Porque o Linux não é muito usado nos desktops

Um bom exemplo prático para demonstrar por que necessitamos de usar o Linux, mas por que isso ainda não acontece. Algo que se possa expor para qualquer pessoa e esta entenda a necessidade de usar o Linux. Um artigo para estimular o uso Linux e fazer entender a situação absurda em que vivemos atualmente.

[ Hits: 11.818 ]

Por: Rodrigo Martins em 23/02/2011


Por que usar Linux?



Olá pessoal,

Sabemos que o Linux, infelizmente, não tem um número de usuários expressivo entre os desktops, pensando nesta questão consegui criar um exemplo muito bom para explicar o que ocorre e mudar a opinião daqueles que se opõe ao Linux e falam que há inúmeras distribuições famigeradas que confundem o usuário.

Para explicar isso usarei de comparações relacionadas a automóveis:

Pense que no mundo só existem duas montadoras de peças para carros, a NewTechnology (NT) e a Uniplex (UNIX) e apenas três marcas de automóveis: Windows, Mac e Linux, sendo que a Windows trabalharia com a montadora NT e a Mac e Linux com a UNIX.

A Windows mantém apenas um modelo de carro no mercado, atualmente o Windows 7. A Mac também mantém apenas um modelo, atualmente o Mac OS X SL 10.6. Diferentemente das outras, a Linux mantém vários modelos no mercado, entre os mais conhecidos: Ubuntu, Fedora, Slackware, Mandriva, Arch Linux e openSUSE.

O modelo da Windows é o mais completo do mercado na maioria dos quesitos e tem um custo médio-alto. O modelo da Mac é muito completo também e tem um toque a mais de elegância, mas seus custos são elevados e por fim os modelos da Linux são bem econômicos e confortáveis, além disso tem um custo diminuto.

A maioria das pessoas usam um carro Windows pelo fato dele ter as tecnologias mais recentes como conexão Bluetooth, rede wireless, comando de voz, câmeras para estacionar e pelo fato da maioria das oficinas e revendas de carros trabalharem com apenas a marca Windows. As pessoas mais ricas preferem a um Mac, pelo fato de ser extremamente elegante, funcional e símbolo de status e uma minoria das pessoas usam um Linux, pois ele carece de algumas funcionalidades mais recentes da tecnologia e por muitas vezes não ser assim tão prático no uso delas.

Agora pense: você prefere um mundo que utiliza apenas dois carros e que a única coisa que você pode mudar neles é a cor da pintura e do estofado ou num mundo em que existem milhares de marcas e carros para todos os tipos e gostos, onde se pode escolher entre Álcool ou Gasolina, onde se pode mudar o motor, a tração, as rodas e tudo que achar necessário?

Sinceramente, é preferível poder escolher entre diversos carros e ficar até em dúvida quanto a qual utilizar do que estar restrito a apenas dois carros.

Falando agora na realidade, o Linux não é completo e mesmo tendo as funcionalidades que a maioria dos usuários Windows e Mac utiliza, os usuários preferem sempre "ter a mão" para quando precisarem, enquanto o Linux não estiver completo para ser utilizado nas mais variadas situações, ele não terá preferência, mas então você pode me falar: se ele não está completo, ele não atrai usuários, sem usuários não há motivo para se desenvolver o Linux e sem desenvolvedores o Linux continua incompleto.

Afim de quebrar esse ciclo vicioso, temos que expor que apesar do retorno não ser imediato, deves apoiar e utilizar o Linux, para que os desenvolvedores se interessem pelo sistema e por fim teremos algo muito melhor do que um mundo monopolizado e sem competição num ritmo vagaroso de crescimento e entraremos num ritmo frenético de novas possibilidades, softwares, opções, entretenimento e tudo isso impulsionado pela competição que existirá entre os Sistemas Operacionais. Enquanto não houver esta competição nós estaremos fadados à mediocridade.

Espero que tenham gostado deste meu primeiro artigo, espero que comentem, mas sempre educadamente =) .

Agradeço pela atenção,

Rodrigo Martins.

   

Páginas do artigo
   1. Por que usar Linux?
Outros artigos deste autor
Nenhum artigo encontrado.
Leitura recomendada

Libertarianismo e semelhanças com Software Livre

Viva o Linux com bate-papo via web

Sistemas Operacionais - Experiência

Alguém, salve os multiterminais do Proinfo. Por favor!

LINA - Open Source em todo lugar

  
Comentários
[1] Comentário enviado por zemane1970 em 23/02/2011 - 18:25h

Há 4 anos, comprei o meu primeiro PC equipado com Windows XP. Pouco tempo se passou par que eu me decepcionasse com o dito sistema operacional. Navegando na net, fiquei sabendo da existência do Linux e baixei o cd live do Ubuntu. Não consegui instalá-lo no meu PC, pois ninguém na minha cidade sabia como configurar. Mas como sou teimoso, tentei tanto até que consegui!
Desde então uso Ubuntu, Debian, Arch Linux e openSUSE e não troco por nenhum Windows.

[2] Comentário enviado por albfneto em 23/02/2011 - 18:53h

eu tb. a 4 anos comecei a usar Linux. Vou mais além do seu artigo. além de ter carros economicos e de vários tipos... vc ainda pode... MUDAR TODO O CARRO...., PERSONALIZAR O CARRO...

por ex, Ubuntu, não é debian, mas pode ficar como debian e vice versa, Sabayon não é gentoo, mas pode ficar como gentoo e vice versa... Debian não é aptosid, mas pode ficar como aptosid etc...

nunca fica igual... os win e os mac é que são todos iguais e não se pode mudar nada, a não ser os papeis de parede e os icones...

[3] Comentário enviado por maninhx em 23/02/2011 - 21:00h

Um dos motivos por ainda existirem vários usuários Windows é porque existe pirataria. Na minha região imagino que 85% dos PCs possuem SO sem registro.

[4] Comentário enviado por brunomarsantos em 23/02/2011 - 22:33h

Trabalho na escola pública de São Paulo. Tive meu primeiro contato com o linux quando adquiri meu notebook com o Insigne. Penei demais com ele, principalmente quando coloquei internet em casa e o rapaz do provedor não sabia como configurá-lo adequadamente pra mim. Até me sugeriu que instala-se o Windows. Fui mais insistente, pesquisei sobre o linux e estou com o Ubuntu desde de outubro de 2010. Fiz uma planilha para os professores digitarem as notas bimestrais no Calc, e agora vou instalar o Libreoffice nos computadores da escola.
Fora que a filosofia das comunidades de usuários de linux são muito solidárias. É muito tranquilo obter ajuda para qualquer coisa e acredito que essa seja a sua força. A união dos usuários e sua solidariedade.

[5] Comentário enviado por gjschneider92 em 23/02/2011 - 23:30h

Eu me deparei com o Linux a mais ou menos um ano, quando vi um amigo meu utilizando o Fedora, o que me chamou a atenção na primeira vista, foi o próprio gráfico, totalmente personalizado.
Pensei por duas semanas, e cheguei a conclusão de que criar uma máquina virtual com o Fedora não iria me fazer aprender, na época utilizava o Windows 7. Removi e instalei o Fedora 11. Confesso que nas duas primeiras semanas não gostei, pois nao conseguia fazer nada, mas fui estudando e aprendendo e hoje, nao volto por nada, achei o sistema fantastico, principalmente pela sua estabilidade. Tanto, que mesmo ja tendo o Fedora 14, eu continuo com a instalação do 11, sem problema algum.

[6] Comentário enviado por tonismar em 24/02/2011 - 00:05h

Na minha opinião o problema não está no Linux e sim na cultura das pessoas. A grande vantagem, todos estão cansados de saber, é o fato de o Windows ter aparecido antes para a maioria das pessoas e empresas. Atualmente, nas minhas atividades diárias, não sinto a mínima falta do Windows. Consegui fazer algumas pessoas migrarem para Linux e elas também não sentem mais necessidades do Windows algumas delas ainda exclamam: Como conseguia usar o Windows? O dia em que a pirataria acabar (sonho) o Linux vai ser lembrado e adorado, porque dizer que o Windows é pago não funciona. Quantas pessoas vocês conhecem que usam Windows original?
O maior problema é o medo da mudança que as pessoas possuem, mas nada é maior que o medo de mexer no bolso.
Não tenho experiência no Mac mas as políticas da Apple fazem com que não me sinta interessado em utilizar um sistema operacional deles. Na minha opinião, beleza não põe mesa. Atualmente, ao meu ver, quem tem Mac faz mais questão de que outras pessoas saber que ele possui um Mac do que o desempenho do sistema realmente.

[7] Comentário enviado por rapharocket em 24/02/2011 - 01:09h

allrod, parabéns pelo seu primeiro artigo. Eu gostei. Foi simples, claro, objetivo e as comparações não foram ruins.

Já que todo mundo tá meio que contando um pouquinho de suas experiências com o Linux aqui nos comentários, acho que não seria nenhum pecado se eu também fizesse o mesmo. :)

Acerca do Windows, ele me era suficiente até certo ponto. Depois comecei a ir além dos limites que ele me impunha e daí começou a relação conflitante. Mesmo assim continuei a usá-lo, até que um dia aconteceu o seguinte:

Meu primeiro contato com o Linux foi em 2008, quando depois de tanto ver um banner do Kurumin 7 no site do Baixaki, acabei por resolver testar. Baixei com muito sacrifício (internet bem lenta), sofri com a inexperiência (minha ISO corrompeu - deveria ter baixado com o torrent ou verificado a integridade do arquivo), mas valeu a pena. No primeiro instante, já fiquei completamente maravilhado com a possibilidade de um sistema operacional rodar diretamente de um CD. Depois, fiquei ainda mais bobo quando me deparei com uma gama enormemente variada de programas dispostos em menos de 700MB de dados. As minhas primeiras impressões com o Kurumin foram fantásticas. Mesmo sem saber sequer instalar um programa, passei a gostar do sistema e de vez em quando, o punha pra rodar no meu computador, simplesmente por gostar. O nome Linux, naquele momento tinha ficado com boa estigma em minha mente e resolvi pesquisar acerca do que eu estava usando. Me deparei com o termo "distribuições" e também sua forma mais popularmente dita, "distro". Descobri que existem incontáveis distribuições ou distros. Comecei a ver mais nomes estranhos como Ubuntu, Fedora, Debian, Slackware, Arch Linux, Gentoo... Depois de despertada a minha curiosidade, não parei mais. Sempre tinha um Linux perto de mim, aliás, até hoje tenho muitas, mas muitas mídias de distribuições gravadas. Hoje me sinto feliz usando o Linux Mint. Atende à minha demanda, é bonito e muito personalizável assim como todo Linux. Acerca do Linux, "só sei que nada sei", mas vou vivendo da ajuda dos colegas aqui do VOL. Acho que mais do que apenas tornar o meu computador mais útil, o Linux me fez ganhar novos amigos.

[8] Comentário enviado por rsfreitas em 24/02/2011 - 07:36h

Sempre usei windows desde cedo, então comprei um desk com mandriva há 5 anos aproximadamente e só fui atualizando é minha distro até hj embora use frequentemente ubuntu, suse, e fedora.
Nunca fui chegado ao convencional, a decisões tomadas previamente por terceiros, sempre preservei o meu direito de escolha, ao meu o Linux sintetiza todas essas coisas, além da possibilidade do aprendizado constante muitas vezes através da descoberta própria, encontro rápido com novas tecnologias ...Linux pra mim é liberdade para progredir através de experiências próprias, e nada pode ser mais animador! é acho que já fiz a cabeça mesmo!

[9] Comentário enviado por lazy em 24/02/2011 - 08:44h

Realmente é uma situação muito delicada pelo menos pra mim. sou muito recente no mundo livre - alguns meses e tenho dificuldade com a camera, MS office são as principais. Concordo realmente que enquanto não houver difusão do linux, os usuários não vão falar suas dificuldades e nada evoluirá.

Excelente tema valeu véi.

[10] Comentário enviado por Rubens Luccas em 24/02/2011 - 09:59h

Muito bacana!

Comecei a usar o Linux quando entrei na faculdade. Para acompanhar as aulas, comprei um laptop equipado com o Windows Vista e sofri com uma BSOD que insistia em aparecer logo nos primeiros minutos de uso. Por coincidência, havia feito o download do Kurumin Linux alguns dias antes. Foi o Kurumin quem me salvou.

Gosto de apresentar o Linux para outras pessoas, mas procuro sempre situações de oportunidade, leia-se falhas do Windows, para mostrar que o Linux não apenas pode substituir o Windows como melhorar seu relacionamento com sua máquina.

[11] Comentário enviado por nicolo em 24/02/2011 - 10:40h

O que as pessoas preferem?
Ter muitos modeleos de carros ou um único carro?
Resposta: Preferem o que o marketing empurra para elas.
O que as pessoas preferem o que evolui rápido ou um padrão estático?
RESPOSTA: Estatisticamente a humanidade prefere o padrão estático: Prova: A maioria da humanidade somada é Islâmica, chinesa, ou indiana, ou africana,
onde o conservantismo impera e reina.
A papologia do progresso é europeu (350 milhões de habitantes, e Estados Unidos mais ou menos 320 Milhões ) Total: Cerca de 10% da população do planeta.
O Progresso é uma perversão cultural da civilização Européia Ocidental, (talvez do Japão) quase uma religião, ou uma psicose de massa que hoje
está sendo questionado pelos preservacionistas, saudosos , que querem retornar às origens silvícolas.
Para 90% da humanidade o progresso é menos que uma questão de boas maneiras.

A extrapolação dos pré-conceitos politicamente corretos, vendidos pela mídia, resulta em equívocos, porque atrapalha o raciocínio.

O windows é como o método conservador, absorvido pela convivência, ensinado de pai para filho, é politicamente correto, garante a sobrevivência da tribo.
Usar windows integra o indivídio à grande tribo, evita presões externas, quem usa windows não é chamado de burro, muito pelo contrário, é considerado normal.

A nossa opinião é a verdade para nós, está longe de ser verdade para os outros. VIVA A LIBERDADE.

[12] Comentário enviado por jetnow em 24/02/2011 - 13:42h

Após muitos anos de tentativas de adotar o Linux, algumas com final meio triste, finalmente me achei. Hoje uso o Mint 9 KDE e estou plenamente satisfeito. Acho que o problema é um só: "os problemas a resolver no Windows são por causa da incompetência do usuário". Já os mesmos problemas, no Linux, são defeito do Linux.
É preciso ter uma certa coragem para quebrar a cara e enfrentar a "opinião pública" se você optar por Linux. É a mesma atitude que tomamos diante da TV. Qual o Ibope da TV Cultura? E das grandes emissoras?
Fora isso, há que se considerar que até chegar ao Mint, passei por pelo menos meia dúzia de distribuições, desta última vez, pois a que eu queria, Kurumim, já estava desatualizada.
Não sei como ajudar a resolver, mas acho que o estágio atual das "melhores" distribuições já está bom o suficiente para cativar os ousados. Talvez uma campanha do tipo "você tem a internet inteira para te ajudar", o medo diminua.
Parabéns ao Rodrigo pelo artigo.

[13] Comentário enviado por rafaelsarilho em 24/02/2011 - 13:51h

uso o linux ubuntu a quase 2 meses e estou adorando não troco pelo windows de jeito nenhum, a unica coisa q penso em mudar eh de distribuição, pretendo migrar para o linux mint :D

[14] Comentário enviado por bitetti em 24/02/2011 - 13:58h

Grande problema do Linux é a assistência, o Marketing tb é um problema, o Windows e Mac tem marketing, já o Linux é boca a boca, mas o grande mesmo é assistência.

As lojas andaram empurrando versões customizadas de Linux pra clientes esses tempos, o resultado foi horrendo. Distros que ninguem conseguia mecher!
Ai vem um técnico de manutenção q recomenda um XP, e instala um piratão.

Pq ele instala o piratão? Pq não sabe usar o Linux!

Toda pessoa q gosta de manutenção não tem paciencia de usar um software. E quem usa software ou programa software nao tem saco p fazer manutenção ou suporte. É uma area carente.

Nas lojas de manutenção o pessoal até ja desenvou um discurso padrão p convencer q usuario final n pode usar Linux!

[15] Comentário enviado por removido em 24/02/2011 - 23:45h

Bastante interessante seu artigo, allrod, e também os comentários dos usuários aqui da comunidade.

Realmente, também acredito que uma das razões para o grande medo acerca da adoção do Linux como SO principal é a falta de assistência para os eventuais problemas que possam vir a surgir com a utilização do mesmo, além do tradicionalismo referente aos "padrões Windows de ser".

Aproveito para contar um pouco da minha história também ...

Meu primeiro contato com computadores foi no final da década de 90, acho que precisamente 1999, em que eu tinha uns 12 anos e na minha família meu tio médico havia sido o primeiro - dos parentes mais próximos - a ter um PC. Depois de um certo tempo de uso deste PC, o meu tio o deu de presente para um primo meu, no qual éramos bastante próximos, e desde então aquilo era algo fantástico para mim. Praticamente todo final de semana, eu ia para a casa de meu primo, com o pretexto de brincar, mas na verdade gostava de ficar curiando o que ele mexia no PC - na época do boom do Windows 98, Napster, ICQ com o famoso "ô ôu", mIRCs, Bate-papo na Uol sem safadezas - e escutar aquela louca zuada de linha dando ocupada ou fazendo um barulho estranho (mas que simbolizava que em breve estaria conectado ao mundo). Estes foram meus primeiros contatos com um Computador ...

Após esta época, em meados de 2002, meu pai compra um Duron 900 com Windows 98 ou 2000, que posteriormente foi instalado o XP mas retornado ao 98 por causa do desempenho. Lembro-me nesta época de pensar que instalar um SO era apenas comprá-lo em CD e pronto. Naquela época, pedi dinheiro todo feliz a minha vó, dizendo que precisava comprar um novo SO (Win XP) p/ me auxiliar nos estudos. Eram meros R$12, numa loja de info perto de casa que nem existe mais; o dito cujo veio numa capa de papelão com o serial colado no avesso. Quando instalei (por cima do 98) e vi todo aquele visual colorido e mudanças no design, achei incrível mas logo percebi que não conseguia mais conectar a internet (os drivers do modem precisam ser reinstalados) :/ ... mas e eu lá sabia o que eram drivers? rs

Continuando ...

[16] Comentário enviado por removido em 24/02/2011 - 23:57h

Meu primeiro PC - de fato - eu ganhei no final de 2006, após passar no vestibular. Na época em que a internet banda-larga começou a se popularizar aqui na minha cidade, fui logo providenciando uma para garantir toda a comunicação necessária ao aprimoramento acadêmico. No início de 2007, após eu ter conseguido - com muita pesquisa e paciência - rodar o Windows Vista Starter em meu Celeron de 256 de ram, e estar cansado de ficar formatando o PC após vários problemas oriundos de vírus e arquivos de sistema corrompidos, pensei que poderia haver alguma alternativa. Algo diferente, com um design interessante, mas que não fosse Windows. Então, pesquisando, soube de algo a respeito do Kurumin. Eu não sabia por onde começar, como instalá-lo, como funcionava, nada. Então, entrei numa sala de bate-papo com a temática Informática, e pedi auxílio para alguém sobre como procedia a instalação. Um cara fez assistência remota com o antigo XP e eu vi - passo a passo - ele fazer a instalação do Kurumin numa máquina virtual que ele havia recomendado eu baixar. Após isso, fui estudando, pesquisando e aqui estou. Já instalei Mac OS X várias vezes no meu PC, instalei Windows Vista Ultimate, Windows 7, mas nada que me fizesse ficar travado a apenas estas oportunidades. O Linux ampliou minha visão sobre a qualidade e a importância de manter uma comunidade, uma interação conjunta, de mentes diversas, de lugares diversos, que estão conectadas e colaborando por um mesmo propósito e projeto. Por mais que eu não seja um expert, um hacker, eu sei que há documentação e pessoas dispostas a me ajudar e a compartilhar experiências.

Foi uma das melhores experiências da minha vida ...

[17] Comentário enviado por odone.machado em 25/02/2011 - 10:43h

Depois de dominar o uso do linux, ninguem mais quer saber de usar windows. Minha maior vitória foi ensinar minha mãe a usar Ubuntu, ela não quer mais saber do windows para mais nada e não se sente mais a vontade com as janelas.

[18] Comentário enviado por allrod em 25/02/2011 - 11:00h

Olá nicolo,

Concordo com o fato das pessoas serem muito sucetíveis ao marketing, mas observe:

As pessoas gostam do que evolui mais rápido, logo elas apóiam a concorrência para acelerar esta evolução, ainda há muitas coisas além de Sistemas Operacionais nas quais as pessoas não se tornaram maleáveis à opções, por exemplo a questão religiosa, incontestávelmente muitas pessoas são de uma determinada religião por que foram condicionadas à ela desde muito cedo (muitas pessoas usam Windows por este mesmo motivo), são poucas as pessoas que "experimentam" todas as religiões para depois se decidirem a qual vão seguir.

Verdadeiramente existem apenas duas possibilidades para uma pessoa não querer ser diferente das demais: Ou a pessoa está alienada pela sociedade, que a vê como uma regra imutável e a aceita sem questionar (foi questionando a política, a autoridade, a socioedade, religião e etc. que a humanidade progrediu), ou a sociedade em que ela vive está tão fechada à novas idéias que prefere não se mudar por que momentaneamente está bem e uma mudança poderia afetar isso (impossível não fazer referência ao Mito da Caverna de Platão: uma sociedade conservadora repudia o novo apenas por não conhecê-lo ainda).

Muito ainda há de ser melhorado no mundo para quebrar alienações e preconceitos ao novo, mas usar Linux é um meio de evoluir neste aspecto, abrir a mente das pessoas para as novas possibilidades.

OBS.: Creio que se hoje divulgassem que todas as marcas se uniriam para fazer um monopólio e vender um único carro a sociedade se revoltaria e criaria alternativas a isto pelo fato de já terem experiemantado o poder de escolha, basta experimentarem este poder em outras áreas para se "libertarem" da alienação.

Obrigado pela atenção, Rodrigo.

[19] Comentário enviado por allrod em 25/02/2011 - 11:02h

Obrigado a todos pelos comentários, realmente são todos ótimos ao passo que são construtivos, inteligentes e respeitosos.

Agradeço pela atenção, Rodrigo.

[20] Comentário enviado por sansimon em 26/02/2011 - 10:03h

O GNU/Linux é como o espiritismo para o cristianismo , para aceita-lo tem que se haver conhecimento , sem conhecimento o Linux é inútil.


saudações.

[21] Comentário enviado por genixsky em 26/02/2011 - 11:59h

Trabalho com o Linux a 10 anos, desde a primeira versão do Morumbi Linux, venho migrando de distribuições desde lá e sou apaixonado por todos os sabores de Linux, mas nesses 10 anos percebi que existe um perfil de utilização de usuários para sistemas operacionais. Os que cultivam o desafio e sensação de ter conseguido compilar algo, fazendo a vontade da pesquisa e do raciocinio aumentar ao utilizar Linux e a certeza de ser livre no mundo digital.
E os usuários NNF (Next Next Finish) que preferem o imediatismo e "eficiência", se é que pode chamar um sistema que precisa ser desligado a cada 2 meses de eficiente, mas em fim ...
Percebo que o Linux deixa os usuários mais inteligentes e motiva vários estímulos, como a pesquisa, a liberdade. Inicialmente pagamos um preço mais caro pelo objetivo vs horas de trabalho utilizadas, mas com a experiência que possuo até o momento, sei que cada minuto dedicado, tornam-se cada minuto de paz no futuro, para não ter que se preocupar as 3 da manhã por que o sistema de arquivo corrompeu ou até mesmo, ter que lembrar de bootar um w3k, pois o espaço de memória acabou. Apesar de ser apaixonado pelo Linux, o mesmo não é perfeito e esta longe de ser, mas quem o utiliza tem o PODER de muda-lo. No momento utilizo o CentOS por particularidades do mesmo e por ser clone do Red Hat, mas mesmo a Red Hat cobrando pelo serviço de suporte, algo em torno de R$ 2500,00 ainda consigo utilizar os pacotes mistos e não ser obrigado a pagar nada, isso é um sinal de liberdade. Tudo é motivado pelo conhecimento adquirido, quanto mais temos o Saber, mas conquistamos, isso não deixa de ser diferente com os sistemas operacionais.

[22] Comentário enviado por genixsky em 26/02/2011 - 12:18h

Referente a pirataria Windows vs Utilização Linux, penso que ela existe no mundo Windows e principalmente aqui no Brasil, pois a Microsoft não utiliza nenhum método eficiente de bloqueio, os utilizados no momento são majados e nada como alguns dias pesquisando e um bom editor Hexadecimal para quebra-los. Mas alguem já parou para pensar que é isso que ela realmente quer? Sabemos que existe tecnologias eficientes para bloqueio de propriedade, uma delas, é o Keylook ou HardKey, já muito ultrapassada, mas ainda funciona, apesar do custo e logistica envolvidas seria possível a Microsoft utilizar essa tecnologia para realizar o bloqueio de licença ao Keylook que viria junto com a Windows, mas ela não o faz, pois dessa forma os usuários seriam obrigados a comprar o Windows original e a pirataria iria diminuir, nunca acabar, pois em fim, somos seres pensantes e para o querer basta o tempo para concluir. Hoje ela detem a maior fatia de utilização de desktop com o sistema operacional Windows, mas no mundo dos servidores isso é bem diferente. Qual seria o motivo? Estabilidade? Recursos Disponíveis no Windows? Custo? Percebo que grande parte das empresas quando precisam de estabilidade e não envolvem o dia a dia dos usuários diretamente escolhem Linux eu por exemplo, onde trabalho, implementei 95% dos sistemas servidores em Linux, mas por que? Por que não tenho que pagar nada? Não, mas sim pela segurança e tranquilidade os 5% utilizam Windows, pois os mesmos gerenciam sistemas embarcados ou venda casada. Desde o início, tem duas frases que me motivam a utilizar cada vez mais Linux, "Ou me domina ou te devoro" e no mundo Windows: "Ele é igual a um Pato, Anda, voa e nada, mas cada tarefa a 70%".

[23] Comentário enviado por bitetti em 01/03/2011 - 10:59h

genixsky dorei o termo NNF ^_^
Mas deixa eu acrescentar, uma coisa que venho notando é que Linux não está unicamente nesse perfil de usuário q curte compilar.... tenho encontrado muitos usuários "pesquzadores"!!

É o caso de Mouzzart Couto, o cara é mais velho doque eu e descobre coisas no Linux que me impressionam.
Só que ele não é programador nem nerd... é só um dos maiores artistas de quadrinhos do Brasil.
Oque ele tem de diferente? Simples, sempre foi pesquizador des-de os primórdios! Nunca se contentou com papel e lapiz, ele começava a esperimentar tinta e assim vai.

[24] Comentário enviado por nicolo em 02/03/2011 - 13:42h

O usuário NNF é o mais importante no longo e médio prazos. Ele é a massa e é essa massa que tem o PODER
de empurrar para frente ou de botar o peh na porta do laboratório, de maneira que o produto nunca saia
para as ruas, digo para os desktops.

Tudo que é feito para especialistas é de uso restrito aos especialistas, que por definição são sempre minoria, ou não seriam especialistas.

O windows é o number one porque conquistou o pessoal NNF, e se tornou, antes de mais nada, um produto de massa.
A MS segurou o NT, enrolou até que a massa NNF estivesse acostumada o suficiente., depois empurrou um NT mixado, o XP que é o maior sucesso de OS de todos os tempos. Nem os vistas e windows 7 conseguiram derrubá-lo.
A MS deixou a pirataria rolar solta até conquistar o NNF, depois começou a apertar para vender licenças.

Se aumentar o número de NNF é sinal que o Linux tem sua sobrevivência de médio e longos prazos garantida. Se ficar no âmbito dos super gênios, vai perder-se nas brumas do tempo, dentro de um círculo restrito dos que tem altíssimos conhecimentos.

Devido a busca do Santo Graal do ubuntu (NNF) o Linux ser tornou mais popular e melhorou a aceitação, mais user friend. O Mark Shuttlework , é empresário, já ficou rico uma vez e não perde tempo botando azeitona em empada de cientista, ele prefere despachar um cd de ubuntu para a casa do NNF.
Ele não faz isso por engano, e muito menos por equívoco.
Você que é profissional de informática: Mais respeito e consideração com o NNF ele será o seu futuro cliente, o cara que lhe paga!
Não há porque ter raiva de um acara tão amigável$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$.


[25] Comentário enviado por XxXleoXxX em 08/03/2011 - 21:27h

ola pessoal, eu uso muito o linux, mas preciso usar tambem o windows e mac por que ainda não achei programas de audio para linux, trabalho com musica eletronica e os aparelhos que uso não funciona nos programas do linux.
se algum dia tivesse reason, logic audio, garage band para linux com certeza usaria somente o linux.

minha maquina tem 3 boots, linux back track, mac e linux.

windows e mac para os programas de audio e linux para todo o resto

valeu galera!!

[26] Comentário enviado por nathanmeireles em 18/09/2014 - 17:21h

Agora pense: você prefere um mundo que utiliza apenas dois carros e que a única coisa que você pode mudar neles é a cor da pintura e do estofado ou num mundo em que existem milhares de marcas e carros para todos os tipos e gostos, onde se pode escolher entre Álcool ou Gasolina, onde se pode mudar o motor, a tração, as rodas e tudo que achar necessário?

Olá,
sou usuário Linux e já usei Windows mas nunca usei o Mac.
Copiei e Colei essa analogia que você fez em seu artigo (logo acima) em que você diz Agora pense: ...
Então, lendo da forma como você colocou fica a percepção de que o Linux apesar de ser um Software Free é carente de mais Upgrades: "Álcool ou Gasolina, onde se pode mudar o motor, a tração, as rodas e tudo que achar necessário"... sendo assim eu como já fui um usuário Windows escolheria um "carro" Windows por ser mais compatível com o mercado, completo e "estável" (Querendo ou não ele é).

Existe algo chamado custo de TCO ou seja é como algo como o que foi dito acima um sistema bom é aquele COMPLETO e nesse quesito é que o Windows ganha dos demais, ele pode até ser um sistema "caro", mas os demais carecem de Upgrades que as vezes saem mais caro ainda... Claro tudo isso depende da situação... você não vai comprar uma Ferrari se você não ousa passar dos 150 por hora (kkk)...
Enfim, essa questão que alguns usuários, adeptos, fãns (o que quer que seja) de Linux ou Mac tem em relação ao Windows em dizer que ele é ruim, que a Microsoft monopoliza o mercado eu acho a maior bobagem até porque a Microsoft não coloca uma arma na sua cara e te obriga a comprar o Windows ela apenas disponibiliza algo em um hardware OEM e inclusive o cliente pode chegar na loja e optar por levar apenas o Hardware e solicitar o reembolso sobre o S.O retirado da máquina (isso inclusive é LEI).

Windows é bom, Linux é Ótimo, Mac OSX (Não sei, nunca usei)

Tudo é questão de praticidade
Defendo uma única questão (no meu perfil de administrador de redes, é claro) quero e preciso de praticidade. Não quero um S.O que me atrapalhe nas minhas atividades rotineiras e não quero sofrer pra resolver uma problema do S.O, ou seja, não quero trabalhar par o S.O, pois ele está ali pra me servir. Nesse meio tempo o Linux (Ubuntu) está sendo a melhor escolha pra mim, maaaas o Windows também é excelente, não o uso, uso apenas o Linux.

Obrigado pelo seu artigo apesar do tempo que ele foi escrito é bom ver que assuntos como este perduram por muito tempo
há e apenas opinião própria não creio que o Linux vá superar o Windows em desktop, isso jamais irá acontecer porque querendo ou não as coisas de qualidade são aquelas pela qual você paga $$$$

Abraços.



Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts