WindowMaker forever: instalando o fork -crm no Slackware 13.37

Neste artigo compartilho minhas experiências para instalar a versão mais atual do WindowMaker, o fork -crm. E de acordo com o site
oficial do gerenciador de janelas, é a versão oficial.

[ Hits: 18.731 ]

Por: Luís Fernando C. Cavalheiro em 16/11/2011 | Blog: https://github.com/lcavalheiro/


Obtendo e Configurando o WindowMaker -crm usando o WPrefs



Obtendo e compilando o WindowMaker -crm

O primeiro passo é obter o código-fonte para então compilar e instalar. Acesse a página oficial do fork:
Procure a mensagem intitulada 'WindowMaker 0.95.0-crm' (ela tem uma Tag verde escrita "master" e uma amarela escrita "wmaker-0.95-0.crm") e clique nela.

A seguir, procure uma linha iniciada por "tree" e clique no link 'tar.gz' no final dela. Alternativamente, você pode baixar diretamente de:
Compile o código-fonte de acordo com sua distribuição. Para o Slackware, não existem dependências adicionais a serem instaladas, e o processo de compilação é brilhantemente descrito em dois artigos:
O próximo passo é instalar o WindowMaker em seu computador. Se você já tem a versão '0.92.0' do WindowMaker instalado em seu computador (por exemplo, você usa Slackware), será preciso atualizar o programa, então preste atenção nesse detalhe. Após remover a instalação será preciso verificar se existe o arquivo '/etc/X11/xinit/xinitrc.wmaker'.

Se ele não existir, execute os comandos a seguir como root:

# cd /etc/X11/xinit/
# cp xinitrc.fluxbox xinitrc.wmaker
# vi xinitrc.wmaker


Encontre nas três últimas linhas o comando que inicializa o Fluxbox (startfluxbox) e o substitua por wmaker, respeitando e mantendo o endereço que antecede os comandos. A partir daí, siga as instruções de sua distribuição para determinar o gerenciador de janelas padrão.

Se você já usava o WindowMaker antes dessa atualização, será preciso também remover o diretório '~/GNUstep' de cada um dos usuários do computador. Para fazer isso, rode o comando:

# rm -r /home/*/GNUstep

E você terá removido as configurações que o WindowMaker usava antes. Não se preocupe com esse diretório, assim que você inicializar o X, o WindowMaker irá criar uma série de configurações padrão, de modo que depois é só voltar e editar manualmente.

Configurações iniciais do WindowMaker -crm usando o WPrefs

Assim que iniciar o WindowMaker, você receberá o espaço de trabalho padrão (fundo azulado com o Clip no canto superior esquerdo e os aplicativos ladrilhados no canto superior direito da tela).

O terceiro aplicativo ladrilhado pode estar com um ícone esquisito, mas é o bom e velho WPrefs que todos nós amamos. Inicialize-o e o ícone se corrigirá sozinho. ;-)

Execute o WPrefs para ser brindado com a tela inicial do utilitário de configurações do WindowMaker.

A maior parte das configurações depende do gosto do usuário, mas eu sugiro (na verdade, recomendo FORTEMENTE) que você dê uma olhada na aba "Applications Menu Definition". Confira, e se for o caso, corrija o caminho de cada um dos aplicativos registrados no menu. Lembrando de que não existe a pasta '/usr/local/share' em muitas distribuições.

Lembre-se: você pode mudar os títulos do menu e dos submenus dando um duplo-clique neles, digitando o novo nome e pressionando para a aplicação registrar a mudança. Faça todas as alterações desejadas e então clique em Save.

Se porventura se ver com um problema do tipo: "Ah, eu fiz alguma coisa errada. O WPrefs não consegue carregar o menu padrão!". Não se desespere! Primeiramente execute os comandos na ordem a seguir:

cp -r /usr/share/WindowMaker/* ~/GNUstep/Library/WindowMaker
$ wmgenmenu > ~/GNUstep/Library/WindowMaker/plmenu
$ wmgenmenu > ~/GNUstep/Library/Defaults/WMRootMenu


Explicando:

- O primeiro comando copia os menus padrão do WindowMaker para a pasta de padrões de fábrica do usuário;

- O segundo comando usa o 'wmgenmenu', um programinha legal do WindowMaker que gera um menu automaticamente na tela (e malandramente usamos um redirecionamento para sobrescrever o menu 'plmenu' padrão de fábrica);

- E o terceiro comando usa a mesma técnica, mas para sobrescrever o menu personalizado do usuário. Como diriam os americanos: "cool, huh?".
Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Apresentação, objetivos e justificativa
   2. Obtendo e Configurando o WindowMaker -crm usando o WPrefs
   3. Personalizando e Considerações
Outros artigos deste autor

Menu de Aplicativos do Window Maker

Emulador Mednafen - Instalação e configuração

Instalação e configuração do QEMU + AQEMU no Slackware

google-drive-ocamlfuse - Monte seu Google Drive usando o FUSE

Claws Mail: o cliente de correio eletrônico que morde!

Leitura recomendada

Instalando o Debian em uma máquina virtual (VirtualBox)

Apt-fast - turbinando o apt-get em distros Debian-like

Formatando exibição de datas no Linux

Gerando imagens com o mkcdrec

Zabbix 2 no CentOS 6 - Instalação e configuração

  
Comentários
[1] Comentário enviado por levi linux em 16/11/2011 - 21:25h

Boa noite!
Professor Luís parabéns pelo excelente artigo.
O texto está muito bem escrito e bastante didático.
O tema também é muito interessante, pois alguns ambiente como o Flux e o WindowMaker carecem de tutoriais completos e abrangentes.

[2] Comentário enviado por lcavalheiro em 17/11/2011 - 00:03h

Valeu amigo! Eu estou com planos pra escrever mais coisas sobre os gerenciadores mais "abandonados", mas por enquanto é isso ;-)

[3] Comentário enviado por darkstarfire em 17/11/2011 - 11:33h

Screenshot, por favor!!!

[4] Comentário enviado por lcavalheiro em 17/11/2011 - 14:39h

Já tem uma aqui no VOL mesmo, no link http://vivaolinux.com.br/screenshot/Window-Maker-WindowMaker-+-Eterm-+-Firefox-+-Audacious-+-XSnow/

[5] Comentário enviado por albfneto em 20/11/2011 - 21:40h

gosto muito de window maker. tb vou testar. Favoritado.

[6] Comentário enviado por Lisandro em 21/11/2011 - 08:03h

Foram muitos anos com o WM. Bons tempos...

[7] Comentário enviado por lcavalheiro em 21/11/2011 - 11:46h

Correção: o nome do criador do WindowMaker é Alfredo Kojima, não Alberto como consta no artigo. Outra coisa, pra quem não sabia: titio Kojima também é o criador do Synaptic ;-) Recebi essa info por e-mail, aproveitando, obrigado Gerson Torres!

[8] Comentário enviado por albfneto em 21/11/2011 - 23:01h

NOTA:

Para Gentoo e Sabayon, o programa fonte pode ser achado no Overlay GNUStep:

http://gpo.zugaina.org/x11-wm/windowmaker-crm

e instalado com Portage.

Puxa, agora olhei. Você digitou todo o seu artigo no VI?

[9] Comentário enviado por albfneto em 22/11/2011 - 14:25h

COMPLEMENTO PARA O ARTIGO - Instalando WindowMaker-CRM em Gentoo, Sabayon e outras Distros baseadas no Gentoo.

Veja este Link:

http://www.pinguimteajuda.com.br/node/67

[10] Comentário enviado por lcavalheiro em 22/11/2011 - 16:51h

Valeu, albfneto! É o WindowMaker mostrando que tem seus leais usuários!

[11] Comentário enviado por albfneto em 26/11/2011 - 14:49h

COMPLEMENTOS DO ARTIGO.

Fiz um artigo, submetido à apreciação dos Moderadores aqui do VOL, com mais coisas para windowmaker...

TERMINAL ADICIONAL

O WindowMaker, usa bastante Terminal.

Descobri ser possível usar o terminal suspenso Tilda nele, e o associei à Tecla F8.
Instale o Tilda na sua Distro com WindowMaker, depois abra o Terminal, com o comando :

$ tilda

configure-o, associe a Tecla etc.. E "doque" o Tilda. Sempre que vc inicia-lo do Dock, ou sempre que você apertar F8, terá um Terminal suspenso nele semelhante ao yakuake do KDE ou ao Guake do GNOME. é muito prático.

Tilda em WindowMaker:

http://hospedarimagem.com.br/images/87OCP.png

GERENCIADOR DE ARQUIVOS PARA WINDOW MAKER:

Embora você possa usar qualquer gerenciador de arquivos, como PCManfm, Nautilus, Thunar, Dolphin, Midnight Commander, Gnome Commander etc.. etc...
Um, leve e considerado adequado para o uso no WM (e também no LXDE e XFCE) é o

XFE (X File Explorer), é Francês, mas existe traduzido para muitas linguas.
Instale-o na sua Distro com WM.

http://ubuntuforums.org/archive/index.php/t-85363.html

Eis o XFE:

http://hospedarimagem.com.br/images/sn4e.png



SOLUÇÃO DE PROBLEMA DE NÃO SALVAR AS SUAS CONFIGURAÇÕES.

Se ao abrir, seu WindowMaker não salvou seus Dockapps favoritos e vc teve de carregar tudo de novo, acho que isso acontece, pq os sistemas baseados no AfterStep gravam coisas com permissões restritas e gravam em uma pasta GNUStep e não "hidden", .GNUStep...

aí o sistema entendeu que não era uma pasta de configs.

Mudando as permissões, resolve.

Faça o seguinte, vá na sua pasta /home/usuário e mude as permissões da pasta GNUStep, colocando permissões de escrita e leitura, recursivas, para o Grupo "seu nome de usuário" e/ou para o grupo "users".

OBSERVAÇÔES SÔBRE O WINDOW MAKER:

È incrívelmente leve.

No meu Semprom 32 Bits da Faculdade, com 2 Giga de RAM, ele usa apenas 260 Mega, com muita coisa aberta e com 14 Dockapps rodando.

Uso de CPU?

de 2 a 13 %, apenas!

Os processos? 125 no total, dos quais apenas 1 a 3 executam em um dado instante e os outros ficam sleeping.

muito eficiente, dá para usar até em servidores que não sobrecarrega nada.




[12] Comentário enviado por lcavalheiro em 13/12/2011 - 12:04h

Resposta ao comentário #8

Sim, eu digitei tudo no vi, albfneto. Desculpa não ter respondido antes, eu não tinha visto a pergunta.

[13] Comentário enviado por removido em 08/06/2012 - 10:56h

O WM é único.

Não há coisa semelhante em termos de desktop.

Talvez só o TWM e o Enlightenment sejam um paradigma à parte.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts