Libertarianismo e semelhanças com Software Livre

Acredito que um artigo descrevendo as semelhanças do Software livre e a ideologia libertária, seja algo indispensável para o fórum.

[ Hits: 2.652 ]

Por: rootfs em 23/06/2017


Argumentos e considerações



Capitalismo

O Software Livre é o capitalismo na sua forma mais pura. Linus Torvalds, que criou o kernel Linux, lucra com ele. A Red Hat lucra milhões de dólares com Linux por ano. A IBM também. A Google também.

O ponto, é que por causa das 4 liberdades (falarei sobre nos próximos tópicos), Linus pode lucrar com o seu trabalho e todo mundo também pode. Se você quiser baixar o GNU/Linux gratuitamente, gravar num CD e vender, você pode, é totalmente legal. Basta você achar alguém que esteja disposto a pagar.

Você pode lucrar, mas não pode impedir os outros de fazer o mesmo, você vai lucrar apenas pelo seu esforço, sem possibilidade de carteis ou trustes. Eu venho lucrando com isso.

Os valores nunca foram estimados corretamente, mas algumas fontes apontam que a economia que foi feita por usar software livre no Governo, chegavam de R$ 150 milhões até R$ 500 milhões ao ano, usando Linux, LibreOffice e outras tecnologias livres que podem ser baixadas gratuitamente, ao invés de investir em produtos proprietários inferiores.

Livre mercado

O livre mercado é simplesmente uma matriz, onde os indivíduos praticam trocas livres e voluntárias.

O software livre é um grande exemplo de problemas resolvidos que não necessitam de um poder central (estatal), um exemplo de demanda sendo satisfeita não só sem Governos, mas também sem qualquer tipo de regulamentação.

A quantidade de software de código aberto existente, é surpreendente. Não só o software livre existe, mas há uma concorrência significativa entre ele, muitas vezes ainda maior do que com o software proprietário.

Liberdade individual

As quatro liberdades do software livre estão implícitas por ela e implicam a liberdade individual.

Aos que não sabem, o software livre prega quatro liberdades:
  • Usar;
  • Estudar;
  • Editar;
  • Redistribuir.

São expressões de liberdade individual. Com isso, a comunidade pode evoluir, em conjunto ao sistema e usufruir dele. Sistemas como o Linux e o *BSD, têm centenas de autores ao redor do mundo, O ponto, é por causa das 4 liberdades, Linus pode lucrar com o seu trabalho, e todo mundo também pode.

Se você quiser baixar o GNU/Linux gratuitamente, gravar num CD e vender, você pode, é totalmente legal. Basta você achar alguém que esteja disposto a pagar. Você pode lucrar, mas não pode impedir os outros de fazer o mesmo, você vai lucrar apenas pelo seu esforço, sem possibilidade de carteis ou trustes.

Voluntarismo

O voluntarismo é a ideologia que se opõe à agressão contra pessoas pacíficas e defende a liberdade individual acima de tudo, é uma corrente de pensamento que só reconhece, como corretas e válidas, as relações voluntárias sejam elas de qual espécie forem.

Aí você me pergunta o que isso tem a ver com Software Livre? Calma, Jovem! Vou chegar lá.

O direito fundamental de abrir um projeto, abrir seu repositório de código fonte e seu desenvolvimento para qualquer outra pessoa. Ou não fazê-lo, pois o Software Livre não exige o desenvolvimento de software por comunidade, mas se concentra unicamente nas liberdades trazidas pelo código.

Conclusão

Bom, era isso que eu tinha pra dizer.

Espero que com este pequeno artigo, você pare de associar, de forma errônea, o Software Livre à essas ideologias de esquerda!

Meu primeiro artigo aqui no VOL, qualquer erro apresentado, não pouparei esforços para que seja corrigido.

   

Páginas do artigo
   1. Argumentos e considerações
Outros artigos deste autor
Nenhum artigo encontrado.
Leitura recomendada

A síndrome do noob kalinista + como quebrar senha Wi-Fi

Software Livre e o Código de Defesa do Consumidor

Consumo de memória dos ambientes gráficos do GNU/Linux

Uma "fábula" sobre acessar e mapear unidades de rede do Windows no Linux

Oferta imperdível: Linux em promoção, somente hoje!

  
Comentários
[1] Comentário enviado por fabio em 23/06/2017 - 01:30h

Falou pouco mas falou bonito. Gostei da comparação entre SL e Libertarismo.

[2] Comentário enviado por kowalskii em 23/06/2017 - 09:56h

Muito bom, bastante claro e objetivo.
abraço
-----------------------------------------
---- Linux Counter #606350 ----

[3] Comentário enviado por hrcerq em 23/06/2017 - 10:14h

Mais claro impossível. Muito bom.

---

Atenciosamente,
Hugo Cerqueira

[4] Comentário enviado por lopesjv em 23/06/2017 - 10:35h

Isso é uma boa comparação, derruba com méritos a comparação que algum pessoal faz entre o Software Livre e o Comunismo

[5] Comentário enviado por raserafim em 23/06/2017 - 12:53h

O Software Livre é o capitalismo na sua forma mais pura. Linus Torvalds, que criou o kernel Linux, lucra com ele. A Red Hat lucra milhões de dólares com Linux por ano. A IBM também. A Google também.
É muito superficial fazer a relação do software Livre com o Capitalismo por meio do lucro (tanto para defender essa relação quanto para negá-la).

Não é o lucro que caracteriza o capitalismo; mas a propriedade privada dos meios de produção (seja ela força de trabalho, matéria-prima, meio de trabalho, espaço de trabalho).

Toda a dinâmica do lucro no capitalismo está subjugada a sua dinâmica em torno da propriedade privada.

A forma de organização social que tem como elemento central o lucro é o mercantilismo.

Ainda assim, é possível encontrar a forma do lucro nas formações sociais mesmo pretéritas ao mercantilismo -- embora cumpram um papel residual nessas dinâmicas sociais.

O software livre é um grande exemplo de problemas resolvidos que não necessitam de um poder central (estatal), um exemplo de demanda sendo satisfeita não só sem Governos, mas também sem qualquer tipo de regulamentação.
Nem o liberalismo nem o neoliberalismo defendem a ausência de um governo ou a ausência de regulamentações.

O que os neoliberais (e em larga medida também os liberais) costumam chamar de "Estado mínimo", "não protecionismo" e "não subsídios" (que são suas bandeiras) está muito longe de poder ser considerado "não governo" e "não regulamentações".

É preciso tomar cuidado com a carga semântica que traz as palavras. embora em "Livre Mercado" e em "Software Livre" apareçam, em ambos, a palavra "Livre", no entanto, elas possuem conteúdos bastante diferenciados em cada uma dessas expressões.

[6] Comentário enviado por clodoaldops em 23/06/2017 - 15:34h

Como nem todos produtos proprietários são inferiores, poderia apenas dizer:
ao invés de investir em produtos proprietários
Já vi muitos colegas se meter problemas por causa de uma palavra
No mais, gostei do artigo

[7] Comentário enviado por removido em 23/06/2017 - 18:30h

Infelizmente só playboys, talvez um pouco mais conscientes e do tipo menos hedonista, criados a ovomaltine e leite com pera ou não, podem usufruir no início de recursos para serem introduzidos ao universo das tecnologias de um modo que passe raspando do consumismo nerd muito em voga hoje.

Digo consumismo porque no momento o tal conceito de nerd/geek voltou-se para o lado de produtos colecionáveis, jogos de videogames ou consoles e desktops, produtos de ponta como smartphones, animes ou desenhos e filmes. Posso dar mais exemplos. São coisas que precisam de recurso$ para se adquirir ou vivenciar. Não está mais excluído do sistema, virou parte do sistema.

Pode-se falar dessas escolinhas que se estuda um pouco melhor tecnologia de informação de um modo que vise menos *o lucro*. Gostaria de saber de exemplos, um pouco mais abundantes. O capitalismo só se preocupa com ele mesmo. É como uma progressão geométrica com valores menores que 1. Elas tendem a zero. Quem não tiver valor suficiente desaparece.

Esse tipo de idealismo deveria inspirar as pessoas a serem melhores. A buscarem sua própria liberdade. Influenciar outras áreas das ciências, da filosofia, do conhecimento humano. Creio que estou fugindo completamente da intenção do artigo. Porém é impossível deixar de pensar nos últimos cinco séculos de história quando se quer mencionar capitalismo. A filosofia da FSF deveria ficar de fora disto, mesmo que não seja esta sua finalidade.

[8] Comentário enviado por ru4n em 23/06/2017 - 20:05h

Ótimo artigo!
--
Linux Counter: #596371

[9] Comentário enviado por jonatasNovais em 23/06/2017 - 21:57h

Um artigo curto mas com uma clareza fundamental. Parabéns!

[10] Comentário enviado por removido em 25/06/2017 - 20:03h

Resumindo: ninguém cria um projeto seja ele qual for, para não obter lucros.

[11] Comentário enviado por diegoleao em 26/06/2017 - 11:06h


[5] Comentário enviado por raserafim em 23/06/2017 - 12:53h

O Software Livre é o capitalismo na sua forma mais pura. Linus Torvalds, que criou o kernel Linux, lucra com ele. A Red Hat lucra milhões de dólares com Linux por ano. A IBM também. A Google também.É muito superficial fazer a relação do software Livre com o Capitalismo por meio do lucro (tanto para defender essa relação quanto para negá-la).

Não é o lucro que caracteriza o capitalismo; mas a propriedade privada dos meios de produção (seja ela força de trabalho, matéria-prima, meio de trabalho, espaço de trabalho).

Toda a dinâmica do lucro no capitalismo está subjugada a sua dinâmica em torno da propriedade privada.

A forma de organização social que tem como elemento central o lucro é o mercantilismo.

Ainda assim, é possível encontrar a forma do lucro nas formações sociais mesmo pretéritas ao mercantilismo -- embora cumpram um papel residual nessas dinâmicas sociais.

O software livre é um grande exemplo de problemas resolvidos que não necessitam de um poder central (estatal), um exemplo de demanda sendo satisfeita não só sem Governos, mas também sem qualquer tipo de regulamentação.Nem o liberalismo nem o neoliberalismo defendem a ausência de um governo ou a ausência de regulamentações.

O que os neoliberais (e em larga medida também os liberais) costumam chamar de "Estado mínimo", "não protecionismo" e "não subsídios" (que são suas bandeiras) está muito longe de poder ser considerado "não governo" e "não regulamentações".

É preciso tomar cuidado com a carga semântica que traz as palavras. embora em "Livre Mercado" e em "Software Livre" apareçam, em ambos, a palavra "Livre", no entanto, elas possuem conteúdos bastante diferenciados em cada uma dessas expressões.



Concordo!

É uma viagem total dizer que o software livre se alinha a uma outra ideologia. Na verdade, o processo de construção de softwares livres se configuram na contracorrente do atual momento em que vivemos em que se configura o predomínio de mega corporações capitalistas - muitas geradas em decorrência do capitalismo em seu estágio neoliberal.
O liberais e libertarianos do século 21 tem falado muitas vezes que não se vinculam ao chamado neoliberalismo. Contudo, é bem comum se associarem aos neoliberais politicamente. Um exemplo, é que muitos grupos no Brasil, entre eles o MBL se associaram a partidos políticos como o DEM e o PSDB, e além disso, defendem as principais proposições políticas desses setores.
Embora discorde muito do libertarianismo e desse novo (e também do velho) liberalismo os vejo como pessoas muitas das vezes bem intencionadas, porém ingênuas ou que estão satisfeitas com o status quo.
Muitas vezes acusam os socialistas de utópicos, contudo são mais utópicos do qualquer concepção política existente.

[12] Comentário enviado por removido em 26/06/2017 - 11:12h

Se for por ideologia, a licença BSD está mais "alinhada" com capitalismo do que as GPLs.

[13] Comentário enviado por dkegg em 26/06/2017 - 15:36h

A respeito dos comentários, só escrevi aqui as "semelhanças" de um, com o outro. Não quis de forma alguma associar uma ideologia à outra por completo. Conheço muitas pessoas que não usam Linux por achar que é coisa de socialista e que não vissa o lucro, de fato é facil associar alguns pontos de uma ideologia à outra e ignorar todo o resto. E para os outros usuários que escreveram sobre "neoliberalismo" é melhor ignorar.
Abraços.

[14] Comentário enviado por Dovakhin772 em 27/06/2017 - 08:53h

Sensacional, os esquerda pira usahaushuash

[15] Comentário enviado por removido em 28/06/2017 - 04:54h

Esquerda é o ?aralho!

[16] Comentário enviado por Santo-de-Deus em 28/06/2017 - 17:13h

Se for na questão econômica até vai...

[17] Comentário enviado por Cristian_Chaves em 29/06/2017 - 13:56h


[13] Comentário enviado por pedrobombig em 26/06/2017 - 15:36h

E para os outros usuários que escreveram sobre "neoliberalismo" é melhor ignorar.
Abraços.


Não acho que ignorar a opinião de um camarada, interessado na mesma discussão que você, seja conivente com qualquer tipo de valor "libertário", em qual sentido for.
O termo neoliberalismo tem um sentido histórico, e se tornou pejorativo por conta de seus muitos críticos, mas, insisto, ainda possui um sentido histórico. Não vem ao caso discutí-lo aqui, mas ignorar alguém porque o utilizou e simplesmente por isso, é mera ideologia, pra não dizer outra coisa.

Ademais, sobre as origens do movimento software livre, se nos concentrarmos nos hackers do MIT dos anos 1960, entre eles Linus, tem uma fonte diferente da que você propôs. Está mais relacionado com a cultura hacker e o movimento de contracultura dos anos de 1970.


Eu particularmente não acho a aproximação dos valores do movimento software livre com o liberalismo (ou como você chama, libertarianismo) impossível. De fato, Lawrence Lessig, por exemplo, é um liberal declarado e grande crítico da propriedade intelectual. Não vou repetir os colegas, no entanto acho que aproximações simplistas do tipo "Linus lucra com software livre (ou como os empresários gostam, open source) portanto software livre é capitalismo puro".

Enfim, a hipótese do artigo não é totalmente descartável mas como foi colocada é, digamos... só ideologia.

[18] Comentário enviado por bornado em 02/07/2017 - 07:07h


[11] Comentário enviado por diegoleao em 26/06/2017 - 11:06h


[5] Comentário enviado por raserafim em 23/06/2017 - 12:53h

O Software Livre é o capitalismo na sua forma mais pura. Linus Torvalds, que criou o kernel Linux, lucra com ele. A Red Hat lucra milhões de dólares com Linux por ano. A IBM também. A Google também.É muito superficial fazer a relação do software Livre com o Capitalismo por meio do lucro (tanto para defender essa relação quanto para negá-la).

Não é o lucro que caracteriza o capitalismo; mas a propriedade privada dos meios de produção (seja ela força de trabalho, matéria-prima, meio de trabalho, espaço de trabalho).

Toda a dinâmica do lucro no capitalismo está subjugada a sua dinâmica em torno da propriedade privada.

A forma de organização social que tem como elemento central o lucro é o mercantilismo.

Ainda assim, é possível encontrar a forma do lucro nas formações sociais mesmo pretéritas ao mercantilismo -- embora cumpram um papel residual nessas dinâmicas sociais.

O software livre é um grande exemplo de problemas resolvidos que não necessitam de um poder central (estatal), um exemplo de demanda sendo satisfeita não só sem Governos, mas também sem qualquer tipo de regulamentação.Nem o liberalismo nem o neoliberalismo defendem a ausência de um governo ou a ausência de regulamentações.

O que os neoliberais (e em larga medida também os liberais) costumam chamar de "Estado mínimo", "não protecionismo" e "não subsídios" (que são suas bandeiras) está muito longe de poder ser considerado "não governo" e "não regulamentações".

É preciso tomar cuidado com a carga semântica que traz as palavras. embora em "Livre Mercado" e em "Software Livre" apareçam, em ambos, a palavra "Livre", no entanto, elas possuem conteúdos bastante diferenciados em cada uma dessas expressões.



Concordo!

É uma viagem total dizer que o software livre se alinha a uma outra ideologia. Na verdade, o processo de construção de softwares livres se configuram na contracorrente do atual momento em que vivemos em que se configura o predomínio de mega corporações capitalistas - muitas geradas em decorrência do capitalismo em seu estágio neoliberal.
O liberais e libertarianos do século 21 tem falado muitas vezes que não se vinculam ao chamado neoliberalismo. Contudo, é bem comum se associarem aos neoliberais politicamente. Um exemplo, é que muitos grupos no Brasil, entre eles o MBL se associaram a partidos políticos como o DEM e o PSDB, e além disso, defendem as principais proposições políticas desses setores.
Embora discorde muito do libertarianismo e desse novo (e também do velho) liberalismo os vejo como pessoas muitas das vezes bem intencionadas, porém ingênuas ou que estão satisfeitas com o status quo.
Muitas vezes acusam os socialistas de utópicos, contudo são mais utópicos do qualquer concepção política existente.



Não confunda liberais com libertários cara,é uma graaaaande diferença.

Não é atoa que os maiores defensores do software livre são libertários ou anarquistas.
ps:"Muitas vezes acusam os socialistas de utópicos, contudo são mais utópicos do qualquer concepção política existente."
Por se ter argumentos sólidos,tanto historicos como lógicos pode se falar isso do socialismo sim meucaro (vide Bawerk ou Bastiat rsrs)

Agora falar que liberdade econômica é ruim assistindo os países como maior IDH são exatamente aqueles com menos regulação estatal e liberdade econômica rsrsrs vai falar de direitos trabalhistas nesses países rsrsrs o trabalhador tebate ao explicar nossos "direitos" que são obrigatórios kkkkkkkkkkkkk

[19] Comentário enviado por Gustavo_RdC em 03/07/2017 - 11:12h


[5] Comentário enviado por raserafim em 23/06/2017 - 12:53h

Nem o liberalismo nem o neoliberalismo defendem a ausência de um governo ou a ausência de regulamentações.

O que os neoliberais (e em larga medida também os liberais) costumam chamar de "Estado mínimo", "não protecionismo" e "não subsídios" (que são suas bandeiras) está muito longe de poder ser considerado "não governo" e "não regulamentações".



Me diga você o que é neoliberalismo? Simples: ele não existe. Não existem livros, autores ou pensadores que se declarem neoliberais. Você provavelmente aprendeu isso com sua professora de humanas que não faz ideia do que é liberalismo/libertarianismo. E antes que diga: Ronald Reagan e Margaret Tachter eram conservadores, nunca foram liberais. Desde Adam Smith até Rothbard, todos se definiram como liberais ou libertários. Uma dica? Leia mais Mises.

[20] Comentário enviado por vfaleiro em 29/10/2017 - 03:32h


[4] Comentário enviado por lopesjv em 23/06/2017 - 10:35h

Isso é uma boa comparação, derruba com méritos a comparação que algum pessoal faz entre o Software Livre e o Comunismo


Então, sim, existe e eu já vi bastante essa comparação entre Software Livre e Comunismo.
O que eu queria dizer é que, no meu ponto de vista, o argumento que mais derruba a comparação é o seguinte:

No Comunismo, como todos devem saber, a economia é planificada e existe apenas um planejamento centralizado dos meios de produção (ou seja, não existe um sistema de preços para definir valor sobre utilidade marginal ou mesmo oferta/demanda, raridade e disponibilidade), portanto o Comunismo daria certo se, e somente se, estivéssemos lidando apenas com recursos infinitos.
Além disso, existem ainda muitas outras falhas na lógica e nos fundamentos do Comunismo, como por exemplo um controle centralizado não-opcional (lembre-se que ninguém nunca propôs uma "ditadura do Software Livre", pelo menos até onde sei...).
Outro problema do Comunismo é que ele pressupõe que todo ser humano é honesto e que ambição é uma coisa ruim. Para ser implantado ele precisa que não haja transparência nenhuma. Aqui, mais uma vez, os conceitos de Software Livre vão na contramão da ideologia de Marx e Engels: que exemplo de transparência existe maior do que Software Livre???
Sim, software é um recurso infinito, mas não é compulsório (se você não gostou de uma distribuição X, você é livre para usar uma outra, ou mesmo um software proprietário... Ninguém te obriga a nada — o que não acontece com nenhum sistema de governo, se algo foi decidido, mesmo que pela maioria, mas você não gostou, não há outra opção a não ser obedecer).

[21] Comentário enviado por rodrigocontrib em 17/08/2018 - 02:32h

Coloque uma bibliografia libertária, para quem quer conhecer mais sobre o libertarianismo. Eu só o conheço através de youtubers, mas a ideia de liberdade para ler e editar o código é excelente.
O grande problema no país é a dificuldade de empreender, muito tributo.


Contribuir com comentário