PORTAGE - Gerenciamento de pacotes no Gentoo Linux

Portage é uma grande ferramenta de gerenciamento de software. Possui uma grande quantidade de características que o tornam flexível a ponto de ser apontado por muitos como a melhor ferramenta em Linux dessa categoria. Neste artigo trabalharemos muito com o emerge, que faz a intermediação entre o Portage e o usuário.

[ Hits: 35.523 ]

Por: Cicero Juliao da Silva Junior em 23/10/2008


Instalando e gerenciando pacotes



Recentemente consegui dar mais um passo neste maravilhoso mundo livre: instalei o Gentoo Linux e coloquei tudo para funcionar como queria. Bem, quase tudo. Uma das grandes tarefas nessa empreitada foi aprender como gerenciar os pacotes nessa distribuição. O gerenciamento vem por meio do Portage, poderosa ferramenta do Gentoo.

Nesse artigo falaremos sobre seu uso e várias de suas características. Como fonte de consulta, usamos o próprio manual oficial do Gentoo, além da experiência adquirida.

Introdução ao Portage

Portage é uma grande ferramenta de gerenciamento de software. Possui uma grande quantidade de características que o tornam flexível a ponto de ser apontado por muitos como a melhor ferramenta em Linux dessa categoria. Neste artigo trabalharemos muito com o emerge, que faz a intermediação entre o Portage e o usuário.

Primeiro precisamos entender a chamada "Portage tree", a árvore do Portage. Ela é uma coleção de ebuilds - arquivos que contém toda a informação necessária para manter/gerenciar o software. Essa coleção de ebuilds fica em /usr/portage. Portanto é necessário fazer o updated da árvore do Portage de tempos em tempos, e isso é feito usando o programa rsync. O comando para isso é

# emerge --sync

Se você tiver um firewall bloqueando o uso do rsync, ainda pode fazer o update. Use:

# emerge-webrsync

Pesquisando por pacotes

Você está querendo instalar um programa, mas não lembra exatamente seu nome, apenas parte dele. O que fazer? Simples, use:

emerge --search nomedopacote

A sintaxe acima para "emerge -search" retorna os nomes dos pacotes que contém a expressão "nomedopacote", mesmo que parcialmente. Por exemplo, para pesquisar sobre todos os pacotes que contém a expressão "gnome":

emerge --search gnome

Se você quiser pesquisar mais a fundo, pode buscar não apenas dentre os títulos dos programas, mas também em suas descrições. Para isso use a opção -searchdesc:

emerge --searchdesc gnome

Experimente o esquema descrito acima. A saída do comando mostra muito além dos nomes dos pacotes, mas também diversas informações adicionais. Veja um exemplo:

# emerge --search alsa

* media-sound/alsa-utils
......Latest version available: 1.0.14_rc1
......Latest version installed: 1.0.14_rc1
......Size of files: 957 kB
......Homepage: http://www.alsa-project.org/
......Description: Advanced Linux Sound Architecture Utils (alsactl, alsamixer, etc.)
......License: GPL-2

Note na amostra acima que, além do(s) pacote(s), é mostrada a versão disponível, se essa versão está ou não instalada na máquina, o tamanho do arquivo, seu endereço na net, sob qual licença está disponível, além de uma breve descrição do pacote.

Instalando programas

Agora que sabemos como procurar e encontrar nossos pacotes, vamos instalar. Também é muito simples:

# emerge nomedopacote

Como os pacotes normalmente possuem diversas dependências, a instalação de um único pacote pode resultar na necessidade de instalar diversos outros. Mas não há motivo de preocupação, pois o Portage cuida de tudo. Se for necessário saber antecipadamente quais pacotes seriam instalados para determinado programa, use a opção --pretend.

# emerge --pretend nomedopacote

Quando dizemos para o Portage instalar um pacote, o que ele faz? Primeiro baixa o código fonte da internet e guarda em /usr/portage/distfiles. Guarde bem esse diretório na memória. Ele será útil diversas vezes. Depois de baixar, o Portage abre os arquivos, compila e instala o pacote. Se por quaisquer motivos você não quer que o pacote seja instalado, mas apenas deseja baixar os fontes, use a opção --fetchonly:

# emerge --fetchonly nomedopacote

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Instalando e gerenciando pacotes
   2. Removendo e atualizando com Portage
   3. SLOTS e máscaras
   4. Flags
   5. Características especiais
Outros artigos deste autor

Alinhamento em folhas de estilo - CSS

Instalação do sidux

CSS - Manual básico sobre estilo

Reconstructor: Crie seu próprio Linux liveCD

Convença outros a usar Linux!

Leitura recomendada

Instalando e utilizando o agendador at

Executando máquinas virtuais diretamente no GDM

LogBook: Documentação de implementação e manutenção

Servidor NIS+NFS: Aprenda a montar o seu

Relato: Instalação mista dos sistemas Linux, MacOS e Windows na mesma rede

  
Comentários
[1] Comentário enviado por nicolo em 23/10/2008 - 12:22h

Portage (portar, transportar) , segundo consta é inpirado no BSD. O sistema do Portage é considerado pelos experts
o "mais perfeito" sistema de intalação de pacotes (programas e drivers), segundo a metáfora do "perfeito":
"Um sistema operacional para uma máquina". Isso inclui drivers específicos, etc.
Acho que chamam metáfora porque essa perfeição não parece prática.

Fato é que o Sabayon, um irmão (ou derivado) do Gentoo consegue instalar o driver da nvidia (3D) automaticamente,
na instalação do sistema, uma façanha respeitável.
Creio que essa linha de distros é uma alternativa às tradições dos TGZ, RPM e Debian(s) sem deixar de ser GNU-Linux

Ótimo artigo. Parabéns

[2] Comentário enviado por albfneto em 23/10/2008 - 14:31h

Julião, vc também está usando Gentoo?
Excelente o seu artigo...
De fato, voce pode abreviar, ex

# emerge -p nomedopacote
ou
# emerge --pretend pacote
O Portage também faz muitas outras coisas, instala binários, recompila co FLAGS de compilação diferentes etc...
Uma das importantes caracteristicas do Portage, é de ser um gerenciador de pacotes compilador, isto é ele faz o binário a partir do fonte baixado através de um ebuild!
O portage, usando autoconf e automake, ele vai usar o gcc do gentoo r automatiza os processos de configure, make e make install!
é fantástico o portage e suas possibilidades são quase ilimitadas.
Outra carateristica do gentoo: embora não seja feito para usar .BIN. .RPM etc... e nem pácotes slackaware, o gentoo aceita (instalação via emerge) apt-get, rpm, yum... se vc quer usar...
não é aconselhável, mas dá.
também descobri, usando gentoo e sabayon, que muitas coisas para slackware, rodam no gentoo.
Complementando, cada Linux tem sua Filosofia e finalidade.
Se você quer um Linux, fácil, para usar, algo do tipo "Instalou, sai navegando", se voce quer linux rápido, produtivo, para usar etc... Seu Linux NÂO é o Gentoo!
A grande desvantagem do Gentoo é a demora da compilação, mas isso é sua maior vantagen, a otimização e o qu8e pode ser fazer com o Gentoo, linux que "se faz prá sua máquina"!!!
Se vc quer um Linux, pra mexer, pra usar, pra aprender e pra xeretar, então seu Linux pode ser o Gentoo!

[3] Comentário enviado por juliaojunior em 23/10/2008 - 14:55h

albfneto, comecei a usar o Gentoo há umas duas semanas. Desde a primeira vez que ouvi falar sobre o Gentoo, fiquei louco para usar, pois sempre falavam positivamente. É incrível o nível de satisfação dos usuários. Por um motivo ou outro, demorei para experimentar. Mas agora que comecei, compreendo o porquê da satisfação: ele é simplesmente incrível.

kara, se tiver alguma sugestão de uso, alguma particularidade no uso do Portage, pode mandar!!! Estou devorando tudo que posso sobre o Gentoo.

[4] Comentário enviado por percival em 24/10/2008 - 15:31h

Sou usuário Debian há 4 anos ( portanto CHATO e exigente ), dei uma passeada pelo FreeBSD e há 2 meses uso Gentoo no meu notebook.

Simplesmente fantástico, rápido e estável.

Arrecomendio.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor HostGator.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Viva o Android

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts