Windows x Linux: pontos de vista

Li o artigo intitulado "Por que o Linux é difícil", de autoria de Edwal F. Paiva Filho, publicado aqui mesmo no Viva o Linux. Este artigo/resposta é meu ponto de vista sobre o assunto baseando-me nos pontos levantados pelo Edwal.

[ Hits: 16.171 ]

Por: Fabio C Bastos em 30/05/2009 | Blog: http://khfw.wordpress.com


Linux x Windows



Nele (Porque o Linux é difícil), o autor questiona o pensamento de alguns defensores do Linux, nos quais me incluo, quanto a difícil questão sobre qual é melhor, Windows ou Linux. Ele propõe argumentos interessantes, alguns válidos, outros nem tanto (na minha interpretação), e, em linhas gerais, questiona o pensamento da comunidade geek de que o Linux é melhor e ponto final.

Essa opinião do autor, como ele próprio alega, é a postura do usuário normal. Mas, quem é esse "usuário normal"? Seria aquele que "quer algo que seja intuitivo e que o encante". E isso significa não ter trabalho para instalar drivers, por exemplo.

O autor se apega aos apelos comuns dos admiradores de Linux que dizem que este é um sistema superior ao Windows, porém esta é a visão de um técnico (ou os curiosos/iniciantes, que seja). O usuário normal quer ligar o computador e usá-lo, mas no Linux ele não consegue isso.

De cara, já posso oferecer um contra-argumento: o usuário quer ligar o computador e usar? Ok. Ele sabe o que está usando? Não importa para ele. Até porque, segundo o autor, O usuário tem o direito de pensar como um orangotango, pelo simples fato que é ele que escolhe o sistema operacional. Erro! O usuário não escolhe sistema operacional, ele nem sabe o que é isso. Ele compra o computador e quer que ele funcione baseado naquilo que já viu em outros computadores. Infelizmente, existe a padronização Windows (caminhando para o fim, espero) que emburrece o mercado consumidor e empobrece a livre concorrência. Um artigo interessante sobre isso é "A Microsoft Morreu", de Paul Grahan.

Comparações subjetivas

Então, como comparar os dois sistemas se o que importa é se funciona ou não?

O autor sugere que, no Linux, é comum ser necessário baixar drivers e isso é difícil e não deveria ser exigido do usuário. E o que dizer dos famosos codecs, de áudio e vídeo? Quantas vezes um usuário Windows não tentou rodar um vídeo .rmvb no Windows Media Player e obteve um pop-up de erro? O usuário comum entende isso? Sabe como resolver? Não! O que ele faz, então? Apela para alguém que conhece informática (o vizinho, o primo, o amigo etc).

E antes de ligar e usar o computador? Comprou o computador e já estava tudo instalado, certo? Se chega em casa e algo ocorre, qualquer coisa, como resolve? Apela para o bom e velho nerd!!!

Quero dizer, com isso, que o usuário comum gosta mesmo de praticidade e não vai se importar em aprender informática para usar seu computador. Mas ele vai conseguir aprender coisas básicas, do dia a dia, como instalar um programa simples.

No Ubuntu por exemplo, o Synaptic facilita muito na instalação dos programas exatamente por seguir o padrão "preguiça" dos usuários. É só instalar diretamente do repositório (é claro que o usuário não sabe nem o que é repositório) e usar.

O autor critica a biodiversidade (sic) de distros do Linux, pois entende que a padronização é do melhor interesse do usuário. Quem não é técnico/especialista prefere padrões de uso. Posso até concordar que isso ocorre, mas não é bom e deve ser desencorajado.

Conclusão

A ideia de uma distro que "descontente todos os especialistas, que seja odiada pelos puristas e amada pelos usuários" é falsa. O nerd gosta de fuçar e aprender, se o programa é bonito, ele quer saber como foi feito e criar algo melhor. O objetivo do hacker não é criar algo novo a todo momento, mas melhorar o que já existe. Seja por que tem um objetivo específico em mente (aumentar a segurança de criptografia de um túnel de comunicação, por exemplo), seja pela satisfação de vê-lo com sua cara, sua personalização.

Sendo assim, não entendo possível uma distro que seja odiada por puristas e amada por usuários.

O usuário quer mesmo é facilidade e ele consegue isso com o Linux. Muitas pessoas já instalaram distros diferentes em seus desktops para seus familiares usarem e nada encontraram que os desencorajasse.

A verdadeira questão é mais subjetiva e filosófica: a questão da liberdade de escolha. O nerd usa Linux porque pode fuçar no código, mas também porque o sistema o agrada. Ou alguém imagina que o nerd fica somente na linha de comando? Nós também gostamos de conversar online, jogar, ver fotos etc, e para isso precisamos de uma interface gráfica. Alguém usaria algo que não funcionasse? Que fosse feio? Alguém imagina que um nerd nunca usa um Synaptic? Que só vai de "apt-get install"?

Qual é? Preguiça não é exclusividade das pessoas normais.

Abraço,
Fábio

   

Páginas do artigo
   1. Linux x Windows
Outros artigos deste autor

Limitando acesso ao Team Viewer com Squid e IPTables

Instalação dual boot com 2 HDs com Windows XP e Ubuntu Linux

Linux sob o ponto de vista de um iniciante

Mais uma análise entre Windows e Linux

Leitura recomendada

Regulamentação das profissões na área de informática

Cadê a Comunidade!?!?

Libertarianismo e semelhanças com Software Livre

Aprendiz em Linux

A História que se perde...

  
Comentários
[1] Comentário enviado por Bernardo64 em 30/05/2009 - 12:34h

Depois de algum tempo acompanhando este site e outros sobre o linux, resolvi me manifestar no intuito de contribuir para este artigo. Poderia escrever um texto longo, mas vou optar por ser suscinto:

Tentei por diversas vezes utilizar o Linux através de algumas distribuições e a única que não deu problema foi o Kurumin mas esbarrou na resistencia de meus filhos em utiliza-lo: visual ultrapassado em alguns sofwares e incompatibilidade com o windows. Querer comparar o Word com outro editor de textos para Linux é chover no molhado: não tem comparação e afinal quem não precisa usar um editor de textos?

Os desenvolvedores linux deviam criar um sistema operacional básico a altura do windows para depois derivar para as distribuições.

Outra idéia que começa a me entusiasmar é o Minix. As idéias de seu autor são bastante concretas. Quando comecei a jogar tenis, comprei um livro do Borg para aprender algumas técnicas. Uma das mais importantes era: quanto mais simples o movimento, quanto menos variação ele tiver, mais consistencia obterá e terá mais condições de ser bem sucedido.

Obrigado pela atenção!

[2] Comentário enviado por Bernardo64 em 30/05/2009 - 12:55h

Cursei 2 anos em Tecnólogo em Processamentos de Dados, programei em Basic e Foxpro e não me considero totalmente leigo em computação, mas tem coisas que eu não entendo. Como programador minha principal tarefa é facilitar a vida do usuário final e não complicar para mostrar que meu cliente é inteligente.
Tem certas tarefas que tem que ser automatizadas para serem produtivas e outras não. Por exemplo: em um banco de dados lançar um registro é repetitivo e desgastante, então o programador deve se esmerar para facilitar a digitação, como teclas de atalho, autopreenchimento etc...Para fazer pesquisas finas deve trabalhar interativamente e uma não exclui a outra.

Um sistema operacional deve estar livre de erros, não trancar e ter que reiniciar o computador. O maior problema que constato é na instalação do Linux: se o sistema não possui o driver correto, deve procurar na internet ou então avisar o usuário da impossibilidade de instalação. Isto me parece óbvio e mínimo para um bom SO.

talvez continue mais tarde...Obrigado!

[3] Comentário enviado por Bernardo64 em 30/05/2009 - 13:01h

O usuário instala o SO e depois verifica que a rede wireless não funciona, ou não tem som. Será que não existe uma maneira de o próprio SO checar se esta tudo OK?

Com uma boa linguagem de programação, poucas coisas não podem ser feitas!

[4] Comentário enviado por andreaszaia em 30/05/2009 - 13:11h

Mas claro q eu imagino!!!

Eu !! soh uso linha de comando .. nada de synapct ou adept ou nada desse tipo ...

heheh

[5] Comentário enviado por init em 30/05/2009 - 13:35h

bernardo64 creio que o que vc quer é algo sem a minima segurança e em quem o vizinho te possa ajudar, essa minha opiniao apos ler seu comentario, quem usa linux desde os mais expert's aos que agora começaram sabem bem que vao ter que perder horas a ler para entender o sistema que estao usando, ate' mesmo as distros como ubuntu e outras têm os seus porques de alguma dificuldade, isso se deve porque as pessoas se habituaram demais com windows. tem gente que nem sabe que a maioria das drives vem por defaut na maioria das distros linux. o autor deixa bem claro no artigo que nao basta saber saber saber mexer em computador e' preciso entender o OS, um aparte: tem gente que nem faz ideia do que é um OS, como o vao entender e por e modificar??
Eu me considero um leigo totalmente porque nunca estou satisfeito com o OS, tem sempre algo para mudar, dar outro visual etc, a isso se chama de entender o sistema.
editores de texto ktos vc quer em linux?? texto ou grafico?? pode começao pelo nano, pico, daí passa para grafico modo grafico tem o open-office, koffice Emacs, um sem numero de escolhas, mas nao vai precisar de 2 anos em Tecnólogo, vai precisar ler para entender como trabalha um OS linux, sem esse passo fica a pergunta do autor:
Qual é? Preguiça não é exclusividade das pessoas normais.
Sua ultima observaçao me deixou intrigado, confesso que nunca vi sistema operacional sem erros, e tambem confesso que raramente reeinicio o pc, basta killar o processo que esta' a dar erro, se possivel reportar o erro, e reiniciar o processo.dificil como pode constactar.
Kto a drivers se as distros têm repositorios para algo e' pessoalmente ja'instalei desde ubuntu, fedora opensuse Slackware zenwalk e das duas uma: ou eu tenho sorte nas distros ou eu leio atentamente para saber o que estou a fazer!
abraço
ps x: nao deixe de ler o artigo que o autor menciona a microsof morreu

[6] Comentário enviado por rickmarques10 em 30/05/2009 - 13:56h

Vou dar a minha opinião, ok?

O autor deste artigo parece ser mais um daqueles adoradores que acham que o linux é suficiente. Não pode ler artigo nenhum falando sobre o windows, que já quer argumentar, ou falar contra.

Eu discordo totalmente desse tipo de pensamento. Ele incentiva a toda a comunidade a se acomodar, e pode até impedir de causar novas melhorias. Todos os movimentos no decorrer da história da informática ocorreram por causa da insatisfação, e por causa da necessidade. Foi daí que surgiram invenções cada vez mais práticas, mais rápidas e melhores.

Cada sistema operacional tem seu próprio estilo e é voltado para um público diferente. Venhamos e convenhamos, pessoal! O Windows foi feito para leigos. Já o linux está em fase de mudança, ganhando novos atrativos e coisas interessantes. Faltam ainda alguns ajustes para o usuário final ficar satisfeito. Mas ele já está chegando lá (O ubuntu 9, por exemplo).

Não adianta vc dizer que sua prima leiga gostou do linux e consegue realizar atividades básicas, se vc é um programador, ou é um entusiasta/iniciante. Porque ela vai ter você do lado dela pra explicar tudo.

Concordo totalmente com o Edwal F. Paiva Filho, pois eu detesto os comandos do terminal, também sou fascinado pelo synaptic e preciso sempre de botões, ícones mágicos ou balões. Preciso de tudo na mão.
Sinceramente, até hoje o artigo dele foi o que melhor expressou como um leigo que já utilizou windows enxerga o linux, à primeira vista.

[7] Comentário enviado por assuero em 30/05/2009 - 14:49h

Primeiramente quero dizer que, como o rickmarques10, eu vejo o Windows como um SO para leigos, e nesse ponto possui suas qualidades, e o Linux vejo como um SO desenvolvido inicialmente para um público avançado, mas que já está se tornando um SO utilizável por leigos.

Porém, algo que está me deixando intrigado nessas discussões Win x Linux é a afirmação de que o Linux deveria reconhecer e instalar os drivers automagicamente quando da instalação do sistema.

Eu me pergunto: por que quando vou formatar ou instalar um Win XP quase sempre (pc ultrapassado é excessão) preciso do cd da placa mãe para instalar os drivers de vídeo, som, rede e outros?

Será que isso ocorre só comigo? Só comigo o XP não instala automagicamente o driver de vídeo, audio e a ethernet onboard?

O Linux também não reconhece e instala automaticamente TODOS os drivers necessários na instalação, e o pior: não tem CD do fabricante com "drivers for Linux"(regra), mas nada que o synaptic não resolva.

[8] Comentário enviado por removido em 30/05/2009 - 15:37h

Muito bom o artigo

Meu ponto de vista:
Eu uso linux, e concordo com o que ele falou no artigo
O usuário que pensa como um orangotango não ta nem aí pra que sistema operacional está instalado na maquina dele, afinal ele nem sabe o que é isso

Descordo do cara que disse isso:
"Os desenvolvedores linux deviam criar um sistema operacional básico a altura do windows para depois derivar para as distribuições."

O linux não está a altura do windows?
Só pode ta de zuera, okasdosa
Bom, eu sempre digo que um sistema não é igual ao outro, o windows é bom para certas coisas, mas o linux é infinitamente melhor para outras.
Gostaria de saber qual o tempo máximo que um sistema Windows ficou ligado, talvez alguns meses, Existem servidores Linux ligados há anos sem dar um mínimo problema

Com certeza eu também acho que o Windows é melhor que o Linux para jogos. Alguns vão me criticar, mas me digam, o que acham mais fácil, emular o jogo no linux com o wine e ter que configurar o wine também, ou só instalar e jogar?

O linux é melhor para muitas coisas, eu acho que o linux com certeza é superior ao windows, o único problema é dos fabricantes de drivers que não fazem drivers para linux, isso desmotiva a galera a usar

[9] Comentário enviado por Teixeira em 30/05/2009 - 15:48h

Quase todos os artigos do gênero que tenho lido referem-se erroneamente a um determinado perfil de usuário-final:
O de INSTALADOR DE SISTEMA OPERACIONAL.
Ora, o usuário realmente leigo não instala nada, não ajusta nada, e se o fizer, quase sempre causará algum desastre enquadrado na escala Richter.
Ele sempre dependerá da intervenção de terceiros, seja do técnico habilitado, seja do "primo que entende tudo de computador" (o famoso "mechânico", que mexe em tudo).
No estágio seguinte, do usuário-curioso, aí sim ele começará a se aventurar daqui e dali (podendo igualmente alcançar o posto de "mechânico")
Vamos deixar bem definido isto:
Usuário USA (como o próprio nome indica, ora pois).
Técnicos, curiosos e afins INSTALAM (ou morrem tentando).
Isso tanto no Linux quanto no Windows.
No que se refere ao Mac, o usuário usa, e usa, e usa, e usa, e dificilmente instala (mas por vezes instala dificilmente).
E instalar não significa apenas copiar e abrir o programa de instalação.
O processo vai muito mais além, podendo dar logo certo ou não, tanto no Linux, quanto em Windows, Mac, etc.
Portanto nem sempre a obrigação de deixar um sistema realmente funcionando a contento é do próprio usuário, exceto quando ele já tem algum conhecimento a mais, de forma a poder aventurar-se com segurança nos meandros de uma instalação completa e/ou personalizada.

No tocante a detecção, sempre existe alguma falha em algum lugar.
Quem já tentou instalar uma poderosa Sound Blaster no windows já deve ter tido a desagradável surpresa de deparar-se com
aquele "som de lata de sardinhas" e com os instrumentos MIDI simplesmente irreconhecíveis, precisando de drivers do "falecido" DOS para que finalmente possa funcionar como deve.
(Neste ponto em particular, no Linux SE A PLACA FOR RECONHECIDA, não haverá problema algum com a qualidade sonora).
Quem já tentou fazer funcionar o microfone (no windows) em algum programa de chat e obteve sucesso na primeira empreitada?
O "danado" está presente no Controle de Volume porém ausente em qualquer programa de telefonia ou chat, o que leva os usuários interessados no VOIP literalmente à loucura.
Fácil de resolver até que é, mas quem descobriu a cura não foi a Microsoft, mas algum usuário com espírito fuçador...
(Já que toquei no assunto, aqui vai o caminho das pedras: Verifique o Gravador de Som. Ele acha que o microfone é somente seu, e fim de papo).

E quem já se deparou com o fenômeno de não conseguir uma conexão dial-up (nem a pau, Juvenal) depois que se instala o Linux no HD, quando antes tudo funcionava perfeitamente?

É como dizia o Hermes Trimegistro: O que está em cima é como o que está em baixo e o que está em baixo é como o que está em cima..
E como diz o Confúsio: Tanto faz lá como cá.

Obs. Não se trata do Confúcio (Kung Fu Tsio), mas do Confúsio mesmo...

[10] Comentário enviado por julianjedi em 30/05/2009 - 15:53h

Creio que se a comunidade trabalhasse mais em uma boa suite office o linux seria melhor aceito por usuarios leigos, apesar de concordar que o sistema esta praticamente perfeito ( muitos vao odiar o que vou falar agora) o Ubuntu é a prova viva disso, apesar de ter um bom conhecimento de informática ( principalmente de linux) migrei do slack para o Ubuntu, nao pela estabilidade, mas sim pela facilidade o ubuntu hj não é aquilo tudo que os final users desejam, porém esta bem próximo de alcançar tudo isso, mas ainda esbarramos em algumas coisas, tais como aplicativos e uam boa suite office, muitos podem ateh descordar, mas o Open-Office apesar de ser bom comparado com o M$office 2003 e o 2007 é a treva ^^ alem de ser lento (muito lento) os recursos que ele nos proporciona são muito primarios e os bons recusos estao muito escondidos Creio que toda a sua interface deveria ser repensada, e o java deveria ser descartadio ^^ deveria ser todo reescrito em C++ ou algo do genero, com isso ganhariamos e muito em performace e recursos ... bom pelo menos o OpenXML ta demais agora eh repensar na suite e com relação aos aplicativos creio que uma coisa interessante a canonical ja esta fazendo .. que eh bolar uma forma de portar( nao sei se eh exzatamente isso) os aplicativos do Android para linux. Pois o android mal entrou em circulação e ja esta bombando com relação a quantidade de aplicativos para ele, apesar de ser algo mei oquebra galho ... ja aumenta a gama de apps disponiveis, com relação a facilidade de instalação ... vamos e venhamos ... quer melhor que clicar em Adicionar/Remover e selecionar o aplicativo que vc quer e clicar em instalar... só acho que o usuario deveria ter um iso apra baixar com a maioria dos aplicativos mais famosos em CD ou DVD ... pra não precisar de uma conexão com a internet. kkkkkk podem ateh criticar... mas eh apenas minha humilde opiniao!!!

[11] Comentário enviado por albfneto em 30/05/2009 - 16:17h

Bom... cada sistema operacional é diferente, e bem diferente...
Aqui há opiniões sobre linhas de comando, usar ou não...
Olha, nenhum usuario iniciante usa linha de comando alguma...
Experientes, olha alguns usam só linha de comando... é raro agora, pq os tempos da tela preta acabaram, também em Linux.
tem experientes que usam instalador gráfico, sim....
Eu uso distros baseadas no Gentoo. Uso comando, mas uso Portato também!
Uma coisa é vc instalar "um pacote" ou dois ou três com linha de comando.... Outra coisa é vc querer instalar aquele aplicativo de GNOME, que não faz parte do GNOME base e que vc não sabe o nome do pacote ou a versão... O Portato é prático para fazer isso, Synaptic também!
por exemplo, vc quer atualizar 30 pacotes e não o sistema todo, e não sabe o nome desses pacotes todos... não é prático fazer isso em linha de comando!
deletar....
Uma coisa é deletar 3 arquivos que vc sabe onde estão, com linha de comando....
Outra coisa e deletar 40, em diretórios diferentes e vc não sabe onde estão... Pode fazer isso em linha de comando, mas vai demorar um tempão!
é mais fácil abrir o konqueror, thunar, dolphin, nautilus ou o krusader, procurar, marcar, trocar as preferências e apagar.
o que estou querendo dizer é que tem gente que usa só linha de comando, tem gente que usa só interface gráfica, mas acho a maioria usa os dois métodos....
outra coisa, que é o começo desse post. Quem mexeu com Mac OS, sabe....
Em Linux vc usa muita linha de comando....
em Windows, voce usa pouca ou só usa se quiser, e pode usar, e usar Windows em linha de comando, configura-lo, também exige conhecimento, é mais difícil que em linux,ainda!
mas em Mac OS... é um pacotão fechado só serve pra usar, tem grande performance, mas é tão protegido que não dá para mexer nele, pra fuçar....

[12] Comentário enviado por drparruda em 30/05/2009 - 16:24h

Acho que como um usuário sem nenhum tipo de formação em informática, posso manifestar minha opinião. Sou estudante de Medicina (acho que o único do curso inteiro que usa Linux! rsrsrsrs) e comecei com o Ubuntu há dois anos. Tenho um Ubuntu Studio 8.10 e um Windows XP instalados em minha máquina. Posso dizer que uso o Windows basicamente para jogos e para um ou outro programa que mais me atraem como o Windows Movie Maker ou o Traktor. De resto, em 99% do tempo estou no Linux. Por que? Porque o Linux é um milhão de vezes mais rápido (nem parece que eu ainda uso um Pentium 4 com 1 GB de Ram!!!). Meu irmão (usuário de Windows, com um Core 2 Duo e 2 GB de Ram) ficou impressionado com a performance do meu computador e perguntou quanto que eu gastei para montar minha máquina! huahauhua. Quando contei a ele que era um P4 1Gb ele desacreditou! Outra coisa que agrada muito o usuário comum, como eu, é colocar um pen drive (com uma aula pega de um notebook de um docente, por exemplo) e lá encontrar uns arquivos "esquisitos" em ".exe". Aí eu vou no google, checo que aqueles arquivos são vírus, clico neles e aperto "del". Tem coisa mais bonita do que "esterilizar" um pendrive com a tecla "delete"? Vai fazer isso no Windws!?!?!?!... hehehehe... Tá todo mundo contaminado com esses vírus de pen drive! Outra coisa: não uso a Internet pelo Windows jamais! É pedir pra pegar vírus! Agora, com o Ubuntu, meu amigo, entro até em site pornô daqueles que lotaria sua tela de novas janelas! rsrsrsrs...
Por fim, quanto a instalação de drivers e coisa e talz, hoje está fácil demais. Me utilizo de uma ferramenta muito poderosa chamada "www.google.com.br/linux". Consegui fazer tudo com ele, até instalar uma impressora Epson que só funciona com driver baixado de home page japonesa! Tá, isso deu trabalho, mas na hora que consegui colocar pra funcionar, foi só alegria. Do resto, o Synaptc é show de bola. E se não tiver o que eu quero no Synaptic, eu entro em algum forum e dou "Ctrl+c Ctrl+v" dos comandos no terminal (sim, você pode configurar o terminal para trabalhar com Ctrl+c Ctrl+v). Enfim, não há nenhum mistério em usar Linux. Nada que umas duas semanas dando umas fuçadinhas não resolva. E o prazer de ter uma máquina segura, rápida, bonita, 3D, que não trava e não pega vírus é algo que até médico se exalta!
P.S. E da parte gráfica nem preciso comentar sobre o Compiz Fusion e o Gimp, certo?
Gde abraço a todos!
Viva o Linux!!!

[13] Comentário enviado por armctec em 30/05/2009 - 18:13h

----------------------------------------------------------------------------------
Reposta ao comentário de Bernardo64 "Querer comparar o Word com outro editor de textos para Linux é chover no molhado: não tem comparação", você já usou alguma vez o OpenOffice/BrOffice, excelente alternativa ao Pacote da Microsoft, pontos fracos comparador com as versoes 2003 ou menores, utiliza mais memória RAM e demora mais em alguma tarefas, porém comparado a versão 2007 da Microsoft é muito mais rápido.
Outro detalhe é que a partir da versao 2.6 o OpenOffice melhorou muito a velocidade, e tambem é compativel quase 100%, e em alguns casos possui mais recursos que o da microsoft pois aceita plugins, por exemplo é o unico com o corretor ortográfico com a nova reforma ortográfica.
----------------------------------------------------------------------------------
Realmente pessar que o usuário é um orangotango, revela que ele deve ser um funcionário de suporte de TI e deve sofrer nas maos de seus usuários, concordo que a maioria da pessoas querem ligar e usar o computador e aqui um detalhe "QUEM NÃO QUER?", ou ele acha que quem usar linux instala e desinstala o linux todo dia? Ele instala, configura e usufrui de seus recursos.

Cada distro tem suas particularidas, assim como o windows tem as suas, o mac tem as suas, etc. Não podemos afirmar que os usuários que usam windows não gostariam de usar o Linux, afinal o windows é capaz que rodar do pendrive, utilizando apenas 360Mb, incluindo o pacote BrOffice, e utilizar os efeitos 3D de forma leve necessitando de uma máquina menos potente?

Não Sei, mais defendo o Linux, estou aprendendo a usá-lo, escolhi a distro Slackware e no dia a dia uso Windows, porque temos que mudar radicalmente? Mudo pouco a pouco uma das mudanca em andamento é a abandonar a todos os software windows e utilizar versoes Open Source assim tenho certeza que existem versões para Linux, já não uso Word a um bom tempo, não uso mais o Internet Explorer, etc....

Quando eu abandonar todos esses programas que me prendem ao windows estarei Livre? Ainda não sei os Jogos, estes são difíceis, as empresas investem pouco em outras plataformas, eu sei que o Linux tem jogos, mais diferente de um editor de Textos estes são difíceis de serem copiados, talvez essa seja uma das coisas que predem as pessoas no windows.

[14] Comentário enviado por irado em 30/05/2009 - 20:36h

este artigo está bem mais equilibrado e justo do que aquêle que lhe deu origem http://www.vivaolinux.com.br/artigo/Porque-o-Linux-e-dificil/
que é (IMHO) um pu**a dum FUD disfarçadíssimo. Êste artigo (e possivelmente, seu autor http://www.vivaolinux.com.br/perfil/verPerfil.php?login=pktp69) é equilibrado, já alguns comentadores por aqui.. argh.. M$-boys de carteirinha.

O ponto central e que vários (os desequilibrados) insistem em ignorar: USUÁRIO USA. Seja lá o que for que vc ponha na mão/mesa dêle. Um sujeito que vai ao restaurante e que pede cenouras ao molho branco, creme de espinafre com arroz à grega, manjar branco de sobremesa e NÃO VAI até a cozinha faze-los.

Volto sempre ao mesmo exemplo: minha mulher usa o Linux (começou com Slackware 8.0 + windowmaker, foi até o 12.0 com fluxbox) hoje estamos com CentOS 5.3 e gnome (fiquei com preguiça de instalar outro - risos). Mudou de interface gráfica, situou-se e faz tudo o que quer: escreve/responde zémails, escreve documentos (*doc/*pdf) no OpenOffice, navega com o firefox em qualquer site, nem sabe o que é rwindows. Aliás, sabe: uns 3 anos após estar usando a internet, com tudo que tem direito, viu-se frente a frente com o rwindows do meu filho. Odiou, perdeu-se, não sabia como fazer, detestou o InternetExploder e, principalmente, ficou horrorizada com a baixa velocidade de Internet dêle (link de 1G, o nosso é de 100k - risos). Ou seja, não ficou 10 minutos na frente da máquina, para espanto do meu filho.

Outro ponto: meu sobrinho e esposa vieram aqui (maquina compaq 733 com 256 de RAM, só a placa de video é nvidia 5200qualquercoisa). A esposa e os dois filhos adolescentes ficaram entusiasmados com o Linux, ela com o gimp e blender (tem veia artistica), êles com a navegação, msn, essas besteirinhas. IMPLORARAM para o pai (meu sobrinho) instalar na máquina dêles alegando que era muito mais rápida, mais bonita (era um CentOS/KDE), mais fácil. Mas o bundão não quiz, fazer o quê?

então aí já estão 4 usuários "normais", pessoas que só querem ter prazer, não trabalho com a máquina.

e nem me venham: em rwindows, se travar, ninguém sabe o que fazer (os normais).

Usuário NÃO VAI até a cozinha preparar seus pratos.

[15] Comentário enviado por annakamilla em 30/05/2009 - 21:52h

cara seu artigo está muito bom.

agora discordo do ubuntu ser sistema para preguiçosos pois muitos usuários tem procurado o vol para configurar o ubuntu na mão pois muitas vezes as placas não funcionam.



[16] Comentário enviado por mcnd2 em 30/05/2009 - 21:54h

Vamos lá.

Não sou um usuário com formação em informática mais dou minhas futucadas.

Conheci o Windows (95) em 2001 (depois do bug do milênio, rsrsrs...) e o Linux (Conectiva 8) em 2004. De lá para cá eu não sabia nada de informática. Desde quando comprei de um colega de trabalho um pc (Pentium 100 com Windows 95). Não sabia nada do sistema, nem mesmo fazer uma conexão dial-up. Depois de um tempo já com o Windows 98 já tinha progredido bastante graças aos meus esforços de aprender. Com o Linux (Conectiva 8) fiquei um bom tempo para conseguir instalar o bendito em um k6-2, que depois desse tempo todo eu descobri quando tentava instalar o Windows XP que também não estava tendo sucesso na instalação, que era uma incompatibilidade com os pentes de memória (memória DIMM). Daí pra cá foi só sucesso. Lógico depois do Linux instalado veio a dificuldade de um ano para conseguir colocar o winmodem para funcionar no Linux. Depois de tantas leituras e configurações sem sucesso consegui colocar ele pelo menos pra discar, mais já um grande passo, rsrsrs....

Então, hoje uso o Debian 5 "Lenny" em "tree" boot com o Windows XP e Windows 7 "BETA". É lógico que para chegar até onde estou foi um pouco trabalhoso e persistente em aprender. No Linux uso a linha de comando (que não sou muito fiel, pois não sou expert) e a parte gráfica como o "synaptic" (para instalações de pacotes). Já no Windows só mexo na parte gráfica, pois no prompt não sei nada. É aí que tá, começei na informática quase ao mesmo tempo com o Wndows e o Linux. Mas como minha curiosidade de aprender Linux foi maior que aprender Windows, hoje estou onde eu almejava. Mais quero ir bem afrente e aprender a programar.

Só um fato curioso. Um amigo comprou um pc superior ao meu, na época do meu pentium 100 e cansou de levar o pc para um técnico. Voltava bom, logo uma semana depois voltava ele para dizer que levou o pc denovo pois deu problema. Eu nunca tive esse problema de levar meu pc para um técnico, pois eu (técnico por querer, rsrsrs...) sempre conseguia resolver meus problemas, nem que se fosse pra apurrinhar outro amigo as 22:30 que entendia para tentar sanar meu problema. Hoje esse amigo que sempre levou o pc para um técnico tirou a certificação da Microsoft (1ª de tantas) e eu estou ai no mundo Open Source. Livre para Sempre.

[17] Comentário enviado por bilufe em 30/05/2009 - 23:18h

Todas as pessoas para quem apresentei o Linux rodando em meu computador ficaram maravilhadas!
Muitos dos meus amigos quando vem aqui em casa dizem: Nossa! Isto é Linux mesmo? Me disseram que o Linux é ruim, mas aí é muito melhor que o Windows!

Meus vizinhos que tem computador, todos me obrigaram a instalar Linux para eles!

[18] Comentário enviado por bilufe em 30/05/2009 - 23:19h

Uma vez fui a MM e vi que eles usavam o conectiva 10 com ICEWM e perguntei: vocês usam Linux aqui, ao passo que o vendedor disse: O que é Linux?

[19] Comentário enviado por bilufe em 30/05/2009 - 23:26h

E sabe de quem é a culpa da má fama do Linux?
Antigamente era do sistema mesmo...
Mas hoje é os próprios usuários que dificultam a adoção do sistema por outros usuários, visto que muitos usuários de Linux acham-se superiores aos usuários de Windows e afirmam com convicção, como alguns que postaram aqui, que Linux é só para ele.

[20] Comentário enviado por bilufe em 30/05/2009 - 23:29h

E nesta discussão percebe-se pessoas que nem sequer sabe o que é realmente o Linux, não sabem o que é uma distribuição do Linux e ficam comentando besteiras.


Para começar Linux não é o sistema operacional, o Linux é apenas o kernel de um sistema operacional. Várias empresas ou grupo de pessoas fizeram vários sistemas operacionais baseados no kernel Linux, portanto o sistema operacional é Ubuntu, é Mandriva, é Biglinux, é OpenSuse e nao Linux propriamente dito.

Ou alguém denomina o MacOS X de Darwin? Ele é MacOS X, somente o kernel é o Darwin.

[21] Comentário enviado por bilufe em 30/05/2009 - 23:32h

Um bom exemplo de que não existe nenhum sistema operacional Linux é o fato da existência do Debian e a possibilidade deste usar vários kernels diferentes, o Debian suporta o kernel Linux, kernel BSD, kernel HURD e outros. Mas ele é sistema operacional DEBIAN! Ou se mudar o kernel ele deixa de ser Debian?

[22] Comentário enviado por bilufe em 30/05/2009 - 23:38h

Querer comparar o Word com outro editor de textos para Linux é chover no molhado:
*************

Essa doeu quando li, mostrou que o autor é uma pessoa de completa ignorância.
Eu não comparo o Word nem com o Writer, pois sei que o Word irá perder para o Writer, visto que o Writer tem corretor gramatical e ortográfico atualizado, o Writer tem funcionalidade para exportar e importar PDF, tem funcionalidades de cálculos em tabelas, tem banco de dados compartilhado... Enquanto o Word carece de tudo isto.

[23] Comentário enviado por bilufe em 31/05/2009 - 00:29h

Pra mostrar mais uma vez a ignorância de alguns usuários de Linux quanto a alguns assuntos e como estes tentam fazer outros usuários até mesmo abandonarem o Linux e partirem para outro sistema operacional é uma discussão que tivemos em um fórum, onde o autor do tópico informou que estaria montando uma lanhouse com Linux e gostaria de obter informações sobre jogos e programas para gerenciamento de Lans para Linux.

Muitos só disseram: usa Windows, usa Windows, usa Windows. Quem diste isto: usuários de Linux!
E de outro lado apareceu um cara dizendo: eu tenho uma lan em Linux! E o pessoal não acreditava, pois os usuários de Linux desconhecem o próprio sistema e não acreditam que o mesmo possa ser bom para determinadas tarefas!

E nesta mesma discussão um usuário de Linux falou:
"Imagine seu cliente procurar o Word, e você vai ter que explicar para ele que não tem Word; imagine o seu cliente conectar o pendrive e você tem que ensinar que não tem MEU COMPUTADOR, mas o pendrive está em LOCAIS".

Só que este usuário de Linux acabou demonstrando seu completo desconhecimento. Em lanhouses o cliente não tem acesso à área de trabalho do sistema operacional, mas ele tem acesso a atalhos pelo gerenciador de lanhouses instalado no sistema. No entanto, caso necessário acessar a área de trabalho basta modificar o tema para ficar parecido com o do Windows e basta alterar o nome dos ícones (Writer troca para Word, Calc para Excel, etc).

Outro fato foi sobre os jogos, que os usuários de Linux não acreditavam que Linux tem jogos suficientes para serem implementados em Lanhouses, ledo engano porque nós temos! E o Wine e Cedega são suficientes para rodar outros títulos.

Counter Strike, instala por meio do Wine.
Americas Army tem versão para Linux.
GTA muitos poucos jogam, mas roda por meio do Cedega.
Enemy Territory tem versão para Linux.
ColdFear roda por meio do Wine.

Se o administrador da LanHouse souber escolher os jogos e aplicativos ele vai ter uma lanhouse que vai conquistar clientes pelo seu diferencial.
Quem sabe uma Lanhouse com Americas Army, Enemy Territory, ColdFear, Alien Arena, Tremulous, Savage, Eternal Lands, Second Life, Counter Strike, Ragnarok (tem um servidor brasileiro que tem parceria com o Ubuntu Games), Sauerbraten, Cube, AssaultCube, Wormux, Caster (custa só 5 dólares), Sacred: Gold Edition, tuxkart, torcs, Freedroid RPG, Wesnoth, Glest, Flight Gear, World of Goo, Track Mania, EVE Online, FreeCol, Platinum Arts Sandbox, Nexuiz, Urban Terror, Penumbra (tem versão nativa!), OpenArena, OpenLieroX, Robombs, BzFlag, Boswars, Maniadrive, neverball, Thunder and Lightning, Ufo: Alien Invasion, Quake, Unreal Tournament, VegaStrike, Warsow, Warzone2a100, World of Padman, Widelands, Jack Keane, Ankh 2: Heart Of Osiris, Zero Ballistics, e muitos outros.

Além disto pode-se oferecer games emulados de PS e outros consoles, realmente um diferencial!

Em resumo, só não tem jogos no Linux se não procurar.... porque temos muitos jogos excelentes e as opções existentes dá e sobra para ll

[24] Comentário enviado por removido em 31/05/2009 - 03:46h

************************************
É importante que admistradores de sistemas saibam como funciona o SO, mas para usuários isso é totalmente dispensável.

Retorno a velha analogia: Você precisa entender de mecânica de automóveis para dirigir um?

Mais uma coisa, liberdade é escolher o SO que deseja utilizar, inclusive se é pago e se é Microsoft. Em qual outra situação você vê usuários atazanando outros usuários para utilizar um produto específico? Quando você vai comprar sabão em pó aparece alguém para te convencer a utilizar "Open Sabão"?
************************************

Hehehehe... nao to nem ai pra essa discussão, mas achei esse comentário engraçado... Não precisa entender de mecânica pra dirigir carro não. Mas eu conserto o meu... e por saber consertar, facilita demais a minha vida, da minha família e amigos... e mesmo qdo ele para na beira da estrada, eu saco a minha caixa de ferramentas e dou um jeito...

E o meu open sabão é feito em casa com soda cáustica e restos de oleo vegetal e animal (é isso ae.. resto de fritura, etc)... proporcionando um ambiente clean open soap... hehehe...

Eu não encho o saco de ninguém pra que use nada... Cada faz o que quiser da própria vida. Depois não reclame. Mas não encha o meu tamem...

[25] Comentário enviado por pinduvoz em 31/05/2009 - 06:58h

Em 90% dos casos as distros modernas instalam perfeitamente todo o harware. O problema são os 10% restantes.

Já o Windows, ao menos até o Vista, precisa do CD de drivers para funcionar.

E o "ao menos" fica por conta do Windows 7, ou W7, que estou testando no meu laptop "tudo Intel e on board" (um Compaq Presario C700).

O W7 instalou todo o hardware do laptop pelo Windows Update.

Isso, realmente, me surpreendeu.

[26] Comentário enviado por Teixeira em 31/05/2009 - 08:17h

Acho que há um consenso entre nós, o de que o usuário USA.
Ele não precisa necessariamente ser um expert em informática, assim como o motorista não tem obrigação de entender de mecânica ou engenharia, o telespectador não precisa saber como as ondas se propagam pelo ar, etc.
Embora possamos em teoria comer sempre em restaurantes, e ter nossas necessidades atendidas por familiares ou trabalhadores mesmo fora de nossa casa, todos nós de uma forma análoga deveríamos aprender a pregar botão, a fazer café e a fritar ovo, pois esse conhecimento pode ser útil um dia.
Mas não existe a obrigação de aprender a fazer essas coisa. Aprende quem quiser.
Para alguns isso será supérfluo, para outros será essencial.
Tem gente que não sabe nem passar margarina no pão, e esse conhecimento não lhe faz falta.




[27] Comentário enviado por bilufe em 31/05/2009 - 10:12h

Linux atende as necessidades de 95% dos usuários de Windows, o restante 5% são usuários que precisam de programas específicos que só rodam na plataforma Windows.

95% das pessoas poderiam migrar para Linux sem medo.

[28] Comentário enviado por bilufe em 31/05/2009 - 10:26h

Na verdade, os usuários de Windows precisam ser geeks para usar o Windows. Precisam se especializar em técnicas de proteção contra vírus.


Geralmente um usuário de Windows precisa ser fera para operar o computador:
* Fera nas questões de anti-vírus, firewall, anti-trojans, etc...
* Fera em criar backups e restaurá-los.
* Fera em fazer a manutenção do sistema, como a desfragmentação periódica, varredura por vírus periódica, limpeza de disco periódica, etc.
* Fera em entender as mensagens estranhas que aparecem na tela.
* Fera em saber procurar novos programas, pois se baixar um programa infectado aí fudeu tudo.
* Fera em decorar o nome do desenvolvedor de um programa, pois para achar qualquer programa no menu iniciar do Windows é necessário saber o nome do desenvolvedor do programa.
* Fera em configurar a inicialização do sistema, pois cada programa que você instalar quer sempre iniciar com o sistema e deixar o computador mais lento.
* Fera em instalar drivers de hardware, pois cada dispositivo novo que você conectar no computador (câmera digital, celular, etc) precisa de um driver específico.

Eu, que sou um usuário normal e não sou FERA uso Linux porque:
* Não entendo nada de vírus, por isto não quero ser incomodado por estes.
* Backups, só gravo o que é importante para mim em CD/DVD; o restante que se foda.
* Manutenção do sistema? Precisa isto no Linux? Eu não quero ficar doando horas de processamento para o sistema operacional fazer aquilo que ele deveria ter feito sem precisar minha intervenção.
* Concordo que no Linux muitas vezes não dá para entender algumas mensagens, que são mais estranhas ainda do que as do Windows.
* Não preciso ter medo de instalar novos programas, os repositórios são 100% seguros.
* Eu escolho quais programas devem iniciar com o sistema ou não, é muito mais fácil de ter que ficar procurando pelos programas e eliminá-los da inicialização do sistema (como ocorre no Windows).
* Preciso entender de drivers? No meu Linux é só conectar e usar! Nunca precisei procurar por drivers adicionais. Mas uma vez instalei o Linux para um vizinho e tive que buscar na internet um driver para a impressora, foi só baixar o pacote .DEB e dar dois cliques!

Por isto que eu acho que Windows é para geeks e experts, pois é necessário entender como funciona o sistema para usá-lo.

Já no Linux, simplesmente liga-se o computador e usá-lo!

[29] Comentário enviado por bilufe em 31/05/2009 - 10:28h

Nunca precisei procurar por drivers adicionais.,, correção: procurei apenas para o meu vizinho.
Mas foi fácil demais, instalar uma Canon JP1500 só dando dois cliques no pacote .DEB

[30] Comentário enviado por fernandoborges em 31/05/2009 - 11:06h

Essas discussões "ao estilo xiita" de ambos os lados não levam a nada...
Tanto Linux quanto Windows possuem prós e contras!
Continuemos colaborando com resoluções para os problemas encontrados por iniciantes e intermediários em Linux, é isso que importa!
Abraços!

[31] Comentário enviado por annakamilla em 31/05/2009 - 15:13h

cara os dois precisam procurar drivers.


[32] Comentário enviado por annakamilla em 31/05/2009 - 17:06h

se não me engano o cs tb tem versão linux.


[33] Comentário enviado por timus em 31/05/2009 - 19:04h

Gostei do artigo, mas no momento o Linux é um estudo em andamento, ainda trabalho muito com música e o Linux deixa muito a desejar em relação aos software de áudio e edição de partitura! então uso Windows, mas quando quero aplicar estudos de linguem C vou ao Shell Linux, é assim meu computador:

Debian (apenas modo texto)
Vim/gcc, W3m, Pebrot, , Mplayer...

Windows xp
Antvirus, Finale, Samplitude, Sound Forge, Opera, BrOffice, Cygwin, Gcompris (meu filho), Amsn, Suite Nero...

Sou comum.

[34] Comentário enviado por cruzeirense em 31/05/2009 - 22:15h

Acho que agente tinha que aprender com o windows.
O linux está aí a mais de 15 anos, e apesar de ser "muito melhor que a porcaria do windows" ainda toma uma surra feia em número de usuários.
Muitos alegam que a Microsoft use técnicas comerciais, digamos, anti éticas para dominar o mercado.
Será que é só isso mesmo?
Lembro-me que quando a microsoft resolver embutir o Internet explorer no Windows 98 isso foi considerado um absurdo. Hoje todas as distribuições linux vem com o firefox instalado e isso é considerada a coisa mais normal do mundo.
Será que o Windows não tem coisas boas que devemos aprender.
Existe uma máxima que diz assim: O difícil não é chegar no topo e sim continuar lá em cima.
O Windows, mesmo sendo mais caro e "pior" está no topo a mais de uma década.
Outra coisa, será que a teoria open source pegou mesmo? Você já fez alguma coisa de código aberto? Ou pegou um programa open source, alterou o código e repassou para outros utilizarem?
Tirando alguns projetos grandes (Linux, Firefox, Firebird...) a grande maioria de projetos open source surgem e morrem da noite para o dia. Dá uma olhada no source forge e veja a quantidade de projetos "abandonados" a procura de um desenvolvedor. Ah, quer um exemplo melhor? Cadê o Kurumin? A grande maioria dos desenvolvedores open source (normalmente europa e eua) não precisa do trabalho para viver. Agora no brasil a história é diferente.
Mais importante que o open source é o open user.

ABRAÇOS,

RENATO

[35] Comentário enviado por m4iir1c10 em 01/06/2009 - 01:44h

Pessoal quando eu leio respostas ou artigos como "conheci o windows 2000" ou coisa do tipo, eu penso... "caraca eu to ficando velho".
Eu conheci informática com o MSdos 6.22, depois foi o win95,98 (amei esse por sinal), ME (odiei),2000 e XP (instalei o vista por um mês e desinstalei depois achando que foi a maior burrada que eu fiz).
Em meados de 96/97 um colega meu me falou do Linux, eu critiquei ele, chamei ele de loco por trocar o w95 por um Linux.
Anos se passaram e eu achava o Windows XP sensacional, quando alguem me falava de qualquer outra coisa eu metia o pau (sem duplo sentido por favor). Até que eu instalei o finado Kalango Linux, foi paixão ao primeiro uso.

Hoje, que eu acordei e sai da matriXP, percebi que o melhor para quem quer usar um computador é ligar e ver ele funcionar, eu pensava que não existia essa historia de instalar e sair usando o computador, quem aqui me dizer que instalou um windows e saiu usando é o maior mentiroso, porque ele pede driver para tudo, codecs, etc. Um grande absurdo foi quando eu pluguei minha webcam na usb1 e instalei o driver, usei no outro dia pluguei a mesma câmera no usb2 e o Ruindows me pediu para instalar o driver da câmera, imediatamente despluguei e pluguei outra vez no usb1 e funcionou normal.

Qualquer pessoa que quer usar um computador não e um babuíno ou um chipanzé, se você usar um windows para escrever qualquer coisa em um editor de texto você tem que comprar, instalar e usar; Ou seja quer um Word? ele não vem instalado, você compra, quer um photoshop? compra. Agora mais de 80% dos usuários comum, baixam ou pegam um pirata. O usuário que dizer que nunca saiu a procura de um programa pra fazer alguma coisa ou um codec ou um driver para o Windows, esse com certeza odeia computadores e "acha que computadores são muito complicados", nao interessa se é Linux ou Windows

O Linux você instala e sai usando (quem nunca fez isso, se informe a respeito do Sabayon Linux), quer instalar algo novo? digita o comando ou pega nos repositórios usando um gerenciador de pacotes e pronto, quer um driver para um Hardware que o fabricante é um mercantilista e não ta nem ai para o usuário do Linux? google nele.

Para encerrar, O Linux e rápido, seguro, fácil, e divertido. Antigamente as pessoas reclamavam que o Linux não tem muito programas, hoje eles reclamam que tem muitos programas; Antigamente ele reclamavam que era difícil instalar compilando, hoje eles reclamam que é difícil escolher entre digitar apt-get install ou ir no synaptic; Antigamente eles reclamavam que não havia uma interface gráfica bonita, hoje eles reclamam que ha muitas (KDE, Gnome, Compiz, Fluxbox, etc.), a mesma coisa a respeito das distros. Eu creio que os problemas são mais relacionados aquela peça que fica entre o teclado e a cadeira.

[36] Comentário enviado por facb69 em 01/06/2009 - 10:14h

annak1408,
eu não disse que o ubuntu é um sistema para preguiçosos. eu quis dizer que mesmo os nerds tem preguiça e, às vezes, instalam um programa pela interface gráfica ao invés de usar a linha de comando.

bilufe,
ponto importante o que você abordou: Linux é um kernel, não um sistema operacional. temos, eu incluído, a mania de falarmos de Linux de maneira generalizada, sem explicar que usamos, na real, um sistema operacional de código aberto cujo kernel é o Linux. talvez fosse interessante analisar se esse erro de informação atrapalha ou não na divulgação correta do tema.

cruzeirense,
o firefox não vem instalado nas distribuições Linux como o IE vem no Windows. as distros vem prontas para uso portanto precisam de um browser e o firefox é o de melhor desempenho para esses SO´s. o que não o impede de instalar outro, eu mesmo uso o Opera, na maior parte do tempo. o que a microsoft fez, à época, foi um procedimento para controle de mercado pois não era possível usar outro navegador ou desinstalar o IE. quanto à microsoft estar no topo há mais de
uma década, isso não significa que ela é boa ou ruim. ela usou táticas de mercado para se estabelecer, introduziu conceitos diferentes para esse tipo de negócio, que era incipiente, para o dominar. a microsoft está deixando de ter domínio completo do negócio exatamente por conta do desenvolvimento de novos conceitos, produtos e filosofias. o monopólio, tanto quando a ditadura, não são aceitáveis ou eternas.

m4iir1c10,
acho que você colocou o dedo na ferida: o problema é a peça entre o teclado e a cadeira!...hahahaha

Obrigado a todos que comentaram o artigo. Divergências sempre existirão, o que não pode deixar de existir é a liberdade para expressá-las.

Abraços,
Fábio

[37] Comentário enviado por stremer em 01/06/2009 - 10:39h

Amo Linux! Amo software livre! Uso linux... já usei freebsd, solaris, hp-ux, aix, sco, ms-dos 3, 4, 5, 6, 6.22, windows 2, 3, 3.1, 95, NT 3.51, NT 4, 98, ME, 2000, XP, 2003, Vista... Linux... slackware, redhat, conectiva, debian, ubutus, dsl, slitaz, kurumin, etc etc... e afirmo apenas UMA COISA! SÃO SISTEMAS OPERACIONAIS E MAIS NADA, ALGUNS SÃO MELHORES PARA UMAS COISAS, OUTROS PARA OUTRAS!
Mas o usuário final, uso PROGRAMAS e não ta nem ai pro SO... o problema não é o LINUX qdo se compara com outros programas, mas os programas em si, que muitas vezes só tem versão para windows... Eu odeio pirataria, mas minha irmã me ligou e pediu para instalar o photoshop no computador dela, eu falei que não tinha e que poderia colocar o gimp que era bem parecido, pro usuário comum atenderia muito bem (ela não é nenhuma especialista em fotos, só queria dar um trato em algumas fotos). Após instalação do gimp tive de ouvir umas 10 vezes... nossa como esse programa é ruim... tudo que ela queria fazer eu ia la e mostrava como fazer (eu tbem não manjo quase nada de edição de foto, a maior parte procurava um tuto no youtube e agente repetia)... passadas quase uma hora...a conclusão dela que o gimp era diferente e podia fazer tudo que o photoshop mas ERA UM LIXO! muito ruim de se mexer as ferramentas. Eu falei que não tinha photoshop e poderia baixar um pirata mas tinha risco de virus, malware e tudo mais... ela me pediu para falar como (ela ja estava me tachando de incompetente por ter oferecido um programa tão ruim para ela)... fui até o piratebay e fiz uma coisa que não fazia a ano... pegar um genérico... se tinha virus eu não sei, o avg não pegou, mas enfim, instalou, e ela me mostrou tudo que Penamos para fazer no gimp de forma facil, rapida eficiente no photoshop... me convenceu... para mim que uso o gimp para meia duzia de funcionalidades é uma alternativa... para ela que embora tbem usuária comum mas que exige um pouco mais... o GIMP É INFERIOR AO PHOTOSHOP sim... e usuário comum não se preocupa com filosofia de software livre, com pirataria, com nada... quer o resultado final ou seja... a foto bem feita!!!
Confesso que me pergunto... até quando vale a pena querer oferecer software livre alternativo a estes usuários comuns????
O linux é bom... sim é ótimo e melhor que outros sistemas para muitas coisas... mas diria que não é perfeito... depende do que o usuário quer... o linux como um todo pode não atender... então não devemos ser tão radicais assim!

São apenas sistemas operacionais... e aplicativos... tem areas que os aplicativos comerciais são e provavelmente sempre serão melhor que as alternativas gratuitas ou livres... mas que podem atender determinado publico... falar que o linux é para qualquer um (linux como um todo, uma distro com programas e tudo mais)... é a mais PURA MENTIRA! Linux funciona para LEIGO SIM, mas NÃO PARA QUALQUER USUÁRIO!

[38] Comentário enviado por stremer em 01/06/2009 - 13:22h

Apenas para comentar sobre o artigo: A microsoft morreu!
Essa foi a piada do dia !!!!

A microsoft pode não ser mais a primeira, a numero um, mas pera ai... os tempos mudaram... muita coisa mudou.... e o google não é tanto assim... mesmo a Apple tando em alta (principalmente nos EUA) ainda não dominou o mercado de desktops por la... no brasil então nem se fala... ainda temos mais de 90% dos desks rodando windows... a microsoft ainda é uma das empresas mais fortes do mundo!

Ajax... ajax... ajax... é ... da pra fazer muita coisa com os tais aplicativos web, ou software as a service... mas ainda não é possivel substituir milhares de ferramentas... o comentário do autor foi totalmente infeliz ao meu ver quando falou isso...

A maior parte das pessoas usam internet 90% do tempo que estão utilizando o computador... realmente a banda larga já é realidade até mesmo em grandes capitais brasileiras... mas nem por isso os usuários vivem somente de soluções on-line... sim... há aqueles que conseguem usar só o "basicão" e tão livres da microsoft (oque é indiferente)... mas a grande maioria ainda usa ferramentas a parte que muitas vezes dependem do microsoft windows!

Realmente infeliz.... Eu diria que a Microsoft não esta tão viva quanto há 15 anos atras... mas continua muito forte e continuará ainda por muito tempo!

[39] Comentário enviado por stremer em 01/06/2009 - 13:28h

Ainda sobre o assunto:
http://www.paulgraham.com/cliffsnotes.html

Basta ler e ver que o Microsoft morreu citado pelo autor é "até correto", pois hoje podemos desenvolver software, e ganhar dinheiro, fazer acontecer, sem nem mesmo pensar no nome microsoft (diferente da epoca que qualquer detalhe tinha a microsoft no meio)...

Infelizmente a tradução foi infeliz e os argumentos como um todo também pois estão frisando coisas muito especificas.

[40] Comentário enviado por femars em 01/06/2009 - 13:33h

Para os winusers
http://franciscoemars.no-ip.org:8087/publico/imagens/bug_win_supermercado_gimenes.jpg

Eu tirei a foto do meu cel, num supermecado da minha cidade!

[]'s Xiiico

[41] Comentário enviado por adrianoturbo em 01/06/2009 - 16:02h

Creio que essa discussão saudável não nos leve a lugar nenhum .
Todos sabemos das peculiaridades tanto do Windows como do Linux ,basta frisar que cada sistema tem a sua limitação ,e
mesmo assim não os torna indiferentes das demais plataformas .
O usuário não nasce especialista e não esperamos que seja,afinal eles querem apenas o resultado,ou seja,o serviço funcionando.
O glamour do Linux sempre esteve atrelado a questão de liberdade coisa dificil de se ver e fazer numa plataforma fechada Windows,
agora dizer que trabalhar em cima do console é ultrapassado e o melhor seria brincar de linha de comando numa interface gráfica
colorida ,pra mim isso seria um retrocesso.
O Linux é liberdade e liberdade não se vende se conquista com conhecimento .


[42] Comentário enviado por thiagods.ti em 01/06/2009 - 16:46h

Seu ponto de visto é muito válido.

Só achei desnecessária a frase "Alguém imagina que um nerd nunca usa um Synaptic? Que só vai de 'apt-get install'".
Eu aposto que muitos só usam apt-get install ou apt-cache search file | grep "file" ou coisas assim.. Eu sinceramente só uso o apt-get por ser muito mais ágil =P

Agora você poderia falar "Dúvido que tenha pessoas que compilam todos os programas na mão" ai acho que você não encontraria mesmo, ah não ser slackers dakeles bem das antiga mesmo.

[43] Comentário enviado por stremer em 01/06/2009 - 18:56h

ablfneto:
mas em Mac OS... é um pacotão fechado só serve pra usar, tem grande performance, mas é tão protegido que não dá para mexer nele, pra fuçar....

Desculpe, mas acho que você nunca usou um Mac OSX de verdade....
e olha que eu conheço muito pouco desse sistema...

mas nele há um servidor grafico X... pode utilizar o bash... da pra fuçar sim em muita coisa... é praticamente um BSD...
Lógico que não da pra ficar recompilando kernel e personalizando o maximo que nem o linux... nesse quesito... o linux é imbativel ao meu ver... embora possa personalizar ao maximo tbem o FreeBSD....

As limitações do MacOS estão mais próximas do windows do que linux... o windows tem muita coisa que não da pra fazer pela linha de comando (embora grande parte das tarefas de)... por isso a microsoft criou o tal do Windows Power Shell.... mas ai ja é outra história.

[44] Comentário enviado por nicolo em 01/06/2009 - 20:30h

O CARA FAZ UMA MONTANHA DE AFIRMAÇÕES DA CABEÇA DELE E DIZ QUE ESTÃO NO MEU ARTIGO.
TÁ BRABÍSSIMO.
NÃO COMPAREI LINUX COM WINDOWS, ISSO É BANAL E VULGAR.
NÃO DISSE QUE O WINDOWS É FÁCIL.

NÃO QUESTIONO O PENSAMENTO DA COMUNIDADE GEEK, QUE O LINUX É MELHOR QUE O WINDOWS, ATÉ, DIGO QUE ISSO É BONITO E NECESSAŔIO, MAS NÃO É SUFICIENTE. (DAS AULAS DE LÓGICA: CONDIÇÃO NECESSAŔIA É DIFERENTE DE CONDIÇÃO SUFICIENTE).
NÃO EXISTE USUÁRIO NORMAL, O QUE ALIÁS FOI DEFINIDO COMO USUÁRIO PARTICULAR E NÃO COMO USUÁRIO PADRÃO NO MEU ARTIGO.
A COISA TÁ BRABÍSSIMA

Olha Cara. O WINDOWS não emburrece o mercado. Francamente o mercado já é assim mesmo, não se iluda que o mercado vá louvar as virtudes tecnológicas do Linux.
O WINDOWS não se tornou padrão por colocar um Vista em cada Micro. O que fez a popularidade do Windows foi a pirataria mesmo. O Linux já era o padrão em 1995.

O que dá tristeza é que o Linux poderia angariar muito mais usuários se não fosse TÃO "SAGRADO" e exclusivo dos gênios, e isso é um eufemísmo, para não usar um termo mais apropriado. Pequenas boas idéias poderiam revolucionar o número de usuários.
É uma pena.



[45] Comentário enviado por guest19 em 02/06/2009 - 10:38h

Linux não é sistema dificil , mais requer estudo e dedicação , hoje em dia maioria das pessoas mal sabem mecher no windows, manuziar ele ou resolver algum problema de sistema, agora imagina uma pessoas dessa no linux? Mais oque falta no Brasileiro é estudo e dedicação. Para e aprender e não sempre querer lado mais facil

[46] Comentário enviado por removido em 02/06/2009 - 11:35h

1 - Não existe S.O. para "leigos" e S.O. para "iniciados", hoje em dia.
2 - Há muita confusão sobre o que seria o tal "usuário comum".
3 - Pela experiência que tenho dando aulas para pessoas carentes com pouquíssimo, ou nenhum, contato com computadores, digo que não interessa qual o sistema operacional que eles usem. Basta que funcione.
4 - Essas pessoas NUNCA vão instalar um driver de dispositivo, seja no Windows ou em qualquer outro sistema.
5 - O sistema TEM DE chegar a essas pessoas TOTALMENTE FUNCIONAL. A função de tornar esse sistema totalmente funcional é de quem instala o S.O., não do "usuário comum", "leigo" ou seja lá como queiram chamar as pessoas que só querem usar o computador, não saber como ele funciona e, principalmente, por que NÃO FUNCIONA.
6 - Existem muitíssimas mais pessoas aptas a colocar um Windows mal e porcamente funcionando (porque ele funciona assim mesmo, ainda que jogando fora toda e qualquer possibilidade de segurança e privacidade de quem o usa, SEM QUE ESSA PESSOA SAIBA OU TENHA A OPORTUNIDADE DE DECIDIR), do que pessoas aptas a colocar um sistema Linux funcionando, mesmo que mal e porcamente. Resultado: continuamos discutindo que o "preguiçoso e ignorante usuário comum" tem de aprender a "usar seu sistema". E ficamos discutindo qual sistema é o melhor. Discussões inúteis, já que hoje em dia ambos são péssimos!!! O Windows é péssimo porque é uma caixa preta onde tem um queijo suiço dentro, que ninguém sabe como e porque funciona. O Linux é péssimo porque não conseguimos populariza-lo de forma que o "botequinho de esquina que conserta computador" ou o "sobrinho nerd do vizinho" consiga consertá-lo quando o "usuário comum" precisar.

E la nave va.....

[47] Comentário enviado por orionnunes em 02/06/2009 - 15:17h

Creio que falar que "Linux é melhor que Windows" já se tornou clichê, estou cansado de ler está afirmação,
concordo com ela, prefiro o Linux, mas xiitas que "quebram janelas e comem maças" não tem desenvoltura suficiente para se colocar no
lugar do "usuário comum".

Trabalhei durante um ano e meio como suporte técnico de uma pequena empresa aqui na região, atendendo diversos clientes, tanto de grandes quanto pequenas empresas, e afirmo com toda certeza, não pelo conhecimento técnico, mais pelo lado humano.

O ser humano tem medo do novo, mudanças apresentam riscos, aprendizado, sair do cotidiano, e isso lhe apresenta desafios, obstaculos, que antes não existiam, assim preferem continuar obsoletos, mas certos do que fazem, ao arriscar melhorar.

Os que arriscam, grande maioria atinge prosperidade em seus negócios, mas poucos possuem esta visão.

Mudar o caminho que você vai para sua casa? Já tentaram? Eu gosto de váriar, de conhecer outros meios, outras maneiras, tenho perfil inconformista, não aceito o que me é dado se posso obter mais.

Enquanto existem pessoas que não mudam, não querem e não aceitam. Chame-os de antiquados, burros, do que preferir, serão sempre "usuários" na visão dos profissionais e os amantes, mas eles não abrirão mão do conforto do "conhecido" seja lá como foi que chegaram aqui, forçados ou não. eles estão "Funcionando" e mesmo que seja cheio de problemas, eles se acostumaram, não querem mudar.

Não estão felizes, mas QUERER MUDAR é uma caracteristica dos visionários, não é para qualquer um, termino meu comentário, parabenizando aos frquentadores daqui, que assim como eu, tem vontade de melhorar, e sede de conhecimento.


Abraços


Pedro.

[48] Comentário enviado por bilufe em 02/06/2009 - 23:14h

[39] Comentário enviado por stremer em 01/06/2009 - 10:39h:

Vou dizer que o problema está na maioria das vezes entre a cadeira e o teclado, afirmo que o GIMP é um software de excelente capacidade e que supera o Photoshop, mas se o problema estiver entre a cadeira e o teclado o GIMP sempre será inferior ao Photoshop porque não tem o nome Photoshop.

O GIMP não é software alternativo ao Photoshop, ele é um editor de imagens que tem estilo próprio, se o usuário não sabe usar não é porque ele é ruim, mas é porque o problema é o usuário. É claro que se o usuário entende somente de Photoshop e ele tiver que utilizar qualquer outro programa terá dificuldades, mas se o usuário entende somente de GIMP e tiver que usar o Photoshop terá sérias dificuldades.

Eu fiz curso de Photoshop, mas chegava em casa e ia aplicar o que havia aprendido no curso no GIMP, e o software nunca deixou a desejar com relação ao seu concorrente. Além disto, trabalhei em um jornal e efetuava a edição das imagens no GIMP, inclusive usava o GIMP e OpenOffice.org Draw para criar as publicidades! E elas saíam muito bem feitas!

Muitas pessoas gostariam que o GIMP fosse o photoshop gratuito, mas felizmente (digo felizmente mesmo) ele tem seu próprio estilo, seu próprio modo de trabalhar.

[49] Comentário enviado por stremer em 03/06/2009 - 16:04h

bilufe:
Infelizmente terei de descordar de você desta vez...
o GIMP é sim um ótimo software e tem seu estilo, o jeito dele navegar na imagem por exemplo é diferente do photoshop, o photoshop é mais intuitivo você vai arrastando com o mouse, dando duplo clique... no gimp (pelo menos no padrão) você precisa utilizar as setas, e para zoom escolher a lupa... neste ponto, até que não faz muita diferença pois chega-se facil ao mesmo resultado. É igual dirigir 2 carros diferentes, o cambio de um tem o engate diferente do outro mas questão de costume resolve.
Já a ferramenta de remover manchas (espinhas, sardas, etc) do gimp é bem inferior a do photoshop (e no caso uma das ferramentas que minha irmã esta mais acostumada a usar pois trabalha com fotos de modelos). A ferramenta do gimp exige que se selecione primeiro uma parte "boa" da pele e depois clique na parte ruim, tendo que corrigir por tentativa e erro, pois se o resultado não ficar bom, precisa desfazer e recomeçar.... no photoshop, você seleciona primeiro a marca danificada (no caso a mancha ou espinha) e depois move o mouse para uma area boa da pela, sendo que já se tem uma pré-visualização do resultado dentro do recorte da area danificada. Ficou bom, clicou, corrigiu.
Outra coisa ruim do gimp (pelo menos por default tbem, pois volto a falar conheço pouco ambas as ferramentas), é que toda alteração precisa ser desfeita uma a uma. No photoshop ele guarda a lista de alterações e pode desfazer 10 alterações de uma só vez.
O gimp me atende perfeitamente, e tem coisas muito boas, mas para minha irmã ela achou pior que o photoshop e os argumentos que ela me deu (2 que citei acima) ela REALMENTE TEM RAZÃO!

Um dos principais problemas do linux, não é o linux, mas os aplicativos (livres) em si... aplicativos estes que não são problema só no linux, mas em qualquer outra plataforma (comparação entre gimpXphotoshop, cineleraXadobe premiere, ms officeXopenoffice, etc)...
infelizmente a falta de padronização de algumas coisas no linux e a dependência de muitas bibliotecas sob. a licença GPL, tornam dificil o desenvolvimento de qualquer aplicativo proprietário, que no windows tem um milhão de funções diferentes e no linux pode depender da GLIBC e algumas libs que costumam ter em todas distros e são LGPL. O java poderia ter ajudado, mas infelizmente a performance do java deixa a desejar ainda hoje e não atende qualquer tipo de aplicativo.

Ha areas que os aplicativos comerciais sempre serão melhores que os gratuitos (e/ou livres), sendo que a segunda opção sempre será uma alternativa, por exemplo para não utilizar um produto pirata!

obrigado

[50] Comentário enviado por Teixeira em 04/06/2009 - 08:01h

Com um pouco de pesquisa, pode-se muito bem obter bons resultados com outros programas.
Se prestarem bastante atenção no meu avatar (na verdade minha foto), verão que os olhos foram retocados.
Tenho olhos verdes sim, mas a foto é amadora e eles saíram pretos e sem vida.
Alterei a cor usando não o Photoshop nem o Gimp, mas o MS-Paint!
Como veem, deu para quebrar um galho. E eu poderia igualmente dar uma melhorada na pele, emagrecer um pouquinho.
Dá para fazer muita coisa, se não formos exigentes.
No entanto, minha intenção não era a de ficar parecendo com um galã global.
Continuo com aquela aparência S.O.S. (só os olhos salvam).
Não consegui usar o tal Projeto Dogwaffle, que é tão elogiado por aí.
Talvez por limitação de meu hardware, as imagens ficam muito grosseiras.
No entanto, existe muito software gratuito de qualidade excelente, embora talvez nem tantos assim para rodar nativamente em Linux.

[51] Comentário enviado por gofaia em 04/06/2009 - 11:39h

Eu usei windows por muito tempo, e quase nao tenho do que reclamar (com exeção das 10294+14E vezes q deu pau). Mudei para linux a pouco tempo. E achei ele muito complexo e dificil de configurar!

E eu sei que é só uma questão de aprender. Mas eu acho que o linux tem uma má imagem para os leigos, porq ele é dificil sim de configurar. A instalação é super simples. Porem a parte de configurar se torna dificil.

O linux ganha mais espaço a cada dia, mas duvido muito que ele chegue a ser mais usado que o windows.

[52] Comentário enviado por facb69 em 04/06/2009 - 12:29h

Peço perdão antecipadamente se entendi errado mas, por enquanto, devo discordar veementemente da afirmação do stremer que reproduzo abaixo:

"Ha areas que os aplicativos comerciais sempre serão melhores que os gratuitos (e/ou livres)..."

Um software não é melhor ou pior que outro por ter preço. Não se trata de um software ter custo ou não mas, sim, de ter seu código aberto. De propiciar a customização de seu fonte. De dar ao público consumidor, a liberdade para testar, da maneira que quiser e/ou souber, com o intuito de optar conscientemente por determinado produto.

Aplicativos comerciais não significam pagos e aplicativos gratuitos não significam que não tenham aplicação comercial.

Estamos tratando aqui de software proprietário x software livre, stremer.

Abraço,
Fábio

[53] Comentário enviado por sandercr em 04/06/2009 - 15:55h

Acho na minha opinião depois de tudo que foi lido dos artigos e comentários, é que qualquer ser humano, que conscientemente coloca no drive um CD de instalação de um SO (seja qual for) e consegue "bootar" a maquina através deste CD, pode ser considerado como qualquer coisa de menos usuário comum.

Então começar discussão sobre sistemas partindo do ponto do usuário comum parece meio irreal, porque acredito a maioria dos usuários comuns ignoram a existência de sistema operacional. Pra ele tanto faz o sistema contanto que rode MS Word, Excel, Windows Media Player, Power DVD, Internet Explorer e outros populares com o desempenho e estabilidade no mínimo aceitável. E ele não está errado em querer isto. Pra mim uma discussão dessas está no nível técnico e pronto. As vezes fazemos confusões porque a maioria dos programas tem forte ligação com a plataforma em que eles rodam.

A idéia do Nicolo de um sistema que instale tudo numa tacada que de quebra iria facilitar a aceitação do Linux me parece muito bacana, mas por outro lado, porque colocar "nas costas" do Linux um requisito que nem o próprio Windows (tido referencia nos artigos) consegue satisfazer por completo. Na minha visão este não foi o fator que popularizou o Windows, de modo que todo o usuário comum independente do SO vai incomodar o vizinho mais entendido do assunto ou o sobrinho "nerd" ou o técnico pra resolver problemas de drivers, instalações mais complexas e outros problemas diversos. Talvez a questão da pirataria, ou "Porque o preço de um micro novo em muitas lojas se resume simplesmente ao preço do hardware em si?" não deveriam ter mais atenção? Acho que se o usuário tivesse que efetivamente pagar por cada software não livre, a coisa seria um pouco diferente e as comparações um pouco mais justas.

[54] Comentário enviado por meche em 04/06/2009 - 16:15h

Pra mim o windows é a única opção.. sou contador e preciso rodar os softwares contabeis, programas da receita federal, estado de são paulo, previdencia, caixa, etc..

Não posso me dar ao luxo de experimentar outra plataforma.. sempre emperro em algum problema, o Wine é uma saida inteligente, mas infelizmente alguns softwares contábeis não rodam corretamente neste programa, e o que fazer? buscar um software contábil no linux? ok, mas já viram os preços? compro duas a três licenças para windows por mês, sendo que um software contábil que roda bem em windows compro por 100 reais por mês.

Vejo que esta muito longe do Linux se tornar popular por força da tecnologia mesmo.. quando vemos o Java começando a aparecer com muita força no mercado, a Sun é vendida para Oracle, que por sua vez deve ser uma paga-pau de primeira da Microsoft..

Uso o Xubuntu, Kubuntu e Debian com XFCE, mas só nos terminais, pq meu servidor tem que ser Windows para rodar meu sistema contábil e todos os outros que preciso para trabalhar..

acreditem, não é um fato isolado..

Se a comunidade linux se preocupassem no setor corporativo, acredito que o quadro mudaria logo.. afinal, empresas utilizam no minimo 8 horas por dia o computador..


[55] Comentário enviado por stremer em 04/06/2009 - 17:43h

pktp69:
Você não entendeu totalmente errado, mas quando falei de gratuito/livre, foi relacionado mais a forma de como estes softwares são desenvolvidos em si.
Vou dar um exemplo:
O linux é um software livre e gratuito, mas já deixou de ser "just for fun" a muito tempo. Programadores são pagos para desenvolver o kernel linux, bem como diversos outros softwares (como openoffice por exemplo), além dos usuários destes softwares que grande parte das vezes são desenvolvedores de tecnologias e logo utilizam estes aplicativos e os melhoram pois o beneficio será dele mesmo.
Assim podemos citar muitos projetos de software livre de sucesso e que eu considero até mesmo melhores que os aplicativos comerciais. Podemos citar o Kernel Linux como principal, mas tbem podemos citar o xorg, o kde, o gnome, o firefox, o eclipse, o gcc e muitas das outras ferramentas gnu... porém se reparar bem, os casos de sucesso nesta area são excessão e não regra... e digo que 90% destes aplicativos tem seus principais usuários como desenvolvedores de tecnologias (usuários bem diferentes daqueles que usam o computador o dia a dia para navegar na internet, usar o msn e orkut, e mexer com fotos e videos, além de jogos, embora esta seja uma outra area).

Sendo assim, qualquer outro projeto de software livre em que o usuário não é uma pessoa da area de tecnologia, se não financiado por uma empresa (que na maior parte das vezes precisa mesmo vender este tipo de produto que tem um publico mais restrito e menos necessidade de suporte), pode ter apenas 3 tipos de origem ao meu ver:
1) Hobby (alguem que adora software de edição de foto e video e sabe programar resolve criar um destes aplicativos por puro prazer de programar)
2) Acadêmico (quem esta aprendendo a fazer um programa destes pois pretende trabalhar com desenvolvimento de software nesta area)
3) Curriculo (Pode ver que muitos programadores de bancos de dados livres foram trabalhar na oracle, programadores de rotinas de processamento de imagem livre foram trabalhar na Adobe, programadores de software livre que foram trabahar na microsoft e por ai vai)

Ou seja, o usuário de Photoshop(ou gimp), o usuário de Adobe Premiere(ou cinelera), etc, dificilmente será um programador que contribuirá para um projeto livre... basta olhar os projetos de software livre amadores e abandonados por ai e verá que estou certo.
E ai cai no segundo caso, a empresa que desenvolve este tipo de software tem um publico especifico e que não demanda tanto suporte assim, então não tem muito como fugir do software proprietário neste tipo de aplicativo (Adobes em geral, AutoCad, ERPs, etc)

Sendo assim embora o software livre possa também pagar os profissionais de diversas maneiras, e outros poderem contribuir por qualquer motivo (como hobby por exemplo), não é suficiente para criar qualquer tipo de aplicativo de qualidade, pelo menos nos dias de hoje.

Mas enfim, essa também não deixa de ser apenas uma opnião minha....

[56] Comentário enviado por albfneto em 06/06/2009 - 18:15h

Puxa, está vendo como opiniões são pessoais?
Concordo com o Teixeira, usuário usa, mesmo, windows ou linux, e geralmente, usuário não quer ser Nerd, Hacker, nem ser um gênio da informática, para usar Linux ou Windows..
Como disse, vejo na faculdade todo dia, com windows ou linux, as pessoas me chamando, ou chamando nosso técnico de Informática, pq o computador dele ficou lento,ou pq travou, ou para instalar MSOffice, tirar virus, formatar....
Não sou profissional de TI, nunca estudei Informática, nem curso de digitação.
Aprendi mexendo, pq gosto, se não gostasse, não ia gastar meu tempo com isso, né?
primeiro DOS, compressor Arj, dobrador de HD...
lembra, Teixeira?
depois Windows, mexi um pouquinho com UNIX, quando os emails eram na Internet sem interface gráfica, usei cliente email de texto, Pine..., BITNET, quem lembra? BBS!
Também usei Minuet... Navegador Web prá DOS... o Teixeira deve conhecer...
depois usei NCSA Mosaic, Netscape, usei muito tempo...
A uns doze anos, ví Linux pela primeira vez. Debian.
Tinha um trabalhão para instala-lo, para fazer um leitor de CD-ROM funfar, tinha que montar tudo manualmente, com comando mount. As Distros, com instaladores ainda não existiam.
vc pegava um montão de pacotes Linux e ia instalando e procurando dependências...
Tão trabalhoso que eu parei de usei Linux, só voltei a uns dois anos atrás.
Mas isso pq gosto de Computação...
Mas Usuário mesmo, só usuário, ele não instala nada, nem quer gastar tempo pra aprender.., nem para instalar, não vai passar a madrugada para colocar o Compiz funfando...
Já os curiosos,os fuçadores, os profissionais e os entusiastas..
Esses podem aprender Windows, mas também aprendem Linux, BSD, C++, Java, PHP, Cobol, o que quiserem.
GIMPxPhotoshop, é tão pessoal... varia muito.
Olha, o GIMP eu peguei o jeito fácil, e agora eu uso GIMP em Windows também..
Já Photoshop, nunca gostei.... nem quando eu usava só windows!
pesado, lento e difícil de usar, bem difícil...
é como Corel Draw, vc tem que fuçar nele um tempão prá aprender...
Quest, não é só o Brasileiro, o Brasileiro é até mais fuçador, o número de brasileiros que gostam de Computação é muito grande.
O Brasil, segundo eu ví, tem cerca de 3 % de seus Dsektops, Linux. A média Mundial é 1 %.
Eu pertenço a um Forum Italiano do Sabayon, o SabayonMania, segundo o Administrador de lá, a Europa usa pouco Linux também. Usa muito Mac, pq na Europa tem muitos Mac, no Brasil, não.
Mas ele diz que o Linux Brasileiro DreamLinux, é uma distro de sucesso na Europa, e que na Itália, considera-se o Brasil o Paraíso do Software Livre.

[57] Comentário enviado por bilufe em 06/06/2009 - 23:40h

Mas Usuário mesmo, só usuário, ele não instala nada, nem quer gastar tempo pra aprender.., nem para instalar, não vai passar a madrugada para colocar o Compiz funfando...

Concordo plenamente com a afirmação acima, é bem por isto que o Ubuntu instala o compiz para o usuário caso ele queira ativar os efeitos da área de trabalho, e isto com apenas alguns cliques sem necessidade de entender nada de Linux!

Até mesmo instalar o Ubuntu é muito simples, basta alguns cliques e o sistema já está pronto para uso. Enquanto, o sistema concorrente não tem nem sequer um instalador gráfico para oferecer ao usuário.

[58] Comentário enviado por w4gn3r em 07/06/2009 - 01:19h

Windows x Linux: pontos de vista

Nesse caso, foi apenas apontado o ponto de vista dos usuários, e não um SO.

E tambem não tiro a razão dos usuários que querem praticidade ao usar o computador, alias, esse é o objetivo, deixar o sistema cada vez mais facil e intuitivo. Se não fosse assim, ainda estarias com computador ultilizando linhas de comando, (pois o desempenho do computador é bem superior do que usando interface grafica). agora chamar isso de preguiça, creio que foi um pouco de exagero da parte do autor.


1- pra que complicar se pode simplificar. Nesse ponto o 1 x 0 para o windows, pois ele é um sistema de facil instalação de programa, e 100% de chance de encontrar o drive da sua(s) placa(s). ao contrário do linux,os divres são mais escasos (principalmente video da SIS e VIA.), porem você tem liberdade de editar tais drives (basta ter vontade e conheçimento).

2a- Conectividade - Linux ganha bunituuuu. Primeiro que o windows tem varias falha em questão de conectividade. uma comparação.
enquanto o linux ultiliza o SSH - cryptografado e com recurso de tunelamento, o windows usa o telnet, sem cryptografia (não que o windows não possa usar o SSH, ele até pode, se instalar o PUTTY, mais teria que ter um outro nivel de conhecimento.

2b- O windows vem com o protocolo RDP nativo, para conexão remota, basta ter o IP e o username/passwd para acesso "obs- até hj a maioria dos usuários ao instalar o windows não especifica a senha "Administrador", deixado uma vunerabilidade no sistema.

no Linux, ao instalar o SO ja solicita a senha de ROOT, e o protocolo para conexão remota, é o VNC/SSH, onde o mesmo solicita login/senha + permissão do usuário local.


3- alguem já ouviu falar do C$ do windows, a pior falha que ja vi, e que ainda está presente na versões do XP (usado pela maioria dos usuários). é uma opção de compartilhamento, porem eu vejo como falha de segurança, pois o atacante tem acesso ao C: da vitima, visualizando todos os arquivos (não apenas os arquivos compartilhados).
e como disse acima, como a maioria não coloca senha de administrador, vc consegue um acesso com permissão adm nessa maquina, e o pior, a vitima não saberá que tem alguem conectado a maquina.




SERIA MAIS JUSTO DIZER QUE O LINUX É MAIS SEGURO QUE O WINDOWS. E NÃO DIZER QUE O SISTEMA LINUX É MELHOR.





[59] Comentário enviado por alisson.cr em 09/06/2009 - 14:33h

Concordo com tudo, menos a parte do ubuntu ser sistema de pessoas ociosas, já que temos versões como server que são modo texto e mesmo as versões desktop, podem ser customizadas conforme a necessidade do usuario, assim como qualquer outra distro.

[60] Comentário enviado por facb69 em 10/06/2009 - 11:42h

Vou tentar explicar melhor meu ponto de vista, haja visto que algumas pessoas entenderam errado a parte do meu artigo em que falo sobre preguiça.

1º) Eu não disse que Ubuntu é um sistema para pessoas ociosas (essa palavra nem aparece no artigo);
2º) Eu não disse que usar interface gráfica é preguiça.

Eu quis dizer que até mesmo uma pessoa que sabe, gosta e/ou prefere usar linha de comando para instalar um programa também usa a interface gráfica. Por que?

Esse tipo de pessoa, me incluo entre elas, gosta de instalar e configurar programas com a linha de comando. Entretanto, às vezes, usamos a interface gráfica porque estamos com preguiça de editar linhas de arquivo, recompilar, restartar serviços, etc; somente clicamos em um botão e deixamos o próprio sistema operacional realizar todo o trabalho.

É óbvio que a evolução das interfaces gráficas permite uma utilização mais facilitada para o usuário mas também ajuda um técnico/analista/programador quando ele quer. E quando uma pessoa desse tipo quer usar a interface gráfica para instalar um programa? Quando dá na telha, quando tem preguiça... E isso não o torna um preguiçoso, pessoal!

Quanto a outro ponto levantado por w4gn3r, o artigo tem, exatamente, a finalidade de focar sobre o usuário já que é meu ponto de vista contrapondo-se ao de Edwal Filho sobre as dificuldades para adoção do Linux pelo usuário comum.

Terei mais cuidado com as palavras em uma próxima eventualidade para não gerar esse tipo de confusão, ok? :o)

Abraços,
Fábio

[61] Comentário enviado por facb69 em 10/06/2009 - 12:20h

Caro Edwal

Lamento que tenha se estressado tanto ao ler meu artigo.

Infelizmente, você não leu (ou entendeu) o caput onde esclareço que meu artigo é opinativo portanto expressa minhas opiniões. Utilizei-me de algumas informações de seu artigo como ponto de partida para expressar meus pontos de vista sobre o assunto.

O que está entre aspas como, por exemplo, "quer algo que seja intuitivo e que o encante" é citação significando que são palavras retiradas da maneira que foram publicadas no artigo original. O restante é interpretativo, afinal de contas, eu li e entendi seu artigo à minha maneira o que significa que posso ter entendido errado. Ou você pode ter se expressado de uma maneira dúbia ou imprecisa permitindo o erro de interpretação.

Bem, novamente, estou interpretando suas palavras. Espero que, dessa vez, você não fique incomodado a ponto de escrever linhas tão duras e revoltosas novamente.

Fica o meu abraço.

Fábio

[62] Comentário enviado por Linux 431 em 11/02/2012 - 18:25h

Não chamem os usuários finais de OROGOTANGOS, PREGUIÇOSOS. Ninguém é obrigado a saber tudo! Computador não foi feito para ser estudado, foi feito para servir.

[63] Comentário enviado por El Misionero em 07/04/2015 - 13:22h


Alguém poderia me dizer como devo fazer para que o Multilaser Nano funcione com Ubuntu 14.04?


Contribuir com comentário