Sugestões às distribuições e usuários iniciantes

Uma rápida visão de um iniciante sobre como facilitar a escolha de distros e seus 'sabores' de acordo com a necessidade e conhecimento de cada um em relação às ofertas de cada desenvolvedor.

[ Hits: 4.079 ]

Por: Eduardo Querido em 08/06/2015


Introdução



A cerca de um ano, venho tentando achar o meu espaço no que convencionei chamar 'Mundo de Tux', todavia, foram tantos os percalços encontrados, que resolvi elencar aqui algumas sugestões para facilitar a vinda de futuro candidatos.

Primeiro ponto

Vai escolher uma Distro? Não se esqueça de compatibilizá-la às suas necessidades, ao seus conhecimentos e, acima de tudo, à sua vontade ou paciência de gastar, ou não, horas e horas em busca de códigos e respostas mirabolantes na internet para respostas que outras Distros ou Sabores, dessa mesma que pretende usar, já te trazem prontas.

Segundo ponto

Veja que dentro de cada Distro, existem vários 'Sabores' e que o 'Fabricante' elege um como oficial e, parece fazer o favor de disponibilizar os outros.

E estes outros, mesmo que em muitos casos se adequem muito melhor às suas necessidades, ficam tão escondidos e suas ferramentas são tão mal propagandeadas, que mesmo lá prontos pra te servir, se você não for alertado por alguém mais experiente ou fizer uma busca infindável a respeito, demorará um tempão para perceber e talvez até mude de Distro, sem necessidade por causa de detalhes que lhe foram mal explicados (aconteceu comigo, ao conhecer a openSUSE).

Terceiro ponto

Os tais 'Sabores', como convencionou-se chamar em algumas Distros, são tão inferiorizados frentes aos ditos oficias que fica a cargo de cada usuário fazer com que funcione a contento, pesquisando, remendando, colando scripts... enfim, criando um mostro!

Quarto ponto

Se as Fabricantes querem 'fidelizar' maciçamente um grande número de usuários, talvez fosse inteligente divulgar em suas páginas oficias, as diferenças entre os Sabores os programas que cada uma utiliza, quais tipos de usuários pretendem atender com cada um, para que tipo de máquina foram desenhados, como utilizá-los, quais seus pontos fortes e fracos,as imagens de tela de cada uma e assim vai.

Quinto ponto

Falei no terceiro ponto sobre a criação de monstros e ai lembrei do artigo de um amigo:
Ainda no terceiro ponto, falava de como Sabores como LXDE são, aparantemente, desmerecidos frente a outros com a desculpa de serem mais 'simples'.

Digo que pra ser 'simples', não precisa ser incompleto ou inferior. Só porque a pessoa vai instalar o sistema numa máquina de Hardware mais antigo, não quer diz que não mereça menos qualidade e desempenho da equipe de desenvolvimento.

Sexto ponto

Sabores 'da moda' como o GNOME, muitas vezes, simplesmente, não te apetecem e ponto.

Ou, às vezes, como no caso do KDE, as ferramentas de trabalho não são as que você mais gosta (K isso, K aquilo outro...) Xfce, que fica no meio do caminho e tem algumas das ferramentas são as 'standard', digo, são as mais amplamente divulgadas e, assim sendo, mais fáceis de aprender(no momento, a que mais me atende)

E ainda o coitado do LXDE que, normalmente, vem 'pelado' e normalmente é o que a turma menos investe recursos (ambiente mais inóspito e seco) e que consome pouquíssimos recursos. Tem ainda muitos outros tipo Enlightenment, Openbox, I3... Mas desses, não posso falar nada.

Último ponto

Seja paciente, grato e retribua toda a ajuda que receber.

E, precisando de ajuda, não se esqueça de que a comunidade é muito amiga e prestativa.

   

Páginas do artigo
   1. Introdução
Outros artigos deste autor

Quer entrar no mundo de Tux ou está ajudando alguém a fazê-lo?

Como um Linuxer pode ajudar Tux, o pinguim, a ficar cada vez mais gordinho!

Leitura recomendada

Guia básico de como usar comandos no Linux

MOVIX: a fantástica mini-distribuição Multimídia

Instalando o Debian Etch com o instalador gráfico

Sim! Outro artigo na linha "Por onde começo?"

Metro, um breve tutorial

  
Comentários
[1] Comentário enviado por xerxeslins em 08/06/2015 - 14:50h

Taí! Um artigo/desabafo de um usuário que está vivendo no mundo de Tux e de Vux (o mascote do VOL).

http://www.vivaolinux.com.br/topico/vivaolinux/ESCOLHA-O-NOME-DO-MASCOTE-VOL

https://sites.google.com/site/onzionzistudio/imagens-posts/04-MascotesVivaLinux.jpg



--
Só digo uma coisa: num digo é nada. E digo mais: só digo isso.

[2] Comentário enviado por erixtech em 08/06/2015 - 15:15h

Se me permite, eu completaria com alguns "cuidados" uteis na hora de escolher uma distribuição:

1 - Use sempre que possível uma das "grandes" distribuições, que estão ativas a vários anos, possuem grande base de usuários, boa documentação e suporte:
Ubuntu, Debian, openSUSE/SLES, RHEL(E clones como CentOS/Oracle), Fedora, Slackware, Gentoo, Archlinux, Mageia.

2 - Se não quiser usar uma das "grandes" ou precisar de uma distribuição para algo especifico:
Esteja atento se o sistema em questão possui um mínimo de estrutura, boa base de usuários e documentação(Se não existirem manuais/wiki e um fórum ativo para suporte, caia fora que provavelmente a "distribuição" que esta considerando usar é na verdade: http://bit.ly/1Ir6duq

3 - Olhe sempre com desconfiança para sistemas que parecem oferecer apenas um tema bonito(Ou destacam muito isso) e se dizem "simples, fáceis estáveis e inovadores", principalmente se forem baseados em outra distribuição de maior expressão já existente(Com destaque para as com base no Ubuntu e Debian).

Neste casos, teste a distribuição "mãe" e compare, reflita se realmente existem muitas diferenças além dos temas da interface gráfica e algum programa pré instalado.

Alguns projetos até poderão ser sérios, mas existe uma enormidade de sistemas que lhe trarão apenas problemas, então esteja atento e não se deixe levar apenas pela aparência ou "propaganda" da distribuição.

--------------------------------------------
...- .- .. -.-. --- .-. .. -. - .... .. .- -. ...

[3] Comentário enviado por prof em 08/06/2015 - 22:30h


Diga-se de passagem,mas bem de passagem mesmo,pois a final esse papo tá velho pra chuchu, é distro demais igual com papel de parede diferente. Tá mais que na hora do Linux mudar. Distros devem ser mais sérias e menos infantis. Elas dão um trabalho enorme para que alguns, levados por novidades , beleza e coisa e tal, representem um sistema tão bom de forma tão irrelevante,tão inútil e tão dispensável como nosso amigo aqui desabafou. Assim penso eu. Sei que não é novidade isso,mas é uma boa hora para mudar o Linux para melhor.

[4] Comentário enviado por clodoaldops em 09/06/2015 - 09:28h

Grande problema da maioria dos inciantes é não ler nada antes de escolher uma distribuição. Existem muitos sites e foruns orientando qual o melhor caminho inicial.
Como existem distribuições mais e outras menos amigaveis, fica a critério do novato escolher qual usar. Mas é importante que ele tenha ideia do que está instlando no seu pc para não "reclamar depois"!
Eu comecei com ubuntu em 2008m depois migrei para mint em 2009. Hoje tbem me dou bem com fedora e mageia.
Para quem está iniciando minhas recomendações são: 1-linuxmint 2-ubuntu 3-mageia 4-fedora
Quanto ao desktop dependerá do hardware é claro!

[5] Comentário enviado por lcavalheiro em 09/06/2015 - 10:59h


[4] Comentário enviado por clodoaldops em 09/06/2015 - 09:28h

Grande problema da maioria dos inciantes é não ler nada antes de escolher uma distribuição. Existem muitos sites e foruns orientando qual o melhor caminho inicial.
Como existem distribuições mais e outras menos amigaveis, fica a critério do novato escolher qual usar. Mas é importante que ele tenha ideia do que está instlando no seu pc para não "reclamar depois"!
Eu comecei com ubuntu em 2008m depois migrei para mint em 2009. Hoje tbem me dou bem com fedora e mageia.
Para quem está iniciando minhas recomendações são: 1-linuxmint 2-ubuntu 3-mageia 4-fedora
Quanto ao desktop dependerá do hardware é claro!


Eu vou além. A própria escolha de distro vai depender do seu hardware. Em algumas configurações, nenhuma dessas quatro que o Clodô citou vão rodar. Eu mesmo uso o Fedora Xfce Spin porque o Fedora oficial (com GNOME) trava no meu notebook (Core i3 com 4GB de RAM)...

Com hardware ideal, você pode rodar qualquer coisa. Qualquer distro é fácil e a ideal para começar se você ler a documentação dela. Digo que com um pouco de boa vontade um total iniciante poderia começar com Funtoo ou Linux From Scratch. A questão é ler a documentação (que ninguém quer ler) e conhecer as limitações do hardware. Com 1GB de RAM não adianta querer rodar uma distro com GNOME ou Unity (e dependendo da distro, nem KDE nem Xfce), por exemplo. Lendo a documentação, porém, você pega um Dual Core com 512MB de RAM e roda Slack + KDE nele, por exemplo. Hardware é o que limita que distro usar, não adianta.

[6] Comentário enviado por clodoaldops em 09/06/2015 - 12:31h

lcavalheiro, se não houvesse linux amigaveis como as que eu citei provavelmente eu nunca teria migrado do windows. Para mim tem que ser facil de instalar e de usar. Caso contrário vou de tio bill "meismo" !

[7] Comentário enviado por albfneto em 10/06/2015 - 18:35h

Minha posição, é como a do Clodoaldo e a do Cavalheiro ao mesmo tempo!
eu acho o Artigo útil como sugestão, mas fundamental é olhar a DOCUMENTAÇÂO de várias!
suponha que você seja o "novo usuário", o Iniciante....
só VOCÊ sabe a que é amigável..... e a que não é.... pela documentação!
e só você sabe se quer amigável ou não, rolling release ou não, fácil ou não.... só vc sabe se quer Mint ou Debian...
só você sabe se vai usar Slackware ou Gentoo, ou se quer algo mais fácil....
Por exemplo, a distro que uso, Sabayon, ela já foi a sexta na Distrowatch, agora está muito abaixo. Porquê? Entre outros fatores, porque depois que Sabayon migrou para Systemd e reconhecimento auto de placa de vídeo, ficou menos amigável.
Só ficou com Sabayon quem tem prática ou gosta muito dele.
e estou falando de uma distro com pouca documentação, e quando comecei a usar, tinha menos ainda! Não é o caso de Debian, de Slackware, de Mint ou de Ubuntu,OpenSUSE ou Fedora... essas estão muito documentadas.... as coisas "escondidas", não estão tão escondidas...
é que Brasileiro não gosta de ler documentação....
Resumo, lendo documentação, a pessoa escolha amigável como o clodoaldo, Mint ou menos amigável, como slackware ou sabayon, ou arch, ou até nada amigável, como gentoo ou FreeBSD (que nem é Linux)...
o bonito de linux é isso, cada um usa o que gosta.

criar "Monstro"? até sim.... se vc QUISER,pq além do artigo "Não quebre o Debian",o memso autor publicou "Sim, quebre o Debian". porque com Linux modulares, como Slackware ou Gentoo, até dá... e o Monstro é domesticável, é só saber como....
Eu mesmo tenho um Sabayon que apesar de Rolling, mantém GNOME2 e OpenRC.

Slackware é tão versátil, que sabendo como,vc pode ter qualquer gerenciador de pacotes, até APT, ou "A La Slacker Dinossauro", nenhum, tudo compilado no braço.

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
Albfneto,
Ribeirão Preto, S.P., Brasil.
Usuário Linux, Linux Counter: #479903.
Distros Favoritas: [i] Sabayon, Gentoo, OpenSUSE, Mageia e OpenMandriva[/i].

[8] Comentário enviado por prof em 16/06/2015 - 19:07h


albfneto, essa do brasileiro não gostar de ler documentação já mata a questão, e não precisa dizer mais nada mesmo.
A preguiça é uma marca registrada dos brasileiros pela indústria idiocrata. Tás na hora do brasileiro mudar tb.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts