VIM avançado (parte 2)

Neste segundo artigo da série falo sobre a personalização do vim: abreviações, uso de auto-completar, teclas de atalho e um pouco sobre a identação.

[ Hits: 50.294 ]

Por: Ricardo Rodrigues Lucca em 08/10/2005 | Blog: http://aventurasdeumdevop.blogspot.com.br/


Abreviações



Abreviações são um recurso interessante no vim. Como o nome sugere, é um nome curto para um mais longo, isto é, invés de você escrever "Seu Nome Completo", você pode ter uma abreviação para "eu". Quando "eu" for detectado, será substituído por "Seu Nome Completo". Assim, podemos pensar nisso como um recurso de auto-corrigir de alguns editores de texto, onde automaticamente (e sem aviso) alteram a palavra recém escrita para uma nova predefinida.

Vejamos como usar os comandos:
  • :abbreviate
  • :abbreviate abreviação o_se_será_colocado_no_lugar
  • :unabbreviate abreviação

Assim, se fizermos ":abbreviate whi while (", estaremos criando uma abreviação para a escrita de "while (" onde nós só teremos que digitar 4 caracteres (ver tabela abaixo).

Quando não quisermos mais a abreviação, podemos removê-la com o seguinte comando: ":unabbreviate whi". Logo, o comando (un)abbreviate recebe como primeiro parâmetro, o que será substituído (nesse exemplo foi "whi"). Já o segundo parâmetro de abbreviate ("unabbreviate" não possui segundo parâmetro) é a nova sentença que será escrita. Assim, por exemplo, podemos ter uma abreviação "tacerto" para "true". Vejamos o exemplo:

Escrito Sendo visualizado
whi whi
whi<espaço> while (
whi<espaço>tacerto<espaço>) while ( true )


No exemplo acima possuímos duas abreviações. Uma para "whi", que é estendida para "while (" e outra que é "tacerto", que é um nome longo para um curto chamado "true". Esse exemplo serve pra provar que não precisa ser necessariamente nome curto para um nome longo, pode ser vice-versa.

Como ninguém tem memória de elefante, é normal esquecermos coisas. Para isso, podemos usar o comando ":abbreviate" sem parâmetros para nós exibir as abreviações criadas (ou em uso) até o momento. :)

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Auto-completar
   3. Abreviações
   4. Mapeando o teclado
   5. Terminando as personalizações
   6. Dicas -> identação
   7. Conclusões
Outros artigos deste autor

Criando um servidor de Ultima Online

Usando MySQL na linguagem C

Linux Básico - Parte II

Funcionamento da memória

Uma pequena análise do Gentoo Linux

Leitura recomendada

Incrementando os efeitos do Ubuntu

Instalando e configurando o Thunar

Instalando o Linux em HD SATA (SCSI)

Exclusivo - Entrevista com Fábio Berbert, criador e mantenedor do projeto Viva o Linux!

Configurando dispositivo CD-R/CD-RW e gravando CD em modo texto

  
Comentários
[1] Comentário enviado por gsi.vinicius em 13/03/2006 - 15:09h

mto bom.....mtas informações úteis...

[2] Comentário enviado por FelipeAbella em 12/08/2006 - 19:30h

Nossa, quando descubri o vim, não sei como eu programava sem ele...

Parabéns pelo artigo, muito rico e útil.

[3] Comentário enviado por matheuss32 em 04/08/2013 - 05:09h

Valeu!


Contribuir com comentário