Do Ubuntu ao Arch

O objetivo deste pequeno artigo é apenas fazer o leitor (usuário iniciante) refletir sobre a possibilidade de migrar para o Arch Linux.

[ Hits: 27.567 ]

Por: Xerxes Lins em 11/08/2009 | Blog: https://voidlinux.org/


Quer o Arch?



Talvez você pergunte: "Por quê diabos eu migraria para o Arch Linux?". Ofereço algumas respostas, escolha as que mais o agradar:

1. Porque é muito divertido "construir" o sistema quase do zero ao seu gosto.

2. Porque durante o processo de instalação pode-se aprender alguma coisa.

3. Porque o o Arch Linux é um sistema moderno, sempre com as versões mais atuais dos programas.

4. Porque o Arch Linux é "rolling release", ou seja, você só precisa instalar o sistema uma vez, o que evita ficar baixando novos CDs a cada nova versão.

5. Porque você pode executar o comando para atualizar todos os pacotes sem ficar no suspense se isso vai ou não quebrar o sistema, ou seja, a ferramenta do sistema não abre a possibilidade para ferrar com o mesmo.

6. Porque o Arch Linux é otimizado para arquitetura i686 e x86_64.

7. Porque é possível criar seus pacotes para o Arch Linux de maneira relativamente fácil.

8. Porque para o Arch Linux há um repositório de pacotes criado e mantido pelos próprios usuários e, através de votação, os pacotes desses repositórios podem se tornar oficiais.

9. Porque o Arch Linux proporciona a experiência de usar um sistema leve e enxuto.

10. Porque se você não gostar da experiência, terá argumentos sólidos para justificar a escolha de outra distribuição.

Antes de querer instalar o Arch Linux você precisa saber de algumas coisas. É importante saber que ele foi feito para arquiteturas i686 em diante. Quer dizer que se sua máquina for muito antiga, talvez não suporte o Arch Linux. Para obter essa informação use o comando:

uname -a

Que resultará em algo mais ou menos assim:

Linux archlinux 2.6.30-ARCH #1 SMP PREEMPT Fri Jul 31 18:10:38 UTC 2009 i686 AMD Sempron(tm) Processor 2800+ AuthenticAMD GNU/Linux

Muitas distribuições são "genéricas", feitas para todas as arquiteturas, como por exemplo, Ubuntu e Slackware. Porém há quem diga que uma distribuição compilada especificamente para um determinada arquitetura possui um maior desempenho. Essa é também a filosofia da distribuição Gentoo, onde o usuário define todos os parâmetros de compilação.

Outra coisa: se sua conexão for ruim, não o aconselharia a instalar o Arch Linux. Ele é constantemente atualizado, sempre haverá uma coisinha para baixar/atualizar. Além disso, o processo de construção do sistema requer conexão com a internet.

Outra coisa que você precisa saber é que instalar e configurar o Arch Linux leva um pouco de tempo. No Ubuntu é tudo rápido, basta seguir sete passos e esperar alguns minutos. No Slackware também, basta escolher instalação "full", esperar um pouco e estará quase pronto. Prepare-se para gastar um dia inteiro na instalação e configuração do Arch Linux. Mas claro que se sua conexão for boa, você terminará mais rápido.

Tem gente que acha que um dia é muito tempo para instalar e configurar um sistema, mas se lembrarmos da distribuição Gentoo, veremos que um dia não é nada, pois nele, devido a compilação, o usuário pode levar três dias ou mais para deixá-lo usável.

Com certeza há pessoas que fazem tudo de forma mais rápida, devido a prática, porém, só estou avisando para que você não se sinta frustrado se não estiver com o sistema "redondinho" logo após ter terminado de baixá-lo.

Princípio da baboseira

Gostaria de me expressar sobre um assunto que pode parecer confuso para usuários iniciantes.

Dizem que a filosofia do Arch Linux é semelhante à filosofia do Slackware: simplicidade acima de tudo. Isso pode parecer estranho, e talvez você pense: "Se simplicidade é essencial, por que diabos o o Slackware não resolve dependências? E porque o Arch Linux não oferece instaladores gráficos como o Ubuntu? Parece que essas distribuições não tem nada de simples, só complicam! O Ubuntu sim, preza pela simplicidade!".

É importante ressaltar que não devemos confundir simplicidade com facilidade. Os princípios "KISS" (Keep It Simple, Stupid) e o "Keep it simple, keep it lightweight" dizem que se algo pode ser feito manualmente, através de edição de textos, não é necessário utilização de ferramenta em modo gráfico, pois isso seria adicionar algo ao processo, tornado-o desnecessariamente mais complexo e menos leve.

Há também os que são da opinião de que ferramentas gráficas em excesso podem mascarar o que realmente está acontecendo com o sistema e isso pode impedir que o usuário resolva eventuais problemas, que exigiriam um conhecimento daquilo que está por baixo da capa gráfica.

Minha visão a respeito disso é apenas uma: baboseira!

O usuário não quer saber mais do que o suficiente para realizar suas atividades rotineiras, porém, como muitas vezes não tem escolha, em se tratando de Arch Linux, ele forçosamente acaba tendo que aprender a editar arquivos de texto para configurá-lo. Essa é a verdade.

O objetivos do programador é realmente facilitar a vida do usuário, ele é quem tem que conhecer o que ocorre com os programas em níveis mais baixos, o usuário não tem obrigação de entender TUDO o que está acontecendo por trás das ferramentas gráficas de configuração. Claro que quanto mais conhecimento, melhor. Mas não há nada que indique que a forma mais trabalhosa seja mais eficiente que fazer as coisas de forma mais intuitiva.

Tempo é algo precioso e não pode ser desperdiçado na realização de certas tarefas hierarquicamente inferiores ao objetivo real do usuário. É para isso que os programadores são pagos.

"Se não quer trabalho, não migre para o Arch, continue com o Ubuntu!", alguém poderá dizer. Acontece que você pode querer migrar para o Arch Linux, não porque gosta de trabalho, mas porque acha que ele oferece certas vantagens sobre o Ubuntu ou outra distribuição e, principalmente, porque depois da fase trabalhosa de instalação e configuração, ele se torna tão fácil de usar e manter quanto qualquer outra distro. Na verdade a manutenção do Arch Linux é ainda mais fácil que a do Ubuntu.

Princípios que podem ser expressos na forma de acrônimos, muitas vezes, não devem ser levados muito a sério. Saiba que se o "KISS" fosse algo para ser seguido à risca, o Arch Linux também não resolveria dependências, assim como o Slackware, mas ele resolve! E se a falta de ferramentas gráficas fosse um característica sempre seguida, o Slackware não teria o Pkgtool e outras ferramentas "ncurses" que facilitam e muito a vida do usuário na hora de configurar e instalar o sistema.

Filosofias, princípios, objetivos, "feitas para usuários X", "feitas para usuários Y", blablabla... Esses rótulos não significam nada. Em se tratando de Linux, não é o usuário que deve se adequar ao sistema, mas o sistema é que se adéqua ao usuário.

Achar que a distro diz algo sobre o usuário é puro preconceito. Há iniciantes que usam Slackware, há "experts" que usam Ubuntu. Tudo depende de gosto, da função do sistema e também de quanta documentação e ajuda o usuário é capaz de encontrar na internet.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Quer o Arch?
   2. Por onde começar
Outros artigos deste autor

Brutal DOOM no Linux Mint (Ubuntu)

Porque eu uso Linux Mint

Gnome-shell sob a perspectiva da usabilidade

Acesso remoto pela Internet de forma simples usando TeamViewer

Mamãe, quero Slack! (parte 2)

Leitura recomendada

Linux Mint 7 Gloria

Nova geração Linux

Guia (nem tanto) Introdutório do Linux

Diminuindo o cansaço da visão por uso prolongado de PCs, tablets, smartphones ou qualquer dispositivo que emita luz de LED

Transformando seu Windows em um quase Linux

  
Comentários
[1] Comentário enviado por removido em 11/08/2009 - 11:36h

Deixa eu ver. O Artigo não fala de Benchmarks, não fala sobre o processo de instalação(graus de dificuldade, interface gráfica), filesystem default, e ainda tem um título bastante "Capcioso" do Ubuntu a distro X, para usar de método de comparação entre a facilidade de uma distro com as vantagens da migração para a outra.

Acho que precisamos de matérias mais "imparciais" aqui, pois é todo mundo querendo vender o peixe de uma distro falando que é mais "performático pq é compilado", mas não cobrindo o processo de compilação do gerenciador de pacotes, as flags utilizadas pelo compilador, patches feitos pelos empacotados a compilação de Kernel em si(pq não adianta ter uma máquina Core 2 Duo, e um Kernel i686/i586 "generic"). Sei que temos matérias excelentes, e que cobrem isto aqui sobre o Gentoo/Arch por serem as distros "mãe" neste tipo de atitude(pacotes compilados).

E comparar antiguidade de uma meia dúzia de pacotes, ou metodo de releases(se com datas marcadas, ou incrementais em datas caóticas) também não define a competencia de uma distro.

Quanto a pacotes "desnecessários", é só não os instalar no processo de instalação ao invés de utilizar o "default", e se instalar, apt-get remove, yum remove, removepkg....ETC. Aprenda a ferramenta.

Enfim, achei a matéria muito unilateral. É muito bom fazer "propaganda" de distro, mas as ferramentas tem que ser bem melhor abordadas que uma "perfumaria superficial". Existem mais distros que "compilam os pacotes" os deixando mais performáticos, mas a escolha e a boa utilização das ferramentas é que dá a diferença...

[2] Comentário enviado por PuroOsso em 11/08/2009 - 11:42h

É por isso que gosto do meu amigo Ironmaniaco!! E também é por isso que nem acesso mais isso aqui...

#doaaquemdoer

o/

[3] Comentário enviado por xerxeslins em 11/08/2009 - 11:50h

Ironmaniaco, obrigado pelo comentário.

Porém, a descrição do artigo não diz que o mesmo tratará de instalação, compilação e utilização de ferramentas. Como foi dito, o seu objetivo é fazer o usuário iniciante (que não sabe nem compilar kernel), refletir sobre a possibilidade de experimentar o Arch, para talvez, se gostar, migrar.

Por tanto, acho que não enganei ninguém com esse artigo.

Compreendo que você possa ter ficado "sentido", mas em todo artigo, subtende-se que seja opinião pessoal do autor. A minha opinião é que vale a pena migrar do Ubuntu para o Arch.

Abraço.

[4] Comentário enviado por removido em 11/08/2009 - 12:06h

Primeiro, obrigado por não ter interpretado como "flame" o comentário ;) Muita gente não sabe separar este tipo de crítica de comentário de "egos de distro".

Bom, sei que o usuário final não compilará Kernel, ou que não terá este tipo de conhecimento, e por isso mesmo uma "troca de distro" pode ser traumática então, ao invés de aconselhar a Trocar de distro, seria bom aconselhar a rodar em uma VM primeiramente, para ver se as ferramentas utilizadas são as que ele procura (pois, se der pau no Modem 3G dele, e ele REALMENTE for um usuário final, ele pode não achar muita documentação "amigavel" na internet, e em outras distros, pode funcionar "Out Of The Box").

Para provar performance, precisamos de Benchmarks, e para provar que realmente um usuário final PODE migrar, apenas performance não é o argumento único ;)

E, não fiquei "sentido". Apenas acho que "migrar de sopetão" da distro X para a Y sem detalhes maiores não é algo muito agradável.

A frase "sim eu posso migrar para o Arch" soa muito bonita, mas outras questões devem ser levantadas em uma migração de distro para usuário final, já que este era o foco... ;)

[5] Comentário enviado por xerxeslins em 11/08/2009 - 12:11h

Ironmanico,

Sim, testar numa máquina virtual antes de migrar é uma boa dica que não pensei durante a elaboração do artigo. De toda forma, o leitor terá algumas informações que podem ajudá-lo a refletir sobre o assunto.


[6] Comentário enviado por junior em 11/08/2009 - 17:04h

Gostei do artigo e são apenas ponderações e opiniões a respeito de uma POSSÍVEL migração para o Arch. Um dos maiores evangelistas do Arch que vi aqui no VOL foi o eu!noel! (tá vivo ainda).

O usuário que irá definir se quer usar uma máquina virtual, se vai rodar Virtual Box no Ubuntu, VMWare no Windows, Hyper-v, usar todo o disco e enfim.

Claro que muita gente cai de pára-quedas aqui e acha que o artigo vai ensinar a tornar o Arch "tão fácil quanto" o Ubuntu. Porém o que faz o Linux interessante é o "garimpo" que precisa ser feito atrás das informações.

Valeu Xerxes, uma leitura indicada a quem pensa em trocar de distro.

[7] Comentário enviado por marcosroriz em 11/08/2009 - 19:16h

Até quando irão publicar esses textos rápidos e superficiais como 'artigo' no VOL?
Por favor pessoal, trabalhe mais no seu artigo não publiquem 'posts pessoais' como ARTIGO.

[8] Comentário enviado por marcosroriz em 11/08/2009 - 19:29h

Esqueci de acrescentar...:
Não leve a crítica pessoal mas ultimamente até reflexões filosóficas de banheiro está virando artigo

[9] Comentário enviado por removido em 11/08/2009 - 19:42h

Superficial e desrespeitoso são comentários como esses que não acrescentam em nada. Isso aqui é uma comunidade livre e não um jornal. Qualquer membro tem o direito e liberdade de publicar o que lhe der na telha, e se os moderadores ao revisarem não encontraram o porque não publicar ou o porque não publicar como artigo, não acho que caiba a você decidir. Ou será que você se acha mais qualificado que o Fábio?

Quanto ao artigo, eu gostei, e não porque uso o Arch Linux. Poderia até ser do Ubuntu ao Slack ou Ubuntu ao Fedora. O autor nada mais fez do que apontar as vantagens de uma distribuição em relação a outra sem que com isso desmereça a outra distribuição.

[10] Comentário enviado por marcosRoriz em 11/08/2009 - 19:52h

@wdmatheus
Sem querer generalizar, esses artigos estão transformando o VOL em um 'blog'.
E mesmos 'artigos' pessoais estão cada vez menos técnicos.
No meu ponto de vista a seção Artigo do VOL não é para blog.

PS: Também uso o Arch Linux.

[11] Comentário enviado por removido em 11/08/2009 - 20:05h

Olha Marcos, foi graças a um membro que também desceram a malha acusando de publicar "artigos pessoais" que eu descobri o Arch Linux. Graças aos artigos do noel hoje eu sou um usuário Arch.

Talvez sobre o seu ponto de vista artigos como esse não tem lugar aqui no VOL, mas essa com certeza não é a opinião de todos. E por ser uma comunidade onde a liberdade vem acima de tudo (Viva o Linux - Porque nós amamos a liberdade) devemos tomar cuidado com comentários desse gênero, afinal de contas, o que é bom para mim não é para você mas nem por isso vou criticar o que é bom para você porque nossas preferências não são as mesmas.

Em minha opinião, além de não acrescentar em nada, nem em estimulo ao autor para melhorar os artigos se fosse esse o caso (o que não é), comentários assim são desrespeitosos não somente com o autor do artigo, mas também com o moderador que aprovou a publicação do mesmo.

Será que esse não é o caso de guardar sua opinião para você mesmo?

Por favor não me leve a mal, apenas comentei aqui por achar que seu comentário foi desrespeitoso com um membro da comunidade. Teria feito o mesmo se as posições fossem inversas.


[12] Comentário enviado por marcosRoriz em 11/08/2009 - 20:51h

wdmatheus,

Não leve minha crítica como algo negativo, não estou apenas criticando o autor do 'artigo' mas também essa categoria de artigos.
A minha preocupação é o desvio da escrita de artigos para textos pessoais e comuns.

Concordo com a liberdade, acredito que todos têm a liberdade de se expressar. Porém é mais fácil e produtivo se expressar na categoria correta.
E não, não concordo que devo guardar a minha opinião, pois sou livre para criticar o que não concordo.

Quase não visito mais o VOL, como o colega 'Ironmaniaco', meu motivo é devido a imaturidade de alguns membros da comunidade.

[13] Comentário enviado por pinduvoz em 11/08/2009 - 21:58h

Eu acho que cada um lê o que lhe interessa, havendo aqui espaço para todo tipo de texto.

E se eu leio um texto e não gosto, não vou dizer isto na seção de comentários (não paguei nada para ler, por que, então, vou reclamar?), mas sei que alguns membros vão.

Como conclusão, tenho a dizer que "agüentar" comentários desagradáveis faz parte da experiência de publicar um texto aqui ou mesmo de viver em sociedade. É a vida, pessoal.

----

Adendo:

Xerxes, parabéns não pelo texto (do qual gostei), mas por vc estar se dedicando a este espaço (o VOL) como poucos.

[14] Comentário enviado por xerxeslins em 11/08/2009 - 23:18h

wdmatheus, obrigado por dar sua opinião e mostrar que nem todos os usuários compartilham da visão do Marcos.

Realmente não espero que minhas contribuições agradem a todos... E como você disse, se o dono do VOL aprovou, é porque trata-se um material publicável, mesmo que não seja uma maravilha.

--

Marcos: obrigado por expressar sua opinião, no entanto, se queremos o bem do VOL, talvez fosse mais eficiente reclamar menos e trabalhar mais.

Se eu tivesse o conhecimento que você tem (de acordo com seu perfil) talvez eu conseguisse criar artigos mais técnicos. Eu apenas dou a minha humilde contribuição, dentro daquilo que eu posso oferecer. Além disso, você não é obrigado a ler esse tipo de material, se ele o desagrada. Mas claro que pode dar sua opinião e eu sou grato a isso, pois me incentiva a aprender mais.

--

Pinduvoz: obrigado =]

Digo o mesmo para você!






[15] Comentário enviado por marcosRoriz em 11/08/2009 - 23:34h

@xerxeslins
Não quis desmerecer seu texto, só acho que ele não está adequado a categoria de artigo. Isso não quer dizer que o seu texto está ruim ou bom, pessoalmente existe pontos interessantes como você retratou muito bem as principais características do Arch Linux.

Infelizmente eu não tenho tempo para produzir 'artigos', estou no sexto período de Ciência da Computação na Universidade Federal de Goiás e também estou envolvido em um projeto de Iniciação Científica (GingaCDN). O pouco tempo que me resta posto 'textos' no meu blog sobre algumas percepções, opiniões e análises do mundo open source. Ex de texto/reflexão: 'Qual a melhor distribuição GNU/Linux' ---> http://marcosroriz.wordpress.com/2009/06/07/melhor-gnulinux/

Para saber um pouquinho mais do projeto que estou atualmente envolvido ---> http://marcosroriz.wordpress.com/2009/07/22/projeto-gingacdn/

[16] Comentário enviado por xerxeslins em 11/08/2009 - 23:36h

@marcosRoriz,

Legal! Fiquei curioso sobre esse seu texto =]

Vasculharei um pouco seu site.

Abraço

Editado posteriormente: uma ideia seria vc publicar no vol os seus textos, já que estão prontos (bastaria praticamente copiar e colar). Talvez eles atinjam um público maior. Mas eh so uma sugestão.

[17] Comentário enviado por marcosRoriz em 11/08/2009 - 23:52h

@xerxeslins

Obrigado, hehe ;)
Quando tiver um tempinho vou dar uma revisada/melhorada/incrementada/ufa! e adiciono, os textos, aqui depois. :D

Confesso que fui um pouco agressivo nas minhas palavras, vou tentar manerar meu linguajar.

PS: Também gostei muito do seu artigo sobre Samba no Arch :O (não é puxação de saco)!! :)

[18] Comentário enviado por corvolino em 12/08/2009 - 02:49h

começou bem e depois fez uns cagada..

não precisa necessariamente ter conexão rapida para usar o arch e não se perde um dia inteiro para configurar o sistema.

ta precisando ler isto: http://wiki.archlinux-br.org/O_jeito_arch_de_ser

abraços e viva o arch. ;)

[19] Comentário enviado por luizvieira em 12/08/2009 - 08:56h

Xerxes, parabéns pelo texto, meu caro!
Depois de ler uns textos do eunoel e o seu, decidi baixar o Arch e testar aqui no VirtualBox inicialmente. Vamos ver no que dá :-)
[ ]'s

[20] Comentário enviado por xerxeslins em 12/08/2009 - 09:05h

@Corvolino,

Acho que sei a partir de quando você diz que começa a "cagada", heuahuea... É quando eu digo que os princípios e o KISS são baboseira.

Pois é, eu conhecia essa filosofia do Arch, simplesmente acho que posso usá-lo do jeito que quiser sem me importar com esses princípios. E nessa relação de princípios que você passou, diz :"Arch é isso, faz aquilo, nunca terá isso...", mas em determinado momento diz: "Ela é o que você faz dela.", sendo assim, o usuário não precisa seguir nada do que foi dito. Acho que o sistema se adéqua ao usuário e não o contrário.

Eu bato um pouco nessa tecla, as vezes. Eu gosto de facilidade. Porque tem gente que lê esse texto: "O jeito Arch de ser", e gosta e diz: "vou migrar!", e outra pessoa lê e depois diz:"credo! vou migrar não!", sendo que nem sequer testaram a distro!

Eu gosto de um monte de coisas do Arch, mas não sou fan, simplesmente "suporto" o pequeno desconforto da demora da instalação para poder usufruir de uma facilidade maior posteriormente.

Eu não disse que precisa de conexão rápida pra usar o Arch =P

E dependendo da sua conexão, acho que PODE levar um dia, sim, pra configurar o Arch, já que ele vem pelado.



Editado posteriormente:

no arquivo que você me passou diz:

* pacman: precisa de uma conexão rápida com a Internet para estar sempre atualizado com facilidade

=P

[21] Comentário enviado por xerxeslins em 12/08/2009 - 09:06h

@luizvieira,

Legal! Tomara que goste!

[22] Comentário enviado por removido em 12/08/2009 - 11:42h

xerxelins,
escrever sobre o arch e sinonimo de dor de cabeca,
nao importa o que se escreve e nem como se escreve,
os fanboys sempre vao meter o pau ....

ps: Desculpe a falta de acentos e que reinstalei o OpenBSD e nao configurei o teclado ainda ...

[23] Comentário enviado por xerxeslins em 12/08/2009 - 12:00h

@eu!noel!

Olá! Sim, é verdade! E logo você que contribuiu como pôde para a divulgação do Arch acabou sofrendo um pouco de preconceito...

Abraço!

[24] Comentário enviado por albfneto em 12/08/2009 - 17:36h

os tutos do eu!noel, são também detalhados...! Arch é bom!.
minhas Distros favoritas são Gentoo e Gentoo like, elas tem mais o meu jeito, mas eu gosto mais de Arch que de Ubuntu ou debian like.
arch é rápido e muito eficiente!
em meus testes, só gentoo é mais rápido que arch!
as críticas, realamente não sei porque, não é porque o Arch é para usuários avançados, pq tenho escrito sobre o gentoo, e o gentoo é tb para usuarios avancados, eu acho até mais difícil do que arch ou slackware.
o usuario neófito, minha opinião, realmente até conseguiria usar Arch ou Sabayon, mas nao conseguiria usar Gentoo, Gentoo clássico.

[25] Comentário enviado por xerxeslins em 12/08/2009 - 18:02h

@albfneto,

eu também penso o mesmo que você =]

Já testei o Gentoo, mas apenas testei,
e vi que ele é mais complicado de manter do que eu imaginei.

Acostumado com o Arch, achei que o gentoo era só questão de instalação. Que passado essa fase,
eu poderia desfrutar dele tão facilmente quanto do Arch.. ledo engano!

Apesar ter um gerenciador poderoso.. (talvez o mais poderoso de todas as distribuições linux),
não basta ficar usando os comandos e esperar ele fazer o serviço. Por vezes é preciso desmascarar,
por outras vezes não é bom atualizar e nao eh bom fazer outras coisas mais que nao lembro...

Gentoo é um sistema melindroso!

Em breve pretendo reinstalar o Gentoo no HD (nao deixar no virtualbox). principalmente porque voce o testou em comparação ao Arch
e viu qual era o mais rápido.

Lamento muito que nao exista tanto material em portugues atual para o Gentoo .. sao raros assim como estao se tornando
os seus usuários

Será que um dia veremos no VOL, um artigo ensinando como instalar e configurar o Gentoo
para marinheiros de primeira viagem, dando todas as dicas e macetes necessários para evitar dor de cabeça?
seria fenomenal

Abraço

[26] Comentário enviado por mcnd2 em 12/08/2009 - 18:13h

Muito bom Xerxes...Parabéns.

Vou fazer como o luizvieira descreveu. Vou baixar o Arch e instala-lo no VirtualBox e ver no que vai dar.
Mais o melhor mesmo e instala-lo direto no Hd para ver sua performace (qualquer distribuição) e assim ter um concepção real da distribuição.
Como eu!noel esta testando o OpenBSD, creio que foi direto instalado no HD por isso ele está com o teclado ainda desconfigurado, hehehe...
Testei o PC-BSD no VirtualBox mais não consegui inicia-lo, por isso acho melhor testa qualquer distribuição direto na máquina real, pois ai sim você poderá correr atrás do real problema que está acontecendo.
Só lembrando que começei com o Linux pelo VirtualBox e hoje, uso depois de passar por algumas distribuições como Conectiva, Kurumin, OpenSuse, Feather, Ubuntu, etc..., uso atualmente o Debian 5 e para mim está de bom tamanho, suprindo com minhas necessidades.
Mas como sou bastante curioso de aprender, vou baixar o Arch, como disse acima e instala-lo direto no HD (HD que está com o Windows 7 que estava testando), ou até instala-lo o PC-BSD para ver o que acontece...

Vlw...

[27] Comentário enviado por osmano807 em 12/08/2009 - 21:16h

Gostei, migrei pro Arch faz muito tempo, nunca me arrependi. Uma coisa boa é: se eu instalar um pacote, ele faz o backup das configs dele, todos os arquivos .conf são feitos backup, até do próprio pacman.

[28] Comentário enviado por removido em 12/08/2009 - 23:34h

Como eu!noel esta testando o OpenBSD, creio que foi direto instalado no HD por isso ele está com o teclado ainda desconfigurado, hehehe...
Eu só testo instalando direto no hd, só uso virtualbox para fazer tutos ...

Gentoo é um sistema melindroso!
Gentoo é o sistema mais "filhão" que existe,ou seja, tem sempre que estar olhando o que ele está fazendo .... rs rs rs rs rs
Pena está "meio abandonado" pelos seus mantedores ...

Será que um dia veremos no VOL, um artigo ensinando como instalar e configurar o Gentoo
para marinheiros de primeira viagem, dando todas as dicas e macetes necessários para evitar dor de cabeça?
seria fenomenal

eu fiz algo parecido, está bem mastigado :

http://www.vivaolinux.com.br/artigo/Instalando-o-Gentoo-Linux-atraves-do-livecd-do-Ubuntu/

[29] Comentário enviado por oliveiraugusto em 14/08/2009 - 11:56h

li o artigo..li os comentários...não sou um expert em Linux...mas concordo com o Ironmaniaco...mas de uma óptica semelhante...

em vez de incentivarmos os usuários finais a mudarem para essa distro ou aquela distro..temos que nos preocupar em fazer o usuário cada vez mais simplificar o uso de sua maquina.. e não ficar trocando de distro o tempo todo... senão o usuário vai ver um artigo falando de X distro e vai mudar... Y distro..vai mudar dinovo..assim nunca um usuário ira aprender realmente a utilizar uma distro em plenitude..sempre ficara na superfície de todas elas (quem diz que muito sabe, na verdade sabe não sabe de nada)...

o usuário final tem que se preocupar em executar suas tarefas de forma pratica e rápida, e não perder tempo com trocas muito loucas de distros...

mais o artigo para quem quer migrar de outro SO para linux é muito boa...

falou...

[30] Comentário enviado por eldermarco em 14/08/2009 - 23:17h

Parabéns pelo artigo meu caro. Lendo ele, me deu uma curiosidade de testar e conhecer um pouco o Arch Linux. Assim que possível vou baixar e testar no VirtualBox. :)

[31] Comentário enviado por C.Joseph em 04/09/2009 - 15:39h

Li Esse artigo enquanto navegava na net com meu Ubuntu 9.04, tinha curiosidade de usar o Arch mas nunca parei para pesquisar sobre. Após ler o texto me senti tentado a usar a distro e agora posto esse comentário dela. Gostei muito do Arch porque essa distribuição GNU/linux me fez voltar ao tempo em que quando usava Slackware editava os arquivos de texto, e fazia as configs necessárias mais com os terminais abertos do que usando qualquer GUI, e quando falo de uso de GUI, é porque volta e meia alguma configuração do KDE fazemos pelo centro de controle por exemplo.

Sempre testo várias distros para conhecer seu jeito de trabalhar, e Além do Debian, e Slackware, Arch ganhou um espaço junto a essas duas distros que gosto bastante. Realmente enquanto uso essa distro, vejo que, para quem quer mesmo um sistema que você mesmo possa "montar" da maneira que for mais agradável e com o que você vai usar mesmo, o Arch é a escolha certa (deixando claro que existem outras e distro é questão de escolha).

O artigo foi interessante, já que estava com a distro Ubuntu instalada a pouco tempo foi uma boa para testar mais uma em minha máquina, pois planejo fazer umas trocas no meu hardware (um hd maior é sempre bom :D) e conhecendo várias distros e chegando a usar o Arch, creio que ela seja uma forte candidata para ser um sistema GNU/Linux que manterei no meu computador como "A distro".

Um abraço a todos, e aqui vou eu para mais testes e descobertas nesse mundo do Arch Linux.

[32] Comentário enviado por knoa em 15/10/2009 - 11:20h

Parabens xerxeslins.
Sempre tive vontade de conhecer o slack e o arch mas nunca encontrei artigos tao simples de entender como os seus.
Estou usando o Slack 13 e o Arch, graça aos teus artigos.
Muito obrigado.

[33] Comentário enviado por landex em 06/06/2010 - 16:56h

Bom artigo. Cara eu teste o Arch no meu note, mas so consegui usar em texto, foi legal pois aprendi bastante. Pena que não consegui subir o video, voltei para o ubuntu.
Mas ainda vou testar o Arch no Virtual Box.
Great!!!

[34] Comentário enviado por landex em 09/06/2010 - 17:19h

Cara já tive muitos problemas em instalar o Arch, não consegui ainda. Mas um dia vai.

[35] Comentário enviado por ru4n em 17/03/2012 - 17:30h

A instalação pode ser demorada dependendo da conexão...

Quanto a configuração, não achei trabalhosa. Achei semelhante ao Slackware, porém, mais organizada.

[36] Comentário enviado por vitinho217 em 30/06/2014 - 11:08h

Exelente artigo, valeu !

[37] Comentário enviado por otaviobrito77 em 24/07/2014 - 16:39h

Excelente o artigo. Utilizei o windows até a versão 8. Mas pessoalmente achei muito floreio. Acabei migrando para o linux (muito embora já houvesse utilizado o sistema no trabalho). Como muitos, iniciei pelo Ubuntu... Muito simples, faz tudo por você, o que deixa um certo quê de preguiça no usuário (muito next, next, finish...). Só que o unity não me convenceu, achei muita informação na tela. Foi quando encontrei esse artigo. Primeiro que li a tratar do arch.

Baixei a iso do sistema e instalei no virtualbox (já tinha testado praticamente todas as distros mais usuais, fedora, suse, mint). Apanhei um bocado para fazer funcionar, depois foi instalar o gnome-shell, adorei (simples, clean e muito bem organizado). Não tive dúvidas, formatei o note e instalei o arch.

Em três meses de uso posso dizer que estou muito feliz com a distro, aprendi muito, tudo nela é uma aula... Coisas que no ubuntu são automáticas, aqui é no braço mesmo. A instalação de minha impressora epson wifi foi uma guerra para encontrar os drivers corretos (no ubuntu vem tudo na distro). Mas entendi que essa é uma das propostas do arch, basicamente só está instalado aquilo que você colocou. Nada de programas que você nunca vai usar...

Resumindo, indico o arch para quem tem vontade de descascar o sistema, de ir atrás das soluções. Depois de tudo pronto o sistema é ótimo e nada de ficar preocupado com lançamento de versões como no Ubuntu e etc. Adorei o pacman e os depositórios AUR (só não uso o yaourt, prefiro baixar e instalar com o makepkg mesmo).

Para quem está com receio de usar o arch, vá com fé. Como é a distro é utilizada por quem gosta de fuçar, tem muito material para quase todas as possíveis broncas que podem ocorrer.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts