Usando o seu módulo IRDA no Linux

Esse artigo descreve como usar o IRDA no Linux. Descreve a carga do sistema, configuração dos módulos e a personalização dos programas de interfaceamento.

[ Hits: 27.486 ]

Por: morvan bliasby em 14/12/2004


Conclusão / Bibliografia



Conclusão


Espero ter sido breve e útil aos internautas, com relação ao uso do IrDA no Linux.

Há, sem dúvida, muito a ser feito, pois, diferentemente do Windows, que habilita o serviço e o deixa na área de notificação (vulgo bandeja), no nosso Linux o serviço é chamado a cada requisição, no caso de receber arquivos, e a sua inicialização e finalização têm que ser levadas a cabo pelo root, numa paranóica obsessão tipo NSA.

Ora, se forem dadas as permissões corretas usuário / pasta, pode-se deixar o serviço em estado de espera, sem problema. A implementação de sons de evento também é requerida, pois vai do agradável ao psicologicamente eficaz. Para quem possui um aparelho como um Palm, um celular com infravermelho ou um NoteBook, idem, o IrDA preenche bem a lacuna das implementações parciais e problemáticas do Jinni e do BlueTooth, principalmente quando se considera que um cabo USB ou Serial, no caso dos celulares, chega a uma boa parcela do preço do próprio aparelho.

Com a chegada do protocolo IrDA FIR (Fast InfraRed), em sua última versão chegando a 16Mbps, é de se esperar que o IrDA ainda tenha uma boa sobrevida face os citados Jinni e BlueTooth.

É esperar para ver. Mas não espere muito. Monte o seu "Dongle" IrDA, leia os tutoriais e usufrua de uma comunicação eficiente e estética. A quem interessar, posso enviar os arquivos alterados via e-mail, já que não possuo site.

Um abraço

Dados do autor


Francisco Morvan Bliasby é Analista de Suporte na Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado do Ceará - Sejus.

Autodidata, escreve regularmente para sites sobre os mais diversos assuntos, principalmente sobre Linux.

Programa em C (o C aí é de "Começando"), Visual Basic e é do tempo do Clipper (não o golfinho, aquele é o Flipper!). Para quem não sabe, o Clipper é um compilador do Dbase, escrito em C, muito bom para a época.

Gosta muito de música (principalmente Bach e Chorinho) e de eletrônica.

Contatos

Bibliografia

Página anterior    

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Carregando o módulo
   3. Usando o IRCP
   4. Conclusão / Bibliografia
Outros artigos deste autor

Dominando o BrOffice.org Writer com o uso de estilos

Recuperando seus dados com o "truque da geladeira"

SL no Estado do Ceará: repensando a nossa forma de atuação e engajamento

Dominando o BrOffice.org: Pincel de Estilo, Sumários e Objetos OLE no Writer

Como Instalar Seu Adaptador WiFi RTL8821 No GNU-Linux

Leitura recomendada

Instalando o Zabbix

Configurando a placa de rede wireless RTL8187 no Ubuntu 9.04

Instalando scanners com SANE

WIFI não funciona após o suspend [Resolvido]

MAC Flood! E agora?

  
Comentários

Nenhum comentário foi encontrado.


Contribuir com comentário