Instalando o Gentoo 2018

Vamos fazer uma instalação simples e funcional desse excelente SO.

[ Hits: 8.357 ]

Por: eu20noel em 20/06/2018


Baixando, descompactando e começando a instalar.



Primeira coisa que temos de fazer é baixar o live-cd que será usado na instalação, caso os Srs já possuam algum podem usa-lo.

Não irei ensinar a baixar e queimar um live-cd pois creio que já passamos desta fase, como dizia o apóstolo Paulo: "Quando menino fazia coisas de menino, agora como homem faço coisas de homem."

Se estamos querendo instalar o Gentoo, o mínimo que se espera é que tenhamos o conhecimento básico para tal, isso inclui saber baixar e queimar uma imagem.iso.

Abra o gparted que vem embarcado em 99,99% dos live-cds e crie uma, duas, três, ou mais partições.

Uma partição se os Srs forem usar somente /, duas se forem usar / e /swap ou / e home, e três ou mais se forem criar mais pontos de montagens além dos já citados.

Dentro do ambiente live, abram o terminal, "invoquem" o root (se informem como fazer de acordo como live que estão usando, mas geralmente é sudo su), e vamos pra guerra.

Usem o comando fdisk para verificar se está tudo certo com as partições criadas no gparted.

# fdisk -l

Uma vez verificados, vamos criar os pontos de montagem e montá-los:

# mkdir /mnt/gentoo
# mount /dev/sdX /mnt/gentoo
(o X aqui será subsistido pelo número da sua partição /)
# mkdir /mnt/gentoo/boot (se criou uma partição para /boot separada)
# mount /dev/sdX /mnt/gentoo/boot
# mkdir /mnt/gentoo/home
(se criou uma partição para a /home separada)
# mount /dev/sdX /mnt/gentoo/home
# mkswap /dev/sdaX
(o X significa a partição swap, caso os Srs usem uma)
# swapon /dev/sdaX

Depois de ter feito os procedimentos acima temos nossas partições montadas, e nossa swap ativada, agora vamos baixar e descompactar o stage e o portage.

Naveguem até ponto de montagem do Gentoo.

# cd /mnt/gentoo

Depois rode os comandos abaixo.

# wget http://gentoo.c3sl.ufpr.br/releases/amd64/autobuilds/current-stage3-amd64/stage3-amd64-20180510T214502Z.tar.xz (para o stage)

# wget http://gentoo.c3sl.ufpr.br/releases/snapshots/current/portage-latest.tar.bz2 (para o portage)

O links acima estão setados para ambientes 64bits, caso os senhores utilizem um sistema 32bits entrem no site abaixo e façam o download compatível com vossa arquitetura.
Uma vez baixados vamos extrai-los.

# tar xpf current-stage3-amd64/stage3-amd64-20180510T214502Z.tar.xz (para o stage)

# tar -jxpvf portage-latest.tar.bz2 -C /mnt/gentoo/usr (para o portage)

Não altere o comando da extração, tendo em vista que os mesmos tem de ser extraídos preservando suas respectivas permissões.

Depois, se os senhores desejarem podem apagar os arquivos do stage e portage baixados.

Agora iremos preparar o ambiente, para entrarmos e começarmos a instalação.

# cp -L /etc/resolv.conf /mnt/gentoo/etc/ (copiando o resolv.conf para o novo ambiente garantimos o acesso a internet quando usarmos o chroot)

# mount -t proc proc /mnt/gentoo/proc
# mount --rbind /sys /mnt/gentoo/sys
# mount --rbind /dev /mnt/gentoo/dev


Para garantir plena funcionalidade no nosso novo ambiente precisamos tornar alguns pontos de montagem disponíveis nele, fizemos isso através dos comandos acima.
  • /proc/ que é um pseudo sistema de arquivos (ele se parece com arquivos normais, mas na verdade é gerado "no voo"), do qual o kernel do Linux expõe informação para o ambiente.
  • /sys/ que é um pseudo sistema de arquivos, como o /proc/ o qual era para substituir, sendo mais estruturado que o /proc/.
  • /dev/ é um sistema de arquivos normal, parcialmente gerenciado pelo gerenciador de dispositivos do Linux (normalmente o udev), que contém todos os arquivos de dispositivos.

A localidade /proc/ será montada em /mnt/gentoo/proc/, enquanto as outras duas são montadas como "bind". Isso significa que, por exemplo, /mnt/gentoo/sys/ será, na verdade, /sys/ (sendo na verdade apenas um segundo ponto de entrada para o mesmo sistema de arquivos), enquanto /mnt/gentoo/proc/ é uma nova montagem ("instância", para usar o termo) do sistema de arquivo.

A parte acima foi totalmente retirada do Handbook do Gentoo, portanto não é de minha autoria, abaixo segue o link:
Caso os senhores pretendam usar o "demoníaco" systemd, será necessário aplicar mais esses dois comandos.

# mount --make-rslave /mnt/gentoo/sys
# mount --make-rslave /mnt/gentoo/dev


Vamos entrar de vez no novo ambiente através do chroot.

# chroot /mnt/gentoo /bin/bash (entramos de vez no ambiente Gentoo agora)
# export PS1="(chroot) $PS1" (para não nos confundirmos e esquecer onde estamos)
# source /etc/profile (para carregar as informações do /etc/profile no novo ambiente)

Agora vamos escolher um profile, isso é essencial para carregar as flags use necessárias, sem ter de incluir manualmente na compilação do pacote ou de forma global no make.conf.

# eselect profile list (lista os profiles disponíveis)
# eselect profile set "número do profile" (marca o profile desejado)

Por exemplo:

  [13]  default/linux/amd64/17.0/selinux (stable)
  [14]  default/linux/amd64/17.0/hardened (stable)
  [15]  default/linux/amd64/17.0/hardened/selinux (stable)
  [16]  default/linux/amd64/17.0/desktop (stable) *
  [17]  default/linux/amd64/17.0/desktop/gnome (stable)
  [18]  default/linux/amd64/13.0/desktop/plasma (stable)

Se quisermos o profile desktop é só setarmos o profile 16.

# eselect profile set 16

Se quisermos o profile Gnome é só setarmos o profile 17.

# eselect profile set 17

Após isso iremos configurar a linguagem.

# echo "pt_BR ISO-8859-1" >> /etc/locale.gen
# echo "pt_BR.UTF-8 UTF-8" >> /etc/locale.gen

# nano /etc/env.d/02locale


Cole o as linhas abaixo e salve.

LANG="pt_BR.UTF-8"
LC_COLLATE="C"

Agora vamos atualizar e salvar.

# env-update && source /etc/profile
# locale-gen


Uma vez setado o profile desejado, vamos editar o arquivo /etc/portage/make.conf.

# nano /etc/portage/make.conf

Esse arquivo é fundamental para que o Gentoo cumpra seu papel e funcione bem pois ele é o responsável de passar para o portage as instruções para a compilação. Sugiro que os Srs tirem um tempo e leiam a wiki do Gentoo referente ao make.conf.
Por hora podem usar o meu como exemplo, o meu é uma mescla de vários que eu garimpo pela internet.

CFLAGS="-march=native -fomit-frame-pointer -O2 -pipe"
CXXFLAGS="${CFLAGS}"
CHOST="x86_64-pc-linux-gnu"
FEATURES="parallel-fetch parallel-install sandbox "
ACCEPT_KEYWORDS="amd64"
MAKEOPTS="-s -j5" #número de nucleos +1, se tem quatro núcleos vira 5
ACCEPT_LICENSE="*" #aceitar automaticamente as licenças
AUTOCLEAN="yes" #limpar automaticamente

GENTOO_MIRRORS="http://gentoo.c3sl.ufpr.br/ http://gentoo.lcc.ufmg.br"


INPUT_DEVICES="evdev keyboard synaptics mouse"
VIDEO_CARDS="amdgpu radeonsi" #se usa intel, troque por intel, ou nvidia etc
AUDIO_CARDS="intel" #troque pela sua placa de áudio

USE="xft -gpm" #aqui você coloca as flags globais que você deseja ou não na compilação dos pacotes

EMERGE_DEFAULT_OPTS="--ask --jobs=5 --load-average=5 --autounmask-write=y --with-bdeps=y --quiet-build=y --keep-going=y" #instruções extras para compilação
FEATURES="ccache parallel-fetch parallel-install sandbox"
CCACHE_DIR="/var/tmp/ccache"
CCACHE_SIZE="2G"


LINGUAS="pt_BR" #pacotes compilados para o português Brasil

Configurado o make.conf, vamos sincronizar a árvore do portage.

# emerge --sync

E atualizar o sistema:

# emerge -auDNtv @world

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Baixando, descompactando e começando a instalar.
   3. Kernel, fstab, programas básicos, configurações básicas e grub
   4. X, criação de user, gerenciadores de desktop, programas do dia-a-dia e considerações finais
Outros artigos deste autor
Nenhum artigo encontrado.
Leitura recomendada

Utilizar um placa PCI como Access Point no Debian 4

Conexões SSH sem senha fácil e descomplicado

O que é $PATH, como funciona e como trabalhar com ele

OpenVPN + Bridge no Ubuntu Server

Cable modem no Mandrake 10

  
Comentários
[1] Comentário enviado por Tio_do_Toldo em 20/06/2018 - 20:51h

Tutorial bonito, tutorial bem feito; tutorial formoso.

[2] Comentário enviado por GabrielMS86 em 20/06/2018 - 20:57h

Show de bola.
Tutorial favoritado aqui. Certamente irei tirar um tempo pra tentar instalar esse Gentoo num note de testes aqui.

[3] Comentário enviado por eu20noel em 21/06/2018 - 07:42h


[2] Comentário enviado por GabrielMS86 em 20/06/2018 - 20:57h

Show de bola.
Tutorial favoritado aqui. Certamente irei tirar um tempo pra tentar instalar esse Gentoo num note de testes aqui.



:)

[4] Comentário enviado por eu20noel em 21/06/2018 - 07:55h


[1] Comentário enviado por Tio_do_Toldo em 20/06/2018 - 20:51h

Tutorial bonito, tutorial bem feito; tutorial formoso.


:)

[5] Comentário enviado por muniz95 em 21/06/2018 - 11:51h

BELO E MORAL.

Usei muito o Gentoo e o Funtoo também por um bom tempo, mas acabei abandonando ambos. Agora até me animei em instalar de novo no meu note.

Favoritado!

[6] Comentário enviado por eu20noel em 21/06/2018 - 13:18h


[5] Comentário enviado por muniz95 em 21/06/2018 - 11:51h

BELO E MORAL.

Usei muito o Gentoo e o Funtoo também por um bom tempo, mas acabei abandonando ambos. Agora até me animei em instalar de novo no meu note.

Favoritado!


:)

[7] Comentário enviado por adrdown em 22/06/2018 - 00:58h

Excelente tuto, me mostrou que realmente o Gentoo não é pra mim, já me irrita a instalação do Manjaro e Ubuntu com aqueles avançar, seleciona, seleciona, avançar.... imagina ter de fazer tudo isso ai...

[8] Comentário enviado por izaias em 24/06/2018 - 20:26h

Excelente tutorial!
Gosto de usuários apaixonados! :)

[9] Comentário enviado por eu20noel em 25/06/2018 - 07:36h


[8] Comentário enviado por izaias em 24/06/2018 - 20:26h

Excelente tutorial!
Gosto de usuários apaixonados! :)


:)

[10] Comentário enviado por albfneto em 26/06/2018 - 18:08h

Tutorial excelente. Favoritado.
¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
Albfneto,
Ribeirão Preto, S.P., Brasil.
Usuário Linux, Linux Counter: #479903.
Distros Favoritas: [i] Sabayon, Gentoo, OpenSUSE, Mageia e OpenMandriva[/i].

[11] Comentário enviado por maran em 28/06/2018 - 10:53h

Excelente artigo como sempre , parabéns! :D

[12] Comentário enviado por eu20noel em 30/06/2018 - 17:23h


[11] Comentário enviado por maran em 28/06/2018 - 10:53h

Excelente artigo como sempre , parabéns! :D


:)

[13] Comentário enviado por henriquebarsa em 04/07/2018 - 09:20h

Que legal esse tutorial! Gostei muito! Acabei de instalar o Arch Linux no meu notebook, senti falta de tutoriais assim pra ele! Estou gostando dele bastante, mas não é tão rápido quanto eu queria, quem sabe daqui a um mês ou dois eu não instalo o Gentoo... ;)

[14] Comentário enviado por Londreslondres em 04/07/2018 - 21:09h

Não consigo instalar o Genkernel

Quando tento instalar, o emerge não encontra.

Meu hardware:
Processador: Intel Atom N470
Memória: 2gb DDR2

[15] Comentário enviado por charlesdouglas em 05/07/2018 - 13:28h

Boa tarde,

Eu já tentei instalar o Gentoo diversas vezes, e quando conseguia instalar não conseguia configurar.

Mas com sua ajuda quero tentar novamente, mas preciso de ajuda no UEFI

Por favor faça um artigo com UEFI

Obrigdo pela ajuda e atenção.

Charles

[16] Comentário enviado por eu20noel em 05/07/2018 - 23:16h


[14] Comentário enviado por Londreslondres em 04/07/2018 - 21:09h

Não consigo instalar o Genkernel

Quando tento instalar, o emerge não encontra.

Meu hardware:
Processador: Intel Atom N470
Memória: 2gb DDR2


posta a saída do comando "emerge -s genkernel"

[17] Comentário enviado por eu20noel em 05/07/2018 - 23:17h


[15] Comentário enviado por charlesdouglas em 05/07/2018 - 13:28h

Boa tarde,

Eu já tentei instalar o Gentoo diversas vezes, e quando conseguia instalar não conseguia configurar.

Mas com sua ajuda quero tentar novamente, mas preciso de ajuda no UEFI

Por favor faça um artigo com UEFI

Obrigdo pela ajuda e atenção.

Charles


UEFI não tem erro, é só seguir esse tutorial.

https://wiki.gentoo.org/wiki/Gentoo_UEFI


[19] Comentário enviado por draggom em 10/07/2018 - 08:31h


draggomlesa: Bota complicação na instalação do gentoo amigo, ele bota o arch linux no chinelo no quesito complicação para instalar.

[20] Comentário enviado por Guitto em 04/09/2018 - 09:45h

Belíssimo tutorial! Muito obrigado por contribuir. Uma duvida: Posso iniciar o Xubuntu e fazer a instalação através dele? Nenhum dos métodos pra iniciar via UEFI estão me ajudando. Obrigado!
____________________________________________________________

Keep It Simple Stupid!

[21] Comentário enviado por xerxeslins em 16/11/2018 - 22:00h

Favoritado. Obrigado pela contribuição!

--
If it ain't broke, fix it until it is.

[22] Comentário enviado por QAPLA em 18/11/2018 - 17:46h

Tutorial bastante abrangente, bem detalhado, muito bom mesmo parabéns!!
Gostaria de contribuir com quatro pequenas observações.
-Na página 2 onde se indica a montagem das partições, sugiro alterar os exemplos de comandos da seguinte forma, de:
# mount /dev/sdX /mnt/gentoo (o X aqui será subsistido pelo número da sua partição /)
para
# mount /dev/sdYX /mnt/gentoo (o Y indica a unidade de disco [a, b, c...] e o X indica o número da sua partição /)
o mesmo para os demais comandos da sequência.
-Depois onde se indica a entrada em chroot, o export de PS1, dve estar após a inclusão do profile, assim:
# chroot /mnt/gentoo /bin/bash (entramos de vez no ambiente Gentoo agora)
# source /etc/profile (para carregar as informações do /etc/profile no novo ambiente)
# export PS1="(chroot) $PS1" (para não nos confundirmos e esquecer onde estamos)
-No quadro com a sugestão de make.conf, retirar a primeira declaração FEATURES=, visto que mais abaixo será refeita a atribuição
-Na página 3 temos a finalização da instalação, logo antes do reboot, onde seria interessante 'desmontar' a unidade com a mídia do LiveCD.

Mais uma vez parabéns pelo artigo!


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts