Recupere o Grub na MBR após uma instalação do Windows

Não é sempre, mas às vezes pode ocorrer de você ficar sem o Grub (gerenciador de boot) devido a uma reinstalação inevitável do Windows, ou instalação do openSUSE, que por estranho que pareça reconhece por padrão o MS, mas não a partição com o seu Ubuntu e então o que fazer? Aqui lhe mostro uma maneira prática de como resolver isso.

[ Hits: 30.759 ]

Por: Lúcio SLV em 23/03/2011


Padrão do disco, sistema de arquivos e journaling



No script será solicitado o tipo do seu disco rígido ou HD que via de regra fica em /dev, diretório no qual são armazenados os dispositivos existentes no sistema. Entenda que tipo se refere ao padrão do disco, ou seja, IDE (ATA) ou SCSI (SATA), ligado a controladora de interface de comunicação que no Linux são reconhecidos com a nomenclatura:

IDE (ATA) = hda
SCSI (SATA) = sda
As diferenças entre esses padrões são de ordem técnica em relação a desempenho, custo, tamanho, tempo de acesso, velocidade do motor e de transferência de dados etc. Enfim nada que você tenha que se preocupar embora ter esse conhecimento evite que você compre gato por lebre caso queira fazer upgrade no futuro. Apesar de que nas configurações mais atuais o Sata seja praticamente o padrão, mais essa afirmativa não é de todo exata e não entraremos no mérito da questão. Basta verificar a saída no terminal, conforme abaixo:
Assim que obter esta informação o script lhe perguntará qual é o sistema de arquivo da partição, que numa linguagem mais simples é a forma como um sistema operacional formata o disco rígido para o armazenamento dos dados que serão gravados nele, que no Windows é o NTFS e no Linux os padrões mais utilizados são o ext3 ou ext4, sendo este último o mais utilizado pelas distros mais recentes. Apesar de que há quem prefira o Reiserfs, que é extremamente rápido, desde que os arquivos sejam pequenos, pois se passar de 10 MB para cima há uma perda de desempenho.

Como hoje em dia filmes em avi, centenas de músicas em mp3 e muitas fotos são armazenados no HD, esse padrão não seria a melhor opção. Mais uma vez são questões puramente técnicas que cabe a cada um decidir o que é melhor para si ou dito num ritmo de funk, "Ado-a-ado cada um no seu quadrado".

O padrão ext3 e ext4 possui uma tecnologia chamada de journaling, que é a capacidade de acompanhar as constantes mudanças que serão realizadas no sistema de arquivos como gravações e atualizações de dados, evitando fragmentação no disco e perda dos dados quando há um desligamento abrupto como falta de energia ou desligamento acidental da máquina.

Esse sistema verifica entre outras coisas se mudanças foram gravadas no journal (que em português significa diário) e se lá existirem, elas serão aplicadas ao sistema. O script lhe abrirá o gparted conforme figura abaixo, note que a partição e o sistema de arquivos do Linux são facilmente perceptíveis, quis propositadamente uma interação gráfico com o usuário para "mensurar" visualmente o espaço e arranjo do seu disco. Mas tome cuidado, pois o gparted não perdoa lambança do tipo Chaves: "Foi sem querer querendo!"
Agora você poderá digitar a informação quando solicitado com exatidão. Desse ponto em diante o trabalho ficará a cargo do script sem que precise lembrar ou decorar comandos que são pouco usados no dia-a-dia. Afinal não é sempre que se instala um Windows com GNU/Linux funcionando plenamente, até porque o contrário é mais comum. O sujeito usa o MS e de repente se interessa pelo pinguim e quer instalá-lo e o processo de instalação por padrão identifica se há outros sistemas operacionais e automaticamente são gravados no Grub, dispensando assim uma intervenção igual a que estamos propondo aqui neste artigo.

Seja qual for o motivo da instalação do MS no seu notebook ou desktop, certamente você desejará ter o seu pinguim disponível e o recgrub.sh será uma mão na roda e a outra na chave. E caso precise editar o Grub queira ler, se assim desejar, essa minha dica publicada aqui no VOL, que apesar de fazer menção ao Ubuntu 9.10, serve igualmente para os seus sucessores:
Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Onde está Grub?
   2. Padrão do disco, sistema de arquivos e journaling
   3. Código do shell script recgrub.sh
Outros artigos deste autor

O Mestre, o Tecnólogo e o Aprendiz

Afinal, o que é o Ubuntu?

Como a propaganda afeta você?

Qual é o melhor Sistema Operacional?

Quão segura é a sua senha?

Leitura recomendada

Ubuntu - configurando dois monitores numa mesma placa de vídeo

Trazendo toda a usabilidade do GNOME 2 para o GNOME 3 do Ubuntu 11.10

Batalha Apache, PHP e MySQL com vestígios de versão antiga

Apache2, PHP5, MySQL5 e PhpMyAdmin com certificação SSL no Debian Etch

PuTTY - Release 0.66 - Parte III

  
Comentários
[1] Comentário enviado por alelima.xandao em 23/03/2011 - 12:36h

Agradeço pela dica. É muito valiosa, pois sempre que instalo um Fedora, o Grub some.
Abraço,

[2] Comentário enviado por removido em 23/03/2011 - 15:10h

Excelentes informações Lúcio !


Abraço.

[3] Comentário enviado por murderb13 em 24/03/2011 - 09:41h

Boa!

[4] Comentário enviado por murderb13 em 24/03/2011 - 09:42h

Existem vários tutoriais para esse "probleminha",,kkkkk
mas gostei desse script, mais fácil para indicar para usuários menos familiarizados com o Pinguim.!

[5] Comentário enviado por rone.martins em 24/03/2011 - 12:02h

Parabéns !
Um script simples e eficiente testei com a minha máquina que tinha o Debian squezze instalado fiz algumas modificações e funcionou normalmente, muito bom mesmo !

[6] Comentário enviado por MilbolTylerDurde em 24/03/2011 - 19:54h

eu lembro quando fiquei sem Grub, entrei em pânico xD!, ai usei o Grub disc e resolveu meu problema ^^

[7] Comentário enviado por pinduvoz em 24/03/2011 - 20:38h

Muito interessante.

Eu acho que já passou da hora de existir algo parecido, mas com uma GUI, para cuidar desse problema.

E o ideal seria que esse programa de recuperação funcionasse tanto no Windows quanto no Linux, assim como o UnetBootIn.

É uma pena que a maioria dos usuários de Linux achem que todo mundo está disposto a aprender a recuperar o Grub, ou mesmo o sistema inteiro, com um terminal.

[8] Comentário enviado por gokernel em 25/03/2011 - 09:48h

Concordo com o comentário do pindovoz, se essa dica fosse para uma pessoa tipo( minha esposa ou minha irmã ) elas falariam: "melhor usar o windows que é só colocar o CD de instalação e tudo fica pronto para usar".

Vale também esta dica usado o slitaz, pois o mesmo é pequeno.

Como usuario root:
___________________________________________
grub-install /dev/hda root-directory <SEU_PONTO_DE_MONTAGEM>
___________________________________________

Este unstala o grub 1.x e não o grub 2, agora é só editar as entradas do menu: /boot/grub/menu.lst

Gokernel.

[9] Comentário enviado por removido em 28/03/2011 - 21:52h

Já passei por este problema, e a única solução que dispunha era formatar e instalar tudo novamente.

[10] Comentário enviado por Lúnix:) em 30/03/2011 - 12:03h

ERRATA:

Caros amigos, quero desdizer o que eu disse no artigo sobre o espaço da MBR,pois não são 1024 kbytes, mas sim 512 bytes dos quais destes, 446 bytes são reservados para o setor de boot, enquanto os outros 64 bytes guardam a tabela de partição e os dois ultimos a assinatura.

(446+64+2=512)


No qual é possível ter 4 partições primárias e 63 sub-partições extendidas e complementando no Linux há diferentes maneiras de se fazer as coisas. Por exemplo: Há um disco de recuperação chamado "Super Grub Disc" que pode recuperar o GRUB, porém pouco amigável principalmente para principiantes, o mesmo é espartano até pra quem possui alguma noção sobre o assunto. Eu o utilizo já algum tempo, mas criei este script que é simples, fácil e eficiente. Onde se pode recuperar o Grub sem quebrar a cabeça e correr o risco de reinstalar um sistema que pode e deve ser recuperado com uma solução fácil, que qualquer um pode realizar tal feito bastando apenas ler as orientações e utilizar o recGrub.sh. Pois entre perder dados e ter o trabalho de reinstalar um sistema eu prefiro recuperá-lo e o tempo que eu perderia nisso, ganho fazendo algo mais produtivo e prazeroso.

Lúcio M.V. Silva

[11] Comentário enviado por andreuebe em 07/04/2011 - 11:21h

Valeu!!!!

Abs


[12] Comentário enviado por crimelordz em 21/10/2011 - 13:43h

MARAVILHAAAA. parabéns e obrigado pela ajuda!


Contribuir com comentário