O que você vai ser quando crescer?

No atual mundo globalizado as dúvidas sobre o que ser e como ser rondam desde os mais tranqüilos estudantes até os mais experientes gerentes na hora de escolher qual o caminho da carreira seguir. Se você também sofre deste mal e faz parte do mundo da tecnologia, este artigo pode lhe ser útil.

[ Hits: 21.443 ]

Por: Paulino Michelazzo em 21/03/2008 | Blog: http://www.michelazzo.com.br


Introdução



Sei que você deve estar cansado de ouvir dicas das mais variadas e dos maiores gurus de RH do planeta sobre como conduzir sua carreira e pensa que este é mais um artigo que possui a mesma abordagem. Antes que pare a leitura, deixe-me explicar no que ele é diferente. Não sou guru de nada, não estou vendendo nada, não estou lhe dando fórmulas milagrosas, não estou dizendo que você vai ficar rico, não estou "faturando em cima" e tampouco afirmando que minha experiência serve para você. Somente gostaria de responder à algumas pessoas que, devido a artigos anteriores, enviaram-me longas mensagens com um ponto recorrente que posso resumir em uma pequena frase que é "o que fazer de minha vida". Então ele é uma resposta à estas perguntas e também algumas dicas para os profissionais (ou futuros profissionais) da área de tecnologia.

Competição acirrada, menos postos de trabalho, maior facilidade para obtenção de conhecimento e automação de funções são algumas das variáveis que hoje fazem parte da equação de escolha duma carreira. Mas além destas variáveis também é possível citar o anseio manipulado das pessoas visando o consumismo, o status, o sucesso. A preocupação em obter este "sucesso" ou status desvirtua a tal ponto que esquecemos os caminhos que devem ser traçados para ao menos obter-se tranqüilidade na vida ou até mesmo este tão falado sucesso.

E o que tem a ver esta ladainha com a tecnologia? Se você está correndo atrás do sucesso e não sabe por onde, tem muito a ver.

O mundo tecnológico é aquele que hoje mais se aproxima da realidade de mercado e ao mesmo tempo o que mais se distancia desta. É daqueles que mais exige do profissional em todos os sentidos, sendo muitas vezes o algoz da destruição de lares, mas também é aquele que oferece a maior quantidade de oportunidades ou o já comentado sucesso para pessoas de todos os níveis. Se compararmos o mundo da tecnologia com o mundo da bola, vemos mais profissionais bem sucedidos e mais bem pagos no primeiro que no segundo. Claro que "ronaldinhos", "kakás" e "pelés" são poucos, tais como são os "ellisons", "gates" e "jobs", mas isso não serve de parâmetro para a comparação. Costumo dizer que estes "seres" são iluminados de alguma forma, o que não está ao alcance da grande maioria (meu inclusive).

Mas o mundo da bola também nos oferece uma visão interessante sobre carreira e sucesso. Além do dom que alguns possuem, a lapidação de um craque com sucesso passa por duas fases distintas: a primeira que é o desejo de ser craque e a segunda o trabalho para ser craque. Estes são os pontos mais importantes e aqueles que a maioria das pessoas não consegue enxergar quando falamos de carreira na área tecnológica. Esquecemos que temos que desejar ser craques na tecnologia e temos também que trabalhar para sermos craques. Não é somente talento que tira um menino pobre dos campos de pelada, mas muito trabalho duro e o mesmo paralelo está na tecnologia.

O desejo de ser craque (ou "sou apaixonado por redes mas amo programação")

Um pensamento no mínimo dúbio pois são áreas tão diferentes quanto é o futebol e o rugby (aquele futebol estranho com bola oval). Não é porque ambos tem traves e chuta-se uma bola que são iguais. Da mesma forma, não é porque redes e programação estão relacionadas com computadores que são a mesma coisa. Áreas muito distintas dentro do universo tecnológico.

Esta dúvida é a primeira placa de bifurcação que irá encontrar e diante dela o primeiro passo é saber o que deseja realmente. Se você não tem muita certeza, tudo bem, vá "sentindo" o que gosta de fazer e caminhe por este lado. Ao contrário do que a sociedade prega, não existe caminho errado (salvo aquele do crime). O importante é ter o desejo fortemente embutido em você.

Se gosta de fazer com que computadores pensem, programe. Se ao contrário disso adora ver computadores se comunicando, estude redes. Fazer ambos é possível? Sim, claro que é. Existem algumas pessoas que são capazes disso mas duvido que Ayrton Senna fosse tão bom piloto de motovelocidade como era de Fórmula 1. Além disso não se engane quanto a sucesso, emprego e status. Há algumas décadas ser maquinista de trens era algo espantoso e muito bem visto. Hoje em dia nem sabemos onde estão os trens. Então não deixe que o "hoje" diga à você o que é melhor. Os anos passam e tudo muda, inclusive nossas escolhas que precisam ter flexibilidade para serem adaptadas a estas mudanças.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Decidi, quero...
   3. Cenários de terror
Outros artigos deste autor

Força-tarefa brasileira disponibiliza versão do TikiWiki em Português do Brasil

Traduzindo software com qualidade

Liberte seus documentos

Lobos em peles de cordeiros

Um níquel de volta

Leitura recomendada

Porque acho que verei um Windows com kernel Unix até 2012

Viva o Linux finalmente de volta!

Microsoft anuncia em sites Linux

A desvantagem do Linux em desktops

Mrxvt x Gnome-Terminal x Konsole

  
Comentários
[1] Comentário enviado por removido em 21/03/2008 - 12:48h

Gostei do seu artigo me indentifiquei com o que foi escrito, tenho 16 anos ("sou apaixonado por redes mas amo programação") e tenho duvidas em que area atuar. Esse ano vou fazer vestibular e acabo ficando sempre estudando informática ao inves de estudar as materias necessśrias para a aprovação no vestibular. O seu artigo serviu para abrir melhor a minha mente e refletir mais.

[2] Comentário enviado por m4sk4r4 em 21/03/2008 - 14:50h

Parabéns!

Me identifiquei muito com o artigo também,
tenho também "mania" de estudar assuntos de tecnologia
do que p/ as matérias de cálculo da faculdade,
mas vou correr atrás do meu pergaminho porque lá no final
pode dá certo.

Abraço

[3] Comentário enviado por f_Candido em 21/03/2008 - 17:59h

Muito Bom. Uma abordagem "pé no chão".
Parabéns

[4] Comentário enviado por gersonraymond em 21/03/2008 - 18:47h

Muito bom o seu artigo, parabéns.

[5] Comentário enviado por Felipe16 em 21/03/2008 - 20:01h

Muito Bom mesmo. Especialmente pra mim, que faço informática (curso técnico de 4 anos).
Parabéns

[6] Comentário enviado por avrstrife em 21/03/2008 - 22:18h

?comentario= Parabéns pelo artigo, me deu uma boa base, por que vouprestar vestibular no fim do ano e ainda não decidi que área me formar, mesmo cursando o técnico em mantenção e redes, tá difícil eu deicir em que área vou formar.
Valeu.

[7] Comentário enviado por edsonmsj em 22/03/2008 - 09:04h

Quem dera fosse fácil assim "GOSTO DE REDES TRABALHO COM REDES, GOSTO DE PROGRAMAÇÃO TRABALHO COM PROGRAMAÇÃO" mas na realidade existem um infinidade de tecnologias, linguagens, padrões, e agora vai se craque em quê?
Você pode muito bem escolher a tecnologia a linguagens ou o padrão errado e mais tudo muda muito rápido quando você adquire experiência em uma tecnologia esta já não está em pauta?

[8] Comentário enviado por pirrola em 22/03/2008 - 09:54h

o foda é q no brasil não se faz hardware, nessa a engenharia de comp já dançou; quanto a programação, o brasil é bom...mas essa coisa de freelancer é bem arriscado...

[9] Comentário enviado por pink em 22/03/2008 - 13:22h

Oie ameiiiiiiiiiiiiiii seu artigo, desde menininha sonhava em ser bióloga, até que um dia decidi fazer um curso técnico em informática (linux) até completar 18 anos para estudar na capital.... O problema foi que me apaixonei pelo sistema do pingüim e pela filosofia Software Livre, hoje faço faculdade de Sistemas de Informação, claro que as vezes bate aquela incerteza se é isso mesmo o que eu quero... mas analisando bem compreendi que é isso mesmo que eu quero, aprendi e tenho muito o que aprender com o Software Livre, posso-me me intitular como "programadora" hehehe Claro que ainda não desisti de fazer biologia, quem sabe daqui uns 10 anos rsrsr pois conhecimento nunca é demais e poder aplicar aquilo que sempre amei como o Software Livre em biologia seria demais.... Bom eu cresci o que tinha que crescer exteriormente mas interiormente tenho muito o que crescer ainda.... e quando crescer quero ser eu mesma, com diferencial em ser mais experiente e melhor...
Parabéns pelo artigo bem escrito, já faz parte dos meus favoritos hehe
Abraço, fike com Deus.
Michele
****** Paz, Amor e Linux ******

[10] Comentário enviado por fabiobarby em 22/03/2008 - 13:30h

cara, em uma palavra resumo seu artigo: SHOW!

[11] Comentário enviado por EnzoFerber em 22/03/2008 - 15:37h

Cara, excelente artigo... tenho 17 anos e estou em duvida sobre o que fazer da vida... esse artigo realmente acrescentou novas formas de se ver "a coisa"...

Parabéns cara

[12] Comentário enviado por soros em 22/03/2008 - 18:31h

É isso aí! Eu já estou no mercado de TI a 12 anos.
Já trabalhei como programador, analista, DBA, administrador de redes e por aí vai.

Eu acho que o mercado de TI é muito rico para ficar em uma coisa só.

Minha paixão? Administração de Sistemas. Adoro servidores e redes. Adoro implementar sistemas e ambientes. Adoro ver tudo certo e os usuários acessando recuros e trabalhando com a minha estrutura.

Mas, quanto mais eu trabalho mais eu tenho a certeza que tenho que ir deixando a galera que vem chegando tomar conta do técnico.

Hoje eu gerencio e tenho que ficar vendo o pessoal trabalhar com as estruturas que eu montei.

Mas eu acho que é isso aí... A fila anda e nós vamos sempre evoluindo.


Abração.

[13] Comentário enviado por GilsonDeElt em 22/03/2008 - 19:10h

Cara, simplesmente d+ seu artigo!

É uma luz pra nóis todos que vamos prestar vestibular esse ano, e pra quem já tá na área há tempos

Parabéns, cara!

[14] Comentário enviado por shakur em 23/03/2008 - 09:24h

kra muito bom o artigo
a verdade e isso assusta os jovens como eu
nao sabemos oq fazer
eu por exemplo vou prestar vestibular esse ano naio sei bem o curso a seguir
e nao sei se faço um curso tecnico agora ou corro atras de cursinho pro vestibular
eu axo tbm q falta informaçao sobre a universidade ao jovem
pra fazer uma boa escolha
as pessoas so vao na escola querendo novos alunos
e isso q atrapalha
vlw flw
paz

[15] Comentário enviado por nicolo em 23/03/2008 - 13:13h

Estranho, eu havia colocado um comentário e ele sumiu , já á a segunda vez....

[16] Comentário enviado por nicolo em 23/03/2008 - 16:11h

Parabéns, tá ótimo. É a primeira vez que leio que existe alguém que não quer ser advogado e não planeja ficar rico em 3 meses. A Carreira técnica não leva niguém à riqueza, mas dá para viver bem. Apenas 9% dos jovens brasileiros entre 18 e 24 anos estão matriculados no terceiro grau. Desta turma 50% estudam direito e administração. Os outros 50% se dividem entre as demais profissões humanas e exatas. A informática tem crescido em rítimo veloz mesmo em época de crise. Há profissões esquecidas que oferecem belas carreiras e remuneração decente. Não dá para ficar rico, mas dá para viver bem.

Será que fica ou arbeit macht frei?

[17] Comentário enviado por clayton.ricardo em 24/03/2008 - 01:01h

Parabéns pelo artigo!

Texto de excelente qualidade.

[18] Comentário enviado por capitainkurn em 24/03/2008 - 05:50h

Ótimo artigo, mas sinceramente depois de mais de 20 anos trabalhando em TI se eu voltar a fazer uma faculdade será de direito.

[19] Comentário enviado por peace em 24/03/2008 - 10:19h

Olá Paulino,

Realmente muito bom o seu artigo. Como a maioria, também me identifiquei com ele.
Acredito também que a sua fórmula é muito boa para ter sucesso na carreira de TI, mas antes de tudo é preciso realmente ter foco.
Uma boa faculdade pode lhe guiar pelos vários caminhos e lhe filtrar muita coisa, separando o que é realmente importante e útil.
O mercado de trabalho lhe dá algo único, que é a experiência.
As certificações atestam sua competência e seu preparo técnico.
Por isso e muito mais que concordo com seu ponto de vista.

Um abraço,

Tiago

[20] Comentário enviado por nicolo em 24/03/2008 - 13:37h

?comentario= É inconcebível o número reduzido de profissionais da área técnica no Brasil. Se continuar assim não sai do subdesenvolvimento nunca. Os profissinais das áres técnicas são os que geram riquezas, ou outros geram consumo, quando estão empregados.
Quanto ao sonho do bacharel em leis e uma vida fácil.... doce ilusão.
Há milhões tentando os pouquíssimos postos bem remunerados. Seria mas "fácil" ser engenheiro, pelo menos há emprego.

[21] Comentário enviado por JhoniVieceli em 24/03/2008 - 14:28h

Parabens bom artigo

[22] Comentário enviado por azimute em 24/03/2008 - 23:57h

Cara, tu resumiu muito bem o dilema de quem convive com tecnologia mas não sabe que àrea seguir (me incluo nesta lista ;) enfim, um excelente artigo que concerteza servirá para muitos.

[23] Comentário enviado por Pianista em 25/03/2008 - 08:57h

Parabéns! temos muito a aprender com você, obrigado por compartilhar conhecimento.. são pessoas como você que ajudam nosso pais a se desenvolver.. espero ler mais artigos seus!


Abraços!

[24] Comentário enviado por michelazzo em 25/03/2008 - 19:55h

Caros colegas,

Agradeço à todos pelos comentários no artigo. Fico contente e também lisonjeado por todos eles. Acredito que ele tenha atingido o intuito que é "abrir os olhos" daqueles que estão procurando um norte hoje para o futuro.

Certamente o mesmo será expandido em algum momento para outros assuntos. Não percam.

Saudações
Paulino

[25] Comentário enviado por EdDeAlmeida em 26/03/2008 - 10:51h

Parabéns! Esclarecedor e bastante pragmático. Os jovens precisam mesmo de mensagens assim. Até mesmo alguns idosos (como eu mesmo) também.

Só não gostei da identificação de "acadêmico" com "chato".

Considero esse estereótipo não muito fiel à realidade. Além de ser um acadêmico não chato, conheço muitos que fogem dessa regra. Aliás, cada vez mais pessoas estão fugindo. Creio que as novas gerações estão sabendo lidar mais com a separação entre o perfil acadêmico e o pessoal. É uma moçada mais saudável, que divide o tempo entre os livros, a praia e o chopp.

Eu descobri essa receita mais de vinte anos atrás, no tempo da graduação, quando me reunia com alguns colegas para estudar Cálculo Diferencial e Integral e Análise Abstrata nas areias de Copacabana. Estudávamos muito (de fato nosso grupo estava entre os primeiros da turma) e ainda tínhamos tempo para apreciar a maravilhosa diferenciabilidade das curvas das gatas que por lá circulavam... e de vez em quando não ficava só na apreciação!

Para ser acadêmico e não ser chato, basta não esquecer que se é, acima de tudo, HUMANO!!!

[26] Comentário enviado por michelazzo em 26/03/2008 - 11:10h

Caro Edlonewolf

Veja você como nosso idioma é algo maravilhoso. Você retirou uma parte do texto e isso mudou totalmente o contexto. Eu escrevi "normalmente um chato" e não afirmei que todos são chatos.

Subir "de pé" não é o mesmo que "subir a pé".

Sds

[27] Comentário enviado por EdDeAlmeida em 26/03/2008 - 11:47h

Ainda bem... fico feliz em dissociar-me desse estereótipo, muito embora me pareça que no intuito de fazer isso acabei mesmo sendo 'chato'... rsrsrsrs

Mas a vida é assim mesmo! Acho que é o Frank Herbert, autor da série Duna, quem diz pela boca de um dos seus personagens que 'todo homem acaba se tornando aquilo que ele menos deseja ser'... Quis escapar de ser chato e acabei sendo!

Tudo parte dessa maravilhos ironia que é a existência humana.

Se não para outra coisa, ao menos essa 'rusga' serviu de pretexto para conversarmos, e por isso não lamento a confusão de termos ocorrida.

Mais uma vez, parabéns pelo artigo.

[28] Comentário enviado por michelazzo em 26/03/2008 - 12:03h

Olá Edlonewolf;

Não se preocupe com rusgas. Elas não existem e tenha certeza que não são comentários, bons ou ruins que me fazem ter alguma com alguém. Somente as tenho de governantes que pouco se importam com a sociedade e não com aqueles que são iguais a mim.

Sempre que desejar conversar, fique à vontade. Será sempre um prazer.

Sds

[29] Comentário enviado por flavio.mariotti em 26/03/2008 - 15:11h

Meus parabéns, de uma maneira simples explicou o é tão complexo. :)

[30] Comentário enviado por adrianoturbo em 26/03/2008 - 16:12h

Sensacional o artigo brother esse lavou a alma da moçada,show de bola mesmo.
"Há ainda um outro caminho que é aquele da certificação, muito usado dentro da área de tecnologia. Pega-se dezenas de livros ou CBT's e durante alguns dias decora tudo o que a cabeça puder. Depois disso, faz-se um exame numa sala que mais parece um templo de tortura medieval e recebe na hora o veredicto. Se decorou direitinho, imprime o certificado. Se não, volta para casa, decora mais e volta para a sala de tortura alguns dias depois. "
Um trocadilho muito interessante utilizando algoritmo com condição parabéns.
Temos que aplaudir de pé a sua iniciativa ser uma luz para aquelas pessoas indecisas.

[31] Comentário enviado por tobias.paraiso em 28/03/2008 - 09:29h

Parabéns pelo artigo velho muito bom mesmo ...
é bom ver companheiros de profissão em um nível de reflexão tão alto quanto o seu.
Abraços.

[32] Comentário enviado por Gilmar_GNU/Slack em 28/03/2008 - 09:55h

Concordo !
Essa coisa de o que voc~e vai ser quando crescer e realmente um senso comum, e realmente desprezivel!...

Isso normalmente não vem de escolha, mais sim pelo que as pessoas realmente bostam !
Eu prestarei vestibular esse ani pela universidade federal da bahia(UFBA), para Ciência da computação!
Mais claro que eu sei que emtre 16 pessoas concorrendo a um vaga nem sempre o curso é o que as pessoas realmente pensam.
Pois o curso realmente, tem pessoas que desistem dele "pelo menos aqui"...
Pois um curso de nivel superior ou mesmo um tecnico se escolheu bem voc~e vai ser um otimo profissional. Agora se escollheu achando que vai se dar bem . se engana as pessoas que escolhem o curso que não gostam !

Eu escolhi isso a muito tempo e sei a caminhas hardua que eu tenho que percorrer...

Espero que todos aqueles que querem ser bons profissionais na área.

[33] Comentário enviado por lazaro91 em 29/03/2008 - 07:56h

Inspirador
viva o linux!!
\o/\o/\o/\o/\o/

[34] Comentário enviado por elionw3 em 29/03/2008 - 10:13h

Inspirador, hehehe, me sinto como quando era pequeno e assistia filme do he-man, superman e etc... "Queria sair voando, enxendo td mundo de porrada"

Faculdade é o basico, 1º, ninguem presta atençao nas materias teoricas , calculo...algebra...( estuda so pra nao rodar)
2º As materias mais interessantes, só dão a dica, nunca vão a fundo o suficiente, ou seja, vc aprende 10% na sala, o resto no VOL em casa, hehehe.

É otimo estudar e crescer cada dia mais, mas nunca desprezar os seus conhecimentos, pois se vc olhar ao redor vc vê gente que manja muito mais q vc, mas tb vê muito nego dando nó em pingo d'agua e dizendo ser o "bam-bam-bam"...

[35] Comentário enviado por jcristiano em 30/03/2008 - 10:17h

Muito bom o artigo: um toque de humor e muita realidade.
Parabéns!

[36] Comentário enviado por robsonpc em 31/07/2008 - 21:37h

Belo artigo!! Me inspirou tb!!
Abracos

[37] Comentário enviado por shuma em 06/10/2008 - 16:54h


Gosto muito de programação e só faltava ler este artigo para definir claramente o que eu quero para minha vida.

continue sempre assim!

[38] Comentário enviado por marcusnunes em 27/07/2009 - 22:34h

legal cara
gostei muito do artigo

[39] Comentário enviado por fernandoamador em 19/06/2011 - 01:45h

òtimo artigo.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts