O desafio continua...

Estamos convidando a comunidade a participar de um verdadeiro projeto de divulgação do Linux, através de hardware e software bem equilibrados.

[ Hits: 9.579 ]

Por: Sergio Teixeira - Linux User # 499126 em 06/11/2007


O desafio continua...



Linux foi uma solução inteligente para trazer para dentro de casa um sistema operacional baseado no poderosíssimo UNIX, já conhecido e consagrado há várias décadas.

O grande povo talvez não saiba que o tal UNIX foi o maior responsável pelo advento da própria Internet, e que o Linux é um sistema perfeito para a hospedagem de sites sem complicações.
  • O núcleo do Linux, chamado de kernel (amêndoa, em inglês) é bastante enxuto e eficaz.
  • O ambiente Linux ocupa pouco espaço, isto é, não desperdiça com inutilidades.
  • Linux já nasceu dando suporte a computadores com até 6 processadores.
  • Linux é um sistema operacional multi-plataforma, isto é, pode trabalhar com processadores distintos.
  • Ao contrário de outros sistemas operacionais, ambiente de rede lhe é extremamente familiar, e internet então, nem se fala!...
  • Sempre houve multi-tarefa no Linux em seu modo natural, sem necessidade de "adaptações" ou "emulações".
  • O Linux não apresenta aquela infinidade de erros inexplicáveis e as tais GPF e outras coisinhas que acabam com a nossa paciência. Claro que também apresenta erros, sendo porém muito mais raros.
  • O Linux não obriga ninguém a fazer "atualizações" súbitas de hardware ou software PARA QUE o sistema funcione a contento.
  • O hardware que tenha Linux instalado leva mais tempo para ficar finalmente obsoleto.

Em contrapartida, temos de confessar que a parte gráfica geralmente não é assim TÃO aprimorada (não dá para comparar com Mac, por exemplo), mas dá para o gasto. Na verdade, os textos é que sofrem um pouco.

Como o software é livre, não há muitos jogos espetaculares. Mas convenhamos: Estamos falando de trabalho e resultados, estabilidade, consagração no meio profissional. Na possibilidade de realizar muito bem a maioria das coisas que se deve esperar de um computador doméstico pronto para o trabalho "soho".

Também a produção musical com vistas ao profissionalismo se ressente um pouco no ambiente Linux.

O PC ("IBM-compatível", derivado dos x86-Pentium) não é contudo o melhor hospedeiro para som profissional, e sim o mais barato, se pensarmos em placas de som da Creative Labs. Os dispositivos de som "on-board" não chegam nem perto do que seria razoável para uso profissional. Para amadores, tudo bem. Existem muitos estúdios montados em torno dessa configuração pífia. Para amadores "top-line" eu indicaria placas da Turtle Beach, que são BEM mais caras.

Porém, alheio a estas realidades, "eu", o comprador de computador, candidato a usuário-final, sofro inúmeras decepções ao adquirir minha "máquina Linux":

Em primeiro lugar, porque sou leigo, e certamente fui convencido por um vendedor que me convenceu das facilidades de pagamento, do "preço baixo", etc.

"Eu" não entendo de computador. A "distrô" (sei lá o que-que isso!) não é recomendada pelas pessoas que entendem.

A máquina é fraca e começa a dar problemas. Troca daqui, troca dali, e alguém indica trocar o Linux por um "piratão" que tem aquilo tudo que meu filho queria.

E "eu", que fui à loja para agir politicamente correto, torno-me mais um dos milhões de piratas espalhados pelo universo... e ainda PAGUEI caro por isso!

Pois foi pensando em toda essa perspectiva que escrevi estas linhas para a comunidade Viva o Linux! lançando um desafio (igual o Torvalds fez nos seus tempos de nerd na Finlândia):

- QUE TAL se desenvolvermos conjuntamente umas 4 ou 5 configurações de hardware confiáveis e de baixo custo e que seriam a nossa indicação "oficial" como comunidade?

- QUE TAL se montarmos também uns 4 ou 5 conjuntos de software livre que constituiriam pacotes fechados para que o usuário final pudesse desfrutar do Linux de forma agradável e transparente, sem TER que aprender sobre "kernel", "bash", "slackware", "gnome", "debian", etc?

- QUE TAL se endossarmos projetos de inclusão digital baseados EM LINUX, e onde se ensinaria a usar A FERRAMENTA e não o software da empresa X?

Se você estiver disposto a aceitar o desafio, então MÃOS À OBRA!!!

   

Páginas do artigo
   1. O desafio continua...
Outros artigos deste autor

XnView - Visualizador, conversor e organizador de fotos e gráficos

Terceira experiência com o Basic Linux

Internet Explorer: Esse fenômeno

Reaproveitamento e meio ambiente

Apresentação visual do Basic Linux

Leitura recomendada

Gravando área de trabalho em MP4 e depois transformando o vídeo em GIF

Fish - Um shell fácil de usar

Soluções: open source ou proprietária? Salada mista!

Segunda experiência com BASIC LINUX

Montando um mirror de atualização do anti-vírus AVG

  
Comentários
[1] Comentário enviado por removido em 06/11/2007 - 07:14h

Fala-se muito sobre o que se pode fazer para ajudar a comunidade de "usuários finais" a adentrar no mundo linux mas pouco se faz. Muito legal sua iniciativa. Já comecei a pensar em como ajudar neste seu desafio. Parabéns pela iniciativa.

[2] Comentário enviado por scoob em 06/11/2007 - 07:22h

Já comecei a fazer minha parte com este e-book Debian no Desktop.

http://linuxnodesktop.4shared.com

http://www.espiritolivre.org/linuxnodesktop

Para a próxima versão:
KDE 4 (aguardando colaborações)
GNOME (aguardando colaborações)
XFCE (aguardando colaborações)
Compiz-Fusion (pronto)

Já cansei de pedir ajuda em diversos fóruns e inclusive cansei de esperar o VOL publicar a dica sobre o e-book, enquanto outros sites publicaram imediatamente.

Se alguém tiver interesse em colaborar com este material, entre em contato (linuxnodesktop@gmail.com). Não custa nada nem pra mim, nem pra você e nem pros usuários que vão usufruir.

Acho que este é o problema no Brasil. Se algo não custa nada, poucos dão valor. Sem críticas ou elogios, fica difícil encontrar as falhas e melhorar alguma coisa...

Abraços

[3] Comentário enviado por scoob em 06/11/2007 - 07:23h

PS. No e-book descrevo o hardware utilizado e fica como sugestão.

;>)


[4] Comentário enviado por fulllinux em 06/11/2007 - 09:15h

Teixeira,

A pouco tempo lí um artigo seu aki no VOL, ao qual vc dizia ser leigo em linux, logo naquele artigo me surpreendi...

Vejo que realmente vc se apaixonou por Linux, parabens pela iniciativa e fique sabendo que igauis a vc existem muitos outros em garjados em um desafio como esse. Eu já estou criando algo relacionado...

E alguns de meus artigos no VOL dizem isso indiretamente...
http://www.vivaolinux.com.br/artigos/userview.php?login=fulllinux

Parabéns, abraço!

[5] Comentário enviado por forkd em 06/11/2007 - 09:38h

"O núcleo do Linux, chamado de kernel (amêndoa, em inglês)..."
Até onde eu saiba, a tradução literal para Kernel é Cerne (a parte interior e mais dura do lenho das árvores). Uma tradução que já li com frequência é Núcleo. Tudo bem que Amêndoa (por ext. qualquer semente contida em caroço) pode ter o mesmo sentido, mas é uma tradução que eu nunca tinha visto...

"é bastante enxuto e eficaz." [o Kernel]
Depende da maneira como ele foi compilado. Normalmente essa afirmativa pode até ser verdadeira, mas não é 100% garantida.

"O ambiente Linux ocupa pouco espaço, isto é, não desperdiça com inutilidades."
O que é o "ambiente Linux"? Se for o Kernel, vide comentário anterior. Se for o sistema como um todo, depende do usuário. Muitas vezes uma instalação Linux ocupa mais espaço que uma Windows. E quanto às "inutilidades" vai depender do usuário [o que ele vai instalar - sendo que este é um conceito pra lá de subjetivo: o que é útil pra você, pode não ser pra mim].

"Linux já nasceu dando suporte a computadores com até 6 processadores."
O Linux nasceu no computador de um estudante finlandês. Não creio que já tenha sido concebido com este suporte. Talvez nas primeiras versões. Enfim, falta uma fonte.

"Ao contrário de outros sistemas operacionais, ambiente de rede lhe é extremamente familiar, e internet então, nem se fala!"
Então os *BSDs não são familiares a rede? Talvez esta tenha sido uma característica herdada do Unix. "Internet nem se fala!"... Você deveria "falar" no artigo. Um leitor com menos experiência, o "grande povo", como você diz, pode não saber do que se trata.

No mais:

"Linux é um sistema operacional multi-plataforma, isto é, pode trabalhar com processadores distintos."
Concordo. Mas de acordo com http://pt.wikipedia.org/wiki/Multiplataforma , é Multiplataforma.

"Sempre houve multi-tarefa no Linux em seu modo natural, sem necessidade de "adaptações" ou "emulações"."
Concordo, mas é Multitarefa segundo http://pt.wikipedia.org/wiki/Multitarefa .

"O Linux não apresenta aquela infinidade de erros inexplicáveis e as tais GPF e outras coisinhas que acabam com a nossa paciência. Claro que também apresenta erros, sendo porém muito mais raros."
Concordo. Um professor meu dizia: Se o Linux der problema, olhe o hardware, olhe a rede, olhe tudo. Se não der certo, verifique o sistema.

"O Linux não obriga ninguém a fazer "atualizações" súbitas de hardware ou software PARA QUE o sistema funcione a contento."
Mais uma definição de liberdade.

Continuando...

"Em contrapartida, temos de confessar que a parte gráfica geralmente não é assim TÃO aprimorada (não dá para comparar com Mac, por exemplo), mas dá para o gasto."
Eu trabalho melhor no KDE do que no Windows. Creio que seja questão de costume. Dizer que o ambiente gráfico do Linux "dá pro gasto" é sacanagem! Isso sem contar com o Compiz Fusion que está cada vez mais maduro.

"A "distrô""...
Realmente a quantidade de "sabores" do Linux confunde usuários iniciantes. - Eu vou usar Linux, mas qual? Madriva, Ubuntu, openSUSE, Debian, Slackware etc. Além do fato de que este é um tema MUITO delicado. Cada usuário defende a sua DISTRO (não distrô) com unhas e dentes. Uma boa iniciativa é esta página comparativa com as distribuições mais famosas: http://en.wikipedia.org/wiki/Comparison_of_Linux_distributions

No mais, creio que a iniciativa é boa. Então aí vai o meu conjunto de softwares:

Ambiente gráfico: KDE
Player de vídeo: MPlayer com SMplayer como Frontend.
Player de áudio: Amarok
Editor de áudio: Audacity
Editor de TAGs de músicas: EasyTAG
Editor de imagens: GIMP
Navegador Web: Firefox
Conversor de formatos de áudio: SoundKonverter
Suíte Office: OpenOffice
Mensageiro Instantâneo: Kopete
Software P2P: aMule
Gerenciador de downloads: KGet

Além de tudo isso, creio que seja importante darmos preferência a formatos abertos de arquivos. Por exemplo, odt em vez de doc, ods em vez de xls, odp em vez de ppt, ogg em vez de mp3 etc. Pois estes formatos são suportados com perfeição em qualquer sistema operacional, sem que haja a necessidade de ficar instalando sistemas proprietários.

Acho que é isso.
Parabéns e abraço!

[6] Comentário enviado por removido em 06/11/2007 - 11:34h

A atitude é admirável, mas acho que essa idéia tira um pouco a liberdade de escolha do usuário...

Acredito que propor soluções para determinado problemas usando os tradicionais artigos e dicas já é a melhor maneira do usuário "modelar" seu sistema e aprender a usar ao mesmo tempo.

Fazer esse sistema que foi proposto aqui é dizer pro usuário, faz assim que funciona, e priva ele de quebrar um pouco a cabeça, aprender e sentir o gostinho de dizer, EU ENTENDI COMO FAZ!

Ele sempre vai depender de receita de bolo.

[7] Comentário enviado por gsi.vinicius em 06/11/2007 - 11:52h

ótimo material, ele exemplifica com maestria as reais dificuldades que encontramos hoje com empresas que fabricam máquinas com qualquer configuração de hardware e com qualquer distribuição de linux incluída. Fato esse que acaba difamando o sistema que conta com vários grandes expoentes de funcionalidades.

[]'s
Gregório

[8] Comentário enviado por removido em 06/11/2007 - 12:08h

Concordo em certa parte com o rodrigo.capelini que isso de certa forma tira a liberdade de escolha do usuário, mas como este espaço aqui é um dos mais visitados na Internet para pesquisa e aprendizado sobre Unix-Linux, que tal pôr um espaço pequeno tipo "clique aqui e veja sua configuração" para saber qual Linux se adapta a você? com este link abriria uma página do VOL e a pessoa colocaria seu hardware e automaticamente uma outra página abriria com qual distribuição melhor se adapta ao usuário final, seria uma boa opção ao invés de ficar procurando na internet inteira qual distro melhor se adapta para eu poder trabalhar nela...

[9] Comentário enviado por silvioadl em 06/11/2007 - 13:02h

Muito bom! Parabens!

[10] Comentário enviado por cruzeirense em 06/11/2007 - 14:37h

Eu vou meio que na contramão. Pra mim o linux tinha que ter uma distro padrão, uma só pra não ficar essa avacalhção danada que existe. Tinha que ter um ambiente gráfico padrão, Programas de edição de texto, planílhas, apresentações, etc. tudo padronizado. Aí acho que o linux ia ficar imbatível pq pior do que suporte a hardware é essa confusão que se cria em torno de várias distribuições que só fazem confundir a cabeça de um iniciante, da mesma forma que já me confundiu muitas vezes. O sistema é realmente muito bom, mas peca também em suporte. Não venha dizer que existe uma vasta documentação na internet pq na hora que vc realmente precisa da umatrabalho danado encontrar o que se quer. O pior é que quando vc encontra a solução de um problema essa solução só vale para a distribuição A B e C, mas não funciona na D e não foi testada na E.
(Foi isso que aconteceu comigo na Hora de instalar o Lazarus no Slackware, Consegui instalar mas deu um trabalho...)

[11] Comentário enviado por flpe007 em 06/11/2007 - 14:52h

achei a idéia ótima pois com isso a pessoa pode ir pegando o gosto pelo linux...
eu particularmente não sou um expert no linux, mas posso tranquilamente ajudar fazendo testes com os programas e ver se realmente são legais!!!

[12] Comentário enviado por engos em 06/11/2007 - 15:11h

A idéia é boa, mas des do primeiro dia que o site do VOL pediu ajuda para os membros solicitando moderadores, até recentemente, quando solicitaram ajuda para montarem a Revista do VOL, sempre me disponibilizei a ajudar e nunca vi nada acontecer como era previsto.

Infelizmente o problema parece ser mais de logistica do que da boa fé das pessoas em querer ajudar, pois para isso existem pessoas interessadas, mas quando se coloca em prática, quem "lidera" sempre acaba afundando a idéia, ou levando tudo a perder.

Até o momento a comunidade brasileira tem se demonstrado muito fraca quando se trata de ajudar e se isso um dia mudar, podem contar comigo, até lá estou decepcionado demais em tentar contribuir e só ver patadas de pessoas arrogantes, ou fracassos por falta de liderança.

[13] Comentário enviado por valterrezendeeng em 06/11/2007 - 15:28h

A iniciativa é exelente.
Poderia tb pensar junto com essa solução em uma estação de trabalho, com os principais software para funcionar dentro de um escritorio e principalmente para o uso domestico, pois é dentro de casa que a familia vai começar a usar o sistema e a criança a utilizar o sistema (meu filho de 3 anos já utiliza linux "joguinhos"). Mas e de criança que se direciona para tudo na vida. Se nos proficionais Linux, BSD, UNIX e etc. nos concientizar que é ganhado em casa que mais tarde o mercado vai ser conquistado iremos levar a sério essa iniciativa.
Lembra no inicio como M$ suportava as cópias (pirataria). Quando ela touno-se dona do mercado que comessou a combater a serio a pirataria. o que quero dizer com isso é que a M$ deixou o usuario ficar dependente de suas soluções e agora ela é dono mercado.
NECESSITAMOS de uma distribuição enxuta e direcionada para o USUARIO e assim vamos comquistar o mercado de usuários

Parabenz

muito bom a iniciativa.

[14] Comentário enviado por valterrezendeeng em 06/11/2007 - 15:32h

No mais como concordo com as opções que o jlojunior postou, estou descrevendo igual ao dele.

Ambiente gráfico: KDE
Player de vídeo: MPlayer com SMplayer como Frontend.
Player de áudio: Amarok
Editor de áudio: Audacity
Editor de TAGs de músicas: EasyTAG
Editor de imagens: GIMP
Navegador Web: Firefox
Conversor de formatos de áudio: SoundKonverter
Suíte Office: OpenOffice
Mensageiro Instantâneo: Kopete
Software P2P: aMule
Gerenciador de downloads: KGet


Abraços

[15] Comentário enviado por kalib em 06/11/2007 - 15:53h

Excelente artigo, assim como iniciativa tomada, apresentando uma visão que sem dúvidas deveria ser partilhada com mais pessoas. Infelizmente esta é a realidade com a qual estamos vivendo.
Eu mesmo já presenciei cenas em que o vendedor dizia: "Vem com esse Linux, mas você depois pode instalar o Windows e deixar ele funcionando perfeitamente bem..." ¬¬
Foi quando eu perguntei: Qual a distribuição Linux que vem nele?
E o vendedor me surpreendeu ainda mais dizendo: "Não sei muito bem, mas posso conferir no manual para você..."
¬¬

Parabéns amigo

[16] Comentário enviado por valterrezendeeng em 06/11/2007 - 16:02h

Outra coisa que estive analizando é que as proprias distribuições poderian já conter as opções para uso domestico e escritório contendo os pacotes escolhidos ou mais adquado. seguindo um acorde que para padronizar as distribuições que aderissem ao acordo.

abraços

[17] Comentário enviado por murky em 06/11/2007 - 16:27h

Discordo sobre existir somente uma DISTRO... eu testei por 3 anos mais de 100 tipos.. Até descobrir à uns 9 anos o SLACKWARE que EU acho p/ MEU uso a melhor de todas, tanto que com els consigo desenvolver embarcados facilmente. =D

Se o GNU/LINUX virar 1 só.. cade a liberdade nisso??

[18] Comentário enviado por xdaniel89 em 06/11/2007 - 16:51h

cara, vc falou tudo. comecei a usar linux no começo desse ano sem ter ninguém por perto pra me ajudar. Tive que me virar com o que achava na internet (às vezes em inglês) e só depois de muito tempo (e quase desistir várias vezes) consegui fazer meu Linux funcionar +/- como eu queria. depos eu fiz um blog e procuro participar das comu on-line pra dar uma mão(com o que posso) a quem precisa.Não sou muito ligado em programação não mas posso ajudar testando e traduzindo programas e guias. O endereço do meu blog pra quem quiser ver ou entrar em contato comigo é www.xdaniel.blogspot.com

ps.: scoob, vou dar uma olhada no teu guia e depois entro em contato blz?

[19] Comentário enviado por QuestLoder em 06/11/2007 - 18:30h

Parabéns pela iniciativa Sergio Teixeira,

A proposta é interessante, mas, deveríamos nos voltar para o lado profissional. Temos que buscar o aprimoramento e formar mais e mais pessoas capacitadas e não apertadores de botões.

É para isso existe o Linux, para apreendermos, desenvolvermos...

Creio que para o crescimento do sistema é bem simples, estudem pesquisem, leia os códigos, busque soluções entendendo a estrutura do sistema.

OU VAMOS FAZER PARTE DA ELITE DE APERTADORES DE BOTÕES?

[20] Comentário enviado por ciberglo em 06/11/2007 - 19:09h

?comentario=Realmente
MUITO boa a iniciativa
quando no começo eu também tive estas dúvidas
Principalmente em que distro usar
E no começo, pegando a Debian versão estável, tive muito trabalho para me tornar um testing
Em outras palavras, pegando uma distro voltada a servidores tive muito trabalho em voltá-la a usuário desktop
Recomendo hoje o Ubuntu, cheio de facilidades
Mas realmente, está aberto um grande desafio.
Parabéns pela iniciativa.

[21] Comentário enviado por xenon em 06/11/2007 - 19:31h

Grande iniciativa Sergio

Eu discordo de algumas pessoas q dizem q o linux deve continuar assim, q deve-se quebrar a cabeça, e q nao nos tornemos apertadores de botoes. O fascinante do linux realmente é tudo isso, é quebrar a cabeça, é entender como cada parte do sistema funciona, mas isso para nos do ramo de TI, como nos podemos pensar em divulgar o linux, em convencer as pessoas a trocarem o windows pelo linux, se para isso elas terão q se tornar experts em computadores, é mais facil continuar a usar o windows piratao.

Por isso eu gostei muito dessa ideia, eu gosto muito da diversidade de distro de linux, e eu axo q linux tem q ser assim mesmo, tem q quebrar a cabeça, mas nos poderiamos adaptar uma distro para tres configurações diferentes(para pcs de baixo desempenho, medio, alto), e q depois da instalaçao tivesse tudo pronto, o melhor player, todos os codecs, um tema bacana, beryl, transparencia, e que essa distro pudesse reconhecer a maior quantidade de hardware possivel, e q a instalaçao de novos programas fosse facil como é no ubuntu. Para dessa forma recrutar mais usuarios e assim mais empresas se interessariam em desenvolver software para linux, e assim todos ganhariam desde aquele usuario q nao ta nem ai pro SO e q soh se interessa pelo msn e orkut, como aquele guru q nao aceita interface grafica.


[22] Comentário enviado por forkd em 06/11/2007 - 20:29h

Outro detalhe que ao meu ver é muito relevante é sobre os cursos de formação de profissionais na área da informática. Nos cursos que englobam programação é quase certa a presença do Windows + Delphi. Quando começarem a aparecer cursos voltados para programação Linux (QT, GTK, WxWidgets etc.), começaremos os famosos SG* rodando nos computadores com Linux (SG* é uma brincadeira, já que em todos os cursos que frequentei, os alunos tinham idéias de fazer Sistema de Gerenciamento de qualquer coisa - SG* -, desde Locadora até Padaria).

Mas eu ainda acho que isso vem de uma educação melhor com relação aos sistemas computacionais. Eu nunca vi um programador falando que programa em QT porque não pretende comprar o Delphi (Object Pascal - se bem que existe o Lazarus...). Eu nunca vi um estabelecimento (sem contar grandes empresas) que use Linux para não pagar a licença do Windows. Enquanto for fácil e barato adquirir um Delphi ou um Windows pirata, vai ser difícil ver uma adoção em massa do Linux. Isto porque MUITA gente simplesmente não quer aprender um sistema novo, mesmo que isto seja o certo a se fazer (para sair da pirataria).

É por causa desta e de outras que o principal inimigo do software livre e aliado do software proprietário é a PIRATARIA. Pensem bem: uma pessoa usa Windows pirata em casa e acha que está abafando. Quando chega na empresa, esta pessoa só sabe trabalhar em Windows (é um escravo daquele sistema), então o empregador utiliza o Windows na empresa para evitar treinamentos extras. Eu nunca vi uma fiscalização ir na casa de alguém procurar por software pirata, mas em empresas sim. Na minha cidade mesmo, este ano, uma empresa levou uma multa de cerca de R$70.000,00 por usar software pirata. É por isso que a pirataria favorece o software proprietário: eles viciam os usuários e tiram dinheiro das empresas que, por falta de visão, deixam de investir em softwares livres para usar os "baratos" softwares piratas.

Podem anotar: se algum dia, um anjo do céu criar uma forma de acabar com a pirataria, o número de usuários de Linux vai aumentar substancialmente. Isso porque a MAIORIA dos usuários de computadores simplesmente não admite pagar por um software. Nesse dia, quem entende de Linux vai ter que desligar o telefone, de tantos clientes pedindo por suporte...

Fugi muito do tema proposto pelo artigo, mas era isso que eu queria expor!
:D

[23] Comentário enviado por scoob em 07/11/2007 - 07:24h

Obrigado XDaniel89, aguardo seu email!!

Abraços!

[24] Comentário enviado por evilrick em 07/11/2007 - 10:16h

Eu tenho um amigo que ficou maravilhado com a aparência (KDE+compiz-fusion), com os programas (em especial o Amarok e o K3B), por saber da maior segurança do pingüim em relação a outros mas está sem usar o Linux pelos simples fatos de ele não conseguir instalar o softmodem e a placa de som não ser reconhecida por algumas distros.
Aí eu pergunto: se eu e alguns amigos (muito mais experientes no Linux do que eu) não conseguimos fazer com que seu tux funcione de modo satisfatório, como esperar que ele, leigo e ansioso por usar seu "brinquedinho" novo, permaneça interessado no sistema?

Discordo de alguns pois não creio que isso fosse cercear a liberdade do usuário. É sempre bom ter uma orientação e saber escolher o hardware menos propenso a problemas e isso vale pra qualquer S.O que se queira usar no PC.
Por exemplo: Como alguns softmodems costumam ser uma dor-de-cabeça no tux, poderia-se, de alguma forma, sugerir uma máquina com hardmodems ou com softmodems que não dessem tanto trabalho pra instalar. O mesmo para placas de vídeo, de som, impressoras, VGAs e etc... (quem nunca sugeriu uma NVidia em vez da ATI para um usuário que queira usar o Linux?)

Poderia-se citar as vantagens de cada distro quanto ao reconhecimento de hardware e facilidade de uso já que estamos falando de um público, em sua grande maioria, leigo em Linux e que -- em alguns casos -- sequer imagina que possa haver alternativas ao MS-Windows® pirata.

Por isso eu gostei da idéia.

[25] Comentário enviado por QuestLoder em 07/11/2007 - 13:18h

Caro xenon,

O sistema realmente tem que mudar um pouco, mas, não se tornar um Windows da vida.
Aqui temos uma outra ideologia, outros pensamentos, em minha opinião, não é o sistema que tem que se adaptar ao usuário é o usuário que tem que se adaptar ao sistema.
Vocês sabiam que o pessoal do Opensuse, Debian e outras distribuições, estão querendo vender a distribuição?

Não podemos deixar isso acontecer, eu pelo menos não quero que o Linux se torne um monopólio como a Microsoft.

Ela começou assim como nós, ninguém conhecia, ninguém comprava a idéia. Depois que a empresa facilitou (padronizou) o sistema ela colocou a mão no peito de cada usuário e falou agora você tem que pagar...!

Não é para este futuro que temos que caminhar, e sim fazer como o Fabio fez aqui no VOL.
É enriquecer nossa tão amada comunidade com artigos, problemas solucionado, perguntas e assim vai.

E outra como disse um amigo meu “Informática não é para leigos”.
Temos que ter pelo menos o bom senso de nos preocupar com o que está acontecendo e pagar de reclamar e mãos a obra...

Vamos ser livre pessoal, vamos criar, somos capazes...

Bom fica ai minhas palavras e me desculpa por algo.

[26] Comentário enviado por simon em 07/11/2007 - 16:44h

Bem, vamos tentar ir por partes... de fato o artigo ilustra muito bem muitas das qualidades do Linux, ainda que algumas de maneira simplória... Creio que caberia SIM com já foi dito, exemplificar e explicar o porquê da 'facilidade' do Linux para redes e internet, o que soa até redundante, visto que internet é uma rede, só um 'pouquinho' maior ;)
O Linux tem essa facilidade na utilização da internet por ter sido 'projetado' para o protocolo tcp/ip, afinal ele é Unix-like... Mas isso soa meio vago para um leigo, então deixa eu tentar explicar de uma outra forma...

No início haviam os UNIX, como o BSD, e eles eram Mainframes (computadores do tamanho do seu quarto, provavelmente) em universidades, com diversos terminais físicos, dos quais a maioria de nós nunca viu, visto que só costumamos usar terminais emulados, em casa ou no trabalho. A conexão entre esses terminais era feito via tcp/ip... por que o tcp/ip foi, digamos, CRIADO PARA O UNIX, então não é de espantar a forma como ele lida bem com esses protocolos, já o windows foi criado SEM sequer um mínimo suporte ao mesmo, sendo depois integrado, pelo velho método POG (Programação Orientada a Gambiarras) típico da MS, utilizando o Código do FreeBSD... ;) Se a licensa do FreeBSD fosse mais 'fechada' do que é, como é a GPL, o windows provavelmente não teria suporte a Internet... Mas antes que os 'linux-lovers' levantem a voz para dizer: Então a culpa da popularidade é do FreeBSD!! Imagine que se o Windows NÃO tivesse acesso a internet., você provavelmente não teria, pois creio que 99% dos usuários Linux aqui estavam em busca a uma 'alternativa' ao Windows, e não por já entrarem no mundo da informatica com um Sistema Unix-Like... Mas voltando ao escopo do artigo, visto que me demorei deveras na explicação anterior...

Discordo da 'monodristro' tal qual proposto... o que se poderia pensar era em uma 'nova distro' ou num 'suporte' a uma já existente... exemplifico:

Poderíamos criar uma distro 100% para leigos, mas sem tentar ser um 'windows-like', seria ridículo... Poderíamos sim criar uma distribuição do tipo Ubuntu, mas digamos, 100% em português e voltada unicamente para o usuário-final. Mas vejam, já existe algo do tipo, como o Kurumin, por exemplo, ou o Ubuntu...

Poderíamos dar um 'suporte privilegiado' a determinada distribuição, como o próprio Kurumin ou Ubuntu, creio que a Canonical ficaria feliz, e o mesmo digo em relação ao Morimoto... Esse suporte poderia ser por exemplo criando espaços com "qual os melhores hardwares para linux", e coisas assim para facilitar a vida do usuário final... Poderia-se 'conveniar' o VOL a empresas de venda de Hardware... Assim, quando você(usuário-leigo) for comprar seu PC numa loja e ele vier com Linux, e perguntar como faz pra usar ou se pode por windows depois, o vendedor simplesmente dizer: Olha, entra nesse site aqui que eles explicam tudo... Afinal, o objetivo do Linux não é ser o novo Windows... é ser a 'alternativa livre'... ;) Não à substituição, e sim a alternativa.... pois creio que a maioria de vocês nunca pensou na hipocrisia de enaltecer tanto a LIBERDADE e querer 'sumariamente' impedir as pessoas de ESCOLHER o windows ;)



[27] Comentário enviado por lucianomarques1 em 07/11/2007 - 19:04h

Gente, não sei bem como dizer isso sem "colocar o linux por baixo". Imagino que tenha sido um problema isolado e ressaltar que se fosse no meu micro eu teria ficado sem utilizar o disposito que citarei abaixo ao invés de reinstalar o Window$.

No micro da minha sogra, após muitos problemas com o XP, finalmente convenci a instalar o Linux Kurumin. Ela utiliza o micro somente para bater papo (com câmera e microfone a fonte do problema).

Com a câmera não tive maiores problemas (embora a imagem tenha ficado muito escura, e não adiantou mexer na configuração de brilho no Kopete). O problema foi na hora do microfone (testei uns quatro diferentes e nada). Habilitei o microfone e nada. Quando eu falava ao microfone, eu escutava a minha voz saindo na caixinha de som, mas a outra pessoa não me ouvia e eu não ouvia a outra pessoa, só conseguia ver a outra pessoa que tambem conseguia me ver me ver, mas nada de som. O pior é que quando reinstalou o Window$, funcionou tudo de cara de primeira, a imagem da câmera limpa e clara e o microfone funcionando perfeitamente bem.

Talvez esse, seja um dos motivos das pessoas ainda terem a preferência pelo Window$.

Mas como disse no começo do comentário, no meu micro eu teria ficado sem o microfone. Utilizo no meu micro o Window$ 98 em máquina virtual apenas para uso do Autocad 2002 (não consegui por nada do mundo que rodasse no WINE).

[ ]'s à todos e viva o linux;

Luciano.

[28] Comentário enviado por Teixeira em 07/11/2007 - 19:04h

A essa altura do campeonato, quero deixar BEM CLARO que a proposta não visa apresentar UMA ÚNICA configuração, ou distribuição, enfim,
mas de apresentar, como foi dito, umas 4 ou 5 boas alternativas para que o usuário novato, ou o futuro usuário possa sentir-se mais à vontade com o Linux.
A maioria dos emails que tenho recebido indicam que a comunidade entendeu bem.
Foi até sugerido que a comunidade coloque um formulário onde o interessado informa o seu hardware e o tipo de utilização e é-lhe retornada a sugestão de uma configuração ideal, COMO PONTO DE PARTIDA.
Enfatizo que muitas coisas que parecem óbvias para alguns, ainda são mistérios impenetráveis para outros.
A finalidade é evitar que se perca tempo demasiado - por exemplo - tentando instalar um imenso Fedora, sem necessidade alguma disso, e somente então "descobrir" um Kurumin ou um Ubuntu, simplesmente porque alguém - ou uma comunidade inteira - se tenha dado ao luxo de negar informações vitais sob a mentalidade do "deixa que ele se vira!"
Sou programador desde 1961 e até hoje não encontrei um só usuário meramente apertador de botões: todos aprendem alguma coisa para poder se relacionar com o computador.
Os computadores foram feitos para trabalhar PARA o homem, e não o contrário.
Não concordo de forma alguma que para usar um micro alguém tenha de adivinhar daqui, adivinhar dali, quebrar a cara aqui e ali.
TEM de haver um caminho melhor.
Somente depois de trilhá-lo, mesmo que seja em parte, ele estará apto a fazer escolhas concretas.
Esclareço que não tenho medo de telas pretas (somente das azuis...) e que fui programador assembler (na verdade "assembly") SL-3, SL-5, L/TC-AE, Z-80 e em muitos casos tive de usar linguagem de máquina, aprendida "no tapa". Também sou auto-didata em vários dialetos de Basic, Cobol e, mais modernamente, dBase II, dBase III e Clipper.
Isso significa que apesar de nada entender de Linux, estou disposto aos 61 anos de idade a voltar a enfrentar - se necessário - as tão famosas linhas de comando. Mas não pretendo tornar-me um engenheiro ou administrador de redes para poder finalmente ter uma máquina Linux desktop.
Dito isto, volto ao ponto: Seja para entretenimento ou para uso SOHO, o usuário final tem que ter um ponto de partida diferente do zero.
A maioria do trabalho deve ficar por conta de quem entende, e não de quem quer usar mas não sabe como.
A propósito, cometi um erro muito grande ao comentar sobre a qualidade dos gráficos, a qual já é atualmente excelente.
E gostaria de refazer um conceito que um colega deixou:
A informática atualmente é voltada para os leigos, SIM!
Ela não se limita aos aspectos de montagem e configuração dos PCs, mas tem a ver principalmente com o processamento das informações.
Assim considerando, temos desde a escrita manual até os celulares, pagers, MP3, MP4, iPods, e até mesmo elevadores e prédios "inteligentes", passando é claro pelos computadores. Tudo isso é informática.
Os sistemas que controlam toda essa paraférnália são os chamados "sistemas embarcados", onde predominam versões minimalistas do Linux ou de seu papai Minix, a partir do qual o Linus Torvalds o desenvolveu. Portanto, o Linux não nasceu diretamente do Unix, mas do projeto Minix. Confere?

[29] Comentário enviado por QuestLoder em 07/11/2007 - 19:46h

Caro Teixeira,

Gostaria de dizer mais uma coisa a respeito da frase que mencionei "Informática não é para leigos"

Na sua citação vejo estas pessoas como mero apertadores de botões, porque está tudo pronto, eles simplesmente usam, não evoluem, não criam.
Qual é sentido de ter isso? Facilidade ? Praticidade? Simplesmente dar 3 cliques e está tudo resolvido?
Então vamos todos voltar para o Window$

Também sou programador e entendo o lado do usuário final, sofro muito com o Linux, mas sinceramente adoro este sistema. Só que não podemos deixar algo tão especial como esta biblioteca de conhecimento ( O Linux ), se tornar um monopólio.

Como disse nosso amigo no comentário acima, estou disposto a vender na minha loja as máquinas com suporte total ao sistema Linux, claro e a indicação do VOL como ponto de partida.

Agora mudar todo um conceito para ganhar audiência isso eu não concordo...

[30] Comentário enviado por rjdiniz em 07/11/2007 - 21:47h

Muito louvável seu desafio, agora ao invés de criar uma coisa nova, por que não pegar algo que já exista no mercado, e adaptar com suas sugestões, um exemplo de perseverança, inclusive utilizo muito, o Kurumin, desenvolvido por um brasileiro que admiro muito, o Carlos Morimoto do Guia do Hardware (http://www.guiadohardware.net), ele se preocupa muito com Hardware brasileiro, bem como os usuários brasileiros. E outra distribuição também muito boa que estou avaliando atualmente o Ubuntu, que tem-se mostrado muito eficaz e amigável.

[31] Comentário enviado por galmeida07 em 08/11/2007 - 08:43h

Utilizo Debian a mais ou menos 8 meses, antes disso já utilizei várias distros...várias mesmo. Acho que para o usuário final (e leiguíssimo na grande maioria das vezes) ficar procurando documentação, ou dependências para tal e tal instalação, é literalmente um saco. (Desculpem o linguajar). Então louvável é sua iniciativa, e concordo. Por que não, fazer um guia para o usuário iniciante nesse novo mundo? Não só apóio como me disponibilizo a participar. Não sou nenhum expert mas posso ajudar. Apenas notificando...a intenção não é uma receita para o usuário instalar tal e tal distro, nem tal e tal programa. É um guia pra ele não ficar procurando em tudo quanto é site, ou ainda pra não se contentar só com o que vem por default na distro que ele escolheu. Aceito o desafio, afinal se não for difícil...qual é a graça?

[32] Comentário enviado por slipkd em 08/11/2007 - 09:15h

Sinceramente eu não entendo algumas coisas:

* Há tantas distribuições, sejam umas melhores que as outras
* Existe ubuntu que também tem o reboot à toda hora pra os "usuários finais" e com cliques de mouse por todo lado
* Tem muitos artigos pela rede explicando as diferenças do GNU/Linux, que ele não é Windows, assim como Macintosh que o pessoal comenta antes de usar: é diferente de tudo, esqueça tudo que você já aprendeu em informática !!!

Porque que o software livre tem que aparecer com o outro sistema ??

O que acho interessante é como falaram aqui você poder ter como identificar os harfwares compátiveis mais brasuca.
Diversas empresas hoje em dia, customiza uma distro e limita algumas coisas, estas distros ficam com estilo de software proprietário, eu particulamente não gosto do método que utilizam, prefiro usar um Slackware, Debian ou Arch Linux, distros assim sem tantos enfeites e diretas ...

Lembram da história do pequeno príncipe ? não adianta, tem gente que não entende, não quer ver, o interessante é a comunidade se unir com bons projetos para o Software Livre do que tentar fazer alguém entender o que não quer ver ...

[ ] ' s

Slipk

[33] Comentário enviado por danfox10 em 08/11/2007 - 09:16h

Parabéns pela iniciativa, estou ansioso em saber esta configuração.
Abçs.
Daniel Freitas

[34] Comentário enviado por Teixeira em 08/11/2007 - 10:02h

Citei a facilidade do Linux em suportar multiprocessamento, mas não pude citar as fontes na ocasião. Lembro-me de que li essa informação há muitos e muitos anos, em algum lugar.
Não achei a fonte original, porém, dentre outros, encontrei um artigo referente a Debian que fala textualmente que para dar suporte a mais de um processadores simultâneos basta recompilar o kernel.
Através de links, mostra-se como fazer isso para 4 até 16 processadores simultâneos (e não 6 como eu coloquei), a partir do 486.
Essa técnica não me interessa, mas de qualquer forma aqui vai uma parte do texto e o link:

"Para poder obter vantagem dos múltiplos processadores você terá que substituir o kernel Debian padrão. Você pode encontrar uma discussão sobre como fazer isso em Compilando um novo Kernel, Secção 9.6.
No momento (versão do kernel 2.2.22) a maneira de habilitar SMP é selecionar ``multi-processamento simétrico'' na seção ``Geral'' da configuração do kernel".

http://www.linorg.cirp.usp.br/Debian.refs/Install/ch-hardware-req.pt.html

[35] Comentário enviado por hugoalvarez em 08/11/2007 - 11:09h

É um excelente artigo ideológico hehehe, acho que todos aqui do vivaolinux já contribuem de alguma forma para a disseminação do uso do linux, e sobre "trocar o linux por um piratão que tem tudo que meu filho queria" acho que é culpa das empresas que "vendem" linux, digo que vendem as máquinas com linux instalado, não sei como está hoje, mas há seis meses vi um computador positivo com linux que era horrível, completamente mal configurado, nada funcionava e isso é culpa do infeliz que liberou essa configuração para o usuário final, que provavelmente não é um infeliz qualquer, é o cara que tem autoridade para escolher as configurações para os sistemas da Positivo, sem ofensa, vai que alguem que trabalha lá lê isso, as máquinas da Positivo algumas são bem legais para um usuário final e é uma empresa em ascensão, mas que tal pegar 3 ou 4 carinhas bons de linux para criar uma imagem de instalação baseada em qualquer distribuição que for escolhida e já preparar o som, video, USB esse principalmente porque hoje todo mundo tem e quer usar o seu pen-drive ou mp3, colcoar os plugins necessários no totem ou mplayer, esses são os que eu uso, para rodar dvds simplesmente quando forem inseridos automaticamente, configurar software legal para gravar cds e ainda colocar um monte de temas lá para o usuário clicar na tela com o botão direito do mouse e aparecer um monte de opções, é isso que tem faltado nas máquinas que saem de fabrica com linux, br-office já instalado porque o cara vai receber um e-mail com um anexo em powerpoint vai clicar e não vai abrir porque esse sistema linux que todo mundo elogia é uma porcaria, mas ele nem faz idéia que para ver os pps dele é muito mais facil do que no Windows, e dou exemplos:

Máquina Windows que não abre pps: O usuário vai até uma loja, compra o office por mais de R$500,00 ou na feira por 10 e pede para o vizinho instalar. Pronto resolvido.

Máquina linux: O usuário digita aptitude install br-office. Pronto resolvido (no caso de o fabricante ter escolhido uma Debian e configurado com um mínimo de descência).

Concluo que o que está faltante mesmo são mais vizinhos "linux" para esses novos usuários.

Até mais.

[36] Comentário enviado por nicolo em 08/11/2007 - 12:47h

A visão de casamento perfeito entre o sistema operacionalo e o hardware é uma visão de profissional de informática. Creio ser difícil edições de hardware casados com sistemas operacionais. Isso implica em quantidade e rapidez, uma vez que ambos mudam muito depressa.
Seria viável um pouco mais do que já é feito hoje, ou uma padronização melhorada.
O ponto crucial é a desinformação do comprador, e creio que dos vendedores também. O pessoal que monta poderia saber um pouco mais de sistema operacional e selecionar hardware mais compativel.

Seria possível divulgar configurações recomendadas para a distro A, B, ou C com referência à uma fonte de drivers e a tutoriais amigáveis fácilmente baixáveis pela internet.

Uma padronização além disso não parece algo plausível na prática, a menos que se tenha quantidade e agilidade.

[37] Comentário enviado por douradoinfo em 08/11/2007 - 13:17h

Bom dia, amigos do VOL,
Senti-me tentado a fazer um comentário aqui, embora não tenha muito pra dizer. Sou professor há algum tempo, convivo com algumas cabeças jovens, e me sinto à vontade em dizer algo para todos: parabéns pela iniciativa e também aos comentaristas. O certo é que vocês são privilegiados por desfrutarem de um sistema tão fantástico como o Linux, que uso há poucos meses. Comecei com o Kurumin e hoje estou enfrentando os desafios de configurar o FrostWire no Ubuntu por causa de um tal JRE 1.5 que insiste em não instalar através do Automatix ou do Synaptic. Apesar de ter alguma noção de Inglês, há alguns termos que nem sei pronunciar, mas tenho um objetivo: ainda quero virar programador. Nem quero imaginar a distância entre USER, ROOT e programador. Pra finalizar, garanto a vocês que estou começando a usar o Linux por um motivo muito simples e que sei quase impossível o mundo inteiro sentir o mesmo: usar o sistema me deixa simplesmente emocionado, me faz sentir mais vivo e estimulado a aprender e a enfrentar os desafios da vida e a frieza das máquinas. Creio que devemos tirar dos nossos objetivos a unanimidade em torno de qualquer sistema ou distribuição, mas continuarmos nessa caminhada de sensibilizar as pessoas para usarem aquilo que mais lhe aprouver. Pra isso, Deus (?) deu uma cabeça a cada indivíduo, uma loja de computadores em cada esquina, uma banca de camelô na calçada e o VOL na internet. Temos tudo que precisamos para fazer nossa escolha. Quem quiser dar patada, que dê; quem souber desenvolver software, que desenvolva; quem puder só usar e usufruir como eu, que o faça. Importa que sejamos felizes, solidários e vivamos em paz, apesar das discordâncias. Lembrem-se: ponto de vista é algo único, pois depende do PONTO em que você se encontra e que não pode ser ocupado por mais ninguém. Um abraço e desculpem a extensão do comentário. Quando souber, contribuirei também.

[38] Comentário enviado por slipkd em 08/11/2007 - 13:36h

As empresas não estão sabendo ganhar dinheiro com Software Livre, e quem cai neste mundo que entenda a FILOSOFIA, que é mais importante ainda que o SOFTWARE.

SOFTWARE, usem, não há dúvidas, o nível intelectual é muito além do que o PROPRIETÁRIO.


Douradoinfo disse tudo !!

Viva a Liberdade


abraços

[39] Comentário enviado por forkd em 08/11/2007 - 15:53h

"Portanto, o Linux não nasceu diretamente do Unix, mas do projeto Minix. Confere?"
De acordo com http://www.levenez.com/unix/history.html#07 , o Linux descende do Minix 1.0 de 1987, que descende do Minix, que descende do Unix.

"GNU é isso, uma ALTERNATIVA, esta aí, quem quiser seja bem vindo"
Não gosto de encarar softwares livres como alternativas. Prefiro vê-los como concorrentes para os outros. Num fórum sobre o GIMP, uma vez disseram que o programa era alternativa para o Photoshop e tal afirmativa não foi muito bem vinda, já que muitos usuários o consideravam muito mais do que isso, pois eles usavam o programa por gostar e não para fugir do preço do Photoshop. Dizer que algo é uma alternativa muitas vezes parte do pressuposto de que há algo melhor e que a "alternativa" é algo pior.
Eu uso software livre porque eu quero. Dizer que é uma alternativa não é errado, mas prefiro dizer que eu uso porque acho que é melhor.

Abraço!

[40] Comentário enviado por slipkd em 08/11/2007 - 21:17h

jlojunior, falo isso no sentido de que existe outras opções e muitas vezes melhores, vou usar o seu método que é bem melhor. É bom saber sobre esse fato assim não vou contribuir pra acontecer de novo

[ ] ´s



[41] Comentário enviado por rrubio em 08/11/2007 - 21:40h

ótimo artigo.

caso queira ajudas para esse projeto, estou dentro...

qquer coisa manda uma msg

[42] Comentário enviado por kosmus_mt em 08/11/2007 - 23:58h

Para todos que compartilham essa idéia.
Eu os convido pra um projeto que eu comecei mas anda meio parado pq a faculdade e trampo demandam tempo.
http://www.agora.jecabyte.org/

Aceito sugestões como do Teixeira pq meu unico objetivo é popularizar o Linux. Ainda mais hj em dia q a internet ajuda e muito, ajuda-nos a dar escala à informação.


[]'s a comunidade,
Mathias

[43] Comentário enviado por cwars em 09/11/2007 - 15:24h

# include "stdio.h"
# include "resposta.h"

int main (void)
{
'''''''''''''''if ("Linux" == "kernel") {
''''''''''''''''''''''''''''''printf("O Linux é somente um kernel");
''''''''''''''''''''''''''''''printf("O importante do Linux é compatibilidade");
''''''''''''''''''''''''''''''printf("com hardware apenas e segugança");
''''''''''''''''''''''''''''''
''''''''''''''''''''''''''''''if ("GNU/Linux" == "Sistema Operaciona") {
'''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''printf("Ferramentas GNU com o kernel Linux");
'''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''printf("resulta em um sistema");
''''''''''''''''''''''''''''''}
''''''''''''''''''''''''''''''if ("GNU/Linux" == "Distro") {
'''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''printf ("Toda distro é um SO independente");
''''''''''''''''''''''''''''''}
'''''''''''''''}
'''''''''''''''printf("para usuário final mesmo recomendo:");
'''''''''''''''printf("Ubuntu, pois pode pedir cds gratuitamente e já tem");
'''''''''''''''printf("jogos no seu repositório");
'''''''''''''''printf("Insight que é também um bom sistema e facil de usar");
'''''''''''''''printf("e ou então o Kurumin que também é muito prático");
'''''''''''''''return 0;
}

[44] Comentário enviado por Teixeira em 09/11/2007 - 21:14h

Tentei me comunicar com os fabricantes de motherboards para obter mais subsídios. Somente tive notícias da Asustek que fabrica uma interessante MB denominada Asus P5E3 DeLuxe que já vem com um Linux embarcado (Splash Top) na FlashBios, que permite acesso à internet e mais alguma coisa. Tem até vídeo no YouTube. Como não consigo rodar videos, peço a alguém da comunidade para dar um a olhada e postar um comentário. Sds.

[45] Comentário enviado por agk em 10/11/2007 - 09:41h

Primeiramente, parabéns pelo artigo.

Muito interessante a ideia, não encontrei nada refente ao assunto em português.

Muitas distros mantém fórum e sites com listas de hardwares compatíveis.

É importante sempre que façam um pesquisa sobre o hardware e verifiquem se é compatível com Linux antes de adquirí-lo.

Eu particularmente não tive muitos problemas de hardware com o Linux, com excessão dos notebooks da acer (orbicam, sdcard reader), consegui configurar dezenas de desktops e servidores sem nenhum problema, todos funcionaram muitos bem, dentre eles dispositivos como: placas de video da ATI, servidores IBM Xseries com fusion MPT (scsi), várias placas mães novas com sata2, lsi, bluetooth, rede gigabit, placas de TV/FM, placas wireless, cameras digitais, aparelhos mp3, mp4 dentre outros.

Os problemas referentes ao suporte de hardware que ainda temos no Linux são exclusivamente de responsabilidade dos fabricantes de hardware, para resolver é bem simples, não comprem mais hardware não suportado oficialmente pelo fabricante, é a única forma dos fabricantes de hardware abrirem os olhos e darem importância ao Linux.

[ ]'s.

[46] Comentário enviado por douradoinfo em 10/11/2007 - 17:54h

Olá, agk
Pelo que vi, sua experiência com hardware é extensa. Tenho um amigo que vem tentando utilizar o Ubuntu com uma placa wireless rtl 8185 há uns 4 meses e já está prestes a desistir. Saberia dizer se existe uma outra solução que não seja trocar a placa?
Um abraço!

[47] Comentário enviado por pes em 13/11/2007 - 12:23h

Cara, gostei bastante do seu artigo!! Digamos que o que você passou é um problema que muita gente enfrenta.
Mas gostaria de fazer alguns comentários também (COMENTÁRIO não é CRÍTICA):
O barato sempre sai caro, como você mesmo comentou.
Apesar do vendedor ter te convencido a levar um pc com uma distribuição linux, as configurações do mesmo não são boas. Normalmente, pcs comprados prontos em lojas como CASAS BAHIA, MAGAZINE LUIZA, PONTO FRIO e afins, são péssimos quanto à configuração. O grande atrativo é o preço, principalmente quando as revendedoras (AmazonPC, SempToshiba e etc) colocam um monitor de 17" LCD no pacote!! Pronto! a caca de hardware tá escondida... E se vier com gravadora de DVD então??! Os 256Mb de RAM ninguém presta atenção.
Mas enfim, quando se fala de computador, a melhor coisa é gastar um pouco mais mesmo e comprar um, que eu sempre brinco chamando ele de FRANKENSTEIN.
Você monta ele de cabo a rabo, mas pelo menos sabe que a coisa vai pra frente...
Aí, nem mesmo o PIRATÃO vai ser páreo duro para ele! =)
Quanto às suas idéias, achei ótimas. Mesmo porque, estou indo pro último ano de sistemas de informação e meu TCC é baseado nisso (seu artigo vai ser citado!).
Projeto de inclusão digital baseado em software livre, treinamento de pessoal em empresas, aulas pra usuários finais (que encaixaria +/- no seu caso/perfil), leigos e etc...
Achei muito interessante seu artigos e seus comentários.
Estou contigo em alguns pontos, mesmo porquê já uso linux a um certo tempo (desde o tempo do conectiva 2, por volta de 1998)...

Se alguém se interessar por esse projeto, eu gostaria muito de tocar em frente a coisa..

Meu email está no meu perfil!! Fiquem à vontade pra gente trocar uma idéia.

[]'s e mais uma vez, parabéns pela sua iniciativa!!

[48] Comentário enviado por werneck_costa em 17/11/2007 - 13:29h

Galera, boa tarde!
Gosto bastante a atmosfera do mundo OpenSource, seja com o linux q é a maior estrela, ou com a filozofia que tem trazido bons frutos como no caso de Portais e forums, ou de distribuição de conteudo livre como bibliotecas abertas e coisas do tipo.
Nosso colega teixeira deve ser parabenizado sim, pois mesmo q ja tenhamos alguma coisa parecida, quanto mais força pra divulgar, melhor.

Enfim, Estou cursando Sistemas de informação na FARN e gosto de estar bem informado sobre tudo isso. Sempre que posso, dou uma passada no http://www.noticiaslinux.com.br e assino a Dicas-l que todos os dias me traz otimos artigos, dicas e macetes para manutenção e configuração, sempre muito bom!

Falando da dicas-l, recebi no dia 26/outubro/2007 uma dica sobre escolha de uma distribuição linux, que fique mais proxima dos conhecimentos do usuário e de suas necessidades, a pagina é Linux Distribution Chooser e se encontra em: http://www.zegeniestudios.net/ldc/

Disponivel em vários idiomas (pt_Portugal, da pra levar muito bem).
Ela mede o nivel de conhecimento do usuário com relação ao computador em geral, e ao proprio linux.

Para o projeto do Teixeira, acho q pode ser de grande ajuda.

Gostaria de participar junto com vc nesse projeto. Quando puder, me mande um e-mail pra trocarmos ideias.

Galera, muito obrigado pela atenção e bom fim de semana!

"Seja a mudança q vc quer ver no mundo!"

[49] Comentário enviado por Teixeira em 26/11/2007 - 15:55h

No site do Basic Linux encontrei a indicação da motherboard
VIA EPIA 5000 .
Apenas não sei ese essa placa é encontrável aqui nas terras tupiniquins.

[50] Comentário enviado por Teixeira em 28/11/2007 - 14:10h

Com referência à dica do Werneck_Costa, se me permite, eu achei as indicações do "teste" bastante tendenciosas, TODAS elas apontando para o OpenSUSE, independentemente das configurações que vão entre o
"eu-não-sei-de-nada-e-meu-pc-é-antigo"
até o
"eu-sou-cobra-no-assunto-e-minha-máquina-é-topo-de-linha".

Pessoalmente não conheço o OpenSUSE, mas acredito que seja uma distribuição realmente boa, mesmo porque é de orígem alemã e isso já um bom princípio.

Não fala no Kurumin (por exemplo) e indica o Fedora como uma opção, com a ressalva de que "exige conhecimento de Linux".
O Kubuntu também é descrito como opção para quem não entende nada, sendo que "não é indicado para iniciantes" e "pode ser lento em nosso computador".
Ubuntu, Mandriva e Freespire também são consideradas "opções" com a ressalva de que podem fazer com que o computador fique lento...

Está parecendo propaganda institucional...

[51] Comentário enviado por rrubio em 28/11/2007 - 15:43h

Teixeira, não conheço a fundo o Opensuse (na verdade só o conheço de vista), mas a dita "propaganda institucional" pode ser opção pessoal dele...

eu, por exemplo indicaria o DEBIAN para os "eu-sou-cobra-no-assunto-e-minha-máquina-é-topo-de-linha" até os <troll>"não-sou-retardado-nem-tenho-preguica-de-pensar-e-tenho-um-486sx" </troll>.

e para quem tiver preconceito ao debian, ou o restante talves ubuntu ou kurumin (q e filho e neto do debian).


entao, talves a experiencia dele com o suse seja tão boa qto a minha com o debian, e realmente ele acha q não vale a pena mudar, assim como eu.

-----

e para terminar, muitos usuarios de distros mais antigas (como debian, slack, redhat, suse) simplesmente não prescisam de outras ferramentas além do que tem na distro dele, e oq prescisa acha facilmente algum tutorial por aí, ou por aqui no VOL (exemplo debian tem +- 9000pacotes opensource).

[52] Comentário enviado por Teixeira em 28/11/2007 - 23:13h

Sim, rrubio, mas o que estou comentando é que o teste não indica outra coisa senão o openSUSE em primeiro lugar absoluto, qualquer que seja o caso, enquanto aponta deficiências nas demais distribuições abrangidas, e que afinal, são poucas (No distrowatch tem cerca de 200 distribuições, sendo mais de 50 monitoradas constantemente e que podem ser comparadas diretamente, detalhe por detalhe).

Portanto, ele é mais adequado para como situar aquela distro diante de um questionamento, e não para que se encontre uma distribuição ideal diante das verdadeiras necessidades do usuário.
Contudo, a idéia geral do formulário e do passo-a-passo do teste é um bom princípio.

[53] Comentário enviado por rafastv em 06/12/2007 - 01:08h

Fazer o que o senhor propõe é possível, mas para isso é necessário estudo e infelizmente muitos ainda preferem o caminho do advinho usando Windows.
Digo advinho, pois ninguém sabe ao certo como o sistema funciona, as pessoas apenas supõem que funciona pois não para de funcionar sozinho na maioria das vezes.
Mas voltando a sua questão, eu gostaria de lhe dizer que já existem diversos projetos em andamento e várias distribuições brasileiras tentando realizar sua proposta, para se engajar nelas é necessário contudo conhecimento e estudo...e as pessoas buscam ainda o mais fácil.

'Ignorance is a bless' diria um Cypher em Matrix e as pessoas parecem estarem felizes com sua ignorância, isto é, falta de conhecimento.

Cordialmente,

[54] Comentário enviado por Teixeira em 23/12/2007 - 22:25h

Bem, resumindo, alguém poderia sugerir algum hardware (a iniciar do mínimo possível porém coerente com a realidade atual), e alguma distro simples e objetiva e que desse suporte a impressoras, leitores de código de barras, etc. de forma que alguém (pessoa física ou jurídica) pudesse usar de alguma linguagem de programação como Java, Python, C, etc. para ter uma utilização comercial eficiente e de baixo custo?
(Não estou falando de um conjunto onde TUDO saia de graça; estou falando em ECONOMIA a longo prazo - Vamos esquecer por um instante dos detalhes acessórios tais como video 3D, transparências, jogos, audio, etc.)
Falo em automação comercial, sistemas de gerenciamento e coisas assim.

É mais que óbvio que com um micro "topo-de-linha" com 2G de memória e um montão de memória de vídeo, uma distro moderna, e em se tratando de harware confiável, ninguém venha a ter problemas sérios para entrar no mundo Linux.

O grande problema é que realmente faltam "amigos e vizinhos Linux" na quantidade e nos locais por vezes necessários.

[55] Comentário enviado por rafastv em 24/12/2007 - 09:31h

http://www.puppylinux.org é uma sugestão, que talvez esteja de acordo com o que você quer, ela não é brasileira contudo...distrowatch.com é um bom lugar para procurar.
Quanto ao hardware, eu acredito que isto não seja problema para o mundo linux, mas sim de outros SOs, afinal o requisito minimo para se rodar um linux é um 386. O Linux permite você resgatar máquinas velhas e dar valor e aplicabilidade as mesmas e não exige que você constantemente tenha que dar upgrade no seu computador, contudo você permanece tendo o mais avançado em tecnologia instalado no seu computador a cada atualização.

Cordialmente,

[56] Comentário enviado por removido em 22/10/2009 - 16:32h

Excelente Artigo.
Como disse o Kalib (15), ele vem com o Linux e por isso é mais barato. E quando pergunta qual distruibuição vem nem sabe.
"Linux união de informação e conhecimentos a serem compartilhados"

[]'s


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts