Por que mudar de sistema operacional pode ser um bom negócio?

Muitos vêem no Windows a supremacia e excelência quando o assunto é sistema operacional, os outros são os outros. Mas será que isso é verdade? Não há para o microempresário outra alternativa ou solução para implementar em seu parque tecnológico? Este artigo visa esclarecer alguns equívocos muito comuns quando o assunto é GNU/Linux.

[ Hits: 107.137 ]

Por: Lúcio SLV em 11/02/2010


Linux vs Windows



Quando o assunto é computador, qual sistema operacional logo vem à mente?

Para a grande e esmagadora maioria de pessoas o Windows (Janelas em português) é sinônimo ou a personificação de sistema operacional. Muitos acham que a interface gráfica foi inventada pela Microsoft, logo o Windows é o pioneiro neste quesito.

Mas será que isso é verdade?

A resposta simples à essa pergunta é: não! O verdadeiro detentor dessa invenção é a Xerox Corporation, na sua principal divisão: Palo Alto Research Center, situada em Palo, California, nos EUA.
Linux: Por que mudar de Sistema Operacional pode ser um bom negócio?
A graphical user interface, ou GUI, é uma interface gráfica que apresenta ao usuário um sistema amigável para interagir com um aplicativo. A primeira GUI com sucesso comercial foi a da Apple Macintosh, lançada em 24 de janeiro de 1984; a máquina era construída 100% em torno da interface gráfica. Evidentemente, todos os programas em linha de comandos tiveram que ser completamente adaptados. Já a primeira versão comercial do Windows em linha de comando, prompt ou terminal MS-DOS 1.0, era distribuída em uma caixa com quatro disquetes, e a data de seu lançamento foi em 10 de novembro de 1983.
Linux: Por que mudar de Sistema Operacional pode ser um bom negócio?
Somente um ano depois, ou seja, em 1985, o Windows 1.0 entrou no mercado da interface gráfica e não atraiu muita atenção dos consumidores finais. Passou a ser competitivo apenas em 1990 com a versão Windows 3.0 e entrou no páreo com a pioneira Apple Macintosh e com a menos conhecida Commodore Amiga.
Linux: Por que mudar de Sistema Operacional pode ser um bom negócio?
Mas em 1995 os ventos começaram a mudar para a Microsoft e seu Windows95, que fundiu o DOS e o Windows num único software.

Além de introduzir o menu Iniciar, iniciou seus milionários investimentos em campanhas de marketing para os seus produtos, o que explica, em parte, o porquê vem à mente o nome Windows e Microsoft quando se fala em sistema operacional para computadores até os dias atuais.
Linux: Por que mudar de Sistema Operacional pode ser um bom negócio?
O Windows 7 foi um lançamento mundial celebrado e muito comentado nos principais veículos de comunicação, e houve até pessoas gritando (coisas que antropólogos e psiquiatras podem nos esclarecer com mais propriedade) no momento da hora do anúncio da disponibilidade comercial do W7. O mais interessante é que a versão mais barata gira em torno de R$ 400,00.

Enfim, continuando a nossa saga, em 1998 veio o sucessor Windows 98 e, no seu lançamento, o próprio Bill Gates foi apresentá-lo para a imprensa mundial. Eis que durante a apresentação a ferramenta travou e simplesmente o mundo veio a conhecer a famosa tela azul (para o espanto da plateia incrédula diante do maior mico da maior empresa de software do planeta). E olha que a propaganda dizia que o sistema fora feito pensando no usuário final; mas a realidade era um sistema com muitos problemas de compatibilidade e cheio de bugs.
Linux: Por que mudar de Sistema Operacional pode ser um bom negócio?
E então o grande público acostumou-se e adaptou-se a esses pequenos "incômodos", que continuaram também em outras versões como Millenium, 2000, XP e conviveram com isso até a chegada do "peso pesado" Windows Vista, que carregava a promessa de beleza e inovação.

Em pouco tempo tornou-se o mais indesejável da família e forçou a Microsoft a corrigir o "erro" num espaço de tempo muito curto e assim lançaram o W7.

Nesta nova versão as palavras leveza e rapidez são o carro chefe das propagandas veiculadas na mídia. Porém, os preços das versões para empresas não são nada convidativos. Imagine uma pequena e média empresa com 5 ou mais computadores pagarem algo em torno de $200 a $400 dólares por cópia nas respectivas versões Professional e Ultimate.

Assim, o que fazer?

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Linux vs Windows
   2. O Linux e os negócios
   3. Amigabilidade de navegação do sistema
   4. Escolha baseada em conhecimento
Outros artigos deste autor

Qual é o melhor Sistema Operacional?

Quão segura é a sua senha?

Como a propaganda afeta você?

Afinal, o que é o Ubuntu?

Fazendo jus ao nome GNU/Linux

Leitura recomendada

JDK 6 + Eclipse 3.2 + NetBeans 5.5

Xine rodando arquivos .rm

Instalando e utilizando o Web Crawler OpenWebSpider

OCS Inventory NG Server 2.0.5 no Debian Squeeze e agentes via Active Directory - Instalação e configuração

Servidor VoIP com Slackware e Asterisk

  
Comentários
[1] Comentário enviado por yermandu em 11/02/2010 - 14:03h

Olá Lucio

Parabéns pelo artigo, muito bem fundado.

Mas acho que a facilidade de uso do Linux, ainda não está bem. Não ainda. Acredito que o esforço coletivo de nós todos pode melhorar. Mas o que tenho notado, é a dificuldade de novos úsuarios, principalmente daqueles que migraram, por exemplo: um fulano, compra o micro Xling, que vem com um SoLinuz de fábrica. Ele até tenta usar por alguns dias, e outros, geralmente os recém chegados da informática se acostumam lentamente, mas algumas coisas simples como um duplo clique nas pastas de imagens e abrir um visualizador de imagens, não funciona como deveria, instalar uma webcam, um microfone, coisas simples, para um usuario de desktop. Nesses casos, acho o linux, falho. Não que não funcione, funciona! Só que é preciso pedir uma ajuda ou um conhecimento mais avançado.
Quanto ao resto, acho o Linux, muito superior em termos de qualidade, e principalmente travamentos que num sistema MS ocorrem com frequência com o Linux, isso não acontece, ou acontece muito menos.
Em questão ao desempenho, velocidade de processamento, uso de mémoria, controle de discos, em especial midia removiveis. Desculpe-me sistemas proprietários de código fechado, mas o sistema livre, é realmente muito mais eficaz.

[2] Comentário enviado por luanyata em 11/02/2010 - 14:59h

Ajudei a um tempo uma colega a fazer um trabalho de faculdade abordando o mesmo sentido, hoje lendo esse artigo re-lembrei do prazer em falar de Software livre para a unânime usuarios Windows :D


parabens pelo artigo ....

flw!!!

[3] Comentário enviado por danielfranca em 11/02/2010 - 15:11h

Artigo extremamente tendêncioso, comparar GIMP com Photoshop é piada de mau gosto, sem contar áreas como edição de video onde o Linux não tem nada nem que chegue perto de softwares como Apple Final Cut/Adobe Premiere/Sony Vegas.
O MS Office está anos luz na frente do OpenOffice.. e a questão da usabilidade é sacanagem falar de drivers, qualquer hardware novo que vc compra vem com CDzinho c/ driver p/ vários Windows. Linux é amigável só até o momento que algo dá problema e vc precisa achar uma solução, o Windows ainda está muito a frente nesse quesito.
Sem contar o sistema de dependencias do Linux que pode trazer muuuitas dores de cabeças mesmo pra mim que sou programador, e mesmo c/ softwares que resolvem grandes partes das dependencias como o Synaptic ou Yast.
O sistema de som do Linux então, ainda é uma colcha de retalhos, OSS, ALSA, PHONON...
Um desktop que tá caminhando para uma maturidade boa e boa usabilidade é o KDE4, mas o Linux ainda tem muito caminho a percorrer p/ poder substituir o Window pro usuário médio.

[4] Comentário enviado por cristiano.moraes em 11/02/2010 - 15:40h

Eu sou fã do linux. Uso o Mandriva nas minhas máquinas há pelo menos quatro anos. Acho que ele tem sim muitas vantagens mas a verdade é que me irrita ver matérias excessivamente generosas com o linux que as vezes encontro na internet. Esse é um exemplo clássico disso. Me irrita pq é propaganda enganosa e se usamos esses argumentos para evangelizar um novo usuário e ele percebe que foi enganado, ele não volta tão cedo. Me irrita também porque acabamos fechando os olhos para uma série de falhas, inclusive de usabilidade que ainda persistem no linux. Um caso crasso disso é dizer que Gimp é similar ao Photoshop. Não é, ponto. O Photoshop é mais rápido, trabalha melhor com grandes imagens, trabalha com CMYK e tem muito mais recursos que o Gimp. O InkScape tem poucos recursos, ainda tem bugzinhos chatos e não exporta para nenhum outro formato rasterizado que não seja BMP. O OpenOffice é ótimo, mas empresas não usam documentos só internamente, existem clientes e clientes as vezes exigem documentos em formatos .doc, .pps, .xls e por aí vai. Além disso não é fácil converter planilhas Excel cheios de macros para o Calc. Não é algo que simplesmente vc abra no OO e funcionará perfeitamente.

Não quero dizer que estamos todos condenados as OSs proprietárias. Mas os argumentos precisam mudar. Gimp e Inkscape podem não ter a capacidade de um Photoshop ou Illustrator mas atendem perfeitamente o uso de 80% das empresas e pessoas. OpenOffice pode eliminar, talvez não todas, mas boa parte da necessidade de compra de licenças de softwares proprietários de uma empresa. Temos que parar com esse argumento que windows trava muito, windows não é mais windows 95. Temos que vender a diminuição de custos, a maior segurança contra vírus e worms que (ainda) existe no linux e outras qualidades. E mostrar que existem excelentes prestadores que podem dar suporte ao linux, porque as empresas tem aversão a coisas gratuitas mas que não tenham ninguém por trás p/ recorrer quando algo sair errado.

Precisamos amadurecer nossos argumentos.

[5] Comentário enviado por nicolo em 11/02/2010 - 15:59h

(coisas que antropólogos e psiquiatras podem nos esclarecer com mais propriedade). Eu já me perguntei porque as pessoas travam e não conseguem enxergar alternativas.... Não demorei muito a encontrar a resposta: Instinto de manada. Essa é uma resposta que desagrada aos discípulos do Rouseau que defende a bondade inata do homem, do bom selvagem.
O windows atende ao instinto de manada, ele é compreensível, bitolado, não pode ser modificado, é um padrão inflexível.... isso traz certeza e segurança aos usuários e, principalmente aos decision makers (gerentes).
Quem segue o padrão existente no mundo não pode estar errado, a maioria está no mesmo barco. O que der errado no windows dá errado para todo mundo.

O desgarrado que decide usar linux na sua empresa corre o risco sozinho... se algo der errado vira o pateta do pedaço. O linux não é o padrão, o que é pior: não tem padrões que convençam a manada.

Bancos e empresas aéreas nunca foram clientes da microsoft, sempre foram um nicho da IBM e de outras grandes empresas do mercado corporativo.


Defensores do Linux criticam a existência de dois ambientes KDE e GNOME. São uma dualidade de bibliotecas equivalentes.

2-Outro ponto é a desatenção do Linux com o desktop. Um S.O. não vira padrão no mercado empresarial se não for padrão no desktop. Não é por acaso que o SUSE e o Ubuntu vem se destacando. Eles dão razoável atenção ao desktop.

3-O porte do open-source para windows tende a reforçar o padrão windows, onde os aplicativos legais são muito caros. Programas como o open-office tem o defaul download PARA WINDOWS NO SITE OFICIAL. Mais um passo e ele será feito exclusivamente para Windows.

4-A diversidade biológica de distros é uma faca de dois gumes. No princípio, isso era mais ou menos natural e saudável para um sistema que precisava de desenvolvimento rápido e urgente para sair do laboratório, MAS fora do laboratório é preciso que se estabeleçam padrões. Imagine um empresário que se entusiasma em adotar Linux para cortar custos. O primeiro dilema: Qual distro adotar?

5- As distros comerciais (Red Hat e derivados, Suse e derivados, ) tendem a ser mais padronizados pela necessidade das empresas que detem os direitos comerciais de atender aos clientes. Clientes de carteirinha tendem a não gostar de revoluções e jogar tudo fora a cada dois anos.

6-Uma revolução de conceitos é uma ameaça ao windows, cuja arma é o back-compatibility. O Linux não tem back compatibility. Os programas compilados não são portáveis do debian sarge para o lenny. O velho office 2000 funciona no Vista, sei lá, cinco ou seis anos depois.
Quem gosta de revolução é cientista, a manada quer estabilidade e segurança psicológica.

O linux está na fase de transição de sair do laboratório para a ganhar utilização em massa, isso requer uma maneira menos romântica e mais pragmática de pensar. O SUSE e O UBUNTU já entenderam isso, mas muita gente ainda não percebeu que as coisas estão mudando . Infelizmente um usa KDE e o outro GNOME, como default. Um usa apt-get e o outro RPM.
Pensem nisso.

[6] Comentário enviado por doradu em 11/02/2010 - 16:45h

gostei da tabela

bom trabalho

[7] Comentário enviado por Lúnix:) em 11/02/2010 - 19:03h

Resposta do Autor para:

Tudo bem Daniel?

Obrigado por postar sua opinião sobre o artigo e seja bem-vindo à nossa comunidade. Em relação a seu comentário, fica meio explícito que você tem ainda alguma dificuldade com o Linux, nada mais natural, afinal, ninguém nasce sabendo. O cdzinho com driver que você ressalta, nada mais é que o resultado de um aglomerado de empresas que recebem Royalty da Microsoft para que esta tenha o mais absoluto controle e hegemonia neste setor. As cifras, meu caro ($$$) falam mais alto que altruísmo e essa “facilidade e superioridade” decantada de verso e prosa por pseudos usuários do Windows é a mais pura promiscuidade capitalista, pois os seus maiores defensores, em sua maioria, são justamente aqueles que usam cópias piratas e crackeadas do Windows, Corell Draw e Photoshop que pagam 10, 15 ou 20 Reais por cópia e depois deixam claro nas entrelinhas que software livre é uma droga ou é inferior, isso sim é uma sacanagem com a própria Microsoft, Adobe, Sony e etc. Se você nunca usou software pirata, parabéns! Mas do contrário, não atire a primeira pedra!

https://partner.microsoft.com/brasil/40012214


[8] Comentário enviado por Lúnix:) em 11/02/2010 - 19:26h

Resposta do Autor para:

Tudo bem Nicolo?

Obrigado por postar sua opinião sobre o artigo!

Leia, por favor:

“É realmente uma questão de avaliar as necessidades reais da empresa e então escolher o sistema operacional mais apropriado à sua realidade”.

Acho que a frase é auto-explicativa! Se economizar, diminuir o abismo da inclusão digital e dar condições de igualdade para todos, significa ser “romântico”; na sua concepção é claro! Eu com certeza faço parte do Latin Lover Open Source CluB. E francamente, esse negócio de:

“Quem gosta de revolução é cientista, a manada quer estabilidade e segurança psicológica.”

Foi graças a algumas revoluções (na França, Estados Unidos, Inglaterra, Rússia e etc) que a ordem mundial teve grandes transformações nas relações das pessoas e países que se refletem até os dias atuais. A globalização é a revolução tecnológica é mais que uma realidade, não acha? Quem vive por segurança e estabilidade psicológica não raro é infeliz. Viver é correr riscos e é preciso ter coragem para mudar o que precisa ser mudado. O Microsoft acaba de lançar o W7 após a um fiasco que nem mesmo as empresas engoliram tendo suporte e tudo o que o dinheiro pode pagar, e chamam isso de evolução, melhoriais. Só porque meia-dúzia não conseguem fazer o sistema Linux funcionar plenamente, não quer dizer que ele é ruim. Talvez quem se propõe a fazer isso não tenha conhecimento necessário para tal empreitada. A esses eu sugiro estudarem mais um pouco, pois funciona sim! Mas é mais fácil botar a culpa no Linux do que reconhecer a falta de preparo. Muitos desses não sabem nem como o Windows funciona, que dizer do Linux.
Abs,

Lúcio

[9] Comentário enviado por removido em 11/02/2010 - 19:42h

Comentário removido, por ter ferido os sentimentos do autor do Artigo.

[10] Comentário enviado por Lúnix:) em 11/02/2010 - 19:57h

Resposta do Autor para:

Tudo bem Cristiano?

Todos esses formatos .doc, .pps, .xls são intercâmbiáveis com o Openn office. Como você mesmo disse, mais de 80% da população e inclusive muitas empresas não usam esse aplicativos: Photoshop, Corell Draw e Excell, com esse grau de especialização avançado. Isso se aplica apenas a alguns segmentos como editoras de livros, agências de publicidade e empresas de contabilidade. Então meu caro, esses 80% não devem pagar por essa minoria! Ou devem?

A propósito, eu não sou fã do Linux ou do software livre, ambos não precisam disso. Não trate isso como a um time de futebol ou banda de Rock. Por trás desses ícones há uma filosofia e uma maneira social equitativa e que os benefícios são imediatos a curto e a longo prazo.

O problema reside no conceito de que Linux deve ser igual a Windows. Lamento dizer, são bem diferentes estruturalmente e muito parecidos na razão de ser! A equação é simples: pague pelo suporte e tudo funcionará! Ninguém disse até hoje que o suporte também é gratuito.

O Sistema operacional e os programas em sua maioria são livres mas o suporte deve ser contratado. Você acredita em Papai Noel? Eu também não!

Defender o Windows e de graça, como você fez. Isso sim é ser generoso!

Em momento algum o artigo diz que o Linux é perfeito. Se tivesse lido com mais cuidado, teria percebido que tudo depende da necessidade real e não aquela que é imposta pela mídia. Ou você acha que um usuário comum precisa de 500GB de disco, alta performance de processador para navegar na internet, acessar o Orkut, e ficar horas no MSN. Tive o cuidade de consultar pessoas que são profissionais bem sucedidos e que usam o Windows e pedir para que testassem os softwares mencionados no artigo,pois eles são especialistas. Para justamente evitar que pessoas que nada sabem ou acham, ou porque ouviram alguém dizer, sem basamento ,opinem por algo que muitas vezes não sabem sequer pra que serve. O resultado foi satisfatório e isso é o que importa! Sugiro que você tire férias, você anda muito iritado! final, isso faz mal pra saúde!


Abs,
Lúcio

[11] Comentário enviado por Lúnix:) em 11/02/2010 - 20:52h

Tudo bem Abreu?

Obrigado por postar sua mensagem.

Você realmente leu o artigo: Por que mudar de sistema operacional pode ser um bom negócio? Ninguem quer fazer aqui proselitismo, usa Linux quem quer, meu caro. A vó do seu exemplo, talvez não saiba. Mas ela esta usando um software de maneira ilícita. Claro ela não tem culpa! Windows realmente é bom! Mas o interessante é que a maioria não paga o valor comercial dele. Antes preferem cópias piratas. Isso é curioso não acha? Falta de dinheiro ou de honestidade? A cana é doce, mas é dura meu amigo!

Por que você não escreve um artigo em que você não se canse (que alias você não escreveu nenhum). E traga uma nova Luz sobre o assunto. Quem sabe assim você me surpreenda com o seu aparente conhecimento "profundo" sobre o Linux. Mas adianto, não há nada de novo sobre o sol.

A propósito, o artigo não é nenhum desabafo. Ele foi direcionado para pessoas simpatizantes do software livre e do GNU/Linux, portanto, para microempresários. No seu perfil você diz que gosta de aprender. Então aqui vai um adendo de graça. " Na falta do que dizer, simplesmente não diga nada! "

Espero que leia o meu próximo artigo, garanto que você irá se cansar bem menos...hehehehe

Abs,

Lúcio

[12] Comentário enviado por removido em 11/02/2010 - 21:25h

hehehe. Parece que você gosta de arrumar inimigos, não é mesmo?

Caro colega, devo chamá-lo de Hugo Chavez, Stalin. Um bom sinônimo para quem não aceita críticas.
"A vó do seu exemplo", realmente não entendi isso aqui.

Não acho que windows seja bom.
Acredito que quem deve decidir a hora de escrever algo aqui, sou eu mesmo, nao acha?

Não estou aqui, escrevendo para buscar os 1000 pontos e assim ficar mais bem classificado no ranking do vol.
Seu artigo é um desabafo sim um choramingo, uma apelação.
Sua adendo é boa vou segui-la para não magoar, ferir pessoas que não estão acostumadas a críticas.
Vou tomar a liberdade para fazer uma também, espero que não se ofenda em momento algum aqui eu quis ofendê-lo

Se você não tem capacidade para ler uma crítica sobre algo que você escreveu, esperando que outros lessem, não escreva.

Espero um dia aprender metade do que o senhor sabe, se está me julgando um "profundo" conhecedor como vossa pessoa mesma disse, deve ser porque é o "cara" em Software Livre. Eu não tenho conhecimento profundo, como seu tom irônico e com uma pitada de menosprezo, quis insinuar, estou aprendendo meu caro, não tenho vergonha nenhuma de dizer isso.
Viu meu perfil? kkkkkkkkkk
Olhei o seu também, parceiro de Ubuntu.

Vou ler sim seu próximo artigo e eu contribuir com um hit, parece pouco, mas de um em um, hein quem sabe vossa excelência ultrapasse o Fábio. kKKKKKKKKKKKkk
Prometo não comentar seu próximo post se achar que não foi uma boa contribuição, vou fazê-lo apenas se achar que devo elogiá-lo.


Abraço,
Abreu.


[13] Comentário enviado por TylerDurden em 11/02/2010 - 23:16h

Parabens pelo artigo.
Apesar do assunto ja estar realmente "macante" na nossa comunidade, a forma na qual as palavras foram tratadas, me ajudaram a ter um "alibi" mais qualificado e uma mente mais a aberta para um futuro assunto a respeito do GNU/Linux.
Acho que todos nos, queremos levar esse conhecimento e mostrar o quao bom e o GNU/Linux e que, querendo ou nao, nao gostamos muito do Windows... Quem aqui nunca se sentiu oprimido ao digitar uma senha pessoal de e-mail ou do msn no Windows com aquele certo receio de estar exposto a spywares, keylogger etc etc?
Quando voce sabe o poder da ferramente que usa, sabe o que ela lhe proporciona e se sente confiante... Cria um artigo maravilhoso como esse.
Todos os OS estao sujeitos a falhas, porque foram desenvolvidos por humanos, e ser humano esta sujeito a falhas.
Eu nao uso o Linux porque odeio o Windows, uso o Linux porque foi um amor a primeira vista e junto com esse amor, veio toda a gama de beneficios que so um usuario apaixonado pelo OS pode citar.
Se tu acordar no dia de amanha, e se deparar com noticias que o Windows sera descontinuado, tu vai ficar chocado no minimo... Mas a vida continua, tu e Linux e nao Windows. Agora se a noticia for ao contrario (mesmo que remota) no minimo um vazio tu sentiras, perdeu teu pao e um dos teus melhores amigos (meio poetico nao? hehehe) A vida continua? sim... Mas sem um "su" para alegrar o teu dia.

Nao briguem senhores, o software e livre, e a opiniao tambem.

Abraco a todos.

[14] Comentário enviado por percival em 11/02/2010 - 23:30h

Quando eu editei parte do artigo, tive certeza de que ele geraria certa polêmica.

Mas acredito que o autor tenha se expressado muito bem e demonstrado que suas idéias têm fundamento mais do que suficiente para constituirem um artigo no VOL.

Espero que os colegas França e Abreu, quando decidirem contribuir para o site (e consequentemente também para o "free software"), não recebam críticas tão desnecessariamente incisas em seus artigos. E, caso aconteçam, tenham a mesma capacidade que o Lúnix demonstrou em responder-lhes os ataques à altura e sem grosserias (o que acabou por tornar suas críticas bem mais infelizes, por sinal).

Lúnix,

Parabéns pelo artigo, foi um prazer lê-lo. Leva um 10.

Aguardo o próximo.

[15] Comentário enviado por Lúnix:) em 12/02/2010 - 03:01h

Abreu,

Você se esqueceu de mencionar Fidel Castro e Che Guevara, Simon Bolivar , Joaquim José da Silva Xavier, Getúlio Vargas entre tantos outros.

Crítica construtiva é sempre bem vinda, o que não é aceitável é “histerismo infundado inconsequente”.

A propósito, quem se preocupa com ranking é jogador de tênis, surfista profissional e maratonista. Sobre o seu kkkkkkkkk vai um recado: Rir é bom, mas rir de tudo é um leve desespero! Sabe porque eu olhei o seu perfil, porque analiso quem me analisa.

O seu primeiro comentário foi desrespeitoso sim!

Piada é alguém que não tem capacidade argumentativa e usa de sarcasmo pra tentar validar uma opinião contrária. Se quer ser levado a sério, aprenda a discordar com inteligência e com classe!

Posso considerar você como o meu primeiro "inimigo"? Cara você nem me conhece!

Em momento algum eu quis menosprezá-lo, por que eu faria isso? Eu não sou superior a você em nada! Apenas defendo o meu ponto de vista.

Eu não preciso da sua aprovação ou de quem quer que seja!

Procuro contribuir da melhor forma possível com a comunidade no que está ao meu alcance. Não pense que espero obter aplausos e tapinha nas costas por um artigo. Independente de gostarem ou não, estou me expressando e isso é que importa.

Desejo tudo de bom pra você cara, sem ressentimentos!

Mas da próxima vez que comentar um artigo de qualquer outro membro daqui do Vol. Diga tudo o que você tem pra dizer, mas saiba como fazê-lo!

"A humildade é o princípio da sabedoria".

Lúnix

[16] Comentário enviado por cleysinhonv em 12/02/2010 - 08:38h

Aos amigos,

Discordo em acharem que o GIMP não pode substituir o Photoshop ("fotochope") exstem diversas empresas de publicidade e propaganda que usam-o para suas tarefas diárias, o resultado disso é uma qualidade igual, superior, pior para aqueles que usam Photoshop. É preciso uma questão filosófica para mensurar quem é o melhor ou não. Ou podem perguntar para quem sabe e conhece a ferramenta GIMP (Guilherme RazGRiz - http://razgrizbox.wordpress.com). Em minha opnião usar ou não usar Linux é uma mudança de mentalidade, ou esperar que as empresas que nos diga que é bom e nos convençamos que é bom, enfim nos compramos o que o sistema nos vende ou diz a que é bom.

[17] Comentário enviado por fchevitarese em 12/02/2010 - 10:38h

Achei bastante interessante o seu artigo.

Quando se pode substituir os softwares utilizados, é a melhor opção!

Abraços!

[18] Comentário enviado por danielfranca em 12/02/2010 - 13:47h

Lúcio, aonde está explicito que eu "ainda" tenho dificuldade com o Linux?
Uso Linux em casa a cerca de 5-6 anos, já utilizei Kurumin, Suse, OpenSuse, Slackware e Ubuntu.
Justamente pra fugir de usar software pirata, mas agora estou estudando a possibilidade de comprar o Windows 7.

E por isso reafirmo, o Linux está longe de ter a usabilidade para um usuário leigo q o Windows tem.
E enquanto não houver padronização continuará assim, o Linux hoje conta com diversos sistemas de som/framework(OSS/ALSA/PHONOM, etc), ao menos 2 grandes toolkits gráficos(GTK, QT), um ambiente gráfico lento e q já deveria ter sido substituido. (X) E a mania de que tudo tem que funcionar com tudo leva o Linux a ter virado uma colcha de retalhos.

Se vc acompanhou o blog de desenvolvimento do Chrome viu a dificuldade que foi pra eles conseguirem portar, a briga deles com a GTK, e o milagre que foi conseguirem deixar o Chrome com a mesma cara do Windows(a duras penas), sabe o stress que foi pra conseguirem ativar o sandbox pra Linux, já que não há padronização, entre outras coisas.

Como já disseram ali em cima, o Photoshop é muito melhor que o GIMP e acabou.
Edição de video não tem nada que chegue a ser usável pra Linux.
Ambiente de desenvolvimento? Nada que chegue perto do Visual Studio.
Compilador? Vários testes de performance mostram qto o GCC está atrás do VC++

[19] Comentário enviado por danielfranca em 12/02/2010 - 13:48h

Ahh, e o Windows deixou de ser um lixo bugado e que trava direto desde q lançaram o Windows XP. Esse argumento não convence + ngm hj.

[20] Comentário enviado por cristiano.moraes em 12/02/2010 - 16:26h

É curioso como esse tipo de matéria gera comentários inflamados de ambos os lados e começam aparecer afirmações descabidas de todo tipo.

Daniel, concordo com alguns do seus argumentos, mas baseado em que você diz que o linux tem um ambiente gráfico lento ou que virou uma colcha de retalhos? Pra mim esse tipo de comentário é mais baseado em opinião pessoal do quem em fatos.

O linux tem sim ótimos ambiente de desenvolvimento: Eclipse, Netbeans, KDeveloper. Eu considero o Eclipse aliás bem melhor que o Visual Studio, o VS é bom para... .Net, o Eclipse é ótimo para Java, PHP, C, C++, python, Perl, Ruby e até .Net entre outras.

Outro comentário mais acima afirmando que OpenOffice é uma droga. Já ouvi várias vezes esse comentário, em geral de gente que usou uma vez, não gostou pq não era igual ao Office e o tachou de "um droga". Bom, eu uso bastante o write e o Calc do OO e digo que, pelo menos para mim até hoje não deixei de encontrar nenhum recurso do Office que não houvesse equivalente no OO, não no mesmo lugar, não sempre funcionando da mesma forma, mas gerando o mesmo resultado.

Criticar apenas por criticar não constrói nada.


[21] Comentário enviado por cleysinhonv em 12/02/2010 - 17:43h

Concordo com cristiano.moraes,

Não se pode tirar conclusões a respeito de algo ou alguém na primeira vez que se vê ou se utiliza, o software é uma mera extensão de nossas habilidades mentais e/ou motoras. Por essa razão é necessário um tempo de adaptação. Uma pessoa que usa o sistema operacional Linux por 6 anos ou mais é capaz de compreender isso.

[22] Comentário enviado por Lúnix:) em 12/02/2010 - 18:01h

Daniel,

Usuário leigo quando quer ouvir mp3 no computador não quer saber se é o OSS, ALSA ou PHONOM que esta executando, por assim dizer, o arquivo de música. Esse mesmo usuário tampouco se preocupa se o GNOME usa o GTK, ou se o KDE usa o QT.

Eles querem facilidade de uso num ambiente gráfico. Essa retórica de que Windows é a personificação da amigabilidade para usuário leigo é discurso velho e panfletado. O vista é amigável? Usuário mediano torce o nariz quando se fala de Vista. Clientes já me pediram pra instalar XP pirata em detrimento do Vista original. Você menciona que o X é lento. O W7 não é nada pesado?

O Linux é modularizado ele não carrega uma infinidade de recursos desnecessários como Windows, o que torna o seu desempenho muito superior. Isso é fato! Inicialização, sistema de arquivo EXT3/4(Fragmentação de disco com NTFS é bem comum né!), alocação de memória. O Linux está muito mais avançado nesses e outros quesitos, que não cabem mencioná-los aqui. Você levanta questões como o GCC, VC+ e Chrome? E quer nivelar o assunto a usuário comum?


Não existe sistema que não tenha bugs e que precise de remendos.E quando se trata de Windows a coisa fica exponencial. Além da sua abordagem ser extremamente chata, arrogante e incisa. Você quer debater e impor a sua opinião. Se não entendeu o sentido do meu artigo, se acha o Linux, a SL uma droga e o Windows uma maravilha. O que você está fazendo aqui?

Se torne um programador e contribua pra aperfeiçoar o que você acha de errado.
Eu dou por encerrado a minha comunicação com você.


Esse espaço é para os membros dessa comunidade que trocam ideias e que sim podem omitir suas opiniões mesmo contrárias só que de um modo respeitoso e inteligente. Você parece um Troll "Photoshop é muito melhor que o GIMP e acabou", quem você pensa que é? Você é da geração do parece: Parece que sabe, parece que usa, parece ser inteligente. Mas quando medido é achado inconsistente! Então meu querido, compra logo o W7 e seja feliz, troca o disco, porque essa música já cansou!

Viva o Linux - Porque Amamos A Liberdade

[23] Comentário enviado por cruzeirense em 12/02/2010 - 18:23h

Prezado amigo,

Gostei do seu artigo, mas não concordo com tudo o que foi dito.
Vou dar minha opinhão.

Que o linux é bom todo mundo sabe, tem alguns aplicativos bons, outros apenas utilizaveis, mas que atendem a grande maioria dos usuários.

Agora, se você me perguntar se eu acho ele melhor que o windows eu te falo que não.
Na MINHA OPINIÃO o windows ainda está melhor do que o linux em diversos pontos, vou citar alguns:

1-Suporte a Hardware - apesar de falrem que Microsoft paga aos fabricantes para criarem drives para o windows, vocês acham que alguém seria tão imbecil a ponto de fazer algum dispositivo que não funcione no windows?

2-Softwares - A mesma situação dos drivers, você acha que uma empresa de desenvolvimento iria fazer um software que não funcionasse no windows? Perder 90% do mercado? Seria burrice não concorda?

3-Padronização - É claro que diferentes versões do windows tem suas pequenas diferenças, mas qualquer usuário acostumado com uma versão se adapta rapidamente a outra. Agora cada distribuição do linux é diferente, umas usam KDE outras Gnome, e pra quem sabe apenas clicar em ícones isso atrapalha bastente.

4-Um argumento interessante é que o Microsoft Office é caro e no linux pode ser utilizado o Open Office. Eu acho o Ms Office melhor, mas realmente o Open Office atende a maioria dos usuários. Mas parece que as pessoas se esquecem que é possível utilizar o Open Office no windows... (na verdade ele é mais utilizado no windows do que no linux, isso acontecem com a grande maioria dos softwares livres.

5-Suporte técnico - Isso mesmo, muitos vão dizer que o suporte da microsoft não presta, mas precisei utilizar apenas uma vez e foi excelente.

6-Windows 7 - Nessa microsoft realmente jogou um balde de água fria em nós, usuários do linux. O Windows 7 é realmente muito bom.

7-Jogos (não precisa comentar)

8-Linux nem sempre é open source! - Isso mesmo! Quem acha que está utilizando o linux e está utilizando apenas software open source está muito enganado! A maioria das distribuções linux maiores não são consideradas 100% open source. Teve um artigo aqui mesmo no VOL falando do assunto, quem tiver curiosidade procure na pesquisa.

Acho que estes são os pontos em que acho que o linux perde para o windows e que em um futuro próximo não irão mudar.

Outra coisa, eu comprei mês passado um computador que custou R$ 2.200,00 - Não acho tão caro pagar R$ 600,00 no windows.

Abraços,

Renato

Ps. O Daniel está aqui fazendo o mesmo que agente, dando sua opinião.

[24] Comentário enviado por removido em 12/02/2010 - 18:38h

"O que você está fazendo aqui?"
"Você parece um Troll..."
"...quem você pensa que é?"


Parabéns!!!

[25] Comentário enviado por Lúnix:) em 12/02/2010 - 19:34h

Osiel Abreu

Faço minha as suas palavras:

Você lendo uma ou três linhas ao meu respeito ainda assim não saberá quem sou, então pra que perder seu (PRECIOSO) tempo.

"O que você está fazendo aqui?"
"Você parece um Troll..."
"...quem você pensa que é?"


Colocado assim fica realmente agressivo né! Agora porque você não cola o post completo para que as pessoas não sejam induzidas a pensar que sou mal educado e sem coração?

Você quer ver o circo pegar fogo, né? Não entro na sua não, meu querido!

Eu devo está realmente te incomodando muito! Mas como sou da paz ficam algumas mensagens pra se refletir:

É preciso amar as pessoas como se não houvesse o amanhã …

Uma resposta quando branda faz recuar o furor …

Trate as pessoas como você gostaria de ser tratado …

O amor supera todos os obstáculos …

Amar o próximo como a si mesmo …


Paz e Amor

Lúnix

[26] Comentário enviado por TylerDurden em 12/02/2010 - 19:43h

Acho que voces tem de serem mais flexiveis na hora de questionarem a funcionalidade de algo. Pessoas cultivam opinioes, e isso e inquestionavel. O linux ate hoje me atendeu a TUDO, nao 100%, mas me atendeu com fidelidade e principalmente personalidade... Acho que um usuario de linux busca muito sob a personalidade em si, fora a liberdade e toda as vantagem que se consistem em utilizar o Linux, nao gostou... Modifique voce mesmo, simples!
Abracos.

[27] Comentário enviado por removido em 12/02/2010 - 21:45h

"Paz e Amor"

Caro colega estou vendo que se não colocar um ponto final, nesta %$#&*@&&*&(*(&%, vamos ficar aqui discutindo até o GNU/Linux obter 100% do mercado de Desktop.
Como o senhor pôde ver em meu perfil eu sou um morador de Brasília. Brasíla hoje está em festa, comemorando uma pequena batalha, colocamos, nós os estudantes de Brasília, um governador, de caráter duvidoso, na cadeia.

Agora é hora de comemorar, quando o senhor passar por aqui vamos tomar umas cervas e rir de tudo isso.
Até mais, amigo.

Viva o Linux, viva Brasília que não merece essa cambada de safado que vem para cá manchar o nome da cidade.

[28] Comentário enviado por krlsdu em 12/02/2010 - 23:51h

Comentários a parte (nossa li todos levei 40 min) rsrsr!!!!
Então, sou fã linux (3 anos) e ja trabalhei com windows (10 anos).
Em seu artigo vc atinge uma área sobre engenharia de software e cita o planner 0.XXX não conhece esse software não sei quão bom ele é.
Mas tenho um outro que utilizo nos meus projetos de pequeno e médio porte chamado Openproj atende perfeitamente a todas a necessidade, como planejamento de prazos, preços, desenvolvimento, e outros pontos importantes e tabelas necessárias para um projeto.
E ainda tem um chamad Xmind versão free (mais conhecido como organizador de mapas mentais). Muito bom, pelo pouco que trabalhei até agora com ele.
Ambos os programas tem a possibilidades de diagramas e gráficos, nos padrões conceituados entre os projetista que é o Gráfico de Gantt.
Exportam para várias extensões.
Esse é minha contribuição para o artigo.
Abs.
Até a proxima.

[29] Comentário enviado por GilsonDeElt em 13/02/2010 - 18:52h

Lúcio, parabéns pelo artigo!
Embora seja um tema já muito debatido aqui,
você usou de outra ótica: falar a microempresários, pois a maioria dos que li aqui busca convencer ao usuário comum (independente de ser ele doméstico ou empresarial, pois há diferenças do uso que cada um deles faz do sistema).

Não li os comentários todos, mas acho válido que exponham suas opiniões
(se bem que não precisa ser com "críticas destrutivas", como me pareceram alguns comentários do que li). Afinal, opinião cada um tem uma, e confrontando-as que podemos pensar
em como melhorar as coisas (seja o GNU/Linux, o Windows, ou qualquer outra coisa).

Té+ procês

[30] Comentário enviado por Teixeira em 14/02/2010 - 16:59h

Sem desmerecer a opinião do autor do artigo, e apenas como ilustração, tenho a esclacrecer:

1- Quando foi dito sobre o "Windows 1.0" saiu "DOS 1.0" (questão apenas de revisão);

2- Commodore não era assim tão "menos conhecido".
Na verdade a Micro-Soft, ainda uma softwarehouse, era uma "ilustre desconhecida" no meio de nomes como Tandy Radio Shack (TRS), Commodore, Amiga e Apple.
Porque? Porque para o usuário leigo o seu nome não aparecia jamais. Da mesma forma que uma linha de metrô somente é lembrada porque tem estações visíveis ao nivel da rua, e nos esquecemos solenemente dos quilômetros e quilômetros de túneis e infraestrutura, um ROM BASIC ou um Firmware não nos parecem tão importantes. Exagerando um pouco, para o usuário final o computador é "o monitor", e a CPU é "o gabinete" com o que tiver dentro. E pronto.
A Micro-Soft (ainda com hífen no nome) era especializada em elaborar uma coisa chamada ROM-BASIC.
Muitos dialetos BASIC que rodavam naqueles micros de 8 bits foram elaborados pela Micro-Soft, baseando-se no conjunto de instruções de cada processador específico daqueles micros.
Quem saiu perdendo foi a Apple, pois o 6502 não aceitava algumas instruções comuns aos processadores da Zilog, e assim o seu BASIC ficou meio fraquinho, especialmente no tocante ao quesito "armazenamento" (seus disquetes tinham a capacidade de apenas 153KB, contra 180 ou 360 dos TRS)...

3- Um micro compatível com TRS podia rodar pelo menos 4 sistemas operacionais diferentes, todos pagos, de desenvolvedores diferentes, e que os usuários elegiam conforme suas preferências e conveniências pessoais.

4- O Centro de Pesquisas da Xerox em Palo Alto sempre colocou suas pesquisas à disposição de quem desejasse levá-las adiante sob o ponto de vista comercial. Negociadas as patentes, passam a pertencer legalmente ao seu comprador.
A Xerox, que modernamente adotou o slogan "The document Company" sempre teve um leque de visão bastante amplo, embora jamais tenha tentado sair de suas próprias diretrizes para lançar voos muito mais altos ou abraçar coisas mais largas que seus próprios braços.
E continua pesquisando.
Entre suas pesquisas mais relevantes, estava o sistema de janelas para microcomputadores, que encantou a Apple, já com o modelo Lisa, baseado em outro processador. Então a Apple lançou conjuntamente um sistema de janelas e uma suíte de escritório, que muitos criticaram por ser "vedada" e "impenetrável" porque embora não desse defeito, não facilitava em nada a vida dos desenvolvedores de software. O MacIntosh foi uma evolução do Lisa original.

5- Com o lançamento do IBM-PC, anunciado estrategicamente como um micro "de 16 bits", e devido ao fato de ter sido a IBM acusada de monopólio, ficou impedida legalmente de desenvolver e comercializar seu próprio software básico.
Assim, por uma coincidência histórica foi contratada a Microsoft para desenvolver o sistema operacional.
Sendo o 8086 uma evolução do 8080 que sucedeu ao Z-80 que já era seu velho conhecido, pôde então desenvolver rapidamente um SO para ele.
Ainda hoje um processador 80486 tem o mesmo repertório de instruções do velho Z-80, estendido de forma a poder acompanhar a evolução tecnológica.

6- Curiosidades:
- Mesmo no tempo em que aqueles micros vinham com um dialeto Basic, no mundo inteiro os usuários "mais evoluídos" usavam Pascal, Forth, Lisp, CP/M etc., deixando o Basic sempre em segundo plano. Aqui no Brasil o Basic sempre esteve em primeiro lugar. Da mesma forma, por aqui o Orkut é um grande sucesso, desprezado na maioria ds demais países.
- O Basic Linux é usado "lá fora" preferencialmente em modo console. Mas já que dispõe de uma GUI completa, o BL3 BRASIL incrementou "umas cores a mais".
Afinal, não custa nada e o pessoal por aqui não gosta muito de telas pretas...

[31] Comentário enviado por Teixeira em 14/02/2010 - 17:26h

Também gostaria de comentar quanto ao BR-Office ou OpenOffice, quando comparados ao Ms-Office:

Sob o ponto de vista meramente funcional, para um usuário mediano (cerca de 90% dos usuários de micros são usuários medianos) não ha diferença alguma entre as três suítes.
O uso de macros complexas não é, de forma alguma, coisa de usuário mediano.
Depois, dá para fazer AS MESMAS macros, talvez com diferença de sintaxe, e funcionar do mesmo jeito. Agora, importar e exportar, somente se houver compatibilidade ou, se for respeitado um formato aberto.
O fato de não aceitar a importação de macros (escritas em uma linguagem incompatível) entre pessoas sérias não pode jamais determinar que o Office X seja "melhor" que o Office Y e - pior ainda - que esse Office Y seja "uma porcaria".
De minha parte, todas as macros que produzi funcionaram e muito bem.
Contudo lamento que essa portabilidade ainda não possa ser atingida.
Mas não é tão difícil assim: Vemos como foi escrita uma determinada macro, e experimentamos reescrevê-la com outra sintaxe. Geralmente dá certo.
Se podemos produzir macros complexas, é porque estamos de alguma forma fora daqueles 90%, nem que seja circunstancialmente.

Aqui em casa cada pessoa faz café (ou arroz) de formas totalmente diferentes, e nem por isso deixa de sair um cafezinho ou um arroz agradáveis ao paladar.
O café daqui não tem gosto de chá (nem de querosene), nem o arroz tem gosto de abóbora (nem de sola de tênis de chinês de filme de kung-fu)...

[32] Comentário enviado por luizvieira em 15/02/2010 - 06:42h

Software livre é mais questão de filosofia do que qualquer outra coisa. Com o crescimento da comunidade de software livre é que as empresas enxergam uma possibilidade de economia, deixando de pagar por licenças um tanto quanto absurdas.
Isso é bom. Estimula a competitividade e o aumento de qualidade. Não é a toa que desde o Vista a Microsoft copia muitas coisas do Linux e Mac. Será por sua baixa qualidade? Certamente que não... Hoje em dia é possível comprar micros já com o Linux e que funcionam muito bem. Meu laptop mesmo é um exemplo, veio com o Librix, que é uma distro fantástica baseada no Gentoo e customizada pela Itautec em conjunto com a Unicamp, que funciona redondo com o hardware deles. Isso sim é crescimento de possibilidades, e quanto mais possibilidades tivermos melhor :-)
Eu, por exemplo, adoro comida japonesa, mas tem gente que odeia, prefere um churrasco com a carne ainda sangrando (o que me faz querer vomitar huahauhauhauha). Mas como disse Voltaire: posso discordar completamente do que diz, mas defenderei com a minha vida seu direito de dizê-lo.
Não adianta, tem gente que vai morrer usando o Windows, enquanto tem outros que não abdicam de sua liberdade :-)
[ ]'s

[33] Comentário enviado por asdf2 em 15/02/2010 - 22:48h

belo artigo, vai um 10 aé pra tú.

[34] Comentário enviado por asdf2 em 15/02/2010 - 23:01h

@luizvieira

meus gostos são o contrario dos seus:

odeito comida japonesa (windows) e adoro um churrasco de carne mal passada (linux).

[35] Comentário enviado por apoiana em 16/02/2010 - 08:37h

Olá parabens pelo artigo!!!! todo mundo fala que linux é dificil, até eu falei, mas nada é simples sem vc começar a compreender, mas para isso é começar a usar e foi assim comigo e hoje eu sou feliz com linux e minha mulher um pouco porque não aprendeu muita coisa ainda, mas concerteza hoje ela reclama menos!!!! é software livre sempre!!!1

[36] Comentário enviado por dbahiaz em 16/02/2010 - 22:49h

Gostei do seu artigo!

Concordo e discordo em alguns pontos, eu vejo "usuário de Windows" como um usuário de drogas, é isso mesmo (crack, maconha, heroína).Ti Viciam, você vira marginal e pra você largar meu irmão, é dose, digo isso por mim que desde 2006 tento me curar, mais 100% não dá (Cads por exemplo).

Gostaria de lembrar que “LINUX” é diferente de “DISTROS”. E mesmo algumas distros contendo códigos “não aberto”, é gratuito para USO, e não é CRIME! Diferente do que acontece com Windows. Ou estou errado?

Para maiores informações: http://vivaolinux.com.br/linux/

[37] Comentário enviado por danielfranca em 17/02/2010 - 15:12h

Eu sou usuário Linux e me deprime esse negócio de tratar Linux e software livre como filosofia de vida e religião, não se pode criticar nada, dessa forma sabe quem será convencido a testar o Linux? ngm.
E Lucio, eu já sou um programador há uns 8 anos.

Quando citei OSS/ALSA/Phonom/QT/GTK não é meramente por fazer diferença pra quem programa, mas isso interfere obviamente no resultado final ao usuário, basta uma rápida pesquisada na internet e verá a quantidade de problemas que ocorrem no Linux em questão de som.

O Eclipse funciona excelente pra Java... mas depois de programar C/C++ ou C# no Visual Studio dá até um desanimo fazer algo no Eclipse.

O que é pra ser elogiado no Linux tem q ser elogiado, como o KDE4 e principalmente o Amarok (melhor player de música que já usei) e o Dolphin(melhor gerenciador de arquivos que já usei)

[38] Comentário enviado por nick em 19/02/2010 - 08:17h

Ainda rola esse papo xiita por aqui? Que é isso gente?

[39] Comentário enviado por Primo NT em 13/03/2010 - 10:46h

Cara bom....melhora inda seria assitir Piratas do Vale do Silicio!
Lá da pra ver tudo isso e muito mais!
E quando me falam em sistema operacional o primeiro que me vem em mente e Linux! ;D
E essa discurssão ai! Sei não viu! ;D

[40] Comentário enviado por removido em 30/01/2011 - 16:05h

A essa altura do campeonato não há mais necessidade de ficar comparando se o meu é maior que o teu. Temos é que mostrar as alternativas para a substituição do software proprietário e como utiliza-las no seu lugar isso sim seria dar contribuição ao software livre.

sniper"


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts