eventuais de Linux a usarem o Linux com mais freqüência. O processo de migração é menos doloroso que parece. Eu desafio cada um dos leitores a passar 2 meses só usando Linux. Depois disto eu garanto que muitos não voltarão.

[ Hits: 6.626 ]

Por: Alexandre Felipe Muller de Souza em 10/01/2008


Você não usa Windows?



Essa frase se tornou um deja-vu na minha cabeça. Quando comecei a trabalhar com Linux eu já tinha uma experiência no sistema por um tempo. Porém minha primeira experiência foi uma migração completa e traumática. Isto ajudou a posteriormente sempre utilizar o Linux como uma vitrine para mais dizer que era usuário do que realmente ter benefícios que o sistema provia.

Então na minha inexperiência e ignorância eu fiz a pergunta ao meu colega de trabalho, "Qual Windows você usa em casa?". "O quê, você não usa Windows?". Então eu pensei que este colega era uma pessoa muito corajosa. E mais que isso, depois deste dia eu mudei minha cabeça. Passei a só usar Linux! E vi que não precisa ser corajoso pra isso.

Acreditem, é mais fácil que parece. Esta atitude simbólica torna o Linux possível ainda. Deste então já se passaram 4 anos. Só tive benefícios, e alguns (muito poucos) problemas. Em geral com sites mal escritos, que só funcionam no IE. Mesmo assim ainda existe possibilidade de emular o IE (e eu condeno, não faça isso, deixe de usar estes sites).

Hoje um colega de trabalho olhou pra mim e falou. "Qual antivírus você usa?", "O quê, você não usa Windows?". Não obrigado, hoje sou careta. Eu já me livrei do vício :)

Ciclo que quando quebrado não volta

O que acontece no desenvolvimento das bases instaladas de Linux hoje é que as aplicações não são compatíveis por baixa demanda dos usuários. E a não compatibilidade gera baixa demanda. Apesar de que com o passar dos anos isto tem melhorado podemos acelerar este processo de mudança.

Se cada usuário do VOL hoje fazer esta migração sem volta, teremos mais acessos registrados nos websites através da web vindos de Linux e atrairemos a atenção dos desenvolvedores a fazer aplicações portáveis.

Se não houver intervenção neste ciclo de estagnação nunca veremos sistemas abertos na vanguarda dos computadores pessoais e portáteis. É difícil um sistema sair do modelo proprietário para livre, mas é muito mais difícil sair do livre e ir pro proprietário. É claro que casos contrários a estes devem ser vistos com ceticismo, por haver subsídio de alguém interessado em criar um case para fins marketeiros.

Desde que comecei a usar Linux na década passada eu sempre tenho acompanhado a quantidade de usuários do Linux. E infelizmente tenho visto que o crescimento tem sido lento e nos últimos anos a proporção estagnou. Isto pode ser visto no linuxcounter, e acessos de servidores web.

Faça a experiência

O mais importante é não inventar desculpas. Até mesmo os usuários menos experientes não tem dificuldades em usar o Linux se você o administrar. Você não precisa ter o Know-How de tudo, mas a internet está aí pra isto. Se policie e force a você mesmo a só usar Linux. E o jeito mais rápido de fazer isto é só instalando o Linux.

E a principal lição é que você irá ser uma pessoa livre de pirataria e que faz o que prega. Este é o primeiro passo para cobrar dos outros que também façam o que manda a lei. É muito fácil proteger um modelo que é insustentável e te deixa com dívida com uma empresa. Se esta dívida fosse cobrada por todos os usuários de computadores metade da população seria considerada criminosa. Então ajude o combate a este ciclo antiético de pirataria e aprisionamento tecnológico. Chute a porcaria do software proprietário, bata no peito e diga. "Eu só uso software livre, eu não devo nada pra ninguém."

   

Páginas do artigo
   1. Você não usa Windows?
Outros artigos deste autor

Multi-head usando udev e Xnest

MultiHeads no Linux

Como montar um pacote RPM

Extreme Programming e sua relação com Software Livre

Solução corporativa Expresso Livre, substituto de peso do Notes

Leitura recomendada

A Questão do Linux

Tapa-olho, Gancho e Perna-de-pau

Ansible, Puppet e Chef

Por que as pessoas (ainda) preferem o Windows

Debate sobre o simulado do VOL

  
Comentários
[1] Comentário enviado por fulllinux em 10/01/2008 - 10:19h

Kamarada gostei do artigo, embora descorde de algumas e insignificantes coisinhas em seu artigo, todo o contesto me fez lavar a alma já havia escrito sobre o título "Use Linux!" e "Pirataria - aliada da Microsoft?"

Gosto de artigos ideológicos e ideologia - idéia - cada um tem a sua!

Use Linux!
http://www.vivaolinux.com.br/artigos/verArtigo.php?codigo=7151

Pirataria - aliada da Microsoft?
http://www.vivaolinux.com.br/artigos/verArtigo.php?codigo=7310

Parabéns, []'s

[2] Comentário enviado por tenchi em 10/01/2008 - 10:50h

"Compre Baton... Compre Baton"

huhauahau

Acredito que o processo de migração de um sistema para outro seja gradual. Muito dificilmente um usuário que hoje usa um sistema A, e a partir de amanhã passa a usar somente o sistema B se adaptará à este último. Ele voltará a usar somente o A.

Comigo não foi de um dia para outro. No início, instalei o RedHat no meu PC. Imaginem: eu havia acabado de comprar meu primeiro computador, e instalado algo que nem sabia ao certo o que era nele! Mas usava mais o Windows, já que não tinha conectividade no RedHat. Mas fui cada vez fuçando mais no Linux, fuçando. Descobri como instalar Internet. Fuçando Fuçando. Kurumin, Biglinux, e finalmente Slackware. Mas ainda usava o WIndows para jogar, já que tinha um vídeo com suporte à 3d somente no Linux. E mesmo assim já era pouco, pq não jogava muito. Aí comprei minha GeForce...

Ainda tenho o Windows Instalado no meu computador. Não, não uso. Nem mexo. Nem quero, nem preciso. É que o computador aqui é compartilhado entre eu e minha irmã. E vai falar pra ela usar o OpenOffice... Já tentei centenas de vezes.

Este processo durou cerca de 2 anos. Ou seja, nada de fazer sem pensar, de uma só vez, que no final é pior...

No mais, este texto merecia ser expandido, pois trata de um tema legal, que merecia ser aprofundado. Mas mesmo assim ficou muito bom ;-)

[3] Comentário enviado por koutalopes em 10/01/2008 - 11:22h

Quando comecei a usar o GNU/Linux, foi na versão 6.04 do Ubuntu, usava ele e o Windows, dai fui parando de usar o Windows, um dia criei coragem, formatei o PC e deixei só o GNU/Linux, no começo foi complicado, não conseguia fazer quase nada e meus irmãos sempre reclamavam, pois são totalmente leigos em informática.
Ai quando viram eu que não usaria mais o Windows, aprenderam a usar o básico e conseguem usar numa boa (pra internet, msn, essas coisas...).

Muito bom artigo, acho que mais pessoas devia ter coragem e meter a cara no software livre.
[ ]s

[4] Comentário enviado por eldermarco em 10/01/2008 - 13:56h

Pois é... esse é o mal de todo usuário que tenta defender os ideais do software livre: eles sempre dão um tiro a 180 graus e acabam por ir exatamente contra a liberdade que o software livre prega.

Quando você tenta impor alguma coisa para outros usuários e fazer parecer que ele está cometendo o maior dos crimes se continuar no Windows ou qualquer outro SO propritetário você está atacando aquilo mesmo que você defende. Ele pode continuar no Windows se quiser, qual o problema? Existem Softwares Livres no Windows tb. Mas se o proprietário for melhor e atender melhor minhas necessidades imediatas, qual o problema de eu utilizar ela?

Usar ou não software livre é uma escolha pessoal. E como escolha pessoal deve ser entendida como tal. Você não deve ficar pregando a doutrina Linux aos "pobres pecadores" condenados ao inferno se não mudarem. A menos, é claro, que você entenda essas questões de liberdade que citei e outras tantas por aí.


Além do mais, esse negócio de que Linux é mais fácil que o Windows é mito. Qualquer usuário leigo irá se virar muito melhorno Windows do que no Linux. É claro que existem muitas discussões a se fazer sobre isso, mas não farei aqui nesse comentário.

Linux tb não é mais rápido que o Windows. Quando eu instalei meu Fedora no meu PC, percebi que ele demora bem mais que o Windows para ser inicializado. Aliás, não gostei nem um pouco, quando vi uma entrevista de um usuário que tenta divulgar o Linux no país dizer que o não tem de esperar 10 a 15 minutos pro XP ser inicializado. Alguém já esperou isso pra entrar no Windows? Só se você enxeu ele de porcarias! Quando "atacamos" o inimigo, pelos menos temos de ter a coragem de fazê-lo de maneira justa!
Mas é claro.. todo usuário fanático do Linux daria uma solução para isso... o problema é que eles nunca levam em consideração que certas soluções não foram feitas para os leigose que estes não tem obrigação de aprender essas coisas. Que seria o sistema que deveria dar conta de certas coisas, mas se um leigo reclama e diz que no Windows é melhor, ele correrá o sério risco de ser chamado de preguiçoso, como muitas vezes presenciei.

Por último, queria deixar bem claro que, diferente do Linux que é desenvolvido por voluntários que não tem interesses em lucros diretos, a microsoft é uma empresa que desenvolve software e tem interesses no lucro como qualquer outra empresa. Existe algum mal nisso? Então todas as outras empresas, do que quer que seja, também cometem crimes se você achar que existe alguma mal nisso.

De qualquer forma, uso Linux. Essa é minha escolha pessoal.

[]'s

Elder Marco

[5] Comentário enviado por tenchi em 10/01/2008 - 15:47h

Elder, concordo com boa parte do que disse. O software não faz tanta questão de trazer a liberdade? O slogan deste site não é "porque nós amamos a liberdade"? Usar o Windows, o Linux, o FreeBSD, o OS X deve ser uma escolha do usuário.
Mas o que o autor do texto quis dizer é: vamos mostrar para as empresas de software que há sim muito usuários Linux por aí, e eles não merecem ser ignorados. Porque criam drivers somente para Windows! E este é só um exemplo.

Quanto à questão do Linux ser mais lento que o Windows, é relativo... Comparamos um sistema feito em 2001 (XP) com uma distro feita em 2007/2008? É claro que em 2001 a maioria das distros não se comparava ao WIndows em usabilidade, mas isto vem mudando. Um exemplo é o próprio Vista...

E tempo de boot não significa desempenho. É fato: o Windows inicia mais rápido que a maioria das distros com recursos equivalentes. Não tem como fugir disso. O Boot do Linux normalmente é feito por scripts, passo-a-passo, totalmente editável pelo usuário. Já o do Windows é feito de forma binária, onde tudo é centralizado no registro do Windows. Outra coisa é que o Windows carrega primeiro a Interface gráfica, para depois carregar os serviços, como antivírus, servidores, etc. Tanto que é quase impossível usar o Windows logo após aparecer o cursor do mouse. Você tem que esperar a luzinha do HD apagar, ou não? ;-)

Como prova, lhe apresento as seguintes informações, verídicas:
Tenho uma máquina. Um core 2 duo com 2GB de RAM. Nele está o Windows Vista Business Edition e o Ubuntu Gusty Gibbon.
O Boot do Ubuntu demorou 59 segundos. O do Vista, 49. Ou seja: O Ubuntu é mais lento que o Vista!

Mas, veremos o consumo de memória após o Boot (Ah, com todos os efeitos de vídeo possíveis ativados, em ambos os sistemas). Vista: 703MB; Gusty: 249MB.

Como pode ver, mesmo tendo um boot mais demorado, o Ubuntu se saiu "menos pior" no consumo de memória, pois onde ele enfia os 249MB? hauhauahau

Ou dou o exemplo da minha máquina... Tenho o XP e o Slackware 12 instalados.

Depois de umas otimizações e outras desotimizações, o Slackware demora 2min para dar boot. E isso é ruim. Mas metade deste tempo (1min) é gasto com o KDE, pois eu o recompilei adicionando alguns recursos, que garantiram que ele ficasse mais estável (muitos programas que antes fechavam do nada agora não fazem mais) mas mais demorado. Mas o consumo de memória continua o mesmo de quando eu usava o Slackware 10.1, que demorava meros cinqüenta e tantos segundos para dar boot, o mesmo que o Windows XP nesta minha máquina.


[6] Comentário enviado por kalib em 10/01/2008 - 16:59h

Excelente artigo camarada...
Também discordo de alguns pequenos pontos, como por exemplo: "Se o site não roda no linux, deixe de acessar ele! ¬¬
Acho isso uma atitude um tanto quanto radical...deixar de usufruir de um serviço porque o linux não roda nele...Cansei de reportar esta minha "revolta" para os desenvolvedores e/ou responsáveis de tais sites...Sempre de forma sincera e objetiva...acredito eu que seja a melhor atitude...Até porque instalar o internet explorer, via wine, continua sendo um ato de pirataria. ;]

... Porém já sigo esta filosofia há algum tempo...
Já faz algum tempo que não rodo Windows de forma alguma em minha máquina...leia-se quase 1 ano...Porém ainda o tenho em minha máquina...e o deixarei lá para eventuais problemas que eu apenas possa vir a resolver com ele como por exemplo me comunicar utilizando minha webcam, já que a mesma não é suportada pelo linux ainda..até consegui colocar para rodar uma vez..mas com qualidade péssima...Infelizmente ainda encontramos esse tipo de problemas com o Linux.. :/ Não que eu seja fan de webcam..mas como as vezes viajo...como morei por exemplo 6 meses em outro país..é sempre útil se ter uma webcam para se comunicar com parentes e amigos que não se vê a muito tempo, não é mesmo?! ;]

Enfim...não me preocupo quanto a isso, já que minha cópia do windows é licenciada, portanto não estou utilizando-me de pirataria com este windows...Bom..pelo menos minha opnião é essa....

O linux é um sistema operacional excelente...e eu amo usar e desfrutar do mesmo..porém, ainda não está perfeito...claro..que está beem melhor que o Windows, porém como a grande massa ainda é adepta do Windows, os fabricantes de dispositivos raramente desenvolvem drivers para nosso pinguim... :/

Acho que utilizar o Linux é importante..ma somente utilizar de modo passivo não resolve...temos sim é que colocar a boca no trombone e relatar este tipo de erro...Eu por exemplo sempre que compro um dispositivo que não funciona ou tem suporte para linux, relato juntamente ao desenvolvedor de forma educada. Acho que se cada pessoa fizesse o mesmo..já teríamos uma VOZ...o que mostraria que o Linux também possui público.. ;]

abraços e obrigado pela contribuição

[7] Comentário enviado por dbahiaz em 10/01/2008 - 20:44h

Cara, legal o texto, muito bom mesmo, mais sempre gera uma polêmicazinha neh rs.
Discordo só em impor algo, seria realmente contra a filosofia.
Agora quanto aos comentarios do Elder e do tenchi, é relativo mesmo medir desempenho de sistema, ainda mais pelo boot ou pelo consumo de memoria na iniciação, depende de varios fatores quantidade dos modolos carregados,de programas,configurações etc...Tenho o Server 2003 instaldo em default (uso escolhar: aucad,pspice)e é mais rapido que o boot do suse, 32s contra 45s e nem por isso ele é mais rapido no geral, recentemente fiz um teste entre meu opensuse e o windows 2003, o suse deu um banho no geral, se duvidam vejam os scores:

http://browse.geekbench.ca/geekbench2/view/30228
http://browse.geekbench.ca/geekbench2/view/30230

Ps:Os teste simulam escrita e leitura na memoria, compressão de imagens e arquivos, processamento etc...

[8] Comentário enviado por winchester em 11/01/2008 - 08:27h

Se você fizer esse teste Linux X Windows em disco possívelmente o windows ganha. Porque o sistema de arquivos do linux é mais complexo, fragmenta menos. É tudo questão de recursos X velocidade :)

[9] Comentário enviado por vlxjunior em 11/01/2008 - 09:29h

Artigo muito bom, vlw mesmo . . .
São com essas coloborações que a comunidade aumenta e se fortalece.
PARÁBENS

[10] Comentário enviado por richard andrius em 11/01/2008 - 10:36h

Ainda não migrei completamente para Linux, e diante da realidade, acredito que nunca farei isso, pois é dificil para quem trabalha na área de informática e diariamente tem que conviver com Windows e muitos outros softwres comerciais.
Apoio o Linux mas não despreso o Windows!

[11] Comentário enviado por eldermarco em 11/01/2008 - 13:42h

Sim, sim, tenchi. Esses são os objetivos do software livre. E é exatamente por esses objetivos que permaneço e utilizo Linux. Mesmo com as dores de cabeça que enfrento (como querer configurar minha placa de som a meses, ter procurado ajuda em vários lugares, não ter conseguido e agora ter de se virar sozinho.).

São esses ideais nobres que me mantêm na comunidade e me faz ter vontade inclusive de escrever meus programas (assim que eu aprender mais C++ e a GTK :-)) e deixá-los sob os termos da GPL.

Quanto a ter muitos usuários... bom, Linux pode ter muitos. Mas o que são muitos pra vc? temos de ter algo ao que comparar. Se for em relação aos usuários Windows, os que usam Linux são uma super minoria. É isso que explica os motivos pelos quais as empresas se preocupam pouco em desenvolver drivers e outras coisas que permitam uma compatibilidade maior com o Pinguim. Isso é perfeitamente compreensível. O mercado sempre vai correr atrás daquilo que der uma maior retorno e lucro. Se o Windows faz isso, que se preocupe mais com ele! Caso eles desenvolvam algo para o Linux, será ou por boa vontade ou porque também estão tendo lucros com o Pinguim. A questão da boa vontade vai ser rara de se encontrar...
Mas existem muitas empresas que ajudam muito nisso. Agradecemos.

A única forma de chamar a atenção das empresas é se formos a maioria ou, pelos menos, uma grande fatia do mercado.

O problema é que sempre tive um certo medo de que tente difundir o Linux da maneira como está, com vários .confs, fstab's, asoundrc's e vários outros arquivos que o usuário tem de editar. Isso está fora da realidade. Nenhum leigo vai querer ter a vida dificultada com essas coisas. Os que usam Linux, fazem isso porque gostam, mas aqueles que só querem por diversão não vão querer, no Windows não tem isso, eles irão argumentar e terão toda razão.

É nessa parte que acho que o sistema deveria ajudar mais e não forçar o usuário a te de mexer nessas coisas.
Mas não só o sistema, até a comunidade! Se você usar a busca do VOL, por exemplo, para procurar alguma ajuda para seu problema, irá cair em coisas do tipo "edite tal arquivo", "abra isso no Vi", e um monte de outras coisas que não são pensadas da maneiras mais simples (considerando que existe uma, como uma solução em modo gráfico, como existem algumas vezes. E se não existem, deveriam).

Sendo assim, a comunidade se torna uma forma de exclusão daqueles mesmo que ela quer atrair, se não mostrar para os leigos que as coisas são simples e até mais fáceis que na "concorrência". Como instalar programas por exemplo, usando a interface gráfica. Isso é claro, se o usuário tiver uma conexão coma net, aí as coisas são simples, muitos mais fáceis que o "avançar, avançar" do Windows. Se não tiver... no Fedora eu sofro com isso por ainda estar sem net :-(

Para mim, esse é um dos maiores problemas da maioria das soluções livres.

O fanáticos negam isso. Eles fazem marketing em cima de coisas que não procedem. Mostram as coisas como se fossem muitos simples, mas deixam de levar em conta o conhecimento daquele que ele quer "converter". Criticam qualquer pequeno problema do Wndows, mas se esse problema estivesse no Linux, isso seria uma virtude, algo mais para descobrirmos uma solução. As coisas não são bem assim.
O que me deixa mais triste é que tenho a impressão que os fanáticos são uma grande parte da comunidade. Não fosse isso, nem estaria falando deles.

Então minha conclusão seria a de que o problema é também nosso, dos usuários que já usam e dos que desenvolvem e ainda não perceberam que comunicação e fácil uso é tudo se se quer conquistar alguém.


Isso seria a liberdade sem ter de se utilizar de qualquer forma fanática, algo natural, que aos poucos poderia se firmar.


[]'s

Elder

[12] Comentário enviado por alinef em 11/01/2008 - 19:51h

Isso foi em 2001 ou 2002, quando juntei dinheiro para comprar meu primeiro computador, um AMD 800Mhz, eu já sabia de antemão que queria instalar Linux nele, isso sem nunca ter usado um sistema Linux na minha vida. Só a idéia de pensar um Sistema Operacional desenvolvido por voluntários aos redor do planeta, me facinava. Decidi por comprar um pacote do Conectiva 7. Minha idéia era particionar o disco e manter o Rwindows Milenium mas graças ao fdisk calculei o espaço da partição erroneamente e no final a maior parte do disco foi ocupada pelo ext2. Assim fiz uma nova instalação, desta vez só com o Conectiva. Passei alguns meses de aperto por conta do winmodem que só fui sanar quando consegui comprar um hardmodem.

O que me motiva é sede de conhecimento. Não paro muito tempo com o mesmo sistema. Meses depois começei a me aventurar no Debian. Do Debian tentei buscar outros ares e larguei o Linux por algum tempo para experimentar o FreeBSD. Por problemas de compatibilidade de hardware (mais precisamente minha placa ATI) decidi voltar a usar linux, e então acabei decidindo pelo gentoo, muito pela similaridade do portage para com o ports (a possibilidade de compilar tudo é algo do qual eu não abro mão hoje). No momento, além do Gentoo, meu sistema de uso diário, tenho uma partição com Belenix, uma distribuição do OpenSolaris.

Eu não me interesso por Linux, mas por software livre. O caso da minha placa ATI é o mesmo que passávamos a anos atrás por conta dos winmodens. Não adianta usar Linux estando nós amarradxs em drivers proprietários com códigos fechados e cheios de bugs. Acho tenebroso, mas é extremamente possível que alcancemos um estágio onde a popularização do Linux esteja lado a lado com a proliferação de drivers proprietários para Som, Vídeo, Captura para Linux. E aí?


[13] Comentário enviado por Teixeira em 11/01/2008 - 21:42h

Muito bom o artigo. Esse assunto é fascinante!

[14] Comentário enviado por f_Candido em 11/01/2008 - 23:15h

Interessante seu artigo. Uma boa iniciativa, mas vale a pena tentar e seguir adiante com esta idéia.
Parabéns

[15] Comentário enviado por hddreis em 12/01/2008 - 22:10h

Até cerca de um ano atrás eu achava que era esperto e em 2 desktop que tenho em casa utilizava Windows XP sem licença, e eu achava normal porque não conheço ninguém que tenha a tal licença.
Isto incluía o pacote Office, etc, mas o antivirus tinha licença.
Frequentemente os 2 computadores travavam sem explicações até que descobri que meu XP não tinha atualização SP1 e com isso nem o antivírus funcionava corretamente.
Seria muito mais facil eu comprar mais um cd pirata com atualização SP2, mas como tinha que reinstalar o windows (novamente) decidi testar o Linux.
Não conhecia ninguém que tinha Linux no computador, mas na falta de opção arrisquei.
Iniciei com o Kurumin que na banca de jornal vendia uma revista com o CD.
Fiquei impressionado com a performance do computador, funcionou tudo corretamente.
Até aquele momento eu já havia adquirido o péssimo habito de só utilizar o mouse, clicar nos locais que quero que funciona (que é o que o windows faz).
As dúvidas apareceram e aí que descobri outro ponto forte do Linux, existe uma infinidade de fóruns no qual sempre alguém já passou pelos mesmos problemas e sempre há uma criatura de Deus aparece com a solução.
Mostrei para minha filha de 13 anos, e ela pediu para instalar no outro computador, com isso aprendi a instalar Amsn , ela demorou aproximadamente 2 horas para trabalhar com OpenOffice, Gimp, Amsn, gravar com K3B, utilizar atalhos, etc.
Já minha esposa que só trabalha com Office, não notou nenhuma dificuldade em utilizar o OpenOffice (mas reclamou que os nomes são diferentes).
Para mim foi uma situação muito delicada pois como trabalho com mecatronica industrial tenho que utilizar muitos recursos que eu só conhecia através dos softwares proprietários relativo aos equipamentos que conecto ao computador.por exemplo gravador de eprons, programador de PIC, etc.
Continuando minha surpresa descobri que já existe similares para Linux.
Hoje estou voltado a novas perspectivas, estou criando um software para uso industrial que utiliza Python que graças ao mundo Linux me mostrou esta possibilidade.
Para ser sincero eu estava virando um pregador de Linux, mas poucas pessoas se interessam por mudanças, ou tem medo delas, agora já estou mais centrado e falo de Linux a pessoas que demonstram interesse, caso contrario fico na minha.
Eu fico muito triste quando descubro que faculdades estão ensinando através de softwares da Microsoft e simplesmente falam para os alunos que Linux não presta.
Sei que a Microsoft está fazendo o papel dela em enfiar nas "cabecinhas" dos alunos para obter lucro, e fico muito mais triste alguem simplesmente dizer que isto não é só normal como correto, afinal tenho filhos e pretendo o melhor para eles, não quero que eles sejam fantoches.
No momento estou utilizando Ubuntu7.10, Python2.5, Mysql, Apache2, Django, e estou no meio do meu projeto, obs. com o Linux o micro nunca travou.
Minha mudança radical para Linux só me fez crescer profissionalmente, mentalmente e me fez notar o erro que cometia em utilizar softwares piratas.
Parabéns a todos que estão na luta.

Hercules Reis

[16] Comentário enviado por medicodepsf em 13/01/2008 - 00:57h

?comentario=Eu já comprei Ruindows, legítimo, quer saber? JOGUEI DINHEIRO FORA. Discordo de quem diz que o Ruindows é mais fácil para o iniciante. Mais fácil? Só se for para instalar. Para usar não é não. O Ruindows é mais fácil de ser instalado porque o mundo todo da indústria PRIVILEGIA o Ruindows, então obviamente vai ser "mais fácil" de instalar.

Há uma grande diferença entre usar e instalar!

Aqui em casa, eu tive o interesse de instalar, e a família toda usa, cada um com seu login. As pessoas daqui de casa sabem praticamente nada de informática e se sentiram à vontade nos seus logins de usuário comum. Eu fico de "administrador" e eles de usuários. O mais engraçado é que a maioria da internet é formada em ambiente UNIX, servidores linux, e ninguém acha a internet difícil!

Perguntem aos leigos: o que é mais fácil: navegar pela internet (que é na maioria das vezes o ambiente Linux, UNIX) ou mexer nos registros do Ruindows?

Quanto à liberdade, o Linux liberta, sim. Nos liberta de mais de 25 anos de MONOPÓLIO que é o que se tornou a Microsoft, essa empresa que se tornou a grande "venda casada" dos computadores domésticos e que obriga todos os outros programas a serem escritos para ele, para um SO que tem o código-fonte em segredo. Chegamos ao ponto de que, para o usuário comum, ele depende de um segredo guardado a sete chaves de uma empresa totalitária para ele poder bater uma simples carta no computador!

Como disse Linus Towards... falar é fácil, me mostre o código!

[17] Comentário enviado por jubilyz coiote em 15/01/2008 - 20:01h

sou leigo em linux leio muitas materias e ainda essa semana aprendi a usar o particionador e montar as partiçoes do extinto definitylinux instalei fuçando uma coisa aqui outra ali e seguindo dicas,montei meu K6 ll 500 e intalei-o.Mas no logar não consegui tentei durante horas olhei pra o win98 e não cedi...vou procurar fazer o melhor pra me tornar mestre em linux pois foi amor a primeira vista e mesmo não entendendo alguma coisa com linux sinto me livre como ele é

[18] Comentário enviado por racehorse em 18/01/2012 - 13:42h

Eu comecei a usar LINUX (apesar de ter amado ele assim q o vi) depois que o 'outro' quase arrebenta minha máquina pq eu dei a louca p tirar o RPC ! Rrsrsrs ah essas crianças!...
De lá para cá venho caminhando, cantando, sofrendo e amando... Só que tem umas questões muito importantes que eu particularmente, observei e observo: Os cursos LINUX estão acima das possibilidades de muitos - inclusive, as minhas - e muitas vezes, membros das Comunidades não respondem aos nossos pedidos de socorro, nem tem paciência com a gente sabe? Aí a gente fica sem saber como fazer e acaba voltando...Sei que ninguém tem obrigação de ficar nos ajudando, mas em contrapartida, se alguem não fizer isso, a cada dia o LINUX vai ficando apenas para Desenvolvedores...
É uma pena.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts