Afinal, o que é o Ubuntu?

Não se engane pelo título! Não se trata de mais um artigo chato contando a historinha do milionário que banca o Linux mais popular do mundo. Mas sim de uma ideia absurda de que alguns acham que Ubuntu não é Linux. Sendo assim, o que afinal é ele? Só há uma resposta e permita-me lhe dizer qual é!

[ Hits: 54.710 ]

Por: Lúcio SLV em 14/12/2010


Omelete é um nome pomposo, mas não deixa de ser ovo batido!



Linux: Afinal, o que é o Ubuntu? Indiscutivelmente o Ubuntu é a distribuição mais comentada, a mais usada, a que mais cresce anualmente e a que abre as portas para o mundo do software livre que muitos estão descobrindo e se encantando. A palavra Ubuntu significa uma ideologia ética sul-africana focada no compromisso e relações entre as pessoas.

A palavra vem das línguas Zulu e Xhosa. Ubuntu é visto como um conceito tradicional africano, é tratado como um dos princípios fundamentais da nova república sul-africana e é conectado à ideia de um renascimento africano. Essa ideia foi primeiramente difundida pelo arcebispo Desmond Tutu:

"Uma pessoa com Ubuntu é aberta e disponível aos outros, assistente aos outros, não se sente ameaçada por outros que são capazes ou bons, uma vez que ele ou ela tem uma autoconfiança que vem do saber que ele ou ela pertence a um conjunto maior e é diminuído quando outros são humilhados ou diminuídos, quando outros são torturados ou oprimidos."


Todo esse profundo sentimento esta sintetizado nesta palavra que dá nome a esta distribuição que alguns insistem em classificá-la como sendo qualquer outra coisa mas jamais um sistema operacional Linux genuíno.

Poder-se-ia imaginar esse tipo de comentário vindo dos irredutíveis e ardorosos fãs e usuários do outro sistema operacional muito famoso por possuir a preferencia mundial no desktop. Mas surpreendentemente isso é dito por pessoas que utilizam o mesmíssimo kernel que é o âmago ou o cerne de qualquer uma das 100 principais distribuições que constam na lista da "Distrowatch", cujo primeiro lugar cabe curiosamente ao Ubuntu.

Essas pessoas ficam chateadas pela facilidade que a distro apresenta, principalmente para os iniciantes que veem nesta última uma certa familiaridade com aquele sistema operacional supracitado. E devido a isto ele é mal visto e há quem se expresse da seguinte forma:

"Concordo com os que separam Linux e Ubuntu. Linux é uma coisa, Ubuntu é outra. Linux é personalizar, criar, hackear (no sentido original da palavra), modificar, estender, entender. Ubuntu é usar Desktop, usar um Gnome in-the-box, aplicativos "novos" em uma plataforma diferente, coisa de quem já usa outro Desktop gráfico." (13/07/2010 - Revista info)


Há uma matéria curricular excepcional chamada "Raciocínio Lógico" no qual ajuda a não nos deixarmos enganar por raciocínios ambivalentes como o mencionado acima. Quer um exemplo?

O brasileiro é bom de bola e tem o maior jogador de todos os tempos cujo nome é Pelé. Logo, isso significa que todo brasileiro é bom de bola?

A começar por mim essa afirmativa é totalmente falsa. Pra quem tem acima de 30 anos deve se lembrar de uma propaganda veiculada no final dos anos 80 de uma marca de shampoo que tinha como slogan: Denorex tem cheiro de remédio, tem cor de remédio, parece remédio, mas não é.

Simples assim! O nosso colega do comentário equivocou-se achando que por ser "fácil" não é Linux. Por ter muitos usuários não é Linux. Por ter um ambiente gráfico não é Linux. Por ser mencionado inúmeras vezes em revistas especializadas não é Linux. Por se rivalizar com o outro S.O não é Linux.

Enfim, o nosso colega parece não saber que se não gostar do Gnome tem o KDE. Se nenhum dos dois agradar, temos o XFCE. E caso também não gostar temos o LXDE e alguns outros e se não tiver jeito; o que acho pouco provável, pode-se usar somente o modo texto. Ufa! Se este também não agradar, o melhor a fazer é desistir e ficar mesmo com o S.O. do Bill Gates.

Seja o Fedora, openSUSE, Slackware, Poseidon, Puppy o que for, o ambiente gráfico será um destes mencionados, e em breve teremos o Unity que será lançado em Abril de 2011 e é a nova aposta da Canonical e se vai agradar ou não, só o tempo irá dizer. Acho que isso vem ao encontro das palavras (modificar, estender, entender) da visão do nosso querido colega do que seja Linux.

A Ford fabrica carros, a Fiat também. Embora tenham modelos e características diferentes uma da outra, o fato é que o produto individual deles não é algo diferente (no sentido original da palavra). Ou seja, se tem forma retangular com quatro rodas, motor e portas é carro, não adianta querer chamar de carroça, pois não é.

O nosso colega também esqueceu ou não sabe que não foi a Microsoft que inventou a GUI pra PC doméstico, e sim a Xerox. E ainda por cima esta comparando o terceiro com o primeiro, esquecendo de mencionar o Mac tão aclamado pela elite e segundo certas estatísticas é o segundo sistema operacional mais usado no mundo e sequer foi mencionado. Que indelicadeza!

Mas se o nosso colega quer mesmo "hackear" eu sugiro primeiro ler o livro "Universidade Hacker" pra entender certos conceitos e desmitificar certas idiotices do imaginário popular onde reina o estereótipo do nerd num quarto escuro e com uma tela preta e uns comandos e basta um enter e o mundo inteiro então fica em suas mãos. Ou seria dedos?

Enfim, muito legal no cinema, mas na vida real isso está muito longe de ser verdade e nem vou entrar no mérito da questão, pois é chover no molhado e quem conhece o assunto sabe muito bem do que estou falando.

Com exceção dos administradores de rede em que o servidor seja Linux, a ideia de ficar somente em modo texto é algo que até o Linus Torvalds torce o nariz. Ele usa o Fedora e pelo muito pouco que sei utiliza o Gnome como ambiente principal, embora a distro também disponibilize um release com o KDE, algo muito democrático e a cara do Linux: pluralidade, liberdade de escolha e por que não facilidade?

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Omelete é um nome pomposo, mas não deixa de ser ovo batido!
   2. Boa comunicação é aquela em que todos se entendem
Outros artigos deste autor

O Mestre, o Tecnólogo e o Aprendiz

Recupere o Grub na MBR após uma instalação do Windows

Qual é o melhor Sistema Operacional?

Fazendo jus ao nome GNU/Linux

Quão segura é a sua senha?

Leitura recomendada

Kernel 2.6: a instalação mais fácil

Kernel Hacking (RootKits)

Kernel 2.6.9 no Slackware

Compilando o kernel 2.6.13 no Slackware 10.2

Kernel-BALA

  
Comentários
[1] Comentário enviado por mago_dos_chats em 14/12/2010 - 08:04h

Cara, parabéns gostei bastante do artigo e esta é uma forma de abrir a mente de pessoas que não sabem o que é linux e o que ele representa.

[2] Comentário enviado por Teixeira em 14/12/2010 - 08:46h

Muito bom e oportuno o seu artigo.
Parece haver nas pessoas hoje em dia a necessidade de fazer afirmações inverídicas, com o intuito de criar polêmica. Afinal seria inimaginável que algum profissional do ramo escrevesse em uma revista especializada alguma coisa da qual nada entendesse.
Ora, se Ubuntu tem suas raízes na Debian e também na Knoppix não tem como NÃO SER Linux. E isso é "óbvio ululante"...
Não precisa ser nenhum Sherlock Holmes para descobrir isso.

[3] Comentário enviado por heepz em 14/12/2010 - 11:17h

O que percebo em alguns usuários de Linux, sobretudo os mais conservadores, é fobia a ambientes gráficos. Tudo que for dirente de uma tela de terminal para eles é um atentado ao Linux. Talvez uma pontinha de ciumes pelo fato de distribuições linux estarem se popularizando e chegando a usuários domésticos.

Chega desta mentalidade nerd !

[4] Comentário enviado por eldermarco em 14/12/2010 - 12:43h

Esse papo de que o Ubuntu não é Linux é um absurdo dos maiores! Apesar de não ser um usuário dessa distro, sou um grande admirador dela pela filosofia e a tentativa de alcançar cada vez mais os usuários iniciantes. De quebra, ainda consegue a maior "fatia do bolo", já que a grande partes dos usuários Linux se identificam com ela.

[5] Comentário enviado por stremer em 14/12/2010 - 13:41h

bem... eu sempre deixo claro que o linux é o kernel, mas o sistema todo acaba levando esse nome, pois é um nome "forte" que "pega" por isso foi o nome escolhido pelo próprio linus...
as vezes as pessoas confundem as deficiências do linux com as do software livre... é muito normal a pessoa falar que tal funcionalidade do linux é ruim quando na verdade essa funcionalidade é do gnome, do kde, do firefox, do gimp e o mesmo defeito estará presente também nos BSDs e até usando software livre embaixo do próprio windows!
Bem, mas então ubuntu é usar software livre???? Depende... o grande lance que o ubuntu modifica muita coisa do software livre original... se perceber até o próprio nome linux não é tão evidente no ubuntu... ubuntu usa uma série de software livre mas tem a cara do ubuntu... esse foi um dos motivos que deixei de utiliza-lo (além de achar que o sistema vem ficando cada vez mais pesado). Da mesma forma que tão trocando o gnome pelo unity (apesar que unity tbem é gnome, gerenciamento do desktop, eu mesmo confundi com o terminal), nada impede que amanhã o ubuntu troque o linux pelo hurd ou por qualquer outro kernel e deixe de ser linux... a proposta do software livre era essa, poder trocar tudo... o linux é apenas o kernel e era para ter sido uma coisa provisória!

A diferença do ubuntu pros outros linux é que a ideia da canonical é ter um sistema com cara de ubuntu e não um empacotamento de programas livres! Um sistema completo, igual o windows e mac os... com cara de ubuntu independente do que tenha por baixo dos panos.

Será que um dia ubuntu deixará então de ser linux????

Enfim... minha opnião!

[6] Comentário enviado por Ricardo Camara em 14/12/2010 - 14:01h

Por que para ser Linux tem que ser complicado? A grande vitória do Linux é através das distribuições que vêm facilitando a vida do usuário comum ter uma alternativa viável em relação ao Linux. Para ser Linux tem que ser complicado e difícil. Coisa só para nerd? Quanto mais fácil e amigável ficarem as distros Linux maior será a inclusão digital das pessoas, que só não é pior por causa da pirataria, posto que pelo menos no Brasil, duvído que mais de 20% dos computadores domésticos brasileiros tenham Windows legalizados. Os que têm são em função das distibuições OM.
Só porque uma distro Linux obtem sucesso na "amigabilidade" não pode ser considerado uma ofensa aos princípios Linux. É um absurdo. Linux não tem que ser coisa de nerd. Ele tem que atingir o público comum permitindo melhorar a inclusão digital.

[7] Comentário enviado por removido em 14/12/2010 - 14:38h

Stremer, seu comentário foi tão bom quanto o artigo do nosso amigo lúnix.
Eu tb acho que o ubuntu é linux e só deixará de ser quando mudar de Kernel.

A diferença é que o ubuntu é um Linux que está tentando criar uma identidade própria.

Na verdade, eu acho que isso é muito mais justo do que usar o gnome, usar programas do gnome e chamá-lo apenas de linux.
Assim, se chamarmos de Ubuntu, não estamos cometendo nenhuma injustiça.

====================

Sobre as facilidades que o ubuntu ofereçe, eu gostaria de puxar um pouco a sardinha pro meu lado.

Sou professor de xadrez, e do modo que esses xiitas pensam, no meu lugar eles já começariam suas aulas dando problemas, aberturas complexas e partidas inteiras pra uma criança analisar. Isso não teria o menor sentido.

Como educador eu aprendi que a aprendizagem é um processo contínuo, e como processo, ela precisa começar do mais simples (aqui não é simples de KISS e sim, simples de fácil) até o mais complexo.

Hoje eu estou escrevendo este comentário do meu slackware, que nem sei como ainda está funcionando, de tantos testes experimentos e coisas que fiz nele. Não quero dizer que sou usuário avançado, mas quero dizer que nunca estaria aqui se não fosse o ubuntu.

Colega Lúnix. Acho que você escreve muito bem, e me desculpe a sinceridade, mas acho que este artigo é um desperdício de energia. Você focou no que esses xiitas pensam, e sabemos que eles nunca irão mudar, infelizmente.

Continue usando seu conhecimento para ajudar quem precisa.

Abraço

[8] Comentário enviado por removido em 14/12/2010 - 14:49h

Excelente artigo, ótimas palavras.


Abraço

[9] Comentário enviado por removido em 14/12/2010 - 15:43h

Acho q GNU/Linux é pra quem é curioso. Se o cara não tem a curiosidade de saber oq é, como funciona, oq tal coisa faz, pra q serve, ele vai simplesmente usar o Windows q veio no computador dele.

Apenas a minha opinião...

ps: Lúcio, talvez vc deveria entender a palavra "hacking" (no sentido original da palavra). Talvez vc tenha mal-interpretado o trecho citado da revista.

http://stallman.org/articles/on-hacking.html


No mais, otimo artigo.

Abraços

[10] Comentário enviado por pinduvoz em 14/12/2010 - 16:41h

Amigo, seu artigo é oportuno e bem escrito.

Não entendo e nunca vou entender o porquê da má-vontade em relação ao Ubuntu. Inveja, por enquanto, é a única explicação parcial que encontro, pois nem mesmo tal sentimento mesquinho poderia abarcar o lado bom do fenômeno Ubuntu, que foi ter tirado o Linux do "gueto".

Enfim, "os cães ladram e a caravana passa", como dizia o Ibrahim Sued. E o Ubuntu veio para ficar e levar cada vez mais usuários pro "outro lado da força".

[11] Comentário enviado por beneskate em 14/12/2010 - 17:13h

kernel é um cantor sertanejo do Usbequistão em turnê no Afeganistão..... kkkkkkkk.......


[12] Comentário enviado por tacoinfo em 14/12/2010 - 19:04h

Lúcio, antes de mais nada meus parabéns pelo artigo !
Olha instalo quase que diariamente roteadores e firewall em Linux , efetuo algumas configurações as vezes bem simples e as vezes bem complexas, comecei utilizando conectiva Linux 4, era uma distribuição que quando algo funcionava , o pessoal fazia festa, depois vieram outras versões do conectiva e todas eram muito fracas em termos de facilidades de configurações , Usei por muito tempo Red Hat até a versão 9 e depois outras Debian, Suze, FreeBSD (forte e robusta , mas muito burocrática) , e sem duvida nenhuma , na minha humilde opinião , existe um marco antes e depois do lançamento do Ubuntu, principalmente em relação aos usuários de desktop ou quem esta querendo instalar seu primeiro LINUX, em distribuições utilizadas em modo texto ela não fica a desejar em modo gráfico hoje não tem para ninguém , enfim, quem acha que Ubuntu não é Linux , não gosta de samba e bom sujeito não é........... abraços e seja feliz !
Marcelo

[13] Comentário enviado por dbahiaz em 14/12/2010 - 19:48h

Belo artigo!

Pena que tem companheiros que ainda não entendeu seu recado, na verdade eu quero que esses mostre onde está escrito nas milhões de linhas que Linux é pra "tal tipo de pessoas", esquecemos isso, Linux é pra todos... minha mãe usa, hoje em dia muita gente usa Linux e nem sabe, que seja assim para sempre.

Ninguém segura mais o Linux, nem mesmos o Linus tem mais controle absoluto, já escapou, já era, agora é nossa vez, simples mortais! E novamente "o Ubuntu é o divisor de águas", felizmente! E convenhamos, mesmo que o Ubuntu mude de Kernel, o Linux sobreviverá, alguém duvida?

Abraço.

[14] Comentário enviado por huxley em 14/12/2010 - 23:58h

Muito bom o artigo, felizmente são pessoas com o pensamento elencado acima que faz do Linux o que ele é hoje: “pluralidade, liberdade de escolha e por que não facilidade? “

[15] Comentário enviado por jaime.mendes em 15/12/2010 - 00:49h

Excelente texto.
Acho que o crescimento do Linux, assim como do software livre e do opensource já saiu das mãos de qualquer indivíduo. Isso é uma tendência esmagadora.
Acredito ainda que em um futuro próximo os próprios titãs da indústria informática estarão propondo seus sistemas operacionais e softwares totalmente gratuitos.
A nossa função nesse processo vai ser a de não só espectadores, mas também de participantes.
Para mim ums coisa é fato: o futuro se baseará nas nuvens e na liberdade.
Lucro? Deixem isso pros hardwares.

Essa é a minha humilde e ainda mal-formada opinião.
Concordo com a maioria dos amigos que afirmaram suas versões sobre essa perspectiva.

Aliás, não vi e nem usei sistema operacional muito superior ao Ubuntu 10.10.

Abraços.
Att:
Jaime Mendes.

[16] Comentário enviado por tonnytg em 15/12/2010 - 09:14h

Sou fã do ubuntu pela facilidade que trás aos usuários sem conhecimento.
Mas minha distro favorita mesmo é o slack.

No trabalho do preferencia agora para usar o backtrack já que tem base no ubuntu isso facilita muita coisa mesmo e como dito no artigo abre muitas portas.

Quem imaginaria que o software livre chegaria a esse patamar, temos opções de distros até para mobile ou consoles de video game como ps3.

Abraço e parabens pelo artigo.

[17] Comentário enviado por eldermarco em 15/12/2010 - 10:49h

@jaime.mendes,

Software livre dá muito lucro. Olhe para a Red Hat, a fundação Mozilla e a própria Canonical, por exemplo. É MUITA grana que rola nisso. Mesmo que o sistema seja distribuído gratuitamente, existe muitas outras formas de lucrar com software livre. Aliás, se não fosse assim, creio que o sistema não estaria crescendo como está hoje.

[18] Comentário enviado por Teixeira em 15/12/2010 - 11:49h

Para saber se Ubuntu - ou qualquer outra distro - é Linux ou não, basta consultar a quem sabe.
Um dos bons exemplos de quem sabe é a Distrowatch, que é bastante imparcial.

Acho que escrever besteiras em nome de uma empresa já conceituada depõe contra quem escreve e TAMBÉM contra a empresa.
Qualquer leigo que seja apenas mais curioso um pouquinho - e através de pouquíssimos "keystrokes" fica sabendo da verdade.
Agora aqui somente para nós, a torcida do Corínthians e do Flamengo, FICOU MAL, hem?!...

[19] Comentário enviado por fbrump em 15/12/2010 - 12:28h

Namoral, a pessoa que vira pra mim e fala que Ubuntu não é Linux merece morrer namoral. Cara, se eu não entendo de dança, eu não falo nada sobre dança; se eu não entendo de navio, eu não vou falar nada de navio; se eu não entendo de um assunto, eu não falo nada, primeiro pesquiso sobre o assunto depois eu penso em argumentar. Entendeu?

Pow, eu usu Ubuntu desde 2008, o meu primeiro Linux foi o Ubuntu e desde então praticamente só uso Ubuntu, Winlixo só uso no trampo, porque ordens da gerência e para fazer algumas coisas da facul, mas eu chego a ficar semanas sem usar o Winlixo...só curtindo o meu UBUNTU.

Uma coisa que é óbvia, mas muitos não entende, da mesma forma que existe Win 98, XP, 2000, 7, etc. também existe Linux Ubuntu, Kurumim, DEBIAN (meu sonho de consumo domina-lo), OpenSUSE, Fedora, etc. São distribuições pow!! mas que droga... é fácil assim.

Eu acredito no Linux e tenho certeza que é o futuro, porque é livro (então tu não está em pecado, porque a maioria está rsrsr até eu, por usar Win Pirtão rs) e faço facul de Ciência da Computação, até eu terminar vou começar a programar em Linux, já estou estudando em casa. E t

[20] Comentário enviado por julianoas em 15/12/2010 - 14:35h

O que é o UBUNTU?

É a versão "EMO" do Debian...

Brincadeiras à parte, ubuntu é portanto tão nativo quanto qualquer outra distro, se não for ainda mais pela proximidade que tem com o Debian. Só é visualmente mais bem apresentável.

Pela sua qualidade, simplicidade e performance foi adotado na IBM esta distro, como alternativa ao Red Hat e Suse. Visto que Microsoft Trashnologies não são mais adequados por questão de segurança.

Minha opinião pessoal, com 17 anos de bagagem.

Juliano Alves dos Santos
IBM - IT Specialist
Debian/Ubuntu User

[21] Comentário enviado por cristianokittie em 15/12/2010 - 15:37h

Muito bom o artigo, eu mesmo uso o Ubuntu por sua facilidade em configurar em instalar programas com os "duplo click" (apesar de eu sempre instalar pelo modo texto), tentei usar o Suse o Slack, mas voltei para o ubuntu. Se eu quisesse complicar minha vida eu usaria Windows mesmo, mas estou atras de "descomplicação". Parabens pelo artigo e concordo com sua opnião.

Cristiano Verissimo

[22] Comentário enviado por pinduvoz em 15/12/2010 - 21:08h

E ninguém veio aqui dizer que "Ubuntu" é uma palavra africana cujo significado é "não consegui instalar o Debian".

Parece que o pessoal do VOL está mais evoluído.

[23] Comentário enviado por walewin74 em 16/12/2010 - 11:33h

Devemos continuar a elevar o ubuntu ao patamar que ele merece.Melhor linux da atualidade, completo e que não assusta aqueles que tem medo de linux,,,,boa amigão,colaborar sempre...

[24] Comentário enviado por HER GNU/Linux em 16/12/2010 - 11:38h

Parabéns pelos comentários.

[25] Comentário enviado por paulloal em 17/12/2010 - 09:59h

Que ignorancia da revista comenta algo assim Ubuntu é facil, personalizado, modificavel.
creio eu com um fraco conhecimento no Linux que todas as distribuição é personalizada...

eu acho que nao é o melhor linux. e sim voltado mais para Desktop.. como ja vi muitos
sevidores Ubuntu funcionando e muito bem estavel

eu acho que a revista foi infeliz com esse comentario. caiu no meu conceito que tinha
dessa revista..

Otimo artigo com uma Abordagem polemica!!

[26] Comentário enviado por draggom em 17/12/2010 - 18:29h

Sou amante do software livre, sempre usei o debian e acho a melhor distro, só por um detalhe, não tinha grana para comprar um pc potente, só dava para usar o famoso debian lenny, andei testando o ubuntu 9.04 e no final o 10.10, acho o ubuntu fantástico e bem facíl de usar, qualquer criança pode trabalhar nele, só que tem muitos xiitas que são contra todas estas facilidades, compilar kernel é para nerd e estes caras malucos. Para finalizar eu continuo usando debian, mesmo com um pc com mais potencia.

[27] Comentário enviado por ghost-navigator em 18/12/2010 - 14:27h

Nosso Amigo fez um artigo fantastico e o felicito pelo mesmo, uso a distro desde o fim do Kurumim e o proprio se populárizou justamente por ser uma distro facil e por ser facil não é linux, o amigo ressaltou valores importantes sobre o nome Ubuntu e suas origens pena que tem pessoas idealistas que não ve de forma ampla o usuário que migra do ... para o linux como um salto amplo em busca de conhecer algo novo...

[28] Comentário enviado por premoli em 18/12/2010 - 16:35h

Caraca mano, gastou hein!!! Parabéns e Viva o Linux!!! Viva que tem Ubuntu!!!

[29] Comentário enviado por removido em 18/12/2010 - 18:02h

Muito interessante esse artigo, eu que sou novato no Ubuntu e no Linux, gostaria de aprender um pouco mais, alguma sugestão? uso o Ubuntu Lucid que um colega instalou para mim.

Sobre o Viva o Linux, porque temos que digitar letras antes de comentar?


[30] Comentário enviado por Ricardo Camara em 19/12/2010 - 16:57h

Para evitar os programas que geram acessos e informações automáticas.

[31] Comentário enviado por brunotec em 19/12/2010 - 18:09h


###############################################################
Que todos nós temos a necessidade de nos sentirmos diferentes e apreciados pelas nossas habilidades, isso é totalmente natural e compreensível. Algo inerente a qualquer ser humano. Mas quando intencionalmente dificultamos as coisas só para parecer ser mais inteligente e diferente que os outros soa como mesquinharia e autoafirmação desmedida.
###############################################################



###############################################################
O muro de Berlim e a URSS já não existem mais, será que esqueceram de dizer a essas pessoas que a boa comunicação é aquela em que todos se entendem ou que se faz entender? Facilidade é bem vinda mesmo para aqueles que sabem fazer do jeito difícil. O tempo que se perde com coisas que podem e devem ser automatizadas, se ganha em produtividade e ampliação em conhecimento em outras áreas. Ninguém perde! Na verdade todos ganham. E convenhamos o Ubuntu é a prova de que simplificar dá muito mais retorno do que complicar, pois afinal quem vive de pose é modelo!
###############################################################

Parabéns!!! Show de bola seu artigo véio !!!

Essas foram as partes que mais gostei do artigo, pois muitos preferem usar esse ou aquele sistema mais dificil simplesmente para se sentir melhor que os outros e mal sabem que se poupassem todo esse tempo, estariam não parando no tempo!! e sim evoluindo ao adquirir novos conhecimentos!!

Belo artigo cara!!

[32] Comentário enviado por CyberMutante em 20/12/2010 - 07:07h

Bravo !!!
Ótimo texto.
assino embaixo ;)

[33] Comentário enviado por DanIfpe em 20/12/2010 - 12:33h

Ótima publicação, o Ubuntu é uma legítima distro Linux e busca acima de tudo trazer simplicidade para o usuário final. É por esse motivo que ele é indicado para iniciantes em Linux e depois, se quiserem, podem migrar para outra distro como Fedora ou openSUSE ou Mandriva ou qualquer outra que atenda a sua neceessidade.

[34] Comentário enviado por Lisandro em 21/12/2010 - 08:38h

Muito divertido...
Parabéns.

[35] Comentário enviado por ---Anonymous--- em 21/12/2010 - 10:27h

"Concordo com os que separam Linux e Ubuntu. Linux é uma coisa, Ubuntu é outra. Linux é personalizar, criar, hackear (no sentido original da palavra), modificar, estender, entender. Ubuntu é usar Desktop, usar um Gnome in-the-box, aplicativos "novos" em uma plataforma diferente, coisa de quem já usa outro Desktop gráfico." (13/07/2010 - Revista info)
----------------------------------------------------------------------------------------------------

Olha, seu artigo é muito interessante, estou aqui para comentar apenas essa frase acima que você retirou de uma revista muito legal.
Mais uma vez, estarei falando de quem fez a frase acima e de xiitas, e não do autor do artigo o qual fez um artigo muito interessante.

Quem fez essa frase é um usuário Linux ou um usuário de um outro sistema operacional (Diga logo Windows porra) ?

Sabe, se foi um usuário Linux, acho que o cara deve ser aqueles merdinhas que se acha inteligente, e que fica com a cara feia o dia todo, e que não ajuda ninguém, simplesmente fala: Se vira! (Sim, com certeza é um bosta de um xiita).

Se foi um usuário Windows, é porque já estão reconhecendo que o Linux está ficando ótimo, maravilhoso e isso é um bom sinal.

Agora, pelo santo amor do Pai do céu, como é que uma pessoa que usa Linux, pode falar mal do próprio Linux ??
Ha, mais eu sou xiita, sou conservador!

PESSOAS QUE GOSTAM DE LINUX, NÃO FALAM MAL DE LINUX, E AINDA POR CIMA, AJUDAM OUTROS USUÁRIOS DE OUTROS SISTEMAS OPERACIONAIS PARA MOSTRAR QUE: LINUX É HUMILDADE, LIBERDADE E APRENDIZAGEM.

E ISSO, O UBUNTU MOSTROU A TODOS.

PARABÉNS UBUNTU E A EQUIPE QUE MANTEM VOCÊ

[36] Comentário enviado por elisantos em 22/12/2010 - 09:49h

muito bom!
luto diariamente contra o preconceito. não sei nem mesmo quais palavras utilizar para não ser deselegante contra tais usuários fanboys de distros mais "genéricas" vivem insistindo em problemas do Ubuntu. colocam a culpa no usuário, na canonical, no kernel, na pqp...
dizem que os usuários do Ubuntu são idiotas/emos/newbies... quanto a isso me manifesto lembrando que a maior parte dos usuários Ubuntu são iniciantes vindos da MS, mesmo publico alvo do Kurumin Linux. OPA! porem ninguém falava mal do kurumin!!! talvez pelo fato do desenvolvedor ser o Morimoto, alguém muito conhecido aqui no Brasil...
independente da distro... Linux é Linux! lamentável mesmo e ver uma guerra dentro de casa enquanto os bandidos estão a solta pelas ruas.

[37] Comentário enviado por vinivend em 22/12/2010 - 11:36h

cara, muito bom o artigo. isso deveria ser mostrado pra muitos usuarios windows pra ter mais noçao das coisas antes de rejeitar e reclamar.

parabéns

[38] Comentário enviado por cruzeirense em 22/12/2010 - 13:18h

"DIVIDIR PARA CONQUISTAR"

Enquanto nós brigamos entre nós mesmo por questões tão ridículas o Windows continua disparando na frente.
Achei excelente o seu artigo. Acho que devemos ignorar tais usuários que mais atrapalham do que ajudam. Chega a ser absurdo dizer que um dos linux mais utilizados (se não for o mais utilizado) não é linux. Se não é linux então o que é?
É aquela história. O cara é o único na roda de amigos que usa linux, e se acha o maioral por isso. Eis que surge um linux simples, que qualquer um pode instalar o cara fica com medo de perder seu posto de "John Fodon" e aparece com uma asneira destas...
O pior é uma revista renomada publicar uma coisa dessas...

Eu sempre fui defensor do ubuntu e é sempre a distro que instalo para qualquer um que queira, não por achar melhor de todos, mas porque já estou acostumado com ela e sei da grande maioria dos macetes de instalação e configuração e dos problemas que podem surgir.

Lembrem-se sempre: "A MELHOR DISTRO É A QUE VOCÊ CONSEGUE USAR!!!"

[39] Comentário enviado por mpmoraes em 22/12/2010 - 13:49h

Cara, achei muito bom seu artigo.
Sem "apaixonites" tolas e muita prudência no discurso.
Sou usuário linux inicante, pensando que estou chegando a médio rs rs.
Já usei Ubuntu (8.10, 9.04, 9.10 - a melhor, 10.04 e 10.10), Fedora (12, 13 e 14), OpenSUSE (11.2 e 11.3) e Debian (5.0 e ensaiando o 6.0).
Linux é tudo igual, mas elegi o ubuntu gnome como a melhor interface para mim.
E concordo quando afirma que ubuntu é linux.
Chega dessa teoria de M.. que se apoia no discurso de que o mais difícil (ininteligível) é o melhor, ou seja, o linux "raiz".
Acredito que o cara que consegue colocar todas as funcionalidades de um sistema como o linux de forma simples, preferencialmente interface gráfica, para os novos entrantes no mundo linux, esse sim é o cara.
Facilitar para outrem nos gera muitas dificuldades e quem consegue isso é o mago do negócio.
Parabéns!

[40] Comentário enviado por maxmnn em 22/12/2010 - 13:53h

Lúcio,
Foi realmente gratificante ler esse artigo sobe o Ubuntu. Escrito de maneira simples e objetiva, com riqueza de conteúdo e sem frescuras.
Disse tudo em poucas palavras.
Parabéns!

[41] Comentário enviado por walewin74 em 22/12/2010 - 15:09h

Tem muita gente preocupada com o estrago que o Ubuntu esta fazendo no mundo dos SOs,,,isso é a melhor maneira de nos referenciarmos a tal artigo....Ubuntu é Linux, Linux é Ubuntu....Parabens a todos e continuemos a identificar cada vez mais o Ubuntu...

[42] Comentário enviado por kil-linux em 23/12/2010 - 09:34h

acho que isso é medo do ubuntu dominar os desktops residencias, oque realmente esta acontcendo, sou iniciante no linux mas com muita vontade de aprender mas sobre esse sistema e tambem um disciminador da distribuição.

[43] Comentário enviado por kil-linux em 23/12/2010 - 09:35h

a melhor maneira de se começar e pela distro ubuntu, otimo artigo

[44] Comentário enviado por DevilsCry em 23/12/2010 - 12:24h

LINUX é toda uma filosofia, qm fala q distribuição X ou Y não é linux por sua interface grafica trazer maior facilidade ao usuario deve rever os conceitos atuais de Sistema Operacional, pois qualquer sistema operacional q não evoluir terá seu fim em algum momento. Linux está em evolução grandes DataCenter os tem como base de seus sistemas e cada vez mais novos usuarios aderem a filosofia Linux graças a evolução em cada distribuição.

[45] Comentário enviado por albertoaalmeida em 23/12/2010 - 15:57h

Lucio,

Parabéns, o artigo é muito importante para realmente entendermo o poder que o Ubuntu tem e o espaço que vem conquistando.

Abraços.

Alberto Almeida
www.albertoalmeida.blogspot.com

[46] Comentário enviado por murderb13 em 23/12/2010 - 17:48h

Parabéns....!!!

Muito BOm..

ah segue o link da matéria do jonal nacional explicando o termo UBUNTU.
bem legal!

http://www.ubuntudicas.com.br/blog/2010/06/ubuntu-no-jornal-nacional/

[47] Comentário enviado por cajaboy em 25/12/2010 - 22:00h

cara, muito bom o artigo, não porque o ubuntu é o mais usado que vai deixar de ser linux.

[48] Comentário enviado por slaxlinux em 26/12/2010 - 17:57h

Caro Lúcio M.V. Silva boa tarde

Só agora ví e lí seu artigo (há dias que não acesso o site), bem feito para aqueles que gostam de falar e escrever besteiras. Seu artigo é uma verdadeira lição para os apressadinhos, conceito 9,6? de jeito nenhum o conceito é DEZ. Parabéns e nos brinde com mais artigos.

[49] Comentário enviado por willsouza em 28/12/2010 - 10:35h

Gostei muito do seu artigo e da forma em que trata a informação.
Ontem passei por esta situação, uso Ubuntu em meu notebook e um "ser" para não dizer outra palavra, afirmou que Ubuntu é para fracos, que o certo para eu usar é o Debian ou CentOS.

Infelizmente, muitos ainda não sabem. Creio que com seu artigo, as pessoas irão pensar 10000000000.... de vezes antes de dizer tal baboseira.

Meus Parabéns!! Muito bom!

[50] Comentário enviado por sombr@ em 28/12/2010 - 18:47h

D++++++++++++++++++++++++++++++, VAMOS VER SE ASSIM ESSES PERTUBADOS PARAM DE FALAR BESTEIRAS. E ENGANAR AS PESSOAS COM MENTIRAS E CALUNIAS A RESPEITO DO NOSSO LINUX. E ESSA MERDA DE RUIWINDOWS NÃO PRESTA MESMO, VIVI DANDO PAU E AINDA TEMOS QUE FICAR REINSTALANDO O S.O POR QUE NÃO DA PRA FAZER UMA SIMPLES CORREÇÃO.. VALEUUUU VELHO!!!!!!

[51] Comentário enviado por removido em 28/12/2010 - 21:11h

Hoje instalar um programa no Linux para uso domestico não é mais um drama como antigamente, no meu caso que uso Opensuse basta procura-lo na lista do Yast e selecionar para instalar, no máximo que posso fazer é incluir um repositório ou se for uma coisa muito extrema usaria o Zypper o que nos dias de hoje faria somente se quisesse utilizar o terminal como saudades.

A maciça maioria das distros instalar programas não é difícil e os ambientes gráficos estão muito práticos de usar fazendo com que até sistemas proprietários copiem certas funcionalidades. Hoje não aprende a utilizar o Linux quem não quer pensar e acha mais fácil clicar em next, next e usar o programa por 30 dias e depois baixar outro parecido ou craquear software que não concorda e pagar apesar de ter aceito a modalidade comercial do sistema que tem inalado no computador.

No local onde trabalho mesmo ha cerca de umas 3.000 estacões e licença do Office para 20 maquinas o mas o pensamento em sofware proprietário nao deixa usarem o OpenOffice que faria as mesmas atividades sem fazer a empresa correr o risco de tomar uma multa por pirataria, preferem correr esse risco instalando software craqueado nas estacoes. Esse mesmo tipo de pensamento faz a fama de que usar Linux e difícil.


Minha opinião.
sniper!

[52] Comentário enviado por cruzeirense em 29/12/2010 - 10:50h

Prezado sombr@,

Calma!
Acho que você não leu o artigo com atenção. O que é tratado aqui é que alguns usuários de outras distribuições do linux não consideram o ubuntu um linux.

Abraço,

Renato

[53] Comentário enviado por adrianoturbo em 29/12/2010 - 11:18h

Temos que reconhecer que realmente a expansão e projeção em grande escala para os quatros "cantos" do globo advém do Ubuntu,isso é fato.
O interessante da massificação do Ubuntu está na sua facilidade de uso que na verdade é um grande atrativo para usuários ,não vou nem citar interfaces gráficas para não alongar muito,por ser apenas um dos aperitivos dessa distribuição.
Não podemos esquecer que o DEBIAN contribuiu e muito para esse sucesso do Ubuntu.
O tempo mostrou que Linus e Stallman estavam certos em defender o name right Linux ,empresas como Canonical(Ubuntu),Red Hat(Red Hat e Fedora),Novell(Suse),Mandriva(Mandriva),Oracle (Oracle Linux ) entre outras ,jamais tiveram a "ousadia" de quebrar a regra ,mesmo porque são todas comerciais e isso vai contra os preceitos GPL.
Ninguém ver Linux Ubuntu,Linux Red Hat,Linux Suse,Linux Mandriva ou mesmo Linux Oracle o que vemos na prática é Ubuntu Linux ,Red Hat Linux,Suse Linux ,Mandriva Linux,Oracle Linux ,entre outras,ou seja, Torvalds fez valer o name right Linux justamente para não misturar o lado livre com o lado comercial.
De todo modo,excelente artigo,parabéns.

[54] Comentário enviado por GilsonDeElt em 31/12/2010 - 12:28h

Parabéns pelo artigo, cara!

[55] Comentário enviado por lucianomarques1 em 01/01/2011 - 12:11h

Assim como no seu caso, por um tempo tambem utilizei o Slack que realmente, no meu ponto de vista é o Ubuntu ao avesso (comungamos de novo). Gosto muito do Slack, mas não tenho tempo pra ele (preciso trabalhar e tenho mulher e filho).

Não posso deixar de dar os parabéns pelo seu artigo, muito bom mesmo.

Abraços,

Luciano.


[56] Comentário enviado por diegodamasio414 em 02/01/2011 - 21:50h

Muito bem Luciano, eu também acho que em vez das pessoas ficarem tentando desmoralizar o Ubuntu, deveriam ajudar a diversificar essa distribuição que está contribuindo muito para os novos usuários Linux!

[57] Comentário enviado por yarwinish em 03/01/2011 - 11:00h

O que acontece é basicamente o seguinte:

Antes do Ubuntu

"Adoro o Linux. É o melhor S.O do mundo. Eu sou um dos poucos a usar, mas gostaria que o mundo todo usasse esse sistema maravilhoso."

Depois do Ubuntu

"Oh não. Estão cada vez mais usando o Linux. Já não sou mais tão especial quanto era anteriormente. É uma ofensa existirem pessoas que usam o Linux e nem sabem o que significa recompilar o kernel."

[58] Comentário enviado por apache_pr em 03/01/2011 - 11:33h

Olá, você está de PARABÉNS com todo o Mérito, o seu post é Excelente para mostrar aos "desinformados" do que se trata. As vezes os "caras bons de linux" imaginam que deva existir um S.O. que seja difícel, e só para os verdadeiros conhecedores do Sistema Operacional, pelo que me recordo, Linus criou um S.O. para ser melhor e para competir com o mais usado na atualidade, e tem crescido muito, em extraordinária proporção o Linux, agora me pergunto: Seria possível esse crescimento, se fossem só os "nerds que são os caras bons de Linux" soubessem usar, e se fossem só eles que estivessem com o Linux instalado em seus micros ? é, já imagino a resposta, só eles, e provavelmente já teria acabado a "febre", e adeus todo o trabalho árduo. Parabéns mais uma vez.

[59] Comentário enviado por malacker em 03/01/2011 - 13:00h

Excelente artigo!

Assim como comprar uma roupa de marca cara que você nem gostou, usar o Linux para aparecer vai no sentido oposto ao que foi plantado por Linus Torvalds, onde o conhecimento deve ser compartilhado em benefício do aprimoramento e melhoria de um sistema operacional absolutamente livre.
Se hoje temos uma oferta inumerável de distribuições, é porque um dia um cara resolveu difundir seus conhecimentos, desprovendo-se de qualquer orgulho ou mérito sobre o conhecimento. Acredito que além de usar o Linux, o espírito open-source também deva fazer parte do usuário. É um sistema criado por nós. Cada um pode contribuir ou modificar sua distro.
Atitudes babacas como essa só mostram que há pessoas que usam Linux, mas não fazem a menor ideia do que é open-source.
Já usei várias distros ao longo dos anos, incluindo o Slackware, Conectiva, openSUSE, mas há um bom tempo optei pelo Ubuntu (e o Fedora como secundário), tanto para desktop como para servidores porque me poupa de muito trabalho e é extremamente eficiente.
Com o tempo que me “sobra” por usar o Ubuntu, posso me dedicar a outras tarefas. Não posso perder tempo fazendo manualmente uma coisa que tenho pronta em outra distro e absolutamente funcional. Ter um sistema que me traz as coisas prontas não é demérito nenhum.
Acredito que cada distro tenha sua vantagem.
O Ubuntu, por exemplo, não é adequado para empresas que querem criar suas próprias distribuições, porém é uma distribuição completa principalmente para desktops, por isso tem crescido tanto nos últimos anos.
Aconselho o Ubuntu a meus amigos, colegas e clientes, assim como contribuo também com artigos e dicas aqui no VOL e em outros sites especializados no tema e sempre que tenho uma proposta de migração de sistemas, feito em empresas, opto e aconselho a escolha do Ubuntu.

[60] Comentário enviado por elisantos em 03/01/2011 - 14:09h

acho que devemos criar uma comunidade separada para os infelizes debianos que vivem chamando outras distros de amadoras e seus usuários de amadores.
só para constar seus TROLLS usuários de debian que não respeitam as outras distros

chame esse cara aqui de amador, ele usa fedora.

http://www.simple-talk.com/opinion/geek-of-the-week/linus-torvalds,-geek-of-the-week/


[61] Comentário enviado por fabioss em 03/01/2011 - 17:02h

Parabéns companheiro,

Sou usuário Ubuntu (Server e Desktop) e não tenho o que reclamar. Ubuntu é Linux SIM, a praticidade não deveria ser incômodo pra minguém.

[62] Comentário enviado por clandestine em 04/01/2011 - 10:40h

eu ja sei ubuntu no começo mais não sei se todos tem a mesma ideia que eu , mais depois de um tempo voce usando ubuntu , voce fica com vontade de testar outras distros ir mais a fundo , foi o que eu fiz , hoje fico entre o amado debian, antiX , sabayon , gentoo , e creio que não tenho mais vontade de voltar para o ubuntu ,abraços

[63] Comentário enviado por idarlesom em 06/01/2011 - 15:39h

belo artigo!

eu uso o ubuntu gosto muito dele, mais também uso o debia, big linux, gosto muito das derivações de Debian, as facilidades que o ubuntu traz é o que tem feito muita gente migrar para o software livre, e a partir dai poder ir se familizarizando com linux. o trabalho que canonical faz é magnifico, pois você consegue ter uma distro linux com todos os recusos para o usuario final simplesmente sentar é usar numa boa, a canonical reuniu tudo em um só, mais nada impede de um usuario pegar um debian e deixar a cara do ubuntu, ou pegar um slack e fazer o mesmo! vai do conhecimento de cada um em linux. agora, por que o ubuntu já tras todas essas funcionalidades que ele não pode ser considerado linux ?






[64] Comentário enviado por lessandro.btu em 06/01/2011 - 16:52h

Muito bom este artigo....

[65] Comentário enviado por andrehard em 07/01/2011 - 10:49h

Estou lendo hoje seu artigo e curti muito muito sua idéia e resposta ao cidadão que escreveu o artigo. Voce foi muito preciso nos seus argumentos.

[66] Comentário enviado por Teixeira em 08/01/2011 - 00:09h

Com referência a linuxistas que têm uma certa aversão às GUIs (eu até conheço alguns casos, como o próprio criador do Basic Linux, Steven Darnold).
Minha posição é a de que devemos aproveitar tudo aquilo que essas nos têm a oferecer. Eu mesmo somente uso aqueles efeitos do compiz para fazer alguma demonstração (para "fazer gracinha") e meu desktop é bastante arruadinho (a bagunça está por debaixo do tapete...), mas o Gnome para mim vai bem, assim como também o KDE.
Quando as GUIs não me proporcional o controle das coisas da forma como me convém, acho extremamente útil e conveniente usar o terminal.
Por falar nisso, até no Windows sempre dei preferência a certos comandos pelo prompt do DOS. Para mim, clicar em "formatar" ou em "copiar" não produz o mesmo efeito que se eu usasse um comando específico e parametrizado com tudo aquilo que realmente preciso.
Usar a tela preta porém exige sabermos exatamente aquilo que queremos. E nisso aparecem algumas dificuldades, que requerem um certo aprendizado, um certo conhecimento.
De posse de tal conhecimento, tudo se torna fácil.

[67] Comentário enviado por removido em 08/01/2011 - 19:22h

Ainda bem que existe o Ubuntu, senão seria muito mais difícil entrar nesse novo mundo.

[68] Comentário enviado por cristian79 em 08/01/2011 - 20:12h

Em uma certa instituição de ensino, o Linux foi apresentado aos alunos, e a maioria nunca o havia usado. A preferência do coordenador sempre foi o Slackware, pois prente mostrar as entranhas do SO. Mas, como a maioria dos alunos não tem conhecimento e perfil técnico ainda, a primeira vista o Slackware puro causou náuseas e muitos começaram a falar mal do Linux, que não tem nada a ver com a proposta simplista do Slack. Para aqueles alunos, que repito ainda não terem perfil técnico e estarem lá para aprender, o Linux acabou sendo visto como um sistema difícil e o Windows mais fácil.
Bom, sobre isso eu tenho a acrescentar que, nesses casos, o Ubuntu ou outra distro com apelo visual atrairiam mais a atenção e o carisma dos alunos. Depois, num plano intermediário-avançado, o Slackware, Debian, BDSs, poderiam ser apresentados melhor.
Para o Linux crescer mais e comer uma fatia maior de mercado, as distros visuais são a maior sacada. E não decolaram ainda porque instituições como essa colocam medo nos alunos e se eles tivessem tido uma melhor impressão do Linux logo de cara, com certeza mostrariam para seus pais, amigos, parentes, que o Linux é tão bom como o Windows em desktop, que podem fazer praticamente tudo com softwares livres.
Apesar de ser adepto ferrenho do console, acho que a interface gráfica vêm para ajudar a reduzir tempo em certas atividades onde nem sempre a linha de comando precisa ser necessariamente usada. Tempo esse que pode ser interessante para sair com a família, usar para seu hobby, namorar etc.
Abraços!

[69] Comentário enviado por ebinho_rocha em 10/01/2011 - 12:58h

Concordo também parabés as pessoas precisam descobrir a maquinitude que é o linux.Abrass

[70] Comentário enviado por pinduvoz em 11/01/2011 - 02:53h

Cara, hoje fiquei cansado de toda a palhaçada que é a "opinião" (desprezo, raiva e até ódio,em alguns casos mais graves) dos super-nerds sobre o Ubuntu e outras distros que procuram facilitar a vida de quem quer simplesmente usar Linux no lugar do Windows. Por isso resolvi voltar a comentar seu artigo e desabafar.

Se esses caras, os super-nerds, conseguem usar uma distro desconhecida, cuja instalação é em modo texto e não prescinde da compilação de todos os pacotes na própria máquina do usuário, levando, às vezes, dias para instalar, ponto para eles. Ótimo para eles. Mas daí a se achar o máximo e sair dizendo que o Ubuntu é Windows de pobre, já que o cara que usa não tem "dez real" para comprar o XP no camelô, é demais para minha cabeça e, pior, me faz perder todo o senso de comunidade que inspira a participação aqui e em outros Fóruns.

Se vc não gosta do Ubuntu, meu caro super-nerd, não use o Ubuntu. Ninguém é obrigado a deixar de digitar zilhões de comandos em texto para instalar uma distro se gosta e quer fazer isso. E sempre vão existir distros assim para vcs, certo?

Agora, não gostar e não usar não deve gerar desprezo, raiva e até ódio em relação a quem usa, como se eles estivessem conspurcando o Linux, ou seja, a jóia criada apenas para ornamentar o manto sagrado da sabedoria do super-nerd.


[71] Comentário enviado por cruzeirense em 11/01/2011 - 08:30h

Prezado Lúcio,

Parabéns pelo artigo.
Na minha opinião, o ubuntu é o hoje o linux de verdade pois é ele quem leva o nome do linux para o desktop.
Acho também que nenhuma interface gráfica para o linux é 100% funcional como a do Windows. Antes de me apedrejarem deixa eu explicar porque. Se a proposta da interface gráfica é ser a via de comunicação entre o usuário e o sistema operacional, mas, para algumas coisas ela não funciona, e tem que ser utilizado a linha de comando, significa simplesmente que ela não está cumprindo seu papel. No windows, desde servidores a desktops tudo pode ser feito pela interface gráfica e realmente funciona. Não adianta vir falar que o gnome tem como colocar as janelas rebolando ou pegando fogo, que o KDE tem outras firulas também, se o principal, que é servir de interface de acesso a TODOS os recursos do sistema operacional, não é conseguido.

Abraço,

Renato

[72] Comentário enviado por doradu em 12/01/2011 - 09:57h

se bem entendi um MacOS não é Linux

[73] Comentário enviado por coelhojhezebell em 14/01/2011 - 17:44h

Cara, adorei seu artigo.

O Ubuntu é sim um autentico S.O Linux e diga-se de passagem ele já é Pop e esta se tornando uma espécie de astro. As pessoas quando tem um pouquinho de noção em informática e usam este maravilhoso sistema percebem que além de rápido e estável é prático, bonito e funcional, além do fato de que podemos usar este desde a função de programador até a função de estudante fazendo pesquisas escolares. O Ubuntu é o máximo e comentários idiotas não vão abalar o seu fortalecimento!!!!

Sérgio C Coelho (Técnico em TI)

[74] Comentário enviado por those em 17/01/2011 - 09:29h

Primeiramente, parabens pelo artigo.

Não tem muito o que comentar, o Stremer disse praticamente tudo.

Ubuntu foi e vai ser por muito tempo a entrada de muitas pessoas para "o mundo linux", gostem vocês ou não.

Usuários normais veem linux como "uma tela preta onde se digita um monte de comando" e o ubuntu ta ae para mostrar
que pode ser: diferente, "bonito" e pratico.


Abraços

[75] Comentário enviado por vinivend em 17/01/2011 - 17:15h

cara, nao me canso de ler e divulgar esse artigo.

parabéns novamente

[76] Comentário enviado por jedimaster_77 em 19/01/2011 - 22:06h

Ótimo artigo! infelizmente,já vi gente achando que Ubuntu não era Linux. é algo doloroso de se ouvir.

[77] Comentário enviado por m4cgbr em 19/01/2011 - 23:37h

O pior é a revista que pública tal beldade de um cidadão preso num cabresto.

Linux é Linux, e Linux is Life.

A distro Ubuntu é muito mexida sim, customizada muito sim e daí, é por essa e outras razões (ideologias, visão comercial, etc) que pipocou e conquistou mundo. A idéia é essa, facilitar, melhorar, evoluir e conseguir atender também a grande massa de mortais que não tem poder aquisitivo para pagar qs um salário mínimo em uma licença de um S.O. seco e incompleto.

Tenho pena de um cara que separa Linux de Ubuntu, pois se fizer isso terá que separar Linux de OpenSUSE e Linux de muitas outras distros.

Irmão que Deus tenha piedade de ti e te de sabedoria.

[78] Comentário enviado por arabasso em 20/01/2011 - 10:12h

Mt bom artigo, vi meus pensamentos em alguns parágrafos. Já usei tudo qto é distro diferente, o Ubuntu realmente é a mais fácil na minha opinião. Ora, pq é Linux não pode ser fácil?

Compilar kernel, configurar "isso e aquilo" é mt legal no começo, mais depois de um tempo fica BEM CHATO... A questão é, os usuários precisam de um sistema q os ajude a resolver problemas, e não dar um outro tanto deles!

O Ubuntu já fez e fez mt pela comunidade Linux, e dizer q ele não é Linux é quase q uma heresia (pelo q eu sei ainda usa kernel Linux... deixará de usar algum dia... talvez...).

Eu já cheguei num ponto q num tenho mais paciência de ficar configurando sistema. Tenho um monte de coisa importante pra fazer, num tenho tempo pra perder recompilando kernel (o tempo q perco compilando kernel eu poderia estar compilando meus programas).

Finalizando, belo artigo.

[79] Comentário enviado por removido em 21/01/2011 - 23:14h

Excelente artigo! Infelizmente tem pessoas que ainda acreditam que o Linux tende a ser "o dificil",o que só é utilizado por pessoas de muito conhecimento em informática.E o Ubuntu tem atraído o público que por muito tempo ficou preso a MS.. E aos poucos vão aprendendo a descobrir, tendo liberdade para inovar.Para ser Linux não é necessário ser dificil de usar, é necessário ser livre.
Obs: Eu iniciei no Linux quebrando cabeça para mexer no Slack em seguida fui apresentado ao Fedora e hoje uso o Ubuntu.Não acredito mais que o conhecimento seja comprovado pela distro que você usa.

Mais uma vez, parabéns ao autor do post.

[80] Comentário enviado por celojr em 23/01/2011 - 20:34h

Perfeito seu artigo,

Migrei para o Ubuntu a menos de 1 mês e estou fascinado com tudo que ele pode fazer, seja em beleza, funcionalidades ou velocidade e, sinceramente, não vejo porquê ele não ser linux. Nada contra linhas de comando, mas convenhamos, processos automatizados são muito mais práticos afinal de contas, né?

Abraço

[81] Comentário enviado por guigomendonca em 12/02/2011 - 13:50h

cara, eu ri alto quando você falou a questão das partições em sistemas linux para usuários aficcionados da M$ ... muito bom o artigo, infelizmente a própria comunidade as vezes não entende que o ubuntu, talvez seja o crescimento e disseminar de conhecimento linux para novos membros e quiça tal dia, ser referencia mundial em uso de desktops para usuário final, acredito como qualquer regra de LPI's que devemos usar linux pela motivação de conhecimento e independente de plataforma, abs e parabéns :)

[82] Comentário enviado por marcelo_reis em 02/03/2011 - 17:29h

Também partilho a idéia do Ubuntu ser um Slackware do avesso, usei muito Slackware, mas hoje tenho usado muito mais o Ubuntu!
Excelente Artigo! Parabéns! =)

[83] Comentário enviado por joaozinho_dim em 04/03/2011 - 21:45h

Parabéns pelo artigo. Fico triste com a imagem distorcida que a massa tem do pinguin. A maioria das pessoas acha que Linux é aquela "coisa meia boca" que vem instalado nos micros de baixo custo, que voce não consegue sequer configurar um ADSL, uma conexão wireless ou uma simples impressora. Mas graças a Deus e a pessoas da comunidade (com interesse comercial ou não) essa historia está mudando!

[84] Comentário enviado por fvr_sm em 05/03/2011 - 00:47h

já usei muitas distros, Corel Linux (do tempo das cavernas rs*), Conectiva, Mandrake, Suse, Debian, Kurumin e hoje estou com o Ubuntu 10.10 na minha máquina, se eu vejo alguém soltando uma pérola que o Ubuntu não é Linux, eu dou risada,

[85] Comentário enviado por cpdbest em 23/04/2011 - 10:41h

Muito bom!

www.ciropaivadias.com.br


[86] Comentário enviado por eduams em 25/04/2011 - 12:32h

Eu gosto do Ubuntu e uso ele atualmente, só que me sinto meio frustrado, pois antes eu usava o Slack, e eu estava acostumado a correr atrás das respostas, gastar horas tentando resolver os problemas e tal... Mas ao mesmo tempo eu gosto da facilidade do Ubuntu, hahahaha!

[87] Comentário enviado por alexmmb em 25/04/2011 - 21:14h

Acredito que o Ubuntu é o sonho do usuário Windows, pois a maior dificuldade do usuário que migra do windows é pensar que vai ter que voltar a usar o dos, o que não tem nada a ver, pois apesar de muitos paradigmas do linux o fato dele ter como base o textmode a parte grafica esta 100% ativa e funcional, tornando facil o uso do sistema em qualquer circunstância, e temos o Ubuntu para comprovar isso, Com um sistema extremamente estavel em relação ao windows tem mais funcionalidades e facilidades que outros sistemas esse papo de next next finish é coisa do passado pois através do synaptic vc tem todos os programas e suas dependencias ali a sua vista sem precisar comprar nada nem se preocupar com problemas fiscais.

[88] Comentário enviado por diegofeRReir_ em 12/05/2011 - 21:28h

Pode não ser o melhor, mas é o mais usado, e sem duvida é um otima alternativa para os iniciantes no maravilhoso mundo do Linux, que pode aguçar a curiosidade destes e leva-los a querer conhecer outras distros.
Mas a verdade é q sem duvida o Ubuntu é sim um autentico sistema GNU/Linux.

[89] Comentário enviado por felipemartinsss em 19/05/2011 - 23:13h

A distro que fez eu deixar o Windows sendo meu SO secundário.
Até então eu utilizava Slackware e Windows em dual-boot.

[90] Comentário enviado por penelope_c em 11/08/2011 - 13:03h

Artigo fantástico, muito bom!!!

[91] Comentário enviado por lucianobrutus em 17/08/2011 - 12:55h

Meu caro, parabéns pelo artigo, impressionante como conseguiu traduzir o que todos pensam...

abço!!

[92] Comentário enviado por jcsarantes em 22/08/2011 - 20:36h

Linux deixou de ser o nome dado a um Kernel, hoje esta muito mais relacionado a um filosofia de software livre, com todos os paradigmas que conhecemos bem e sabemos que são aleijados de fundamentos por puro desconhecimento de causa.
Ubuntu é um S.O. que vem desmistificando a ideia de que tudo sistema baseado em Linux é complicado e coisa de nerd.
Tenho usuários dentro de uma pequena empresa, que foram doutrinados para serem pilotos de mouse, que hoje usam o Ubuntu como se fosse um expert. Isto não porque se dedicaram em apreender como funciona, mas pelo simples e evidente fato que encontram tudo o precisam de forma fácil, em geral suas planilhas, documentos, internet e e-mail´s. Um atalho entra em seu ERP, originalmente escrito para rodar em DOS e sem nenhum alteração drástica.
Todos que tem em suas estações “Linux”, estão satisfeitos e são extremamente produtivos. Falam para os outros funcionários que são usuários “Linux”, que tem micros mais rápidos mesmo sendo iguais aos outros.
Esta desmistificação só ocorreu pois o sistema apresentado foi mais próximo do anterior, bem fácil de fazer pequenas configurações corriqueiras e sem traumas na transição.
Sou honesto em dizer que não uso o Ubuntu em casa, mas para o uso do escritório, dia a dia, dentro de uma empresa produtiva, ele é minha escolha numero hum.

[93] Comentário enviado por wllfl em 31/10/2011 - 12:49h

Sempre trabalhei com plataforma Windows inclusive para programação, mas no passado tive uma experiência com a já extinta distribuição Conectiva 9, que se usava 4 CDs de instalação realmente um pouco complexo para instalar mas funcionava muito bem, agora já faz uns 6 meses que estou usando Ubuntu e fiquei surpreso com a facilidade que esse SO trás para usuários leigos, principalmente com a relação a internet (3G, ADSL), com essas 2 experiências não tive trabalho nenhum para usar de cara sem se quer pedir instalação, simplesmente pluguei e naveguei na net, sendo que no Windows XP e 7 é necessário instalar um aplicativo para o modem 3G e também meio de chato de configurar ADSL, por essas e outras que digo nesse embalo o Ubuntu será um SO para usuários bem leigos (mais bem leigos mesmo ....) em pouco tempo, mas continuara a ser linux.

[94] Comentário enviado por Kaian em 14/11/2011 - 16:22h

Ótimo artigo!
Ubuntu veio para simplificar o uso do linux para usuário final, mais depois do unity o Ubuntu fico muito lento no meu note e fui em busca de outra distribuição onde encontrei o Chakra Linux :)

[95] Comentário enviado por lcavalheiro em 16/11/2011 - 14:20h

Meus parabéns, artigo muito bem escrito e que vai direto ao ponto: diferenciar opiniões dos fatos. Eu, particularmente, prefiro o Slackware e não gosto de distros Debian-like (vocês podem achar estranho, mas eu me sinto muito desconfortável com o aptitude), mas não posso negar o fato que elas são mais intuitivas ao usuário e jamais poderei negar que graças ao Ubuntu muitas pessoas se iniciaram no mundo do GNU / Linux. Dizer que Ubuntu não é uma distribuição Linux é dizer que chimpanzés são homens apenas por que são primatas que constróem ferramentas.

[96] Comentário enviado por duke_nukem em 20/11/2011 - 23:11h

Ehmm... Porque só aparece bunda quando eu faço uma busca com a palavra ubuntu no google images???
ainda não pude associar uma coisa com a outra...

[97] Comentário enviado por anderson.agr em 23/11/2011 - 19:01h

Parabéns pelo artigo.
Eu acho que o Ubuntu tem um papel muito importante para quem tá começando a descobrir o mundo linux, um mundo de possibilidades infinitas. Eu me considero um iniciante no linux e comecei sozinho, se não existisse o ubuntu eu não teria iniciado meu aprendizado, depois de anos acostumado com a moleza é dificil deixar isso para trás.
Sou a favor da democratização e popularização do linux e isso só virá com ambientes intuitivos e agradáveis aos usuários que estam iniciando.

[98] Comentário enviado por guidoseverus em 23/11/2011 - 22:16h

Bom artigo cara, concordo com você.

[99] Comentário enviado por crimelordz em 15/12/2011 - 19:51h

Perfect article.

[100] Comentário enviado por Alvaro Jr. em 07/02/2012 - 12:18h

Lúcio,

Você esta de Parabéns!!!

Artigo muito bem escrito,
e me admira uma revista tão conceituada publicar uma barbaridade de tal tamanho.

[101] Comentário enviado por annakamilla em 17/03/2012 - 22:41h

muito bem, parabéns. Discordo que ubuntu não é linux, pelo ao contrário, ele é tão linux quanto o slack.

[102] Comentário enviado por rodrigorootrj em 10/04/2012 - 08:27h

Ubuntu é um Sistema Operacional.

[103] Comentário enviado por renatourbano em 06/05/2012 - 14:51h

o Ubuntu é uma modinha

[104] Comentário enviado por ezequiel.ezb em 08/05/2012 - 21:11h

Artigo show de bola amigo, porque somos livres para usar o que quisermos!

[105] Comentário enviado por stilldre em 12/05/2012 - 16:40h

ubuntu não é linux, o linux é um programa do ubuntu...

[106] Comentário enviado por m4cgbr em 12/05/2012 - 17:28h

Na humildade,
Acompanho a evolução do Linux para usuários finais a anos e anos, o pessoal fala do Ubuntu e tal... Eu mesmo (particularmente) não gosto do Ubuntu, porém é FATO que somente após a existência de tal distribuição, pode-se dizer que foi se tornou viável para um usuário final (leigo) substituir seu SO padrão geralmente (rsssssssssssssss 99%) o Windows como SO principal para o Ubuntu devido a sua facilidade de instalação e uso.

O Ubuntu foi muito meXido sim, porém o foco inicial do projeto foi conquistar usuários finais graças e isso foi feito com êxito graças ao aporte de capital e visão empreendedora de um ser humano que se dispôs a isso.

O povo gosta é de falar besteira por ai, falara mal do Ubuntu, dizer que não é Linux e outras coisas mais.

A grande c4g4d4 do Ubuntu foi substituir seu X padrão para o Unity, o que também de FATO fez com que vários usuários migrassem para outras distros.

Em time que está ganhando não se mexe, o Windows tem a mesma usabilidade/navegabilidade (ou chamem como quiser...) há anos, isso é entre outros motivos “obviamente” o porque domina o mercado mundial a décadas. O Ubuntu estavaaaaaaaAAAAA no caminho certo, a meRRRD4 foi colocar o bendito Unity que além de desinteligente e confunde usuários inexperientes.

[107] Comentário enviado por Teixeira em 12/05/2012 - 18:18h

Será que existe alguém de em vez de comer mel, gostaria de comer abelhas fritas? Claro que não.
Ora, o mel não é um "suco de abelhas", mas está intimamente relacionado com elas.
E ninguém quer se dar ao trabalho de criar suas próprias abelhas, eventualmente vestir aquele traje especial somente para "colher o seu próprio mel".
Por isso encontramos o mel nas prateleiras dos supermercados, pronto para o consumo.

Da mesma forma as pessoas não têm plantações de bananas para colhê-las no pé.
Embora o sabor seja muito diferente, não vale a pena fazê-lo (comer banana colhida do próprio pé é coisa indescritível, própria de gourmet; mas nos dias de hoje isso é impraticável).

E as azeitonas, então? Quem é que deseja plantar, colher e posteriormente curtir azeitonas na salmoura até que estejam no ponto? Quem morde uma azeitona não-curtida sai xingando até a décima-quinta geração...

Fazer essas coisas não é o mesmo que "fazer um cigarro de palha" ou "ter a sua própria horta".
São coisas mais sofisticadas, que realmente dão prazer a algumas pessoas, mas que demandam tempo precioso.
Para ser exato, MUITO tempo precioso.

O consumidor moderno não tem tempo para desperdiçar, e procura resultados o mais imediatos quanto possível.
Prova disso é que a Ferrari, atenta aos desejos dos consumidores (e às mulheres dos consumidores) lançou as primeiras unidades de alguns modelos de bólides com câmbio automático.
Para os puristas de plantão, isso foi um verdadeiro horror ("onde já se viu?!!!").
O suposto machismo indicado pelo fato de pilotar uma Ferrari agora está em jogo.
No final, macho é macho porque simplesmente nasceu assim, e não pelo fato de comer abelhas fritas ou produzir suas próprias azeitonas, plantar bananeiras, pilotar uma Ferrari, ou usar Linux!

Tirando "a turma da abelha frita no óleo diesel" (?????), cada um tem o direito de escolher aquilo que mais lhe agrada, porém sem procurar impingir aos demais "a sua verdade" como se fosse uma verdade universal.

Podemos ver o Ubuntu como sendo a nossa Ferrari com câmbio automático, e a Slackware como tendo câmbio manual. Existem muitas diferenças no "in-between", todas elas prazeirosas.
Mas tem gente que prefere Lamborghini, Jaguar, Mercedes, Land Rover, e até jipe Niva ou o tradicional Fusquinha.
Afinal, gosto não se discute.

Ubuntu veio dar ao Linux uma nova vida, um nova imagem, e sobretudo novas facilidades.
Antes dele, somente o Kurumin para facilitar um pouco as coisas.
A diferença é que o Kurumin facilitava, ao mesmo tempo em que ensinava os "comos" e os "porquês". Naquela época já tinha algumas pessoas que torciam o nariz para o Kurumin.
Agora com o advento do Ubuntu as pessoas simplesmente "aperfeiçoaram" essa prática de torcer o nariz...

[108] Comentário enviado por m4cgbr em 12/05/2012 - 19:52h

Teixeira o filosofo (no bom sentido) rssss!

É verdade, pena que o Kurumin foi descontinuado.

É como eu disse, eu "particularmente" não gosto do Ubuntu, alias, me expressei mal, não gosto do Unity, o Gnome/KDE são mais similares ao SO que o povão usa como padrão, tão logo é questão de lógica que usando interfaces como estas aumenta-se a probabilidade de conquistar novos usuários, não é questão de purismo, mas não se compara a facilidade de uso / familiaridade do Gnome/KDE com o outro SO em relação ao Unity.

A Ubuntu (diga-se Canonical) está tão fora de rumo que lançou uma versão para mobiles/tablets (se não me engano, inclusive esse foi o motivo de alterar o X default para o Unity) . Concorrer com o o Android??? Fala sérios né... Sem comentários ;)


[109] Comentário enviado por m4cgbr em 28/05/2012 - 01:37h

Nem todo mundo que usa e prefere a tela preta a nerd, a questão é que existem iversos perfis de usuários, entre eles alguns que acham mais prático e rápido usar o terminal, além da necessidade de cada situação.
Por exemplo, você vai gerenciar um servidor dedicado via X??? Vai consumir mais memória, além de usar rotinas comuns que não precisam de ambiente gráfico.

Não estou criticando que usa o X, eu por exemplo uso os dois ambientes, porém cada um de acordo com a situação. Eu particularmente, vejo alguns tutoriais para configurar o SAMBA via SWAT, na boa, não acho nada prático, até porque para cofigurar o SAMBA via terminal você leva de 05 a 15 minutos (uma configuração básica) dependendo do usuário obviamente e da intimidade comq ue o qual tem com o keyboard, além disso se aprende mais. Porém isso é apenas meu ponto de vista.

Acredito que temos que respeitar cada perfil, e a necessidade de cada usuário e situação. Sem contar que um X consome memória, para um servidor por exemplo, eu (particularmente) acho um absurdo subir um X.

[110] Comentário enviado por chipisvartz em 22/06/2012 - 19:31h

A revista Info foi muito infeliz no comentário...

[111] Comentário enviado por lucoon em 13/07/2012 - 09:24h

Concordo plenamente!

[112] Comentário enviado por eliseu_carvalho em 29/08/2012 - 15:54h

Dizer que "Ubuntu não é Linux" é o mesmo que dizer que "Chevette não é carro". Ou seja: ABSURDO.

[113] Comentário enviado por px em 10/10/2012 - 12:34h

concordo cm a maioria das citacoes exceto por uma " Ufa! Se este também não agradar, o melhor a fazer é desistir e ficar mesmo com o S.O. do Bill Gates. " , temos tbm o grande mac q aos meus olhos e um linux bem "encorpado" ao seu modo atualmente é claro
( VALEU PELO DESKTOP Steve Jobs ) , pena q "copiaram" e pusseram em "windows" janelas sempre abertas e claro quando n ta aberta a tranca e fraca e enferrujada + copia e copia :P , rsrsr kk)

queria trocar algumas opnioes com o autor.Segundo ao ubuntu ser facil para um usuario windows cuja palavra vc nem fala rs , isso achei meio ironico pq um cara faz um script de instalacao numa iso do melhor sistema operacional (refiro ao kernel n aos aplicativos e firulas visuais) e outro cara instala dando alguns clikes + vai fazer a iso q vc vai ver se e facil , o melhor impulso e a concorencia amigo sem ela n teriamos nada lembre-se q o windows foi escrito em c/c++ , linguagens dominantes para nos "linuxers" lembrando q ninguem e obrigado a nd , vc e livre pra "compra" , "copiar" ou baixar , "hackear" , como vc msm disse no sentido original hackear nada mais e q usar suas habilidades para faser algo q vc queria com seu conhecimentos , execeto q PRIVE o direito de outra pessoa infingindo a lei , mais esse tema de e complicado pq todos temos pontos de vista diferentes.

Ou seja VIVA O LINUX! e principalmente VIVA A DEMOCRACIA e FOD@SS$ os copyrights que nos manipulam junto com o governo + televisao msm evitando n da pra escapar ... , +n prescisamos deles espero q entenda meu ponto de vista e nao me julgue mau , procurei usar termos para um fácil entendimento e so pra ficar claro Ubuntu é tão linux quanto qualquer outro acho ele ate legalzinho pra um usuario normal , so n usso diariamente pq prefiro o estilo KISS do ARCH , vlw e ate a proxima.

[114] Comentário enviado por nicolaumaia em 19/11/2012 - 15:58h

Caaara, como esse post cresceu.
Então serei breve: A única reclamação do Ubuntu é o fato dele realmente não querer mais ser Linux. Seguir os LSB, a organização dos arquivos de sistema, etc.
Gerencio um parque onde temos centenas de Ubuntu para os users por ser mais fácil, mais "amigável", mas no meu note vai o bom e velho F17.
Concordando com o [Stremer], daki a pouco o ubuntu faz que nem o MAC: deixa de ser um Unix para virar um SO próprio, único, apenas com raízes no Debian.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts