Terminais leves com LTSP - Linux Terminal Server Project

O LTSP renova a utilização de computadores que tornaram-se obsoletos devido à evolução tecnológica. Partindo dessa ideia, o LTSP é uma boa solução para reaproveitar computadores antigos, o que representa economia com aquisição de hardware.

[ Hits: 15.450 ]

Por: Lucas Queiroz Braga em 27/08/2012


Terminais leves com LTSP



Introdução

O Linux Terminal Server Project (LTSP) é um conjunto de serviços que proporcionam um ambiente de terminais leves e de baixo custo, conectados a um servidor que encarrega-se de processar todas as aplicações e exibi-las no monitor do cliente.

O LTSP renova a utilização de computadores que tornaram-se obsoletos devido à evolução tecnológica. Partindo dessa ideia, o LTSP é uma boa solução para o reaproveitamento de computadores antigos, o que representa economia com aquisição de hardware.

Com o avanço dos softwares e hardwares, é cada vez mais comum as empresas trocarem seu parque computacional para adequarem-se às exigências dos novos softwares disponíveis no mercado.

Uma questão muito discutida, é o que fazer com estas máquinas, levando-se em conta que o seu custo de atualização é muito elevado e seu descarte representa um grande problema ambiental, provocado pelo material utilizado em sua confecção.

O LTSP traz uma solução para este problema, com o LTSP você poderá voltar a usar os computadores obsoletos, pois todo o processamento é feito no servidor, sem consumir recursos das estações de trabalho.

Este trabalho tem como objetivo, informar aos usuários o funcionamento do LTSP.

Funcionamento do servidor e estações de trabalho

O funcionamento do LTSP requer os seguintes procedimentos:
  • O servidor é onde vai ser instalado e configurado o sistema. É necessária a instalação dos seguintes serviços:
    • ltsp-server-standalone - o DHCP, responsável por distribuir endereços de IP;
    • TFTP, responsável por disponibilizar o microkernel às estações de trabalho;
    • NFS, que é o serviço de compartilhamento de arquivos;
    • OpenSSH, que é o serviço de acesso remoto.
    O servidor é a única máquina que precisará ser atualizada com o passar do tempo, visando sempre à melhoria do seu desempenho.

  • O cliente é quem vai logar, sendo necessário habilitar o boot de inicialização do sistema pela placa de rede. Ao iniciar o sistema, o usuário poderá utilizar softwares e serviços, tudo através da rede.

  • Ter uma boa infraestrutura de rede vai ajudar muito no tráfego de informações entre o servidor e o cliente, oferecendo mais velocidade e menos leg. Outro fator importante é o investimento em cabeamento estruturado, o que evitará problemas futuros de expansão da rede, caso haja a necessidade de adicionar mais máquinas logadas no servidor.

Vantagens de se utilizar o LTSP

O GNU/Linux é distribuído com licença GPL (General Public License), ou seja, é um produto livre.

Você poderá obtê-lo de graça, alterá-lo, cobrar pelas alterações, implementos, melhorias e modificações que fizer, mas não pode restringir os direitos aos seus clientes e detentores. Assim, o LTSP torna-se um projeto viável, que reduz custos significativos para escolas e telecentros, que sofrem com a falta de recursos e desenvolvem projetos de inclusão digital.

Outra vantagem, é com relação à segurança: o GNU/Linux oferece inúmeras possibilidades de configurações e um servidor com um nível maior de segurança, o GNU/Linux fornece usuário oculto, ou seja, contas de usuário sem privilégios, e tem por finalidade, isolar os programas, permitindo que cada um tenha acesso apenas aos seus arquivos.

Como o sistema gira em torno do servidor central, facilita muito a prática de backups dos dados armazenados no servidor, evitando assim possíveis perdas de informações. A cópia de segurança é a melhor forma de prevenção e recuperação das informações, já que os dados podem voltar fielmente para o disco, se for necessário.

Desvantagens na utilização o LTSP

Uma desvantagem do uso do LTSP é que, em caso de indisponibilidade do servidor, todos os terminais ficam fora de operação até que o servidor esteja disponível.

O servidor tem que ter o hardware que suporta todas as estações de trabalho, porque durante o funcionamento de todo o sistema, o consumo de memória RAM do servidor é muito grande.

Com o uso de equipamentos de rede de qualidade inferior, pode haver perda de desempenho dos terminais.

Material e métodos

O procedimento experimental tem como objetivo, apresentar as configurações do servidor com o LTSP instalado e dos computadores utilizados como estação de trabalho.

Foi utilizado um servidor Dual Core com dois processadores T4300 de 2.1 GHz e 8 GB de memória RAM.

O sistema operacional utilizado foi o Ubuntu 11.04, com kernel 2.6.38-14 em uma rede de 100 Mbits/s. Nas estações de trabalho, foram utilizados dez computadores com processador Intel Celeron 420 de 1.6 GHz com 1 GB de memória RAM.

Foram feitos três tipos de testes, todos com o objetivo de medir o uso de memória e de processamento gasto no servidor, a ferramenta usada para medir foi o Htop, que é uma ferramenta interativa para monitorar sistemas GNU/Linux.

Teste:
  • No primeiro teste, a memória e o processamento foi medido sem nenhuma estação conectada à rede.
  • No segundo teste, foram conectadas apenas duas estações à rede, e medido o uso de memória e de processamento.
  • No terceiro teste, foram conectadas dez estações à rede e medido o uso de memória e de processamento do servidor.

Todos os testes foram feitos com as estações rodando aplicativos básicos, o tempo que o servidor ficou processando cada teste, foi de 10 minutos.

Resultados e discussão

Os resultados que obtivemos do uso de memória e processamento do servidor, está sendo apresentando no quadro abaixo.

Pelo que observamos, quanto mais terminais se logava no servidor, maior era o consumo de memória e de processamento.

Uso de memória e de processador no servidor LTSP:

   Somente o servidor    02 computadores ligados à rede   10 computadores ligados à rede
Processador 2 = 1,9%	           5,2%		                	           73,20%
Processador 1 = 0,00%	           3,30%			                       63,40%
Memória = 560 MB	               881MB 	                	           2.905 MB

* Tabela do uso do processador e da memória do servidor, coletados com a ferramenta Htop.

Conclusões

A tecnologia apresentada pode ser uma ótima solução para todo tipo de implementação com uso de computadores obsoletos.

O sistema pode ser de grande utilidade em prol do desenvolvimento da inclusão digital no meio acadêmico. Pode também ser implantado em empresas que não têm recursos de investimentos nos respectivos ambientes de TI, além, é claro, de oferecer um nível elevado de segurança.

Acessando o endereço http://www.ltsp.org, é possível encontrar a última versão desta ferramenta baseada em Software Livre.

Referências

  • FIALHO JR., Mozart. Guia essencial do backup. São Paulo: Digerati Books, 2007. Acesso em 1º abril 2012.
  • JAMIL, George Leal. Linux para principiantes: De iniciante a intermediário em tempo recorde. Rio de Janeiro: Axcel Books, 1999. Acesso em 29 março 2012.
  • LTSP - Disponível em: http://www.ltsp.org. Acesso em 2 abril 2012.
  • MORIMOTO, Carlos Eduardo. Linux redes e servidores: Guia prático. 2. ed. Porto Alegre: Sul Editores, 2006b. Acesso em 31 março 2012.

  • Artigo: Instalação e configuração do LTSP 5 no Ubuntu 11.04. Acesso em 6 abril 2012.


   

Páginas do artigo
   1. Terminais leves com LTSP
Outros artigos deste autor

GWT - Google Web Toolkit

Leitura recomendada

Distros nacionais em evolução: visão do Definity Linux CURRENT e do Kurumin beta

Asterisk Central IPBX - Debian

Consumo de link com Cacti

KDE4 junto com KDE3 no Debian Lenny

Servidor Openfire integrado ao Active Directory (Nível de Floresta 2008 R2)

  
Comentários
[1] Comentário enviado por cainf em 28/08/2012 - 19:51h

Só uma pergunta amigo, esse servidor era montado ou de marca ???

O LTSP funciona bem, melhor ainda se for a rede GIGA pois com a queda dos preços de cabos e placas é possível montar uma rede mais veloz que suporte mais terminais

Muito bom seu artigo convido-lhe a publicar no linuxfast.com.br pois é anti-ético eu copiar e colar

Fica aberto o meu convite

Carlos

[2] Comentário enviado por issamo em 30/08/2012 - 17:46h

Bom dia.

Temos uma solução pronta para clientes leves, se chama Tucunaré:

http://sf.net/projects/tucunare

existe a versão estável 2.6.7:

http://sourceforge.net/projects/tucunare/files/

e existe a versão de testes:

http://sourceforge.net/projects/tucunare/files/SOMENTE_PARA_TESTES/

ambas são baseadas na distribuição Debian GNU/Linux e contam com instalação automatizada, tanto para a instalação servidor LTSP como Desktop. A versão de testes esta sendo concebida a partir da versão de teste do Debian, cujo codinome é Wheezy. Ajudem-nos a testar a versão de testes, e nos reportem por qualquer problema.

ATENÇÂO: AMBOS OS DVDs (ESTÁVEL E DE TESTES), AS INSTALAÇÕES SÃO AUTOMATIZADAS E APAGAM TODO O CONTEÚDO DO HD DA MÁQUINA QUE SERÁ INSTALADO!!!




Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts