Um pouco de luz, cor e o Gimp

Muito bem, gostaria de começar o ano falando sobre estes assuntos que na minha opinião são tratados com relativa "reserva", coisa que na minha opinião deveria ser eliminada, aqui é o que farei sem o menor pudor, vamos lá?

[ Hits: 23.902 ]

Por: Guilherme RazGriz em 14/03/2007 | Blog: http://razgrizbox.tumblr.com


Luz



Todos nós sabemos pra que ela serve, mas muitos não sabem como usá-la para direcionar o "ver" e o "olhar" das pessoas para onde se deseja, mais que isso: controlar como será o ambiente do trabalho a ser exibido.

Vamos começar falando um pouco de como a luz pode afetar um trabalho de maneira prática, seja ele uma foto editada ou uma foto comum.

Aqui nós temos uma imagem de uma sala de aula de uma universidade, com a sua iluminação natural.


Agora a mesma sala com boa parte das luzes do teto apagadas ou com baixa intensidade uniforme.


E aqui nós temos uma janela imaginária por onde o sol com alguma benevolência pode ceder um pouco de luz a nossa sala com a força desligada.


Agora reparem nas imagens com maior atenção, provavelmente os seus olhos serão guiados pela direção da luz, que mostra o que a imagem tem a oferecer e exibir, vamos ver como controlar este maravilhoso artifício visual.

Abra o Gimp e escolha uma imagem de um ambiente qualquer, de preferência algum ambiente fechado sem incidências diretas de luz para facilitar este começo.

Abaixo temos um bom exemplo que você pode utilizar se quiser:


Agora, no menu de filtros presente na imagem, navegue até o filtro "efeitos de iluminação, o caminho você pode ver abaixo:


Abra o filtro, você verá uma interface com diversas opções de controle, como esta:


O modo mais básico de controle da iluminação é movendo o ponto focal (representado por uma bolinha azul que concentrará toda a luz da imagem, movendo-o para onde se deseja mudar-se a intensidade dessa mesma luz sobre os objetos. Existem dois tipos de controle para manipular o nosso objeto azul, o PUNTIFORME e o DIRECIONAL. O PUNTIFORME atua deixando o nosso ponto azul arrastável pelo mouse, assim podendo ser transportado para qualquer lugar da imagem, já no caso do DIRECIONAL o nosso ponto azul é colocado em cima de uma linha, a qual pode ser arrastada em todas as direções, inclusive para frente, encolhendo-a para assim aumentar a intensidade da luz em determinado objeto).


No submenu COR é possível alterar as cores e também as suas tonalidades, do mesmo modo como se troca a cor de um determinado brush ou pincel.


Não parando por aí, nos submenus na parte de cima da ferramenta podemos alterar a intensidade dessa mesma luz no ambiente.

No submenu "Material" podemos fazer as mais diversas alterações, inclusive anular o ponto concentrador de luz, fazendo com que a luz se distribua de maneira mais uniforme no ambiente ou objeto.


Quando você terminar os ajustes desejados, basta clicar em ok, em poucos segundos o resultado poderá ser apreciado.


Não parando por aí ainda podemos fazer mais um truque básico de iluminação utilizando a ferramenta Map alien 2, para se chegar até ela, basta seguir o caminho da imagem abaixo.


Utilizando o exclusivíssimo filtro HSL, presente APENAS no Gimp, que tem a capacidade de trabalhar com as cores do mesmo modo como o olho humano as enxerga (modo HSB), você pode dar um toque de escurecimento sutil ampliando a luz do ambiente sobre o solo e escurecendo as plantas, pode se dar um ar mais sombrio ao momento, aliando-se a isto a descoloração parcial do mesmo.


Quando concluir basta clicar em OK.

E aqui nós temos um novo ambiente =]


Agora que nós já sabemos o mínimo sobre LUZ, podemos prosseguir.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Luz
   2. Cor
Outros artigos deste autor

Publicidade e software LIVRE? De novo?

Edição pesada de imagens com o Gimp (parte 1)

Inkscape descomplicado - Parte II

Modelagem realista com o Blender

Porque o PC popular é ruim?

Leitura recomendada

Proteção de tela ou vídeo como papel de parede

Um pouco de pintura digital

Blender para todos! - Parte III

Deformar ou recriar?

Instalando o Cacti via APT no Debian Etch

  
Comentários
[1] Comentário enviado por ijv314 em 14/03/2007 - 12:38h

Ótimo artigo....
O que eu admiro em designer gráfico é que coisas simples são transformadas e em belas obras de arte.
Obrigado pelo artigo!

[2] Comentário enviado por rafael.gomides em 14/03/2007 - 16:53h

Muito bem, eu trabalho com luz mas em outra área, e tbm sou admirador da arte de manipular e modificar ambientes, parabéns!!!

[3] Comentário enviado por PubTI-Tiago743 em 15/03/2007 - 17:02h

muito bom cara.. parabens de verdade... vo tenta te imita =) =**

[4] Comentário enviado por brejao em 15/03/2007 - 17:23h

Muito bom cara... parabens pelo artigo.. é a primeira vez que vejo um artigo sobre designer de imagens. Mas, minha sugestão é: que desenvolvedores venham a aprimorar softwares livres que manuseiam o designer e o tratamento de figuras em geral.
O que estou pensando é: O linux ja alcançou e passou o windowns, bancos de dados como o firebird(livre) é fantástico, softwares livres que tocam mp3 e exibem filmes tbm existem de monte, o próprio open officce alcançou o officce da microsoft, então, pq não aprimorar a parte gráfica do mundo livre? Tudo bem que o gimp tenha várias funções, seja simples e tal... mas acho que ainda falta opções para alcançar softwares pagos como o fotoshop ou o 3d studio.
Essa é minha opnião.. está feito um apelo para o mundo livre.

[5] Comentário enviado por razgriz em 15/03/2007 - 22:30h

Olá "Brejão", acredito que o termo "simples" ja pode ser descartado, hoje nós temos coisas que simnplesmente não existem no "mundo pago" incluindo a performance que torna possível fazer um trabalho em menos tempo deixando este item livre para outras atividades=], quanto a "parte gráfica", pode não parecer mas a evolução é fantastica, caso você mergulhe nesse mundo vai notar isso. =]

um abraço a todos!


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts