Instalação do Archlinux por outro sistema já instalado

Veja como instalar o Archlinux sem precisar baixar a ISO de instalação. Usando uma partição disponível, através do seu sistema atual.

[ Hits: 701 ]

Por: Xerxes Lins em 14/03/2019 | Blog: https://heeeeeeeey.com/


Introdução



O artigo assume que suas partições estejam configuradas e que a partição que irá receber o Arch Linux já esteja formatada corretamente.

Primeiro, acesse o site:
Entre em um dos espelhos, por exemplo, este:
E baixe o "bootstrap" (tar.gz).

Mova-o para o diretório "/tmp":

# mv archlinux-bootstrap-*.tar.gz /tmp/

Navegue até onde o arquivo está e extraia:

# cd /tmp
# tar xvzf archlinux-bootstrap-*-x86_64.tar.gz

Isso vai criar o arquivo "root.x86_64".

Edite o mirrorlist, descomente o mirror desejado:

# nano /tmp/root.x86_64/etc/pacman.d/mirrorlist

Agora para o chroot, execute:

# cd /tmp/root.x86_64
# cp /etc/resolv.conf etc

# mount -t proc /proc proc
# mount --rbind /sys sys
# mount --rbind /dev dev
# mount --rbind /run run

# chroot /tmp/root.x86_64 /bin/bash

Inicie o chaveiro:

# pacman-key --init
# pacman-key --populate archlinux

Monte a partição livre, onde o Archlinux ficará. Exemplo:

# mount /dev/sda3 /mnt

Se quiser "Home" separada, crie e monte. Exemplo:

# mkdir /mnt/home
# mount /dev/sda4 /mnt/home

Ative o reconhecimento da partição SWAP:

# swapon -s

Isso é importante, pois vai permitir que o "genfstab" reconheça a partição.

Instale as bases do Arch:

# pacstrap /mnt base base-devel

Crie o "fstab":

# genfstab -p /mnt >> /mnt/etc/fstab

Agora realize o chroot para a nova partição:

# arch-chroot /mnt

Mude o nome do computador:

# echo arch > /etc/hostname

Configure a "timezone".

Exemplo:

# ln -sf /usr/share/zoneinfo/America/Recife /etc/localtime

Edite o arquivo de idiomas do sistema:

# nano /etc/locale.gen

Descomente a linha "pt_BR.UTF-8 UTF-8".

Depois:

# locale-gen
# echo LANG=pt_BR.UTF-8 > /etc/locale.conf
# export LANG=pt_BR.UTF-8

Configure o teclado:

# echo KEYMAP=br-abnt2 > /etc/vconsole.conf

A seguir, configure o init ram disk:

# mkinitcpio -p linux

Cria a senha de root:

# passwd

Instale o driver de vídeo. Exemplos:

# pacman -S xf86-video-intel
Ou:
# pacman -S xf86-video-amdgpu

Instale o Xorg e APPs:

# pacman -S xorg-server xorg-apps

Instale um ambiente ou gerenciador de janelas. Exemplo:

# pacman -S i3 dmenu i3status i3lock

Ou, o Xfce:

# pacman -S xfce4 xfce4-goodies

Opcionalmente, instale um gerenciador de login. Exemplo:

# pacman -S lightdm

Aplicativos de som:

# pacman -S alsa-utils alsa-plugins pavucontrol

De rede:

# pacman -S networkmanager
# systemctl enable NetworkManager

GRUB:

# pacman -S grub
# grub-install /dev/sda
# grub-mkconfig -o /boot/grub/grub.cfg

Crie o seu usuário e sua senha:

# useradd -m -G wheel [usuário]
# passwd [usuário]

Depois disso, reinicie o computador. Tudo deve estar OK.

Mas... Se fez algo errado e estiver sem conexão, use o comando:

# dhcpcd

Se não instalou um gerenciador de login... e se instalou o Xfce, edite o "~/.xinitrc" do seu usuário e adicione "exec startxfce4". Se optou pelo i3, coloque "exec i3". E então use o comando "startx".

E desfrute do Arch Linux!

Fontes


   

Páginas do artigo
   1. Introdução
Outros artigos deste autor

O que fazer após instalar Linux Mint 15 (sim, há o que fazer!)

Criando um servidor FTP acessível fora da LAN com o Proftpd

Um pouco sobre otimização

Brutal DOOM no Linux (com Freedoom)

Porque o XFCE é tão bom

Leitura recomendada

Alternativas ao Flash Player no openSUSE

GNOME vs KDE - Usabilidade ou Personalização

Nmap - 30 Exemplos para Análises de Redes e Portas

Aos que estão começando...

Linux: Uma ótima opção para sua empresa

  
Comentários
[1] Comentário enviado por edps em 14/03/2019 - 21:23h

Diferente e conveniente! ótimo artigo... bem melhor que baixar isos, gravar em pendrive, etc

No caso da instalação, eu apenas acrescentaria o puro DHCP e o Network Manager como alternativa.

EDIT: depois de comentar é que eu notei.. és tu @Xerxes não reconheci a foto de perfil kkk

[2] Comentário enviado por pinduvoz em 14/03/2019 - 23:01h

Gostei!

Uma forma nova de instalar o Arch.

Acho que dá para fazer rodando um Live USB qualquer, ou não?

__________________________________
Linux Registered User nº 439378
Ubuntu Forum Member Since Nov/07/2006
VOL Member SInce Jul/01/2008

[3] Comentário enviado por niquelnausea em 15/03/2019 - 01:11h

que diferença de tamanho! na versão 2019.03.01 são 460mb de diferença com a iso!
a única desvantagem que vi até o momento é a perda dos scripts usados na iso, wifi-menu é um deles, mas é um método de instalação bem mais interessante que a iso.

[4] Comentário enviado por xerxeslins em 15/03/2019 - 16:41h


[1] Comentário enviado por edps em 14/03/2019 - 21:23h

Diferente e conveniente! ótimo artigo... bem melhor que baixar isos, gravar em pendrive, etc

No caso da instalação, eu apenas acrescentaria o puro DHCP e o Network Manager como alternativa.

EDIT: depois de comentar é que eu notei.. és tu @Xerxes não reconheci a foto de perfil kkk


Obrigado.

[5] Comentário enviado por xerxeslins em 15/03/2019 - 16:41h


[2] Comentário enviado por pinduvoz em 14/03/2019 - 23:01h

Gostei!

Uma forma nova de instalar o Arch.

Acho que dá para fazer rodando um Live USB qualquer, ou não?

__________________________________
Linux Registered User nº 439378
Ubuntu Forum Member Since Nov/07/2006
VOL Member SInce Jul/01/2008



Dá sim.

[6] Comentário enviado por xerxeslins em 15/03/2019 - 16:42h


[3] Comentário enviado por niquelnausea em 15/03/2019 - 01:11h

que diferença de tamanho! na versão 2019.03.01 são 460mb de diferença com a iso!
a única desvantagem que vi até o momento é a perda dos scripts usados na iso, wifi-menu é um deles, mas é um método de instalação bem mais interessante que a iso.


É prático e ideal para quem tem sempre uma partição livre para ficar testando distros. rsrs


Contribuir com comentário