Instalando o Debian Etch sem o Gnome

Por padrão o Debian Etch vem acompanhado do Gnome como gerenciador de janelas. Este artigo é direcionado para aqueles que curtem o KDE e querem uma instalação limpa do Debian Etch já com o KDE.

[ Hits: 37.563 ]

Por: Valério Dias em 02/10/2007


Instalando o KDE sem o Gnome - mídias necessárias



Agora vamos para a segunda situação para os usuários do KDE e que também é o objetivo do artigo: instalar o Debian sem o Gnome e somente o KDE. Eu tive a idéia de postar esse tópico enquanto eu brincava de instalar o Debian personalizado (fiz três instalações diferentes), no qual eu apanhei muito, logo este tutorial não possuirá imagens infelizmente (posso melhorá-lo mais tarde através do VMWare).

Sinta-se à vontade em usar o tutorial para instalar um outro gerenciador de janelas sem ser o KDE (XFCE, E17, etc), basta ter o conhecimento necessário para instalar o gerenciador de sua preferência.

Este tutorial pressupõe que a pessoa já tenha alguma experiência com Linux em geral, particionamento de discos, configuração do sistema pré e pós-instalação, conhecimento do seu equipamento, conhecimento sobre a distro Debian, assim como a utilização do apt-get e configuração manual do xorg.conf, este último em caso de problemas. Estou aqui usando o DVD1 do Debian Etch.

Faça o backup dos dados antes de prosseguir. Para quem optar pelos CDs (são 20 no total!!!!), são necessários os dois primeiros para uma instalação desktop completa:
Para quem optar pelo DVD (são 3), basta o DVD1:
Para uma instalação via rede ou internet:
Tem ainda duas alternativas extras para quem não tem nenhuma das mídias acima e quer ter mais opções, seja por falta de gravador de DVDs ou pela ausência de conexão de rede/banda larga. Trata-se de dois CDs de instalação do Debian Etch específicos, um CD já traz o KDE:

debian-40r1-i386-kde-CD-1.iso

O outro CD é para quem gosta do XFCE:

debian-40r1-i386-xfce-CD-1.iso

Para quem optar por uma dessas duas alternativas extras, não é necessário a leitura do restante do tutorial. Para os usuários das três primeiras mídias (CD1/CD2, DVD1 ou Netinst) vamos prosseguir.

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Instalando o KDE numa base já estabelecida do Debian
   3. Instalando o KDE sem o Gnome - mídias necessárias
   4. Instalando o KDE sem o Gnome - instalando o sistema-base do Debian
   5. Instalando o KDE sem o Gnome - instalando o KDE
   6. Configurando o servidor gráfico
   7. Finalizando
Outros artigos deste autor
Nenhum artigo encontrado.
Leitura recomendada

OpenGL para jogos 3D

Debian sem Systemd

Desktop 3D - XGL + Compiz + KDE

Instalação automatizada de servidores com kickstart

O .bashrc de meu Debian

  
Comentários
[1] Comentário enviado por mortanaz em 02/10/2007 - 08:24h

no site www.debian.org tem opção para baixar o cd1 do debian com o KDE, e é bem enxuto.... e tão facil de instalar quanto gnome..

[2] Comentário enviado por lipecys em 02/10/2007 - 08:31h

Valew a dica, muito bom..........

[3] Comentário enviado por removido em 02/10/2007 - 15:29h

Já foi para os meus favoritos.

sniper!

[4] Comentário enviado por dbahiaz em 02/10/2007 - 23:07h

Ola Milk2Can, tudo bom, eu tenho uma dúvida quanto ao uso do apt, veja, vc usou o aptitude e apt-get no artigo, ja li em alguns lugares e aqui mesmo no vol, que o uso do apt-get no debian etch poderia quebrar o sistema,pois, a propria equipe do debian recomenda o uso do aptitude, isso procede? E pq não usou um como padrão, pelo que ja li, eles resolvem pedências de maneira diferente, abraço e agradeço se poder me tirar essa duvida.

[5] Comentário enviado por flpe007 em 03/10/2007 - 09:31h

Muito Bom!!!
é uma baita mão na roda!!!
parabéns!!!

[6] Comentário enviado por milk2can em 03/10/2007 - 19:07h

Opa, então...

Em primeiro lugar quero agradecer pelos comentários.

dbahiaz, não sou um usuário avançado de Linux tal como sou de Windows, mas pelo que eu já li a respeito do apt-get, quando você o usa para instalar pacotes mantendo os repositórios em Stable, a quebra do sistema é rara. Por exemplo o Kurumin era sempre baseado nas versões Testing do Debian e um simples apt-get upgrade ou dist-upgrade era uma questão de loteria, eu mesmo já tive problemas em rodar um dist-upgrade nas versões anteriores ao 7. A partir do Kurumin 7 o sistema passou a se "espelhar" no Stable atual, ou seja, o Debian Etch, então a chance de quebra do sistema pelo uso do apt-get no Kurumin/Debian Etch é mínima. Pelo menos no Etch o apt-get nunca quebrou o sistema.

No tutorial eu usei o aptitude, mas deixei claro que o uso do apt-get também caberia ao caso. De fato reconheço que fui um pouco imprudente em ter usado no texto o aptitude ao invés do sempre padrão apt-get, apesar de que o apt-get instala apenas os pacotes necessários para que um determinado programa funcione, enquanto que o aptitude instala o "kit" completo do programa, instalando também pacotes que no apt-get seriam considerados como SUGERIDOS e RECOMENDADOS.


Contribuir com comentário