Aventuras, desventuras e Software Livre

Nesse artigo falo um pouco sobre minha iniciação no mundo da informática e sobre como me tornei um ativista e evangelista de software livre e algumas aventuras e desventuras inesquecíveis que vivi nesses tempos.

[ Hits: 11.606 ]

Por: jhonatam da mata de jesus em 08/06/2010


A volta do Linux ao meu PC



Enturmando com os amigos no curso técnico, um cara me emprestou um cd do Kurumin 6.1. Rodei ele de live cd por algum tempo, mas isso não era o suficiente, pois não ficava instalado e demorava a iniciar. Tudo era maravilhoso e colorido, mas meu mouse não funcionava (mouse laser PS/2), não desisti e aprendi alguns comandos que me permitiam navegar pela interface gráfica, acessar os programinhas e trocar papéis de parede, mas o mouse não funcionava e eu odiava isso, mas nunca proferi a frase "esse tal de Linux não presta".

Um outro problema que me assombrava muito, o famigerado particionamento de HD, aquilo me dava medo, pois eu já tinha passado por um trauma de perda de dados e isso me assusta até os dias de hoje. Demorei algum tempo até me decidir por instalar o sistema em meu PC, o curso técnico terminou e eu fui para a faculdade fazer análise e desenvolvimento de sistemas. Foi então que um amigo meu me presenteou com uma cópia do Kurumin 7 e adivinhem, meu mouse funcionava perfeitamente e não tive dúvidas, instalei o Linux no meu PC, mostrei para todos os colegas que me visitavam, eles não se mostravam interessados no sistema, no máximo falavam que legal, é bonitinho, mas não passava muito disso.

Usando o Kurumin 7 tive a impressão que tudo era possível no Linux, em especial no Kurumin, pois instalar as coisas era fácil e o apt-get era perfeito, até então não tinha contato com a filosofia de software livre ou algo do tipo, eu somente era usuário do Linux, sabia que podia modificá-lo, mas nem desconfiava como era possível fazer isso.

Outra coisa que me deixou radiante foi a descoberta que no Linux não se podia pegar vírus e isso era muito bom mesmo; minha vida estava realmente mudando, pois eu estava tendo experiências surpreendentes com o Linux.

O site do Guia do Hardware tinha ótimos tutoriais sobre o Kurumin e sobre como fazer as coisas nele, inclusive no sistema o usuário era incentivado a tentar criar algo com estrutura de servidor multiterminais, Samba e mesmo rodar alguns games com o wine ou usar efeitos surpreendentes com o Compiz, seguindo um tutorial elaborado pelo Morimoto.

Mas como nem tudo na vida são flores, comecei a ter problemas com o sistema, um dia ele simplesmente não quis iniciar, negando de forma convincente meu login e senha. Como não conhecia muito a respeito do sistema e guardava meus dados em um segundo HD, não pensei duas vezes, reinstalei o sistema e tudo ficou perfeito novamente.

Foi aí que descobri que não se podia instalar muita coisa sem a internet, tudo dependia da internet e uma tal de dependência, que coisa horrível. Continuei firme usando Linux e arriscando algumas instalações para colegas de trabalho e de faculdade, foi aí que um professor de engenharia de software anunciou um curso de administração de sistemas Linux e o sistema base para esse curso seria o afamado Slackware Linux, até então uma coisa mística que povoava minha imaginação como se fosse um Linux extra terrestre, uma coisa de louco/nerd/escovador de bits.

Nessa época já me aventurava pelo console, mas nada de especial, sabia comandos ls, cd, halt, reboot, mas nada parecido com o que me aguardava no curso de Linux.

Então o grande dia chegou, eu estava ansioso e li grande parte da apostila do curso logo no primeiro dia, me deparei com uma instalação do primeiro disco do Slackware 11 sem ambiente gráfico rodando e com uma tela de login me esperando, o professor escreveu nosso login e senha para entrarmos no sistema, nos ensinou comandos básicos e o curso foi uma maravilha, aprendi muita coisa sobre administração de sistemas Linux.

Em um dia do curso o professor me ensinou a subir o X com o comando "startx", então aparecia um ratinho e era esse o Xface, um ambiente estranho mas funcional, foi aí que descobri que no Linux existiam vários gerenciadores de janelas e que o KDE era ambiente padrão no Slackware Linux, mas em minha máquina ainda não tinha Slackware instalado, pois existia um Kurumin rodando lá.

Foi então que fiz uma atualização na distribuição e em um reboot a máquina não inicializava corretamente e isso foi o fim dessa distro em meu desktop, instalei o Slackware 12.0 que tinha uma instalação muito parecida com a instalação do Slackware 11, mas o som não funcionava, não me desesperei, procurei meu professor e perguntei porque tinha dado esse problema. E ele me disse para executar o comando alsaconf, rodei e deu tudo certo, som funcionando e tudo legal.

No curso de Linux eu me destaquei bastante por ser um dos mais jovens alunos e um dos que mais se interessou pelo assunto, ganhei uma bolsa para assistir a nova edição do curso, foi aí que comecei a estudar sobre software livre, a filosofia open source, as ideias de Richard Stallman sobre a história do movimento GNU. O Linux ganha um novo sentido e um novo nome, ele passa a se chamar agora GNU/Linux, que é como o pessoal do projeto GNU prefere que seja chamado e não vejo problemas nisso.

Comecei a ver o mundo da informática com outros olhos, a comprar hardware com uma nova visão, a usar software com pensamentos diferentes e a ver soluções open source nas coisas. Aos poucos me tornei um ativista de software livre, falava nisso o tempo todo, levantava a bandeira do software livre com todas as minhas forças e argumentos, alguns bem preconceituosos por sinal, mas eu crescia e cada vez mais tinha vontade de entender e de crescer no mundo da informática.

Um dia, a convite de um professor de lógica de programação, fui a um evento da Microsoft, o Microsoft Inovations Days, onde eles apresentavam tecnologias MS para muitas coisas e falavam de linguagens como C#, que eu achei muito parecida com Java. Não gostei muito do evento, mas valeu a pena.

Eu tinha um desejo crescente de ir ao FISL, pois nas revistas que eu lia parecia ser a meca do software livre no Brasil, até hoje não consegui ir ao evento, mas esse ano eu vou.

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. No início
   2. A volta do Linux ao meu PC
   3. Aventuras e ativismo
Outros artigos deste autor

Relato do 7° FGSL - Fórum Goiano de Software Livre

Com software livre você tem e você pode!

Leitura recomendada

Incrementando os efeitos do Ubuntu

Como fazer RAID 0 com mdadm no Debian

Aprisionamento Tecnológico

Certificado Digital para Peticionamento Eletrônico (2018)

Jopen, não se preocupe mais em descobrir qual aplicativo usar

  
Comentários
[1] Comentário enviado por nicolo em 08/06/2010 - 10:43h

Bom artigo.

[2] Comentário enviado por esrever_fl em 08/06/2010 - 11:55h

Sempre me aventurando no Linux toda vez que caio na opção jogos, acabo não usando ele.. mas isso é apenas 1 detalhe que não chega a ser 1%.

Estou tendo uma nova experiência com o linux e é encima de PDV´s com HARDWAREs completamente destruídos pelo tempo e mal uso...mas mesmo assim o S.O segura a bronca..não sei como .. Mas tenho certeza que se fosse no Janelas eu não estaria comentando aqui...rs


mas particulamente eu gosto dos 2.


POST MTO BOOD !


[3] Comentário enviado por removido em 08/06/2010 - 17:40h

"- Isso aqui é o Linux, isso não serve para vocês não, isso somente é para grandes empresas"
Mas o que é isso, cara você tem a certeza que era um técnico de informática falando???
è por isso que linux vem tendo a fama de software livre de sete cabeças, com essas publicidades!!!
Um abraço e belo artigo cara, parabéns.

[4] Comentário enviado por izaias em 08/06/2010 - 19:08h

Jhonatam, gostei de sua história, de suas palavras eloquentes, sua forma clara e sincera de expor suas emoções.
Meu amigo, é praticamente uma saga! Nunca li aqui no VOL algo semelhante!

Realmente desejo a você o melhor que a VIDA lhe puder dar! (muitas aventuras) :)!

[5] Comentário enviado por albfneto em 08/06/2010 - 19:27h

Bom! Muito bom, mesmo.
a trajetória pessoal de um Linuser...
sempre motiva mais gente.
Parabéns!

[6] Comentário enviado por jhonatam em 08/06/2010 - 20:41h

O brigado pessoal pelos comentarios positivos.
@Marun
companheiro quando eu escrevi tecnico de informatica entre aspas eu estava querendo mostrar como a maioria dos "tecnicos" sao ignoram totalmente nosso belo sistema !
e na epoca eu tambem nao saberia diferenciar um "Tecnico" de um Tecnico em informatica.

[7] Comentário enviado por rai3mb em 08/06/2010 - 21:15h

Muito bom o artigo, adorei, também já passei por umas nessa caminhada...

Parabéns pelo seu sucesso, está contribuindo muito para o seu conhecimento e para os demais a sua volta;

[8] Comentário enviado por landex em 09/06/2010 - 09:00h

Muito bom este artigo me identifico bem com suas aventuras, pois vivo com o Ubuntu sem internet em casa e me viro com atualizações e etc que pego na net no serviço ou na facu, Legal! Parabens por sua iniciativa.

[9] Comentário enviado por Lisandro em 09/06/2010 - 09:29h

Parabéns pelo belo artigo!

[10] Comentário enviado por rodrigozanuzzo em 09/06/2010 - 14:55h

É vivendo e aprendendo com o mundo do Software livre!
Parabéns pelo artigo!!!

[11] Comentário enviado por jhonatam em 10/06/2010 - 19:34h

Novamente obrigado pelos comentarios positivos pessoal, o feedback de voces significa muito para mim, no meu proximo artigo vou falar sobre "A paciencia dos usuarios Windows". onde vou citar alguns exemplos de pessoas que perdem tempo e produtividade com o software propietario !

[12] Comentário enviado por DanielGimenes em 11/06/2010 - 16:35h

legal! interessante essa sua história de vida!

quase perdi o vôo para Porto Alegre no ano passado para ir ao FISL, então acho q podemos dizer que todo bom evento é precedido de alguma dificuldade, hahaha. Mas gera boas lembranças e vale a pena!

[[]]'s

[13] Comentário enviado por jhonatam em 11/06/2010 - 17:13h

nossa isso eh mesmo engracado sempre antes de um evento ocorrem varios contratempos, tem um amigo meu que fala sobre snort, em uma de suas palestras momentos antes o snort parou de funcionar corretamente.
ele ficou super assustado !


Contribuir com comentário