GNU/Linux: O que é e quem pode usar?

Tento aqui fazer uma descrição do usuário do GNU/Linux, bem como do próprio GNU/Linux, com a pretensão de atrair aqueles que se encaixam no "perfil" para a Comunidade do Software Livre.

[ Hits: 11.007 ]

Por: Andre (pinduvoz) em 27/11/2012 | Blog: http://casadopinduvoz.wordpress.com/


Eu posso usar GNU/Linux? Não é muito complicado?



Aqui a grande questão que este breve texto pretende elucidar. Trata-se, obviamente, da pergunta:

- Tenho perfil de usuário GNU/Linux?

Adianta-se que a palavra "perfil" não está ligada à capacidade intelectual, ou mesmo à habilidade em lidar com computadores. Trata-se da capacidade de usar o sistema operacional livre no dia a dia satisfatoriamente, lidando com os problemas porventura encontrados.

Afirma-se, de início, que será capaz de usar o GNU/Linux no dia a dia apenas aquele usuário que não depende inteiramente de determinados programas proprietários, que só rodam em sistemas proprietários (Windows ou MacOS X). Com efeito, há programas livres que podem substituir programas proprietários, mas muitos dos candidatos a usuários de software livre não encontrarão satisfação plena nessa substituição.

É preciso deixar claro, que o GNU/Linux é plenamente capaz de substituir os sistemas proprietários no uso comum do computador, ou seja, para navegação Web, incluindo mensageiros e redes sociais, utilização de e-mail com troca de arquivos em vários formatos (DOC/DOCX, XLS/XLSX, PDF, JPG, PNG, TIF etc), multimídia (música e vídeo, MP3, MP4, AVI, MKV, RMVB etc), escritório (edição de textos, planilhas e apresentações, com a maior parte das funções encontradas no programa líder de mercado, e compatibilidade com os formatos daquele mesmo programa), gerenciamento de coleções (fotos, vídeos, músicas), escaneamento de imagens, impressão etc.

Quanto às qualidades do candidato a usuário de GNU/Linux, exige-se, em primeiro lugar, a curiosidade. O GNU/Linux é, definitivamente, um sistema para curiosos, ou para aqueles que querem enxergar além do que está em evidência no mundo da tecnologia.

Em segundo lugar, exige-se paciência, pois a troca do sistema proprietário pelo livre vai exigir adaptação a uma mentalidade diferente. Em terceiro lugar, exige-se a vontade de mudar, que implica na vontade de aprender algo novo, obviamente com algum sacrifício pessoal (no mínimo, perde-se tempo. E tempo, hoje em dia, é precioso).

Tendo em conta o que já foi dito, apenas você, enquanto candidato a usuário do "sistema do pinguim", poderá responder à primeira pergunta deste tópico. Sabendo, de antemão, que você não precisa ser um hacker, um gênio da informática ou mesmo um "nerd" para usar GNU/Linux, restará a análise dos demais requisitos aqui descritos para que o perfil seja ou não preenchido.

E se, mesmo com impedimentos, prevalecer a curiosidade sobre o sistema do pinguim, é perfeitamente possível usá-lo na mesma máquina em que se usa um sistema operacional proprietário, na configuração que costuma ser chamada de "dual boot" (boot duplo, ou inicialização dupla).

Quanto à segunda pergunta, relativa à dificuldade em usar GNU/Linux, afirma-se que o principal obstáculo reside na instalação, já que a grande maioria dos usuários de computadores nunca instalou um sistema operacional.

Essa maioria comprou um computador com Windows ou MacOS X instalados (também há computadores com GNU/Linux instalado à venda, mas a maior parte usa versões defasadas, em instalações malfeitas). E quando estes computadores apresentaram defeitos, foram entregues a "técnicos" que não passavam de formatadores de discos rígidos.

Assim, para que seja possível desfrutar de um sistema operacional GNU/Linux de qualidade, devidamente instalado, é preciso que o usuário se disponha a por a "mão na massa", instalando ele mesmo a distro escolhida.

Instalar o GNU/Linux é difícil? É muito complicado? Não.

Já que os programas de instalação têm opções que vão desde "instalar dentro" do próprio Windows (opção válida apenas para um "primeiro contato"), até a "remoção completa" do que está no HD, passando pela opção de instalação "lado a lado" (lembra-se do "dual boot"?).

Aconselha-se àqueles que quiserem experimentar o GNU/Linux e que, até este momento, tiveram pouco ou nenhum contato com o processo de instalação de um sistema operacional, que pesquisem aqui e nos diversos sites especializados, até porque há inúmeros guias de instalação em texto (quase todos com imagens) e em vídeo, abrangendo diversas distros.

Com um desses guias nas mãos (impresso ou na tela do seu notebook, para consulta durante a instalação no seu desktop), qualquer pessoa familiarizada com computadores será capaz de instalar o GNU/Linux.

Considerações finais

Sei que não posso afirmar que não existe "malware" para GNU/Linux. Existe, e isso é fato. Mas posso afirmar que o índice de contaminação do GNU/Linux, na minha experiência, é absolutamente zero.

Uso GNU/Linux há cinco anos, e nunca vi vírus ou "malware" capaz de afetar este sistema.

Por outro lado, o índice de contaminação das versões piratas de softwares proprietários é alarmante, e isso traz aos usuários destes softwares grande risco. Com efeito, pode-se perder muito mais do que arquivos quando se abre mão da segurança em prol da facilidade, ou do costume.

A honestidade aliada à segurança, são dois bons motivos para se usar o GNU/Linux e o Software Livre em geral, lembrado ainda, que a opção livre é uma escolha inteligente.

Ora, se o trabalho de milhares de programadores ao redor do mundo me dá a opção de usar software gratuito, seguro e capaz de suprir minhas necessidades, eu devo, ao menos, tentar usá-lo. Ou não?

Cabe a você, caro leitor, a opção.

Informações pertinentes:
  1. As imagens aqui utilizadas foram obtidas através da pesquisa do Google.
  2. As informações fornecidas sobre a história do GNU/Linux são oferecidas em palavras do autor, mas certamente constam, de uma forma ou outra, em diversos sites que tratam do fenômeno GNU/Linux e do FOSS (Free and Open-Source Software) em geral.

Página anterior    

Páginas do artigo
   1. O que é GNU/Linux? Onde encontro o GNU/Linux?
   2. Há muitos GNU/Linux. Qual devo usar?
   3. Eu posso usar GNU/Linux? Não é muito complicado?
Outros artigos deste autor

Instalando o GNU/Linux numa máquina virtual (e aprendendo sem correr riscos)

Vamos testar esse tal de Linux?

Suporte multimídia e dicas de uso comum para o Ubuntu 11.04

Colocando novos ícones no "Acer Desktop" (Acer Aspire One)

Certificado Digital para Peticionamento Eletrônico (2018)

Leitura recomendada

Como ajudar o Software Livre

AFT : Tecnologia para Formatação Avançada - Conceitos básicos

Não me chamaram mais para prestar serviços naquela empresa. Por quê? Acabe com este problema!

Licenças: liberdade para quem?

TI - Ajuda ou atrapalha?

  
Comentários
[1] Comentário enviado por felipe300194 em 27/11/2012 - 10:55h

Ótimo, adicionando aos favoritos!

[2] Comentário enviado por vitorgatti em 27/11/2012 - 12:57h

Vou deixar minha opinião sobre algo bem simples que muitas pessoas tem dificuldade em explicar sobre o Linux, na hora do "é difícil usar?" ou "é fácil usar?".

Nunca esqueçam que nenhum usuário é obrigado a saber particionar HDs, instalar drivers, dar boot direto pelo CD, criar um pendrive bootável, etc. Ninguém é obrigado a saber aonde os melhores softwares são baixados, ou como instala-los.

Portanto, instalar Linux, Windows ou Mac, em muitos casos, pode sim ser difícil. É fácil pra quem adora fuçar e/ou trabalha com informática, e só.

Agora, usar Linux, é tão fácil quanto usar Windows e Mac.

Qualquer SO é muito fácil de usar, desde que seja preparado por uma pessoa que saiba configurar um computador para tal.

Convenhamos: a maioria das pessoas só precisa de um browser e um lugar para guardar fotos e músicas. Isso qualquer SO faz, perfeitamente, já faz muito tempo. Se isso não fosse verdade, então realmente teríamos um problema.

As pessoas, usuárias comuns, acham que são dependentes de softwares "famosos", como Photoshop, iTunes, Nero, Windows Media Player, Windows Live Messenger.

Nós, pessoas que fuçamos/trabalhamos com informática, é que somos os responsáveis por convencer os usuários, que não tem conhecimento, do que realmente é bom, do que dá pra fazer com qualquer SO.

É essencial convencer as pessoas de que elas não são dependentes de softwares, e somente nós podemos fazer isso.

Já converti diversos amigos e familiares a usar Linux basicamente porque não é difícil, desde que você prepare o ambiente :-)

[3] Comentário enviado por pinduvoz em 27/11/2012 - 14:16h

@ felipe300194 - Obrigado.

@ vitorgatti - O problema, meu caro, é que não é nada fácil arranjar alguém que instale Linux para outras pessoas. Ressalvados os "Install Fests" e os eventos de SL, não há lugar para se levar um computador e ter o Linux instalado. No mais, concordo: ultrapassada a instalação, fica muito fácil.


[4] Comentário enviado por mbrainiac em 27/11/2012 - 19:55h

Olá André, beleza?


Parabéns pelo artigo, consegui evoluir muito graças a sua ajuda, Edps e outros amigos que sempre foram solidários e pacientes.

Este espírito de colaboração faz crescer tanto o GNU/Linux que creio que algum dia estará peitando o janelinha e até superando.


Abraço

[5] Comentário enviado por pinduvoz em 27/11/2012 - 20:36h

@ mbrainiac

Aqui, comigo, tudo bem. Aí, contigo, espero que também esteja.

Agradecemos sua mensagem, pois saber que ajudamos alguém é o que nos move a colaborar com o VOL e outros Fóruns de Linux.

Obs.: Usei o "nós" não como plural majestático, ma sim porque acho que falo em meu nome, no do Edinaldo (edps) e no dos "outros", todos citados na tua mensagem.

Abraço retornado.

[6] Comentário enviado por izaias em 27/11/2012 - 21:15h

Muito bom, André.

Bem explicado, didático e elucidativo (coisa rara), visto que muitos editoriais revelam preferências pessoais e afetadas.


Parabéns, pinguim!
-------

Mas tem certa pessoa que não gostará de uma coisa em seu artigo: Linus vai odiar a foto que postou dele. rsrs

[7] Comentário enviado por pinduvoz em 27/11/2012 - 21:36h

@ izaias

A foto do Linus é da época da mensagem na Usenet sobre o projeto de SO.

Hoje em dia ele está bem mais "bonitinho" (rsrs).

E obrigado pelo elogio.

Abraço.

[8] Comentário enviado por clodoaldops em 29/11/2012 - 16:30h

pinduvoz, parabéns pelo artigo!
Realmente, depois de instalado e configurado dá p/ usar linux, "dis costas" como diria o "seu boneco"!
Eu era um fussador no windows. Agora no linux "a coisa piorou"! rsrsrsrsrsrs
Gosto de instalar e testar novas distros e lançamentos p/ ver se acho " a distro perfeita"
E já achei: é aquela que faz tudo que eu quero sem dores de cabeça!
Um abraço!
Congratuleixons man!

[9] Comentário enviado por phrich em 29/11/2012 - 17:44h

Muito bom o artigo, a exposição da troca de S.O. foi bem explanada.

Acredito que a maior barreira em uma possível troca de S.O. seja além do costume, a preguiça que "impera" nos seres humanos.

[10] Comentário enviado por rweu em 30/11/2012 - 11:49h

Bom dia a todos,

Realmente excelente matéria André; tomei a liberdade de colocar uma chamada para ela em Blog
....> http://rweu.blogspot.com.br/2012/11/gnulinux.html

Valeu meu camarada!!

[11] Comentário enviado por pinduvoz em 30/11/2012 - 23:04h


[10] Comentário enviado por rweu em 30/11/2012 - 11:49h:

Bom dia a todos,

Realmente excelente matéria André; tomei a liberdade de colocar uma chamada para ela em Blog
....> http://rweu.blogspot.com.br/2012/11/gnulinux.html

Valeu meu camarada!!


Fiquem todos à vontade para divulgar, pois quanto mais gente ler, melhor.

E obrigado pelo elogio.

[12] Comentário enviado por sinistrobaiano em 15/12/2012 - 02:09h

Salve companheiro,,,
matéria excepcional, gostei muito...
realmente muita informação bacana que só nesses bate-bolas para informar e formar leigos como eu (me libertei recentemente)!!!
força camarada!!!


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts