Porque Linux não emplaca em desktops

Em servidores o já consagrado GNU Linux traz benefícios inegáveis, mas em computadores pessoais custa a deslanchar. Mesmo com toda propaganda em cima do Linux, esse sistema pouco empolga usuários e desenvolvedores de hardware. Antes de mais nada, leia por completo esse manifesto.

[ Hits: 50.128 ]

Por: Alexandre Felipe Muller de Souza em 23/05/2006


Minha experiência profissional em Linux



Conheço Linux desde 98, meu primeiro contato foi com o Conectiva 2.2, até então chamado de Marumbi. Fiquei empolgado demais com a chance de sair do Windows e usar um sistema operacional totalmente novo, inovador na sua filosofia e estável como uma rocha.

Dava um ar muito diferente, o KDE estava na versão 1.0 e Window Maker era o braço forte em ambiente gráfico. De lá pra cá usei não muito consecutivamente Conectiva 3.0, 4.0, 5.0, 8.0, Mandrake 7, 9, voltei pro Conectiva 10.0 e por último estou no Slackware 10. Tenho acompanhado muito o que está relacionado ao Linux.

Em 2003 comecei a cursar ciência da computação na UFPR, a faculdade é pioneira e muito tradicional em Linux. Todas as matérias do curso são ministradas usando ferramentas abertas. Em 2005 comecei a trabalhar na Conectiva, um sonho antigo realizado. Este ano fui contratado pela Mandriva pra trabalhar em Manaus num projeto em Linux de bastante abrangência da empresa.

Se eu não tivesse feito toda essa introdução, tenho certeza que me chamariam de filho do Bill Gates aqui injustamente. Então qual é o fator que me leva a acreditar que Linux não serve para desktops atualmente e a longo prazo não servirá? Única e exclusivamente filosófico.

Servir para desktop vai muito além de clicar num botão abrir seu email, ouvir músicas, falar no messenger e tudo mais de forma intuitiva. Isso Linux faz perfeitamente. O que digo com usar em desktop é: ter fácil administração do sistema, grande base de drivers pra diferentes hardwares, ser fácil de entender o seu funcionamento e ser integrado. Ser estável e poderoso é a característica forte de todo Unix, vide BSD, OSX...

Não aceitarei nenhum tipo de reclamação sem antes que leiam todo o artigo. Até então só falei bobagem para quem como eu é defensor ferrenho do amado Linux.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Minha experiência profissional em Linux
   2. Poderio Microsoft, monstro esmagador?
   3. FHS, a estrutura de diretórios
   4. GPL e sua característica viral
   5. Programadores Linux e seus radicais xiitas
   6. QT, GTK, a divisão das águas. Liberdade a custo de desempenho e compatibilidade
   7. Conclusão, comunidade Linux uni-vos
Outros artigos deste autor

Multi-head usando udev e Xnest

Jopen, não se preocupe mais em descobrir qual aplicativo usar

Como montar um pacote RPM

Extreme Programming e sua relação com Software Livre

Solução corporativa Expresso Livre, substituto de peso do Notes

Leitura recomendada

ROI em TI

Alexa e o ranking dos principais sites Linux da comunidade brasileira

Semana da velharia no VOL

Software Livre: Avanço tecnológico e ético

Tapa-olho, Gancho e Perna-de-pau

  
Comentários
[1] Comentário enviado por matheusslima em 23/05/2006 - 20:04h

Me desculpa cara,
mas meu computador da Dell o Mandriva reconheceu 100 porcento
ja o windows.....

[2] Comentário enviado por gilvanfisico em 23/05/2006 - 20:05h

Nossa qto conhecimento hein, Na verdade o LINUX não precisa só de programadores, mas tb de analista para saber se realmente o desenvolvimento desses programas está de acordo com o q espera o usuário final, principalmente aqueles q "amantes do rWINDOWS" e mesmo sabendo q é cheio bug, não ver motivo para migrar para o LINUX devido a sua "complexidade" pelo menos no inicio, até pq nem todos q usam RWINDOWS sabe DOS! Portanto não é facil esta mudança e os desenvolvedores não ajudam. Depois querem q o LINUX fique nas alturas!!!

[3] Comentário enviado por matheusslima em 23/05/2006 - 20:14h

cara, inves de reclama, ajuda
agora me diga
vc sb tudo oq tem na porra do C:/Windows, bem organizado?

hahaha

[4] Comentário enviado por matheusslima em 23/05/2006 - 20:17h

Conforme eu leio teu artigo, me impressiono, agora me diga, vc nao pode criar um carro pq o motor dele vc nao pode nem abrir, nao vender uma bicicleta pq a catraca dela é patenteada, nao pode vender um livro pq o alfabeto é proprietário???
cara, vc entro no linux, com o pensamentto errado!

[5] Comentário enviado por matheusslima em 23/05/2006 - 20:23h

Por favor amigo, instale o OpenOffice e fale, vc teve q compila mto codigo?

[6] Comentário enviado por Dark_Avatar em 23/05/2006 - 20:25h

Cara, artigo enojante, dá para concordar com determinados pontos, mas cara, veja bem, se formos jogar no geito "deles", vamos nos destruir, e criar mais um monopólio, e não queremos isso, se estamos nesse sistema que é o Linux, é porque queremos mais liberdade cara...
Em alguns pontos tipo compatibilidade em GTK, e QT por exemplo, eu concordo, seria melhor haver uma certa "união" entre eles, as pessoas usariam e codariam para a lib que quiser nesses dois casos, mas sempre haver compatibilidade entre ambos...

[7] Comentário enviado por dedraks em 23/05/2006 - 20:54h

Eu até concordo com alguns pontos do seu artigo mas no final parece que você quer que o linux seja um clone do windows.

[8] Comentário enviado por phil_mws em 23/05/2006 - 21:34h

Será que alguém leu realmente esse artigo? Sim, existem pontos a se concordar e outros a se discordar. Mas com certeza do jeito que esta...Linux é feito para profissionais de TI e curiosos, sua criação teve outra filosofia...Pra usuarios comuns que querem digitar o trabalho dos seus filhos em um editor de textos e viajar na internet, convenhamos...

A filosofia open source é maravilhosa....mas não é esse troço que realmente esta sendo discutido. Mesmo todo "ruindows" a microsoft ganha nos desktops por é muito e muito mais facíl de se brincar.

Eu acho muito melhor e seguro trabalhar hoje em dia em um ambiente linux que um windows...mas pra isso precisei estudar e ter contato direto com o assunto pra compreender.
Discutir que é mais seguro ver o que tem dentro do carro para opera-lo é logico...mas pro usuario que só precisa do micro mas ta nem ai pra informática (o estereotipo perfeito que vejo na faculdade entre pessoas que cursam qualquer outro curso que não seja informática) eles estão nem ai pra isso. Só querem conseguir usar o que precisam e acabou...

[9] Comentário enviado por joerosa em 23/05/2006 - 21:46h

belo artigo

[10] Comentário enviado por dzte em 23/05/2006 - 21:51h

Acredito que continuamos vivenciando discussões antigas sobre Linux X Microsoft. Vamos colocar os pés no chão e deixar as bandeiras de lado. O usuário do PC não é mais aquele (da minha época) que se via obrigado a decorar comandos, trocar hardware, comprar livros especializados e era visto como o papa da informática. Graças a Deus essa fase já está superada, embora uma minoria ainda acredite que não. O usuário atual quer apenas ligar o pc, acessar a internet, digitar um trabalho escolar, ouvir um som e jogar de vez em quando. Simples assim!
A partir do momento em que o Linux oferecer todas essas funcionalidades, de maneira simples, o usuário vai usá-lo como usa o Windows, ou seja, muitos usuários nem sabem o que significa sistema operacional, apenas o usam.

Vamos deixar a defesa para os proprietários e distribuidores dos SO. Caso contrário, vamos nos comportar como torcedores de times de futebol.

O que resta para nós é a lei do mercado.

Sistema aberto, livre e forte é um belo sonho com o qual compartilho, mas, às vezes acho que é pesadelo, porque o desenvolvedor também precisa comer e não pode trabalhar de graça.


[11] Comentário enviado por infog em 23/05/2006 - 23:24h

Muito Bom o artigo, Parabens

[12] Comentário enviado por JucelioMoura em 23/05/2006 - 23:32h

Muito bom seu artigo...
Concordei em quase tudo, e não se preocupe,
nos pontos em que discordei não "elogiei"
a senhora sua mãe...

espero que continue expondo suas idéias.

[13] Comentário enviado por liviocf em 24/05/2006 - 00:11h

Gostei muito do seu artigo, pois mesmo defensor do Linux,deu a cara pra baterem!! Sei que curiosos adoram o Linux e, claro, os desenvolvedores também!! Mas acho que em alguns pontos do artigo você chega a ser um pouco pessimista em relação aos usuários "leigos"!! Acho que pra muitos usuário que simplesmente "sentam e aproveitam", algumas distribuições conseguem fazer seu papel de "ambiente desktop"!! Já vejo casos de distribuições que conseguem fazer isso muito bem - vejam o Ubuntu!! E acredito que possamos melhorar, e muito, em termos de compatibilidade entre bibliotecas e tudo mais!! Mas será mesmo que para aqueles que querem simplesmente digitar um trabalho, navegar na internet ou simplesmente bater um papo vitual o Linux não está pronto???

[14] Comentário enviado por nmatias em 24/05/2006 - 00:31h

Em parte, concordo com o artigo, embora confesso que não entendi bem onde o autor pretendeu chegar. Não sou programador nem analistas de sistemas. Sou advogado. Mesmo assim, uso o linxu há mais de dois anos sem problemas. No início, compartilhava a máquina com o Windows, mas há dois meses comprei um micro novo no qual somente está rodando o Suse.
De fato, há algumas tarefas que, para o usuário que não estiver disposto a dedicar parte do seu tempo para compreender como funciona o sistema operacional, são realmente complicadas. Por exemplo, tive dificuldades iniciais para assistir a DVDs até descobrir como e onde baixar os "codecs" necessários. Esse tipo de coisa assusta o usuário médio de desktops, e talvez explique porque o linux, apesar da flagrante superioridade em relação ao windows, ainda não tenha conseguido se impor.
Em minha opinião, distribuições como o Kurumin podem ajudar bastante na popularização do windows devido a facilidade de uso.

[15] Comentário enviado por rgmmelo em 24/05/2006 - 01:14h

belo artigo cara!!desde de que comprei meu primeiro e unico pc a cerca de um ano que uso o linux,como um quase ex-usuário de windows eu posso dizer que essa migração não eh facil(tb nao eh o fim do mundo),so como exmplo eu fui instalar o debian br-cdd aqui no meu pc e passei mas de dois meses pra colocar o modem pra funcionar, tipo, eu lia um monte de arigos onde diziam " eh so compilar o seu kernel e indicar o caminho do mesmo e pronto" porra,o br-cdd nao tinha uma porrada de coisa necessaria pra rodar o make -xconf e similares,dai tive que usar o obscuro maker menuconf(digam ai,isso assusta um monte de usuarios ou nao?). Essa distro num eh customizada para o brasil?eu acho que a grande maioria dos usuarios de net ainda usam a discada...e como os caras do br-cdd nao perceberam isso?
so não disisti pois eu sou um fã do linux, odeio qualquer forma de pirataria e porq minha universidade tava de greve...mas nao engradeceu em nada o meu curriculum...
hoje em dia eu uso o slackware 10.2 e até agora eu nao entendi porq eu tenho que colocar os botoes de reiniciar e desligar no kde.....
nao sei se estou errado, mas seu artigo que chamar a atençao pra esse tipo de coisa...
mais umas vez parabens!!!!!!!!

[16] Comentário enviado por sombriks em 24/05/2006 - 02:21h

isso é interessante...

vc está numa empresa linux com um bom desempenho em desktop, mas chega desacreditando a bandeira que defende?

fora isso, é válida a sua argumentação e faz muito sentido no paradigma atual. Não tempos Megacorporações beneficentes, isto é verdade. Todavia Loucos como Stallman são loucos antes da mudança da Visão.

não se engane, sofware livre, a filosofia 'xiita' por trás disso tem um escopo muito, mas muito mais abrangente que isso.

partindo do princípio que nada dura para sempre (vide Idade Média), podemos estar hoje diante de um quebra violenta de paradigmas, onde a força do capital das empresas aos poucos irá mudar de forma. Onde já se viu acreditar que um segredo, nos dias de hoje, irá garantir a superioridade de uma empresa? em 30 segundos o mundo todo se intera de novas descobertas e acontecimentos. Aquelo que não é partilhado se fada ao esquecimento.

uma vez um conhecido participando de uma reunião de um partido de direita foi taxado de comunista ao comentar alguma coisa sobre urnas eletrônicas e código aberto. pois bem, ele não é comunista, é algo a mais. Não estamos aqui para dizer que Linux é melhor que windows, estamos aqui para dizer que o conhecimento não é propriedade, ele existe e está em toda parte. Não há como contê-lo ou utiliza-lo em favor de um só.

acredite, a questão não é se o desenvolvedor desktop vai ou não abri os fontes do seu valioso componente, mas sim se as empresas continuarão encarando conhecimento como mercadoria.

Para linux dar certo em qualquer coisa o mundo precisa passar por mudança ideológica. É o que eu acho, discordando um pouco de vc.

[17] Comentário enviado por marlovi em 24/05/2006 - 08:17h

Kara tipo seu artigo sei lá não curti muito não
vc quer que o windows seja bem parecido já tem distribuições que fazem isso
um exemplo e o Kurumin e o Kalango que tem um desktop bem parecido com Ruindows, e tem boa intabilidade com desktop e ñ tem que complilar programs ele já intala sem dificuldades, apesar de não gostar do kurumin, ele tem muitos suporte para drives. reconhece tudo literalemente... não gosto de windows.. muitos bugs e etc vc mesmo sabe então é isso ai
flw

[18] Comentário enviado por jborda em 24/05/2006 - 08:42h

antes de tudo gostei do seu artigo, principalmente porque vc botou sua cara na frente pra quem quiser acariciar, ou simplesmente, dale um sopapo.
conheço e utilizo linux(primeiro red-hat, fedora1, e depois slackware9,10,10.1,10.2, na empresa ubuntu), ja tentei insentivar outros amigos meus a usarem, quando começam usar acham uma maravilha, mas no primeiro problema que encontram desistem, porque dizem eles que acham complicado, eu particularmente acho que o problema deles eh simplesmente que estam com windows na cabeça, ja sabem ir em iniciar>>programas>>msn, ou enchem o desktop de icones.
podem dizer que se pode fazer isso no linux, mas quero ver colocar na cabeça de usuarios, manipulados por windows, é o so que manipula eles e nao o contrario.

[19] Comentário enviado por Maycon Pires em 24/05/2006 - 08:54h

Concordo com alguns pontos, porém acho que está desmerecendo demais o linux, pois a cada dia que passa as facilidades aumentam muito, tanto para instalação quanto manipulação, me lembro que a uns 5 anos atrás meu primo trabalhava com linux e a instalação era um pouco complicada mas hoje em dia não é bem assim.

Se formos analisar a evolução do Linux juntamente com a do Windows podemos peceber que o Linux vem ganhando disparado essa evolução. É questão de tempo para o Linux se tornar um desktop para todos. Algumas distribuições live boot facilitam e muito a vida de usúarios, pois ja esta quase pronta para se rodar a internet, escutar musicas,etc. E você acha que isso é dificil para usúarios Windows, eu acho que quem não consegue manipular essas distros é porque não tem um mínimo de curiosidade.

Na parte que você disse sobre o Técnico da Microsoft que chega com a polícia federal, eu já vivenciei e pensei se tivessem deixado implantar o Linux na empresa antes nada disso estaria acontecendo. Imagine o quanto não é a licença de 300 desktops, acho que essas pequenas "falhas" do desktop são toleradas.

Parabéns pelo artigo despertou pontos ocultos do Linux.

Vlw galera da VOL!

[20] Comentário enviado por gabrielteratos em 24/05/2006 - 09:06h

Cara, sei que todos vão me apedrejar, xingar minha mãe e dizer que sou seu primo e juntos temos um sobrenome gates, mas primeiramente quero deixar bem claro que ODEIO o windows, a microsoft e tudo mais, gosto de ter todas as experiências possíveis no software livre, mas tem uma coisa que é evidente: O usuário não quer compilar um kernel, mesmo os programas mais "bobos", que necessitam de um simples ./configure, make, make install são extremamente complicados para usuários comuns. Não quero partir da idéia "o usuário não se porta se é proprietário ou não", nada disso, hoje em dia há usuários conscientes e simpatizantes do software livre, no entanto são usuários comuns!!! Tudo o que querem é um avançar e finalizar! Concordei plenamente com o nosso amigo winchester. Sou, como já disse, apaixonado com o linux, acho perfeito a flexibilidade de podermos customizar nosso sistema, compilarmos na mão, termos várias GUIs diferentes. Mas me perdoem, eu mesmo compilo tudo e configuro pra
no final poder simplesmente, clicar e arrastar janelinhas. Aqui na faculdade mesmo(faço tecnologia em software livre), há pessoas no 1]íodo de software livre que nem no rUindows sabem mexer direito...poquíssimo contato com o pc já tiveram... daí veio a idéia de
personalizarmos o kurumin, demos um nome adequado à turma, compilamos módulos de softmodems, instalamos codecs w32, já vai com máquina virtual instalada e substituimos o velho menu K pelo kbfx personalizado. Mas pra quê? Pra mostrar aos novatos o poder do linux, que não é preciso ser um desenvolvedor pra usá-lo. No entanto, meus caros amigos GNUs, temos que parar de nos fechar à essa panelinha. Temos que parar de nos achar superiores por fazermos customizações no sistema, etc. O importante ao usuário final é comodidade!

A liberdade não é só podermos abrir os sources, modificarmos, compilarmos, ou mesmo utilizar pacotes. A liberdade é podermos libertar os usuários comuns!

Sei que à esta altura do campeonato todos já querem me matar, minha mãezinha coitada... nem diga.

Mas pensemos igual nosso amigo winchester, vc daria sua mãe, tia, ou amigo totalmente leigo um Slackware? Imagine os coitados tentando instalar um simples aMSN...

Digo tudo isso principalmente pois trabalho aqui an faculdade como monitor dos laboratórios e vejo muita gente dizendo(mesmo contra o ruindows): essa merda é muito difícil, eu odeio computador! Isso não serve pra nada!

Bom... se dizem isso usando o avançar, avançar, finalizar, o que diriam do make install??

Precisamos limpar a imagem do gnu/linux, sim! precisamos sim! Nada de panelinhas!

Valeu pelo artigo!

[21] Comentário enviado por eltern em 24/05/2006 - 09:54h

A verdade as vezes não nos convence.
http://www.baselivre.org/?p=9

A palavra ou frase que reflete tuddo isso em minha opnião é FALTA DE PADRÃO.

Na comunidade as vezes é mais comum vermos esforços duplicados do que esforços aplicados.

[22] Comentário enviado por leonardoamorim em 24/05/2006 - 09:59h

QT, GTK, a divisão das águas. Liberdade a custo de desempenho e compatibilidade (Única parte interessante do artigo, na minha modesta opinião).

Você escreve bem, expõe as idéias de forma clara, mas ainda usa uma linguagem infantil, por exemplo:

"Esse é um exemplo claro de poder econômico da mega empresa demoníaca."

"Conclusão, comunidade Linux uni-vos"

Você está parecendo um pregador.



[23] Comentário enviado por leonardoamorim em 24/05/2006 - 10:09h

Na comunidade as vezes é mais comum vermos esforços duplicados do que esforços aplicados. <- Isso é verdade!

[24] Comentário enviado por leonardoamorim em 24/05/2006 - 10:10h

Esqueci, parabéns pela coragem!

[25] Comentário enviado por felipebalbi em 24/05/2006 - 10:26h

Tem uma coisa que eu acredito:

Ruindows não é fácil. Ele simplesmente é utilizado de forma ilícita em 90% dos computadores domésticos.

Dessa forma a M$ consegue alienar os usuários ao seu modelo. Alguns dias atrás estava discutindo com um amigo meu sobre as diferenças entre Linux e Windows, o cara é completamente bitolado, diz que o Windows é padrão e que o padrão deve ser seguido. Aí eu comecei a rebater os argumentos dele:

1) Instalação de softwares

- no windows: Põe o CD, espera carregar, Next, Next, Next, Next, Next, Next, Next, Next, Concluir, Reiniciar
- no Linux: Abre o synaptic, pesquisa pelo software, marca a caixa de seleção e clica em aplicar. Ele busca dos seus cds, se não tiver nos cds, busca na internet, instala o software com suas dependências... tudo isso enquanto vc está tomando uma cerva bem gelada.

2) Usabilidade:

- no windows: Está tudo dentro de um único Menu chamado Iniciar. Imagina só o bug de conceito aí. Para DESLIGAR eu preciso INICIAR.
-no Linux (gnome): 3 Menus: Aplicaçãoes, Locais, Sistema. Lembrando que o Gnome está fazendo uma grande mudança no seu Gnome Human Interface Guidelines e agora o documento ensina como criar nomes sugestivos de Software.

3) Segurança:

- no windows: Trilhões de vírus e bugs todo dia, isso pq ninguém tem acesso ao código-fonte
- no Linux: milhões de bugs diários com correções horas depois :-p

4) Estabilidade:

- no windows: Ele é feito visando o Lucro. Isso quer dizer que ele pode ser lançado antes mesmo de bom o suficiente. Toda empresa privada visa o lucro, ainda mais a M$ que tem perdas da ordem de milhões com pirataria. Os que compram têm que cobrir os que utilizam um software pirata (Segundo Sérgio Amadeu, não são piratas, são corsários)
- no Linux: Software só é lançado quando está realmente bom, se vc é como eu que utilizo debian SID, com tudo super Instável, vc sabe que está fazendo isso por sua própria conta e risco.

5) Portabilidade:
- no windows: Só funciona com hardwares mais novos, hardware (até periféricos) com mais de 4 anos não funcionam mais.
- no Linux: ainda roda no meu intel 75mhz que tenho jogado lá em ksa. E o melhor, dá para rodar alguns serviços nele, como Samba. ;-) Hoje, já colocaram linux até em celulares, pdas, geladeiras, etc.

6) Filosofia:
- no windows: LUCRO, LUCRO, LUCRO, LUCRO.
- no Linux: Sociedade, distribuição de conhecimento, Liberdade, destruição de monopólios, distribuição de renda, etc.

Só para finalizar, o Linux é bom SIM para desktop. Meu Sogro tem 77 anos, ele instalou sozinho (sob minha supervisão) o Fedora Core (na época a versão 3) e ficou impressionado com a facilidade e estabilidade do sistema. Até achou mais rápido que o "outro". Hoje já temos até melhores opções como Ubuntu que utiliza o gnome 2.14 que pra mim está perfeito. Não sei oq mais podem melhorar no Gnome!!! :-)

um grande abraço a todos,
Felipe Balbi

[26] Comentário enviado por alexigor em 24/05/2006 - 10:36h

Vamos ler o texto do cara sem paixões exageradas... O linux é um software em construção para usuário final. Quem olha as versões do linux de 3 anos atrás e olha as versões disponíveis agora sabe que a interface amigável melhorou muito...
Tenho algumas questões a acrescentar ao texto publicado.
- Uma delas é que na maioria das organizações (ambiente de trabalho) utiliza-se MS... então é natural que o usuário use também MS em sua residência e tenha uma resistência natural em trocar para uma outra plataforma.
- Outra coisa que parece boba, mas faz diferença na hora da escolha do software que se vai usar, é que a plataforma de games é totalmente direcionada para o mundo MS - até porque os caras querem ganhar dinheiro (nada mais natural).
- Mais um detalhe que considero importante: As iniciativas públicas para a massificação do linux ainda são modestas. Para se ter uma idéia gasta-se em empresas estatais certa de R$ 3 bilhões anuais com tecnologia da informação - entre investimento e custeio. Se um por cento desse dinheiro fosse destinada à plataforma livre (cerca de R$ 30 milhões anuais) teríamos a melhor plataforma linux do mundo.
Finalizando... acho que o linux melhorou muito... ainda vai continuar melhorando... mas precisamos de estratégias de massificação da tecnologia - coisa que não é difícil de fazer se tivermos as pessoas certas do nosso lado.
Abraços

[27] Comentário enviado por tenchi em 24/05/2006 - 10:43h

Gostei muito do artigo, mesmo n'ao concordando com alguns aspectos dele.
N'ao tenho nada contra a estrutura atual de diret[orios do linux, na verdade acho q ele [e m,uito mais f[acil q no windows; temos uma pasta /usr, muito bem organizada, temos uma pasta com os dispositivos /dev, uma pasta para o cd, disquete etc, e uma pasta para guardar os documentos pessoais, acho q isso eh bem mais f[acil do que ter q entrar em c:\documents and settungs\user\ ou c:\arquivos de programas. Pelo menos para um usu[ario normal, achar um arquivos n'ao eh t'ao dificil, pois ele provavelmente est[a na sua pasta home.
Olha, n'ao tenhoi nada contra quem usa windows, n'ao acho horrores nisso, acredito que a pessoa usa o que quer. Dizem q o windows eh cheio de bugs, falhas etc, mas para um usu[ario normal, ligando o pc, jogando paciencia j[a t[a bom.... quer mais o que? kkk.
Esses dias, uma amiga minha comprou um desses computadores, esse, computador do lula (computador para todos) e quem usasse ele, teria uma p[essima ideia do linux. Ele estava usando o conectiva 10 (n'ao tenho nada contra o conectiva), mas falar a verdadade, eu naum usaria ele nem a pau... Ele vem com o m[inimo de programas possivel, uma vers'ao antiga do openoffice (1.1.4), sem os pacotes de desenvolvimento (essa amiga queria poder conversar no msn pela webcam), e n'ao deu pra eu instalar a nova vers'ao do amsn com su[porte a camera, al[em de eu n'ao achar um bin[ario q servisse. Pronto, naum queria mais "essa [*****] de linux".
Al[em desses computadores terem pecas de p[essima qualidade, (naum vou dizer, mais aconteceu at[e de um cd meu explodir -sim ficou em caquinhos- dentro do drive de cd, dando uma p[essima imagem do compu\tador, e consequentemente do linux).
Outro problema, eh q querem enfiar o linux "guela abaixo" nos usu[arios desses pcs baratos.
Aposto que alguem daqui j[a usou ou viu o windows starter edition. (a tentativa da micosoft de barrar o crescimento do linux nos pcs baratos) Qualquer um diria q qualquer coisa eh melhor q aquilo. Mas ainda sim ele tem um icone na area de trabalho pra um assistente de como usar o computador (pra comecar, coloque a sua m'ao sobre o mouse...). Mesmo o sistema sendo uma [*****], eh melhor usar esse q tem manual do que aquele q naum deixa eu entrar sem uma senha...
Conclus'ao: Ela ligou esses dias me pedindo pra eu instalar o kazaa na casa dela, pois o cara da loginha de computadores instalou o windows pra ela... N'ao tenho nada contra, mas... sei l[a... eh menos um ponto para o pinguim, menos um tamb[em pra microsoft , e um ponto a mais para a ignorancia...
Al[em do mais, existem diversar ferramentas hoje em dia q facilitam muito a instalacao de de programas, deixando o processo muito parecido com o nosso amigo "janela". Um exemplo de futuro eh o autopackage (www.autopackage.org), q instala tudo via dialogo do tipo "avancar e OK"...
Se qiserem ver o processo, vejam esse filminho:
http://www.autopackage.org/flash-demos/Autopackage-install.swf

Falow............................
Ah, e foi mal, pois estou na faculdade agora, e o teclado t[a meio desconfigurado....

[28] Comentário enviado por afigueiredo em 24/05/2006 - 10:46h

Cara,

Infelizmente tenho que concordar.
Apesar de a minha distro atual ter tido uma evolução enorme na direção do desktop, não chega aos pés do Mac OS X.
Uma quebra de paradigmas é necessária, pois não temos mais pq perseguir a M$. O Vista já ficou para trás. Ele vai chegar "velho", capenga, em termos de interface, visual.
Eu acompanho o Linux desde 97. Conheci o Conectiva 3.0, Mandrake, Red Hat, Gentoo, Debian, Kurumin, Slackware, Slax... Hoje, Ubuntu.
O avanço do Ubuntu 4.10 até o 6.06 é muito maior do que o Red Hat 9 até o Fedora 5.
Sem falar que o GNOME está cada vez mais simples, mais até que o Windows Xp.
Agora, os drives mais especializados fazem falta, mas não a todos os usuários. Sou analista, mas não tenho necessidade de uma placa de vídeo 3D com 256 Mb... Basta uma placa on-board. Resolve. Não jogo, mesmo.
Agora, quando o autor diz para nos unir, acredito que seja até no sentido mais restrito da palavra. Unir conhecimento de aplicações... Em vez de diversas, focar mais no usuário, na usabilidade.
Tem aplicações fantásticas de áudio que deveriam se fundir em uma aplicação animal!
Uma aplicação que descobri recentemente foi o Listen, para Ubuntu 6.06. Muito interessante, mas não chegou nem na versão 1.0.
E um gerenciador de fotos, será que não há no mundo software livre uma ferramenta como o iPhoto? Achei uma pro KDE, mas não quero sofre com o excesso de bibliotecas QT e GTK.
As ferramentas tem de se agrupar mais... se integrar mais...
Se for necessário, que saia outro toolkit, mas que sirva como base do desenvolvimento de aplicações para desktop.
Realmente, não precisamos ficar parecidos com o Windows, a não ser que se deseje sempre facilitar a migração. Mas, a quebra de paradigmas deve nos levar a uma passo a frente em usabilidade. Que o Mac OS X seja o nosso objetivo. Mas, com uma performance superior.

[29] Comentário enviado por tenchi em 24/05/2006 - 10:52h

Ah, e por falar em uni'ao entre gtk e qt, havia (naum sei se ainda ha) um recurso no Red Hat chamado blue curve, q fazia com que voc"e naum percebesse visualmente a diferenca entre as duas interfaces.

[30] Comentário enviado por feraf em 24/05/2006 - 11:10h

Honestamente, discordo até com o título deste artigo. Primeiro, você generalizou muitas coisas aqui. Existem distribuições como o próprio Slackware que você mesmo diz que usa, que é intencionado para o usuário avançado, mas existem distribuições como o SUSE, que não tem nenhum dos problemas mencionados acima, e é perfeitamente viável para servir como desktop. Até mesmo o Fedora ou o Ubuntu ou o Kurumin. Francamente, você não pesquisou direito sobre distribuições específicas para desktop.

Felipe

[31] Comentário enviado por maiconfaria em 24/05/2006 - 12:56h

Infelizmente você não faz ideia do que esta falando!

[32] Comentário enviado por goldblade em 24/05/2006 - 13:17h

Alguns "criticam" as dificuldades do linux, voltamos um pouco, uma pessoa que nunca esteve em poder de um PC se você entregar a ele um windows ou um linux, o que ele faria para "aprender" a usar qualquer um dos sistemas?? só iria aprender com o tempo, fuçando assim como aprendemos linux hoje em dia, o que acontece é que o windows foi para as escolas basicas de informática primeiro do que o linux e agora "ficam" rotulando linux para usuario avançado.. se ser usuario avançado for um "fuçador" nato, estamos com um conceito errado sobre isso, mas qual o mal de termos "leigos" tentando aprender e quebrando a cabeça a aprender a usar um sistema, sendo open source ou propriétario, conhevamos que "se perde" um pouco de tempo no mundo atual onde somos sugados a aprender rápido, acho que o linux alem de filosofia está dando oportunidade de qualquer um deixar de ser um "simples usuario", veja bem os maiores problemas relatados em assistência em relação a manutenção de micros as causas geralmente é o proprio úsuario que não sabe usar seu micro de forma correta, alias quantos de nos realmente sabemos usar o nosso micro de forma correta? e vou mais além qual a forma correta?? hum deixa ver, não ter virus? tudo organizadinho? driver de video otimizado? Firewall? é possivel um windows assim? é claro, depende do usuario, mas ele vai ter que ralar um pouco de conheçimento pra isso ou contratar alguem pra deixar tudo pronto pra ele, mas, passa-se um tempo e volta tudo a esta bagunçado, e ai se refaz o loop, já quem aprende linux, creio que não precisa tá chamando "um técnico toda hora" pra instalar novamente, alias chama-se sim um técnico chamado google ou um chamado vivaolinux e por ai se vai.. essa é a diferença num mundo virtual onde se "vive ao mesmo tempo em todos os lugares" num desses lugares temos comunidades sobre linux com milhões de pessoas dispostas a ajudar, claro assim que possível.. afinal não somos escravos de ninguem, nem de nos mesmos ;)

[33] Comentário enviado por allansv em 24/05/2006 - 13:24h

-Concordo. Podia-se fazer uma experiência.

- Propor a migração a uma certa quantidade de usuários e tomar nota dos resultados. Será mesmo que a população em geral consegue ter uma distribuição funcionando e atendendo a todas as suas necessidades em um dia ? Uma semana ?... Não me venham dizendo que é só escolher a distro x ou y...

- Também concordo com as opiniões sobre o kde, apesar de utiliza-lo. Mas, criticas a parte, estamos tendo um belo progresso.

[34] Comentário enviado por povoacao em 24/05/2006 - 14:12h

Não sei se há algum desenvolvedor aqui. Mas se tiver ouça-me.
Pq o IPod é um sucesso. Pq ele tem um só botão e uma rodinha.
como os slacks dizem: K.I.S.S Keep it simple stupdy
Os Desktops tem que ser KISS.
Outra coisa que ninguem entende, usuario não quer aprender porra nenhuma, quer sentar e usar, se faz o que ele quer, aquilo é bom pra ele.
O dia que minha tia conseguir acessar a internet e mandar só 1 mail pelo linux, ai sim, ele será o linux desktop.

[35] Comentário enviado por kernel__ em 24/05/2006 - 15:15h

Cara concordo com alguns pontos desse teu artigo, por ex. qdo. vc fala de padronização , mas...

se o preço a ser pago e ter que usar uma porcaria parecida com o M$ Windows, sinto muito!!! vou preferir a idade da pedra!!!!
Boa parte do q vc citou como falha do linux eu chamo de liberdade de escolha, de ter um sistema customizado e otimizado!!! Se não tenho capacidade pra customizá-lo uso o q me empurrarem se tenho capacidade quero liberdade pra usá-la!!
Vejo sempre alegações de que o linux na desktop é inviável pela sua complexidade, mas to cansado de ver usuário windows perguntar como se cria um atalho!!! e ai???? o windows tmb é complexo????? alguém ai já fez
curso de informática básica(widows,word,excel,etc...) e de linux????

Gostaria q a disposição q te motivou a escrever esse artigo e a de alguns q concordaram fosse mas utilizada para esclarecimento do usuário do q pra descrédito da plataforma!!!!!

[36] Comentário enviado por JefersonLopes em 24/05/2006 - 15:15h

Em alguns pontos concordo com você, em outros não. Uma boa idéia que creio e vejo que é funcional no linux é o CUPS e o LPRN. Simplesmente se eu plugar a impressora ele já instala o driver dá mesma, e se eu não tenho, basta baixá-lo do site na internet e instala-lo. Muito simples, por sinal.
O que seria de grande ajuda e valia, era se os desenvolvedores criassem algo similar à outros tipos de hardware como placas de video, placas de fax-modem, placas de rede, placas de som... entre muitos dispositivos. Depois de instalado, se o usuário mais avançado quiser compilar o kernel com os dispositivos da forma como faz hoje, deveria haver patch dos drivers de hardware prá isso.

Esta é apenas uma idéia, pois se algo assim existisse já seria uma maravilha para o usuário simples (lê-se desktop).

Hoje em dia o Windows não é mais tão integrado assim, faça um teste, abra o Windows Media Player, abra o RealPlayer, abra o Adware, e vc verá que as GUI destes programas são todas diferentes.

Em Linux, seria bom que os desenvolvedores do GTK e QT, entre TK, se unissem prá fazer, implementar, melhorar, a "interoperabilidade" entre estas toolkits. Ficam criando milhares de "themes", prá KDE, Gnome, XFCE, entre outros, e não fazem um thema do KDE funcionar no Gnome, vice-versa; isso não só em um aplicativo, mas em toda a interface gráfica e todos os aplicativos da mesma.

Outro ponto a considerar, porque não criam um Painel de Controle/Central de Controle mais organizado prá linux em vez de ficar colocando e criando não sei o que "transparente"? Transparencias são ótimas, são bonitas, eu também gosto, mas deviamos criar primeiramente algo mais produtivo para depois criar algo mais superficial.

Pegando de carona o que o amigo "povoacao" disse:"Pq o IPod é um sucesso. Pq ele tem um só botão e uma rodinha.
como os slacks dizem: K.I.S.S Keep it simple stupdy
Os Desktops tem que ser KISS. "

E reforçando, dêem uma olhada no seguinte site: http://www.vivaolinux.com.br/artigos/verArtigo.php?codigo=4785&pagina=7

Realmente achei muito interessante esta forma de extrutura, algo novo, não copiado dos nossos avós UNIX.

[37] Comentário enviado por kernel__ em 24/05/2006 - 15:25h

Oi de novo !!

Só reforçando o q comentei agora a pouco, quantos usuários windows depois de reinstalar seu sistema(sabemos q isso é uma pratica corriqueira no M$ Windows 8^) ) sabem instalar todos os drivers e deixar tudo rodando direitinho ou editar o registro do windows ou ainda fazer uma restauração no sistema ??????????????????

PS. Acho o windows muito complicado!!! por isso mudei pro linux!! 8^)

[38] Comentário enviado por flipe em 24/05/2006 - 15:31h

parabéns, muitas coisas no texto tem total razão!

excelente artigo!

falo!

[39] Comentário enviado por afigueiredo em 24/05/2006 - 16:14h

Hummm...

Acredito que vocês não entenderam o ponto do artigo.

O que o autor quis dizer é que vai demorar para o Linux ficar pronto para uso no desktop em geral. E, ainda, cito mais alguns pontos:

a) instalação de software - o synaptic é bom, mas para quem sabe usá-lo. Se você não souber o nome, já era.

b) Diversos software que fazem a mesma coisa e não possuem a devida integração com o gerenciador de janelas, seja ele GNOME, KDE, WindowMaker, XFCE ou outro.

c) Sistemas de arquivo confuso, como dito no próprio arquivo. Pq /etc para arquivos de configuração? Pq /media e /mnt que acessem a mesma coisa? Sem falar no problema do sync...

d) Política de Software - dificulta a vinda de drivers dos fabricantes, codecs de vídeo e áudio, 3D, DVD, mp3, etc...

e) Acesso a software terceiros, como: Photoshop, AutoCAD e outros especializados.

Podem achar que está perto do desktop, mas estamos *apenas* vendo a luz no fim do túnel.

O MacOS X é como um DVD, TV, ou mesmo um "microondas". Ligou, funcionou, e pronto.

[40] Comentário enviado por econt_linux em 24/05/2006 - 16:47h

Camarada!

Meus parabéns pelo artigo, realmente não teve medo de expor suas idéias. Sou usuário Windows a muito tempo e concordo plenamente que falta muito pro Linux se tornar um S.O. para desktop, sabemos que a grande maioria dos softwares usados por usuários finais sao compativeis com o windows, muitas pessoas com quem converso nunca ouviram nem falar em Linux. Acredito que existe sim uma perspectiva muito grande para o Linux se tornar mais forte neste segmento, mas vai depender muito da mudança de cultura dos usuários.
Concordo também quando você se refere a PADRÃO, na minha humilde opinião a pradonização de nomes algumas ferramentas ajuda muito os usuários a identificarem suas funções.
Só espero que os programadores se fixem tanto em desenvolver um linux para desktop que acabe causando instabilidade e erros. Creio que não devemos perder o foco principal que é a certeza de um SO seguro, instável e com o mínimo de bugs possível.

Flw

Cledson

[41] Comentário enviado por jcaj em 24/05/2006 - 16:49h

Gostei do seu artigo, afinal estamos em uma comunidade livre, porém a idéia inicial do Linux não é Ser livre(liberdade de escolha), não ficar "amarrando" o sistema em nada para que o usuário utilize-o como queira?

[42] Comentário enviado por tenchi em 24/05/2006 - 16:59h

Eh, apesar de tudo, temos q dizer viva o linux e viva o vivaolinux, pois são discussões como essa q mostram q uma das maiores liberdades (se não a maior) eh com certeza a liberdade de expressarmos o que pensamos; com algumas criticas sim, mas sem censura.



[43] Comentário enviado por dhoko em 24/05/2006 - 18:01h

Eu instalei o Dizinha num Pentiummxx(233mhz) com 32mb de ram.
o cara não consegue ainda acessar o disquete, mas usa até hoje!!

o windows não durava uma semana (pegava vírus e outras coisas e ficava cada vez mais lento)..

agora eu, to usando o ubuntu.. só agora, depois de alguns anos conhecendo o linux, estou usando realmente ele para trabalhar e para fazer minhas coisas normalmente.

mas, quando a padronização, é verdade.. o padrão para o usuário que não tem noção do é um computador (aquele comum que acha que o computador é uma caixa mágica), é o windows..

se o linux quiser ir realmente pra esses usuários, ele tem de se basear no que já tem.. que é o windows.

é aquela história: "inventar a roda novamente?"

o linux já tem sua própria roda, mas ela funciona perfeitamente, só para motoristas que conhecem alguma coisa do sistema.

o windows tem sua roda, que muita gente (como minha mãe) não consegue "dirigir" bem.


e convenhamos.. informática é complicado..´é matemática.. é conhecimento.

sem treinamento e sem a pessoa ter o mínimo de curiosidade, ela não irá apra frente com o sistema!

eu só aprende linux porque li uma porrada de texto..

o cara que eu instalei linux no pc dele, só usa linux, porque eu deixei o sistema como ele queria, e porque eu ensinei ele a usar e fazer oque ele queria.

senão.. pode ser melhor, não tem jeito! sem treinamento..


### quem sabe, futuramente, em escola de informática será comum aprender linux... dai sim... ###

antigamente, quem sabia mexer em windows era visto como aquele que é visto hoje mexendo linux..


"o caminho é percorrido, existem várias estradas" (tinha que viaja um pocuo :)

[44] Comentário enviado por removido em 24/05/2006 - 19:16h

bom gostei do artigo menus no ponto de organização, pois nisso o linux sem duvida dexa o fuzerindows no chao, seres hulmanos sao manipulaveis, e os que nao , de certa forma sao visados por isto, os usuarios de hoje em dia nao sabe nem quanto de memoria tem em seu pc qual modelo do teclado si o mouse tem scroll, totalmente ignorantes neste ponto, tudo que é novo vira noticia, o linux deveria ter mais divulgação e mais proficionais a disposição pra presta suporte, assim concerteza abriria muitas portas pro linux, tb nao si trata de um sistema pra quem sabe de mais, o linux nao é um sistema dificil, é um sistema q ti respeita e faz oque vc manda, somos tao manipulados que achamos bunito ser manipulado como dito nu proprio artigo MS faz oque bem qué, tamos acustumados com essa situação, e pessoas como nos desse site temos a mente aberta suficiente pra aceitar mudanças e migrar pro linux sem problemas, cada dia que passa aparecer novos usuariosno site interessados em conhecer melhor o linux, com certeza o linux tem muito futuro é um sistema exelente e tem o seu valor

[45] Comentário enviado por tiago_herrmann em 24/05/2006 - 21:17h

Olá,

olha, não tenho muito o que dizer, apenas que concordo com praticamente tudo o que você disse. Não concordei com a parte das várias camadas, pois acredito que o número grande de camadas é porque o sistema é muito bem estruturado, e por isso a correção de problemas é mais rápida. Obviamente que este é um argumento técnico, que não impressiona ninguém a não ser programadores.
Concordo em partes com a parte do FHS. A minha opinião é que ele é muito bem organizado para profissionais de informática e muito desorganizado para usuários desktop. Motivo: ter todas as libs essenciais para funcionamento do sistema em /lib é excelente. Quando você procura uma lib tem grandes chances de achá-la lá. Mas, quando é que um usuário desktop vai procurar uma lib? Mesma coisa para o etc, var..
Legal seria poder "chrootar" um usuário em seu próprio home, o que não é difícil de se implementar em um gerenciador de arquivos. Outra idéia seria um usuário sempre montar os dispositivos dentro de seu proprio home, ou simplesmente ter um link simbólico para o ponto de montagem real. Tirando isso acho que um usuário nunca precisaria descer até o diretório raiz, o que deixaria a situação imparcial tanto para usuários quanto para profissionais de informática. Apesar de que hoje isso tudo (acesso a discos) é bem abstraído pelo nautilus e konqueror na minha opinião.

Tirando isso, só tenho a elogiar. A parte sobre interesses econômicos é muito realista, nenhuma empresa quer abrir os seus segredos, e ninguém quer trocar sua placa de vídeo pra usar o Linux. Sobre comentários do tipo "você não sabe o que está falando" e "você entrou no linux com o pensamento errado", não leve em consideração, pois a primeira parte do seu artigo explica muito bem quem você é e o porquê é qualificado suficientemente para fazer uma análise desta.

Saber reconhecer os problemas é o primeiro passo para melhorá-los. Talvez a parte mais difícil para arrumar um problema é identificá-lo, e foi o que você mostrou neste artigo de forma muito competente passando o seu ponto de vista.

Parabéns. Espero poder ler outros artigos como este.

[46] Comentário enviado por rca.cap em 24/05/2006 - 21:29h

Não Concordo, tbm uso linux desde o Marumbi.
Lembro quando surgiu o instalador gráfico, foi o máximo. Como o linux cresceu desenvolveu. Hoje temos programas gráficos, como o Gimp, Inkscape, temos o OpenOffice. Vários jogos de bom nível.
O kde 3.5 vc clica com o botão direito e ele diz, enviar por e-mail ou copiar para a pasta tal. Eu abro o konqueror e consigo dividir em várias telas, uma delas pode ser meu servidor ssh e incrível ele parece que é um diretório da minha máquina. E ainda posso abrir o shell dentro do konqueror.
E porque o kde evolui tanto? Porque o gnome evolui e uma briga bonita que só eleva o linux.

Agora pouco meu sogro falou: O linux não é bom, eu li na veja.

Um dia eu li, se o software livre fosse uma empresa a Microsoft ou outra gigante já teria comprado. Só vive hoje porque é livre, milhões de desenvolvedores desenvolvendo todo dia e melhorando o sistema. Como comprar isso???

Quando ao gtk e o QT? Não é possível instalar o gimp no Windows?

A verdade é a seguinte se é melhor para Servidor, será melhor para desktop, se já não é. E que estamos lutando contra gigantes.

O Linux cresce dia a dia, e com a banda larga, com a tecnologia que está vindo. Instalar programas, desinstalar, será o ponto forte do Linux.

um grande abraço

[47] Comentário enviado por tomaz.brasil em 24/05/2006 - 23:18h

"Mesmo assim infelizmente as distros "user friend" que são justamente mais bitoladas, colocam por padrão o KDE."

Amigo. Slackware eh "user friend" ao seu ver? Bem se vc acha o slack for dummies. OK! Entendi o teu ponto de vista perfeitamente. Caso contrario...:S

O projeto kde meu caro, nao visa ser uma copia da interface windows, nem msm a forma como eh disposto o menu K. Nao vejo semelhanças, a nao ser o fato de por padrao os dois serem situados na parte inferior eskerda da tela.

Mas voltando a questao do "user friend", o slack certamente nao eh uma dessas distros, falo isso com a experiencia de um slacker, apesar da distro usar o "famigerado KDE", sinto desaponta-lo, mas tb nao se trata de uma distro bitolada. Como diz o proprio Pat...o gnome nao pertence mais ao projeto slack pela falta de uma documentaçao decente para compilaçao.

Acho sim, falta uma padronizaçao. A comunidade linux soh ganhara, creio, com um padrao. Mas serah q isso realmente impede q o linux seja um desktop hj? Bem meus caros, creio q nao.

Cresci usando um pc em ambiente windows (o primeiro contato q tive foi com o win95) e pelo q lembro, nao foi algo mais facil aprender a ordem da raiz do windows q a linux. Particularmente, acho a linux mais elegante inclusive. Acontece q aprendemos o windows primeiro...inevitavelmente, tendemos a estabelecer relaçoes com este, nao tinhamos um referencial.

Creio q o Projeto GNU/Linux eh viavel, pois eh robusto, exibe uma maior performance em segurança e estabilidade. Nao eh necessario q um usario desktop tenha seu kernel compilado, uma vez q existe a estrutura modular, uma vez q existe hotplug. Particularmente, gosto de compliar meu kernel, meus programas, saber quais sao as dependencias, usar linha de comando... por isso escolhi o slack.

Mas existem milhares de distribuiçoes amigaveis hj, com facil instalaçao de software. Tenho varios amigos q me perguntam como usar, como configurar a lilo, o amsn, o noatun, como colocar um monitor de memoria na areas de trabalho (superkaramba), e elogiam o sistema por velocidade e estabilidade. Uma coisa, entretanto, eh certa: linux nao eh "for sissies"

Quem acha o Windows mais polido o faz pelos mesmos motivos pelos quais pessoas compram micros com a marca Ferrari - irrecuperável mau gosto.

Bem, nao estou querendo me demorar, portanto, concluirei logo. Acredito q existe um caminho ainda para percorrermos, rumo a um ambiente mais padronizado, sem abrir mao das partcularidades de cada distribuiçao (eh isso q mais me encanto com o linux, essa flexibilidade). Mas eh um sistema viavel para desktops certamente.

[48] Comentário enviado por rikatz em 24/05/2006 - 23:23h

Bom...
Concordo ae com algumas coisas...
A minha 1a idéia do pq o Linux não implaca nos Desktopos é pq existe a resistência dos usuários.

Qm quiser, tem diversas opções de linux amigáveis (Insigne, Famelix, etc...etc...)
A idéia aqui é quebrar o padrão Microsoft...

[49] Comentário enviado por flavioc em 25/05/2006 - 00:30h

Caro Alexandre,

Gostei do seu artigo, e aqui vai a palavra de um usuário Linux não administrador, sou professor de ensino médio.

Gostei da sua visão crítica, e, é claro, o linux tem seus problemas, demorei alguns meses para entender como funcionava a estrutura de diretórios que até hoje me parece complicada.

Mas, ainda que acredite que boa parte de suas críticas são plausíveis, acredito que mereça consideração a ser feita do outro lado, o windows tem muitos problemas, e não apenas com bugs ou uma gama de vírus que infernizam a vida do usuário. Me refiro ao acesso aos softwares. Não basta para um usuário comum como eu windows, office e photoshop, fácil pirataria. Eu gosto muito de trabalhar com vídeos, e tenho aprendido muito, mas veja, enquanto coloquei minha placa de tv pra rodar facilmente no linux e o xawtv e tvtime para assistir e o transcode pra gravar, no Windows (também o tenho instalado em outra partição) não consigo assistir. Minha placa vem com um programa muito ruim, os programas bons são caros, pirataria não ta fácil, e a única ferramenta livre que se chama Dscaler, não funciona o áudio de jeito algum. Quando chega na parte de edição de vídeo dana tudo. Enquanto isso, tenho avidemux, Tovid (para criação de dvds).
E olha, procurar serials numbers cracks da uma preguiça danada. Posso arriscar que o uso do windows refere-se a facilidade de uso que ainda é melhor que o linux, e mais que isso o costume de se usar o windows e seu modo gráfico.(o modo texto é terrível para o usuário comum).
Discordo de você em um aspecto, acho que para a maioria dos usuários comuns e conheço muitos, o legal do windows é ver fotos ouvir música e assistir dvds e msn com áudio e vídeo (que o linux não tem) até porque muita gente que usa o windows não sabe usar o painel de controle.
Acho que para melhorar o acesso ao linux junto aos usuários comuns, e espero que não me considere muito bobo, algumas coisas as distros podiam fazer algumas coisas bem simples: na instalação basica não colocar aquele monte de pacotes e programas que ninguem usa, ja habilitar os pcs com todas os codecs para audio video, para que não tenhamos que ficar instalandos essas coisas, um instant messenger que tenha audio e video e uma coisa que atrai muito os jovens, games em 3D pra atrair os jovens.

Mas parabéns pelo artigo, uma visão crítica sempre soma.
Flávio

[50] Comentário enviado por metatron em 25/05/2006 - 01:00h

"A Apple usa o kernel do OpenBSD no MacOSX."

O Mac OSX é baseado no microkernel mach fortemente modificado, sobre o mesmo criaram uma estrutura de servidores compatíveis com o BSD.
De onde você tirou a informação que a Apple usa o kernel monolítico do OpenBSD ?

O ocaso do homem

[51] Comentário enviado por diegotosco em 25/05/2006 - 02:27h

Oi,

Gosto dessas discussões Linux Vs. Windows in Desktops.


Concordo com você. Para usuários (completamente) leigos, é muito difícil deixar o velho windows XP azulzinho, e aprender a usar um sistema novo, uma filosofia nova.

Mesmo as distros ditas User Friend, são "complicadas". A árvore de diretórios é "estranha"; é dificil instalar um programa; não há suporte para alguns hardwares...isso só para citar algumas complicações.

Como meu primo de 11 anos -- que acabou de me ligar para perguntar qual o problema com o game pirateado que ele acabou de comprar, que fica dizendo "please insert the correct CD ROM" mesmo com o CD play no drive -- vai encarar um Linux, com todas as imprevisões que um software pode ter? Ele só quer entrar na radio UOL de vez em quando pra escutar hip hop, jogar um game; o pai dele (meu tio, hehe) só quer ler uns e-mails; a mãe dele só quer escutar umas músicas, ver umas fotos; tudo isso do jeito que o "técnico" ensinou. Nada mais.

Por isso você (e outros, nos comentários) citou uma série de "soluções" para o Linux emplacar em desktops.

Mas se todas essas soluções fossem mesmo atendidas, será que o nosso querido amigo Linux não seria nada senão uma cópia barata do nosso inimigo windows? É esse o objetivo do linux? Uma cópia open source de soluções proprietárias?

Nem o meu primo, nem a Microsoft ligam se o SO em questão é pirata. O meu primo, coitado, não precisa dos fontes do GTA. A M$ está mais focalizada numa empresa com 300 PCs do que em 300 casas com um PC cada, essa é a sua estratégia de marketing. Para que então trocar o windows dos Desktops por rascunhos de Linux?

O Linux é muito bom no que faz, ele é poderoso, estável, altamente customizável, mas requer algumas (muitas) horas de leitura, sem falar numa curiosidade infernal. O windows não é nada disso, ele tem um único (e crucial, no caso dos leigos) ponto positivo, "ele está aí". Minha vó ja fala "outlook", meu pai não entra na pasta windows, meu irmão meche no paint, e é isso aí. Com o tempo, as pessoas estarão mais acostumadas a ouvir do linux, e ao invéz de reles cópias do windows, procurarão sistemas realmente poderosos, como o slackware.

P.S. Se o windows acabar como vou jogar DOOM 3? Só daqui uns 5 anos o meu PC vai estar "bom" o suficiente pra rodar essa beleza, por isso, pelo menos até lá, o windows TEM que existir.

P.S. Estava pensando, como ganhar dinheiro com jogos open source? Se o linux dominar os Desktops, qual motivação as empresas de games teriam em fazer games com código aberto?

Falow, espero que escrevam mais artigos polêmicos igual a este, muito bem escrito, por sinal.

[52] Comentário enviado por razgriz em 25/05/2006 - 03:29h

Vamos parar para PENSAR... essa BABAQUICE não leva a lugar NENHUM.

"pronto para desktop...pronto para isso pra aquilo..." nossa quanta BESTEIRA, se fosse RUIM nós não usariamos certo? ADMITAM, NINGUÉM ESTA AQUI POR QUESTÕES IDEOLÓGICAS!!!! Vamos parar com isso porra! deixa o otário la se foder com aquele sisteminha que ele acha que atende ele ora essa, quando ele se cansar de perder os trabalhos dele e etc provavelmente ele migrará e de certa forma é bom mesmo que NÃO MIGRE. Vejamos, o manézão instalou um tupi ou um candonbléx 2.1 baseado no debianloide e posta aqui uma pergunta idiota* como "como eu faço pra clicar no icone pra instalar um joguinho otário?" A GRANDE MAIORIA AQUI VAI IGNORAR, ninguem esta aqui pra prover SUPORTE gratuito, estou mentindo ?!! todo mundo QUER E PRECISA de algum status, seja aonde for, NADA É DE GRAÇA.

POR ISSO MESMO MIGRAMOS EMPRESAS, E SE POR ACASO O PLANO FRACASSA, A CULPA É NOSSA SIM, FOMOS INCOMPETENTES! Mas dúvido que ao menos 15% daqui sejam capazes de reconhecer o erro próprio e dizer : É EU ERREI E PRETENDO CORRIGIR MEU ERRO.
Outra coisa, se você veio e não esta safisfeito, então VOLTE ! =] ninguém vai te impedir. Agora se esta satisfeito mas acha que pode fazer melhor, CONTRIBUA, AJUDE MESMO!!! E não critique, outra coisa, PRA QUE QUE NÓS precisamos de INCENTIVOS para usar LINUX SE ELE :

- NOS ATENDE.

- FUNCIONA.

- É CONFIAVEL

- TOTALMENTE MALEAVEL. E ISSO INCLUI A MER@@@#$@$%!@!! DO DESKTOP. Ou seja se você não gosta do seu e quer outro, CONSTRUA UM PRA VC OU TROQUE PELOS MILHARES DISPONIVEIS POR AI.

Quanto a questão do 'sistema amiguinho do usuário." PORRA DESDE QUANDO É ASSIM "LÁ FORA?" . O LINUX NÃO É BUDA, BIN LADEM OU CRISTÃO, JUDEU OU A PORCARIA MAIS QUE FOR, É SÓ UM SISTEMA OPERACIONAL E SERVE PRA CUMPRIR AS TAREFAS QUE SE MANDAM, MAIS NADA! Por favor eu espero que todos entendam isso de uma vez por todas, vamos passar a colocar artigos SÉRIOS ( COMO AQUELE DO PROGRAMA DA RECEITA FEDERAL ETC) e não essas besteiras que só trazem essas discussões absurdamente sem nexo.

Sem mais para este triste momento.

[53] Comentário enviado por Slug White em 25/05/2006 - 08:51h

Não gostei do artigo.
Porque não fazem um artigo para melhorar o linux ao invés de ficar criticando outras empresas. A microsoft está no direito dela de entrar com o oficial de justiça, os caras estão ilegais.
E eu uso o windows XP, nunca tive uma tela azul.
Só uma vez que minha memória queimou ou quando a placa de video estava com problemas.
Estou cansado de ler artigos nesse site falando mal da microsoft. Alô, isso aqui é um site de linux! Vocês falam mal da microsoft, quero ver quando sair o vista e o office 2007 o que o pessou do linux vai fazer. Aposto que é tentar copiar. Eu uso o linux e o windows XP e não vejo problemas em usar os 2, mas aqui isso parece a morte, chega a ser ridículo ver artigos como esse.

[54] Comentário enviado por removido em 25/05/2006 - 08:58h

Primeiramente, bom dia
li todo seu artigo te tenho algo "criticar"

1) A Sociedade nos EMPURRA, o Windows como única solução. Isto vai do nosso interesse, nos, das comunidades de software livre mudar.

2)Existem muitas distros que oferecem facilidades para os usuários, e todas as empresas tem pessoas que trabalham na informática. Então, apenas quem gosta usa em casa, e no trabalho os técnicos ajudam com o suporte

3)A administração do Linux é dificil, mas é SEGURA.
o Windows, possui uma administração bastante amigável, concordo, mas qualquer 1 já deve ter tido a oportunidade de quebrar senhas do Windows XP....nem precisa ser um "Cracker" para se fazer isto.

4)Canso de ouvir amigos falarem
- Tenho pavor de Linux
quando eu pergunto se já usaram, o que eles dizem
- Não!

é como comer beterraba...muita gente fala NÃO sem nem mesmo ter provado(note que eu n gosto de beterraba, mas gosto de Linux, fiz apenas este paradoxo esdruchulo aqui...hehehehh, o paradoxo do FALAR QUE É RUIM SEM MESMO TER PROVADO.)

5)Outro fator que impede de muitas pessoas utilizarm Linux
PREGUIÇA....conheço muito técnico em informática que tem PREGUIÇA de aprender Linux, ou porque não gosta sem motivo(vide acima), ou por ter medo de nao haver mercado de trabalho....
quem é BOM, nunca fica sem emprego...garanto...hehehheeh....

6)Concordo que o Windows possua grandes facilidades, mas o que isto aumenta em nossos conhecimentos. NADA...você instala e acessa tudo a "2 cliques", não tendo NENHUM conhecimento das operações que atrás se envolvem nas instalaçoes e configurações...

Abraços!!!
Jezz!!!

[55] Comentário enviado por removido em 25/05/2006 - 09:38h

Ah... Seu artigo não ficou bom, falta muita pesquisa.
Até uma criança de dez anos consegue instalar o Ubuntu com o Automatix para deixar seu linux lindo de maravilhoso, com aMSN, codecs, som, entre outras coisas. Não prescisa ser programador para entender o funcionamento do sistema.

=. Um abraço.

[56] Comentário enviado por tenchi em 25/05/2006 - 11:26h

Numa coisa, tenho q concordar. Não adianta ficar criticando outras empresas. Nós vivemos num mundo capitalista. Ninguem quer q o linux seja lider no mercado por razoes ideologicas. Criticamos a Microsoft, mas se olharmos bem, muita coisa que temos no linux são bem parecidas com produtos da MS. Um exemplo. Use o openoffice, use o abiword, use o gnumeric, use o siag office, use o Koffice, use qualquer aplicativo de escritório. Todos eles são muito parecidos com o MsOffice. Será que são cópias do MsOffice? É claro que não. O fato eh q a microsoft teve ideia brilhantes antes dos outros. Você pode até colocar os menus em lugares diferentes da tela, pode chamar o botão negrito de "letras mais grossas", mas o jeito MS eh com certeza mais comodo.
É claro que não foi a MS que criou recursos do tipo Ambiente gráfico, etc, mas foi ela q popularizou esse recurso. E temos q aplaudir, eh uma excelente empresa, tem ótimos profissionais, tem um dono com péssimo corte de cabelo, mas que é muito inteligente e rico...
O fato eh q agindo assim, só criticando, estamos agindo como se o linux fosse um empresa, concorrendo no mercado. O que não deixa de ser verdade. O linux é uma empresa, e temos q divulgar esse produto, como faz a MS com os produtos dela. Uma vez eu li num site, acho q do openBSD, ou FreeBSD (de algum algoBSD, porque q se fala tanto no linux hoje em dia. Lá dizia que é por causa da propaganda que fazem dele. Ué, se queremos que as pessoas usem o produto linux, temos que divulgar.
Mas pensem comigo: Imagine que O linux finalmente se tornasse um líder no mercado de SOs, e criasse uma espécie de monopólio, como existe hoje com o windows. Provavelmete nasceria um gupo de pessoas se opondo ao monopolio, com algum lema para defender os seus ideais -como utilizamos o ideal de liberdade e segurança para o pinguim-, e acredite, haveria uma grande possibilidade de esse grupo ser formado pelos atuais usuários da MS (é sempre assim, quando alguem sai do poder, logo vira oposição, pra depois voltar para o poder e completar o ciclo).
Quero que me perdoem se fui confuso, ou contraditório em algum momento.
Viva o Linux!, Viva o Sofware Livre! Viva Karl Marx!!! kkkkkk

[57] Comentário enviado por digaossa em 25/05/2006 - 11:29h

Tenho de concorda com uma minoria consciente, o artigo tem seus prós e contras ....

Esses dias estava descutindo na faculdade esse assunto com um dos meus professores...

E é a realidade essa porra de filosofia só funciona em livro, convenhamos .... a realidade é essa

- Sem a microsoft e empresas com o mesmo pensamento, não teriamos linux hoje como ele é! (CONCORRÊNCIA).

- Com o grande número de grupos de pesamentos diferentes, não consegue chegar a um padrão isso e um problemão, como foi dito no artigo.

- Convenhamos!! quem ja mecheu!! no kernel??? e mais bagunçado do que algoritmo feito em pascal de aluno do 1 semestre de faculdade não uma documentação de facil compreensão.... do jeito que está e como fosse código fechado já que só uma pouca minoria consegue interpretar o que está escrito.

- E tanto usuário quanto empresa que porra funcionando não importa a tecnologia utilizada, se resolve têm de se usada.

[58] Comentário enviado por tenchi em 25/05/2006 - 12:53h

É, talvez um padrão não seja atingido se todos pensarem iguais, mas pensarem diferente e com o mesmo objetivo. Ou talvez não devessemos realmente ir rumo a uma extrema padronização, pois eh provável que terminássemos sem possibilidade de variabilidade e personalização do sistema.

[59] Comentário enviado por vjr em 25/05/2006 - 14:42h

Concordo com o artigo em alguns pontos, mas gostaria de fazer uma pergunta?
Qual o percentual de usuarios de Desktop de rwindows que instalam sozinhos seu sistema operacional ? Quais desses usuarios resolvem um problema de tela azul ou de despejo de memoria ? Sera que eles nao põem o micro debaixo do braço e vao pra uma assistencia ? Ou simplesmete reinstalam o sistema operacional ?
Dêem para um usuario comum um cd do windows e outro do br-cdd, do kurumin, do ubuntu. Sera que instalar o XP é mais facil ? Sera que o linux é tao dificil assim ?

Ou entao, se dermos um micro com o linux instalado e outro com o rwindows, o usuario "comum", "modesto", nao tera grandes problemas em realizar suas tarefas no linux, alem de nao precisar ficar se atormentando com os problemas que vêm por consequencia no rwindows.

Sinceramente, gostar de rwindows pq é mais facil de instalar porcarias que só detonam ainda mais o sistema ? To fora !

Fico com meu linux e com todos os seus defeitos !!!

[60] Comentário enviado por pacman em 25/05/2006 - 15:25h

"Do jeito que é o kernel do Linux hoje, não é possível carregar um módulo compilado pra um kernel diferente. Logo os módulos são disponibilizados em código fonte. Você deve ter os kernel-headers e tudo mais para poder compilar, corre o risco de seu compilador ser de uma versão incompatível e tudo mais. E porque não é criada uma API pra chamadas de funções do kernel ao invés da famigerada hash que se usa hoje?"

Acho que essa discussão não levará a nada. É uma decisão de projeto que pode ser vista como defeito ou virtude, dependendo do ponto de vista. Congelar uma API já é difícil. Congelar uma ABI é mais difícil ainda...

[61] Comentário enviado por rasxr3 em 25/05/2006 - 17:21h

Como de sempre a mesma discursão. Peço desculpados se estiver repetindo algum comentário mas não tive tempo de ler todos ;)

Acho muito bom ver alguém que trabalha no ramo reconhecer os defeitos do próprio trabalho. Na empresa em que trabalho, temos auditorias regularmente e sempre descobrimos algo que não está bom. Mas a essas coisas não chamamos de defeito, chamamos de ponto de melhoria. Acho que é o que o amigo estava tentando (e na minha opnião conseguiu!) expor. O linux é muito bom, mas com certeza como tudo feito por seres humanos pode ser melhorado e portanto quanto mais cedo acordarmos para essa realidade mais rápido poderemos melhorar!

De qualquer forma tudo que escrevi acima expressa somente o meu ponto de vista e não é de forma alguma uma verdade absoluta. Me desculpem se falei alguma inverdade ou se ofendi alguém!

[62] Comentário enviado por pacman em 26/05/2006 - 00:44h

Linux precisa dominar os Desktops ?

Eu to feliz usando ele :P

[63] Comentário enviado por century_child em 26/05/2006 - 11:32h

A maioria das pessoas se esquece que tudo tem um lado ruim, e vêem o Linux como uma salvação, uma maravilha.

E vários hardwares não tem compatibilidade com Linux, o exemplo mais famoso são os winmodems...

Também não dá pra confiar em repositórios/pacotes pré-prontos de distros, nem sempre eles têm os pacotes mais atualizados.

[64] Comentário enviado por nataliawanick em 26/05/2006 - 22:23h

sabe, eu acho que o Linux tem grandes chances de emplacar no desktop, o que falta mesmo é divulgação por parte dos usuários de um modo geral, eu, por exemplo, não faço parte do grupo comum de usuários de Linux (que normalmente são pessoas que entendem de informática), seria uma típica usuária de Windows, se uma alma caridosa (meu namorado, aliás nos conhecemos por causa do Linux) não tivesse resolvido instalar o Linux no meu computador e me dito: "experimenta!".Enfim, experimentei, gostei, uso o Linux há um tempo, estou feliz...acho que nunca serei uma usuária destaque, mas acho o Linux perfeitamente usual e tão simples de usar quanto o Windows, basta deixar a preguiça e o preconceito de lado...o problema é que a maioria das pessoas leigas (como eu) nem sabem da existência do Linux, e quando o sabem, não sabem diferenciá-lo do Windows, se o soubessem, perceberiam a grande besteira que estão fazendo ainda usando o RWindows....
Natalia Wanick Mattos

[65] Comentário enviado por angeloshimabuko em 28/05/2006 - 16:52h

O autor afirma que o Linux não emplaca no desktop (concordo) "Porque a alternativa de maior influência (leia-se Linux) não serve" (discordo). Usa, para defender seu ponto de vista os seguintes argumentos: (i) estrutura de diretórios tecnicamente fraca; (ii) uso da GPL; (iii) programadores "xiitas" e a obrigatoriedade de disponibilização do código fonte (retorna a ii); (iv) diversidade e incompatibilidade entre interfaces gráficas. Vou dividir o meu comentário em 2 partes, por causa da extensão. Esta primeira parte trata dos argumentos (i) e (iv).

As idiossincrasias da estrutura de diretórios FHS (i) não impedem a utilização de outros esquemas que sejam visíveis ao usuário. Ao contrário do que o autor afirma, o Max OS X usa basicamente a mesma estrutura de diretórios que o Linux ou qualquer outro Unix: "The file-system structure of Mac OS X is similar to a BSD-style system" (http://developer.apple.com/documentation/Porting/...); essa estrutura pode ser vista na página manual "hier.7.html" que faz parte da documentação do sistema (http://developer.apple.com/documentation/Darwin/Reference/ManPages). E o também citado Gobolinux, que, como o próprio nome diz, é baseado no Linux, não é apropriado para iniciantes (http://www.gobolinux.org/?page=faq).

Já o argumento (iv) não diz respeito especificamente ao Linux, pois os ambientes gráficos podem ser utilizados em qualquer sistema Unix-like. Os servidores X mais conhecidos da comunidade (www.xfree86.org, www.x.org) e os projetos KDE (www.kde.org) e Gnome (www.gnome.org) não são desenvolvidos apenas para o Linux. Ao contrário, executam sobre os BSDs e outras variantes de Unix.

[66] Comentário enviado por angeloshimabuko em 28/05/2006 - 18:02h

Continuando o meu comentário anterior, agora sobre os argumentos (ii) e (iii). O argumento (ii) tem características de FUD. Matt Asay observou, na conclusão do seu artigo escrito para o Professor Larry Lessig, da Stanford Law School em abril de 2002, "A Funny Thing Happened on the Way to the Market: Linux, the General Public License, and a New Model for Software Innovation" (http://www.linuxdevices.com/articles/AT4528760742.html) que: "Linux has won, both because of and in spite of the GPL. The market statistics increasingly evidence this, and the trend shows no signs of abating. Though the GPL barked a lot, developers learned over time that it did not often bite. In response, closed-source developers initially experimented with linking their proprietary code to GPL code through dynamic linking. With that experiment successful, they have increasingly opted to open-source core and non-core technologies. In addition, a trend has emerged with software as a service, and not as a product, which has made the transition to GPL Linux software all the easier." Além disso, o driver da NVidia não acarreta uma quebra da GPL, conforme afirmou o próprio Linux Torvalds respondendo a Kendall Bennet, que disse ter ouvido "that the code is licensed with an exception clause that says binary loadable modules do not have to be under the GPL": "Nope. No such exception exists." (http://kerneltrap.org/node/1735). E Torvalds ainda afirma sobre a GPL e o desenvolvimento de drivers proprietários:
(http://www.atnf.csiro.au/people/rgooch/linux/docs/licensing.txt): "Finally: I don't trust the FSF. I like the GPL a lot - although not necessarily as a legal piece of paper, but more as an intent. Which explains why, if you've looked at the Linux COPYING file, you may have noticed the explicit comment about "only _this_ particular version of the GPL covers the kernel by default".
...
"PS. Historically, binary-only modules have not worked well under Linux, quite regardless of any copyright issues. The kernel just develops too quickly for binary modules to work well, and nobody really supports them. Companies like RedHat etc tend to refuse to have anything to do with binary modules, because if something goes wrong there is nothing they can do about it. So I just wanted to let you know that the _legal_ issue is just the beginning. Even though you probably don't personally care ;)" No meu trabalho eu utilizo drivers proprietários, obtidos apenas em código objeto, das seguintes empresas: HP (Compaq), para monitoramento de equipamentos Proliant; HighPoint, para controladora RAID IDE; a própria NVidia com seu driver para aceleração 3D. Na verdade, a disponibilização de drivers para o Linux depende mais de razões mercadológicas: o custo de manter versões distintas (não só para versões diferentes do Linux, mas para versões diferentes do Windows). Opta-se obviamente, por prover drivers para o maior mercado consumidor - é um círculo vicioso.

Em relação a (iii), tem uma observação que não faz o menor sentido, ainda sobre os módulos do kernel: "E porque não é criada uma API pra chamadas de funções do kernel ao invés da famigerada hash que se usa hoje?" Ora API, por definição, "consiste num conjunto de rotinas, protocolos e ferramentas para desenvolvimento de aplicações" (http://www.webopedia.com/TERM/A/API.html). E como bem dizem Alessandro Rubini e outros [1]: "um módulo executa no espaço do kernel, enquanto aplicações executam no espaço do usuário." E, desculpe minha ignorância, sei que existem as funções "init_module()" e cleanup_module" (kernel 2.6) que são chamadas para carregar e descarregar um módulo, mas não descobri o que é a "famigerada hash". Minha mãe não consegue compilar programas, mas também não consegue instalar o Windows XP, principalmente para seguir as recomendações do SANS Institute Internet Storm Center (http://www.sans.org/rr/papers/index.php?id=1298). Também acho pouco provável que ela vá pagar os US$ 129,00 para atualizar para o Mac OS X 10.4.6, até porque não tem o dinheiro necessário para comprar um desktop Mac.

"O software proprietário deles é quase tão gratuito quanto o livre. É uma questão de ética usar ou não um software pirata. Quase ninguém liga para isso." Curioso você afirmar isso. E depois questionar o comportamento dos desenvolvedores que trabalham no kernel do Linux. Eu acho que você está "defendendo" o sistema errado.

[1] Rubini, Alessandro; Corbet, Jonathan; Kroah-Hartman, Greg: Linux Device Drivers. 3. ed. Sebastopol: O'Reilly, 2005.

[67] Comentário enviado por Papafigo em 30/05/2006 - 15:10h

Boa Tarde a todos.

Acredito que seu artigo é bom e ruim ao mesmo tempo, depende muito do ponto de vista de cada um. Não sou expert em Linux e nem em Windows, conheço um pouco dos dois, conheço o linux desde o conectiva 2, sou um intusiasta dele, sei que tem muito que evoluir. Aqui onde trabalho a maioria dos computadores usa o windows por que, utilizamos um programa que não roda em linux e que é excencial para a empresa. No Servidor rodamos Fedora. Eu utilizo o Linux em minha máquina e acho que fora alguns probleminhas que com um pouco mais de paciência e pesquisa pode-se resolver, ele não fica devendo em nada ao Ruindows. Precisa melhorar, precisa haver uma melhor integração entre alguns progrmas, quem já utilizou o windows 3.1, 95 sabe que esse problema já aconteceu e ainda acontece. Venhamos e convenhamos, o windows já tem 20 anos, e o nosso querido Linux, ainda esta na adolescência. Posso dizer que é um garoto prodígio.
Usar o Linux é apenas uma questão de cultura e gosto.
Mas, se pudermos dá uma maozinha não custa nada.

[68] Comentário enviado por removido em 07/06/2006 - 11:42h

Para uma configuração de estação de trabalho na organização acho o linux muito mais viável. Normalmente os usuários precisam de um navegador e de um pacote de escritório. Uma remasterização do kurumin é suficiente para atender essas necessidades e administrar com facilidade esses recursos. E o tempo com monitoramento das pragas insignificante em relação ao tempo que se gasta no caso do windows. Com o sistema da MS, bastam algumas horas para um usuário leigo instalar um spyware ou um virus.

Mas em casa, quando se pretende convergir outras tecnologias, principalmente aquelas relacionadas ao entretenimento ainda é difícil abrir mão do MS-Windows. Comprei uma filmadora e os softwares para captura e edição que estão no CD são para Windows. O mesmo aconteceu com uma placa de TV. Nos jogos então a diferença é brutal a favor da MS.
Porém quando quero acessar um home banking de casa reinicio a máquina no linux.
Quando os fabricantes de hardware e software se preocuparem mais em atender os usuários linux, talvez se possa descartar a MS.

[69] Comentário enviado por freakcode em 07/08/2006 - 00:18h

O problema dos usuários Linux é que eles se preocupam demais com a Microsoft.

Cresça. O Linux é maior que isso.

[70] Comentário enviado por gilzl em 27/08/2006 - 11:06h

Antes de mais nada parabéns pelo esclarecedor e excelente artigo.
Também sou usuário do Linux desde o tempo do Conectiva com sua distribuição Marumbi, e você sintetizou muito bem o que os usuários comuns passsam em adotar o Linux como Desktop.
Sua experiência com o Linux é igual a que eu passei tenho
certa de uns 100 ou mais cds de distribuições Linux ao longo 5 a 6 anos.
E é sempre a mesma coisa segurança ótima usabilidade tenebrosa,suporte a drivers precário.
Não tem como conquistar o usuário comum desta maneira, só a união de todos os Linuxers poderá acabar com o monopólio da Micro$oft, más algumas cabeças privilegiadas que entendem muito de Linux tem que descer do OLIMPO e deixar a vaidade de lado, e aceitar que a GPL evolua e acabe com esta coisa de Terra do Nunca em que ela foi idealizada.

[71] Comentário enviado por marcioralves em 28/08/2006 - 13:34h

Exelente artigo, parabéns

[72] Comentário enviado por cdvdt em 11/09/2006 - 11:40h

De boa, minhas irmãs não sabem o que é SO, não vêem diferença entre modo gráfico e texto, não sabem o que é montar uma unidade, não vêem a diferença entre root e outro usuário, só usam o Linux porque eu pus lá e tirei quase tudo do Windows, mas elas nem ligam, se elas colocarem o CD lá e tocar, se elas clicarem no programa e ele abrir, se elas mandarem o computador desligar e ele desligar tá bom demais, e ainda não dá vírus. Se a distribuição for fácil de instalar e configurar legal serve, agora instalar o Windows, depois os drivers, o anti-vírus, o firewall, é mais complicado...

[73] Comentário enviado por removido em 17/09/2006 - 03:04h

Cara o Linux nao foi feito para competir com o Windows entenda isso!
Ele é feito para estudos baseado no mimix!
E olha onde ele ja chego!

A superioridade do sistema nao se fala!

Agora ele nao foi feito para alienar o usuario passando uma falsa impressao de "saber" oq esta fazendo!

Nele vc conhece seu pc! E repito o problema é o usuario q é comodista!

E linux nao foi feito pra fazer 1x1 com windows!

Linux é linux privilegio de quem sabe usalo!
Pois o conhecimento nao tem preço!

[74] Comentário enviado por llbra em 05/10/2006 - 11:51h

O Linux não é perfeito, nem muito menos é Windows.
Eles simplesmente são diferentes, cada um com suas particularidades.

O que atrapalha o Linux, IMHO, são os softwares. Faltam muitos deles e muitos não tem qualidade suficiente.

[75] Comentário enviado por kosmus_mt em 02/12/2006 - 18:54h

Parabéns prezado Winchester pela quase clareza de idéias. Compartilho contigo muitos desses pontos de vista. Outros, por não enterder muito de informática não posso emitir opinião.

Quero dizer que a maioria das pessoas que o criticaram certamente devem ser analfabetas funcionais ou não aprenderam a fazer intelecção de textos durante a escola. Isso explica boa parte do país que temos e a ignorancia.

Bom, quero dizer que eu conheco a internet desde antes de ser assim. Meu pai e mãe faziam mestrado na UFRJ e tinham acesso à antiga BBS. Então eu sempre usei o SO windows desde o famoso 3.11.

Mas, hj tento migrar, levando meu pai, para o Linux principalmente pela filosofia. Que é a cooperação. # Eu me disponho a ajudar em traduções de linux, é no que eu posso ajudar. Se eu souber mais e tiver disponibilidade eu ajudo. Mas cheguei no linux e tô meio cansado de todo programa ter que descompactar o tar.gz ou tar.bz2 ou ainda mais o skype que tive que ir no tal do alien e transformar um .RPM pra um .DEB.... Po, me poupe mew. Pq não se pode ter um padrão de extensões no linux? Pq não se poder ter instalações mais comodas como os .EXE do nosso "algoz"? Não é que os .EXE sejam melhores não pessoal. Eles são apenas mais comodos.
Tornar o linux mais comodo não é se assemelhar o Windows. É isso que vcs não entenderam. Vcs continuam acreditando que um Linux que tem que compilar o cassete a 4 é fodástico... 'eu humilho o fulano pq eu uso linux, compilo meu kernel, etc...' É pura babaquice igual gurizada ridicula em lanhouse tirando onda que tem mais pontos ou sei lah oq no jogo tal... Me poupem, todo mundo aqui tem pêlo no saco, então vamos agir como gnt grande.

O usuario Jeca-byte (fazendo alusão ao grande Monteiro Lobato) não quer ter que fazer essas loucuras todas. E mesmo que o Jeca-byte evolua pra Jeca-mbyte ele não vai querer saber que um programa está esquartejado em diferentes pasta da raiz. Nisso o Gobolinux está de parabéns e eu acho que se tem que parar pra pensar e ver que esse é um caminho pra tornar o linux mais comodo e amigo do Jeca-byte. E O LINUX, MSM MUDANDO, NUNCA VAI DEIXAR DE SER LINUX.

Creio, com firme certeza, que teu objetivo não foi dizer que devemos nos assemelhar ao Windows. E sim que podemos fazer releituras, estudos do que é bom neles e melhorarmos.

Pessoal acho que é isso aí:

# Sejam mais altruistas, pensem nos Jeca-byte.
# O linux nunca deixará de ser linux. Haja visto que o Gobolinux não deixou de ser linux pq adota uma arvore alternativa ( que aliás to pensando em adotar se outras distros como Ubuntu ou Kurumin não adotarem)
# Os que o criticaram, como um tal de matheus, vcs são os exemplos de xiitas. Ao menos agem como fanáticos. Pessoas como essas que tornam nas mudanças dificeis. Por isso que o 'mundo islamico' ainda parece viver na época medieval. (mas não vive) [isso que falei eh pra reflexão, queimem a mente]
#Podemos até vir a ter milhões de distros. Mas pq não podemos ter um linux padronizado? Uma org que padronize o linux. Pq falar em padronizar o pessoal corre e diz que é se assemelhar o windows. Eu não acho. Eu acho que padronizar facilita a vida de mt gnt.
# Vlw por tudo me desculpe por tudo. Mas a revolução é RPM, Revolução Por Minuto... preciso falar pra expor tudo...

E claro, devemos nos unir pra termos mais drivers pra linux, mais jogos (tem de existir o lazer), mais aplicações corporativas (empresas claro pq não aliarmo-nos a elas?)...


[]'s do Matsu

[76] Comentário enviado por angeloshimabuko em 03/12/2006 - 22:39h

kosmus_mt, a sua afirmação ("Quero dizer que a maioria das pessoas que o criticaram certamente devem ser analfabetas funcionais ou não aprenderam a fazer intelecção de textos durante a escola. Isso explica boa parte do país que temos e a ignorancia.") é arrogante e ofensiva. Leia as minha críticas de 28/05/2006 e conteste-as no mesmo nível que eu fiz.

"Mas, hj tento migrar, levando meu pai, para o Linux principalmente pela filosofia. Que é a cooperação." E aqui demonstra não conhecer a "filosofia" que embasa o desenvolvimento do Linux. O Linux (kernel) baseia-se fundamentalmente em 2 pontos: (i) kernel monolítico (baseado na estrutura do Unix) e (ii) software livre (SL) - GPL v2. A cooperação é conseqüência de ser SL - o Gnu/Hurd também o é, seu desenvolvimento ocorre baseado em cooperação, mas não é monolítico - e não é Linux.

"Mas cheguei no linux e tô meio cansado de _todo_ (grifo meu) programa ter que descompactar o tar.gz ou tar.bz2 ou ainda mais o skype que tive que ir no tal do alien e transformar um .RPM pra um .DEB ... Tornar o linux mais comodo não é se assemelhar o Windows." Para quem critica a ignorância de outrem, demonstra o mesmo atributo repetidas vezes. Uso o Debian em casa, e não precisei compilar programas para ter meu sistema funcionando (para acessar a Internet, editar textos, jogar). O fato do Skype não ser disponibilizado em ".deb" não é culpa do Linux ou da comunidade que o desenvolve, mas do fabricante do software, que não fornece o código-fonte nem permite que seja redistribuído (você leu a licença de uso - EULA - do Skype?). Se fosse SL, certamente seria distribuído, por exemplo, pelo projeto Debian e você não estaria reclamando.

"Podemos até vir a ter milhões de distros. Mas pq não podemos ter um linux padronizado? Uma org que padronize o linux. Pq falar em padronizar o pessoal corre e diz que é se assemelhar o windows. Eu não acho. Eu acho que padronizar facilita a vida de mt gnt." Você conhece o LSB (Linux Standard Base)? Conhece o FHS (Filesystem Hierarchy Standard)? Há uma diferença entre existir um padrão e este padrão ser respeitado por todos. Você sabia que existem padrões para disponibilizar informações na Internet? E sabia que muitas empresas (principalmente as brasileiras) não respeitam esses padrões e, p.ex., só disponibilizam páginas que funcionam com o Internet Explorer da MS? Você sabia que existe um padrão para formato de documentos (texto, planilha, gráficos e apresentações), o ISO/IEC 26300, também conhecido como ODF (Open Document Format), e que a MS não utiliza? E que é usado pelo OpenOffice.org, pelo KOffice e pela Lotus?

[77] Comentário enviado por Sr_X em 15/12/2006 - 22:46h

Bem, eu discordo de muitas coisas que disse, mas vamos por partes:

1. Minha Experiência Profissional em Linux.
Não instalei nenhuma das distros que você citou portanto minha experiência não deve ser nada parecida. Instalei em casa Debian Woody, depois Sarge, e migrei para o Etch (testing) em janeiro. Usei o Kurumin 5.0 Live CD em várias máquinas quando visito os amigos para mostrar. E usei na escola Red Hat em 2004 e Gentoo em 2006. Instalei o Debian BR CDD 1.0 em uma SBC.

2. Poderio Microsoft, monstro esmagador?
Assim como tem pessoal que usam Windows em casa por é igual na empresa. Tem empresa que usa Windows para não ter que treinar funcionário. A maioria das pessoas que eu conheço não sabe usar nenhum SO, ele faz o que alguém disse para fazer, se você tirar o atalho da Área de Trabalho, por exemplo, ela não sabe mais usar. Eu aprendo rápido no Windows por uso MS desde o DOS, já conheço os esquemas da MS. Já o Linux conheço só a dois anos.

3. FHS, a estrutura de diretórios
Talvez você não goste, mas eu acho mais fácil ter um arquivo em /etc do que ter que ir em c:/Arquivos de Programas/nome_do_programa e descobrir como o desenvolvedor daquela aplicação resolveu organizar as pastas dele. Mas, o tipo do usuário de Desktop que você se refere não está nem um pouco interessando em saber onde o arquivo está guardado, pode até ser um aplicativo web ou ficar armazenado em um Banco de Dados que ele nem sabe a diferença o que importa é o programa ser acessível da Área de Trabalho ou do Menu Iniciar/Menu K/Menu Aplicativo, e ser configurável pelo menos Editar->Preferência ou Ferramentas>Opções... Usuário comum nem tem permissão de acesso a arquivos do sistema, não é mesmo???

4. GPL e sua característica viral
A característica víral da GPL não impede que você desenvolva o seu software proprietário, a MathWorks tem MatLAB for Linux, a Corel tem WordPerfect for Linux, e poderiamos citar vários outros inclusive jogos... A GPL impede que você use a propriedade intelectual (código) do cara que desenvolveu o software GPL para fazer o seu software proprietário, ela não impede você de fazer programa que conversem com um GPL. Assim como o desenvolvedor de software proprietário tem direito a seu copyright, o desenvolvedor GPL tem direito a exigir que não usem seu código sob determinadas condições, senão teria disponibilizado sob BSD ou outra. Cada um usa sua licença de preferência, e muitos usam mais de uma vide Mozilla por exemplo.

5. Programadores Linux e seus radicais xiitas
Até onde eu sei os módulos não são muito diferentes dos driver, porque você não consegue instalar um driver para Win98 ou WinNT no Win2k ou no WinXP, são versões diferentes do kernel windows. Se o desenvolvedor do módulo/driver não quer fornecer o fonte ele tem que fornecer o binário da versão de kernel correta (a nVidia tem um instalador que facilita o processo, por exemplo).
Eu não daria um programa para ninguém compilar, mas minha mãe não consegue instalar nem o Firefox (que não precisa reiniciar). Mas eu acho Ícones Mágicos, aptitude e sinaptic mais fácil que next, next, next... E tem ferramentas similares em distro não Debian. Não é preciso nem procurar na internet o arquivo para baixar só escolher na lista... Se na lista não tem o programa que você quer o problema e da distro não do linux em geral...

6. QT, GTK, a divisão das águas. Liberdade a custo de desempenho e compatibilidade
Isso é verdade variedade de opções pode trazer esse problema. Mas, você escolheu usar o Evolution, OpenOffice e aMSN ao invés de KMail, KOffice e Kopete. Se você escolher usar o GIMP no Windows terá que carregar o GTK.
Você acha o KDE Mega bloated (muita gente acha) e se o GNOME tivesse que seguir o padrão deles, você ficaria sem escolha... Você tem a opção de padronizar eu micro usando só Qt ou só GTK, ou até outras, misturar é opção sua... O problema de padronização me parece mais ser o fato de que EU prefiro o Firefox, OpenOffice, aMSN, GNOME e Amarok e gostaria de usar todos juntos ao invés de usar Konqueror, KOffice, Kopete, KDE e Amarok ou Epiphany, AbiWord+Gnumeric, Gaim, GNOME e XMMS... Os padrões existem, mas EU quero misturar...

7. Conclusão, comunidade Linux uni-vos
É verdade temos que unir esforços, mas é no momento de trabalhar em grupo que surgem idéias diferentes. E cada pessoa adota uma reação, uns se convencem e apóiam a idéia do outro, outros discordam e fazem um fork ou começam um projeto diferente... Só porque é diferente não significa que é melhor nem pior... É mais adequada para alguns e menos para outros...
Eu estaria em problemas se só existisse KDE e GNOME porque meu micro só tem 128Mb...
Eu não quero xingá-lo muito menos sua mãe, mas tenho idéias diferentes sobre o assunto e expus aqui, pode ser que eu esteja equivocado e amanhã mude de idéia...

[78] Comentário enviado por otaviocc em 06/02/2007 - 10:32h

Acredito que a principal questão é saber em que ambiente o Linux se insere nos nossos dias. O socialismo fracassou e o capitalismo está em vias de perder o seu folego. Isto porque o capital está destruindo o planeta e se auto enxugando criando levas de desempregado e pessoas excluídas. A principal modalidade de guerra que veremos daqui para o futuro é da formalidade contra a informalidade. Grandes empresas, primeiro mundo, pessoas garantidas por lei e pela sociedade contra camelôs, terceiro mundo, traficantes e terroristas. Este é o nosso mundo senhores. E qual será a luz no fim do túnel? Certamente, será o equilíbrio das relações, honestidade, transparência, compartilhamento. O mundo futuro terá a competência do capitalismo para se auto gerir e terá o equilíbrio do socialismo. O mundo futuro será alternativo, não será formal nem informal. É neste contexto que o Linux se insere, pois ele é transparente, compartilhado. O Linux, senhores, é o futuro. Adotá-lo é uma questão estratégica.

[79] Comentário enviado por removido em 02/07/2007 - 22:17h

No meu slackware não existe nenhuma pasta chamada /media... e se voce verificar na sua distro muito provavelmente é só um link pra uma pasta no /mnt , concordo em alguns pontos do texto com você e principalmente com o aurelio que existem muitos radicais ou como diziam no d00dz GNU/chatos.

Quanto a questão de codigo fonte do kernel, quantas vezes você já recompilou o kernel do windows? uma vez tive um problema com um modulo, entrei no codigo fonte e modifiquei uma linha quantas vezes você fez isso.

A questão do codigo fonte ser distribuido acontece da seguinte maneira como existem muitas distribuições de linux não é possivel lançar um pacote para cada uma até se atingir a padronização total (ponto que concordo com voce no texto) sendo assim o "fabricante" lança uma versão em codigo fonte e cada distribuição se responsabiliza de lançar o binario, com isso temos o codigo-fonte para usar quando necessario e os binarios nos links das distribuições para utilizarmos quando necessario, e quanto ao kernel ocorre o mesmo processo sendo que o a fonte ainda é compativel com varios tipos de processador já tentou instalar um windows xp home edition em um sistema que não seja x86?

[80] Comentário enviado por lucmarcelino em 27/07/2007 - 17:47h

Não vou entar no debate técnico...
Acredito que existem vários motivos que juntos dificultam o acesso às distro Linux, esquecendo as coincidências de analogias sobre tecnologia, inclusão e mercado por viés windows.
Primeiro não se compra uma distro linux em loja, o que eu até hoje não entendo poque, sequer nos Info Centros da vida...,
No meu trabalho compraram 2 notebook com linux, mas...era um linux com cara de Dos, nada amigável e o cara já te oferece o Windows p/ instalar, original ou não, cadê as distros linux disponíveis?teve quem comemorasse esta inserção do linux, asim, não sei não...
Porque não é de interesse das lojas incluir alguma distro linux num computador pessoal para um usuário comum? será apenas por causa da facilidade do Windows?

para quem tem interesse em colocar no seu pequeno negócio falta informação na medida que sobra para o Windows, voce tem muito na internet, mas as explicações estão em mil lugares diferentes, e muitas vezes não ajudam, eu por exemplo q sei um pouco mais do lado técnico de informática, não consigo fazer o kurumin e debian funcionarem cada um num hd com grub único do kurumin, eles se atacam e eu nem instalei o grub do debian hdb na mbr do hd principal. Pronto... só isso q eu falei já afastou mais 10 curiosos do Linux
quem quer se inteirar, mesmo que com o kurumin, um pouco mais simples vai ter problema, o Windows pouco pergunta de partição, hda, hdb,hdd...
E o que exclui tb são os muitos debates que pouco ajudam o usuário iniciante, parecem que estão medindo algo...
Isso quando não partem p/ a grosseria com uma pergunta simples ou ocupam os posts com diálogos q não interessam os demais.

Há também a questão de se falar nas distro para empresas e governo, mas o usuário final ainda não é o grande foco, no uso de algumas distros,
e os Movimentos Sociais?São estes que sabem onde estão os 486, os únicos computadores de uma família inteira, que sabem os endereços da exclusão digital, e querem um outro tipo de debate que o SL não esta fazendo chegar.

Os eventos ainda são muito voltados p/ os entendidos em informática como se fosse obrigatório este quesito p/ usar linux, ninguém aqui sabe fazer um plano pedagógico ou uma petição ao juiz, mas quer ser inteirado no debate de educação ou fazer reclamações disto e daquilo como consumidor. E se fosse obrigatório saber o que é inciso e artigo p/ reclamar no Procon? é assim que se sente aquele que não tem obrigação e nem deveria precisar saber detalhes mais técnicos, neste caso de uma área que não é a sua, de SO.

E preciso levantar uma questão, analisando os inscritos nas comunidades Orkut, é visível que 90% dos usuários são brancos e brancas, o 486 que usam é o computador teste, ou seja, não é o único, não sabem há muito tempo de conexão discada, onde vive a maior parte do brasileiros, e ainda assim somos poucos conectados. O que isso significa?!!?

Acredito que o problema das distro linux não esta tão nelas, mas os caminhos e formas de acessos que estão se estabelecendo.

PS: ja li alguns post onde o usuário final é desrespeitosamente "classificado como inferior" chamado por exemplo de jeca-byte? Tomara a difusão do Linux não dependa em nada destes, e daqueles que concordam com ele.

[81] Comentário enviado por Demostenex em 05/02/2009 - 22:31h

Olha eu nem olhei a data mais achei o artigo muito interesante espero naum estar dizendo besteira digo que para o usuario final desde que esse naum entenda nada de nada e mal consiga instalar codecd no rWindows obvio que nadda ele ira fazer com qualquer distro mas e justamente por isso que o nosso querido pinguim esta ai par que estudemos para que possamos crescer trabalho com linux a 4 anos com servidor de internet e acho que o futuro esta aki apesar do comodismo em que nos encontramos sei que ficou inconclusivo mas na verdade acho que foi mais o menos isso a função desse artigo

ha uso slack e dele naum largo e so ele Viva o linux for ça ae galera

[82] Comentário enviado por removido em 15/10/2009 - 20:19h

Sou usuário de Windows, fiz um cursinho básico de informática onde aprendi windows, word e excel. Nada de muito surpreendente. Não conheço o linux além do que leio na internet e alguns fóruns que como esse que por acaso li e quis fazer parte para discutir essa assunto. O linux é muito bem falado por pessoas que tem conhecimento de informática (como parece ser o caso da maioria aqui), muitas vezes adquirida em faculdades, ou aqueles que quando nascem já ganham um mouse como brinquedo. Pessoas leigas como eu que só mexe no pc por curiosidade, fica difícil adotar uma plataforma diferente das que é encontrada em qualquer esquina. Adquiri um pc a menos de 1 mês e optei por windows. Por quê? Porque já estou habituado, porque posso instalar os mesmos programas que uso no trabalho (Photoshop, Corel, Nero, MSN, Office, outlook, etc.) além de que todo tipo de software é compatível com windows, mesmo aqueles criados para linux ou mac os. Quero instalar o linux para testar como 2ª opção no meu pc, porém palavras como customisar, otimisar, kernel da qual não faço nem idéia do que se trata já me assustou e fez perceber a briga que enfrentarei assim que instalar o SO. Sem falar que só o utilizarei quando estiver de bobeira já que não disponho de tempo para aprender a usar o SO no trabalho, mesmo pq não conseguiria, já que os clientes dessa empresa usam tbm photoshop e corel draw, uso diversos drives de impressoras e dai por diante. O que falta no linux além de se tornar mais fácil para os completamentes leigos é a compatibilidde com softwares que estão mandando no mercado. Do que adiantaria eu instalar o Linux se não puder jogar os jogos da moda, usar os mesmo programas que uso no trabalho, procurar programas alternativos não é liberdade, liberdade é colocar no meu pc o qu que quiser e preciso, mesmo que isso signifique destruí-lo. O Linux não contém tantos bugs e vírus pq é pouco utilizado, a ms atende a milhões de pessoas e por isso muitas dessas procuram burlar o SO, se o Linux se tornar popular e as pessoas descobrirem exatamente como funcionam e ele se tornar financeiramente viável, com certeza aparecerá milhares de vírus, como também milhares de bugs, já que os programadores tentarão atender a demanda. Se a idéia é tornar o software livre, ele precisa está realmente acessível ao usuário, senão, apenas aquele com conhecimento poderá utilizá-lo. E dependendo da situação com dificuldade, já que a maioria usam programas compatíveis com windows. No meu caso, seria 1 no meio de centenas de pessoas que usa o linux em minha cidade. Para comentários que li que menosprezam aqueles que não conhece o software e dão preferência ao windows são iguais a microsoft, não se preocupa em entender a dificuldade alheia, não tentar amenizá-la, e quer que a pessoa se vire para usar o SO. Tal reação me parece estar completamente contrária ao ideal que o linux quer implantar no mundo.

[83] Comentário enviado por Gigatesla boy em 15/02/2010 - 01:06h

._.

Quase lincharam o cara :O

Eu concordo com o que ele falou...
Há gerenciadores de pacotes simples no kurumin, ubuntu. Mas são limitados, se o programa nao estiver la? apt-get? Baixar source? Compilar? Instalar depedencias? Instalar depedencias das depedencias?




-----------------------
Linux é em codigo aberto
O windows tem falhas que deixam o sistema aberto :)

[84] Comentário enviado por larry.fine em 20/02/2010 - 20:35h

Concordo inteiramente com o comentário n.82. O Linux é e sempre será um sistema exclusivamente para servidores enquanto existirem zilhões de distros, cada uma apresentando seus próprios bugs (sim! o Linux tem bugs também!), exigindo do usuário comum uma via sacra por fóruns onde muitas vezes é preciso se ajoelhar e pedir a benção aos senhores do kernel para que ao fim de vários apt-gets, sudos, compila isso, compila aquiloutro, repositar dependencias, testar uns vinte programas diferentes para um determinado fim (e descobrir que o melhorzinho mesmo assim não integra todas as funcionalidades necessárias), ufa!... a maldita distro parou de ser desenvolvida e as atualizações vão pro espaço! Alguém já ouviu falar em tk-90, zx-spectrum, msx ? memória de 64 kb ? carregar e salvar dados via fita k-7, cartão perfurado, disquetes de 5 polegadas (e um quarto) ? Pois é, sou dessa época. Digitava centenas, milhares de linhas em BASIC ou COBOL. Aí surge um cara que simplesmente revoluciona o conceito de computador pessoal. Tarefas inimagináveis até então tornam-se uma rotina para milhões de pessoas no mundo inteiro. Aperfeiçoa um sistema operacional que, apesar das inúmeras falhas, é funcional, atende as necessidades de todos e é utilizado nos mais variados segmentos da atividade humana. Mas... é pago. O código fechado. Que tirano! Egoísta! Sim, crucificai-o! Suena los tambores de la rebelion! Pô, espera um pouco. O tal sujeito é americano, não é? Born in The United States of America. The Land of Business. Não é nenhum nerd da Croácia, Romênia, Albânia ou coisa parecida não é? E todo mundo quer malhar o sujeito por querer ficar rico? Aplicaremos então o mesmo princípio aos descobridores da cura da AIDS, do câncer etc? O direito intelectual não vale nada? Eu uso Linux. Levei muito tempo para ajustá-lo para as minhas necessidades e gosto desse sistema, mas afirmo ousadamente que a maioria das distros atualmente disponíveis merecem estar na lixeira do Windows pela incompetência e irresponsabilidade de seus desenvolvedores por abandonarem os usuários que acreditaram no projeto. Algo que a Microsoft, com todos os seus defeitos, nunca fez. Dizem que o Linux não tem problemas com segurança? Tem sim. Em 2005, foram registradas 812 vulnerabilidades no sistema Windows contra 2328 (!) em sistemas Unix/Linux. Interessante, não?
Desculpem, mas é irritante ver a arrogância e a pedância de alguns "sumo-sacerdotes do kernel" humilhando usuários da Microsoft, muitos dos quais não tem nenhum conhecimento técnico de sistemas operacionais, alguns compraram seu PC na base do carnê, querem apenas acessar seu e-mail, bater um papinho no MSN, ouvir um mp3 da vida e só. Falando em mp3, pois é, o mp3. Mas isso fica para outro dia. Meus amigos, dou um CTRL-ALT-DEL para aqueles que acham que a vida é um código aberto. Viva o Linux. Viva o Unix. Viva o MAC OS. Sim, VIVA O WINDOWS!!!!


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts