Algoritmo Antissocial - Recuperando o Controle da sua Mente

Neste artigo, estarei compartilhando um algoritmo simples para sair das redes sociais, plataformas de vídeo e aqueles do xXx. Encare como um bom conselho e não uma verdade inegável e absoluta.

[ Hits: 1.962 ]

Por: Samuel Leonardo em 04/11/2020 | Blog: https://nerdki.blogspot.com/


Entendendo o problema



Uma das coisas que acontecem conosco, quando entramos em redes sociais, é: os algoritmos de Big Data estão vigiando você.

Eles sabem todos os seus gostos pessoais baseado nos seus comportamentos dentro do site. Sabem de quais tipos de comentários no YouTube você gostou ou não (dislike). Sabem de quais tipos de vídeos você mais passa tempo vendo. Sabem, por exemplo, quem são seus parentes, seus primos, seus tios ou mesmo seu crush.

Você mesmo é quem se expõe. Você mesmo é quem dá essas informações.

Como eles fazem isso? - O ingênuo pode perguntar. Por meio de algoritmos sofisticados de inteligência artificial! Exemplo, vamos supor que você nunca acessou a Internet na vida e vai direto para o maior site de vídeos e músicas, o YouTube.

No YouTube existem algoritmos específicos para detectar que quem está acessando tais vídeos, seja criado um perfil dele num banco de dados. Acredito eu, estou chutando, porque seria o que eu mesmo faria se tivesse um site assim.

Daí, depois de algumas interações no site e depois de inocentemente ver vídeos, os algoritmos de Big Data do YouTube constroem um perfil quase que perfeito daquela pessoa e assim, com o tempo de uso do site, passam a direcionar as melhores propagandas que melhor se adéquam àquele perfil de dados.

Mas não é só de propagandas que vive o YouTube, eles precisam que você passe mais tempo usando o site passivamente. Nesse caso, eles executam testes no seguinte esquema (vulgo teste A/B):
  1. Colocam um vídeo na página mais próximo possível do seu perfil de dados.
  2. Se você acessar o link do vídeo, então, este perfil de vídeo é um dos que mais lhe interessa.
  3. Se você apenas ignorar, então, este perfil de vídeo pode não ser bem o que lhe interessa.

Hoje mais cedo (31/10/2020), exclui a maioria dos canais que eu seguia que me pareciam não agregar nada. Até ai tudo bem, fiquei com uns poucos vídeos na página inicial e que dava para saber quais categorias se tratavam.

Só que é o seguinte, não havia vídeos de cachorros. Então precisei levar meu cachorro no veterinário. Peguei meu celular Android e liguei pelo WhatsApp para a moça que está nos meus contatos - está mais ou menos assim o nome: vet mart (fulana).

Como não fui atendido na ligação, deixei de lado e fui acessar o YouTube, só para passar o tempo. E olha o que encontro: vídeos de cachorros sendo levados ao veterinário. Coincidência? De forma nenhuma, é o poder do Big Data agindo em nossos corações e mentes, ou talvez no celular.

Quando você acessa o Facebook e passa muito tempo vendo vídeos, eles também usam o Big Data para te manipular. Ou você acha que o que aparece em sua timeline é simplesmente "o que meus amigos postaram"?

É tudo muito bem planejado, nem eu, nem você fazemos ideia do quão bem pensado em manipular a gente, são esses programas feitos pelos minions do Zuckemberg.

Apenas fique com aquela máxima: "quando o uso é grátis, você se torna o produto!" E você NÃO leu, mas concordou com os termos de uso.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Entendendo o problema
   2. Algoritmo antissocial
Outros artigos deste autor

Tutorial SDL

Desenhando um avatar do Tux no InkScape

Programação de Jogos com SDL

Dicas para aprender programação

Leitura recomendada

Aventuras do Mint Linux 10 em um computador antigo

Instalando Debian direto do HD

Exibindo um splash durante o boot com Splashy

Netstat a fundo (parte 1)

Gerando arquivos PDF em modo texto

  
Comentários
[1] Comentário enviado por cizordj em 04/11/2020 - 20:59h

Parabéns pelo artigo, eu percebo esse efeito aí no Instagram, parece que aquele "explorar" está cada vez mais viciante!

[2] Comentário enviado por mauricio123 em 04/11/2020 - 21:38h


Não tinha lido esse artigo antes, mas ficou bem explicativo.

___________________________________________________________
[code]Conhecimento não se Leva para o Túmulo.
https://github.com/MauricioFerrari-NovaTrento [/code]

[3] Comentário enviado por psctec em 05/11/2020 - 14:02h

Assistam o filme "O Dilema das Redes" na Netflix.

Usar o navegador em "modo anonimo" ajuda mas não miniminiza.
Não usar o Chrome ou o google como ferramenta de buscas, também ajuda.
Mas, as vezes as sugestões de compra realmente casam, rss

Att,
Paulo Correia
https://github.com/paulo-correia

[4] Comentário enviado por tertius em 08/11/2020 - 11:56h

Sobre esse assunto eu gosto do canal Rob Braxman Tech < https://www.youtube.com/channel/UCYVU6rModlGxvJbszCclGGw >. Ele tem vários vídeos que falam sobre isso. A maioria das pessoas não se importam que o Google, o Facebook, Twitter, etc, conheçam muito bem o seu posicionamento político, hobbies, personalidade, etc. Atualmente não tem tanto perigo essa situação, pois vivemos em um país democrático, mas nada garante que essas informações não serão usadas contra nós no futuro, até porque o Brasil tem uma democracia bem frágil.

[5] Comentário enviado por M4iir1c10 em 09/11/2020 - 12:07h

Bom Artigo... Nao chamaria isso de algoritmo mas abrindo para interpretacao podemos deixar essa passar. Esse comportamento &eacute; um dos motivos porque eu mudei de gerenciador de janelas "normal" para DWM. Manter o foco sem distracoes.

O Youtube eu nao assisto pelo navegador so pelo terminal usando o newsboat para me inscrever nos canais e mpv para assistir... Eu vou aproveitar que estamos em lock down denovo aqui na Inglaterra e vou escrever uma dica sobre isso...

<hr />
s.u.d.o = Shut Up and Do as Ordered.
<hr />

[6] Comentário enviado por mauricio123 em 12/11/2020 - 22:22h


[4] Comentário enviado por tertius em 08/11/2020 - 11:56h

Sobre esse assunto eu gosto do canal Rob Braxman Tech &lt; https://www.youtube.com/channel/UCYVU6rModlGxvJbszCclGGw &gt;. Ele tem vários vídeos que falam sobre isso. A maioria das pessoas não se importam que o Google, o Facebook, Twitter, etc, conheçam muito bem o seu posicionamento político, hobbies, personalidade, etc. Atualmente não tem tanto perigo essa situação, pois vivemos em um país democrático, mas nada garante que essas informações não serão usadas contra nós no futuro, até porque o Brasil tem uma democracia bem frágil.


É por isso que não costumo usar essas redes sociais com frequencia (1 vez por mes e olhe lá).


Contribuir com comentário