MATE Desktop 1.16.0 [GTK3] no Slackware

Neste artigo veremos como instalar de formas distintas a nova versão 1.16.0 do MATE Desktop no Slackware, em testes o Slackware Current.

[ Hits: 6.195 ]

Por: edps em 26/10/2016 | Blog: https://edpsblog.wordpress.com/


Não quer compilar?



Para os preguiçosos de plantão... o MATE 1.16 já está empacotado e disponibilizado para instalação, portanto bastará seguir os passos correspondentes para a sua arquitetura:

Slackware 32 Bits:

mkdir mate-desktop && cd mate-desktop/
$ lftp -c "open http://slackware.org.uk/msb/14.2/1.16/; mirror x86"
$ cd x86/
$ su <senha-de-root>
# upgradepkg --install-new deps/*.t?z
# upgradepkg --install-new base/*.t?z
# upgradepkg --install-new extra/*.t?z
# exit
$ xwmconfig


Slackware 64 Bits:

mkdir mate-desktop && cd mate-desktop/
$ lftp -c "open http://slackware.org.uk/msb/14.2/1.16/; mirror x86_64"
$ cd x86_64/
$ su <senha-de-root>
# upgradepkg --install-new deps/*.t?z
# upgradepkg --install-new base/*.t?z
# upgradepkg --install-new extra/*.t?z
# exit
$ xwmconfig


Com Slackpkg+

Já utilizando o Slackpkg+ também é muito fácil, com a adição das duas linhas abaixo no arquivo /etc/slackpkg/slackpkgplus.conf, você poderá instalar o MATE usando o Slackpkg:

REPOPLUS=( slackpkgplus restricted alienbob msb)
MIRRORPLUS['msb']=http://slackware.org.uk/msb/14.2/1.16/x86/

Se não sabe como configurá-lo, não sou um expert em Slackpkg+ mas fiz um humilde artigo em meu blog, caso tenha interesse, segue o link:
Voltando... se já editou o arquivo, execute no terminal:

# slackpkg update gpg
# slackpkg update


Para procurar por pacotes:

# slackpkg search mate
# slackpkg search msb


E para instalar:

# slackpkg install mate
# slackpkg reinstall mate


Para remover:

# slackpkg remove mate
# slackpkg remove msb
# slackpkg remove pacote


No modo hardcore

Aqui teremos a necessidade de utilização do Sbopkg (ou outro que atenda sua necessidade), bem como da instalação manual de alguns SlackBuilds.

Sobre o Sbopkg, favor veja isto:
Instalação.

Proceda assim, para realizar o download do repositório do Projeto MSB via github:

git clone https://github.com/mateslackbuilds/msb mate-desktop
$ cd mate-desktop
$ git branch
$ git checkout GTK3
$ git pull https://github.com/mateslackbuilds/msb GTK3
Logue-se como root:

su

E execute os comandos abaixo para a instalação das dependências (e posterior cópia dos pacotes construídos)...

# rm -rf /tmp/*
# ./mate-build-deps.sh
# mkdir deps-packages; mv -v /tmp/*_msb.txz deps-packages/


E para a instalação dos pacotes básicos (e posterior cópia)...

# rm -rf /tmp/*
# ./mate-build-base.sh
# mkdir base-packages; mv -v /tmp/*_msb.txz base-packages/


E dos pacotes extras (e posterior cópia)...

# rm -rf /tmp/*
# ./mate-build-extra.sh
# mkdir extra-packages; mv -v /tmp/*_msb.txz extra-packages/


E pronto! Até aqui todo o MATE Desktop estará instalado em seu Slackware, restando apenas configurá-lo como o DE padrão, para tal, execute os comandos abaixo:

# exit
$ xwmconfig
Continua...

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Não quer compilar?
   2. Pacotes Testing
   3. Conclusão
Outros artigos deste autor

Turbinando o Bodhi Linux

Instalação do navegador Vivaldi no GNU/Linux

Apt-fast - turbinando o apt-get em distros Debian-like

Chakra GNU/Linux

Instalação do driver Nvidia no Debian e em distros derivadas

Leitura recomendada

Criando uma ajuda mais aprimorada

Skype: Restringindo acesso não autorizado usando firewall Linux

O papel do GNU/Linux na atualidade

Biblioteca Linux - Mais além do desktop

Instalando o Fedora Core 5 via NFS

  
Comentários
[1] Comentário enviado por removido em 26/10/2016 - 20:54h

Era o que eu precisava.

Valeu!

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Nem direita, nem esquerda. Quando se trata de corrupção o Brasil é ambidestro.
(anônimo)

Encryption works. Properly implemented strong crypto systems are one of the few things that you can rely on. Unfortunately, endpoint security is so terrifically weak that NSA can frequently find ways around it. — Edward Snowden

[2] Comentário enviado por kowalskii em 27/10/2016 - 08:15h

Ótimo artigo, impossível ser melhor explicado que isso.
Obrigado por compartilhar

[3] Comentário enviado por willian.firmino em 27/10/2016 - 08:42h

Tem alguma vantagem em relação ao XFCE que ao meu ver é excelente?

[4] Comentário enviado por fate em 27/10/2016 - 09:31h

Muito bom!

O MATE se situa entre o XFCE e GNOME 3. Velocidade, beleza e funcionalidade.

[5] Comentário enviado por izaias em 27/10/2016 - 10:49h

Ótimo artigo!
Não sou simpático ao MATE, mas é puro preconceito. Nunca testei. rs
Mas já comprovaram, é ambiente leve e atualmente muito personalizável.

Sou adepto ao Slackpkg+, mas com Bob um pouco distante e tendo que correr atrás do sustento depois que foi demitido da IBM, talvez o MATE não possa ser atualizado com a frequência de acordo com a folosofia do Slack, que valoriza pacotes estáveis.


[6] Comentário enviado por edps em 27/10/2016 - 19:56h

@listeiro_037, @kowalskii, @willian.firmino, @fate e @izaias, obrigado pelos comentários.

@willian.firmino eu até que gosto do XFCE, mas acho o MATE mais completo que ele, embora necessite de uma série de pacotes para ser compilado no Slack, coisa que o XFCE não requer. Definitivamente é o Gnome2 melhorado e atualizado, outra questão é a sua atualização contínua, coisa que não ocorre no XFCE.

@fate: funcionalidade era uma coisa que bem definia o Gnome2 (e agora o MATE).

@izaias, o MATE para o Slackware é mantido pela dupla Chess Griffin & Willy Sudiarto Raharjo, já o Slackpkg+ creio que continue sendo mantido pelo autor Matteo Rossini.

[7] Comentário enviado por izaias em 27/10/2016 - 20:09h


[6] Comentário enviado por edps em 27/10/2016 - 19:56h

@izaias, o MATE para o Slackware é mantido pela dupla Chess Griffin &amp; Willy Sudiarto Raharjo, já o Slackpkg+ creio que continue sendo mantido pelo autor Matteo Rossini.


Pensei que fosse pelo tio Bob.
Estou desatualizado. :)

VLW

[8] Comentário enviado por kowalskii em 04/08/2017 - 10:09h

Só pra constar, se no primeiro método eu substituir lftp -c "open http://slackware.org.uk/msb/14.2/1.16/; mirror x86_64" por lftp -c "open http://slackware.org.uk/msb/14.2/1.18/; mirror x86_64" instala o mate 1.18 e funciona perfeitamente :D
Mais uma vez, obrigado pelo excelente tutorial.
-----------------------------------------
---- Linux Counter #606350 ----

[9] Comentário enviado por edps em 04/08/2017 - 20:02h


[8] Comentário enviado por kowalskii em 04/08/2017 - 10:09h

Só pra constar, se no primeiro método eu substituir lftp -c "open http://slackware.org.uk/msb/14.2/1.16/; mirror x86_64" por lftp -c "open http://slackware.org.uk/msb/14.2/1.18/; mirror x86_64" instala o mate 1.18 e funciona perfeitamente :D
Mais uma vez, obrigado pelo excelente tutorial.
-----------------------------------------
---- Linux Counter #606350 ----


Thanks pelo retorno @kowalskii.

Você também pode utilizar o repositório latest, assim a questão de mudança de releases será irrelevante:

$ lftp -c "open http://slackware.org.uk/msb/14.2/latest/; mirror x86_64"

* mas geralmente sempre ocorre um delay em relação a arquitetura x86!

IntÈ!

[10] Comentário enviado por kowalskii em 09/08/2017 - 13:20h

Bom saber, obrigado pela informação @edps
Abraço
-----------------------------------------
---- Linux Counter #606350 ----


Contribuir com comentário