Programação visual (módulo 1)

Muito bem, anteriormente buscamos elementos a fim de construir a NOSSA identidade visual, agora vamos ver como criar a dos nossos clientes. Lembre-se que o nosso cliente NÃO é o consumidor final, mas sim a pessoa que nos contrata para vender conceito, ideologia e/ou produto.

[ Hits: 19.738 ]

Por: Guilherme RazGriz em 22/08/2006 | Blog: http://razgrizbox.tumblr.com


O cliente



Quando ele nos procura, ele quer geralmente pelo menos uma destas coisas abaixo:
  1. Criar a identidade da empresa pertencente à ele ou para a qual ele trabalha.
  2. Remodelar a identidade visual pré-existente.
  3. Colocar um produto no mercado (criação da identidade visual do produto, além de promover a divulgação do mesmo).
  4. Reposicionar a marca e ou produto no mercado.
  5. Decretar a "morte" do próprio produto (afim de colocar outro em seu lugar) ou atacar produto da concorrência (geralmente feito de maneira indireta).
  6. Fazer o planejamento da estratégia de marketing das peças criadas.

Com o avanço das ferramentas ditas "caseiras"m tanto de edição de imagens até desenho vetorial e cartesiano (3d), todos viramos "diretores de arte". Mas que p*** é essa?! Para explicar isso, vamos primeiro mostrar a estrutura básica de uma agência de publicidade.

1. Atendimento: Não... não é o que você está pensando, para isso já inventaram os... esqueçam hehe, vamos lá. Os profissionais do atendimento são o elo de comunicação entre o CLIENTE e a CASA, ou seja, é dever do atendimento desde "vender o peixe" da agência, além de traduzir tudo o que a criação quer transmitir ao cliente, interpretar o briefing (o briefing nada mais é do que tudo o que o cliente quer, colocado em um documento escrito pelo executivo de contas *(esse é o termo mais apropriado para o profissional do atendimento) na linguagem da agência. Também é dever do mesmo participar do Brainstorm (reunião sobre com o objetivo de se obter idéias para resolver o "problema" do nosso cliente exposto no briefing).

2. Criação: Isso mesmo, é onde a "mágica acontece", aqui nós temos por ordem hierárquica (isso tecnicamente não existe).
  • Diretor de criação: Ele é o responsável pelo setor de criação, a responsabilidade do mesmo é supervisionar o trabalho feito pelos demais profissionais, a palavra final sobre cada peça (aprovação ou reprovação) também é dele, caso algo não saia como planejado com relação a uma peça, a responsabilidade é dele (a menos que todos saibam que ficou uma M... e o cliente tenha aprovado).

  • Diretor de arte: Esse é parte de uma dupla (raramente trabalha sozinho). O trabalho dele é com as imagens e é subordinado direto ao diretor de criação, sendo livre parar criar, porém o trabalho final tem que passar pelo crivo do superior antes de ir para a rua.

  • Redator: Completa a dupla com o profissional citado acima, é ele quem cuida dos textos da peça, porém não existe um "padrão", já que os mesmos podem opinar na área que compete ao outro e etc. Este também é subordinado ao diretor de criação, porém geralmente o diretor de arte e este chegam a um denominador comum, sendo que apenas quando isso acontece é que o diretor de criação avalia o conceito.

    Assistente de criação: Este é o "faz tudo", ele está subordinado ao redator e ao diretor de arte, além de cumprir as tarefas delegadas pelo diretor de arte e ou redator, também prepara os arquivos para gráficas, além de outras funções que podem ser relevantes ou não.

  • O cara do cafézinho.

3. Pesquisa e planejamento: São as pessoas "menos loucas" da casa, elas são as responsáveis por planejar a estratégia de marketing do cliente, bem como contratar serviços de pesquisas diversos a fim de coletar dados sobre a vida de mercado do cliente quando necessário (note que clientes grandes possuem seu próprio dpto de marketing, o qual é responsável por isso e pelo gerenciamento da campanha do mesmo).

4. Produção. Sua função é basicamente cotar preços entre gráficas e demais suprimentos necessários. Obviamente que procura o preço para cada coisa o mais barato possível.

5. Dpto de Mídia: Basicamente é ele quem decide em que emissoras de TV o comercial do cliente X irá aparecer e quantas vezes, dependendo da verba. Ele é quem controla o uso da verba em si também no quesito impressos (em alguns casos apenas). É também responsabilidade DELE fazer com que a fita chegue a emissora e que o comercial e/ou spot de rádio seja exibido no horário e dia determinados. Ele também é responsável por escolher quando e onde no quesito internet.

6. Trafego: Sabe tudo o que acontece na agência, é ele quem controla os prazos e mantém o atendimento informado à respeito do andamento de determinado trabalho para cliente x ou y.

Os demais departamentos não são necessários aqui, para poupar tempo podemos prosseguir, como pudemos observar, é um mundo à parte e o cliente é apenas o "começo". É importante deixá-lo feliz e é isso o que importa. Na realidade não interessa se a campanha vai ou não ser boa, na prática é o cliente quem paga e a palavra final é sempre DELE, afinal o dinheiro é quem manda.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. O cliente
   2. CRISE de identidade
   3. Briefing
Outros artigos deste autor

Inkscape descomplicado - Parte III (criando e imprimindo objetos 3D)

O espelho do sol e da lua

Da criança problema até o abacaxi

As letras que fazem TOING

O Organo Abstrato e o GIMP

Leitura recomendada

Construindo Somando e Subtraindo

Ubuntu - Substituindo Drivers nVidia Canonical por nVidia Oficial

Instalando o compiz no Arch Linux

Kino: Capture e edite seus vídeos no Linux

OpenVino: Inteligência Artificial em tempo real sem GPU

  
Comentários
[1] Comentário enviado por gabrihell em 22/08/2006 - 09:13h

Artigo bom desse ninguem comenta, povo gosta de um "Experiência de Migração para o Linux" totalmente irrelevante ¬¬
Parabéns pelo artigo :P

[2] Comentário enviado por removido em 18/09/2006 - 08:38h

ai ai ai...


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts