Instalando o Debian Etch sem o Gnome

Por padrão o Debian Etch vem acompanhado do Gnome como gerenciador de janelas. Este artigo é direcionado para aqueles que curtem o KDE e querem uma instalação limpa do Debian Etch já com o KDE.

[ Hits: 37.566 ]

Por: Valério Dias em 02/10/2007


Configurando o servidor gráfico



Após o download, instalação e configuração do software do sistema, você deve estar pensando: "ah, agora vou mandar um startx e começar a festa =)". Não recomendo você fazer isso agora, já que vai dar erro. O trabalho ainda não acabou. =)

O que você possui instalado é apenas o sistema básico e o gerenciador de janelas, mas até o momento você tem um sistema operacional em modo texto, tal como nos velhos tempos dos sistemas operacionais em modo texto, o que você tem instalado no seu computador até este momento, que seria o shell rodando sobre o Kernel é o que, literalmente, chamamos de Linux.

Vamos agora instalar um "mod" que faz com que o Kernel forneça o ambiente gráfico para que o KDE, Gnome e outros gerenciadores de janelas funcionem. Este "mod" é o famoso Servidor gráfico, conhecido como X ou X Window, e quando falamos de X lembramos do X.org. Até o Debian Sarge o X era administrado pelo XFree, mas a partir do Debian Etch ele foi substituído pelo X.org. Vamos então instalar os módulos que compõem o X.org. Digite abaixo:

# aptitude install xserver-xorg xorg

Instalamos assim o X. Vamos agora configurar o /etc/X11/xorg.conf digitando:

# dpkg-reconfigure xserver-xorg

Basta ir respondendo as perguntas feitas pelo configurador. É necessário ter um certo conhecimento da resolução do seu monitor e da placa de vídeo instalada. Por exemplo, a primeira pergunta questiona a placa de vídeo usada. O módulo "nv" serve para as placas da Nvidia, o módulo "sis" funciona com as placas SiS e assim por diante. Em caso de dúvidas aceite a opção padrão (vesa) até que você se certifique do modelo da placa.

Uma das perguntas se refere a ativação do framebuffer do Kernel. Embora o configurador diga que é seguro habilitá-lo, no meu caso dá erro ao rodar o startx referente ao framebuffer, neste caso eu desabilitei. Caso você tenha habilitado o framebuffer e o vídeo não subir, rode novamente o configurador e desabilite o framebuffer. As outras opções se referem ao teclado e mouse usados. Leia todas as mensagens para fazer as escolhas seguras.

Terminada a configuração, acho que agora dá para iniciar o ambiente gráfico. =) Digite "startx" e veja se o KDE abre normalmente. Caso positivo, humm... é puento! A primeira tela será do assistente da área de trabalho ou kpersonalizer. Ao navegar pelos menus você talvez estranhe, afinal não tem mais os programas do Gnome que aparecem no menu do KDE quando KDE e Gnome estão instalados. Algumas ferramentas do Gnome podem ser úteis como o network-admin, users-admin, entre outras. Neste caso é só instalar o que desejar do Gnome pelo apt-get ou aptitude.

Feche a sessão e reinicie. Agora a tela gráfica de login deverá aparecer. Caso pare no prompt de login em modo texto, digite startx e veja se o ambiente sobe. Caso funcione verifique o runlevel (deve estar rodando em level 3) abrindo como root o /etc/inittab e localizando a linha:

id:3:initdefault:

e altere para:

id:5:initdefault:

Eu estou citando o runlevel porque aqui no meu caso ele foi configurado para 2, embora o ambiente gráfico estivesse funcionando, mas sem o gerenciador do KDE ativo, apenas aparecia uma tela do Konsole aberta. Fui verificar o runlevel e vi que estava em 2. Mesmo trocando o level o problema persistia, acabei descobrindo que o problema estava na tela de login: dentro de "Sessões" no canto inferior da tela estava setado a opção failsafe como default. Trocando para KDE o problema foi sanado e o ambiente passou a abrir normalmente. Caso ocorra isso com você, já sabe onde procurar. =)

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Instalando o KDE numa base já estabelecida do Debian
   3. Instalando o KDE sem o Gnome - mídias necessárias
   4. Instalando o KDE sem o Gnome - instalando o sistema-base do Debian
   5. Instalando o KDE sem o Gnome - instalando o KDE
   6. Configurando o servidor gráfico
   7. Finalizando
Outros artigos deste autor
Nenhum artigo encontrado.
Leitura recomendada

Instalando MRTG + rrdtool no Slackware 12.0

Criando facilmente um servidor APACHE2 + PHP5 (ou PHP4) + SNMP + MRTG

Configuração de um servidor VPN com OpenVPN e chave estática

Ubuntu-Tweak: Como instalar (Ubuntu Hardy Heron)

Servidor Geplanes no Ubuntu - Instalação e utilização

  
Comentários
[1] Comentário enviado por mortanaz em 02/10/2007 - 08:24h

no site www.debian.org tem opção para baixar o cd1 do debian com o KDE, e é bem enxuto.... e tão facil de instalar quanto gnome..

[2] Comentário enviado por lipecys em 02/10/2007 - 08:31h

Valew a dica, muito bom..........

[3] Comentário enviado por removido em 02/10/2007 - 15:29h

Já foi para os meus favoritos.

sniper!

[4] Comentário enviado por dbahiaz em 02/10/2007 - 23:07h

Ola Milk2Can, tudo bom, eu tenho uma dúvida quanto ao uso do apt, veja, vc usou o aptitude e apt-get no artigo, ja li em alguns lugares e aqui mesmo no vol, que o uso do apt-get no debian etch poderia quebrar o sistema,pois, a propria equipe do debian recomenda o uso do aptitude, isso procede? E pq não usou um como padrão, pelo que ja li, eles resolvem pedências de maneira diferente, abraço e agradeço se poder me tirar essa duvida.

[5] Comentário enviado por flpe007 em 03/10/2007 - 09:31h

Muito Bom!!!
é uma baita mão na roda!!!
parabéns!!!

[6] Comentário enviado por milk2can em 03/10/2007 - 19:07h

Opa, então...

Em primeiro lugar quero agradecer pelos comentários.

dbahiaz, não sou um usuário avançado de Linux tal como sou de Windows, mas pelo que eu já li a respeito do apt-get, quando você o usa para instalar pacotes mantendo os repositórios em Stable, a quebra do sistema é rara. Por exemplo o Kurumin era sempre baseado nas versões Testing do Debian e um simples apt-get upgrade ou dist-upgrade era uma questão de loteria, eu mesmo já tive problemas em rodar um dist-upgrade nas versões anteriores ao 7. A partir do Kurumin 7 o sistema passou a se "espelhar" no Stable atual, ou seja, o Debian Etch, então a chance de quebra do sistema pelo uso do apt-get no Kurumin/Debian Etch é mínima. Pelo menos no Etch o apt-get nunca quebrou o sistema.

No tutorial eu usei o aptitude, mas deixei claro que o uso do apt-get também caberia ao caso. De fato reconheço que fui um pouco imprudente em ter usado no texto o aptitude ao invés do sempre padrão apt-get, apesar de que o apt-get instala apenas os pacotes necessários para que um determinado programa funcione, enquanto que o aptitude instala o "kit" completo do programa, instalando também pacotes que no apt-get seriam considerados como SUGERIDOS e RECOMENDADOS.


Contribuir com comentário